Sete quedas, Sete anões e um Dragão

2.105 visualizações

Publicada em

Livro usado para a mostra temática do colégio estadual Nirlei Medeiros

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Sete quedas, Sete anões e um Dragão

  1. 1. SETE QUEDAS, SETE ANÕES E UM DRAGÃO
  2. 2. Eram sete, Sete Quedas catarinas a correr... Arco-íris feito água em mil saias de filó...Sete notas dançarinas: Si Lá Sol Fá Mi Ré Dó.
  3. 3. Eram sete, Sete Quedas e sete anões brincalhões - cambalhotas deternura banhos de espuma e luar - Tudo Assim continuaria...Mas vejam só o que aconteceu à plena luz do dia:
  4. 4. Fortes estrondosestremeceram a terrae aterrorizados tremeramQuedas, cores e anõesQuedas cores e anõesQuedas cores e anõesQuedas cores e anões
  5. 5. O motivo de tanto medoninguém ao certo sabia...Seria ogro ou trovãoquem trovejava ou grunhia?Seria britadeira ou tratorO que a terraEstremecia?
  6. 6. No meio da fumaceira,no meio de tanto póo tal bicho, coisa ou gentesurgiu com fúria de furacão,bafo quente de dinamite,força de ogro e jeito de dragão
  7. 7. O dragão, que por tal nomepassou a ser conhecido,cercava as Quedas de armadilhascavava túneis e labirintosembaixo da terra,onde sete celas capturariamas Sete Quedas.
  8. 8. Eram sete, Sete Quedaslamentando seu destinoarco-íris feito prantoondulado de pavorEram sete, Sete Quedascom sete dias contadosde música, cor e sol.
  9. 9. Eram sete, sete anõesem plena luta amada- com mãos de espumae uma lua cheia assustada -contra o dragão que queriasomente para si... as Sete Quedasbem enterradas.
  10. 10. Chegou o dia tão aguardadopelo dragão invasor.As sete celas embaixo da terraficaram prontas a espera...das Sete Quedas que acorrentadase à viva força arrastadaspor sete chaves foram chaveadas.
  11. 11. As Sete Quedas enclausuradasuniram prantose choraram tanto, de forma tal,que a própria terramorta de tristeza comoveu-se todae novamenteem convulsõesEstremeceu.
  12. 12. Eram sete, SeteQuedasque nunca maisviram o sol,Sete Quedasafogadasque a mão de açodo dragão prendeu.Sete poços deprantoque a região todaalagou.
  13. 13. O tal dragão que nunca soubeolhar firme para o chão,foi visto afundar por inteiro,com sete chaves na mãonuma das fendas profundas,que a terra violentadaabriu.
  14. 14. Eram sete, sete anõesque partiram sem nenhum rumo...Pé por pé, passo a passo,pensando alto...desapressando o passo.Eram seresteiros dos sete ventosque marcavam o descompassodo pensar alto e o lento passo.
  15. 15. O lamento dos sete anões,o vento por onde foi espalhou.E os sete cantos do mundohoje comentam também,a história das Sete Quedasque os sete anões queriam bem:Eram sete, Sete Quedas...
  16. 16. Referência KIRINUS, G. Sete quedas, sete anões eum dragão. Curitiba: Editora Braga, 1997.

×