UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO NA PROMOÇÃO D...
À sombra desta mangueira
<ul><li>“ A história é tão vir a ser quanto nós, seres limitados e condicionados, e quanto o conhecimento que produzimos. ...
<ul><li>“ A afirmação de que “as coisas são assim porque não pode ser de outra forma” é odiosamente fatalista, pois decret...
<ul><li>“ Estando a favor de algo e de alguém, me acho necessariamente cotra alguém.” Com quem estou? Contra quê e quem es...
<ul><li>“ A esperança na liberdade não significa já, a libertação. É preciso lutar por ela, dentro de condição historicame...
<ul><li>“ Na compreensão da história como possibilidade, o amanhã é problemático. Para que ele venha é preciso que o const...
<ul><li>“ Eu gosto de ser gente principalmente por causa da minha responsabilidade ética e politica em face do mundo e dos...
REFLEXÃO <ul><li>Quando leio e releio “A sombra dessa mangueira” – encontro nas palavras de Freire referências para pensar...
Pensando Projeto de Aprendizagem a luz de pedagogia de Freire <ul><li>“ A educação da resposta não ajuda em nada a curiosi...
I niciei meus estudos referentes a Freire em janeiro de 2000, quando  fiz um curso em Porto Alegre para o concurso de prof...
<ul><li>O conhecimento é enfocado a partir da localização histórica de sua produção e é entendido como provisório e relati...
<ul><li>Valoriza a ação reflexiva e a disciplina tomada como capacidade de estudar, refletir e sistematizar o conhecimento...
<ul><li>Oportuniza e privilegia a intervenção no conhecimento socialmente acumulado – parte de conhecimentos prévios do al...
<ul><li>Estimula a análise, a capacidade de compor e recompor dados, informações, argumentações e idéias. </li></ul>
<ul><li>Valoriza a ação, a reflexão, a curiosidade, o questionamento exigente a inquietação e a incerteza, características...
<ul><li>Valoriza o pensamento divergente, parte da inquietação e/ou provoca incerteza. </li></ul>
<ul><li>Percebe  o conhecimento de forma interdisciplinar, propondo pontos de relação entre eles e atribuindo significados...
<ul><li>Concebe  pesquisa como atividade inerente do ser humano, um modo de apreender o mundo, acessível a todos e a qualq...
<ul><li>Requer um professor inteligente e responsável, capaz de estimular a dúvida e orientar o estudo para a emancipação....
<ul><li>Entende o professor  como mediador entre o conhecimento, a cultura sistematizada e a condição de aprendiz do estud...
O Trabalho com Projeto de Aprendizagem na minha percepção tem em sua essência as seguinte palavras de Freire: “ Saber que ...
Referência bibliográfica: <ul><li>FREIRE. Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo, Paz e Terra, 1997. </li></ul><ul><li>_...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentacaofreire

1.100 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.100
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
78
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentacaofreire

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO NA PROMOÇÃO DA APRENDIZAGEM. Apresentando o pensamento de Paulo Freire Especializada: Gisele Ramos Lima Turma 4 /RS PROA 8 2007
  2. 2. À sombra desta mangueira
  3. 3. <ul><li>“ A história é tão vir a ser quanto nós, seres limitados e condicionados, e quanto o conhecimento que produzimos. Nada por nós engendrado, vivido, pensado e explicado se dá fora do tempo, da História. Ter certeza, estar em dúvida, são formas históricas de estar sendo.” (p.19) </li></ul>
  4. 4. <ul><li>“ A afirmação de que “as coisas são assim porque não pode ser de outra forma” é odiosamente fatalista, pois decreta que a felicidade pertence apenas àqueles que tem poder. Os pobres, os desertores, os excluídos estariam fadados a morrer de frio, não importa se no Sul ou no Norte do mundo.”(p.23) </li></ul>
  5. 5. <ul><li>“ Estando a favor de algo e de alguém, me acho necessariamente cotra alguém.” Com quem estou? Contra quê e quem estou?” Pensar na minha terra sem fazer-me estas perguntas e sem a elas responder me levaria a pura idealizações estranhas à realidade. A falta de clareza quanto aos problemas envolvidos nessas indagações por eles fazem-nos solidários co os violentos e com a (des-) ordem que lhes segue.” (p.27) </li></ul><ul><li>Realizando uma releitura das palavras de Freire –> Com quem estou? Conta quê e quem estou?” pensar as práticas pedagógicas sem fazer-me estas perguntas e sem a elas responder me levaria a pura idealizações estranhas a realidade . </li></ul>
  6. 6. <ul><li>“ A esperança na liberdade não significa já, a libertação. É preciso lutar por ela, dentro de condição historicamente favoráveis. Se elas não existem, temos de planejar esperançosamente para criá-las. A liberdade é possibilidade, não sinal, nem destino, nem fado. Nesse contexto, se percebe a importância da educação, da ruptura, da opção, da ética, afinal.” (p.30) </li></ul>
  7. 7. <ul><li>“ Na compreensão da história como possibilidade, o amanhã é problemático. Para que ele venha é preciso que o construamos mediante a transformação do hoje. Há possibilidades para diferentes amanhãs A luta já não se reduz a retardar o que virá ou a assegurar a sua chegada; é preciso reinventar o mundo. A educação é indispensável nessa reinvenção. Assumirmos-nos como sujeitos e objetos da História nos torna seres de decisão, de ruptura. Seres éticos.” (p.40) </li></ul>
  8. 8. <ul><li>“ Eu gosto de ser gente principalmente por causa da minha responsabilidade ética e politica em face do mundo e dos outros. Não posso ser se os outros não são, sobre tudo não posso ser se proíbo que os outros sejam. Sou ser humano.” (p.44 ) </li></ul>
  9. 9. REFLEXÃO <ul><li>Quando leio e releio “A sombra dessa mangueira” – encontro nas palavras de Freire referências para pensar e repensar o nosso país e no nosso país a escola. O legado de Freire possibilita reflexão-ação-reflexão da minha prática pedagógica diária. Assim procuro estabelecer com os educandos uma relação de troca, de respeito a eles e a sua cultura, possibilitando que o educando sejam protagonistas de suas aprendizagens, de sua história. Na prática diário venho me construindo uma educadora capaz de ser mediadora entre o conhecimento trazido pelo aluno e suas novas descobertas, de forma que ele evolua de um conhecimento ingênuo, para um conhecimento científico. </li></ul>
  10. 10. Pensando Projeto de Aprendizagem a luz de pedagogia de Freire <ul><li>“ A educação da resposta não ajuda em nada a curiosidade indispensável ao processo cognitivo. Ao contrário, ela enfatiza a memorização mecânica do conteúdo. Só uma educação de perguntas aguça, estimula a curiosidade.” (Por uma pedagogia da pergunta, Paz e Terra, Rio de Janeiro) </li></ul>
  11. 11. I niciei meus estudos referentes a Freire em janeiro de 2000, quando fiz um curso em Porto Alegre para o concurso de professores do Estado do RS. Neste momento tive aulas utilizando um material organizado por Maria Alice Goularte e Susana Fernandes, foi justamente esse material que utilizei para estabelecer a relação entre PA e a pedagogia de Freire nos 10 Slides que seguem. Em junho de 2000 assumi o concurso do Estado do RS, passei a participar da constituinte escolar, onde tive oportunidade de dar continuidade nos estudos sobre Paulo Freire, a partir daí sempre que surge a oportunidade de conversar, estudar, trocar idéias sobre Freire procuro estar presente. Ainda tenho uma longa caminhada, muito o que aprender de Freire e essa disciplina está sendo mais uma oportunidade de qualificar os meus conhecimentos sobre Freire.
  12. 12. <ul><li>O conhecimento é enfocado a partir da localização histórica de sua produção e é entendido como provisório e relativo. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Valoriza a ação reflexiva e a disciplina tomada como capacidade de estudar, refletir e sistematizar o conhecimento. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Oportuniza e privilegia a intervenção no conhecimento socialmente acumulado – parte de conhecimentos prévios do aluno sobre o assunto escolhido. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>Estimula a análise, a capacidade de compor e recompor dados, informações, argumentações e idéias. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Valoriza a ação, a reflexão, a curiosidade, o questionamento exigente a inquietação e a incerteza, características básicas do sujeito cognoscente </li></ul>
  17. 17. <ul><li>Valoriza o pensamento divergente, parte da inquietação e/ou provoca incerteza. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Percebe o conhecimento de forma interdisciplinar, propondo pontos de relação entre eles e atribuindo significados próprios nos conteúdos, em função dos objetivos acadêmicos. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>Concebe pesquisa como atividade inerente do ser humano, um modo de apreender o mundo, acessível a todos e a qualquer nível de ensino, guardada as suas proporções. </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Requer um professor inteligente e responsável, capaz de estimular a dúvida e orientar o estudo para a emancipação. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>Entende o professor como mediador entre o conhecimento, a cultura sistematizada e a condição de aprendiz do estudante. </li></ul>
  22. 22. O Trabalho com Projeto de Aprendizagem na minha percepção tem em sua essência as seguinte palavras de Freire: “ Saber que ensinar não é transferir conhecimentos, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção. Quando entro em sala de aula devo estar sendo um ser aberto a indagação, à curiosidade, ás perguntas dos alunos, a suas inibições; um ser critico e inquietador em face a tarefa que tenho – a de ensinar e não de transferir conhecimento. ” (pedagogia da autonomia p.52; 1997)
  23. 23. Referência bibliográfica: <ul><li>FREIRE. Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo, Paz e Terra, 1997. </li></ul><ul><li>_______ Pedagogia do Oprimido. São Paulo, Paz e Terra, 1999. </li></ul><ul><li>_______ À sombra Desta Mangueira. São Paulo, Olho d'água, 2005. </li></ul><ul><li>_______ Para uma Pedagogia da Prgunta. São Paulo, Paz e Terra. </li></ul><ul><li>CUNHA, Maria Isabel da. Ensino Desafios na transposição de paradigmas. PPGE/UFPEL, mimeo, 1995. </li></ul><ul><li>http://images.google.com.br/images?hl=pt-BR&q=%22paulo+freire%22&btnG=Pesquisar+imagens.&gbv=2 </li></ul>

×