SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
ATIVIDADES ECONÓMICAS: RECURSOS,
PROCESSOS DE PRODUÇÃO E
SUSTENTABILIDADE
SETORES DE ATIVIDADE
Quanto à atividade económica distingue-se População Ativa de
População não Ativa ou Inativa.
População Ativa
População não
Ativa

Empregados
Desempregados temporariamente
População a prestar serviço militar
Estudantes; Reformados e Donas de casa
Restante
população
não
trabalhadora
(crianças, inválidos, ociosos e os que vivem
de rendimentos)
SETORES DE ATIVIDADE
As atividades económicas são em número elevado, pelo que, para uma
mais fácil classificação, se agrupam em sectores de atividade: Sector
primário; sector secundário e sector terciário.
SETOR PRIMÁRIO - constituído pelas atividades que estão mais

relacionadas com o meio natural: agricultura, exploração
florestal (silvicultura), pesca , pecuária, caça e as indústrias
extrativas.
SETOR SECUNDÁRIO- compreende a indústria transformadora,

a construção civil e obras públicas e o fornecimento de água,
gás e eletricidade.

constituído pelas atividades que não
produzem qualquer tipo de produto, proporcionando um
conjunto de serviços (comércio, transportes, saúde, educação,
finanças e as demais profissões liberais).
SETOR TERCIÁRIO -
Minérios
RECURSOS NATURAIS –
Quais são?

Recursos naturais –
são todas riquezas que
se
encontram
disponíveis na Natureza
(subsolo,
solo
e
à
superfície da terra) e que
o Homem pode utilizar
para satisfazer as suas
necessidades
de
sobrevivência
e
de
desenvolvimento.

O que são?
Os recursos energéticos renováveis
e não renováveis
OS RECURSOS ENERGÉTICOS NÃO
RENOVÁVEIS

Distribuição mundial das regiões produtoras de energias fósseis.
Distribuição mundial
da produção de
petróleo
Produção e consumo de petróleo

Produção e consumo de petróleo, no mundo,
em 2005.
Os PD e os PED
PAÍSES
DESENVOLVIDOS

Grande consumo
de energia

Défice energético

•

Forte
industrialização
e utilização de
transportes
• Elevado nível de
vida

PAÍSES EM
DESENVOLVIMENTO

(falta de energia)

O consumo é
maior do que a
produção

Menor consumo de
energia

Necessidade de importar
energia,
sobretudo
petróleo

Dependência
externa

Excesso de energia

• Menos indústrias e
menor
e utilização de
transportes
• Nível de vida mais baixo

A produção é
maior que o
consumo

Exportação
(venda para outros países)

A sua economia
está dependente
das exportações
energéticas
Países produtores de energia nuclear.
AS ENERGIAS RENOVÁVEIS
ENERGIA SOLAR

Resulta do aproveitamento da radiação do Sol através de painéis solares
que através de células fotoelétricas, é transformada em eletricidade.
ENERGIA EÓLICA

A energia eólica usa a força do vento para
fazer mover enormes turbinas e assim
produzir eletricidade.
ENERGIA DAS MARÉS E ONDAS

A energia das marés, aproveita a sua
oscilação para produzir energia

A ondulação oceânica gera
eletricidade
através das ondas
BIOMASSA

Aproveitamento dos resíduos agrícolas e florestais para a produção de
energia, através da sua queima.
ENERGIA HIDRICA

Resulta do aproveitamento da potência mecânica da
água.
80% da produção mundial de energia hidroelétrica produz-se nos EUA,
Europa e Japão.
A ENERGIA GEOTÉRMICA

Baseia-se na utilização do calor armazenado no interior da Terra para
fazer funcionar turbinas que geram eletricidade.
Tipos de energia

Madeira

Utilização

Vantagens

Desvantagens

Aquecimento e confecção de
alimentos.

Relativamente
barata.

Desflorestação e baixo
valor energético

Começou a ser usado na
indústria, após a Revolução
Industrial. Produção de
energia eléctrica e do aço.

Das energias
tradicionais é a que
apresenta
maiores
reservas.

Poluente, não renovável
e em risco de esgotar-se

Petróleo

Produção
de
energia
eléctrica, combustíveis para
transportes e máquinas
industriais.
Como matéria-prima para
fins diversos.

Maior rendimento
e eficácia.

Poluente, não renovável
e em risco de esgotarse.

Gás natural

Utilização doméstica
e industrial.

Das
energias
tradicionais
é
a
menos poluente.

Geradora de problemas
ambientais decorrentes
da
sua
queima
e
exploração.

Nu_________

Utilização
industrial.

Das energias
tradicionais é a mais
eficiente.

Acidentes nucleares e
resíduos perigosos.

Solar

Converte energia solar em
energia térmica ou
eléctrica.
Utilização doméstica,
aquecimento de piscinas e
indústria

Renovável e não
poluente

Instalação cara e exige
lugares com grande nº
de dias de céu limpo e
elevada radiação solar.

Eólica
Ondas e
________

Produção de electricidade

Renováveis, não
poluentes

Instalação cara.
Dependente
das
condições naturais.

___________

energética

e
Síntese
Vantagens da utilização
das energias não
renováveis

•
•
•
•

Energia barata;
Grande densidade
energética;
Fácil de transportar;
Fácil de armazenar.

Desvantagens da utilização
das energias não renováveis

•a sobre exploração das reservas existentes e
conhecidas, que poderá conduzir ao seu
esgotamento;
•o esgotamento pode levar ao encerramento
das minas, pedreiras e outras explorações o
que faz com que uma parte considerável da
população ativa fique desempregada;
•a destruição da paisagem natural e a
poluição provocadas pela indústria extrativa;
•os desastres ambientais que tantas vezes
ocorrem durante o transporte, sobretudo do
petróleo;
•a poluição atmosférica e a contaminação das
águas e dos solos associadas ao consumo de
combustíveis ;
•a radioatividade dos resíduos resultantes da
produção de energia nuclear.
Vantagens da utilização da
energias renováveis

• Não são poluentes;
• São inesgotáveis
(renováveis);
• Larga distribuição
mundial;
• Menor devastação dos
ecossistemas.

Desvantagens da utilização
da energias renováveis

• Não conseguem só por
si assegurar a produção
que
satisfaça
as
necessidades;
• É incerta;
de
• Dificuldade
armazenamento;
• Não estão adaptadas
para os transportes.
elevados
de
• Custos
investimento.
Desenvolvimento sustentável
É a forma de desenvolvimento que procura satisfazer as
necessidades da geração atual, sem comprometer a
capacidade das gerações futuras de satisfazerem as
suas próprias necessidades.
Isto é,
Significa possibilitar que as pessoas, agora e no
futuro,
atinjam
um
nível
satisfatório
de
desenvolvimento social e económico e de realização
humana e cultural, fazendo, ao mesmo tempo, um
uso razoável dos recursos da Terra, preservando as
espécies e os habitats naturais.
PARA UM DESENVOLVIMENTO
SUSTENTÁVEL
UTILIZAR ENERGIAS RENOVÁVEIS
O PLANETA AGRADECE

YouTube

- O Planeta Agradece _ Energias Renováveis _ www.sasenergia.pt.mp4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Distribuição da População Mundial
Distribuição da População MundialDistribuição da População Mundial
Distribuição da População MundialDiogo Mateus
 
Produção agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- AlentejoProdução agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- AlentejoDavide Ferreira
 
Migrações: Causas e Consequências
Migrações: Causas e ConsequênciasMigrações: Causas e Consequências
Migrações: Causas e Consequênciaslidia76
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisDiogo Mateus
 
Evolução da Populaçao Mundial
Evolução da Populaçao MundialEvolução da Populaçao Mundial
Evolução da Populaçao MundialDiogo Mateus
 
Funções das cidades
Funções das cidadesFunções das cidades
Funções das cidadesPaula Melo
 
5 indicadores demográficos
5  indicadores demográficos5  indicadores demográficos
5 indicadores demográficosMayjö .
 
RISCOS E CATÁSTROFES NATURAIS
RISCOS E CATÁSTROFES NATURAISRISCOS E CATÁSTROFES NATURAIS
RISCOS E CATÁSTROFES NATURAISabarros
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloRaffaella Ergün
 
Portugal na europa e no mundo
Portugal na europa e no mundoPortugal na europa e no mundo
Portugal na europa e no mundoTânia Baptista
 
Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)Rosária Zamith
 
A indústria
A indústriaA indústria
A indústriaMayjö .
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaIlda Bicacro
 
A População Distribuição da População 2º Ano
A População  Distribuição da População   2º AnoA População  Distribuição da População   2º Ano
A População Distribuição da População 2º Anoguest27c000
 
10 1 crise_ditaduras e democracias na década de 30
10 1 crise_ditaduras e democracias na década de 3010 1 crise_ditaduras e democracias na década de 30
10 1 crise_ditaduras e democracias na década de 30Vítor Santos
 
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimentoPaíses desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimentolidia76
 

Mais procurados (20)

Distribuição da População Mundial
Distribuição da População MundialDistribuição da População Mundial
Distribuição da População Mundial
 
Produção agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- AlentejoProdução agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- Alentejo
 
Migrações: Causas e Consequências
Migrações: Causas e ConsequênciasMigrações: Causas e Consequências
Migrações: Causas e Consequências
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos Naturais
 
Evolução da Populaçao Mundial
Evolução da Populaçao MundialEvolução da Populaçao Mundial
Evolução da Populaçao Mundial
 
Funções das cidades
Funções das cidadesFunções das cidades
Funções das cidades
 
5 indicadores demográficos
5  indicadores demográficos5  indicadores demográficos
5 indicadores demográficos
 
Migraçõesesrp
MigraçõesesrpMigraçõesesrp
Migraçõesesrp
 
RISCOS E CATÁSTROFES NATURAIS
RISCOS E CATÁSTROFES NATURAISRISCOS E CATÁSTROFES NATURAIS
RISCOS E CATÁSTROFES NATURAIS
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
 
Portugal na europa e no mundo
Portugal na europa e no mundoPortugal na europa e no mundo
Portugal na europa e no mundo
 
Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)
 
A indústria
A indústriaA indústria
A indústria
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
 
A População Distribuição da População 2º Ano
A População  Distribuição da População   2º AnoA População  Distribuição da População   2º Ano
A População Distribuição da População 2º Ano
 
Regioes agrarias
Regioes agrariasRegioes agrarias
Regioes agrarias
 
10 1 crise_ditaduras e democracias na década de 30
10 1 crise_ditaduras e democracias na década de 3010 1 crise_ditaduras e democracias na década de 30
10 1 crise_ditaduras e democracias na década de 30
 
Nuts
NutsNuts
Nuts
 
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimentoPaíses desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
 
A ExpansãO Urbana
A ExpansãO UrbanaA ExpansãO Urbana
A ExpansãO Urbana
 

Destaque

PAISAGEM NATURAL E HUMANIZADA
PAISAGEM NATURAL E HUMANIZADAPAISAGEM NATURAL E HUMANIZADA
PAISAGEM NATURAL E HUMANIZADARita Rocha
 
Ficha de trabalho nº 9 (países europeus)
Ficha de trabalho nº 9 (países europeus)Ficha de trabalho nº 9 (países europeus)
Ficha de trabalho nº 9 (países europeus)Andreia Margarido
 
1º Teste 2
1º  Teste 21º  Teste 2
1º Teste 2Mayjö .
 
Teste UE e regiões da Europa
Teste UE e regiões da EuropaTeste UE e regiões da Europa
Teste UE e regiões da Europageopesquisapan
 
Geografia 7º ano - teste de avaliação
Geografia 7º ano - teste de avaliaçãoGeografia 7º ano - teste de avaliação
Geografia 7º ano - teste de avaliaçãoMaria Da Guia Fonseca
 

Destaque (7)

T1 15 10_2014_v1
T1 15 10_2014_v1T1 15 10_2014_v1
T1 15 10_2014_v1
 
PAISAGEM NATURAL E HUMANIZADA
PAISAGEM NATURAL E HUMANIZADAPAISAGEM NATURAL E HUMANIZADA
PAISAGEM NATURAL E HUMANIZADA
 
Ficha de trabalho nº 9 (países europeus)
Ficha de trabalho nº 9 (países europeus)Ficha de trabalho nº 9 (países europeus)
Ficha de trabalho nº 9 (países europeus)
 
1º Teste 2
1º  Teste 21º  Teste 2
1º Teste 2
 
Teste UE e regiões da Europa
Teste UE e regiões da EuropaTeste UE e regiões da Europa
Teste UE e regiões da Europa
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
 
Geografia 7º ano - teste de avaliação
Geografia 7º ano - teste de avaliaçãoGeografia 7º ano - teste de avaliação
Geografia 7º ano - teste de avaliação
 

Semelhante a Setores de atividade e recursos naturais

Energias Renováveis
Energias RenováveisEnergias Renováveis
Energias RenováveisDaniel Lucas
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energiaArtur Lara
 
energiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdf
energiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdfenergiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdf
energiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdfNaiaraMendes13
 
energias renováveis
energias renováveisenergias renováveis
energias renováveisveronicasilva
 
Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13
Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13
Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13jotaboxexas
 
Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01
Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01
Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01Adelino Ramos
 
1ºPeríodo-Apresentação final
1ºPeríodo-Apresentação final1ºPeríodo-Apresentação final
1ºPeríodo-Apresentação finalOeiras Verde
 
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energia
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energiaCaps. 11 e 12 - Indústrias e energia
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energiaAcácio Netto
 
Situação Energética Mundial
Situação Energética MundialSituação Energética Mundial
Situação Energética MundialGijasilvelitz 2
 
Fontes de energia completo - g4 certo
Fontes de energia   completo - g4 certoFontes de energia   completo - g4 certo
Fontes de energia completo - g4 certoblog_setimaf
 
Apresentação da amareleja
Apresentação da amarelejaApresentação da amareleja
Apresentação da amarelejaAna Lu Ribeiro
 

Semelhante a Setores de atividade e recursos naturais (20)

Energias Renováveis
Energias RenováveisEnergias Renováveis
Energias Renováveis
 
Fontes de emergia
Fontes de emergiaFontes de emergia
Fontes de emergia
 
Energia Renovável
Energia RenovávelEnergia Renovável
Energia Renovável
 
apresentao1grupo67e-091130085800-phpapp01.pdf
apresentao1grupo67e-091130085800-phpapp01.pdfapresentao1grupo67e-091130085800-phpapp01.pdf
apresentao1grupo67e-091130085800-phpapp01.pdf
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
FONTES E MATRIZ RENOVÁVEIS
FONTES E MATRIZ RENOVÁVEISFONTES E MATRIZ RENOVÁVEIS
FONTES E MATRIZ RENOVÁVEIS
 
energiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdf
energiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdfenergiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdf
energiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdf
 
Objeto De Aprendizagem
Objeto De AprendizagemObjeto De Aprendizagem
Objeto De Aprendizagem
 
energias renováveis
energias renováveisenergias renováveis
energias renováveis
 
Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13
Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13
Fabioribeiro, joao pereira nº10 e nº13
 
Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01
Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01
Fabioribeirojoaopereiran10en13 100514084158-phpapp01
 
Trabalho Sobre Energias
Trabalho Sobre EnergiasTrabalho Sobre Energias
Trabalho Sobre Energias
 
1ºPeríodo-Apresentação final
1ºPeríodo-Apresentação final1ºPeríodo-Apresentação final
1ºPeríodo-Apresentação final
 
Energia curso
Energia cursoEnergia curso
Energia curso
 
Energia 6ano
Energia 6anoEnergia 6ano
Energia 6ano
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energia
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energiaCaps. 11 e 12 - Indústrias e energia
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energia
 
Situação Energética Mundial
Situação Energética MundialSituação Energética Mundial
Situação Energética Mundial
 
Fontes de energia completo - g4 certo
Fontes de energia   completo - g4 certoFontes de energia   completo - g4 certo
Fontes de energia completo - g4 certo
 
Apresentação da amareleja
Apresentação da amarelejaApresentação da amareleja
Apresentação da amareleja
 

Mais de Gina Espenica

Áreas de fixação humana I e II - 13-14
Áreas de fixação humana I e II - 13-14Áreas de fixação humana I e II - 13-14
Áreas de fixação humana I e II - 13-14Gina Espenica
 
Objetivos geo. 6º teste 7º ano
Objetivos geo.   6º teste 7º anoObjetivos geo.   6º teste 7º ano
Objetivos geo. 6º teste 7º anoGina Espenica
 
Apres. divers. cultural 12 13.ppt
Apres. divers. cultural 12 13.pptApres. divers. cultural 12 13.ppt
Apres. divers. cultural 12 13.pptGina Espenica
 
8º ano - Proposta de correção teste 4 versão b
8º ano - Proposta de correção teste 4  versão b8º ano - Proposta de correção teste 4  versão b
8º ano - Proposta de correção teste 4 versão bGina Espenica
 
Proposta de correção teste 5 versão b abril-maio. 2013
Proposta de correção teste 5    versão b abril-maio.  2013Proposta de correção teste 5    versão b abril-maio.  2013
Proposta de correção teste 5 versão b abril-maio. 2013Gina Espenica
 
Const. gráficos termop. final
Const. gráficos termop. finalConst. gráficos termop. final
Const. gráficos termop. finalGina Espenica
 
Climas mundo alt. mm 12-13
Climas  mundo alt.    mm 12-13Climas  mundo alt.    mm 12-13
Climas mundo alt. mm 12-13Gina Espenica
 
Fatores climáticos mm gina 12-13
Fatores climáticos   mm gina  12-13Fatores climáticos   mm gina  12-13
Fatores climáticos mm gina 12-13Gina Espenica
 
Distrib. comp. ind. demog. tn, tm, tcn, emv c. guião 12 13
Distrib. comp.  ind. demog.   tn, tm, tcn, emv   c. guião 12 13Distrib. comp.  ind. demog.   tn, tm, tcn, emv   c. guião 12 13
Distrib. comp. ind. demog. tn, tm, tcn, emv c. guião 12 13Gina Espenica
 
Proposta de correção do teste 4 versão a 7º ano fev. mar. 2013
Proposta de correção do teste 4 versão a  7º ano   fev. mar. 2013Proposta de correção do teste 4 versão a  7º ano   fev. mar. 2013
Proposta de correção do teste 4 versão a 7º ano fev. mar. 2013Gina Espenica
 
Proposta de correção teste 3 versão c 8º ano fev. 2013
Proposta de correção teste 3 versão c  8º ano  fev.  2013Proposta de correção teste 3 versão c  8º ano  fev.  2013
Proposta de correção teste 3 versão c 8º ano fev. 2013Gina Espenica
 
Proposta de correção teste 3 versão b 8º ano fev. 2013
Proposta de correção teste 3 versão b  8º ano  fev.  2013Proposta de correção teste 3 versão b  8º ano  fev.  2013
Proposta de correção teste 3 versão b 8º ano fev. 2013Gina Espenica
 
Proposta de correção do teste 3 v. a 8º ano fev. 13
Proposta de correção do teste 3 v. a 8º ano    fev. 13Proposta de correção do teste 3 v. a 8º ano    fev. 13
Proposta de correção do teste 3 v. a 8º ano fev. 13Gina Espenica
 
Objetivos geo. 4º teste 7º ano
Objetivos geo.   4º teste 7º anoObjetivos geo.   4º teste 7º ano
Objetivos geo. 4º teste 7º anoGina Espenica
 
Estado tempo-clima e elementos - fatores climáticos 7º ano 12-13
Estado tempo-clima e elementos - fatores climáticos 7º ano  12-13Estado tempo-clima e elementos - fatores climáticos 7º ano  12-13
Estado tempo-clima e elementos - fatores climáticos 7º ano 12-13Gina Espenica
 
Evolução da pop. e ind. demográficos 8º ano - 12 13
Evolução da pop. e ind. demográficos 8º ano -  12 13Evolução da pop. e ind. demográficos 8º ano -  12 13
Evolução da pop. e ind. demográficos 8º ano - 12 13Gina Espenica
 

Mais de Gina Espenica (20)

Áreas de fixação humana I e II - 13-14
Áreas de fixação humana I e II - 13-14Áreas de fixação humana I e II - 13-14
Áreas de fixação humana I e II - 13-14
 
Objetivos geo. 6º teste 7º ano
Objetivos geo.   6º teste 7º anoObjetivos geo.   6º teste 7º ano
Objetivos geo. 6º teste 7º ano
 
Apres. divers. cultural 12 13.ppt
Apres. divers. cultural 12 13.pptApres. divers. cultural 12 13.ppt
Apres. divers. cultural 12 13.ppt
 
8º ano - Proposta de correção teste 4 versão b
8º ano - Proposta de correção teste 4  versão b8º ano - Proposta de correção teste 4  versão b
8º ano - Proposta de correção teste 4 versão b
 
Proposta de correção teste 5 versão b abril-maio. 2013
Proposta de correção teste 5    versão b abril-maio.  2013Proposta de correção teste 5    versão b abril-maio.  2013
Proposta de correção teste 5 versão b abril-maio. 2013
 
Const. gráficos termop. final
Const. gráficos termop. finalConst. gráficos termop. final
Const. gráficos termop. final
 
Climas mundo alt. mm 12-13
Climas  mundo alt.    mm 12-13Climas  mundo alt.    mm 12-13
Climas mundo alt. mm 12-13
 
Fatores climáticos mm gina 12-13
Fatores climáticos   mm gina  12-13Fatores climáticos   mm gina  12-13
Fatores climáticos mm gina 12-13
 
Distrib. comp. ind. demog. tn, tm, tcn, emv c. guião 12 13
Distrib. comp.  ind. demog.   tn, tm, tcn, emv   c. guião 12 13Distrib. comp.  ind. demog.   tn, tm, tcn, emv   c. guião 12 13
Distrib. comp. ind. demog. tn, tm, tcn, emv c. guião 12 13
 
Proposta de correção do teste 4 versão a 7º ano fev. mar. 2013
Proposta de correção do teste 4 versão a  7º ano   fev. mar. 2013Proposta de correção do teste 4 versão a  7º ano   fev. mar. 2013
Proposta de correção do teste 4 versão a 7º ano fev. mar. 2013
 
Proposta de correção teste 3 versão c 8º ano fev. 2013
Proposta de correção teste 3 versão c  8º ano  fev.  2013Proposta de correção teste 3 versão c  8º ano  fev.  2013
Proposta de correção teste 3 versão c 8º ano fev. 2013
 
Proposta de correção teste 3 versão b 8º ano fev. 2013
Proposta de correção teste 3 versão b  8º ano  fev.  2013Proposta de correção teste 3 versão b  8º ano  fev.  2013
Proposta de correção teste 3 versão b 8º ano fev. 2013
 
Proposta de correção do teste 3 v. a 8º ano fev. 13
Proposta de correção do teste 3 v. a 8º ano    fev. 13Proposta de correção do teste 3 v. a 8º ano    fev. 13
Proposta de correção do teste 3 v. a 8º ano fev. 13
 
Objetivos geo. 4º teste 7º ano
Objetivos geo.   4º teste 7º anoObjetivos geo.   4º teste 7º ano
Objetivos geo. 4º teste 7º ano
 
Estado tempo-clima e elementos - fatores climáticos 7º ano 12-13
Estado tempo-clima e elementos - fatores climáticos 7º ano  12-13Estado tempo-clima e elementos - fatores climáticos 7º ano  12-13
Estado tempo-clima e elementos - fatores climáticos 7º ano 12-13
 
Oceânia
Oceânia   Oceânia
Oceânia
 
Ásia
Ásia  Ásia
Ásia
 
América lug.
América   lug.América   lug.
América lug.
 
África
África   África
África
 
Evolução da pop. e ind. demográficos 8º ano - 12 13
Evolução da pop. e ind. demográficos 8º ano -  12 13Evolução da pop. e ind. demográficos 8º ano -  12 13
Evolução da pop. e ind. demográficos 8º ano - 12 13
 

Último

637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoSilvaDias3
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 

Último (20)

637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 

Setores de atividade e recursos naturais

  • 1. ATIVIDADES ECONÓMICAS: RECURSOS, PROCESSOS DE PRODUÇÃO E SUSTENTABILIDADE
  • 2. SETORES DE ATIVIDADE Quanto à atividade económica distingue-se População Ativa de População não Ativa ou Inativa. População Ativa População não Ativa Empregados Desempregados temporariamente População a prestar serviço militar Estudantes; Reformados e Donas de casa Restante população não trabalhadora (crianças, inválidos, ociosos e os que vivem de rendimentos)
  • 3. SETORES DE ATIVIDADE As atividades económicas são em número elevado, pelo que, para uma mais fácil classificação, se agrupam em sectores de atividade: Sector primário; sector secundário e sector terciário. SETOR PRIMÁRIO - constituído pelas atividades que estão mais relacionadas com o meio natural: agricultura, exploração florestal (silvicultura), pesca , pecuária, caça e as indústrias extrativas.
  • 4. SETOR SECUNDÁRIO- compreende a indústria transformadora, a construção civil e obras públicas e o fornecimento de água, gás e eletricidade. constituído pelas atividades que não produzem qualquer tipo de produto, proporcionando um conjunto de serviços (comércio, transportes, saúde, educação, finanças e as demais profissões liberais). SETOR TERCIÁRIO -
  • 6. RECURSOS NATURAIS – Quais são? Recursos naturais – são todas riquezas que se encontram disponíveis na Natureza (subsolo, solo e à superfície da terra) e que o Homem pode utilizar para satisfazer as suas necessidades de sobrevivência e de desenvolvimento. O que são?
  • 7. Os recursos energéticos renováveis e não renováveis
  • 8. OS RECURSOS ENERGÉTICOS NÃO RENOVÁVEIS Distribuição mundial das regiões produtoras de energias fósseis.
  • 10. Produção e consumo de petróleo Produção e consumo de petróleo, no mundo, em 2005.
  • 11. Os PD e os PED PAÍSES DESENVOLVIDOS Grande consumo de energia Défice energético • Forte industrialização e utilização de transportes • Elevado nível de vida PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO (falta de energia) O consumo é maior do que a produção Menor consumo de energia Necessidade de importar energia, sobretudo petróleo Dependência externa Excesso de energia • Menos indústrias e menor e utilização de transportes • Nível de vida mais baixo A produção é maior que o consumo Exportação (venda para outros países) A sua economia está dependente das exportações energéticas
  • 12. Países produtores de energia nuclear.
  • 13. AS ENERGIAS RENOVÁVEIS ENERGIA SOLAR Resulta do aproveitamento da radiação do Sol através de painéis solares que através de células fotoelétricas, é transformada em eletricidade.
  • 14. ENERGIA EÓLICA A energia eólica usa a força do vento para fazer mover enormes turbinas e assim produzir eletricidade.
  • 15. ENERGIA DAS MARÉS E ONDAS A energia das marés, aproveita a sua oscilação para produzir energia A ondulação oceânica gera eletricidade através das ondas
  • 16. BIOMASSA Aproveitamento dos resíduos agrícolas e florestais para a produção de energia, através da sua queima.
  • 17. ENERGIA HIDRICA Resulta do aproveitamento da potência mecânica da água. 80% da produção mundial de energia hidroelétrica produz-se nos EUA, Europa e Japão.
  • 18. A ENERGIA GEOTÉRMICA Baseia-se na utilização do calor armazenado no interior da Terra para fazer funcionar turbinas que geram eletricidade.
  • 19. Tipos de energia Madeira Utilização Vantagens Desvantagens Aquecimento e confecção de alimentos. Relativamente barata. Desflorestação e baixo valor energético Começou a ser usado na indústria, após a Revolução Industrial. Produção de energia eléctrica e do aço. Das energias tradicionais é a que apresenta maiores reservas. Poluente, não renovável e em risco de esgotar-se Petróleo Produção de energia eléctrica, combustíveis para transportes e máquinas industriais. Como matéria-prima para fins diversos. Maior rendimento e eficácia. Poluente, não renovável e em risco de esgotarse. Gás natural Utilização doméstica e industrial. Das energias tradicionais é a menos poluente. Geradora de problemas ambientais decorrentes da sua queima e exploração. Nu_________ Utilização industrial. Das energias tradicionais é a mais eficiente. Acidentes nucleares e resíduos perigosos. Solar Converte energia solar em energia térmica ou eléctrica. Utilização doméstica, aquecimento de piscinas e indústria Renovável e não poluente Instalação cara e exige lugares com grande nº de dias de céu limpo e elevada radiação solar. Eólica Ondas e ________ Produção de electricidade Renováveis, não poluentes Instalação cara. Dependente das condições naturais. ___________ energética e
  • 20. Síntese Vantagens da utilização das energias não renováveis • • • • Energia barata; Grande densidade energética; Fácil de transportar; Fácil de armazenar. Desvantagens da utilização das energias não renováveis •a sobre exploração das reservas existentes e conhecidas, que poderá conduzir ao seu esgotamento; •o esgotamento pode levar ao encerramento das minas, pedreiras e outras explorações o que faz com que uma parte considerável da população ativa fique desempregada; •a destruição da paisagem natural e a poluição provocadas pela indústria extrativa; •os desastres ambientais que tantas vezes ocorrem durante o transporte, sobretudo do petróleo; •a poluição atmosférica e a contaminação das águas e dos solos associadas ao consumo de combustíveis ; •a radioatividade dos resíduos resultantes da produção de energia nuclear.
  • 21. Vantagens da utilização da energias renováveis • Não são poluentes; • São inesgotáveis (renováveis); • Larga distribuição mundial; • Menor devastação dos ecossistemas. Desvantagens da utilização da energias renováveis • Não conseguem só por si assegurar a produção que satisfaça as necessidades; • É incerta; de • Dificuldade armazenamento; • Não estão adaptadas para os transportes. elevados de • Custos investimento.
  • 22. Desenvolvimento sustentável É a forma de desenvolvimento que procura satisfazer as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem as suas próprias necessidades. Isto é, Significa possibilitar que as pessoas, agora e no futuro, atinjam um nível satisfatório de desenvolvimento social e económico e de realização humana e cultural, fazendo, ao mesmo tempo, um uso razoável dos recursos da Terra, preservando as espécies e os habitats naturais.
  • 23. PARA UM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL UTILIZAR ENERGIAS RENOVÁVEIS O PLANETA AGRADECE YouTube - O Planeta Agradece _ Energias Renováveis _ www.sasenergia.pt.mp4