O slideshow foi denunciado.

Arte egípcia: o sonho pela eternidade, deuses e funções. parte 2

6.463 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
  • Mande uma sugestão, uma referencia que eu possa pesquisar, pois o conhecimento guardado é burrice, não sabia de nada disso, só tomei conhecimento porque fui estudar e continuo ainda pesquisando, cada ano que amadureço no assunto a arte me surpreende.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Irei pesquisar sobre este autor e estarei atualizando as informações, obrigado pela referência.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • agora galaxia azul não foi interessante
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • muito interessa,e gostei da bibliografia,mas você poderia usar as obras do brancaglion junior
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui

Arte egípcia: o sonho pela eternidade, deuses e funções. parte 2

  1. 1. Arte egípcia: o sonho pela eternidade, deuses e funções.Parte 2 <br />
  2. 2. Amon: rei dos deuses, presente em todas as coisas, até no mundo subterrâneo, possui identidade secreta, até mesmo seu nome era secreto, chamado pelo egípcios como “Aquele que Esconde a Si Mesmo”, a força invisível no vento. <br />
  3. 3. AMON: “aquele que se esconde a si mesmo”<br />Representado muitas vezes como macaco, leão, como homem com duas plumas na cabeça do lado direito, e se manifesta sob a forma de um homem com cabeça de carneiro, ganso, sapo ou serpente.<br />
  4. 4. ÍSIS: Deusa da harmonia e das festas. Deusa mãe que tudo perdoa, paciente e sábia.<br />
  5. 5. Deusa ÍSIS, escultura em ouro. A deusa mais popular do Egito antigo.<br />
  6. 6. A mãe de Hórus<br /> ÍSIS, foi apaixonada pelo seu irmão OSÍRIS, que foi morto pelo seu irmão SETH. Conseguiu engravidar do irmão através de segredos divinos e muita magia, mesmo depois da morte do mesmo. Dessa paixão divina nasceu HÓRUS. <br />
  7. 7. A mãe de Hórus<br />Que a todo custo o seu irmão SETH tentou matá-lo, quando sua mãe saiu para oferecer oferendas ao seu pai morto OSÌRIS, seu tio SETH se transformou em uma serpente e tentou envenená-lo. <br />
  8. 8. A mãe de Hórus<br /> Ísis consegue salvar o seu filho através de poderes mágicos. Pois o novo deus Hórus tinha um papel, vingar a morte do pai e retomar o trono de SETH.<br />
  9. 9. Conta a lenda que ÍSIS, chorou tanto a morte de seu irmão OSÍRIS que suas lágrimas fizeram nascer o rio Nilo. <br />
  10. 10. Localização Geográfica do Egito:<br />
  11. 11. Representação da mulher no Egito antigo.<br />
  12. 12. NÉFTIS, irmã de OSÍRIS, ÍSIS e SETH, este último seu marido, que mesmo depois da morte de OSÍRIS, foi solidária a irmã juntando os pedaços do irmão e chorando a mesma dor com ela. <br />
  13. 13. Néftis: Deusa protetora dos sarcófagos e dos vasos canopos (urna que guardava o pulmão, fígado, vísceras e os intestinos, no ato da mumificação).<br />
  14. 14. A representação histórica da Mulher no Egito antigo.<br />NÉFETIS: considerada deusa das terras secas e áridas do deserto.<br /> Brigou com seu irmão SETH pela qual era casada, porque não lhe dava atenção, e se passou como sua irmã ÍSIS e enganou OSÍRIS e teve um filho dele, chamado ANÚBIS, pois ele lhe dava bastante atenção.<br /> Tinha inveja de sua irmã, pois enquanto ela representava a vida, Néftis representava a morte. Não é à-toa que seu filho Anúbis é o senhor dos mortos. Mais ela tem suas virtudes. É capaz de retirar do ser humano as lembranças terríveis e reprimidas.<br />
  15. 15. Luxo, riqueza e muita arte.<br />
  16. 16. A grande descoberta<br />
  17. 17. A arte da mumificação: sonho pela eternidade.<br />Conceitos para justificar a mumificação. A palavra múmia é de origem persa e significa: asfalto ou betume.<br />
  18. 18. O ser humano é formado por 4 elementos:<br />Bá – alma<br />Ka – força divina inspiradora da vida<br />Khu – fogo divino<br />Kat – corpo<br />Para garantir a eternidade: esses elementos deveriam ser preservados.<br />
  19. 19. Bá - Espírito que representava o julgamento do além-túmulo, podia ir onde quisesse e assumir qualquer forma, mas sempre é mostrado como pássaro com cabeça humana. Carregando sob as garras um anel CHEN, um símbolo hieróglifo que representa poder e magia.<br />
  20. 20. KA, espécie de alma, simbolizada com os braços estendidos para o alto. Que segundo o princípio religioso necessitava ser alimentada.<br />
  21. 21. Oferendas para as almas<br />Leitura da imagem: os alimentos no centro da imagem é uma representação fiel, que mesmo depois de morto, dentro dos túmulos as almas se alimentavam. Chamada de KA, espírito vital<br />
  22. 22. Leitura da imagem:<br /> As sacerdotisas com os braços erguidos em forma de agradecimento. Vários botões de lótus fechados e três abertos em forma de representação aos irmãos, a outra flor de lótus está sobre os alimentos, referencia a OSÍRIS.<br />
  23. 23. Criaram suntuosos templos, mastabas e pirâmides – túmulos. As primeiras construções em mastabas<br />
  24. 24. O corpo era preciso está bastante protegido, para não ser incomodado.<br />
  25. 25. O primeiro arquiteto egípcio<br />Imhotep, foi o primeiro arquiteto da história egípcia a construir um pirâmide em degraus, a maior personalidade de todos os tempos. <br />Foi poeta, astrônomo, mágico e médico. É de sua autoria a frase: “Comam, bebam e sejam felizes, pois amanhã nós morreremos”.<br />
  26. 26. Imhotep foi um ministro divinizado considerado o Deus da aprendizagem e dos medicamentos.<br />Pirâmide em degraus do arquiteto Imhotep 2700 a.c.<br />
  27. 27. Ao lado da grande pirâmide podemos observar ruínas de templos. Esses templos serviam para os rituais e para o depósito das oferendas aos mortos.<br />
  28. 28. Como os mortos só se alimentavam espiritualmente, os sacerdotes faziam o banquete e muitos ficaram ricos com as oferendas e pertences da nobreza, pois eram os únicos que tinham acesso aos templos e aos deuses.<br />
  29. 29. Colunas de Hórus: arquitetura e beleza, formato em flor de lótus.<br />
  30. 30. Beleza dos templos<br />
  31. 31. Obelisco: capitalizador de energia solar. O tamanho colossal das estátuas e dos templos não caracterizavam a distância um do outro, mas o poder e o nível social.<br />
  32. 32. O guardião das pirâmides: conhecida como esfinge de Gisé, entre suas patas um templo. Esculpido em uma pedra com 20 m de altura. <br />
  33. 33. O nome verdadeiro em egípcio é shesep-anhk, ou seja, imagem viva. Aquela que liga. Já que a mesma representa um elo entre animal e humano. E não esfinge, para compará-la a mitologia grega.<br />Esfinge, verbo estrangular, formada por um corpo de leão com cabeça humana, mito grego, que estrangulava todos que não conseguissem decifrar suas charadas. <br />
  34. 34. O poder da esfinge: corpo de leão (força) e cabeça humana (sabedoria). Colocada na entrada do templo para afastar os invasores e maus espíritos.<br /> Esfinge, verbo estrangular, formada por um corpo de leão com cabeça humana, mito grego, que estrangulava todos que não conseguissem decifrar suas charadas. <br />
  35. 35. A voz da imagem viva<br />Shesep-ankh, estava sendo encoberta por tempestades de areia, chegando até o pescoço.<br /> Um príncipe em caça resolveu descansar sob a sobra da cabeça da grande imagem e adormeceu, em sonho ouviu a voz da mesma pedindo para que retirasse toda a arei do seu corpo, que o tornaria Faraó do Egito antes dos seus irmãos mais velhos. <br />
  36. 36. Túmulos da vida e da sabedoria - 2551 a.C.<br />
  37. 37. Uma das faces das pirâmide está matematicamente voltada para 2,5 graus norte, leste, sul e oeste.<br /> Demonstrando excelente conhecimento da astronomia. <br />
  38. 38. Funcionava também como farol para orientar os navegantes. Um relógio de sol, um grande espelho do tempo.<br />
  39. 39. A pirâmide do faraó Quéops, chamada de grande pirâmide, com 158 m de altura (equivalente a um prédio com 46 andas), medindo cada lado 250 m.<br />
  40. 40. Na sua construção foram usados 2 milhões de blocos de pedra, pesando entre a 70 toneladas. <br />
  41. 41. Trabalho de precisão e acabamento de um grande artista. <br />100 mil pessoas contribuíram na construção, muitas foram pagas pelo serviço e outras trabalhavam de graça por amor ao faraó e aos deuses.<br /> Levou aproximadamente 20 anos para ser concluída.<br />
  42. 42. Uma hipótese para construção das pirâmides, pois não tinham conhecimento da roda, os blocos de pedra eram empurrados e puxados sobre toras de madeiras. <br />Esta mesma técnica serviu para erguer os obeliscos veja vídeo: www.youtube.net - Faraó-Rainha Hatsheput<br />
  43. 43. Os egípcios só foram utilizar a roda aproximadamente 1400 a.C. Esses fragmentos do primeiro modelo da roda são de 3000 a.C. de criação dos Sumérios. <br />
  44. 44. - A mastaba e pirâmide: extensão da vida do palácio e das mordomias da casa dos nobres, uma espécie de castelo da eternidade. <br />Dentro das pirâmides eram colocados objetos pessoais da vida do morto, pois eles achavam que na outra vida eles continuavam a se beneficiar desses bens.<br /> E constantemente eram alimentados espiritualmente pelas oferendas depositadas nos templos para garantir a vida.<br />
  45. 45. Dentro das pirâmides eram colocados objetos pessoais da vida do morto, pois eles achavam que na outra vida eles continuavam a se beneficiar desses bens.<br />
  46. 46. E constantemente eram alimentados espiritualmente pelas oferendas depositadas nos templos para garantir a vida.<br />
  47. 47. Os quatro elementos primordiais da vida, após a morte.<br />Bá (alma) e khu (fogo divino) – precisavam ser alimentados por orações.<br />Ka (força divina) e Kat (corpo) – teriam que ser preservado no túmulo - a continuação da vida terrena, as mordomias do palácio.<br />
  48. 48. Objeto pessoal encontrado dentro da tumba de TutanKamon.<br />
  49. 49. Objetos pessoais encontrados junto com o faraó Tutankamon. 1333 – 1323 a. C. Esse tesouro foi descoberto em 1922 por Howard Carter.<br />
  50. 50. No interior das pirâmides só eram permitido desenhar as imagens das deusas e deuses da mitologia ou textos do livro dos mortos em hieróglifos. Esses textos serviam para orientar o espírito do faraó num momento de dificuldade.<br />
  51. 51. Como eles podiam pintar na escuridão da pirâmide?<br />
  52. 52. Esta imagem mostra como eles conseguiram um instrumento que produzia luz para os artistas trabalharem no interior das pirâmides. <br />
  53. 53. A grande lâmpada de Denderah. Podemos observar que na base da lâmpada é a flor de lótus com um grande cabo de energia, ligado a um reator, em formado de Djed, amuleto da coluna de OSIRIS, dentro da lâmpada o símbolo da cobra e dois braços simbolizando a alma, KA.<br />
  54. 54. Segundo WallisBudge, os egípcios possuíam um grande poder tecnológico, manipulavam até genética de animais, todo o conhecimento transmitido por extraterrestres.<br />
  55. 55. Para cada ponto da base da pirâmide, um significado: religião, ciência, filosofia e astrologia.<br />
  56. 56. Teoria extraterrena para justificar a construção das pirâmides.<br />
  57. 57. Para Samuel AunWeor, no seu livro. Desfazendo mistério, afirma que: <br />“Os homens azuis vieram da Gálaxia Azul. Não há dúvida de que eles criaram as poderosas civilizações do Egito, Caldeia, Assíria, Babilônia, etc. foram eles que ensinaram os arquitetos das pirâmides a construí-las, os que ensinaram a doutrina secreta aos atlântes e aos egípcios...” (p.105) <br /> O Egito era um centro de comunicação entre os extraterrenos. Outros estudiosos afirmam que no topo da pirâmide existia um Cristal que iluminava o interior das galerias da pirâmide.<br />
  58. 58. Arte egípcia – Parte 2<br />Este trabalho, foi produzido pelo Especialista em Artes Visuais, Artista Plástico e Crítico de Arte. (Referencial encontra-se na última parte da série)<br />Gilson Nunes<br />Campina Grande, 18 de junho de 2009.<br /> 1ª -Atualizado, 02 de maio de 2010. <br />2ª - Atalização, 02 de junho de 2010.<br />Paraíba – Brasil gilsonunes2000@bol.com.br<br />

×