Primeira república

495 visualizações

Publicada em

Resumo da matéria para 8 ano

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
495
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Primeira república

  1. 1. NATANIA NOGUEIRA NOGUEIRA.NATANIA@GMAIL.COM WWW.HISTORIADOENSINO.BLOGSPOT.COM A Primeira República
  2. 2. A PROCLAMAÇÃO A República foi proclamada em 15 de novembro de 1889, por um grupo formado por militares e civis. Os intelectuais adeptos do positivismo tiveram um papel importante neste processo. O governo provisório foi instalado tendo a frente o Marechal Deodoro da Fonseca.
  3. 3. O GOVERNO DE DEODORO Deodoro da Fonseca governou provisoriamente até 1891, quando foi eleito presidente. Durante este período, a Constituição da República foi escrita e aprovada. O Brasil entrou em uma grande crise econômica, apelidada de encilhamento. O Governo de Deodoro durou poucos meses. Seu autoritarismo e sua recusa em obedecer à Constituição levou à sua renuncia.
  4. 4. O encilhamento foi uma desastrosa política econômica implementada por Rui Barbosa, ministro da economia. A emissão descontrolada e papel moeda, liberação de empréstimos e a venda de ações de empresas que não existiam fizeram com que a bolsa de valores do Rio de Janeiro quebrasse, assim como muitos bancos e empresas, fazendo o país mergulhar numa grave crise econômica, afetando principalmente as classes populares. O ENCILHAMENTO
  5. 5. O GOVERNO DE FLORIANO PEIXOTO Em seu lugar entrou o Vice- Presidente, Floriano Peixoto. O governo de Floriano foi marcado por revoltas e pela crise econômica. Floriano se preocupou com os mais pobres, congelando presos e tentando diminuir o impacto da crise sobre os mais pobres, o que o tornou um presidente popular. Os inimigos políticos ele conseguiu neutralizar, podendo governar quase sem oposição política.
  6. 6. Durante seu governo, enfrentou duas revoltas: A REVOLTA DA FEDERATIVA (1893-1894): ocorreu no Rio Grande de Sul, onde grupos aliados de Floriano, defensores da república federalista enfrentaram seus opositores, que desejavam o retorno do parlamentarismo, tal como existia na monarquia. A REVOLTA DA ARMADA (1893-1894): Ocorreu no Rio de Janeiro. A marinha do Rio de Janeiro desejava novas eleições pois estava insatisfeita com o seu papel secundário dentro da República.
  7. 7. A REPÚBLICA DAS OLIGARQUIAS  O sucessor de Floriano foi Prudente de Morais. Ele foi o primeiro presidente civil, e representante das oligarquias.  As Oligarquias eram as grandes família, notadamente de proprietários de terras, que passaram a comandar a política no Brasil, através do CORONELISMO.  O Coronel era um líder local que controlava a política nos municípios garantindo a eleição de deputados, senadores, governadores e presidente da República, através de fraudes e do voto de cabresto.
  8. 8. A POLÍTICA DOS GOVERNADORES Foi criada por Campos Sales. Os governadores se comprometiam a apoiar o governo federal, que em contrapartida não interferia nas questões políticas de cada estado. Era uma política de troca de favores que favorecia principalmente os Estados mais poderosos, Minas e São Paulo, que acabaram dominando o cenário nacional com a “Política do café com Leite”.
  9. 9. POLÍTICA DO CAFÉ COM LEITE - Aliança política entre Minas Gerais e São Paulo, através de seus partidos regionais, o PRM (Partido Republicano Mineiro) e o PRP (Partido Republico Paulista). - Minas e São Paulo eram os Estados mais poderosos do Brasil. - Houve momentos de ruptura desse acordo, durante a República das Oligarquias. Um deles foi durante as eleições de 1929, com a formação da Aliança Liberal, que defendia a candidatura de Getúlio Vargas.
  10. 10. ECONOMIA O Brasil era um país tipicamente agrário. Aproximadamente 70% da população vivia no campo. O principal produto de exportação era o café, mas também eram exportados açúcar, cacau, borracha e algodão. Durante a República o café passou por sucessivas crises e o governo procurou sempre diminuir o prejuízo dos cafeicultores.
  11. 11. O CONVÊNIO DE TAUBATÉ O Convênio de Taubaté, que reuniu representantes dos Estados produtores de café, ocorreu em 1906. Ele deu início às várias políticas de valorização do café e fundamentava-se na contração de empréstimos para comprar o café estocado, e no estabelecimento de um novo imposto a ser pago em ouro sobre cada saca de café que fosse comercializada fora do país - este novo imposto visava o pagamento dos juros cobrados pelo empréstimo realizado. Foi feita, também, uma intensa propaganda do café brasileiro no exterior.
  12. 12. O CANGAÇO Movimento social ocorrido no interior do nordeste. O cangaceiro era um bandido social, pessoa forçada a se envolver no crime, seja por uma injustiça que lhe tenha sido causada, seja como forma de sobreviver. O nordeste era uma das regiões mais pobres, exploradas e ignoradas pelo governo federal. O cangaceiro mais famoso foi Lampião, chamado de o rei do cangaço.
  13. 13. A GUERRA DE CANUDOS Aconteceu na Bahia. Foi um movimento messiânico, liderado por Antônio Conselheiro. O Arraial de Canudos (Belo Monte) era habitado por seguidos de Conselheiro, pessoas pobres que buscavam melhores condições de vida. Cerca de 14 mil pessoas foram mortas pelo exército brasileiro, que atacou o arraial, a mando da Igreja e dos Coronéis.
  14. 14. GUERRA DO CONTESTADO O Contestado era uma região disputada pelo Paraná e Santa Catarina. Lá havia exploração de madeira e eva-mate. Os pequenos proprietários foram expulsos de suas terras pelas madeireiras e para a construção de uma ferrovia. Foram reunidos em uma comunidade por um beato, José Maria. A comunidade foi atacada pelas autoridades e pelo exercito brasileiro, até que se rendeu, depois de muita resistência.
  15. 15. REVOLTA DA VACINA Ocorreu no Rio de Janeiro. A reforma urbana promovida pelo prefeito Pereira Passos expulsou os pobres do centro da cidade. O Rio palco de uma série de epidemias (varíola, febre amarela, peste bubônica). Foi decretada vacinação obrigatória. A população reagiu em uma série de revoltas nas rua da cidade.
  16. 16. REVOLTA DA CHIBATA Ocorreu durante o Governo de Hermes da Fonseca. Marinheiros se rebelaram contra os baixos salários, péssimas condições de trabalho e castigos físicos. Os líderes foram presos e enviados para o Acre. Apenas dois sobreviveram, mas as suas reivindicações foram atendidas.
  17. 17. MOVIMENTO OPERÁRIO BRASILEIRO As primeiras industrias brasileiras surgiram ainda no século XIX. Durante a I Guerra, devido a necessidade de substituição de exportações, a industria cresceu. Os operário eram, principalmente, imigrantes. Os imigrantes trouxeram para o Brasil as ideias socialistas (anarquismos, comunismo, socialismo). O movimento operário brasileiro se baseou nas ideias anarcossindicalistas.
  18. 18. •Em 1917 ocorreu uma grande greve e o movimento operário ganhou força. •Os trabalhadores ganhavam muito pouco. •Havia exploração do trabalho de crianças e de mulheres. •Os salários das mulheres eram metade do salário dos homens. •Trabalhava-se de 12 a 16 horas por dia.
  19. 19. MOVIMENTO TENENTISTA Foi o primeiro grande movimento de oposição à oligarquias. Começou com a revolta dos 18 do Forte. Seu ponto máximo foi a Coluna Prestes. Os tenentes representam os anseios da classe média, excluída das decisões políticas e do exército, cujo papel na direção do país foi se esvaziando durante a Primeira República.
  20. 20. O FIM DO GOVERNO DAS OLIGARQUIAS Na sucessão presidencial de 1930, São Paulo e Minas Gerais discordaram sobre o nome do candidato que disputaria o pleito. O presidente Washington Luiz apoiou a candidatura do paulista Julio Prestes, ao invés de apoiar a candidatura do mineiro Antônio Carlos. Essa atitude levou Minas Gerais a romper com a aliança com os paulista. Rio Grande do Sul e da Paraíba e Minas formaram um grupo político de oposição chamado Aliança Liberal, que lançou a candidatura de Getúlio Vargas, tendo como vice o paraibano João Pessoa. Nas eleições de 1930 eles foram derrotados , mas Julio Prestes não chegou a tomar posse, porque meses depois das eleições eclodiu a revolução que colocou Getúlio Vargas no poder.

×