Aula6 neurologia

451 visualizações

Publicada em

O sistema nervoso humano divide-se em:
•Sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal)
•Sistema nervoso periférico (nervos que transmitem informação para e a partir do sistema nervoso central)

Publicada em: Esportes
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
451
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula6 neurologia

  1. 1. 1 Unidade 5 Neurologia Introdução O sistema nervoso humano divide-se em: •Sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal) •Sistema nervoso periférico (nervos que transmitem informação para e a partir do sistema nervoso central)
  2. 2. 2 O neurônio e suas funções O neurônio é a unidade estrutural e funcional do sistema nervoso. Consiste de um corpo nucleado e dois ou mais prolongamentos denominados fibras nervosas. Os prolongamentos dividem-se em axônio e dendritos. O axônio leva impulsos para longe do corpo celular e os transmite para os dendritos do próximo neurônio.
  3. 3. 3 Os dendritos são receptores e normalmente conduzem impulsos em direção ao corpo celular. O corpo celular localiza-se na substância cinzenta da medula espinhal e cérebro ou em gânglios (relativamente próximos da medula espinhal). A fibra nervosa é uma extensão cilindro-eixo do corpo da célula, podendo, às vezes, ser revestida por bainha mielina ou medular gordurosa. Em algumas áreas, uma membrana nucleada mais fina (o neurolema) reveste a bainha de mielina. Estas duas túnicas, quando presentes, isolam o prolongamento para prevenir a irradiação de impulsos.
  4. 4. 4 Lesões Se um corpo celular for suficientemente lesado,todo o neurônio se degenera (a lesão é irreversível). Se um prolongamento for apenas dividido ou lesado, somente a porção periférica se degenera.
  5. 5. 5 Se o corpo celular e o neurolema da porção degenerada permanecem intactos, a extremidade central do prolongamento pode regenerar-se ao longo de seu percurso prévio seguindo o caminho fornecido pelo neurolema. Quando um músculo se atrofia, as fibras musculares e as terminações motoras diminuem de tamanho. Condução neural O neurônio é capaz de responder a estímulos elétricos, mecânicos, químicos ou térmicos. Um estímulo adequado causa um estado de excitação local que, se tiver potência, duração, e taxa de variação de intensidade suficientes, desencadeia a propagação de uma onda de excitação (impulso nervoso) ao longo da fibra (processo conhecido como condução). Neurônios obedecem à lei do tudo ou nada.
  6. 6. 6 Sinapse É a junção entre duas fibras, isto é, o ponto de comunicação entre um neurônio e outro. O impulso nervoso segue ao longo de um axônio e através da sinapse para os dendritos do próximo neurônio (nunca na direção oposta). Característica excitatória. Inibição No cérebro e medula espinhal há muitos neurônios pré-sinápticos cuja função é inibitória. Os neurônios inibitórios, ao invés de despolarizarem o neurônio pós- sináptico, aumentam o potencial de repouso.
  7. 7. 7 Sistema nervoso periférico 12 pares de nervos cranianos. 31 pares de nervos raquidianos assim distribuídos: •8 pares de nervos cervicais; •12 pares de nervos torácicos; •5 pares de nervos lombares; •1 par de nervos coccígeos. O sistema nervoso periférico inclui os neurônios aferentes(levam a informação da periferia para o sistema nervoso central) e os neurônios eferentes(transmitem informação do cérebro para a periferia). Os neurônios aferentes dividem-se em: •somáticos; •autônomos.
  8. 8. 8 As fibras nervosas somáticas (motoneurônios) inervam o músculo esquelético. Sua descarga é sempre excitatória em sua resposta, provocando contração muscular. Os nervos autônomos ativam a musculatura lisa (sua descarga pode ser tanto excitatória como inibitória).
  9. 9. 9 Reflexos espinhais ou arco reflexo Um reflexo é uma contração muscular involuntária ou secreção glandular resultante de uma estimulação sensitiva. Exemplo:chutar sem querer uma pedra •Receptores da dor são estimulados e enviam informação sensorial por fibras aferentes até a medula espinhal. •Fibras eferentes são ativadas para produzir uma resposta adequada (afastar o pé rapidamente). •Ao mesmo tempo, o sinal é transmitido ao cérebro através dos interneurônios da medula para áreas sensitivas do cérebro onde a dor é realmente “percebida”.
  10. 10. 10
  11. 11. 11 Inervação do músculo A unidade funcional do movimento é chamada de unidade motora, a qual consiste: •no motoneurônio anterior; •fibras musculares por ele inervadas.
  12. 12. 12 Motoneurônio anterior Consiste em um corpo celular, um axônio e dendritos. Conduz o impulso no sentido do axônio para longe do ponto de estimulação.
  13. 13. 13 Junção neuromuscular (placa motora terminal) É a interface entre a extremidade de um motoneurônio mielinizado e uma fibra muscular. Sua função é transmitir o impulso nervoso para a fibra muscular, a fim de iniciar uma contração.
  14. 14. 14 Excitação Ocorre na junção neuromuscular, facilitada pela ACh. Quando um impluso atinge a JNM, a ACh é lançada na fenda sináptica para combinar-se com o complexo transmissor-receptor na membrana pós- sináptica, induzindo um potencial de placa terminal. Em seguida, gera-se o potencial de ação que penetra nos túbulos T até as estruturas internas da fibra muscular. Após isso, o mecanismo contrátil da fibra muscular é preparado para a contração.
  15. 15. 15
  16. 16. 16 Características de contração Contração rápida, alta força e fadiga rápida (tipo IIb). Contração rápida, força moderada e resistência à fadiga (tipo IIa). •Ambos os tipos de fibras são inervadas por motoneurônios grandes com altas velocidades de condução. Contração lenta, tensão baixa e resistência à fadiga (tipo I). •Tipo de fibra inervada por motoneurônios menores com baixas velocidades de condução. Características de tensão Obediência da lei do tudo ou nada. Força de contração máxima é modificada: •aumentando o número de unidades motoras recrutadas para a atividade; •aumentando a freqüênciade descarga. A combinação desses dois fatores permitirá uma ampla variedade de contrações musculares de intensidade controlada.
  17. 17. 17 Atividade da unidade motora Recrutamento das unidades motoras.Processo que consiste em acrescentar mais unidades motoras a fim de aumentar a força muscular. Princípio do tamanho. À medida que a força muscular aumenta, são recrutados motoneurônios com axônios progressivamente maiores. Do ponto de vista do controle neural, as unidades motoras de contração rápida e lenta são recrutadas seletivamentee moduladas em seu padrão de excitação de ativação, de forma a produzir a resposta desejada. •Exemplo: mover um halteres de 5 kg ou um lápis de alguns gramas. Fadiga neuromuscular É o declínio na capacidade de gerar tensão muscular com a estimulação repetida. Pode resultar dos seguintes fatores: •carência de nutrientes; •falta de oxigênio e acúmulo de ácido lático sangüíneo e muscular; •na junção neuromuscular, quando o potencial de ação não consegue passar do motoneurônio para a fibra muscular (mecanismo ainda não esclarecido).
  18. 18. 18 Proprioceptores São órgãos terminais que retransmitem rapidamente a informação sobre a dinâmica muscular e do movimento para as porções conscientes e inconscientes do sistema nervoso central. Fornecem um registro contínuo da progressão de uma seqüência de movimentos, proporcionando uma base para modificar o comportamento motor subseqüente. São eles: •Fuso muscular •Órgão tendinoso de Golgi •Corpúsculos de Pacini Fusos musculares Fornecem informação sensorial sobre alterações no comprimento e tensão das fibras musculares. Respondem à distensão de um músculo e, através de uma ação reflexa, inicia uma contração mais vigorosa para reduzir esta distensão. Localizam-se entre e paralelamente às fibras musculares.
  19. 19. 19 Fuso muscular
  20. 20. 20 Órgãos tendinosos de Golgi Detectam diferenças muito mais na tensão gerada pelo músculo ativo do que no comprimento. Emitem impulsos: •em resposta à tensão criada no músculo ao contrair-se; •em respostas à tensão quando o músculo é distendido passivamente. Protegem o músculo e seu envoltório de tecido conjuntivo contra possíveis lesões induzidas por sobrecarga excessiva. Órgão tendinoso de Golgi
  21. 21. 21 Corpúsculos de Pacini São pequenas formações elipsóides localizadas perto dos órgãos tendinosos de Golgi. Identificam as mudanças havidas no movimento ou na pressão que a quantidade de movimento que ocorreu ou a quantidade de pressão que foi aplicada. Corpúsculo de Pacini
  22. 22. 22 Alongamento do músculo Influência neurológica A especificidade do treinamento é importante para favorecer os impulsos neurais para o músculo. A especificidade do treinamento também determina o tipo de fibra que é favorecida e desenvolvida. Mesmo um aquecimento curto (5-10 min) antes do exercício influi nos impulsos neurais aumentando a atividade na unidade motora. Se o alongamento de um músculo precede uma contração do mesmo, haverá uma estimulação neural do músculo pelo arco reflexo de estiramento. Técnicas de flexibilidade O aumento da flexibilidade melhora a eficiência do movimento, reduz a incidência de distensão muscular, melhora a postura e melhora a habilidade em geral. A flexibilidade pode ser obtida ativamente por alguma contração voluntária de um agonista criando o movimento articular, ou passivamente, como quando os músculos agonistas ficam relaxados à medida que o segmento é movido na amplitude de movimento por uma força externa que pode ser outra pessoa ou objeto.
  23. 23. 23 Fatores que influem na flexibilidade: •estrutura articular; •tecido mole ao redor da articulação; •ligamentos; •comprimento físico dos músculos antagonistas; •nível de inervação neurológica ocorrendo no músculo que está sendo alongado. Restrições estruturais Se a carga externa for removida do músculo na fase elástica do alongamento, ele logo retorna ao seu comprimento original e, a longo prazo, não sobra resíduo do alongamento no comprimento muscular.
  24. 24. 24 Se um músculo é colocado em posição terminal e mantido na posição por um período extenso, há uma deformação plástica (aumento a longo prazo no comprimento muscular). Para que isso aconteça, o músculo deve ser alongado estando aquecido e o alongamento deve ser mantido por 30 s a 1 min ou mais, com baixa carga, sem sentir dor. Facilitação neural proprioceptiva Esta técnica de alongamento incorpora várias seqüências combinadas de relaxamento e contração dos músculos que estão sendo alongados. Move-se passivamente o membro de uma pessoa até a amplitude do movimento terminal, pede-se que ela contraia isometricamente tentando voltar o membro contra a resistência manual aplicada por outra pessoa e, então, relaxar e alongar um pouco mais.
  25. 25. 25 Esse procedimento aumenta a amplitude do movimento devido à redução nos impulsos aferentes do fuso muscular (o fuso vai sendo recalibrado a cada ciclo). Treinamento pliométrico Baseia-se nos conceitos de especificidade do treinamento, em que um músculo treinado em altas velocidades irá melhorar nessas mesmas velocidades. Este tipo de treinamento consiste em alongar rapidamente um músculo e imediatamente contraí-lo.
  26. 26. 26 Melhora a produção de potência do músculo facilitando os impulsos neurológicos para ele e aumentando a tensão muscular gerada nos componentes elásticos do músculo. Com um alongamento vigoroso rápido, ocorre máxima recuperação da energia elástica potencial que retorna para a contração subseqüente do mesmo músculo. Como o músculo passa por uma contração vigorosa, deve ser dada atenção ao número de exercícios e à carga imposta durante a contração excêntrica. Sugere-se que este tipo de treino seja feito sobre superfícies maleáveis e não mais do que 2 dias por semana, sob risco de lesão. •Ex.: receber uma medicine balle jogá-la de volta imediatamente. Músculos envolvidos na recepção: alongamento. Músculos envolvidos no arremesso; contração.
  27. 27. 27 Treinamento pliométrico (membro superior -arremesso) Treinamento pliométrico (membro inferior -salto vertical)
  28. 28. 28 Considerações finais sobre a aula de hoje O neurônio é a unidade estrutural e funcional do sistema nervoso. O impulso é levado através do axônio para longe do corpo celular e é transmitido para os dendritos do neurônio seguinte. Quando um músculo se atrofia, as fibras musculares e as terminações motoras diminuem de tamanho. Neurônios obedecem a lei do tudo ou nada e são capazes de responder a estímulos variados. Os motoneurônios inervam o músculo esquelético. Sua descarga é sempre excitatória em resposta a um estímulo, provocando a contração muscular. Um reflexo é uma contração muscular involuntária ou secreção glandular resultante de uma estimulação sensitiva. A unidade motora consiste em um motoneurônio anterior e as fibras por ele inervadas. Modifica-se a contração muscular a) aumentando o número de unidades motoras recrutadas; b) aumentando a freqüência de descarga. Fadiga muscular é o declínio na capacidade de gerar tensão muscular com a estimulação repetida. Proprioceptores são órgãos terminais que retransmitem rapidamente a informação sobre a dinâmica muscular e do movimento para o sistema nervoso central.
  29. 29. 29 Fuso muscular: informações sobre alterações no comprimento e tensão de fibras musculares. Órgãos tendinosos de Golgi: informações sobre a tensão gerada pelo músculo. Corpúsculos de Pacini: identificam mudanças no movimento ou na pressão. O aumento da flexibilidade melhora a eficiência do movimento, reduz a incidência de distensão, melhora a postura e melhora a habilidade em geral. Exemplos de técnicas: •Facilitação neural proprioceptiva •Treinamento pliométrico

×