BRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democratica

1.871 visualizações

Publicada em

Período entre os governos Dutra e Jango, conhecido por República Populista Democrática

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.871
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
503
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
87
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

BRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democratica

  1. 1. República Populista Democrática 1945 – 1964
  2. 2. Transição JOSÉ LINHARES (29/10/45 – 31/01/46)  Presidente do Supremo Tribunal Federal  Eleições Presidenciais  Vitória de Eurico G. Dutra
  3. 3. Eurico G. Dutra (31/01/1946 – 31/01/1951)
  4. 4. Eurico G. Dutra Assembléia Constituinte Constituição de 1946:  Liberal conservadora  Federalismo  Presidencialismo (05 anos)  Câmara (04 anos)  Senado (08 anos – alterna 1/3 e 2/3)  Voto Secreto e Universal para maiores de 18 anos, menos analfabetos e convocados para as Forças Militares  Pluripartidarismo  Criação da CPI  Manteve-se a estrutura de propriedade da terra (latifúndios)  Garantia dos direitos trabalhistas da Era Vargas  Manteve-se a estrutura sindical, mas tolhida de força e com Intervenções do Governo
  5. 5. Eurico G. Dutra Administração e Economia:  Brasil insere-se no quadro da Guerra Fria (Bipolarização) Doutrina Truman (1947)  Política externa alinhada aos EUA  OEA (1948): ativa participação do Brasil  Rompimento com a União Soviética  Ilegalidade do PCB e cassação dos mandatos dos representantes no Congresso eleitos por esse partido  Busca retornar ao Liberalismo  Missão Abbink # Auxílio para o Desenv. Econômico # Análise para tomada de medidas # “Potência” da América do Sul Tratado de assistência mútua Brasil – EUA (1947): “Sugestões” para o Cresc. Econômico:  Diminuir salários  Aumentar impostos  Produção de matéria-prima
  6. 6. Eurico G. Dutra Crise Econômica:  Importação de Industrializados  Exportação de Mat.- Prima Reservas: 1945: US$ 708 mi 1947: US$ 92 mi  Em 05 anos: # Impostos dobraram # Não aumento do Salário-Mínimo  Plano Salte # Saúde # Alimentação # Transporte # Energia  CSN (inauguração em 1946)  Estrada Rio - São Paulo  Campanha p/ Alfabetização de Adultos  Fechamento dos Cassinos e Proibição do Jogo
  7. 7. Getúlio Vargas (31/01/1951-24/08/1954)
  8. 8. Getúlio Vargas  Intervencionismo e Nacionalismo X  Cap. Estrangeiro e Política Externa  Vargas: Capitais Nacionais em associação com os Capitais Internacionais # Criação do BNDE # Empréstimos do BIRD  Protecionismo Cambial e Fiscal  Investimento em indústrias de Base (Plano Qüinqüenal)  Superávit com a Guerra da Coréia (US$ 425 milhões)  Déficit nos próximos anos (US$ 286 milhões)
  9. 9. Getúlio Vargas  1951: Projeto para criação da Petrobrás # Monopólio: # Pesquisa, Exploração e Refino # “O Petróleo é nosso” Aprovada em 08/10/1953 (Lei 2004)  Projeto de criação da Eletrobrás  03/1953: Greve de 300.000 operários por melhores Salários  1953: Plano Aranha Política Seletiva de Importações (Diminuir Déficit)  Crescimento do Trabalhismo  Cancelamento pelos EUA do Acordo Bilateral Brasil-EUA 1954: aumento do Sal. Mínimo em 100% X Oposição dos Conservadores: ligados ao Capital Estrangeiro
  10. 10. Getúlio Vargas  Demissão de João Goulart (Ministro do Trabalho)  Brasil, Argentina e Chile X EUA  Tentativa de Impeachment (04/04/1954) Atentado da Toneleros (05/08/1954)  Alvo: Carlos Lacerda (críticas ao governo com denúncia dos escândalos) # Lacerda ferido no pé e # Morte do Major Rubens Vaz  Membros da segurança pessoal de Vargas envolvidos no atentado (Gregório Fortunato)  Oposição e Exército pedem Renúncia  Suicídio em 24/08/1954 (Carta Testamento)
  11. 11. Getúlio Vargas
  12. 12. Getúlio Vargas
  13. 13. Carta -Testamento Na madrugada em que se suicidou, Getúlio Vargas teria escrito uma carta-testamento, na qual explicava aos brasileiros as razões de seu gesto extremo.Até hoje se discute a veracidade da autoria deste que é o mais importante documento da História recente do Brasil. Abaixo, o texto da carta. Mais uma vez, as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se novamente e se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam - e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes. Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo. A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se às dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho. A lei de lucros extraordinários foi detida no Congresso. Contra a Justiça da revisão do salário mínimo se desencadearam os ódios. Quis criar liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobrás; mal começa esta a funcionar, a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculada até o desespero. Não querem que o trabalhador seja livre. Não querem que o povo seja independente. Assumi o Governo dentro da espiral inflacionária que destruía os valores do trabalho. Os lucros das empresas estrangeiras alcançavam até 500% ao ano. Nas declarações de valores do que importávamos existiam fraudes constatadas de mais de 100 milhões de dólares por ano.
  14. 14. Carta -Testamento Veio a crise do café, valorizou-se o nosso produto. Tentamos defender seu preço e a resposta foi uma violenta pressão sobre a nossa economia, a ponto de sermos obrigados a ceder. Tenho lutado mês a mês, dia a dia, hora a hora, resistindo a uma pressão constante, incessante, tudo suportando em silêncio, tudo esquecendo, renunciando a mim mesmo, para defender o povo que agora se queda desamparado. Nada mais vos posso dar a não ser meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida. Escolho este meio de estar sempre ao vosso lado. Quando a fome bater à vossa porta, sentireis em vosso peito a energia para a luta por vós e vossos filhos. Quando vos vilipendiarem, sentireis no meu pensamento a força para a reação. Meu sacrifício vos manterá unidos e meu nome será a vossa bandeira de luta. Cada gota de meu sangue será uma chama imortal na vossa consciência e manterá a vibração sagrada para a resistência. Ao ódio respondo com o perdão. E aos que pensam que me derrotaram, respondo com a minha vitória. Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo de quem fui escravo não mais será escravo de ninguém. Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e meu sangue terá o preço do seu resgate. Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia, não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História. Getúlio Vargas
  15. 15. Transição (Café Filho, Carlos Luz e Nereu Ramos) (25/08/1954 – 31/01/1956)
  16. 16. João Café Filho João Café Filho (24/08/1954 – 09/11/1955)  Vice-Presidente  Reorganização dos Ministérios  Eleições Presidenciais: Juscelino Kubitscheck (36% votos)  Lacerda: Campanha para impedir a posse dos eleitos (PSD – PTB) # Carta Brandi # (“Jango comprara armas de Peron para equipar trabalhadores”)  Renúncia de Café Filho (motivos de Saúde - enfarto)
  17. 17. Carlos Luz Carlos Luz (09/11/1955 – 11/11/1955)  Presidente da Câmara  General Henrique Lott X Cel. Jurandir Bizarria Mamede  Carlos Luz desentende-se com o Ministro da Guerra  Suspeita de Golpe: # demissão de Carlos Luz # refúgio no navio Tamandaré
  18. 18. Nereu Ramos Nereu Ramos (11/11/1955-31/01/1956)  Presidente do Senado  Estado de Sítio  Entrega do poder a Juscelino Kubitschek
  19. 19. JUSCELINO KUBITSCHEK (31/01/1956 - 31/01/1961)
  20. 20. Juscelino Kubitschek Transformações econômicas: “50 anos de Progresso em 05 de Governo”  Cresc. Econ. = Desenvolvimentismo  Política econômica de capitação de Capital Estrangeiro  Plano de Metas (1956-1961) # 31 metas # Estado: coordena o desenvolvimento # Energia, Transporte e Alimentos # Indústria de Base # Des. Industrial: 80% # Transportes e Indústria Automobilística: 600% # GEIA (Estudos Ind. Automobilística)
  21. 21. Juscelino Kubitschek  Mercado interno em expansão  Utilização da 113 SUMOC (facilidade para Importação)  SUDENE  Nova Capital  Brasília  Criação da OPA: Ajuda Americana a América Latina para evitar surgimento dos Regimes Extremistas  Tentativas de Golpes: # Jacareacanga # Aragaças (Militares)
  22. 22. Juscelino Kubitschek Problemas no Fim do Governo:  Gastos com a Construção de Brasília  Expressivo aumento da Dívida Externa  Internacionalização do Mercado Brasileiro  Dependência Econômica do Capital Externo  Indústria de Bens de Consumo Duráveis  Êxodo da mão-de-obra para o Centro-Sul  Êxodo da mão-de-obra do Campo para a Cidade  Crescimento da Inflação  Crescimento da Pobreza  Defasagem do Salário-Mínimo Modernidade = Consumo
  23. 23. JÂNIO QUADROS (31/01/1961 - 25/08/1961)
  24. 24. Jânio Quadros  UDN (mas não simpatiza com Partidos Políticos) Crise financeira:  Fruto de uma política econômica que privilegia o Capital Estrangeiro  Inflação intensa  Déficit na Balança de Pagamentos  Dívida Externa Crescente Medidas:  Política Antiinflacionária  Restrição de Créditos  Congelamento de Salários  Desvalorização do Cruzeiro em 100%  Incentivo às Exportações
  25. 25. Jânio Quadros  Acabar com a ineficiência do Governo  Combate a Corrupção (“vassourinha”)  Controle de remessa de Lucros das Multinacionais para fora do país Política Externa:  “Autodeterminação dos Povos”  Independência em relação aos EUA  Acordos econômicos com Países Socialistas (Aumentar Mercado)  Apóia Cuba quando expulsa da OEA “Folclóricas”:  Proibição de Biquíni  Proibição de Lança Perfume  Proibição da Briga de Galo
  26. 26. Jânio Quadros  Condecoração de Che Guevara com a Ordem do Cruzeiro do Sul  Descontentamento: # Capital Estrangeiro # Classe Dominante no país  Denúncias de Carlos Lacerda: # Idéias Comunistas # Deseja um Golpe de Estado  (25/08/1961) Renuncia esperando: # povo pressionaria para sua volta # fecharia o Congresso # implantaria suas Medidas  Militares: impedem qualquer apoio a Jânio
  27. 27. Carta Renúncia Nesta data, e por este instrumento, deixando com o ministro da Justiça as razões de meu ato, renuncio ao mandato de Presidente da República. Fui vencido pela reação e, assim, deixo o governo. Nestes sete meses cumpri o meu dever. Tenho-o cumprido, dia e noite, trabalhando, infatigavelmente, sem prevenções, sem rancores. Mas, baldaram-se os meus esforços para conduzir esta nação pelo caminho da sua verdadeira libertação política e econômica, o único que possibilita o progresso efetivo é a justiça social, a que tem direito o seu generoso povo. Desejei um Brasil para os brasileiros, afrontando nesse sonho, a corrupção, a mentira e a covardia, que subordinam os interesses gerais aos apetites e às ambições de grupos ou indivíduos, inclusive do exterior. Sinto-me, porém, esmagado. Forças terríveis levantaram-se contra mim e me intrigam ou infamam, até com a desculpa da colaboração. Se permanecesse não manteria a confiança e a tranqüilidade, ora quebradas e indispensáveis ao exercício da minha autoridade. Creio mesmo, que não manteria a própria paz pública.
  28. 28. Carta Renúncia Encerro, assim, com o pensamento voltado para a nossa gente, para os estudantes e para os operários, para a grande família do país, esta página da minha vida e da vida nacional. A mim, não falta a coragem da renúncia. Saio com um agradecimento, um apelo. O agradecimento é aos companheiros que, comigo, lutaram e me sustentaram, dentro e fora do governo e de forma especial, às Forças Armadas, cuja conduta exemplar, em todos instantes, proclamo nesta oportunidade. O apelo é no sentido da ordem, do congraçamento, do respeito e da estima de cada um de meus patrícios para todos, de todos para cada um. Somente, assim, seremos dignos deste país e do mundo. Somente, assim, seremos dignos da nossa herança e da nossa predestinação cristã. Retorno, agora, a meu trabalho de advogado e professor. Trabalhemos todos. Há muitas formas de servir nossa pátria. Brasília, 25/08/1961 Jânio Quadros
  29. 29. Transição (Ranieri Mazzilli) (26/08/1961 – 03/09/1964)
  30. 30. Ranieri Mazzili Ranieri Mazzili  João Goulart em viagem a China  Anula ações de Jânio  Movimentos Estudantis  Repressão  29/08 – Manifesto de Ministros Militares contra a posse de Jango X  Rede da Legalidade: Goiás, Paraná, R. Grande do Sul (Leonel Brizola)  01/09 – Greves e Sindicatos apóiam João Goulart  Perigo de Guerra Civil  08/09/1961: Ato Institucional n.º 04 # Parlamentarismo no Brasil # Conciliar corrente dos contra a Posse e os Legalistas Tancredo de Almeida Neves
  31. 31. João Goulart (Parlamentarismo) (08/09/1961 – 06/01/1963)
  32. 32. João Goulart Parlamentarismo:  Conciliar corrente dos contra a Posse e os Legalistas  Limite dos Poderes do Presidente Porque Jango era “Nacionalista e Pró-Comunista”  Poder para o Legislativo  Votação: Parlamentarismo ou Presidencialismo 09 meses antes de terminar o mandato de João Goulart 06 primeiros meses:  Democracia (viagem aos EUA)  Críticas ao Regime Cubano  Princípios do Sistema Interamericano  01/03/1962: Reata relações com URSS  Discurso em favor da Ref. Agrária
  33. 33. João Goulart  Nacionalismo X Cap. Estrangeiro Instabilidade Política: # nenhum partido é majoritário no Congresso # Renúncia de Tancredo Neves # San Tiago Dantas # Auro de Moura Andrade # Francisco de Paula Brochado da Silveira Rocha # Hermes Lima  Antecipação do Plebiscito (Lei Complementar Capanema): 06/01/1963  Não ao Parlamentarismo
  34. 34. João Goulart (Presidencialismo) (06/01/1963 – 31/03/1964)
  35. 35. João Goulart João Goulart assume como Presidente:  Plano Trienal: # Alterar o sistema de distribuição de renda no país (mais distribuído) # Combater Inflação # Nacionalismo  Reformas de Base:  Tributária (Impostos Diferenciados)  Agrária (Divisão dos Latifúndios)  Bancária (Menor remessa de Lucros para o Exterior)  Administrativa (Maior Eficiência)  Eleitoral (Voto aos Analfabetos)  Universitária (Ampliação de Vagas)
  36. 36. João Goulart  Criação do 13º Salário: veto do Congresso X Greves  Governo X Ação das Multinacionais  Oposição dos Setores Empresariais  Movimentos por direitos e melhorias para os Trabalhadores  13/04/1964 (Sexta-feira) “Comício da Central”: # Nacionalização das refinarias estrangeiras # Reforma Agrária # Desapropriação de terras às margens das ferrovias, rodovias e zonas de irrigação
  37. 37. João Goulart
  38. 38. João Goulart  Reação dos Conservadores: Marcha da Família com Deus e pela Liberdade  Rebeliões nas Forças Armadas (Cabo Anselmo)  Militares + Conservadores X João Goulart  Golpe Militar (Revolução) em 31/03/1964: # Carlos Luís Guedes # Olívio Mourão Filho Fim da República Populista e Início do Regime Militar

×