Formação dos estados nacionais modernos e absolutismo

55.765 visualizações

Publicada em

Resumo sobre Minarquisas nacionais e absolutismo

Publicada em: Educação
3 comentários
23 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
55.765
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4.628
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.505
Comentários
3
Gostaram
23
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Formação dos estados nacionais modernos e absolutismo

  1. 1. FORMAÇÃO DOS ESTADOS NACIONAIS MODERNOS E ABSOLUTISMO Prof. Natania Nogueira E-mail: [email_address] 2011
  2. 2. Da Idade Média para a Idade Moderna <ul><li>A partir do século XII, a Europa Medieval passou por grandes mudanças: </li></ul><ul><li>1 – Surgiram os primeiros Estados Nacionais; </li></ul><ul><li>2 – Ocorreu o renascimento das cidades e do comércio; </li></ul><ul><li>3 – O poder dos nobres enfraqueceu devido às revoltas camponesas e às dividas contraídas durante as cruzadas; </li></ul><ul><li>4 – Surge a Burguesia, um grupo formado por comerciantes ricos. </li></ul>
  3. 4. Os Estados Nacionais <ul><li>Os Estados Nacionais surgiram da unificação dos feudos em uma determinada região. </li></ul><ul><li>Suas características são: </li></ul><ul><li>1 – Poder centralizado nas mãos do rei (executivo, legislativo, judiciário). </li></ul><ul><li>2 – Submissão da nobreza feudal que se torna nobreza cortesã. </li></ul><ul><li>3 – Aliança entre o rei e a Burguesia </li></ul><ul><li>4 – Unificação de pesos e medidas </li></ul><ul><li>5 – Moeda nacional </li></ul><ul><li>6 – Exército Nacional </li></ul>
  4. 5. Os primeiros Estados Nacionais <ul><li>O primeiro Estado Nacional foi Portugal, que fez sua unificação no século XII. </li></ul><ul><li>Os reis portugueses conseguiram expulsar os mulçumanos e com o apoio da burguesia consolidaram seu poder. </li></ul>
  5. 6. A guerra da reconquista
  6. 7. A Espanha fez sua unificação através do casamento de Fernando de Aragão e Isabel de Castela.
  7. 8. <ul><li>O Estado Nacional Inglês tem como característica a existência da Magna Carta e do Parlamento. </li></ul><ul><li>Os franceses fizeram a unificação depois da Guerra dos 100 anos. </li></ul><ul><li>Após concretizado o processo de unificação, surgiu o Absolutismo, forma de monarquia que caracterizou os governos das principais potências européias até o século XIX. </li></ul>
  8. 10. O ABSOLUTISMO <ul><li>São características do absolutismo: </li></ul><ul><li>Centralização do poder nas mãos do rei </li></ul><ul><li>Aliança entre rei e burguesia </li></ul><ul><li>Mercantilismo </li></ul><ul><li>O mercantilismo é um conjunto de regras criado para regulamentar a economia mercantil </li></ul>
  9. 11. Os principais defensores do absolutismo <ul><li>Os teóricos do absolutismo foram filósofos que defenderam a centralização do poder dos reis como sendo a melhor forma de se governar um país. </li></ul><ul><li>Os principais teóricos foram: </li></ul>
  10. 12. Nicolau Maquiavel <ul><li>Filósofo italiano </li></ul><ul><li>Escreveu O Príncipe, livro considerado um manual para os reis absolutistas </li></ul><ul><li>Para ele os fins justificam os meios </li></ul>
  11. 13. Jacques Bossuet <ul><li>Justificava o poder dos reis pela vontade de Deus: o rei era escolhido por Deus para governar. </li></ul><ul><li>Suas idéias deram origem à TEORIA DO DIREITO DIVINO DOS REIS. </li></ul>
  12. 14. Thomas Hobbes <ul><li>Hobbes afirmava que o rei deveria impor sua autoridade para poder manter a ordem social, mesmo que tivesse que impor a força. </li></ul><ul><li>Para ele, o homem era incapaz de viver em sociedade sem leis e sem justiça. </li></ul><ul><li>Sua frase mais famosa é “o homem é lobo do próprio homem”. </li></ul>
  13. 15. O absolutismo na Inglaterra <ul><li>O Absolutismo na Inglaterra teve início após a guerra das Duas Rosas. Essa guerra foi uma luta entre duas famílias nobres – os Lancaster e os York -, apoiadas por grupos rivais da nobreza . A guerra terminou com a ascensão de Henrique Tudor, apoiado pela burguesia. O novo monarca subiu ao trono com o nome de Henrique VII e fundou a dinastia Tudor. Seu reinado foi de 1485 a 1509. </li></ul><ul><li>Henrique VIII, segundo rei da dinastia, governou até 1547 e conseguiu impor sua autoridade aos nobres, com o auxílio da burguesia. Fundador do anglicanismo, seu rompimento com a Igreja católica permitiu-lhe assumir o controle das propriedades eclesiásticas na Inglaterra. </li></ul>
  14. 17. <ul><li>A rainha Elizabeth I, que reinou de 1558 a 1603, conseguiu aumentar ainda mais o poder real. Completou a obra de Henrique VIII, seu pai, consolidando a Igreja anglicana. </li></ul><ul><li>Incentivou o comércio e a navegação, incentivando o crescimento da economia inglesa. </li></ul><ul><li>Foi durante seu reinado que teve início a colonização inglesa na América do Norte. </li></ul><ul><li>Elizabeth morreu sem deixar herdeiros e, por isso, subiu ao trono seu primo Jaime I, que deu início à dinastia Stuart. </li></ul>
  15. 18. O absolutismo na França <ul><li>O absolutismo vigorou na França entre os séculos 16 e 18, período conhecido como Antigo Regime - ou Ancien Regime , para os franceses. Trata-se de uma longa fase da história monárquica francesa, dominada em sua maior parte pela dinastia dos Bourbon. </li></ul><ul><li>O ápice do absolutismo francês ocorreu sob o reinado de Luís XIV, o Rei Sol. Seu extenso governo foi o modelo acabado do Antigo Regime francês, tendo influenciado outras monarquias europeias, suas contemporâneas. </li></ul>
  16. 19. A noite de São Bartoloneu e o Edito de Nantes <ul><li>O processo centralizador foi marcado, no século XVI, pelas disputas religiosas. </li></ul><ul><li>Esses conflitos envolviam a burguesia, nobreza e populares e se referia à fragmentação de poder e à imposição de limites ao poder real. </li></ul><ul><li>As lutas se intensificaram no governo de Carlos IX, envolvendo a burguesia calvinista (huguenotes) e a nobreza católica. </li></ul><ul><li>O auge desse conflito foi a noite de São Bartolomeu, 24 de agosto de 1572, quando milhares de protestantes foram massacrados em Paris. </li></ul><ul><li>No governo de Henrique IV, ocorreu a pacificação do país, com a conversão ao catolicismo, com o decreto de liberdade de culto aos protestantes, por meio do Edito de Nantes. Porém, nos governos seguintes ocorreu a retomada dos conflitos ocasionando o declínio da França e a ascensão da Inglaterra como potência européia. </li></ul>
  17. 21. Luiz XIV – O Rei sol <ul><li>Também conhecido como Rei Sol, Luís XIV governou a França entre 1643 a 1715, período em que promoveu mudanças na economia, na política, no exército e nos costumes franceses. </li></ul><ul><li>Associava sua figura a imagens míticas, como a do Sol e usou da Teoria do Direito Divino para exercer seu poder de forma centralizada. </li></ul><ul><li>Luís XIV foi um dos maiores exemplos de rei absolutista especialmente pela organização político-social que construiu em torno de si mesmo. Sua frase mais famosa traduz a extensão do seu poder: L'État c'est moi - o Estado sou eu. </li></ul>

×