Quadrinhos e movimentos sociais

6.609 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.609
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.082
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
67
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Quadrinhos e movimentos sociais

  1. 1. Quadrinhos, Históriae os MovimentosSociais Natania Nogueira nogueira.natania@gmail.com Valéria Fernandes shojofan@gmail.com
  2. 2. • Os quadrinhos são uma forma de expressar medos e desejos de grupos sociais diversos.• Antropologia, sociologia e história podem recorrer desta fonte para identificar estas demandas assim como os grupos que se sentem ameaçados por questões sociais como o tráfico e consumo de drogas, a violência urbana e pobreza mundial, por exemplo.
  3. 3. OS QUADRINHOS INSTITUCIONAIS• Tem se tonado comum o uso de quadrinhos com finalidade educacional para se tratar de temas de interesse geral como ecologia, direitos das crianças, prevenção contra acidentes e doenças.• Alguns estúdios especializaram-se na produção deste tipo de material, algumas vezes encomendado por empresas particulares, outras por órgãos do governo.• Nomes como Maurício de Sousa e Ziraldo podem ser associados a este tipo de quadrinho, que é distribuído em comunidades e em escolas.
  4. 4. A Turma da Mônica em: o estatuto da criança e do Ziraldo. Os Direitos Humanos. Disponível emadolescente. Disponível em: http://www.promenino.org.br/Portals/0/Biblioteca/Chttp://www.fundacaofia.com.br/ceats/eca_gibi/capa. artilhaZiraldo_DH.pdf, acesso em 02/06/2012.htm, acesso em 20/04/2011.
  5. 5. • Quadrinhos institucionais têm por objetivo a conscientização do público leitos.• São produzidos para públicos específicos e nem sempre são reeditados pois geralmente são utilizados em campanhas temporárias.• Mas este tipo de ação afirmativa pode ser encontrada, também, em quadrinhos comerciais
  6. 6. Combatendo preconceitos: os quadrinhos e o Bullying• Um tema que tem sido cada vez mais frequente dentro e fora da escola é o BULLYING.• É possível encontrar quadrinhos produzidos nas escolas e associados a este tema em blogs de professores.• Alguns cartunistas colocam o tema em tiras e em histórias curtas que são publicadas na internet na forma de quadrinhos digitais ou em jornais de circulação local ou regional.
  7. 7. Allan Sieber, publicado na Folhateen de segunda-feira, 2 de maio de 2011.Disponível em http://viverindagaragir.blogspot.com.br/2011/05/reaja-ao-bullying.html , acesso em 12/05/2012
  8. 8. Maurício de Sousa abordou oBullying em uma edição daTurma da Mônica Jovem.Revista Turma da MônicaJovem, n. 45. Publicada pelaPanini em abril de 2012, aedição fala sobre o bullying,seus efeitos para a vítima ecomo ela deve reagir.A personagem da Mônicaadolescente aproveita paraesclarecer que nunca sofreubullying de seus amigos.
  9. 9. A revista é, possivelmente, um resposta a críticas recebidas pelo criador dapersonagem que, entre outras coisas, afirmava que a Mônica criança sofriabullying de seus amigos.
  10. 10. Referência a atos de violência cometidos por vítimas do bullying, p. 112
  11. 11. Vitima reage à agressão sem recorrer à violência : autoestima recuperada.
  12. 12. OS SUPER-HERÓIS E A SOCIEDADE• Os super-heróis surgiram no década de 1930.• O primeiro foi o Superman, criado por Jerry Siegel e Joe Shuster e teve sua primeira aparição na revista Action Comics #1 (Junho de 1938).• Eles acabaram tornando-se mitos, ícones da sociedade moderna agindo, segundo Iuri Reblin, como regulamentadores das classes sociais, dos costumes, dos valores e até meios de sobrevivência (REBLIN, 2008).• Os super-heróis surgem para salvar a sociedade , para punir aqueles que não se enquadram nas regras sociais e, em muitos casos, para lembrar a humanidade das suas limitações.
  13. 13. O Super-Homem e a Fome Mundial • As histórias do Super-Homem possuem muitas referências teológicas que podem ser exploradas. Nelas o mito do salvador está constantemente presente. • Na aventura Paz na Terra, publicada no Brasil em maio de 1999, busca-se aproximar o super-herói dos problemas da humanidade. • Na história, o Super-Homem deseja aliviar a fome mundial. • Encontra muitos obstáculos e chega à conclusão de que não pode sozinho mudar o mundo. • Frustrado, muda sua estratégia: agora ele pretende ensinar os homens a combater a fome.
  14. 14. “Enfrentar o problema da fome é diferente deenfrentar um supervilão porque não há um malpersonificado contra qual o herói possa lutar.Diferentemente de uma narrativa típica de umasuperaventura, na qual o herói, representante dobem, combate o vilão, representante do mal, e ahumanidade é vitima, nesta história o mal não éretratado como um vilão, ele está, na verdade, nocoração das pessoas.” (REBLIN, 2012, p. 175-6).
  15. 15. Os super-heróis e a violência urbana• Quadrinhos são utilizados como forma de denúncia para problemas da sociedade, local ou mundial.• Se o Super-Homem não é capaz que combater a fome, vigilantes urbanos como o Homem Aranha não conseguem deter o mal causado pelas armas ou pelas drogas.• Estes foram temas específicos de duas histórias publicadas pela Marvel.
  16. 16. A história “A cidade apresenta suas armas” foi publicada originalmente emPeter Parker, The Spectacular Spider-Man (1976) n° 71/1982 - Marvel Comics
  17. 17. O problema das armas de fogo.• Na história A cidade apresenta suas armas, o herói não consegue deter o mal causado pelo uso de armas de fogo pela sociedade civil.• De forma quase didática o drama das mortes causadas pelo uso de armas de fogo, legalizadas ou não, é apresentado .• Outro apelo à mobilização da sociedade civil, usando, inclusive , dados reais sobre a questão do porte de armas nos Estados Unidos, na década de 1970.
  18. 18. O Homem Aranha. São Paulo: Abril, n. 42, 1982
  19. 19. • Sobre as armas de fogo na década de 1970 nos Estados Unidos, ZIMRING e HAWKINS afirmam:“O uso de armas de fogo em assaltos e roubos é a únicacaracterística ambiental da sociedade americana queestá claramente ligada à taxa extraordinária de morte,resultante da violência interpessoal nos Estados Unidos”(GARDNER, 2010, p. 152)• Citando, também, Márcia Regina da Costa:“Nos anos 60 e início dos 70, tanto nos Estados Unidoscomo na Europa, a prática da violência passou aexpressar uma nova tendência, com um aumentogradativo do número de crimes.” (COSTA, 1999).
  20. 20. Edição americana - 1976 Edição brasileira - 1985
  21. 21. As drogas e a juventude• Como herói urbano o Homem Aranha tem muitas de suas aventuras envolvendo bandidos comuns como assaltantes de banco e traficantes.• Em três histórias publicas originalmente nos Estados Unidos no ano de 1979 dois temas chama a atenção: as drogas e os fugitivos.• A revista marca a estreia de dois personagens: Manto e Adaga, que fugiram de suas casas e caíram nas mãos de traficantes.
  22. 22. Manto e Adaga eram garotosfugitivos e quando chegaram àrodoviária de Nova York, foramsequestrados por traficantes daquadrilha do mafioso Cabelos dePrata.Os bandidos lhes injetaram drogasexperimentais que pretendiamlançar nas ruas. Essas drogasgeraram mutação em ambos,tornando Manto dependente deAdaga.Manto precisa das adagasluminosas de Tandy. Ele sempretem fome de luz. Assim, Mantotornou-se a escuridão e Adaga, aluz.
  23. 23. • Na história podemos identificar estereótipos sociais latentes: Manto é um rapaz negro e pobre, Adaga uma menina branca, rica e bem criada.• No entanto, a cor da pele e a origem social impediram Adaga se tornasse uma adolescente fugitiva nem que fosse sequestrada por traficantes.• A sociedade se preocupa com as famílias e a HQ alerta para as consequências que o uso de drogas pode causar, principalmente a dependência.• Existe ainda um paralelo entre o aumento da criminalidade e das mortes por armas de fogo e o tráfico de drogas no contexto em que as HQs foram produzidas.
  24. 24. O homem animal e o ativismo ecológico• O Homem Animal é Homem-Animal foi criado pelo roteirista Dave Wood e pelo desenhista Carmine Infantino em setembro de 1965, para o número 180 da revista Strange Adventures.• Seu sucesso veio nos anos de 1980 quando o escritor inglês Grant Morrison assumiu o personagem que passou a ter histórias abordando temas como a extinção dos animais, o terrorismo ecológico e o uso desumano de cobaias em laboratórios.• Ativista ambiental, O Homem Animal é uma subversão do modelo tradicional do super-herói norte-americano.
  25. 25. • Morrison utiliza uma personagem fictícia para especular sobre problemas do mundo social que são do seu interesse.• O autor se torna-se ativista ambientam e expressa suas ideias por meio dos quadrinhos tornando o arco de história escrito por ele como uma representação de um movimento social surgido na década de 1970 e que crescia durante a década de 1980.• O Homem Animal tem servido de fonte de pesquisa em História Ambiental na década de 1980.
  26. 26. O Homem Animal reformulado por Grant Morrison
  27. 27. O PROFESSOR DE HISTÓRIA E A SOCIEDADE• Quadrinhos podem ser fontes de pesquisa histórica mas podem, principalmente, chamar a atenção dos jovens para a importância do debate dentro e fora da sala de aula.• Nos quadrinhos mais antigos, publicados nas décadas de 1950, 1960, 1970 ou nos mais recentes, de gêneros variados, o professor de história pode encontrar material para desenvolver com seu aluno habilidades de análise, comparação e reflexão fundamentais para que ele aprenda que história não apenas se lê, mas se vive.
  28. 28. O incentivo ao debate• O papel do professor é de mediador.• Ele deve incentivar o debate e utilizar os elementos necessários para inspira seu aluno a pensar e compartilhar seus pensamentos.• Passado e presente devem estar sempre conectados.• O aluno deve sentir-se parte da história para poder entender seu sentido.
  29. 29. Fontes utilizadasArtigos/livros/teses: • COSTA, Márcia Regina da . A violência urbana é particularidade da sociedade brasileira? São Paulo Perspec. vol.13 no.4 São Paulo Oct./Dec. 1999. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-88391999000400002, acesso em 06/06/2012. • GATNER, Rosemary .Tendências do crime e da punição no Canadá e nos Estados Unidos DILEMAS: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social - Vol. 3 - no 10 - OUT/NOV/DEZ 2010 - pp. 143-166. Disponível em http://revistadil.dominiotemporario.com/doc/Dilemas10Art7.pdf, acesso em 06/06/2012. • REBLIN, Iuri Andreas. Para o Alto e Avante: uma análise do universo criativo dos super- heróis. Porto Alegre: Asteriso, 2008. • --------------------------. A superaventura :da narratividade e sua expressividade à sua potencialidade teológica. Tese de doutorado para a obtenção do grau de doutor em Teologia pela Escola Superior de Teologia, São Leopoldo, 2012. • RODRIGUES, Márcio dos Santos. Ativismo em defesa dos animais nas histórias em quadrinhos da década de 1980: análise do caso “Homem animal”. Veredas da História. Disponível em http://veredasdahistoria.kea.kinghost.net/edicao4/Art.27_Ativismo_defesa_Animais_revi sado.pdf, acesso em 10/06/2012.
  30. 30. Quadrinhos: • O Homem Aranha. São Paulo: Abril, n. 75, 1985. • O Homem Aranha. São Paulo: Abril, n. 42, 1982. • A Turma da Mônica em: o estatuto da criança e do adolescente. Disponível em: http://www.fundacaofia.com.br/ceats/eca_gibi/capa.ht m, acesso em 20/04/2011. • Super-Homem: Paz na Terra. São Paulo: Abril, 1999. • Turma da Mônica Jovem. São Paulo: Panini, n.45, 2012. • Ziraldo. Os Direitos Humanos. Disponível em http://www.promenino.org.br/Portals/0/Biblioteca/Cartil haZiraldo_DH.pdf, acesso em 02/06/2012..

×