Unificação da Itália e da Alemanha

1.394 visualizações

Publicada em

Slide revisado e ampliado sobre a Unificação da Itália e da Alemanha.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.394
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
445
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Unificação da Itália e da Alemanha

  1. 1. UNIFICAÇÃO DA ITÁLIA E DA ALEMANHA Natania A S Nogueira Professora de História
  2. 2. Unificação da Itália • Após o período napoleônico e o Congresso de Viena (1815), os Estados da Península Itálica ficaram sob forte influência do Império Austro-Húngaro e da Igreja Católica. • A Península estava dividida em 7 Estados: Reino do Piemonte- Sardenha, Parma, Modena, Toscana, Reino Lombardo-Veneziano, Reino das Duas Sicílias e Estados Pontifícios. • A unificação era um projeto antigo. Desde 1830 grupos como os Carbonários, os Republicanos (liderados por Mazzini e Garibaldi) e os Monarquistas (liderados por Camilo Benso) já lutavam por uma Itália unida.
  3. 3. • A Itália foi um dos últimos países europeus a fazer sua unificação, em 1870. • Sua unificação foi liderada pelo Estado Italiano mais desenvolvido: o Piemonte-Sardenha. • Destacaram-se dois líderes; Gilsepe Garibaldi e Camilo Benso Cavour Gilsepe GaribaldiCamilo Benso Cavour
  4. 4. • A Igreja Católica resistiu à unificação • Em 1871, Vítor Emanuel ofereceu ao papa as leis de garantia, mas Pio IX considerou-se prisioneiro no Vaticano e recusou qualquer conciliação. A questão romana só se resolveu em 1929 pelo Tratado de Latrão entre Mussolini e Pio XI, que criou o Estado do Vaticano.
  5. 5. Anita Garibaldi: uma heroína de dois mundos • Anita Garibaldi (1821-1849) foi a "Heroína dos Dois Mundos". Recebeu esse título por ter participado no Brasil e na Itália, ao lado de seu marido Giuseppe Garibaldi, de diversas batalhas. • Anita Garibaldi (1821-1849) nasceu em Laguna, Santa Catarina, no dia 30 de agosto de 1821. • Com a morte de seu pai, foi obrigada a casar com o sapateiro Manuel Duarte de Aguiar, com apenas 14 anos, casa-se na Igreja Matriz de Santo Antônio dos Anjos. • O casamento durou apenas três anos, o marido se alistou no exército imperial e Anita voltou para casa de sua mãe.
  6. 6. • Durante a Guerra dos Farrapos ela conheceu o guerrilheiro italiano Giuseppe Garibaldi, por quem se apaixonou. • Anita participou ativamente do combate em Imbituba, Santa Catarina e da batalha de Laguna onde carregou e disparou um canhão. • Durante a Batalha de Curitibanos, Anita foi capturada pelas tropas do Império. Grávida de seu primeiro filho, conseguiu fugir a cavalo e saiu a sua procura, localizando o marido na cidade de Vacaria. • Em 1842, Anita e Giuseppe casam-se na paróquia de San Bernardino. • Em 1847 o casal vai para a Itália, levando seus três filhos. Giuseppe participa das primeiras manifestações públicas que resultariam nas lutas pela unidade e independência da Itália. • Em 1849, Garibaldi e Anita são perseguidos enquanto iam participar dos combates em Roma, quando Anita é cai doente com febre tifoide e morre.
  7. 7. Consequências da Unificação da Itália e a Imigração para o Brasil • Um dos fatores que mais contribuiu para o grande número de imigrantes para a o Brasil e outros países da América na segunda metade do século XIX foi a guerra de unificação da Itália. • Com a unificação da Itália, o governo passou a não dar a devida atenção aos trabalhadores do campo, deixando a agricultura em situação desfavorável no país. • A má qualidade de vida foi ao encontro das propagandas brasileiras na Europa em favor da emigração para o Brasil, a união dos dois fatores foi decisiva para estimular a movimentação dos indivíduos, o que deixou vilas inteiras da Itália vazias por conta da mudança de seus habitantes para o Novo Mundo.
  8. 8. A Unificação da Alemanha • Para que ocorre a unificação foi necessário: 1 – O desenvolvimento econômico e social no reino da Prússia (norte da Alemanha); 2 – A existência de uma união aduaneira entre os estados (Zollverein); 3 – A liderança de Otto von Bismarck
  9. 9. • Bismarck achava que a unidade alemã deveria ser obtida pela força, através de uma luta contra a Áustria. Por isso, organizou militarmente o Reino da Prússia. • Com aprovação apenas da Câmara dos Nobres, Bismarck passou a governar despoticamente e transformou o exército em instrumento da unificação alemã.
  10. 10. Mapa da Europa de 1870, na forma de charge.
  11. 11. • Bismarck usou a guerra contra a França - que se opunha a unificação – como forma de unir todos os reinos germânicos contra um inimigo comum. • Bismarck utiliza uma questão simples de sucessão de trono para provocar a França e forçá-la a declarar guerra à Prússia. • O exército alemão era mais numeroso e bem treinado. • A França foi obrigada a ceder as regiões da Alsácia e Lorena e ainda se comprometia a pagar indenização de 5 bilhões de francos. • A unificação da Alemanha se completava. • Ocorreu uma ruptura do equilíbrio europeu: no prazo de algumas décadas, a Alemanha iria se transformar na primeira potência econômica e militar da Europa.
  12. 12. Algumas consequências da Unificação da Alemanha • Dentre os vários resultados do processo de unificação da Alemanha está o grande desenvolvimento alcançado por aquele país. • Em pouco mais de duas décadas a Alemanha se tornou uma das maiores potências mundiais e uma ameaça a países como a Inglaterra. • A França, por sua vez, tornou-se uma das grandes rivais da Alemanha, guardando forte ressentimento com relação à derrota humilhante na guerra. • Esse ressentimento e a rivalidade político-econômica com a Inglaterra forneceriam o combustível para a eclosão da I Guerra Mundial, em 1914.

×