O Acordo Ortográfico: estratégias deimplementação e implicações nas aulas de Português                  Braga, 24 de setem...
Primeiro estranha-se, depois entranha-se!                               Fernando Pessoa                                   ...
«Um cê a mais»    Quando eu escrevo a palavra ação, por magiaou pirraça, o computador retira automaticamente oc na pretens...
Na primária, por vezes gritavam ofendidos nacaneta vermelha da professora: não te esqueçasde mim! Com o tempo, fui-me habi...
Depois há os intrusos, sobretudo o erre, quetornou    algumas    palavras    arrevesadas    earranhadas, como neorrealismo...
E os meses perderam importância edignidade, não havia motivo para teremprivilégios, janeiro, fevereiro, março são tãoimpor...
As palavras transformam-nos. Como um meninoque muda de escola, sei que vou tersaudades, mas é tempo de crescer e encontrar...
Alguns            dos argumentos que os            portugueses costumam            esgrimir contra a            necessidad...
1. O Brasil vai invadir-nos     5. Não cabe aos políticos, mas   culturalmente. Isto é           aos especialistas, tomar ...
9. O acordo de 1945, que era     12. As grandes divergências com   simples e coerente, perderá       o Brasil são lexicais...
OrtografiaDe orto-, que significa “reto, direito, correto”       grafia, com sentido de escrita              escrita corre...
A ortografiapode ser: fonética: representa tão fielmente quanto possível a forma como as palavras são pronunciadas e a pro...
Mudanças ortográficas da língua portuguesa Duas capas de Os Lusíadas, uma de 1572 e outra de 1584, mostram o nome do poeta...
BreveCronologia              1885                -              1931  XIX                XX                               ...
1885     1943              -              1971                       -            1931               -                    ...
1885                       1943                -               1971                         -               1975          ...
1885    1943               -       -      1971     1975             1931    1945       -        -              1995       ...
Resolução da Assembleia da República n.º 26/91 Aprova, para ratificação, o Acordo Ortográfico daLíngua Portuguesa A Assemb...
Portal da Língua Portuguesahttp://www.portaldalinguaportuguesa.org/?action=acordo                                         ...
O texto do acordo organiza-se em 21 bases:Base I - Do alfabeto e dos nomes próprios estrangeiros e seus derivadosBase II...
21
O alfabeto da língua portuguesa é formado por 26 letras, cadauma delas com uma forma minúscula e outra maiúscula:         ...
A introdução do                                                              k, do w e do y                               ...
OS CÊS E PÊS SEMPRE MUDOS, ISTOÉ, NUNCA PRONUNCIADOS, SÃOELIMINADOS. Exemplos de eliminação: 1) Sequência cc • acionista e...
OS CÊS E PÊS SEMPRE MUDOS, ISTOÉ, NUNCA PRONUNCIADOS, SÃOELIMINADOS. Exemplos de eliminação:4) Sequência pc• adocionismo e...
CONSOANTES COM OSCILAÇÕES DEPRONÚNCIA E ORTOGRAFIAExistem consoantes que, de país para país, ou mesmo dentro domesmo país,...
Que é que muda na prática com esta regra? Para os brasileiros não muda nada, já que há muito usam grafiasduplas para casos...
Nomes de origem bíblica / cidadesOs seguintes nomes de origem bíblica podem escrever-se de duasmaneiras:• Jó ou Job (b nun...
ACENTOS ELIMINADOS Palavras como crêem, vêem e semelhantes deixam de ter acento; passam a creem, veem, etc. Atenção! Os v...
ACENTOS ELIMINADOSEliminam-se os acentos das palavras côa (nome flexão de verbocoar), pára (do verbo parar), péla e pélas ...
ACENTOS FACULTATIVOS1) Acento de palavras como andámos, cantámos (1.ª pessoa do plural   do pretérito perfeito dos verbos ...
ACENTOS FACULTATIVOS2) Acento de dêmos.Passa a facultativo o acento de dêmos, flexão do presentedo conjuntivo do verbo dar...
PALAVRAS AGUDAS COM OSCILAÇÕES DEORTOGRAFIAHá um pequeno número de palavras agudas (oxítonas) terminadas eme ou o, em gera...
PALAVRAS GRAVES COM OSCILAÇÕES DE ORTOGRAFIATêm oscilações de pronúncia e ortografia pouco mais de uma dúzia depalavras gr...
PALAVRAS ESDRÚXULAS COM OSCILAÇÕES DEORTOGRAFIATêm oscilações de pronúncia e ortografia palavras esdrúxulas(proparoxítonas...
INICIAL MINÚSCULA1)Dias da semana, meses e estações do anoComo já     acontece com os nomes dos dias dasemana, também os d...
INICIAL MINÚSCULA2) Pontos cardeaisOs nomes dos pontos cardeais escrevem-se comminúscula, exceto as suas abreviaturas, com...
INICIAL MINÚSCULA3) Palavras fulano, beltrano e sicranoEscrevem-se com inicial minúscula estas palavras,usadas para design...
MAIÚSCULAS E MINÚSCULAS COM USO FACULTATIVO1) Formas de tratamento e expressões de   respeito, hierarquia, etc.dr. Paiva ...
MAIÚSCULAS E MINÚSCULAS COM USO FACULTATIVO3) Palavras que classificam sítios públicos(rua, miradouro, etc.), templos e ed...
O prefixo possui um significado, contudo, isolado, nãotem função nenhuma, somente em associação com umapalavra.Ab- afastam...
42
Supressão do hífenNão se usa hífen nas formas monossilábicas do presentedo indicativo do verbo “haver” acompanhado daprepo...
Supressão do hífenNão se usa hífen nos compostos em que se perdeu a noçãode composição..Em certas palavras perdeu-se, de c...
Supressão do hífenNão se usa hífen nas formações com adição de prefixos ou falsosprefixos terminados em vogal e com o segu...
Supressão do hífenSuprime-se o hífen nas palavras com adição de prefixos ou falsosprefixos se terminados em vogal e o segu...
Supressão do hífenSe o primeiro elemento é   co-, em geral não se usa hífen mesmo seo segundo começa por   o, como nas pal...
Supressão do hífenNas locuções não se emprega em geral o hífen.Locução é um conjunto de palavras que exprime uma ideia, co...
Acordo Ortográfico: conhecer para compreender   49
Emprego do hífenUsa-se hífen nas formações com adição de prefixos oufalsos prefixos (hiper, inter e super) quandocombinado...
Emprego do hífenUsa-se hífen nas palavras formadas com adição deprefixos ou falsos prefixos terminados com a mesmavogal co...
Emprego do hífenUsa-se hífen nas palavras formadas com adição deprefixos ou falsos prefixos terminados em vogal e com oele...
Emprego do hífenUsa-se hífen nas palavras formadas com adição dosprefixos ab-, ad-, sob-, sub- quando o primeiroelemento t...
Emprego do hífenUsa-se hífen nas palavras compostas por composiçãomorfossintática (justaposição), que não contêm formas de...
Emprego do hífenO hífen é usado em nomes de espécies botânicasou zoológicas.Cana-de-açúcarBicho-da-sedaAndorinha-do-mar...
56
Translineação (Base XX – da divisão silábica)Na translineação de uma palavra composta ou de uma combinação depalavras em q...
Assinaturas e Firmas (Base XXI)“Para ressalva de direitos, cada qual poderá manter a escrita que, porcostume ou registo le...
Agora para para refletir! Não fiques a olhar para o teto. As alterações não são um bicho de sete cabeças.  Não leem alguma...
Agora para para refletir! Não fiques a olhar para o teto.  As alterações não são um bicho de sete cabeças.  Não leem algum...
ConversoresLince – Portal da Língua Portuguesahttp://www.portaldalinguaportuguesa.org/?action=lincePermite converter fiche...
Outras sugestões •Atualização do Verificador Ortográfico e Verificador Gramatical para Português de Portugal o que permite...
63
Samba do Acordo Ortográfico        Obrigada!                              64
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ppt ao2-cp

1.913 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.913
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
472
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ppt ao2-cp

  1. 1. O Acordo Ortográfico: estratégias deimplementação e implicações nas aulas de Português Braga, 24 de setembro de 2011 Cristina Fontes 1
  2. 2. Primeiro estranha-se, depois entranha-se! Fernando Pessoa 2
  3. 3. «Um cê a mais» Quando eu escrevo a palavra ação, por magiaou pirraça, o computador retira automaticamente oc na pretensão de me ensinar a nova grafia. Deforma que, aos poucos, sem precisar de ajuda, eupróprio vou tirando as consoantes que, ao queparece, estavam a mais na língua portuguesa.Custa-me despedir-me daquelas letras que tantofizeram por mim. São muitos anos de convívio.Lembro-me da forma discreta e silenciosa comotodos estes cês e pês me acompanharam emtantos textos e livros desde a infância. 3
  4. 4. Na primária, por vezes gritavam ofendidos nacaneta vermelha da professora: não te esqueçasde mim! Com o tempo, fui-me habituando à suaexistência muda, como quem diz, sei que nãofalas, mas ainda bem que estás aí. E agora aspalavras já nem parecem as mesmas. O que é serproativo? Custa-me admitir que, de um dia para ooutro, passei a trabalhar numa redação, que háespetadores nos espetáculos e alguns também nosfrangos, que os atores atuam e que, ao segundoato, eu ato os meus sapatos. 4
  5. 5. Depois há os intrusos, sobretudo o erre, quetornou algumas palavras arrevesadas earranhadas, como neorrealismo ou autorretrato.Caíram hífenes e entraram erres que andavamerrantes. É uma união de facto, para não errartenho a obrigação de os acolher como se fossemfamília. Em “há de” há um divórcio, não vale apena criar uma linha entre eles, porque já não seentendem. Em veem e leem, por uma questão defraternidade, os és passaram a sergémeos, nenhum usa chapéu. 5
  6. 6. E os meses perderam importância edignidade, não havia motivo para teremprivilégios, janeiro, fevereiro, março são tãoimportantes como peixe, flor, avião. Não sei seestou a ser suscetível, mas sem p algumaspalavras são uma autêntica deceção, mas poroutro lado é ótimo que já não tenham. 6
  7. 7. As palavras transformam-nos. Como um meninoque muda de escola, sei que vou tersaudades, mas é tempo de crescer e encontrarnovos amigos. Sei que tudo vai correrbem, espero que a ausência do cê não me façaperder a direção, nem me fracione, nem querotropeçar em algum objeto abjeto.Porque, verdade seja dita, hoje em dia, não sepode ser atual nem atuante com um cê aatrapalhar. Manuel Halpern, Jornal de Letras 7
  8. 8. Alguns dos argumentos que os portugueses costumam esgrimir contra a necessidade de um Acordo OrtográficoAdaptado de Gomes, Francisco Álvaro (2009). O Acordo Ortográfico, Porto: Edições Flumen e Porto Editora 8
  9. 9. 1. O Brasil vai invadir-nos 5. Não cabe aos políticos, mas culturalmente. Isto é aos especialistas, tomar ultrajante, porque a Língua decisões no âmbito da língua. Portuguesa «nasceu» em Portugal. 6. Os livros, quando esta reforma2. A reforma é inútil porque a entrar em vigor, irão cair em ortografia não é um problema desuso. substancial. 7. A ortografia portuguesa não1. A Espanha, a França e a tinha, na norma Inglaterra não celebraram lusitana, grafias duplas e qualquer acordo ortográfico. passa a tê-las. 8. Se o H desaparecer em2. A nível internacional, a norma palavras como lusitana é vista como mais homem, honra, humano, hospit importante que a norma aleiro, essas palavras brasileira. Para quê ceder ao descaracterizam-se. Brasil? 9
  10. 10. 9. O acordo de 1945, que era 12. As grandes divergências com simples e coerente, perderá o Brasil são lexicais e essas qualidades. sintáticas, e não apenas Teste-AO45.tif ortográficas. Dilma_MST.tif10. A língua é um património intocável. Ninguém tem o 13. A introdução de letras direito de o mudar. estrangeiras desfigura o alfabeto português.11. Acabar com os acentos gráficos é contribuir para a 14. A queda de consoantes ruína da língua, visto que a mudas é uma inaceitável ausência desses sinais cedência ao Brasil e contribui impede a aprendizagem. para a descaracterização da língua. ( + um) O acordo interessa apenas aos professores de português! 10
  11. 11. OrtografiaDe orto-, que significa “reto, direito, correto” grafia, com sentido de escrita escrita correta 11
  12. 12. A ortografiapode ser: fonética: representa tão fielmente quanto possível a forma como as palavras são pronunciadas e a pronúncia permite saber a forma gráfica (e.g.italiano,”uomo”); etimológica: conserva a forma com que em dada altura se grafou a palavra, mesmo que a pronúncia de hoje não lhe corresponda (e.g.francês;”orthographie”); fonológica: representação abstrata com base na realidade fonética da língua (e.g. português, “cereja”,”Ernesto”,”tio”); Nota: Em geral, as ortografias são híbridas, não se enquadrando exclusivamente num destes tipos, embora se possa dizer que pertencem tendencialmente a um deles. 12
  13. 13. Mudanças ortográficas da língua portuguesa Duas capas de Os Lusíadas, uma de 1572 e outra de 1584, mostram o nome do poeta grafado de maneiras diferentes: Luis de Camoes e Lvis de Camões 13
  14. 14. BreveCronologia 1885 - 1931 XIX XX XXI1885– Até aqui a grafia do português oscila entre predominância de critériosetimológicos e fonéticos. Gonçalves Viana publica as Bases da OrtografiaPortuguesa.1911– Implementação da Reforma Ortográfica, com base na obra de GonçalvesViana.1931– Aprovação do primeiro Acordo Ortográfico entre Portugal e Brasil, cujaimplementação não foi levada a cabo do mesmo modo nos dois países. 14
  15. 15. 1885 1943 - 1971 - 1931 - 1945 1973 XIX XX XXI1943– Redação do Formulário Ortográfico no Brasil. Nova cimeira entre os doispaíses.1945– Novo Acordo Ortográfico, resultante do encontro de 1943. Torna-se lei emPortugal, mas o Brasil não o adota. 1971-1973– Implementação de alterações, no Brasil e em Portugal, reduzindo grandemente as divergências ortográficas. 15
  16. 16. 1885 1943 - 1971 - 1975 1931 - 1945 - 1973 1986 1990 XIX XX XXI1975- Elaboração de um projeto de acordo entre a Academia das Ciências deLisboa e a Academia Brasileira de Letras, fracassado devido ao clima político esocial.1986– Os agora sete países de língua oficial portuguesa redigem o AcordoOrtográfico de 1986, proposta que envolve mudanças profundas, inviabilizadadevido às reações que provocou.1990– Concluindo um processo de negociação contínuo, é redigido o texto doAcordo Ortográfico de 1990, centrado na redução das diferenças existentes. 16
  17. 17. 1885 1943 - - 1971 1975 1931 1945 - - 1995 1973 1986 1990 - 2004 2002 2009 XIX XX XXI1995-2002– O Acordo de 1990 é ratificado por vários países, mas nãoimplementado.2004– Após a independência de Timor, os agora oito países da CPLP aprovamo Segundo Protocolo Modificativo, determinando que a ratificação por parte detrês países é suficiente para a implementação do Acordo Ortográfico.2009–Com a ratificação deste documento por parte de Portugal e de outrospaíses, dá-se início à implementação da reforma. Em Portugal haverá umperíodo de transição de seis anos, iniciado a 13 de maio de 2009. Apenasfaltam Angola e Moçambique. 17
  18. 18. Resolução da Assembleia da República n.º 26/91 Aprova, para ratificação, o Acordo Ortográfico daLíngua Portuguesa A Assembleia da República resolve, nos termosdos artigos 164.º, alínea j, e 169.º, n.º 5, daConstituição, aprovar, para ratificação, o AcordoOrtográfico da Língua Portuguesa, assinado emLisboa a 16 de Dezembro de 1990, que segue emanexo. Aprovada em 4 de Junho de 1991. O Presidente da Assembleia da República, Vítor Pereira Crespo. 18
  19. 19. Portal da Língua Portuguesahttp://www.portaldalinguaportuguesa.org/?action=acordo 19
  20. 20. O texto do acordo organiza-se em 21 bases:Base I - Do alfabeto e dos nomes próprios estrangeiros e seus derivadosBase II - Do h inicial e finalBase III - Da homofonia de certos grafemas consonânticos O AOBase IV - Das sequências consonânticas de 1945Base V - Das vogais átonas tinha 51Base VI - Das vogais nasaisBase VII - Dos ditongosBase VIII - Da acentuação gráfica das palavras oxítonas (agudas)Base IX - Da acentuação gráfica das palavras paroxítonas (graves)Base X - Da acentuação das vogais tónicas/tônicas grafadas i e u das palavrasoxítonas e paroxítonasBase XI - Da acentuação gráfica das palavras proparoxítonas (esdrúxulas)Base XII - Do emprego do acento graveBase XIII - Da supressão dos acentos em palavras derivadasBase XIV - Do tremaBase XV - Do hífen em compostos, locuções e encadeamentos vocabularesBase XVI - Do hífen nas formações por prefixação, recomposição e sufixaçãoBase XVII - Do hífen na ênclise, na tmese e com o verbo haverBase XVIII - Do apóstrofoBase XVIX - Das minúsculas e maiúsculasBase XX - Da divisão silábicaBase XXI - Das assinaturas e firmas 20
  21. 21. 21
  22. 22. O alfabeto da língua portuguesa é formado por 26 letras, cadauma delas com uma forma minúscula e outra maiúscula: a A (á) n N (ene) b B (bê) o O (ó) c C (cê) p P (pê) d D (dê) q Q (quê) e E (é) r R (erre) f F (efe) s S (esse) g G (gê ou guê) t T (tê) h H (agá) u U (u) i I (i) v V (vê) j J (jota) w W (dáblio ou dâblio) k K (capa ou cá) x X (xis) l L (ele) y Y (ípsilon ou i grego) m M (eme ou mê) z Z (zê)NOTA: Além destas letras, usam-se o ç (cê cedilhado) e osseguintes dígrafos: rr (erre duplo), ss (esse duplo), ch (cê-agá), lh(ele-agá), nh (ene-agá), gu (guê-u) e qu (quê-u). 22
  23. 23. A introdução do k, do w e do y não aumentaPor exemplo, kilograma ou kilo não passam a ortografias o seu uso.corretas, apesar de kg ser a sua abreviatura. Quilograma - QuiloAs três letras usam-se nos seguintes casos:1) Nomes originários de outras línguas e seus derivados, comoKant, kantismo, Byron, byroniano, Darwin e darwinismo2) Nomes de lugares originários de outras línguas e seus derivados, comoKuweit e kuweitiano3) Siglas, símbolos e abreviaturas, como KLM, yd (jarda), W (oeste, watt) eWC4) Termos de outras línguas de uso corrente, como kit e software 23
  24. 24. OS CÊS E PÊS SEMPRE MUDOS, ISTOÉ, NUNCA PRONUNCIADOS, SÃOELIMINADOS. Exemplos de eliminação: 1) Sequência cc • acionista em vez de accionista • lecionar em vez de leccionar 2) Sequência cç • ação em vez de acção (repare-se na grafia inflação, anterior ao acordo) • seleção em vez de selecção 3) Sequência ct • ator em vez de actor • atual em vez de actual 24
  25. 25. OS CÊS E PÊS SEMPRE MUDOS, ISTOÉ, NUNCA PRONUNCIADOS, SÃOELIMINADOS. Exemplos de eliminação:4) Sequência pc• adocionismo em vez de adopcionismo5) Sequência pç• adoção em vez de adopção6) Sequência pt• adotar em vez de adoptar• Egito em vez de Egipto;Nota: a grafia Egito foi usada noutros tempos emPortugal; continua-se a escrever egípcio porque nestapalavra o p pronuncia-se. 25
  26. 26. CONSOANTES COM OSCILAÇÕES DEPRONÚNCIA E ORTOGRAFIAExistem consoantes que, de país para país, ou mesmo dentro domesmo país, ora se pronunciam ora são mudas.O Acordo Ortográfico estabelece ortografias duplas para estes casosde pronúncia oscilante. Vejamos alguns exemplos: •cato e cacto • facto e fato • aspeto e aspecto • receção e recepção • excecional e excepcional • jacto e jato • subtil e sutil • omnipotente e onipotente • amígdala e amídala • súbdito e súdito • aritmética e arimética. 26
  27. 27. Que é que muda na prática com esta regra? Para os brasileiros não muda nada, já que há muito usam grafiasduplas para casos de pronúncia oscilante no seu país, como aspeto easpecto ou excecional e excepcional.Para os outros países a prática passa a ser a seguinte: se a consoantenunca é pronunciada, é eliminada; no caso contrário, há grafias duplas.Em Portugal o c de aspecto nunca é pronunciado; então a grafiaaspecto é eliminada e substituída por aspeto.Em Portugal o c de dactilografia umas vezes pronuncia-se e outrasnão; temos, por isso, as grafias datilografia e dactilografia.NOTA: em Portugal já temos inúmeras grafias duplas: guiché eguichê, bêbado e bêbedo, avalanche e avalancha, ouro e oiro, etc. 27
  28. 28. Nomes de origem bíblica / cidadesOs seguintes nomes de origem bíblica podem escrever-se de duasmaneiras:• Jó ou Job (b nunca pronunciado)• Jacó ou Jacob (b nunca pronunciado)• Davi ou David (d final umas vezes pronunciado e outras não).As cidades espanholas de Madrid e Valladolid têm em portuguêsnomes com um d final que umas vezes se pronuncia e outras não,podendo omitir-se. Admitem-se, assim, as seguintes ortografiasduplas:• Madri e Madrid• Valladoli e Valladolid. 28
  29. 29. ACENTOS ELIMINADOS Palavras como crêem, vêem e semelhantes deixam de ter acento; passam a creem, veem, etc. Atenção! Os verbos ter e vir (e seus derivados) continuam a ser acentuados na terceira pessoa do plural: Eles têm. Eles vêm. Não se coloca acento em palavras graves com o ditongo oi na penúltima sílaba; alcalóide, heróico, jóia, Tróia, Azóia, etc. passam a alcaloide, heroico, joia, Troia, Azoia, etc.Atenção! Esta regra só é válida para palavras graves(paroxítonas). O ditongo oi aberto de palavras agudas (oxítonas) emonossílabas continua a ser acentuado: herói, dói, constrói. Palavrascomo comboio e dezoito já não eram acentuadas. O ditongo tambémpermanece no caso do ditongo eu aberto: céu, troféu, véu. 29
  30. 30. ACENTOS ELIMINADOSEliminam-se os acentos das palavras côa (nome flexão de verbocoar), pára (do verbo parar), péla e pélas (nomes e flexões do verbopelar), pélo, pêlo, pêlos, pólo, pólos, pôlo, pôlos, pêra e pêro. Tambémse eliminam os acentos dos nomes próprios Côa, Pêra e Pêro.Côa é o nome dum rio, o qual passa a designar-se por Coa. Faztambém parte de nomes de localidades, como Vila Nova de FozCôa, que passa a Vila Nova de Foz Coa.Pêra faz parte do nome de localidades, como Castanheira dePêra, que passa a Castanheira de Pera.Pêro é nome masculino antigo e elemento do nome delocalidades, como Pêro Pinheiro, que passa a Pero Pinheiro. Atenção! O acento continua a ser obrigatório em pôr (infinitivo verbal) para distinguir de por (preposição) e em pôde (3.ª pessoa do pretérito perfeito do presente do indicativo do verbo poder). 30
  31. 31. ACENTOS FACULTATIVOS1) Acento de palavras como andámos, cantámos (1.ª pessoa do plural do pretérito perfeito dos verbos da 1.ª conjugação).Em Portugal e nos países com a mesma ortografia, antes do acordoOrtográfico o acento de palavras como cantámos servia para asdistinguir das correspondentes formas do presente:ontem cantámos em Braga, agora cantamos em Lisboa.Oscila a pronúncia da terminação -ámos. No que toca a Portugal hálargas zonas em que é pronunciada -âmos ao passo que noutras sepronuncia -ámos.Por isso, passa a facultativo o acento de tais palavras, isto é, pode serusado ou não:ontem cantámos ou ontem cantamos.ontem andámos depressa mas neste momento andamos devagar. NOTA: Antes do Acordo Ortográfico este acento não era não usado no Brasil, mas era obrigatório em Portugal e nos outros países lusófonos. 31
  32. 32. ACENTOS FACULTATIVOS2) Acento de dêmos.Passa a facultativo o acento de dêmos, flexão do presentedo conjuntivo do verbo dar:quer que lhe dêmos atenção ou quer que lhe demosatenção.3) Acento de fôrma.Torna-se facultativo o acento do nome fôrma, usado noBrasil antes do Acordo Ortográfico, mas não nos outrospaíses lusófonos. Nota: Se acharmos que o acento torna uma frase mais clara, podemos usá-lo, como neste exemplo: Qual a forma da fôrma que faz esses bolos? 32
  33. 33. PALAVRAS AGUDAS COM OSCILAÇÕES DEORTOGRAFIAHá um pequeno número de palavras agudas (oxítonas) terminadas eme ou o, em geral provenientes do francês, com oscilações de pronúnciae ortografia. São exemplos:bebé e bebê O que muda na práticabidé e bidê relativamente a estas palavras?guiché e guichêcroché e crochê Nada, pelo menos no que se refere amatiné e matinê Portugal, pois continuar-se-ão a empregar ascaraté e caratê mesmas grafias – dum modo geral as quecomité e comitê usam o acento agudo. Note-se que seioió e ioiô. encontram em dicionários editados em Portugal as grafias duplas guiché e guichê, correspondentes a pronúncias diferentes que se podem ouvir no país. 33
  34. 34. PALAVRAS GRAVES COM OSCILAÇÕES DE ORTOGRAFIATêm oscilações de pronúncia e ortografia pouco mais de uma dúzia depalavras graves (paroxítonas) que têm na penúltima sílaba um e ou umo, seguido dum m ou dum n que já pertence à sílaba seguinte.São exemplos:ténis e tênis Vólei e vôlei, póquer e pôquerfémur e fêmur também são palavras graves comVénus e Vênus oscilação de pronúncia. Não sãobónus e bônus referidas no texto do acordo, que sóónus e ônus. menciona palavras com a última sílaba a começar por m ou n.NOTA: Na prática e pelo menos no que diz respeito a Portugal nãohaverá alteração. Os portugueses continuarão a usar o acento agudo nestaspalavras por ser o que corresponde à sua pronúncia. 34
  35. 35. PALAVRAS ESDRÚXULAS COM OSCILAÇÕES DEORTOGRAFIATêm oscilações de pronúncia e ortografia palavras esdrúxulas(proparoxítonas) com um e ou um o na antepenúltima sílaba seguidodum m ou dum n que já pertence à sílaba seguinte.São exemplos:efémero e efêmerogrémio e grêmioarsénico e arsênicogénio e gêniocómico e cômicocrómio e crômiosinfónico e sinfônicoAntónio e Antônio.NOTA: Os portugueses continuarão a usar o acento agudo nestaspalavras por ser o que corresponde à sua pronúncia. Portanto, na práticae pelo menos no que diz respeito a Portugal, não haverá alteração naortografia destas palavras. 35
  36. 36. INICIAL MINÚSCULA1)Dias da semana, meses e estações do anoComo já acontece com os nomes dos dias dasemana, também os dos meses e das estações do ano seescrevem com inicial minúscula.Exemplos:O dia santo da religião católica é o domingo.Portugal comemora o seu dia nacional a 10 de junho.As aves chegam na primavera. 36
  37. 37. INICIAL MINÚSCULA2) Pontos cardeaisOs nomes dos pontos cardeais escrevem-se comminúscula, exceto as suas abreviaturas, como SW(sudoeste) ou se designam regiões.Exemplos:Lisboa fica a sul do Porto. A localidade de Braga tem a latitude de 39º 30 N e alongitude de 8º 6 W.Ele gosta todas a regiões de Portugal, mas tem umaatração especial pelo Norte. 37
  38. 38. INICIAL MINÚSCULA3) Palavras fulano, beltrano e sicranoEscrevem-se com inicial minúscula estas palavras,usadas para designar uma pessoa de quem não se sabeo nome ou não se quer mencionar e que são sinónimasde sujeito, indivíduo, pessoa. 38
  39. 39. MAIÚSCULAS E MINÚSCULAS COM USO FACULTATIVO1) Formas de tratamento e expressões de respeito, hierarquia, etc.dr. Paiva ou Dr. Paivadoutor Mário Teixeira ou Doutor Mário Teixeirasr. eng. Pereira ou Sr. Eng. Pereiraprof. dr. Manuel Santos ou Prof. Dr. Manuel Santossanta Bárbara ou Santa Bárbarasua eminência o cardeal Carlos Pinto ou Sua Eminência o Cardeal CarlosPinto2) Títulos de livros e obrasO primeiro elemento escreve-se com maiúscula; os seguintespodem escrever-se com minúscula, com exceção dos nomes Os títulos daspróprios obras devem ser em itálico. SeUma Família Inglesa ou Uma família inglesa forem manuscritosPortugueses na História da América ou Portugueses na devem serhistória da América sublinhados. 39
  40. 40. MAIÚSCULAS E MINÚSCULAS COM USO FACULTATIVO3) Palavras que classificam sítios públicos(rua, miradouro, etc.), templos e edifíciosrua ou Rua do Soutoigreja ou Igreja do Carmopalácio ou Palácio da Pena4) Domínios do saber, cursos e disciplinasmatemática ou Matemáticaliteratura portuguesa ou Literatura Portuguesaengenharia informática ou Engenharia Informática 40
  41. 41. O prefixo possui um significado, contudo, isolado, nãotem função nenhuma, somente em associação com umapalavra.Ab- afastamento, separaçãoAbstenção / abdicaçãoJá os “falsos prefixos”, possuem, por assim dizer, umsentido completo. Podem até associar-se com umapalavra, mas não perdem o seu significado.a) Eu comprei um micro-ondas. (aparelho que emite pequenas ondaseletromagnéticas)b) Na praia só tinha micro ondas, nem deu para surfar como gostaria.(pequenas ondas) 41
  42. 42. 42
  43. 43. Supressão do hífenNão se usa hífen nas formas monossilábicas do presentedo indicativo do verbo “haver” acompanhado dapreposição “de”.hei-de / hei dehás-de / hás de Atenção! Nunca se usou hífenhá-de / há de com as formas polissilábicas doheis-de / heis de verbo “haver”:hão-de / hão de Havemos de Haveremos de Haverás de Haveremos de Havereis de Haverão de 43
  44. 44. Supressão do hífenNão se usa hífen nos compostos em que se perdeu a noçãode composição..Em certas palavras perdeu-se, de certo modo, a noção deserem compostas. Por isso, não têm hífen. São exemplosmadressilva e pontapé.O acordo autoriza a eliminação do hífen noutras palavrasdeste tipo, como são os casos de: mandachuva paraquedas paraquedista 44
  45. 45. Supressão do hífenNão se usa hífen nas formações com adição de prefixos ou falsosprefixos terminados em vogal e com o segundo elemento começadopor r ou s, devendo estas consoantes duplicar-se. São exemplos: Antirreligioso Minissaia Antissemita Biorritmo Contrarregra Biossatélite Contrassenha Eletrossiderurgia Cosseno Microssistema Extrarregular Microrradiografia Infrassom Acordo Ortográfico: conhecer para compreender 45
  46. 46. Supressão do hífenSuprime-se o hífen nas palavras com adição de prefixos ou falsosprefixos se terminados em vogal e o segundo elemento começarpor vogal diferente: Antiaéreo Autoaprendizage Coeducação m Extraescolar Agroindustrial Aeroespacial Hidroelétrico Autoestrada Plurianual. 46
  47. 47. Supressão do hífenSe o primeiro elemento é co-, em geral não se usa hífen mesmo seo segundo começa por o, como nas palavras seguintes:Coautor Atenção! No Vocabulário Ortográfico daCoprodutor Língua Portuguesa, publicado pela PortoCoobrigação Editora, nas palavras formadas pelo prefixoCooperante. co- em que o segundo elemento se inicia com a letra h, admite-se a dupla grafia, comCoadminitação hífen ou aglutinada. Como acontece em co-Coocorrência herdeiro ou coerdeiro, à semelhança do que acontece com as palavras formadas pelos prefixos des- e in- os quais se aglutinam com o segundo elemento sem h (coabitar, coabitação, desumano, inumano , etc.) 47
  48. 48. Supressão do hífenNas locuções não se emprega em geral o hífen.Locução é um conjunto de palavras que exprime uma ideia, como, porexemplo, animal de companhia e se bem que.A aplicação dessa regra leva à substituição de fim-de-semana por fim de semana.São exceções a esta regra grafias consagradas pelo uso como: Continua a ser umaágua-de-colónia palavra composta por composição morfossintática.arco-da-velha Mas cor de laranja! (palavra + palavra + palavra)cor-de-rosa Antes composta por justaposiçãomais-que-perfeitopé-de-meiaao deus-dará Atenção! No Vocabulário Ortográfico da Línguaà queima-roupa. Portuguesa, publicado pela Porto Editora, optou-sefaz-de-conta pela supressão do hífen em todas as locuções de uso geral. 48
  49. 49. Acordo Ortográfico: conhecer para compreender 49
  50. 50. Emprego do hífenUsa-se hífen nas formações com adição de prefixos oufalsos prefixos (hiper, inter e super) quandocombinados com elementos iniciados por umaconsoante igual:hiper-requintadointer-resistentesuper-revista. Atenção! Se o elemento seguinte começa por uma consoante diferente ou por uma vogal, nunca se usa hífen:  hipermercado superinteressante 50
  51. 51. Emprego do hífenUsa-se hífen nas palavras formadas com adição deprefixos ou falsos prefixos terminados com a mesmavogal com que se inicia o segundo.anti-ibéricocontra-almiranteinfra-axilarsupra-auriculararqui-inimigoauto-observaçãomicro-ondassemi-interno. 51
  52. 52. Emprego do hífenUsa-se hífen nas palavras formadas com adição deprefixos ou falsos prefixos terminados em vogal e com oelemento seguinte começado por h.anti-hemorrágicoAnti-herói 52
  53. 53. Emprego do hífenUsa-se hífen nas palavras formadas com adição dosprefixos ab-, ad-, sob-, sub- quando o primeiroelemento termina em consoante igual à que inicia osegundo elemento, ou quando este começa por b ou r,para preservar a pronúncia do r inicial do segundoelemento e para salvaguardar a devida lógica detranslineação. ab-rogarad-renalsub-região 53
  54. 54. Emprego do hífenUsa-se hífen nas palavras compostas por composiçãomorfossintática (justaposição), que não contêm formas deligação e cujos constituintes, por extenso oureduzidos, mantêm a autonomia fonética e conservam oseu próprio acento. ano-luzazul-escuroguarda-chuvasegunda-feiraporta-lápis 54
  55. 55. Emprego do hífenO hífen é usado em nomes de espécies botânicasou zoológicas.Cana-de-açúcarBicho-da-sedaAndorinha-do-marBem-me-querCouve-florFeijão-frade 55
  56. 56. 56
  57. 57. Translineação (Base XX – da divisão silábica)Na translineação de uma palavra composta ou de uma combinação depalavras em que há um hífen ou mais, se a partição coincide com ofinal de um dos elementos ou membros, deve, por clarezagráfica, repetir-se o hífen no início da linha imediata:ex- -alferes, serená- -los-emos ou serená-los- -emos,vice- -almirante. Base XLVIII (Acordo de 1945) 6.° Quando se tem de partir uma palavra composta ou uma combinação de palavras em que há um hífen, ou mais, e a partição coincide com o final de um dos elementos ou membros, pode, por clareza gráfica, repetir-se o hífen no início da linha imediata: ex-||-alferes, mão- ||-de-obra ou mão-de-||-obra, serená-||-los-emos ou serená-los-||- emos, sub-||-rogar, vice-||-almirante. 57
  58. 58. Assinaturas e Firmas (Base XXI)“Para ressalva de direitos, cada qual poderá manter a escrita que, porcostume ou registo legal, adote na assinatura do seu nome. Com omesmo fim, pode manter-se a grafia original de quaisquer firmascomerciais, nomes de sociedades, marcas e títulos que estejaminscritos em registo público.”•Revista Activa •Detergente Optimum Seguradora Açoreana Victor Baptista Mello 58
  59. 59. Agora para para refletir! Não fiques a olhar para o teto. As alterações não são um bicho de sete cabeças. Não leem algumas consoantes? Logo não asescrevam... Com o Acordo, as joias não ficam mais baratas, masficam mais leves sem o acento. Os antirrugas não deixamde existir e até têm mais uma letra. Precisamos de ser umpouco autodidatas. Está na hora de uma autoeducação enão vale a pena fazer um trinta e um. Qualquer professor,encarregado de educação ou aluno deve tentar serperfeccionista ou perfecionista. Prezamos a correção! Votos de um ótimo trabalho! Porto Editora (Adaptado) 59
  60. 60. Agora para para refletir! Não fiques a olhar para o teto. As alterações não são um bicho de sete cabeças. Não leem algumas consoantes? Logo não as escrevam... Com o Acordo, as joias não ficam mais baratas, mas ficam maisleves sem o acento. Os antirrugas não deixam de existir e até têmmais uma letra. Precisamos de ser um pouco autodidatas. Está nahora de uma autoeducação e não vale a pena fazer um trinta eum. Qualquer professor, encarregado de educação ou aluno devetentar ser perfeccionista ou perfecionista. Prezamos a correção! Votos de um ótimo trabalho! Porto Editora (Adaptado) 60
  61. 61. ConversoresLince – Portal da Língua Portuguesahttp://www.portaldalinguaportuguesa.org/?action=lincePermite converter ficheiros de múltiplos formatos e em simultâneo para a novaortografia. Aparentemente não existe limitação no tamanho dos ficheiros e podeser usado em ambiente Windows, Linux e Mac OS.Porto Editorahttp://www.portoeditora.pt/acordo-ortografico/conversor-texto/Além de permitir converter texto numa caixa, permite fazer conversão deficheiros .DOC e .DOCX até 3MB e com um máximo aproximado de 50.000palavras.FLIPhttp://www.flip.pt/FLiPOnline/ConversorparaoAcordoOrtográfico/tabid/566/Default.aspxPermite converter texto em português europeu e português brasileiro até a umlimite de 3000 caracteres online. 61
  62. 62. Outras sugestões •Atualização do Verificador Ortográfico e Verificador Gramatical para Português de Portugal o que permite ao Microsoft Office estar em conformidade com o novo acordo ortográfico para Português de Portugal. http://www.microsoft.com/portugal/acordoortografico/default.mspx 62
  63. 63. 63
  64. 64. Samba do Acordo Ortográfico Obrigada! 64

×