SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 40
Baixar para ler offline
D1 Oils
                                                                                                                                                                                     plc




                            PLANO DE TRABALHO DO
                            Programa minasBIOenergia:

                              inovação e sustentabilidade
                            na cadeia produtiva do biodiesel

                             a                                he
    hi

                                                     e


                                                         hi
                                                 D
                    B            0,5 mm                            100 m



         v
                        a



                                                                                                   A                                                                            B
                                                                                                                                                                                               1
A            2 mm                                                          Figura 3. Pinhão-manso: (A) Crescimento in vitro de mudas a partir de sementes e (B) Explantes de parte
                    C                     10 m   E             2 mm
                                                                                    aérea obtidos de plantas micropropagadas.
D1 Oils
                                                   plc



PROGRAMA DE PESQUISA AGRONÔMICA:

 Adensamento tecnológico do Pinhão-manso como fonte
 de proteína à ração animal: viabilizando a cadeia
 produtiva do biodiesel a partir de oleaginosas perenes
 não comestíveis no desenvolvimento sustentável

Apoio:



BIOERG]Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia e
 Ensino Superior
reunião de agentes
                                                                           D1 Oils
                                                                           plc

BIOVALE ENERGIA – empresa mineira de pesquisa, produção, comercialização e
consultoria na cadeia produtiva do biodiesel

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA – BIOAGRO/FUNARBE

UNIVERSIDADE DE MONTES CLAROS - UNIMONTES

EPAMIG – EMPRESA DE PESQUISA DE AGROPECUÁRIA DE MG

CONAB – COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO

BIOERG-Escritório de Bioenergia de Minas Gerais]Secretaria de Estado de Ciência
e Tecnologia e Ensino Superior

EMBRAPA

EMATER      “ Por que é que todos não se reúnem, para sofrer e
            vencer juntos, de uma vez?”(Guimarães Rosa)
D1 Oils
                                                                                        plc


O QUE TEMOS HOJE NO GRUPO:

 D1 Oils Plant Science, UK: a cultivar nr. 3014 em seu centro de melhoramento em Cabo
 Verde; desenvolveu um processo em escala de laboratório para remoção dos componentes
 anti-nutricionais da torta de pinhão-manso dessa semente; identificou uma gama robusta de
 técnicas analíticas para quantificar os fatores anti-nutricionais encontrados nos produtos do
 pinhão-manso. (Processo:1)

  BioVale Energia, em parceria com a Universidade Federal de Viçosa e subvenção da FAPEMIG,
 Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior, está desenvolvendo projeto
 de destoxificação da torta do pinhão-manso, por meio da identificação de micro-organismos
 e um processo para remover seus compostos anti-nutricionais ( Processo 2)


 EPAMIG, EMBRAPA, UNIMONTES: diversas pesquisas do pinhão-manso em curso

 EMATER: extensão e treinamento de campo

 CONAB: PAA – Programa de Aquisição Antecipada
inovação tecnológica para a produtividade

                                                                         D1 Oils
                                                                         plc


                                                  A produção de
                                                  biocombustível tem se
                                                  tornado substancialmente
                                                  mais eficiente nos
                                                  últimos 25 anos com a
                                                  evolução crescente das
                                                  indústrias Americanas e
                                                  Brasileiras

                                                    Os ganhos incrementais
                                                   possivelmente vão
                                                   continuar pelos próximos
                                                   anos.



Entretanto, o maior potencial para os biocombustíveis está no
desenvolvimento de novas tecnologias que vão expandir significativamente a
gama de insumos de biomassa, aumentar as eficiências de conversão e
baratear os custos de produção.

ESSE É O FOCO DA BIOVALE]D1 OILS: P&DI PARA A PRODUTIVIDADE
                                                                                   5
reunião de competências
                                                                                     D1 Oils
                                                                                     plc



O principal objetivo do Programa é                             ESTRATÉGIA
congregar capacitações e interesses de
vários agentes envolvidos na cadeia
                                                 INOVAÇÃO                   PRODUTIVIDADE
produtiva do bio-diesel aportando
recursos e difundido conhecimento e
tecnologia.

Os benefícios da rede são de grande                           AGLOMERAÇÃO
                                                                                   COMPOSIÇÃO
                                           DESEMPENHO          PRODUTIVA
importância em função da                                        (CLUSTER)
                                                                                   ECONÔMICA
complementariedade de capacitações
entre os diversos agentes, conferindo
eficiência e celeridade em sua execução.
                                                AMBIENTE DE
                                                                            ESPECIALIZAÇÃO
 Parcerias com Centros de Conhecimento           NEGÓCIOS
e organizações internacionais podem
dinamizar, diminuir a curva de                                COLABORAÇÃO
aprendizagem, aportando competitividade
e acelerando o programa de bio-diesel de
Minas e do Brasil.
Programa - Minas Gerais
                                                                                  D1 Oils
                                                                                  plc

1: Ensaios de Pesquisa Agronômica (Desenvolvimento de Produto)
        Mapas de aptidão agrícola: Definição de locais para plantio de Jatropha
        Ensaios de campo: Definição de tecnologia de plantio
        Ensaios para Zoneamento: Definição de o que plantar
        Micorrização arbuscular

2: Avaliação Técnica e Comercial de Jatropha como ração animal

3: Desenvolvimento de Fábrica de processamento de óleo e ração animal

4: Pesquisas laboratoriais de Alta Tecnologia
       Análises de óleo
       Análises químicas da ração
       Emprego de fungos para incrementar o valor da ração (alimento/econômico)
       Identificação de micro-organismos para incrementar o valor econômico dos
      grãos
       micorrização arbuscular
                                                                                            7
D1 Oils
                                    plc




1: Ensaios de Pesquisa Agronômica




                                              8
Pesquisa Agronômica - Aptidão
                                                      D1 Oils
                                                      plc

Metas: Avaliar melhores locais para instalação de
Jatropha em Minas Gerais e áreas de menor aptidão
sob a perspectiva teórica.

Duração do ensaio: 6 meses, foco: norte de MG

Atividades de pesquisa:
       Definição de condições climáticas em Minas
       Emprego de dados de solos locais
       Emprego de conhecimento global sobre o
      pinhão-manso

Parceiros locais chaves:
        Embrapa/ Epamig
Resultados e acompanhamento:
       Mapas necessitarão de validação futura,
      utilizando dados coletados nas fazendas de
      observação
                                                                9
Pesquisa Agronômica - Aptidão
                                                                                 D1 Oils
                                                                                 plc
Meta Paralela: Avaliar melhores locais para plantio em Minas Gerais e áreas de
menor aptidão sob a perspectiva teórica. Mapa inicial para o Norte de Minas

Duração: ??

Dados históricos de vários pontos:
      Dados climáticas em MG
      Temperaturas, Max e Min/ mês
      Dados de precipitação/ mês
      Dados: outros

Parceiros locais chaves:
         Embrapa/ Epamig
Baseado em conhecimento existente, definir calendário agrícola, sob perspectiva
teórica, para a cultura de jatropha em Minas Gerais. Promover workshop sobre o
tema com especialistas da Embrapa, Epamig e outros parceiros.

D1 prover informações necessárias com base em suas experiências globais                    10
Pesquisa Agronômica – Ensaios de Campo
                                                                             D1 Oils
                                                                             plc
Metas: Avaliar práticas agronômicas em uma única propriedade centralizada, em
ensaio com aproximadamente 5-6 hectares, com um material genético caracterizado.

Duração do ensaio: 5 anos

Atividades de pesquisa:
     Manejo de cobertura
     Utilização de água
     Outros fatores de crescimento
     Ensaios Multi-fatoriais de fertilizantes
     Avaliações utilizando protocolos da D1

Parceiros locais chaves:
    Embrapa/Epamig/UFV/ Emater/UNIMONTES

Resultados e acompanhamento:
    Definição das melhores práticas agronômicas para o estado de MG
    Definição de calendário agrícola para a cultura de pinhão-manso em Minas Gerais    11
Pesquisa Agronômica – Zoneamento Agrícola

                                                                                                     D1 Oils
  Metas: Avaliar diferentes acessos de Jatropha curcas, usando materiais da rede                     plc

de centros de desenvolvimento da BioVale]D1 Oils e materiais de fontes locais, em áreas
  de 2ha em diversos centros de pesquisas. Banco de Germoplasma
                                                                                               200



  Duração : 5 anos                                                                             180

                                                                                               160


  Atividades de pesquisa:




                                                              Average yield in gram per tree
                                                                                               140

                                                                                               120             08-0010

          Ensaios controlados de crescimento                                                   100
                                                                                                               08-0011
                                                                                                               07-0014
                                                                                                80             07-0009

          Definição das áreas de plantio                                                        60
                                                                                                               08-0013
                                                                                                               08-0015


          Avaliações utilizando protocolos da D1 e associados
                                                                                                40

                                                                                                20



  Parceiros locais chaves:                                                                      0




          Embrapa
          Epamig
          UNIMONTES
          Agricultores familiares
  Resultados e acompanhamento:
         Definição dos melhores materiais plantados, em diferentes locais e melhores
        modelos de plantio
          Identificação de materiais promissores para uso em outros lugares
          Feedback para os mapas de avaliação de aptidão agrícola                                                12
Pesquisa Agronômica – micorrização arbuscular

                                                                      D1 Oils
                                                                      plc


    METAS

Instalar bancos de germoplasma de pinhão-manso nos municípos de
Janaúba e Acauã]Leme do Prado, Minas Gerais.

Instalar um laboratório para micropropagação de plantas de pinhão-manso
na extensão do campus da Unimontes, em Janaúba;

Caracterizar os acessos por meio de descritores morfo-agronômicos e
marcadores moleculares

Selecionar genótipos de pinhão-manso com alto teor de óleo, visando a
produção de biodiesel.

Avaliação da biodiversidade microbiana em solos com cultivo de pinhão-
manso para avaliar a sua sustentabilidade;

Produção de mudas de pinhão-manso micorrizadas;
                                                                                13
vantagens do pinhão-manso
                                                                     D1 Oils
                                                                     plc



O cultivo de pinhão-manso reúne diversas vantagens comparativas para a
 produção de biodiesel:

Trata-se de planta perene, rústica, de fácil manejo, com alto teor de óleo
(38%) de qualidade para biodiesel nas sementes.

Adequada ao consórcio com cultivos alimentares (feijão, por exemplo) ou
outro cultivo agro-energético (amendoim, por exemplo) por ser arbustiva e
plantada em espaçamentos largos.

Tais vantagens credenciam o pinhão-manso como espécie apropriada para
cultivo em pequenas propriedades com mão-de-obra familiar, gerando
renda e fixando o homem no campo.

Portanto, antes que o plantio empírico, com o uso de sementes de origem
desconhecida, ganhe escala, é fundamental que a pesquisa se inicie com
ações de pré-melhoramento genético visando ofertar sementes de
genótipos superiores em produção de óleo por área.
                                                                               14
vantagens do pinhão-manso micorrizado

                                                                           D1 Oils
                                                                           plc


o Desenvolvimento mais rápido e uniforme das lavouras;

o Possibilidade de controle de eventuais ataques inesperados de pragas e
  doenças;

o Facilitará futuras pesquisas e atividades técnicas, cuja finalidade sejam
  aprimorar ainda mais a atividade.

o Solo doente e fraco torna-se fértil e saudável

o 95% taxa de sucesso de germinação da sementes versus 50% com sementes não
  micorrizadas

o Frutificação e florescimento precoce—a partir do sétimo mês contra um ano
  com a plantação clonada

o Produtividade mais elevada (20%–30%) com inoculação micorrízica em relação
  a plantação não inoculada, amplamente testada em diferentes terras
  degradadas
                                                                                     15
UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA
                                                       DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA
                                                       BIOAGRO

                                                                                                                                                                                                                 D1 Oils
                                                                                                                                                                                                                 plc




 A produção de mudas micropropagadas micorrizadas de pinhão-manso representa uma alternativa viável para produção de mudas de
qualidade, aumentando o potencial biotecnológico no processo produtivo.
Embora cientificamente comprovado o papel da associação micorrizica no incremento nutricional e necessidade de água das plantas em
laboratório, o principal gargalo para sua aplicação ampla consiste na sua produção massiva para atender a vasta necessidade.




                                       A




                                                                                                                                                A                                                                            B

                                                                                                C                       Figura 3. Pinhão-manso: (A) Crescimento in vitro de mudas a partir de sementes e (B) Explantes de parte
                                       B
                                                                                                                                 aérea obtidos de plantas micropropagadas.
Figura 1. (A) Viveiro; (B) Área com cultivo de Pinhão-manso; (C) planta com 1 ano


           hi                                      a                                             he



                                                                              e

                                                                                       hi

                                   B                      0,5 mm          D                           100 m


                v
                                           a


                                                                                                                                                                       NI                               I


 A                     2 mm
                                   C                               10 m   E                         2 mm



                                                                                                                                                    Figura 4. Desenvolvimento de plantas de pinhão-manso (Jatropha curcas L.)
 Figura 2. Micorriza e esporos de Fungos Micorrízicos Arbusculares (FMAs) em pinhão-manso. A: vesículas (v) e hifas intra-
                                                                                                                                                               inoculadas (I) e não inoculadas (NI) com Glomus clarum (fungo
         radiculares (hi); B e C: arbúsculos(a); D e E: esporos de FMAs.
                                                                                                                                                               micorrízico arbuscular) em casa de vegetação.
Metas, atividades, indicadores
                                                                                                                         D1 Oils
    Metas Físicas         Responsável                      Atividades                       Indicador Físico de       Duração
                                                                                                                        plc
                                                                                                 Execução             Prevista
                                                                                                                    Iníci   Tér
                                                                                                                      o     mino
Banco de                                    Coleta de material                           Banco de germoplasma       01       36
germoplasma                                 Identificação de material                    montado e em
                                            Importação de materiais                      funcionamento

Micropropagação de       Elisonete G.       Testar diferentes métodos de                 Propagação do material     01       18
pinhão manso             Lana             micropropagação                                em cultura de tecidos
                                            Selecionar meios de cultura que              definido
                                          favoreçam o desenvolvimento do pinhão
                                          manso in vitro
Coleta e identificação   Maria Catarina     Coleta de amostras de solo nos plantios de   Coletado material de       01       18
de FMA                   Megumi           pinhão manso de diferentes regiões             diferentes regiões e
                         Kasuya             Extração de esporos de FMA                   identificados os FMA de
                                            Multiplicação em casa de vegetação           maior ocorrência
                                            Identificação do FMA
                                            Multiplicação in vitro de FMA
Avaliação da             Maria Catarina    Coleta de FMA em plantios de pinhão           Ter avaliado a             01       18
colonização por FMA      Megumi           manso                                          percentagem de
                         Kasuya            Avaliação da percentagem de colonização       colonização por FMA em
                                                                                         plantios de diferentes
                                                                                         regiões
Multiplicação de FMA     Maria Catarina     Multiplicação de FMA de maior ocorrência     Ter conseguido             06       30
in vitro                 Megumi           in vitro                                       multiplicar pelo menos 6
                         Kasuya             Definir meios de cultura adequados para      espécies de FMA in vitro
                                          multiplicação de FMA
Miropropagacao de        Elisonete Lana     Inoculação de pinhão manso desenvolvido      Processos de inoculação    12       36
pinhão manso             Maria Catarina   na cultura com o FMA crescido in vitro         definido para os
micorrizado              Megumi                                                          diferentes fungos ou
                         Kasuya                                                          pelo consorcio de fungos
                                                                                                                                   17
metas, atividades, indicadores

                                                                                                                  D1 Oils
                                                                                                                  plc

     Metas Físicas         Responsável               Atividades                Indicador Físico de       Duração Prevista
                                                                                    Execução
                                                                                                         Início    Término
Seleção de FMA com        Maria Catarina     Avaliação da percentagem      Ter selecionado os pelo        12         30
potencial para            Megumi           de sobrevivência das plantas    menos 3 isolados de FMA
utilização em escala      Kasuya             Avaliação do crescimento      que beneficiam a
comercial                                  das plantas                     sobrevivência e
                                                                           desenvolvimento das
                                                                           plantas
Transferência das         Maurício Dutra     Avaliação da percentagem      Avaliado a percentagem de      12         30
plantas para o campo      Costa            de sobrevivência das plantas    sobrevivência e
                                             Avaliação do crescimento      produtividade de pinhão
                                           das plantas                     manso
Avaliação da              Elza               Coleta de amostras de solo    Diversidade microbiana          1         30
diversidade               Fernandes de     no campo                        avaliada
microbiana e da           Araújo             Avaliação pelo método de
permanência do FMA        Denise Bazzoli   DGGE
inoculado no campo                           Avaliação pelo métodoFAME
Distribuição de mudas                        Realização de dia-de-campo    Ter agricultores familiares    30         36
de qualidade para os                         Realização de treinamentos    utilizando mudas
agricultores familiares                    específicos                     micropropagadas
                                                                           micorrizadas
Patenteamento do          Elza             Relação e negociações com       Comercialização e plantio       1         36
resultados obtidos e      Fernandes de     instituições e empresas         de mudas micorrizadas em
comercialização:          Araújo           especializadas;                 escala comercial;
                                             Monitoramento e               Depósito da patente
                                           coordenação das atividades de
                                           pesquisa;
                                                                                                                             18
resultados esperados
                                                                            D1 Oils
                                                                            plc

Minas Gerais possuindo Bancos de germoplasma de pinhão-manso

Bioprospecção: Isolar, caracterizar e avaliar a diversidade de microrganismos em
plantios de pinhão-manso

Obtenção de Proteção de Cultivares nos termos da Lei 9.456/1977 e patente de
”criação” de cultivar derivada de desenvolvimento tecnológico, nos termos da Lei da
Inovação (no. 10.973/2004)

Produção e comercialização em escala de mudas micorrizadas por micropropagacao de
tecido para a) fins ambientais como recuperação de áreas degradas e afluentes de
destilaria e b) produção de óleo vegetal para produção de biodiesel.

Desenvolvimento de tecnologias para destoxificação eficiente da torta de pinhão-
manso como substrato para produção de cogumelo e ração animal

Avaliação do impacto potencial do pinhão-manso na produção agropecuária e na
cadeia produtiva do biodiesel

Obtenção de patentes dos processos desenvolvidos

                                                                                      19
D1 Oils
                                               plc




2: Avaliação Técnica e Comercial de Jatropha
            como ração animal




                                                         20
Programa de pesquisa

                                                                                          D1 Oils
                                                                                          plc



A BioVale ]DOPSL estão desenvolvendo propriedade intelectual com vistas a eliminar os
compostos anti-nutricionais do pinhão-manso e permitir a produção tanto de óleo de alta
qualidade como alimentação para ração animal. Os objetivos são:

Desenvolver, comercialmente, variedades factíveis de controlar ou eliminar a produção de
toxinas

Eliminar a toxicidade da torta por meio de inoculação de fungos e produção de cogumelos

Desenvolver pesquisa para conseguir uma nova tecnologia para processar pinhão-manso. Esse
processo vai incorporar um procedimento único de extração tanto do óleo como dos ésteres
forbois (toxicinas) que permitirá a separação do óleo (biocombustivel) e das toxicinas .

A D1 Oils tem identificado acessos de pinhão-manso que não produzem o forbol Ester, embora
as curcinas (outra toxicina) sejam atualmente produzidas. A D1 Oils identificou uma gama
robusta de técnicas analíticas para quantificar os fatores anti-nutricionais encontrados no
resíduo do pinhão-manso. Em escala de laboratório, a extração tanto do óleo como dos
compostos tóxicos da torta do pinhão-manso num mesmo processo tem demonstrado ser viável

                                                                                                    21
ração animal da torta
                                                                        D1 Oils
                                                                        plc




Processo 1: Utilização de torta do pinhão-manso para
produção de compostos, cogumelos e ração animal.

OBJETIVO

   Estudar os processos de tratamento biológico da torta de pinhão
manso e avaliar o potencial da utilização de fungos na destoxificação
de resíduos de torta de pinhão manso para posterior utilização como
ração animal ou produção de cogumelos comestíveis.

   Construir no Norte de Minas Gerais uma indústria piloto em escala
comercial com capacidade de processamento de dez (10) toneladas por
dia, capaz de demonstrar a viabilidade econômica de processar os
produtos de pinhão-manso em alimentação animal de alta qualidade
nutritiva e cogumelos comestíveis para comercialização.

                                                                                  22
ração animal da torta
                                                                                           D1 Oils
                                                                                           plc


MATERIAL E MÉTODOS

Seleção de estirpes de cogumelos - Isolados de fungos de podridão branca, pertencentes à
coleção de fungos do Departamento de Microbiologia-UFV serão avaliados quanto à capacidade
de crescer em resíduos de pinhão manso, seja em sua composição pura ou em mistura com
alguns suplementos, a ser estudado, conforme a sua composição química. Os resíduos serão
analisados química, fisica e microbiologicamente, inclusive testado quanto à eliminação da
toxicidade.

Produção de cogumelos - Para a produção a incubação será feita em câmara de crescimento
com controle de umidade e temperatura . Após o crescimento do micélio por todo o substrato e
o início da formação dos primórdios, a frutificação será induzida pela imersão das toras em água
fria ou com choque frio. Após 24 horas os blocos de substratos serão retirados dos sacos plásticos
para a formação dos cogumelos. A colheita dos cogumelos normalmente ocorre entre 8 a 10 dias,
e o material será novamente incubado por mais 30 dias para posterior choque térmico e
frutificação dos cogumelos. Esse procedimento se repetirá até o aproveitamento máximo do
resíduo.

Serão avaliados: a) tempo necessário para o crescimento do micélio por todo o substrato; b)
número e peso dos cogumelos fresco e seco produzidos; c) eficiência biológica; d)
susceptibilidade a pragas, como insetos e fungos contaminantes; e) presença de toxinas no
cogumelo.
                                                                                                     23
Metas, atividades e indicadores
                                                                                                                                     D1 Oils
                                                                                                                                     plc
     Metas Físicas          Responsável                    Atividades                    Indicador Físico de Execução       Duração Prevista
                                                                                                                           Início     Término
Avaliação da              Profª Maria         Avaliação do nível de toxicidade de         Conhecer o nível de                1           30
toxicidade e              Catarina Megumi   torta de pinhão-manso de diferentes         toxicidade de torta originada de
destoxificação de         Kasuya            origens                                     diferentes acessos
torta de pinhão-manso                         Seleção de microrganismos que               Coleção de microrganismos
                                            apresentam potencial para destoxificação    com potencial de destoxificação
                                            dessa torta
Utilização de torta de    Profª Maria         Selecionar fungos formadores de             Coleção de fungos formadores       1           30
pinhão-manso como         Catarina Megumi   cogumelos com capacidade de crescer e       de cogumelos
substrato para            Kasuya            formar cogumelo utilizando torta como         Seleção de espécies que não
produção de                                 substrato base                              absorvem a toxina
cogumelos comestíveis                         Avaliar se os cogumelos estão isentos       Técnica de produção de
e,ou medicinais                             dessas toxinas e também a sua qualidade     cogumelos em torta
                                                                                        estabelecida

Utilização de torta de    Prof. Hilário       Selecionar microrganismos que além de       Coleção de microrganismos          1           30
pinhão-manso como         Cuquetto          destoxificar a torta, aumenta a qualidade   que destoxificam e aumentam
ração animal              Mantovani e       nutricional da torta                        a qualidade nutricional da torta
                                              Fazer testes in nitro e in vivo em          Técnica de produção de ração
                          Prof. Marcelo     ruminantes para avaliar essa qualidade      estabelecida
                          Teixeira
                          Rodrigues
Utilização de glicerina   Prof. Hilário       Selecionar microrganismos que               Coleção de microrganismos          1           30
como substrato para       Cuquetto          produzam compostos de interesse             que produzem com postos de
produção de produtos      Mantovani         agropecuários e industriais                 interesse a partir da glicerina
de interesse agro-                            Desenvolver técnicas para produção           Técnica e processos de
industriais                                 biológica desses compostos                  produção biológica desses
                                                                                        compostos estabelecidos


Patenteamento do          Elza Fernandes      Relação e negociações com instituições      Comercialização e plantio de       1           36
resultados obtidos e      de Araújo         e empresas especializadas;                  mudas micorrizadas em escala
comercialização:                              Patenteamento dos processos               comercial;
                                            desenvolvidos                                 Depósito da patentes
                                                                                                                                                24
Administração do programa de pesquisa e desenvolvimento

                                                                                                D1 Oils
                                                                                                plc




Importaç-
ão de                                         Importaç-      Importaç-
acessos                                       ao. de torta   ao. de torta
                                              3014           3014
                                              processada     processada


Acessos
brasileiros   PP1:Acessos      PP3: testes    PP4: testes    PP5: teste de
              3014 e           de             em vitro de    palatabilidade
                                                             e
              acessos          comparação     ruminantes
                                                             digestibilidade
              brasileiros      de processos                  em pequena
                                                             escala


Plantio de     PP2:multiplic                                                   PP6:          PP7: testes
semente        -ação em                                                        implantação   de ração
3014           fazenda                                                         de planta     animal em
importada      modelo de                                                       piloto        larga escala
               acesso 3014
os sub-projetos
                                                                                       D1 Oils
                                                                                       plc




A BioVale]D1 Oils estão desenvolvendo projetos de pesquisa (PP) com vistas a testar suas
descobertas em mercados locais chaves e desdobrar no desenvolvimento de aplicações
comerciais de sua pesquisa e melhorar a viabilidade econômica do pinhão-manso no Brasil.

Assim sendo, propõe os seguintes projetos de pesquisas individuais para serem desenvolvidos
em conjunto com organizações locais.

PP:1 Avaliação de uma série de diferentes acessos cultivados sob condições e práticas
rigorosamente controladas
PP:2 Produção de material controlado para testes em escala de alimentação animal em
fazenda experimental de pinhão-manso.
PP:3Teste de diferentes acessos cultivados localmente sob condições rigorosamente
controladas usando diferentes métodos de destoxificação
PP:4Testes in vitro para ruminantes
PP:5 Testes em pequena escala de palatibilidade e digestibilidade para ruminantes e aves
PP:6 Implantação de um indústria piloto de processamento comercialmente viável para
processar grãos produzidos em condições controladas.
PP:7 Testes de ração animal em larga escala usando o produto da indústria piloto de
processamento


                                                                                                 26
sub-projeto de pesquisa 1
                                                                                         D1 Oils
                                                                                         plc




PP:1 Avaliação de uma série de diferentes acessos cultivados sob condições e práticas
rigorosamente controladas

Principais atividades necessárias para concluir essa área de pesquisa :

• Iniciação de Análise de Risco de Peste para importação de semente de Cabo Verde
• Definição das exigências regulatórias para introdução da torta do pinhão-manso como uma nova
ração animal
• Avaliação do mercado brasileiro para introdução de uma nova fonte de proteína para a indústria
de ração animal (por região)
• Importação da semente 3014 +2 PE baixo de 1-2 kg de cada fonte de semente
• Seleção de 2 fontes de semente brasileiras interessantes
• Outras fontes de semente importadas para Avaliações de Fileiras Solteiras (AFS)
• Definição de experimento
• Seleção dos locais para 5 plantios isolados e AFS
• Preparação dos locais e plantio, incluindo áreas isoladas e AFS
• Manutenção e colheita dos experimentos
• Avaliação do experimento e relatórios



                                                                                                   27
sub-projeto de pesquisa 2
                                                                                            D1 Oils
                                                                                            plc


PP:2 Produção de material controlado para testes em escala de alimentação animal
em fazenda experimental de pinhão-manso

Principais atividades principais necessárias para concluir essa áreas de pesquisa :

• Importação de 500 kg de semente 3014 em 2009 de Cabo Verde
• Seleção de áreas para multiplicação em larga escala e implantação de fazendas modelos
• Definição de experimento
• Preparação da área
• Implantação de experimento de plantio e agronomia
• Treinamento e extensão agrícola
• Manutenção e colheita dos experimentos
• Avaliações dos experimentos, análise e relatórios

Resultados esperados:

• Pelo menos 115 ts de bagas 3014 a ser produzidas no primeiro trimester de 2011
Definição das melhores práticas agrícolas para os agricultores familiars, assim como para
plantios extensivos


                                                                                                      28
sub- projeto de pesquisa 3
                                                                                           D1 Oils
                                                                                           plc



PP:3Teste de diferentes acessos cultivados localmente sob condições rigorosamente
controladas usando diferentes métodos de destoxificação

Principais atividades necessárias para concluir essa área de pesquisa :

Recepção de 50kg de cada acesso
Exportação de 5 acessos para a Inglaterra para processamento experimental
Processo de destoxificação por inoculação de fungo da BioVale]UFV de cada acesso no Brasil
Testes de destoxificação de cada acesso usando extração com solvente padrão
Processo de dextoxificação da D1 Oils de cada acesso
Análise química dos diferentes produtos em termos de fatores nutricionais e anti-nutricionais
Avaliação e publicação de resultados

Resultados esperados:

Panorama da viabilidade de destoxificar diferentes acessos de pinhão-manso usando tanto o
processo da DOPSL assim como o processo da BioVale Energia
Análise dos compostos nutricionais e anti-nutricionais de ambos os processos, que ajudará a
determinar o valor econômico de cada uma das abordagens de processo

                                                                                                     29
sub-projeto de pesquisa 4
                                                                                         D1 Oils
                                                                                         plc


PP:4Testes in vitro para ruminantes


Principais atividades principais para concluir essa área de pesquisa :

• Definição dos experimentos de alimentação dos ruminantes para aceitação como nova fonte de
proteína
• Produção de farelo de proteína 3014 e exportação para o Brasil
• Iniciação de experimento de alimentação de ruminantes In vitro
• Avaliação e publicação de resultados
• Fornecimento de material dos experimentos do PP3
• Avaliação e publicação dos resultados

Resultados esperados:

• Definição clara das exigências regulatórias para introdução de uma nova fonte de proteína para
a indústria de ração animal
• Viabilidade de usar o produto tratado de pinhão-manso como ração de ruminantes



                                                                                                   30
sub- projeto de pesquisa 5
                                                                                           D1 Oils
                                                                                           plc



PP:5 Testes em pequena escala de palatibilidade e digestibilidade para ruminantes e aves

Principais atividades necessárias para concluir essa área de pesquisa :

• Definição dos experimentos de alimentação dos ruminantes para palatabilidade e digestibilidade
• Definição dos experimentos de alimentação das aves para palatabilidade e digestibilidade
• Produção de torta 3014 usando a tecnologia da DOPSL
• Importação de torta proteíca 3014 para o Brasil
• Teste da torta 3014 no ensaio de palatabilidade dos ruminantes
• Teste da torta 3014 no ensaio de palatabilidade das aves
• Teste da torta 3014 no ensaio de digestibilidade dos ruminantes
• Teste da torta 3014 no ensaio de digestibilidade das aves
• Avaliação e publicação de resultados

Resultados esperados:

• Definição clara das exigências regulatórias para introdução de uma nova fonte de proteína para
a indústria de ração animal
• Viabilidade de usar o produto tratado de pinhão-manso como ração de ruminantes e de aves


                                                                                                     31
sub-projeto de pesquisa 6
                                                                                      D1 Oils
                                                                                      plc
PP:6 Implantação de um indústria piloto de processamento comercialmente viável para
processar grãos produzidos em condições controladas

Principais atividades necessárias para concluir essa etapa:

• Definição do projeto e seleção do local de implantação
• Acordo de transferência de tecnologia com a DOPSL
• Pacote de projetos da planta industrial
• Base do Projeto, pacote de engenharia
• Estudo de viabilidade de construção da planta no local selecionado
• Construção da planta e integração das facilidades existentes
• Testes de funcionamento
• Análise da torta da corrida de teste e avaliar qualidade
• Operação de teste e produção de pelo menos 20 ts de torta 3014

Resultados esperados

• Implantação de uma planta comercial em Minas demonstrando a sua viabilidade econômica
• Produção de 25-30 ts de torta 3014 destoxificada para ser usada no PP7

Inovação:Pela primeira vez uma planta comercial de dextoxificação de pinhão-manso estará
sendo construída no mundo
                                                                                                32
sub-projeto de pesquisa 7
                                                                                          D1 Oils
                                                                                          plc


PP:7 Testes de ração animal em larga escala usando o produto da indústria piloto de
processamento


Principais atividades necessárias para concluir essa área de pesquisa:

• Instalação e definição dos quesitos legais de experimentos de crescimento de ruminantes e aves
• Produção de torta de proteína 3014 a partir do projeto PP6
• Garantia de qualidade da torta 3014 para ser usada em testes de alimentação
• Experimentos de crescimento de ruminantes e aves com a torta 3014
• Avaliação de dados e relatórios
• Avaliação e publicação de resultados

Resultados esperados:

• Registro do produto tratado do pinhão-manso como ração animal

Inovação:

• Pela primeira vez experimentos de ração animal com torta de pinhão-manso em larga escala
estarão sendo realizados mundialmente.
                                                                                                    33
Alimentação Animal – Definição de Ensaios

                                                                              D1 Oils
                                                                              plc

Metas: Definir programa de ensaios para introdução de torta de Jatropha curcas como
nova fonte protéica para a industria de ração animal.

Duração do ensaio: 1-2 meses
Atividades de Pesquisa:
        Identificação de produtores parceiros
        Importação de material genético caracterizado (350kg ?)
        Requisitos Internacionais de mercado
Parceiros locais chaves:
        Embrapa, CNPGL
        Epamig
        Fazendeiros comerciais locais
        Unimontes, UFV/ Biovale
Resultados e acompanhamento:
       Definição do volume de grãos de Jatropha curcas necessário para ensaios de
      alimentação animal
        A definição do programa será utilizado para introduzir o Jatropha curcas como
      uma nova fonte protéica na indústria de ração animal                              34
Alimentação Animal – Definição de Ensaios
                                                                             D1 Oils
                                                                             plc

Demandas:

    Identificação de produtores parceiros: agricultores familiares e fazendeiros

    Importação de grãos no primeiro momento

    Importação de sementes da testemunha para produzir torta no Brasil. Qual
   volume ?

    Custeio da logística e testes

    Identificar responsável pelas importações

    Identificar pessoa ou equipe responsável pela definição dos ensaios



                                                                                       35
Alimentação Animal – Produção de Grãos

                                                                             D1 Oils
                                                                             plc
Metas: Produção de Grãos de material caracterizado (testemunha) para uso posterior
em ensaios de alimentação animal. Os grãos serão produzidos em diferentes locais.
Duração do ensaio: 2 anos
Atividades de Pesquisa:
        fazendas comerciais de observação 20 x 5ha
        pequenas propriedades de agricultores familiar (entorno do Irapé)
        100ha em condições controladas - Janaúba (irrigação)
Parceiros locais chaves:
        Embrapa
        Epamig
        Biovale]D1 Oils
Resultados e acompanhamento:
        Comparação de material testemunha em diferentes locações geográficas
        Material suficiente para ensaios de alimentação animal (Produtividade,
      Palatabilidade e Digestibilidade)
        Emprego de fazendas comerciais referênciais como modelos e base para
      expansões futuras
         Feedback para mapas de zoneamento agrícola
                                                                                       36
Alimentação Animal – Ensaios de Alimentação Animal
                                                                            D1 Oils
                                                                            plc


Metas: Desenvolvimento de ensaios para alimentação animal em larga escala

Duração do ensaio: 1 ano

Atividades de Pesquisa:
        Ensaios de ruminantes e aves
        Palatabilidade
        Digestibilidade
        Produtividade

Principais parceiros locais :
        Embrapa
        Epamig
       UFV/ Biovale
Resultados e acompanhamento:
        Determinação do valor econômico de Jatropha curcas como ração animal
                                                                                      37
D1 Oils
                                                    plc




3: Desenvolvimento de Fábrica de processamento de
               óleo e ração animal




                                                              38
Fábrica – Ensaios de alimentação Animal
                                                                             D1 Oils
Metas: Desenvolvimento de Planta piloto                                      plc



Período: 1-2 anos

Desenvolvimento de Atividades:
        Definição e adequação da tecnologia
        Financiamento, Licenças e autorizações
        Produção da Tecnologia
        Construção da Fábrica
        Operação da Fábrica
Parceiros Locais, chaves:
        CETEC, Biovale
        Plantações comerciais de Jatropha curcas
        Petrobras
        Investidores
        Produtores e/ou Fornecedores de Technologias, Instituições de financiamento
Resultados e acompanhamento:
        Desenvolvimento das operações da planta piloto para produção de óleo e
      proteína, para emprego em ensaios de alimentação animal em larga escala.         39
justificativa institucional

                                                                                                       D1 Oils
                          DAR SUSTENTAÇÃO E CRIAR CONDIÇÕES DE VIABILIZAÇÃO DO                         plc
                          PROGRAMA DE BIODIESEL DO ESTADO DE MINAS GERAIS

 A Lei nr 15.976/2006 institui a Política Estadual de Apoio à Produção e à utilização do biodiesel e óleos
vegetais

  A Política Estadual do Biodiesel tem os seguintes objetivos (ART.2º.):
Apoiar a produção e a utilização do biodiesel e de óleos vegetais como fonte de energia renovável;
Integrar o Estado no esforço de introdução do biodiesel e de óleos vegetais na matriz energética nacional
Garantir os benefícios sociais, ambientais e econômicos decorrentes da utilização do biodiesel;
Buscar o aumento da produtividade e da melhoria da qualidade das oleaginosas produzidas no Estado.

  Para implementar a política da Lei, as seguintes diretrizes serão observadas: (art.3º.):
Articulação com os setores produtivo e agroindustrial relacionados à produção de óleos vegetais,
especialmente aqueles que utilizam matéria-prima oriunda do Estado;
Integração das ações públicas e privadas para o setor
Estímulo à agricultura familiar

  Na implantação da política , o Poder Executivo assume as seguintes competências (art.4º.):
Realizar um zoneamento agronômico, social e ambiental, para orientar o desenvolvimento do cultivo de
oleaginosas e a produção do biodiesel nas diversas regiões do Estado,
Destinar recursos para o financiamento de projetos de pesquisa e desenvolvimento voltados para a
produção de oleaginosas, extração de óleos vegetais e processamento do biodiesel;

  As metas que orientam o desenvolvimento do Programa Mineiro de Biodiesel até 2007/2008 são:
Plantio aproximado de 250.000 hectares de oleaginosas até 2008 para produção de B2 (Diesel aditivado com
2% de biodiesel), passando a 625.000 para a produção de B5 (5% de biodiesel), em 2013;
Ocupação aproximada de 75.000 h/ano no campo para a produção de óleo B2, passando a 187.500 para a
produção de B5;
Geração de renda direta para 100 mil famílias, correspondendo a 400[ 500 mil postos de trabalho até 2007.        40

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel
Programa Nacional de Produção e Uso do BiodieselPrograma Nacional de Produção e Uso do Biodiesel
Programa Nacional de Produção e Uso do Biodieselcalberto1001
 
Curso Controle De Qualidade Luciana
Curso Controle De Qualidade LucianaCurso Controle De Qualidade Luciana
Curso Controle De Qualidade Lucianabiodieselbr
 
SojaPlus workshop4 - SojaPlus_Abiove
SojaPlus workshop4 - SojaPlus_AbioveSojaPlus workshop4 - SojaPlus_Abiove
SojaPlus workshop4 - SojaPlus_Abioveequipeagroplus
 
Cadeias produtivas para agricultura familiar
Cadeias produtivas para agricultura familiarCadeias produtivas para agricultura familiar
Cadeias produtivas para agricultura familiarWaldo Santos
 
Agricultura familiar no Brasil
Agricultura familiar no BrasilAgricultura familiar no Brasil
Agricultura familiar no BrasilFAO
 
Cadeias produtivas apresentação Angelo Prochmann
Cadeias produtivas   apresentação Angelo ProchmannCadeias produtivas   apresentação Angelo Prochmann
Cadeias produtivas apresentação Angelo ProchmannAngelo Prochmann
 

Destaque (9)

Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel
Programa Nacional de Produção e Uso do BiodieselPrograma Nacional de Produção e Uso do Biodiesel
Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel
 
Curso Controle De Qualidade Luciana
Curso Controle De Qualidade LucianaCurso Controle De Qualidade Luciana
Curso Controle De Qualidade Luciana
 
SojaPlus workshop4 - SojaPlus_Abiove
SojaPlus workshop4 - SojaPlus_AbioveSojaPlus workshop4 - SojaPlus_Abiove
SojaPlus workshop4 - SojaPlus_Abiove
 
El biodiesel
El biodieselEl biodiesel
El biodiesel
 
Cadeias produtivas para agricultura familiar
Cadeias produtivas para agricultura familiarCadeias produtivas para agricultura familiar
Cadeias produtivas para agricultura familiar
 
Cadeia produtiva da soja
Cadeia produtiva da sojaCadeia produtiva da soja
Cadeia produtiva da soja
 
Agricultura familiar no Brasil
Agricultura familiar no BrasilAgricultura familiar no Brasil
Agricultura familiar no Brasil
 
Agricultura Familiar
Agricultura FamiliarAgricultura Familiar
Agricultura Familiar
 
Cadeias produtivas apresentação Angelo Prochmann
Cadeias produtivas   apresentação Angelo ProchmannCadeias produtivas   apresentação Angelo Prochmann
Cadeias produtivas apresentação Angelo Prochmann
 

Semelhante a Programa minasBIOenergia planeja inovação e sustentabilidade na cadeia do biodiesel

Rede de pesquisa jatrophanet
Rede de pesquisa jatrophanetRede de pesquisa jatrophanet
Rede de pesquisa jatrophanetminasinvest
 
Rede De Pesquisa Jatrophanet
Rede De Pesquisa JatrophanetRede De Pesquisa Jatrophanet
Rede De Pesquisa Jatrophanetguestfbbe779f
 
Projeto biosfera da energia social resume pdf
Projeto biosfera da energia social resume pdfProjeto biosfera da energia social resume pdf
Projeto biosfera da energia social resume pdfminasinvest
 
Circle - Market Access & Investments - book
Circle - Market Access & Investments - book Circle - Market Access & Investments - book
Circle - Market Access & Investments - book Edsmar Carvalho Resende
 
Case sérgio valadão usina de biodiesel 1
Case sérgio valadão   usina de biodiesel 1Case sérgio valadão   usina de biodiesel 1
Case sérgio valadão usina de biodiesel 1Sérgio Valadão
 
Projeto biosfera da energia social resume pdf
Projeto biosfera da energia social resume pdfProjeto biosfera da energia social resume pdf
Projeto biosfera da energia social resume pdfRede Jatropha
 
Apresentação apimec – outubro 2009
Apresentação apimec – outubro 2009Apresentação apimec – outubro 2009
Apresentação apimec – outubro 2009BrasilEcodiesel
 
Biovale project overview 1
Biovale  project   overview 1Biovale  project   overview 1
Biovale project overview 1minasinvest
 
Palestra: Atuação da Cemig no Mercado Competitivo. Palestrante: Bernardo Afon...
Palestra: Atuação da Cemig no Mercado Competitivo. Palestrante: Bernardo Afon...Palestra: Atuação da Cemig no Mercado Competitivo. Palestrante: Bernardo Afon...
Palestra: Atuação da Cemig no Mercado Competitivo. Palestrante: Bernardo Afon...Bienal da Energia 2009
 
Plano estratégico para 2020 IBEF
Plano estratégico para 2020 IBEFPlano estratégico para 2020 IBEF
Plano estratégico para 2020 IBEFPetrobras
 
Youblisher.com 1190504-revista terra-cia_197
Youblisher.com 1190504-revista terra-cia_197Youblisher.com 1190504-revista terra-cia_197
Youblisher.com 1190504-revista terra-cia_197Lela Gomes
 
Bonsucro Global Week 2022 - Danielle Machado Conde (ANP)
Bonsucro Global Week 2022 - Danielle Machado Conde (ANP)Bonsucro Global Week 2022 - Danielle Machado Conde (ANP)
Bonsucro Global Week 2022 - Danielle Machado Conde (ANP)Bonsucro1
 
Apresentação de resultados 4 t09
Apresentação de resultados 4 t09Apresentação de resultados 4 t09
Apresentação de resultados 4 t09BrasilEcodiesel
 
Apresentação de resultados 4 t09
Apresentação de resultados 4 t09Apresentação de resultados 4 t09
Apresentação de resultados 4 t09BrasilEcodiesel
 
Apresentação de resultados 4 t09
Apresentação de resultados 4 t09Apresentação de resultados 4 t09
Apresentação de resultados 4 t09BrasilEcodiesel
 
Apresentação Valor da Sustentabilidade E-Consulting Corp. 2010
 Apresentação Valor da Sustentabilidade E-Consulting Corp. 2010 Apresentação Valor da Sustentabilidade E-Consulting Corp. 2010
Apresentação Valor da Sustentabilidade E-Consulting Corp. 2010E-Consulting Corp.
 

Semelhante a Programa minasBIOenergia planeja inovação e sustentabilidade na cadeia do biodiesel (20)

Rede de pesquisa jatrophanet
Rede de pesquisa jatrophanetRede de pesquisa jatrophanet
Rede de pesquisa jatrophanet
 
Rede De Pesquisa Jatrophanet
Rede De Pesquisa JatrophanetRede De Pesquisa Jatrophanet
Rede De Pesquisa Jatrophanet
 
Projeto biosfera da energia social resume pdf
Projeto biosfera da energia social resume pdfProjeto biosfera da energia social resume pdf
Projeto biosfera da energia social resume pdf
 
Circle - Market Access & Investments - book
Circle - Market Access & Investments - book Circle - Market Access & Investments - book
Circle - Market Access & Investments - book
 
Case sérgio valadão usina de biodiesel 1
Case sérgio valadão   usina de biodiesel 1Case sérgio valadão   usina de biodiesel 1
Case sérgio valadão usina de biodiesel 1
 
Projeto Biosfera Da Energia Social Resume
Projeto Biosfera Da Energia Social ResumeProjeto Biosfera Da Energia Social Resume
Projeto Biosfera Da Energia Social Resume
 
Projeto biosfera da energia social resume pdf
Projeto biosfera da energia social resume pdfProjeto biosfera da energia social resume pdf
Projeto biosfera da energia social resume pdf
 
Biovale Project Overview
Biovale  Project   OverviewBiovale  Project   Overview
Biovale Project Overview
 
Biovale Turn Key Project SumáRio
Biovale  Turn Key Project SumáRioBiovale  Turn Key Project SumáRio
Biovale Turn Key Project SumáRio
 
Apresentação apimec – outubro 2009
Apresentação apimec – outubro 2009Apresentação apimec – outubro 2009
Apresentação apimec – outubro 2009
 
Biovale project overview 1
Biovale  project   overview 1Biovale  project   overview 1
Biovale project overview 1
 
Palestra: Atuação da Cemig no Mercado Competitivo. Palestrante: Bernardo Afon...
Palestra: Atuação da Cemig no Mercado Competitivo. Palestrante: Bernardo Afon...Palestra: Atuação da Cemig no Mercado Competitivo. Palestrante: Bernardo Afon...
Palestra: Atuação da Cemig no Mercado Competitivo. Palestrante: Bernardo Afon...
 
Plano estratégico para 2020 IBEF
Plano estratégico para 2020 IBEFPlano estratégico para 2020 IBEF
Plano estratégico para 2020 IBEF
 
Youblisher.com 1190504-revista terra-cia_197
Youblisher.com 1190504-revista terra-cia_197Youblisher.com 1190504-revista terra-cia_197
Youblisher.com 1190504-revista terra-cia_197
 
Bonsucro Global Week 2022 - Danielle Machado Conde (ANP)
Bonsucro Global Week 2022 - Danielle Machado Conde (ANP)Bonsucro Global Week 2022 - Danielle Machado Conde (ANP)
Bonsucro Global Week 2022 - Danielle Machado Conde (ANP)
 
Apresentação de resultados 4 t09
Apresentação de resultados 4 t09Apresentação de resultados 4 t09
Apresentação de resultados 4 t09
 
Apresentação de resultados 4 t09
Apresentação de resultados 4 t09Apresentação de resultados 4 t09
Apresentação de resultados 4 t09
 
Apresentação de resultados 4 t09
Apresentação de resultados 4 t09Apresentação de resultados 4 t09
Apresentação de resultados 4 t09
 
Biomassas brasileiras.
Biomassas brasileiras.Biomassas brasileiras.
Biomassas brasileiras.
 
Apresentação Valor da Sustentabilidade E-Consulting Corp. 2010
 Apresentação Valor da Sustentabilidade E-Consulting Corp. 2010 Apresentação Valor da Sustentabilidade E-Consulting Corp. 2010
Apresentação Valor da Sustentabilidade E-Consulting Corp. 2010
 

Mais de gilbertociro

Espaco inovarte divulgacao
Espaco inovarte divulgacaoEspaco inovarte divulgacao
Espaco inovarte divulgacaogilbertociro
 
Unique house in bh
Unique house in bhUnique house in bh
Unique house in bhgilbertociro
 
House presentation
House presentationHouse presentation
House presentationgilbertociro
 
Redes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em Massa
Redes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em MassaRedes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em Massa
Redes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em Massagilbertociro
 
ApresentaçãO Bioerg Slides
ApresentaçãO Bioerg SlidesApresentaçãO Bioerg Slides
ApresentaçãO Bioerg Slidesgilbertociro
 
Redes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em Massa
Redes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em MassaRedes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em Massa
Redes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em Massagilbertociro
 
fazendo marketing em ambientes virtuais
fazendo marketing em ambientes virtuaisfazendo marketing em ambientes virtuais
fazendo marketing em ambientes virtuaisgilbertociro
 
Parceria Para A Inovacao
Parceria Para A InovacaoParceria Para A Inovacao
Parceria Para A Inovacaogilbertociro
 
Painel Para A Inovacao
Painel Para A InovacaoPainel Para A Inovacao
Painel Para A Inovacaogilbertociro
 
Centro De Economia Digital Aplicada
Centro De Economia Digital AplicadaCentro De Economia Digital Aplicada
Centro De Economia Digital Aplicadagilbertociro
 

Mais de gilbertociro (16)

Espaco inovarte divulgacao
Espaco inovarte divulgacaoEspaco inovarte divulgacao
Espaco inovarte divulgacao
 
Unique house in bh
Unique house in bhUnique house in bh
Unique house in bh
 
House presentation
House presentationHouse presentation
House presentation
 
R&D Jatropha
R&D JatrophaR&D Jatropha
R&D Jatropha
 
Rede da Bioerg
Rede da   BioergRede da   Bioerg
Rede da Bioerg
 
Redes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em Massa
Redes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em MassaRedes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em Massa
Redes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em Massa
 
A rede da Bioerg
A rede da BioergA rede da Bioerg
A rede da Bioerg
 
Bioerg In English
Bioerg In EnglishBioerg In English
Bioerg In English
 
ApresentaçãO Bioerg Slides
ApresentaçãO Bioerg SlidesApresentaçãO Bioerg Slides
ApresentaçãO Bioerg Slides
 
Redes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em Massa
Redes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em MassaRedes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em Massa
Redes Sociais O Impacto Da Colaboracao Em Massa
 
fazendo marketing em ambientes virtuais
fazendo marketing em ambientes virtuaisfazendo marketing em ambientes virtuais
fazendo marketing em ambientes virtuais
 
Espaco Inovarte
Espaco  InovarteEspaco  Inovarte
Espaco Inovarte
 
Parceria Para A Inovacao
Parceria Para A InovacaoParceria Para A Inovacao
Parceria Para A Inovacao
 
Cia Minas Uilo
Cia Minas   UiloCia Minas   Uilo
Cia Minas Uilo
 
Painel Para A Inovacao
Painel Para A InovacaoPainel Para A Inovacao
Painel Para A Inovacao
 
Centro De Economia Digital Aplicada
Centro De Economia Digital AplicadaCentro De Economia Digital Aplicada
Centro De Economia Digital Aplicada
 

Programa minasBIOenergia planeja inovação e sustentabilidade na cadeia do biodiesel

  • 1. D1 Oils plc PLANO DE TRABALHO DO Programa minasBIOenergia: inovação e sustentabilidade na cadeia produtiva do biodiesel a he hi e hi D B 0,5 mm 100 m v a A B 1 A 2 mm Figura 3. Pinhão-manso: (A) Crescimento in vitro de mudas a partir de sementes e (B) Explantes de parte C 10 m E 2 mm aérea obtidos de plantas micropropagadas.
  • 2. D1 Oils plc PROGRAMA DE PESQUISA AGRONÔMICA: Adensamento tecnológico do Pinhão-manso como fonte de proteína à ração animal: viabilizando a cadeia produtiva do biodiesel a partir de oleaginosas perenes não comestíveis no desenvolvimento sustentável Apoio: BIOERG]Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior
  • 3. reunião de agentes D1 Oils plc BIOVALE ENERGIA – empresa mineira de pesquisa, produção, comercialização e consultoria na cadeia produtiva do biodiesel UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA – BIOAGRO/FUNARBE UNIVERSIDADE DE MONTES CLAROS - UNIMONTES EPAMIG – EMPRESA DE PESQUISA DE AGROPECUÁRIA DE MG CONAB – COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO BIOERG-Escritório de Bioenergia de Minas Gerais]Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior EMBRAPA EMATER “ Por que é que todos não se reúnem, para sofrer e vencer juntos, de uma vez?”(Guimarães Rosa)
  • 4. D1 Oils plc O QUE TEMOS HOJE NO GRUPO: D1 Oils Plant Science, UK: a cultivar nr. 3014 em seu centro de melhoramento em Cabo Verde; desenvolveu um processo em escala de laboratório para remoção dos componentes anti-nutricionais da torta de pinhão-manso dessa semente; identificou uma gama robusta de técnicas analíticas para quantificar os fatores anti-nutricionais encontrados nos produtos do pinhão-manso. (Processo:1) BioVale Energia, em parceria com a Universidade Federal de Viçosa e subvenção da FAPEMIG, Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior, está desenvolvendo projeto de destoxificação da torta do pinhão-manso, por meio da identificação de micro-organismos e um processo para remover seus compostos anti-nutricionais ( Processo 2) EPAMIG, EMBRAPA, UNIMONTES: diversas pesquisas do pinhão-manso em curso EMATER: extensão e treinamento de campo CONAB: PAA – Programa de Aquisição Antecipada
  • 5. inovação tecnológica para a produtividade D1 Oils plc A produção de biocombustível tem se tornado substancialmente mais eficiente nos últimos 25 anos com a evolução crescente das indústrias Americanas e Brasileiras Os ganhos incrementais possivelmente vão continuar pelos próximos anos. Entretanto, o maior potencial para os biocombustíveis está no desenvolvimento de novas tecnologias que vão expandir significativamente a gama de insumos de biomassa, aumentar as eficiências de conversão e baratear os custos de produção. ESSE É O FOCO DA BIOVALE]D1 OILS: P&DI PARA A PRODUTIVIDADE 5
  • 6. reunião de competências D1 Oils plc O principal objetivo do Programa é ESTRATÉGIA congregar capacitações e interesses de vários agentes envolvidos na cadeia INOVAÇÃO PRODUTIVIDADE produtiva do bio-diesel aportando recursos e difundido conhecimento e tecnologia. Os benefícios da rede são de grande AGLOMERAÇÃO COMPOSIÇÃO DESEMPENHO PRODUTIVA importância em função da (CLUSTER) ECONÔMICA complementariedade de capacitações entre os diversos agentes, conferindo eficiência e celeridade em sua execução. AMBIENTE DE ESPECIALIZAÇÃO Parcerias com Centros de Conhecimento NEGÓCIOS e organizações internacionais podem dinamizar, diminuir a curva de COLABORAÇÃO aprendizagem, aportando competitividade e acelerando o programa de bio-diesel de Minas e do Brasil.
  • 7. Programa - Minas Gerais D1 Oils plc 1: Ensaios de Pesquisa Agronômica (Desenvolvimento de Produto) Mapas de aptidão agrícola: Definição de locais para plantio de Jatropha Ensaios de campo: Definição de tecnologia de plantio Ensaios para Zoneamento: Definição de o que plantar Micorrização arbuscular 2: Avaliação Técnica e Comercial de Jatropha como ração animal 3: Desenvolvimento de Fábrica de processamento de óleo e ração animal 4: Pesquisas laboratoriais de Alta Tecnologia Análises de óleo Análises químicas da ração Emprego de fungos para incrementar o valor da ração (alimento/econômico) Identificação de micro-organismos para incrementar o valor econômico dos grãos micorrização arbuscular 7
  • 8. D1 Oils plc 1: Ensaios de Pesquisa Agronômica 8
  • 9. Pesquisa Agronômica - Aptidão D1 Oils plc Metas: Avaliar melhores locais para instalação de Jatropha em Minas Gerais e áreas de menor aptidão sob a perspectiva teórica. Duração do ensaio: 6 meses, foco: norte de MG Atividades de pesquisa: Definição de condições climáticas em Minas Emprego de dados de solos locais Emprego de conhecimento global sobre o pinhão-manso Parceiros locais chaves: Embrapa/ Epamig Resultados e acompanhamento: Mapas necessitarão de validação futura, utilizando dados coletados nas fazendas de observação 9
  • 10. Pesquisa Agronômica - Aptidão D1 Oils plc Meta Paralela: Avaliar melhores locais para plantio em Minas Gerais e áreas de menor aptidão sob a perspectiva teórica. Mapa inicial para o Norte de Minas Duração: ?? Dados históricos de vários pontos: Dados climáticas em MG Temperaturas, Max e Min/ mês Dados de precipitação/ mês Dados: outros Parceiros locais chaves: Embrapa/ Epamig Baseado em conhecimento existente, definir calendário agrícola, sob perspectiva teórica, para a cultura de jatropha em Minas Gerais. Promover workshop sobre o tema com especialistas da Embrapa, Epamig e outros parceiros. D1 prover informações necessárias com base em suas experiências globais 10
  • 11. Pesquisa Agronômica – Ensaios de Campo D1 Oils plc Metas: Avaliar práticas agronômicas em uma única propriedade centralizada, em ensaio com aproximadamente 5-6 hectares, com um material genético caracterizado. Duração do ensaio: 5 anos Atividades de pesquisa: Manejo de cobertura Utilização de água Outros fatores de crescimento Ensaios Multi-fatoriais de fertilizantes Avaliações utilizando protocolos da D1 Parceiros locais chaves: Embrapa/Epamig/UFV/ Emater/UNIMONTES Resultados e acompanhamento: Definição das melhores práticas agronômicas para o estado de MG Definição de calendário agrícola para a cultura de pinhão-manso em Minas Gerais 11
  • 12. Pesquisa Agronômica – Zoneamento Agrícola D1 Oils Metas: Avaliar diferentes acessos de Jatropha curcas, usando materiais da rede plc de centros de desenvolvimento da BioVale]D1 Oils e materiais de fontes locais, em áreas de 2ha em diversos centros de pesquisas. Banco de Germoplasma 200 Duração : 5 anos 180 160 Atividades de pesquisa: Average yield in gram per tree 140 120 08-0010 Ensaios controlados de crescimento 100 08-0011 07-0014 80 07-0009 Definição das áreas de plantio 60 08-0013 08-0015 Avaliações utilizando protocolos da D1 e associados 40 20 Parceiros locais chaves: 0 Embrapa Epamig UNIMONTES Agricultores familiares Resultados e acompanhamento: Definição dos melhores materiais plantados, em diferentes locais e melhores modelos de plantio Identificação de materiais promissores para uso em outros lugares Feedback para os mapas de avaliação de aptidão agrícola 12
  • 13. Pesquisa Agronômica – micorrização arbuscular D1 Oils plc METAS Instalar bancos de germoplasma de pinhão-manso nos municípos de Janaúba e Acauã]Leme do Prado, Minas Gerais. Instalar um laboratório para micropropagação de plantas de pinhão-manso na extensão do campus da Unimontes, em Janaúba; Caracterizar os acessos por meio de descritores morfo-agronômicos e marcadores moleculares Selecionar genótipos de pinhão-manso com alto teor de óleo, visando a produção de biodiesel. Avaliação da biodiversidade microbiana em solos com cultivo de pinhão- manso para avaliar a sua sustentabilidade; Produção de mudas de pinhão-manso micorrizadas; 13
  • 14. vantagens do pinhão-manso D1 Oils plc O cultivo de pinhão-manso reúne diversas vantagens comparativas para a produção de biodiesel: Trata-se de planta perene, rústica, de fácil manejo, com alto teor de óleo (38%) de qualidade para biodiesel nas sementes. Adequada ao consórcio com cultivos alimentares (feijão, por exemplo) ou outro cultivo agro-energético (amendoim, por exemplo) por ser arbustiva e plantada em espaçamentos largos. Tais vantagens credenciam o pinhão-manso como espécie apropriada para cultivo em pequenas propriedades com mão-de-obra familiar, gerando renda e fixando o homem no campo. Portanto, antes que o plantio empírico, com o uso de sementes de origem desconhecida, ganhe escala, é fundamental que a pesquisa se inicie com ações de pré-melhoramento genético visando ofertar sementes de genótipos superiores em produção de óleo por área. 14
  • 15. vantagens do pinhão-manso micorrizado D1 Oils plc o Desenvolvimento mais rápido e uniforme das lavouras; o Possibilidade de controle de eventuais ataques inesperados de pragas e doenças; o Facilitará futuras pesquisas e atividades técnicas, cuja finalidade sejam aprimorar ainda mais a atividade. o Solo doente e fraco torna-se fértil e saudável o 95% taxa de sucesso de germinação da sementes versus 50% com sementes não micorrizadas o Frutificação e florescimento precoce—a partir do sétimo mês contra um ano com a plantação clonada o Produtividade mais elevada (20%–30%) com inoculação micorrízica em relação a plantação não inoculada, amplamente testada em diferentes terras degradadas 15
  • 16. UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA BIOAGRO D1 Oils plc A produção de mudas micropropagadas micorrizadas de pinhão-manso representa uma alternativa viável para produção de mudas de qualidade, aumentando o potencial biotecnológico no processo produtivo. Embora cientificamente comprovado o papel da associação micorrizica no incremento nutricional e necessidade de água das plantas em laboratório, o principal gargalo para sua aplicação ampla consiste na sua produção massiva para atender a vasta necessidade. A A B C Figura 3. Pinhão-manso: (A) Crescimento in vitro de mudas a partir de sementes e (B) Explantes de parte B aérea obtidos de plantas micropropagadas. Figura 1. (A) Viveiro; (B) Área com cultivo de Pinhão-manso; (C) planta com 1 ano hi a he e hi B 0,5 mm D 100 m v a NI I A 2 mm C 10 m E 2 mm Figura 4. Desenvolvimento de plantas de pinhão-manso (Jatropha curcas L.) Figura 2. Micorriza e esporos de Fungos Micorrízicos Arbusculares (FMAs) em pinhão-manso. A: vesículas (v) e hifas intra- inoculadas (I) e não inoculadas (NI) com Glomus clarum (fungo radiculares (hi); B e C: arbúsculos(a); D e E: esporos de FMAs. micorrízico arbuscular) em casa de vegetação.
  • 17. Metas, atividades, indicadores D1 Oils Metas Físicas Responsável Atividades Indicador Físico de Duração plc Execução Prevista Iníci Tér o mino Banco de Coleta de material Banco de germoplasma 01 36 germoplasma Identificação de material montado e em Importação de materiais funcionamento Micropropagação de Elisonete G. Testar diferentes métodos de Propagação do material 01 18 pinhão manso Lana micropropagação em cultura de tecidos Selecionar meios de cultura que definido favoreçam o desenvolvimento do pinhão manso in vitro Coleta e identificação Maria Catarina Coleta de amostras de solo nos plantios de Coletado material de 01 18 de FMA Megumi pinhão manso de diferentes regiões diferentes regiões e Kasuya Extração de esporos de FMA identificados os FMA de Multiplicação em casa de vegetação maior ocorrência Identificação do FMA Multiplicação in vitro de FMA Avaliação da Maria Catarina Coleta de FMA em plantios de pinhão Ter avaliado a 01 18 colonização por FMA Megumi manso percentagem de Kasuya Avaliação da percentagem de colonização colonização por FMA em plantios de diferentes regiões Multiplicação de FMA Maria Catarina Multiplicação de FMA de maior ocorrência Ter conseguido 06 30 in vitro Megumi in vitro multiplicar pelo menos 6 Kasuya Definir meios de cultura adequados para espécies de FMA in vitro multiplicação de FMA Miropropagacao de Elisonete Lana Inoculação de pinhão manso desenvolvido Processos de inoculação 12 36 pinhão manso Maria Catarina na cultura com o FMA crescido in vitro definido para os micorrizado Megumi diferentes fungos ou Kasuya pelo consorcio de fungos 17
  • 18. metas, atividades, indicadores D1 Oils plc Metas Físicas Responsável Atividades Indicador Físico de Duração Prevista Execução Início Término Seleção de FMA com Maria Catarina Avaliação da percentagem Ter selecionado os pelo 12 30 potencial para Megumi de sobrevivência das plantas menos 3 isolados de FMA utilização em escala Kasuya Avaliação do crescimento que beneficiam a comercial das plantas sobrevivência e desenvolvimento das plantas Transferência das Maurício Dutra Avaliação da percentagem Avaliado a percentagem de 12 30 plantas para o campo Costa de sobrevivência das plantas sobrevivência e Avaliação do crescimento produtividade de pinhão das plantas manso Avaliação da Elza Coleta de amostras de solo Diversidade microbiana 1 30 diversidade Fernandes de no campo avaliada microbiana e da Araújo Avaliação pelo método de permanência do FMA Denise Bazzoli DGGE inoculado no campo Avaliação pelo métodoFAME Distribuição de mudas Realização de dia-de-campo Ter agricultores familiares 30 36 de qualidade para os Realização de treinamentos utilizando mudas agricultores familiares específicos micropropagadas micorrizadas Patenteamento do Elza Relação e negociações com Comercialização e plantio 1 36 resultados obtidos e Fernandes de instituições e empresas de mudas micorrizadas em comercialização: Araújo especializadas; escala comercial; Monitoramento e Depósito da patente coordenação das atividades de pesquisa; 18
  • 19. resultados esperados D1 Oils plc Minas Gerais possuindo Bancos de germoplasma de pinhão-manso Bioprospecção: Isolar, caracterizar e avaliar a diversidade de microrganismos em plantios de pinhão-manso Obtenção de Proteção de Cultivares nos termos da Lei 9.456/1977 e patente de ”criação” de cultivar derivada de desenvolvimento tecnológico, nos termos da Lei da Inovação (no. 10.973/2004) Produção e comercialização em escala de mudas micorrizadas por micropropagacao de tecido para a) fins ambientais como recuperação de áreas degradas e afluentes de destilaria e b) produção de óleo vegetal para produção de biodiesel. Desenvolvimento de tecnologias para destoxificação eficiente da torta de pinhão- manso como substrato para produção de cogumelo e ração animal Avaliação do impacto potencial do pinhão-manso na produção agropecuária e na cadeia produtiva do biodiesel Obtenção de patentes dos processos desenvolvidos 19
  • 20. D1 Oils plc 2: Avaliação Técnica e Comercial de Jatropha como ração animal 20
  • 21. Programa de pesquisa D1 Oils plc A BioVale ]DOPSL estão desenvolvendo propriedade intelectual com vistas a eliminar os compostos anti-nutricionais do pinhão-manso e permitir a produção tanto de óleo de alta qualidade como alimentação para ração animal. Os objetivos são: Desenvolver, comercialmente, variedades factíveis de controlar ou eliminar a produção de toxinas Eliminar a toxicidade da torta por meio de inoculação de fungos e produção de cogumelos Desenvolver pesquisa para conseguir uma nova tecnologia para processar pinhão-manso. Esse processo vai incorporar um procedimento único de extração tanto do óleo como dos ésteres forbois (toxicinas) que permitirá a separação do óleo (biocombustivel) e das toxicinas . A D1 Oils tem identificado acessos de pinhão-manso que não produzem o forbol Ester, embora as curcinas (outra toxicina) sejam atualmente produzidas. A D1 Oils identificou uma gama robusta de técnicas analíticas para quantificar os fatores anti-nutricionais encontrados no resíduo do pinhão-manso. Em escala de laboratório, a extração tanto do óleo como dos compostos tóxicos da torta do pinhão-manso num mesmo processo tem demonstrado ser viável 21
  • 22. ração animal da torta D1 Oils plc Processo 1: Utilização de torta do pinhão-manso para produção de compostos, cogumelos e ração animal. OBJETIVO Estudar os processos de tratamento biológico da torta de pinhão manso e avaliar o potencial da utilização de fungos na destoxificação de resíduos de torta de pinhão manso para posterior utilização como ração animal ou produção de cogumelos comestíveis. Construir no Norte de Minas Gerais uma indústria piloto em escala comercial com capacidade de processamento de dez (10) toneladas por dia, capaz de demonstrar a viabilidade econômica de processar os produtos de pinhão-manso em alimentação animal de alta qualidade nutritiva e cogumelos comestíveis para comercialização. 22
  • 23. ração animal da torta D1 Oils plc MATERIAL E MÉTODOS Seleção de estirpes de cogumelos - Isolados de fungos de podridão branca, pertencentes à coleção de fungos do Departamento de Microbiologia-UFV serão avaliados quanto à capacidade de crescer em resíduos de pinhão manso, seja em sua composição pura ou em mistura com alguns suplementos, a ser estudado, conforme a sua composição química. Os resíduos serão analisados química, fisica e microbiologicamente, inclusive testado quanto à eliminação da toxicidade. Produção de cogumelos - Para a produção a incubação será feita em câmara de crescimento com controle de umidade e temperatura . Após o crescimento do micélio por todo o substrato e o início da formação dos primórdios, a frutificação será induzida pela imersão das toras em água fria ou com choque frio. Após 24 horas os blocos de substratos serão retirados dos sacos plásticos para a formação dos cogumelos. A colheita dos cogumelos normalmente ocorre entre 8 a 10 dias, e o material será novamente incubado por mais 30 dias para posterior choque térmico e frutificação dos cogumelos. Esse procedimento se repetirá até o aproveitamento máximo do resíduo. Serão avaliados: a) tempo necessário para o crescimento do micélio por todo o substrato; b) número e peso dos cogumelos fresco e seco produzidos; c) eficiência biológica; d) susceptibilidade a pragas, como insetos e fungos contaminantes; e) presença de toxinas no cogumelo. 23
  • 24. Metas, atividades e indicadores D1 Oils plc Metas Físicas Responsável Atividades Indicador Físico de Execução Duração Prevista Início Término Avaliação da Profª Maria Avaliação do nível de toxicidade de Conhecer o nível de 1 30 toxicidade e Catarina Megumi torta de pinhão-manso de diferentes toxicidade de torta originada de destoxificação de Kasuya origens diferentes acessos torta de pinhão-manso Seleção de microrganismos que Coleção de microrganismos apresentam potencial para destoxificação com potencial de destoxificação dessa torta Utilização de torta de Profª Maria Selecionar fungos formadores de Coleção de fungos formadores 1 30 pinhão-manso como Catarina Megumi cogumelos com capacidade de crescer e de cogumelos substrato para Kasuya formar cogumelo utilizando torta como Seleção de espécies que não produção de substrato base absorvem a toxina cogumelos comestíveis Avaliar se os cogumelos estão isentos Técnica de produção de e,ou medicinais dessas toxinas e também a sua qualidade cogumelos em torta estabelecida Utilização de torta de Prof. Hilário Selecionar microrganismos que além de Coleção de microrganismos 1 30 pinhão-manso como Cuquetto destoxificar a torta, aumenta a qualidade que destoxificam e aumentam ração animal Mantovani e nutricional da torta a qualidade nutricional da torta Fazer testes in nitro e in vivo em Técnica de produção de ração Prof. Marcelo ruminantes para avaliar essa qualidade estabelecida Teixeira Rodrigues Utilização de glicerina Prof. Hilário Selecionar microrganismos que Coleção de microrganismos 1 30 como substrato para Cuquetto produzam compostos de interesse que produzem com postos de produção de produtos Mantovani agropecuários e industriais interesse a partir da glicerina de interesse agro- Desenvolver técnicas para produção Técnica e processos de industriais biológica desses compostos produção biológica desses compostos estabelecidos Patenteamento do Elza Fernandes Relação e negociações com instituições Comercialização e plantio de 1 36 resultados obtidos e de Araújo e empresas especializadas; mudas micorrizadas em escala comercialização: Patenteamento dos processos comercial; desenvolvidos Depósito da patentes 24
  • 25. Administração do programa de pesquisa e desenvolvimento D1 Oils plc Importaç- ão de Importaç- Importaç- acessos ao. de torta ao. de torta 3014 3014 processada processada Acessos brasileiros PP1:Acessos PP3: testes PP4: testes PP5: teste de 3014 e de em vitro de palatabilidade e acessos comparação ruminantes digestibilidade brasileiros de processos em pequena escala Plantio de PP2:multiplic PP6: PP7: testes semente -ação em implantação de ração 3014 fazenda de planta animal em importada modelo de piloto larga escala acesso 3014
  • 26. os sub-projetos D1 Oils plc A BioVale]D1 Oils estão desenvolvendo projetos de pesquisa (PP) com vistas a testar suas descobertas em mercados locais chaves e desdobrar no desenvolvimento de aplicações comerciais de sua pesquisa e melhorar a viabilidade econômica do pinhão-manso no Brasil. Assim sendo, propõe os seguintes projetos de pesquisas individuais para serem desenvolvidos em conjunto com organizações locais. PP:1 Avaliação de uma série de diferentes acessos cultivados sob condições e práticas rigorosamente controladas PP:2 Produção de material controlado para testes em escala de alimentação animal em fazenda experimental de pinhão-manso. PP:3Teste de diferentes acessos cultivados localmente sob condições rigorosamente controladas usando diferentes métodos de destoxificação PP:4Testes in vitro para ruminantes PP:5 Testes em pequena escala de palatibilidade e digestibilidade para ruminantes e aves PP:6 Implantação de um indústria piloto de processamento comercialmente viável para processar grãos produzidos em condições controladas. PP:7 Testes de ração animal em larga escala usando o produto da indústria piloto de processamento 26
  • 27. sub-projeto de pesquisa 1 D1 Oils plc PP:1 Avaliação de uma série de diferentes acessos cultivados sob condições e práticas rigorosamente controladas Principais atividades necessárias para concluir essa área de pesquisa : • Iniciação de Análise de Risco de Peste para importação de semente de Cabo Verde • Definição das exigências regulatórias para introdução da torta do pinhão-manso como uma nova ração animal • Avaliação do mercado brasileiro para introdução de uma nova fonte de proteína para a indústria de ração animal (por região) • Importação da semente 3014 +2 PE baixo de 1-2 kg de cada fonte de semente • Seleção de 2 fontes de semente brasileiras interessantes • Outras fontes de semente importadas para Avaliações de Fileiras Solteiras (AFS) • Definição de experimento • Seleção dos locais para 5 plantios isolados e AFS • Preparação dos locais e plantio, incluindo áreas isoladas e AFS • Manutenção e colheita dos experimentos • Avaliação do experimento e relatórios 27
  • 28. sub-projeto de pesquisa 2 D1 Oils plc PP:2 Produção de material controlado para testes em escala de alimentação animal em fazenda experimental de pinhão-manso Principais atividades principais necessárias para concluir essa áreas de pesquisa : • Importação de 500 kg de semente 3014 em 2009 de Cabo Verde • Seleção de áreas para multiplicação em larga escala e implantação de fazendas modelos • Definição de experimento • Preparação da área • Implantação de experimento de plantio e agronomia • Treinamento e extensão agrícola • Manutenção e colheita dos experimentos • Avaliações dos experimentos, análise e relatórios Resultados esperados: • Pelo menos 115 ts de bagas 3014 a ser produzidas no primeiro trimester de 2011 Definição das melhores práticas agrícolas para os agricultores familiars, assim como para plantios extensivos 28
  • 29. sub- projeto de pesquisa 3 D1 Oils plc PP:3Teste de diferentes acessos cultivados localmente sob condições rigorosamente controladas usando diferentes métodos de destoxificação Principais atividades necessárias para concluir essa área de pesquisa : Recepção de 50kg de cada acesso Exportação de 5 acessos para a Inglaterra para processamento experimental Processo de destoxificação por inoculação de fungo da BioVale]UFV de cada acesso no Brasil Testes de destoxificação de cada acesso usando extração com solvente padrão Processo de dextoxificação da D1 Oils de cada acesso Análise química dos diferentes produtos em termos de fatores nutricionais e anti-nutricionais Avaliação e publicação de resultados Resultados esperados: Panorama da viabilidade de destoxificar diferentes acessos de pinhão-manso usando tanto o processo da DOPSL assim como o processo da BioVale Energia Análise dos compostos nutricionais e anti-nutricionais de ambos os processos, que ajudará a determinar o valor econômico de cada uma das abordagens de processo 29
  • 30. sub-projeto de pesquisa 4 D1 Oils plc PP:4Testes in vitro para ruminantes Principais atividades principais para concluir essa área de pesquisa : • Definição dos experimentos de alimentação dos ruminantes para aceitação como nova fonte de proteína • Produção de farelo de proteína 3014 e exportação para o Brasil • Iniciação de experimento de alimentação de ruminantes In vitro • Avaliação e publicação de resultados • Fornecimento de material dos experimentos do PP3 • Avaliação e publicação dos resultados Resultados esperados: • Definição clara das exigências regulatórias para introdução de uma nova fonte de proteína para a indústria de ração animal • Viabilidade de usar o produto tratado de pinhão-manso como ração de ruminantes 30
  • 31. sub- projeto de pesquisa 5 D1 Oils plc PP:5 Testes em pequena escala de palatibilidade e digestibilidade para ruminantes e aves Principais atividades necessárias para concluir essa área de pesquisa : • Definição dos experimentos de alimentação dos ruminantes para palatabilidade e digestibilidade • Definição dos experimentos de alimentação das aves para palatabilidade e digestibilidade • Produção de torta 3014 usando a tecnologia da DOPSL • Importação de torta proteíca 3014 para o Brasil • Teste da torta 3014 no ensaio de palatabilidade dos ruminantes • Teste da torta 3014 no ensaio de palatabilidade das aves • Teste da torta 3014 no ensaio de digestibilidade dos ruminantes • Teste da torta 3014 no ensaio de digestibilidade das aves • Avaliação e publicação de resultados Resultados esperados: • Definição clara das exigências regulatórias para introdução de uma nova fonte de proteína para a indústria de ração animal • Viabilidade de usar o produto tratado de pinhão-manso como ração de ruminantes e de aves 31
  • 32. sub-projeto de pesquisa 6 D1 Oils plc PP:6 Implantação de um indústria piloto de processamento comercialmente viável para processar grãos produzidos em condições controladas Principais atividades necessárias para concluir essa etapa: • Definição do projeto e seleção do local de implantação • Acordo de transferência de tecnologia com a DOPSL • Pacote de projetos da planta industrial • Base do Projeto, pacote de engenharia • Estudo de viabilidade de construção da planta no local selecionado • Construção da planta e integração das facilidades existentes • Testes de funcionamento • Análise da torta da corrida de teste e avaliar qualidade • Operação de teste e produção de pelo menos 20 ts de torta 3014 Resultados esperados • Implantação de uma planta comercial em Minas demonstrando a sua viabilidade econômica • Produção de 25-30 ts de torta 3014 destoxificada para ser usada no PP7 Inovação:Pela primeira vez uma planta comercial de dextoxificação de pinhão-manso estará sendo construída no mundo 32
  • 33. sub-projeto de pesquisa 7 D1 Oils plc PP:7 Testes de ração animal em larga escala usando o produto da indústria piloto de processamento Principais atividades necessárias para concluir essa área de pesquisa: • Instalação e definição dos quesitos legais de experimentos de crescimento de ruminantes e aves • Produção de torta de proteína 3014 a partir do projeto PP6 • Garantia de qualidade da torta 3014 para ser usada em testes de alimentação • Experimentos de crescimento de ruminantes e aves com a torta 3014 • Avaliação de dados e relatórios • Avaliação e publicação de resultados Resultados esperados: • Registro do produto tratado do pinhão-manso como ração animal Inovação: • Pela primeira vez experimentos de ração animal com torta de pinhão-manso em larga escala estarão sendo realizados mundialmente. 33
  • 34. Alimentação Animal – Definição de Ensaios D1 Oils plc Metas: Definir programa de ensaios para introdução de torta de Jatropha curcas como nova fonte protéica para a industria de ração animal. Duração do ensaio: 1-2 meses Atividades de Pesquisa: Identificação de produtores parceiros Importação de material genético caracterizado (350kg ?) Requisitos Internacionais de mercado Parceiros locais chaves: Embrapa, CNPGL Epamig Fazendeiros comerciais locais Unimontes, UFV/ Biovale Resultados e acompanhamento: Definição do volume de grãos de Jatropha curcas necessário para ensaios de alimentação animal A definição do programa será utilizado para introduzir o Jatropha curcas como uma nova fonte protéica na indústria de ração animal 34
  • 35. Alimentação Animal – Definição de Ensaios D1 Oils plc Demandas: Identificação de produtores parceiros: agricultores familiares e fazendeiros Importação de grãos no primeiro momento Importação de sementes da testemunha para produzir torta no Brasil. Qual volume ? Custeio da logística e testes Identificar responsável pelas importações Identificar pessoa ou equipe responsável pela definição dos ensaios 35
  • 36. Alimentação Animal – Produção de Grãos D1 Oils plc Metas: Produção de Grãos de material caracterizado (testemunha) para uso posterior em ensaios de alimentação animal. Os grãos serão produzidos em diferentes locais. Duração do ensaio: 2 anos Atividades de Pesquisa: fazendas comerciais de observação 20 x 5ha pequenas propriedades de agricultores familiar (entorno do Irapé) 100ha em condições controladas - Janaúba (irrigação) Parceiros locais chaves: Embrapa Epamig Biovale]D1 Oils Resultados e acompanhamento: Comparação de material testemunha em diferentes locações geográficas Material suficiente para ensaios de alimentação animal (Produtividade, Palatabilidade e Digestibilidade) Emprego de fazendas comerciais referênciais como modelos e base para expansões futuras Feedback para mapas de zoneamento agrícola 36
  • 37. Alimentação Animal – Ensaios de Alimentação Animal D1 Oils plc Metas: Desenvolvimento de ensaios para alimentação animal em larga escala Duração do ensaio: 1 ano Atividades de Pesquisa: Ensaios de ruminantes e aves Palatabilidade Digestibilidade Produtividade Principais parceiros locais : Embrapa Epamig UFV/ Biovale Resultados e acompanhamento: Determinação do valor econômico de Jatropha curcas como ração animal 37
  • 38. D1 Oils plc 3: Desenvolvimento de Fábrica de processamento de óleo e ração animal 38
  • 39. Fábrica – Ensaios de alimentação Animal D1 Oils Metas: Desenvolvimento de Planta piloto plc Período: 1-2 anos Desenvolvimento de Atividades: Definição e adequação da tecnologia Financiamento, Licenças e autorizações Produção da Tecnologia Construção da Fábrica Operação da Fábrica Parceiros Locais, chaves: CETEC, Biovale Plantações comerciais de Jatropha curcas Petrobras Investidores Produtores e/ou Fornecedores de Technologias, Instituições de financiamento Resultados e acompanhamento: Desenvolvimento das operações da planta piloto para produção de óleo e proteína, para emprego em ensaios de alimentação animal em larga escala. 39
  • 40. justificativa institucional D1 Oils DAR SUSTENTAÇÃO E CRIAR CONDIÇÕES DE VIABILIZAÇÃO DO plc PROGRAMA DE BIODIESEL DO ESTADO DE MINAS GERAIS A Lei nr 15.976/2006 institui a Política Estadual de Apoio à Produção e à utilização do biodiesel e óleos vegetais A Política Estadual do Biodiesel tem os seguintes objetivos (ART.2º.): Apoiar a produção e a utilização do biodiesel e de óleos vegetais como fonte de energia renovável; Integrar o Estado no esforço de introdução do biodiesel e de óleos vegetais na matriz energética nacional Garantir os benefícios sociais, ambientais e econômicos decorrentes da utilização do biodiesel; Buscar o aumento da produtividade e da melhoria da qualidade das oleaginosas produzidas no Estado. Para implementar a política da Lei, as seguintes diretrizes serão observadas: (art.3º.): Articulação com os setores produtivo e agroindustrial relacionados à produção de óleos vegetais, especialmente aqueles que utilizam matéria-prima oriunda do Estado; Integração das ações públicas e privadas para o setor Estímulo à agricultura familiar Na implantação da política , o Poder Executivo assume as seguintes competências (art.4º.): Realizar um zoneamento agronômico, social e ambiental, para orientar o desenvolvimento do cultivo de oleaginosas e a produção do biodiesel nas diversas regiões do Estado, Destinar recursos para o financiamento de projetos de pesquisa e desenvolvimento voltados para a produção de oleaginosas, extração de óleos vegetais e processamento do biodiesel; As metas que orientam o desenvolvimento do Programa Mineiro de Biodiesel até 2007/2008 são: Plantio aproximado de 250.000 hectares de oleaginosas até 2008 para produção de B2 (Diesel aditivado com 2% de biodiesel), passando a 625.000 para a produção de B5 (5% de biodiesel), em 2013; Ocupação aproximada de 75.000 h/ano no campo para a produção de óleo B2, passando a 187.500 para a produção de B5; Geração de renda direta para 100 mil famílias, correspondendo a 400[ 500 mil postos de trabalho até 2007. 40