A crise do Império e os primeiros anos da República no Brasil

2.304 visualizações

Publicada em

Matéria sobre fim do Império e início da República no Brasil.

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.304
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
260
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
64
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A crise do Império e os primeiros anos da República no Brasil

  1. 1. AA CCrriissee ddoo IImmppéérriioo ee aa PPrriimmeeiirraa RReeppúúbblliiccaa Natania A S Nogueira nogueira.natania@gmail.com www.historiadoensino.blogspot.com
  2. 2. REPENSANDO A ESCRAVIDÃO • Podemos dizer que a escravidão caminha para seu fim com a lei Eusébio de Queirós, que acaba em 1850 com o tráfico negreiro. • No país cresce a campanha abolicionista, que foi um movimento público pela libertação dos escravos. • O sistema escravista foi sendo extinto lentamente, de maneira a não prejudicar os proprietários de escravos.
  3. 3. A camélia é o símbolo dos abolicionistas
  4. 4. Principais leis abolicionistas 1. Lei do Ventre Livre (1871): declarava livres todos os filhos de escravos nascidos no Brasil. 2. Lei dos Sexagenários(1885):declarava livres os escravos com mais de 65 anos, o que significava libertar os donos de escravos da "inútil" obrigação de sustentar alguns raros negros velhos que conseguiram sobreviverà brutal exploração de seu trabalho. 3. Lei Áurea (1888), promulgada pela princesa Isabel, filha de D. Pedro II, efetivou a abolição da escravidão no Brasil.
  5. 5. A GUERRA DO PARAGUAI • O governo paraguaio investiu na produção interna, no desenvolvimento da indústria e no bem estar social. • Objetivo: criar um país forte e soberano. • O Paraguai era livre da exploração do capitalismo internacional. • O desenvolvimento do Paraguai desagradava profundamente a Inglaterra.
  6. 6. • Como o Paraguai não se enquadrava no esquema do capitalismo industrial inglês, para a Inglaterra ele representava um "mau exemplo que precisava ser destruído. • A Inglaterra ajudou o Brasil, a Argentina e o Uruguai na luta contra o Paraguai. • Brasil, Argentina e Uruguai formaram aTríplice Aliança contra o Paraguai e deram. • O que alimentou a Guerra do Paraguai foram questões econômicas • Iniciada em 1865, a Guerra do Paraguai durou cinco anos terminando em 1870.
  7. 7. A crise política do Império • A monarquia brasileira na década de 1880 estava enfraquecida. Colaborou para isso: • O crescimento do movimento republicano entre militares, fazendeiros e a classe média urbana. • O fortalecimento do exército após a Guerra do Paraguai e a recusa do Imperador em permitir que os militares participassem mais ativamente da política nacional (Questão Militar). • O distanciamento da Igreja, devido a questão de desacordo entre o Imperador e Papa que acabaram gerando a “Questão Religiosa”. • A abolição da escravidão sem indenização dos proprietários de escravos (Questão servil).
  8. 8. A PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA • A República foi proclamada em 15 de novembro de 1889, por um grupo formado por militares e civis. • Os intelectuais adeptos do positivismo tiveram um papel importante neste processo. • O governo provisório foi instalado tendo a frente o Marechal Deodoro da Fonseca.
  9. 9. O GOVERNO DE DEODORO • Deodoro da Fonseca governou provisoriamente até 1891, quando foi eleito presidente. • Durante este período, a Constituição da República foi escrita e aprovada. • O Brasil entrou em uma grande crise econômica, apelidada de encilhamento.
  10. 10. • O encilhamento foi uma desastrosa política econômica implementada por Rui Barbosa, ministro da economia. • A emissão descontrolada e papel moeda, liberação de empréstimos e a venda de ações de empresas que não existiam fizeram com que a bolsa de valores do Rio de Janeiro quebrasse, assim como muitos bancos e empresas, fazendo o país mergulhar numa grave crise econômica, afetando principalmente as classes populares.
  11. 11. O GOVERNO DE FLORIANO PEIXOTO • O Governo de Deodoro durou poucos meses. • Seu autoritarismo e sua recusa em obedecer à Constituição levou à sua renuncia. • Em seu lugar entrou o Vice-Presidente, Floriano Peixoto. • O governo de Floriano foi marcado por revoltas e pela crise econômica. • Floriano se preocupou com os mais pobres, congelando presos e tentando diminuir o impacto da crise sobre os mais pobres, o que o tornou um presidente popular. • Os inimigos políticos ele conseguiu neutralizar, podendo governar quase sem oposição política.
  12. 12. • Durante seu governo, enfrentou duas revoltas: A REVOLTA DA FEDERATIVA (1893-1894): ocorreu no Rio Grande de Sul, onde grupos aliados de Floriano, defensores da república federalista enfrentaram seus opositores, que desejavam o retorno do parlamentarismo, tal como existia na monarquia. A REVOLTA DA ARMADA (1893-1894): Ocorreu no Rio de Janeiro. A marinha do Rio de Janeiro desejava novas eleições pois estava insatisfeita com o seu papel secundário dentro da República.
  13. 13. A REPÚBLICA DAS OLIGARQUIAS • O sucessor de Floriano foi Prudente de Morais. Ele foi o primeiro presidente civil, e representante das oligarquias. • As Oligarquias eram as grandes família, notadamente de proprietários de terras, que passaram a comandar a política no Brasil, através do CORONELISMO. • O Coronel era um líder local que controlava a política nos municípios garantindo a eleição de deputados, senadores, governadores e presidente da República, através de fraudes e do voto de cabresto.
  14. 14. O CANGAÇO • Movimento social ocorrido no interior do nordeste. • O cangaceiro era um bandido social, pessoa forçada a se envolver no crime, seja por uma injustiça que lhe tenha sido causada, seja como forma de sobreviver. • O nordeste era uma das regiões mais pobres, exploradas e ignoradas pelo governo federal. • O cangaceiro mais famoso foi Lampião, chamado de o rei do cangaço.
  15. 15. A GUERRA DE CANUDOS • Aconteceu na Bahia. • Foi um movimento messiânico, liderado por Antônio Conselheiro. • O Arraial de Canudos (Belo Monte) era habitado por seguidos de Conselheiro, pessoas pobres que buscavam melhores condições de vida. • Cerca de 14 mil pessoas foram mortas pelo exército brasileiro, que atacou o arraial, a mando da Igreja e dos Coronéis.
  16. 16. GUERRA DO CONTESTADO • O Contestado era uma região disputada pelo Paraná e Santa Catarina. • Lá havia exploração de madeira e eva-mate. • Os pequenos proprietários foram expulsos de suas terras pelas madeireiras e para a construção de uma ferrovia. • Foram reunidos em uma comunidade por um beato, José Maria. • A comunidade foi atacada pelas autoridades e pelo exercito brasileiro, até que se rendeu, depois de muita resistência.

×