Como controlar o medo de falar em público

534 visualizações

Publicada em

Curso de Homilética da Escola de Anciãos Pr. Gilson Barbosa

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
534
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como controlar o medo de falar em público

  1. 1. Como surge o medo de falar em público • O medo escraviza a vontade; • Limita a criatividade; • Interrompe o desenvolvimento e o despertar das potencialidades; • Nasce com o homem e abraça-o por toda a vida.
  2. 2. Como surge o medo de falar em público Todos temos dentro de nós dois oradores normalmente diferenciados, coexistindo dentro da mesma pessoa: Orador real Orador imaginado
  3. 3. Orador Real É a verdadeira imagem do comunicador, composta de defeitos naturais do ser humano, mas também das qualidades visíveis ou potencialmente prontas para serem aproveitadas. É o orador que aparece aos olhos da plateia, que, mesmo não se empolgando, às vezes, com sua forma de se expressar, é capaz de ouvi-lo sermpre até com relativo interesse.
  4. 4. Orador Imaginado É a imagem que o comunicador pensa que transmite aos ouvintes. Durante a formação do homem, ele recebe toda sorte de pressões e acumula nas suas complexas entranhas os fracassos e dissabores que a vida oferece. Esses fatores constroem uma imagem distorcida, imaginada dentro de um perfil psicológico tão concreto que parece verdadeira. Nasce aí a falta de confiança nas suas possibilidades de sucesso para se expressar diante de atuditórios.
  5. 5. 8 recomendações para controlar o medo de falar em público 1. Quando o medo aparecer, encare-o normalmente.
  6. 6. 8 recomendações para controlar o medo de falar em público 2. Controle seu nervosismo
  7. 7. 8 recomendações para controlar o medo de falar em público 3. Tenha uma atitude correta. Caminhe confiante.
  8. 8. 8 recomendações para controlar o medo de falar em público 4. Antes de pensar como, saiba o que falar.
  9. 9. 8 recomendações para controlar o medo de falar em público 5. Não imagine o pior. Enquanto estiver aguardando sua vez de falar, não imagine cenas pessimistas.
  10. 10. 8 recomendações para controlar o medo de falar em público 6. Não adquira vícios. Botões de paletó, bolsos, lápis, giz, folha de papel, fio do microfone, apoiar-se em uma perna, no púlpito
  11. 11. 8 recomendações para controlar o medo de falar em público 7. Chame sua voz com a respiração.
  12. 12. 8 recomendações para controlar o medo de falar em público 8. A prática irá proporcionar- lhe o reflexo.
  13. 13. Que tipo de orador deseja ser? Se limitar seus objetivos dentro de um plano inferior, trabalhará apenas para atingir este alvo. Mas se elevar seus objetivos, determinando para si mesmo um aperfeiçoamento elevado, esta será sua conquista.
  14. 14. O orador não nasce feito Ninguém nasce como bom orador. O desejo de aprender e se aperfeiçoar são os elementos necessários para a formação de um bom orador. “A vida é como uma pedra de amolar, tanto pode desgastar-nos como afiar-nos, tudo depende do metal de que somos feitos”.
  15. 15. Como preparar-se para enfrentar o público Todos querem saber como se comporta aquele que terá a missão de lhes transmitir a palavra.
  16. 16. Como preparar-se para enfrentar o público Antes mesmo de você falar, o auditório estará prestando atenção em todas as suas atitudes.
  17. 17. Como preparar-se para enfrentar o público Verificará suas reações quando estiver sentado, aguardando seu momento de falar.
  18. 18. Como preparar-se para enfrentar o público Identificará seu jeito de andar, se é tímido ou seguro. Até mesmo o tipo de roupa que escolheu para a ocasião.
  19. 19. Ao chegar ao púlpito, acomode as folhas com anotações; olhe rapidamente para todas as pessoas que ouvirão ser sermão e demonstre em seu semblante que está preparado para a ocasião. Como preparar-se para enfrentar o público
  20. 20. O coração dispara, as mãos e as pernas tremem. No meio da fala dá “aquele branco” e ele perde o fio da meada. Costuma preparar com antecedência o discurso e ficar ensaiando horas na frente do espelho. Mas na hora “H”, se apavora e esquece tudo. Tímido
  21. 21. Introspectivo, é cheio de cacoetes: cruza os dedos, passa as mãos no cabelo, coça a cabeça, cruza os braços atrás do corpo, mexe na aliança ou no anel, fica brincando com algum objeto – e muitas vezes acaba derrubando. Tique-tique nervoso
  22. 22. Fala bonito, mas não o que interessa. Gosta de falar e se empolga tento que não quer mais parar. É prolixo: perde tempo com palavra difíceis e frases de efeito e se admira com o seu saber. Chato
  23. 23. Fala muito e não diz nada. Não liga uma frase com a outra, usa chavões. Falta raciocínio lógico, com começo, meio e fim. De improviso, não sabe o que quer dizer, solta o que vem na cabeça e dispersa o público. Perdido no espaço
  24. 24. Não é possível entender absolutamente nada do que está falando: mistura sons, troca o “e” pelo “i”, não pronuncia os sons dos fins das palavras. Enrolado
  25. 25. Acha-se um expert em oratória. Já frequentou muitos cursos e gosta de mostrar sua técnica, partindo para o exagero, forçando os “rr”, abrindo a boca e gesticulando demais. Exibido
  26. 26. Tem vocabulário pobre. Usa gírias e palavras e expressões “parasitárias”: né, tá, falô, disse, hummm, éééé’, disse, você entende, tudo bem... Viciado
  27. 27. Conhece todo o jargão da sua área e está acostumado a frequentar apenas seu ambiente profissional. Quando se depara com um público leigo, vira um fracasso total. Especializado

×