SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
Renascimento(1401 -1480)Parte 3 Pelo Professor: Gilson Nunes
Os alunos auxiliavam o mestre em suas obras. Lippo Lippi. A coroação da Virgem. 1467-1475.
Lippo Lippi. Madona dentro da floresta. 1467-75.
Ciência e Arte Pierodella Francesca. O Batismo de Cristo. 1457-59.  (foi aluno de Domenico)
Concebe a obra como um jogo matemático que fundamenta a perspectiva. A perspectiva cientifica a base de toda a pintura. A perspectiva era aplicada aos corpos esteriométricose as formas arquitetônicas. Quando desenhava um corpo, uma cabeça, um braço ou drapeado, reduzia as formas a  cilindros, esferas, cones, cubos ou pirâmides, um caráter impessoal  a imagem. Pierodella Francesca. O Batismo de Cristo. 1457-59.  (foi aluno de Domenico)
Desvelado detalhes da imagem. Piero della Francesca. A verdadeira cruz. 1452-59. Capela de São Francisco Arezzo, Itália.
A imperatriz Helena, mãe de Constantino o Grande, descobrindo a verdadeira cruz que faz ressuscitar um jovem.  Piero della Francesca. A verdadeira cruz. 1452-59. Capela de São Francisco Arezzo, Itália.
E as duas cruzes ao lado quem você acha que representam? Piero della Francesca. A verdadeira cruz. 1452-59. Capela de São Francisco Arezzo, Itália.
Valorização do relevo em primeiro plano.Homens e mulheres parecem uma raça extinta – heróica, pela, forte – e silenciosa. Que se comunicam apenas com os olhos e gestos congelados. Piero della Francesca. A verdadeira cruz. 1452-59. Capela de São Francisco Arezzo, Itália.
Sua aprendizagem começou em 1445, com o mestre Niccolò Antonio. Depois estudou com Jean Van Eyck. Sua obra influenciou uma geração de pintores do Pré-Renascimento. Antonello da Messina. São Sebastião. 1475. Alte Meistergallerie. Dresden, Germânia.
Usou e abusou da perspectiva Antonello da Messina. São Jerônimo em seu escritório. 1474-75. Galeria Nacional de Londres.
Antonello da Messina. Madona com Santo Nicolau, Anastácia, Ursula de Dominic. 1476. Kensthistorisches Museum, Viena, Áustria.
Antonello da Messina. A anunciação. 1475-80.
Antonello da Messina. A crucificação. 1475 Royal museum of fine Arts, Antwerp. Bélgica.
Antonello da Messina. A virgen da Anunciação. 1475. Museu Palazzo Abatellis.
Foi um excelente retratista. Antonello da Messina. Autorretrato. 1475-80.
Carnosidade da pele
Pode ter inspirado o Da Vinci para pintar a Monalisa? Antonello da Messina. Portraitof a Man.Oilonwood. 30 x 24 cm. GalleriaBorghese, Rome, Italy.
Pela primeira vez na história um retrato de um suposto sorriso. Pode ter inspirado a Monalisa ? Antonello da Messina. Retrato de homem desconhecido. 1475-76.
Estimulando a análise visual: O que vemos e o que nos revela a imagem?Existe uma hierarquia no tamanho das imagens? Hugo van der Góes. Retábulo de Portinari. 1476. Painel central: 2,53 x 3,00 m - Painel lateral: 2,53 x 1,31 m . Galeria dos Uffizi. Florença. Itália.
Rudes homens do campo contemplando de olhos arregalados e boca aberta, pasmados, o Menino recém-nascido – o dramático milagre. Efeito este de causar admiração aos demais pintores  das décadas seguintes.  Hugo van der Góes. Retábulo de Portinari. 1476. Painel central: 2,53 x 3,00 m - Painel lateral: 2,53 x 1,31 m . Galeria dos Uffizi. Florença. Itália.
Uso da tela e da pintura a óleo. Fundador da pintura no Renascimento. Escreveu vários tratados sobre perspectiva e matemática. São Sebastião lembra mais uma escultura grega pintada. Piero della Francesca. São João Batista e São Sebastião. 1440-60.
Jacopo Belline (1396-1479) – Um dos fundadores do Renascimento, Foi aluno de Gentile da Fabriano.
Professor de Arte apaixonado pela cultura greco-romana.  Viajava coletando obras de arte e desenhava e repassava para seus 137 alunos, entre eles, um que se tornou o mais importante artista do Renascimento, Andrea Mantegna, que aos 17 anos abandonou o atelier do mestre. Francesco Squarcione (1397-1468) – A virgem e o Menino.
Sua veneração pelos restos visíveis da antiguidade grega, quando transporta para sua pintura panejamentos “molhados” da escultura clássica grega. Andrea MantegnaMarsandVernus, known as Parnassus. Oiloncanvas. 159x192 cm. Louvre, Paris.
Referencial BECKET, Wendy. A história da Pintura. São Paulo, Ática, 1997. JANSON, H. W. História Geral da Arte: o mundo antigo e a Idade Média. São Paulo: Martins Fontes, 1993. PEDRERO-SÁNCHEZ, Maria Guadalupe. História da Idade Média: textos e testemunhas. São Paulo, UNESP, 2000. PEREIRA, F. M. Esteves. Os manuscritos Iluminados. In: a iluminura em Portugal, catálogo da exposição inaugural do arquivo nacional da torre do Tombo. Porto, Lisboa, Ed. Figueirinhas, 1990. CHEVALIER, Jean et GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. Rio de Janeiro: José Olympio, 1988. FRANCO.RJ, H. Idade Média: nascimento do Ocidente. São Paulo, Brasiliense, 1988. SPENCE, David. Grandes Artistas: vida e obra. São Paulo, Melhoramentos, 2004. Revista: História Viva: Bizâncio: o paraíso dos negócios e do saber na Idade Média. Ano: VI, nº 74, pp. 28-54. Mestres da Pintura: Michelangelo. Editora on-line, São Paulo, s/d. Galeria, revista de arte. São Paulo, Editora Telma Cristina Ferreira, Ano 4, junho/julho de 1990. pp. 62-77. Folha de São Paulo. Michelangelo ofusca mestres na Sistina. F. 10, 14 de abril de 2005. Superinteressante. O segredo de Leonardo. São Paulo. Edição 205. Editora Abril, 2004. pp. 60-67. Veja. Muito além do código da Vinci. São Paulo. Edição 1956, Ano 39, nº 19, Editora Abril, 2006. pp. 126-134 www.brasilescola.com/mitologia/brasilescola.htm www.amazonline.com.br/heraldica/heraldica.htm - (tudo sobre brasões) www.arteguias.com www.logosphera.com/.../sereias/sereias.htm www.minerva.uevora.pt www.pitores.com.br www.sergioprata.com.br – (afresco) www.wga.hu/frames-e.html www.guaciara.worpress.com/.../27/a-cruz-de-cimabue/  - 27/09/2009.
Criação e autoria: Gilson Cruz Nunes                  Especialista em Artes Visuais – UFPB Professor da Disciplina de Artes das Escolas: Dr. Hortênsio de Sousa Ribeiro – Rede Estadual Pe. Antonino e Lafayete Cavalcante – Rede Municipal. Campina Grande, 12 de janeiro a 25 de fevereiro  de 2010. Atualizado em 14 de junho de 2010. gilsonunes2000@bol.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (19)

8 histda art renasciment
8 histda art   renasciment8 histda art   renasciment
8 histda art renasciment
 
Barroco espanhol
Barroco espanholBarroco espanhol
Barroco espanhol
 
Arte Renascentista
Arte RenascentistaArte Renascentista
Arte Renascentista
 
Leonardo da Vinci: Alto-Renascimento - parte 2
Leonardo da Vinci: Alto-Renascimento - parte 2 Leonardo da Vinci: Alto-Renascimento - parte 2
Leonardo da Vinci: Alto-Renascimento - parte 2
 
O renascimento
O renascimento O renascimento
O renascimento
 
A arte-no-renascimento
A arte-no-renascimentoA arte-no-renascimento
A arte-no-renascimento
 
Trabalho de artes
Trabalho de artesTrabalho de artes
Trabalho de artes
 
Trabalho de artes
Trabalho de artesTrabalho de artes
Trabalho de artes
 
Michelangelo: Alto-Renascimento - Parte 3
 Michelangelo: Alto-Renascimento - Parte 3 Michelangelo: Alto-Renascimento - Parte 3
Michelangelo: Alto-Renascimento - Parte 3
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
Principais artistas barrocos
Principais artistas barrocosPrincipais artistas barrocos
Principais artistas barrocos
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Pintura Barroca
Pintura BarrocaPintura Barroca
Pintura Barroca
 
O Sfumato de Leonardo Da Vinci
O Sfumato de Leonardo Da Vinci O Sfumato de Leonardo Da Vinci
O Sfumato de Leonardo Da Vinci
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
A última ceia
A última ceia A última ceia
A última ceia
 
Arte Barroca - Peter Paul Rubens
Arte Barroca - Peter Paul RubensArte Barroca - Peter Paul Rubens
Arte Barroca - Peter Paul Rubens
 
Ultima Ceia
Ultima CeiaUltima Ceia
Ultima Ceia
 
Renascençapp2012
Renascençapp2012Renascençapp2012
Renascençapp2012
 

Semelhante a Renascimento parte 3

Herny Duarte nº10 - A pintura do Renascimento
Herny Duarte nº10 - A pintura do RenascimentoHerny Duarte nº10 - A pintura do Renascimento
Herny Duarte nº10 - A pintura do RenascimentoBiblioteca Casa
 
O Barroco na Europa, Parte 2 - 1563-1750
O Barroco na Europa,   Parte 2 - 1563-1750O Barroco na Europa,   Parte 2 - 1563-1750
O Barroco na Europa, Parte 2 - 1563-1750Professor Gilson Nunes
 
A Virgem, Santa Ana e o Menino Jesus
A Virgem, Santa Ana e o Menino JesusA Virgem, Santa Ana e o Menino Jesus
A Virgem, Santa Ana e o Menino JesusAlexandralicious
 
Seminários história da arte 1 b 01
Seminários história da arte 1 b   01Seminários história da arte 1 b   01
Seminários história da arte 1 b 01Gabriela Lemos
 
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 7 ano A e B 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 7 ano A e B 1ºBEscola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 7 ano A e B 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 7 ano A e B 1ºBPriscila Barbosa
 
Plano de Aula - Oficina de Artes - As Pinturas Renascentistas
Plano de Aula  - Oficina de Artes - As Pinturas RenascentistasPlano de Aula  - Oficina de Artes - As Pinturas Renascentistas
Plano de Aula - Oficina de Artes - As Pinturas RenascentistasPIBID HISTÓRIA
 
Módulo 5 - Pintura Renascentista
Módulo 5 - Pintura RenascentistaMódulo 5 - Pintura Renascentista
Módulo 5 - Pintura RenascentistaCarla Freitas
 
Arte do Renascimento
Arte do RenascimentoArte do Renascimento
Arte do RenascimentoHca Faro
 
Arte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - PinturaArte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - PinturaCarlos Vieira
 
7o. ano renascimento na itália
7o. ano  renascimento na itália7o. ano  renascimento na itália
7o. ano renascimento na itáliaArtesElisa
 

Semelhante a Renascimento parte 3 (20)

Mistura 2
Mistura 2Mistura 2
Mistura 2
 
Renascimento pintura
Renascimento   pinturaRenascimento   pintura
Renascimento pintura
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
Herny Duarte nº10 - A pintura do Renascimento
Herny Duarte nº10 - A pintura do RenascimentoHerny Duarte nº10 - A pintura do Renascimento
Herny Duarte nº10 - A pintura do Renascimento
 
O Barroco na Europa, Parte 2 - 1563-1750
O Barroco na Europa,   Parte 2 - 1563-1750O Barroco na Europa,   Parte 2 - 1563-1750
O Barroco na Europa, Parte 2 - 1563-1750
 
A Virgem, Santa Ana e o Menino Jesus
A Virgem, Santa Ana e o Menino JesusA Virgem, Santa Ana e o Menino Jesus
A Virgem, Santa Ana e o Menino Jesus
 
Seminários história da arte 1 b 01
Seminários história da arte 1 b   01Seminários história da arte 1 b   01
Seminários história da arte 1 b 01
 
O renascimento
O renascimentoO renascimento
O renascimento
 
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 7 ano A e B 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 7 ano A e B 1ºBEscola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 7 ano A e B 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila Arte 7 ano A e B 1ºB
 
Renascimento e o barroco
 Renascimento e o barroco Renascimento e o barroco
Renascimento e o barroco
 
A arte
A arteA arte
A arte
 
A arte
A arteA arte
A arte
 
Plano de Aula - Oficina de Artes - As Pinturas Renascentistas
Plano de Aula  - Oficina de Artes - As Pinturas RenascentistasPlano de Aula  - Oficina de Artes - As Pinturas Renascentistas
Plano de Aula - Oficina de Artes - As Pinturas Renascentistas
 
arte
artearte
arte
 
Módulo 5 - Pintura Renascentista
Módulo 5 - Pintura RenascentistaMódulo 5 - Pintura Renascentista
Módulo 5 - Pintura Renascentista
 
Arte do Renascimento
Arte do RenascimentoArte do Renascimento
Arte do Renascimento
 
Arte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - PinturaArte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - Pintura
 
7o. ano renascimento na itália
7o. ano  renascimento na itália7o. ano  renascimento na itália
7o. ano renascimento na itália
 
Revista forma
Revista formaRevista forma
Revista forma
 

Mais de Professor Gilson Nunes (20)

A reforma política que queremos
A reforma política que queremosA reforma política que queremos
A reforma política que queremos
 
Carta de um professor aos paraibanos
Carta de um professor aos paraibanosCarta de um professor aos paraibanos
Carta de um professor aos paraibanos
 
PNE - 2011-2020: construindo um presente tardio
PNE - 2011-2020: construindo um presente tardioPNE - 2011-2020: construindo um presente tardio
PNE - 2011-2020: construindo um presente tardio
 
O planeta movido a internet é escravo...
O planeta movido a internet é escravo...O planeta movido a internet é escravo...
O planeta movido a internet é escravo...
 
Segredos da arte brasileira 1
Segredos da arte brasileira 1Segredos da arte brasileira 1
Segredos da arte brasileira 1
 
Cubismo 1907-1914
Cubismo   1907-1914Cubismo   1907-1914
Cubismo 1907-1914
 
Trabalho de arte 10
Trabalho de arte 10Trabalho de arte 10
Trabalho de arte 10
 
Arte abstrata 1910 1950
Arte abstrata        1910 1950Arte abstrata        1910 1950
Arte abstrata 1910 1950
 
Trabalho de arte 9
Trabalho de arte 9Trabalho de arte 9
Trabalho de arte 9
 
Trabalho de arte 8
Trabalho de arte 8Trabalho de arte 8
Trabalho de arte 8
 
Trabalho de arte 7
Trabalho de arte   7Trabalho de arte   7
Trabalho de arte 7
 
Trabalho de arte 5
Trabalho de arte 5Trabalho de arte 5
Trabalho de arte 5
 
Trabalho de arte 4
Trabalho de arte 4Trabalho de arte 4
Trabalho de arte 4
 
Trabalho de arte 6
Trabalho   de arte  6Trabalho   de arte  6
Trabalho de arte 6
 
Trabalho de arte 3
Trabalho de arte 3Trabalho de arte 3
Trabalho de arte 3
 
Trabalho de arte 1
Trabalho de arte 1Trabalho de arte 1
Trabalho de arte 1
 
Trabalho de arte 2
Trabalho de arte 2Trabalho de arte 2
Trabalho de arte 2
 
Neo-impressionismo 4
Neo-impressionismo 4Neo-impressionismo 4
Neo-impressionismo 4
 
Neo-impressionismo - 3
Neo-impressionismo - 3Neo-impressionismo - 3
Neo-impressionismo - 3
 
Neo-impressionismo parte 2
Neo-impressionismo parte 2Neo-impressionismo parte 2
Neo-impressionismo parte 2
 

Renascimento parte 3

  • 1. Renascimento(1401 -1480)Parte 3 Pelo Professor: Gilson Nunes
  • 2. Os alunos auxiliavam o mestre em suas obras. Lippo Lippi. A coroação da Virgem. 1467-1475.
  • 3. Lippo Lippi. Madona dentro da floresta. 1467-75.
  • 4. Ciência e Arte Pierodella Francesca. O Batismo de Cristo. 1457-59. (foi aluno de Domenico)
  • 5. Concebe a obra como um jogo matemático que fundamenta a perspectiva. A perspectiva cientifica a base de toda a pintura. A perspectiva era aplicada aos corpos esteriométricose as formas arquitetônicas. Quando desenhava um corpo, uma cabeça, um braço ou drapeado, reduzia as formas a cilindros, esferas, cones, cubos ou pirâmides, um caráter impessoal a imagem. Pierodella Francesca. O Batismo de Cristo. 1457-59. (foi aluno de Domenico)
  • 6. Desvelado detalhes da imagem. Piero della Francesca. A verdadeira cruz. 1452-59. Capela de São Francisco Arezzo, Itália.
  • 7. A imperatriz Helena, mãe de Constantino o Grande, descobrindo a verdadeira cruz que faz ressuscitar um jovem. Piero della Francesca. A verdadeira cruz. 1452-59. Capela de São Francisco Arezzo, Itália.
  • 8. E as duas cruzes ao lado quem você acha que representam? Piero della Francesca. A verdadeira cruz. 1452-59. Capela de São Francisco Arezzo, Itália.
  • 9. Valorização do relevo em primeiro plano.Homens e mulheres parecem uma raça extinta – heróica, pela, forte – e silenciosa. Que se comunicam apenas com os olhos e gestos congelados. Piero della Francesca. A verdadeira cruz. 1452-59. Capela de São Francisco Arezzo, Itália.
  • 10. Sua aprendizagem começou em 1445, com o mestre Niccolò Antonio. Depois estudou com Jean Van Eyck. Sua obra influenciou uma geração de pintores do Pré-Renascimento. Antonello da Messina. São Sebastião. 1475. Alte Meistergallerie. Dresden, Germânia.
  • 11. Usou e abusou da perspectiva Antonello da Messina. São Jerônimo em seu escritório. 1474-75. Galeria Nacional de Londres.
  • 12. Antonello da Messina. Madona com Santo Nicolau, Anastácia, Ursula de Dominic. 1476. Kensthistorisches Museum, Viena, Áustria.
  • 13. Antonello da Messina. A anunciação. 1475-80.
  • 14. Antonello da Messina. A crucificação. 1475 Royal museum of fine Arts, Antwerp. Bélgica.
  • 15. Antonello da Messina. A virgen da Anunciação. 1475. Museu Palazzo Abatellis.
  • 16. Foi um excelente retratista. Antonello da Messina. Autorretrato. 1475-80.
  • 18. Pode ter inspirado o Da Vinci para pintar a Monalisa? Antonello da Messina. Portraitof a Man.Oilonwood. 30 x 24 cm. GalleriaBorghese, Rome, Italy.
  • 19. Pela primeira vez na história um retrato de um suposto sorriso. Pode ter inspirado a Monalisa ? Antonello da Messina. Retrato de homem desconhecido. 1475-76.
  • 20. Estimulando a análise visual: O que vemos e o que nos revela a imagem?Existe uma hierarquia no tamanho das imagens? Hugo van der Góes. Retábulo de Portinari. 1476. Painel central: 2,53 x 3,00 m - Painel lateral: 2,53 x 1,31 m . Galeria dos Uffizi. Florença. Itália.
  • 21. Rudes homens do campo contemplando de olhos arregalados e boca aberta, pasmados, o Menino recém-nascido – o dramático milagre. Efeito este de causar admiração aos demais pintores das décadas seguintes. Hugo van der Góes. Retábulo de Portinari. 1476. Painel central: 2,53 x 3,00 m - Painel lateral: 2,53 x 1,31 m . Galeria dos Uffizi. Florença. Itália.
  • 22. Uso da tela e da pintura a óleo. Fundador da pintura no Renascimento. Escreveu vários tratados sobre perspectiva e matemática. São Sebastião lembra mais uma escultura grega pintada. Piero della Francesca. São João Batista e São Sebastião. 1440-60.
  • 23. Jacopo Belline (1396-1479) – Um dos fundadores do Renascimento, Foi aluno de Gentile da Fabriano.
  • 24. Professor de Arte apaixonado pela cultura greco-romana. Viajava coletando obras de arte e desenhava e repassava para seus 137 alunos, entre eles, um que se tornou o mais importante artista do Renascimento, Andrea Mantegna, que aos 17 anos abandonou o atelier do mestre. Francesco Squarcione (1397-1468) – A virgem e o Menino.
  • 25. Sua veneração pelos restos visíveis da antiguidade grega, quando transporta para sua pintura panejamentos “molhados” da escultura clássica grega. Andrea MantegnaMarsandVernus, known as Parnassus. Oiloncanvas. 159x192 cm. Louvre, Paris.
  • 26. Referencial BECKET, Wendy. A história da Pintura. São Paulo, Ática, 1997. JANSON, H. W. História Geral da Arte: o mundo antigo e a Idade Média. São Paulo: Martins Fontes, 1993. PEDRERO-SÁNCHEZ, Maria Guadalupe. História da Idade Média: textos e testemunhas. São Paulo, UNESP, 2000. PEREIRA, F. M. Esteves. Os manuscritos Iluminados. In: a iluminura em Portugal, catálogo da exposição inaugural do arquivo nacional da torre do Tombo. Porto, Lisboa, Ed. Figueirinhas, 1990. CHEVALIER, Jean et GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. Rio de Janeiro: José Olympio, 1988. FRANCO.RJ, H. Idade Média: nascimento do Ocidente. São Paulo, Brasiliense, 1988. SPENCE, David. Grandes Artistas: vida e obra. São Paulo, Melhoramentos, 2004. Revista: História Viva: Bizâncio: o paraíso dos negócios e do saber na Idade Média. Ano: VI, nº 74, pp. 28-54. Mestres da Pintura: Michelangelo. Editora on-line, São Paulo, s/d. Galeria, revista de arte. São Paulo, Editora Telma Cristina Ferreira, Ano 4, junho/julho de 1990. pp. 62-77. Folha de São Paulo. Michelangelo ofusca mestres na Sistina. F. 10, 14 de abril de 2005. Superinteressante. O segredo de Leonardo. São Paulo. Edição 205. Editora Abril, 2004. pp. 60-67. Veja. Muito além do código da Vinci. São Paulo. Edição 1956, Ano 39, nº 19, Editora Abril, 2006. pp. 126-134 www.brasilescola.com/mitologia/brasilescola.htm www.amazonline.com.br/heraldica/heraldica.htm - (tudo sobre brasões) www.arteguias.com www.logosphera.com/.../sereias/sereias.htm www.minerva.uevora.pt www.pitores.com.br www.sergioprata.com.br – (afresco) www.wga.hu/frames-e.html www.guaciara.worpress.com/.../27/a-cruz-de-cimabue/ - 27/09/2009.
  • 27. Criação e autoria: Gilson Cruz Nunes Especialista em Artes Visuais – UFPB Professor da Disciplina de Artes das Escolas: Dr. Hortênsio de Sousa Ribeiro – Rede Estadual Pe. Antonino e Lafayete Cavalcante – Rede Municipal. Campina Grande, 12 de janeiro a 25 de fevereiro de 2010. Atualizado em 14 de junho de 2010. gilsonunes2000@bol.com.br