SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
Espectro da luz
Onda eletromagnética
É um propagação de energia através de um campo elétrico
e magnético que oscilam perpendicularmente entre si, que
no vácuo tem uma velocidade c de 3. 108 m/s.
Toda onda eletromagnética é
transversal
Grandezas físicas de
uma onda
𝑪𝒐𝒎𝒑𝒓𝒊𝒎𝒆𝒏𝒕𝒐 𝒅𝒆 𝒐𝒏𝒅𝒂 𝝀 𝐞 𝑨𝒎𝒑𝒍𝒊𝒕𝒖𝒅𝒆 𝑨
𝑭𝒓𝒆𝒒𝒖ê𝒏𝒄𝒊𝒂 𝒇 𝒆 𝑷𝒆𝒓𝒊𝒐𝒅𝒐(𝑻)
𝑓 =
1
𝑇
𝑇 =
1
𝑓
𝑽𝒆𝒍𝒐𝒄𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆 𝒅𝒆 𝒖𝒎𝒂 𝒐𝒏𝒅𝒂
𝒆𝒍𝒆𝒕𝒓𝒐𝒎𝒂𝒈𝒏é𝒕𝒊𝒄𝒂
𝑣 = 𝜆. 𝑓
Espectro eletromagnético
Luz
É uma onda eletromagnética que sensibiliza
nossas células visuais
Espectro da luz
𝑇𝐻𝑧 = 1012
𝐻𝑧
Luz monocromática
É a luz constituída de uma única frequência
(cor).
Luz policromática
É a luz constituída de muitas frequências
(cores).
Cor de um corpo
Issac Newton (1666)
“A cor de um corpo é
determinada pela luz
que ele reflete
difusamente.
Cor de um corpo
Sensação de cor para o ser
humano.
Cores resultantes (aditivas) das cores primárias
Sensações visuais
Cores primárias
Aplicações
1- Um pedaço de tecido vermelho,
quando observado numa sala iluminada
com luz azul, parece:
a) preto
b) branco
c) vermelho
d) azul
e) amarelo
2-As folhas de uma árvore, quando
iluminadas pela luz do Sol,
mostram-se verdes porque:
a) refletem difusamente a luz verde
do espectro solar;
b) absorvem somente a luz verde do
espectro solar;
c) refletem difusamente todas as
cores do espectro solar, exceto o
verde;
d) difratam unicamente a luz verde
do espectro solar;
e) a visão humana é mais sensível a
essa cor.
3-(ENEM-2009)Sabe-se que o olho humano não
consegue diferenciar componentes de cores e vê
apenas a cor resultante, diferentemente do
ouvido, que consegue distinguir, por exemplo,
dois instrumentos diferentes tocados
simultaneamente. Os raios luminosos do
espectro visível, que têm comprimento de onda
entre 380 nm e 780 nm, incidem na córnea,
passam pelo cristalino e são projetados na
retina. Na retina, encontram-se dois tipos de
fotorreceptores, os cones e os bastonetes, que
convertem a cor e a intensidade da luz
recebida em impulsos nervosos.
Os cones distinguem as cores primárias:
vermelho, verde e azul, e os bastonetes
diferenciam apenas níveis de intensidade, sem
separar comprimentos de onda. Os impulsos
nervosos produzidos são enviados ao cérebro
por meio do nervo óptico, para que se dê a
percepção da imagem.
Um indivíduo que, por alguma deficiência,
não consegue captar as informações
transmitidas pelos cones, perceberá um
objeto branco, iluminado apenas por luz
vermelha, como
a) um objeto indefinido, pois as células que
captam a luz estão inativas.
b) um objeto rosa, pois haverá mistura da
luz vermelha com o branco do objeto.
c) um objeto verde, pois o olho não consegue
diferenciar componentes de cores.
d) um objeto cinza, pois os bastonetes
captam luminosidade, porém não diferenciam
cor.
e) um objeto vermelho, pois a retina capta a
luz refletida pelo objeto, transformando-a
em vermelho.
4-(ENEM 2011)Para que uma substância seja
colorida ela deve absorver luz na região do
visível. Quando uma amostra absorve luz visível,
a cor que percebemos é a soma das cores restantes
que são refletidas ou transmitidas pelo objeto. A
Figura 1 mostra o espectro de absorção para uma
substância e é possível observar que há um
comprimento de onda em que a intensidade de
absorção é máxima. Um observador pode prever a
cor dessa substância pelo uso da roda de cores
(Figura 2): o comprimento de onda correspondente
à cor do objeto é encontrado no lado oposto ao
comprimento de onda da absorção máxima.
Qual a cor da substância que deu origem ao
espectro da Figura 1?
a) Azul.
b) Verde.
c) Violeta.
d) Laranja.
e) Vermelho.
4-(ENEM-2019) Os olhos humanos normalmente
têm três tipos de cones responsáveis pela
percepção das cores: um tipo para tons
vermelhos, um para tons azuis e outro para
tons verdes. As diversas cores que
enxergamos são o resultado da percepção das
cores básicas, como indica a figura.
A protanopia,é um tipo de daltonismo
em que há diminuição ou ausência de
receptores da cor vermelha. Considere
um teste com dois voluntários: uma
pessoa com visão normal e outra com
caso severo de protanopia. Nesse
teste, eles devem escrever a cor dos
cartões que lhes são mostrados. São
utilizadas as cores indicadas na
figura.
Para qual cartão os dois voluntários
identificarão a mesma cor?
a) Vermelho.
b) Magenta.
c) Amarelo.
d) Branco.
e) Azul

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

5 intervalo de confiança
5   intervalo de confiança5   intervalo de confiança
5 intervalo de confiançaFernando Lucas
 
Lista de exercícios ligações químicas
Lista de exercícios   ligações químicasLista de exercícios   ligações químicas
Lista de exercícios ligações químicasProfª Alda Ernestina
 
Modelos atomicos exerc.
Modelos atomicos exerc.Modelos atomicos exerc.
Modelos atomicos exerc.Lucy Silva
 
Tipos de conhecimentos aula
Tipos de conhecimentos aulaTipos de conhecimentos aula
Tipos de conhecimentos aulamaloa
 
Atividades física 2 ano prof. waldir montenegro
Atividades física 2  ano prof. waldir montenegroAtividades física 2  ano prof. waldir montenegro
Atividades física 2 ano prof. waldir montenegroWaldir Montenegro
 
3° Bimestre_1° Avaliação_3° ano EJA_AM_BM
3° Bimestre_1° Avaliação_3° ano EJA_AM_BM3° Bimestre_1° Avaliação_3° ano EJA_AM_BM
3° Bimestre_1° Avaliação_3° ano EJA_AM_BMO mundo da FÍSICA
 
avaliação 9 ano química
avaliação 9 ano químicaavaliação 9 ano química
avaliação 9 ano químicadaianafrs
 
Questionário de pesquisa de campo
Questionário de pesquisa de campoQuestionário de pesquisa de campo
Questionário de pesquisa de campoGecilene Silva
 
Lista de exercícios estrutura atômica
Lista de exercícios estrutura atômicaLista de exercícios estrutura atômica
Lista de exercícios estrutura atômicaNai Mariano
 
Radiação Eletromagnetica
Radiação EletromagneticaRadiação Eletromagnetica
Radiação Eletromagneticageracao3d
 
Exercícios de fixação Química
Exercícios de fixação QuímicaExercícios de fixação Química
Exercícios de fixação QuímicaClaudia Rossi
 
Trabalho e Energia Mecânica
Trabalho e Energia MecânicaTrabalho e Energia Mecânica
Trabalho e Energia MecânicaPibid Física
 
Exercícios extras_processos de eletrização e lei de coulomb
Exercícios extras_processos de eletrização e lei de coulombExercícios extras_processos de eletrização e lei de coulomb
Exercícios extras_processos de eletrização e lei de coulombO mundo da FÍSICA
 

Mais procurados (20)

5 intervalo de confiança
5   intervalo de confiança5   intervalo de confiança
5 intervalo de confiança
 
Lista de exercícios ligações químicas
Lista de exercícios   ligações químicasLista de exercícios   ligações químicas
Lista de exercícios ligações químicas
 
Modelos atomicos exerc.
Modelos atomicos exerc.Modelos atomicos exerc.
Modelos atomicos exerc.
 
Tipos de conhecimentos aula
Tipos de conhecimentos aulaTipos de conhecimentos aula
Tipos de conhecimentos aula
 
Atividades física 2 ano prof. waldir montenegro
Atividades física 2  ano prof. waldir montenegroAtividades física 2  ano prof. waldir montenegro
Atividades física 2 ano prof. waldir montenegro
 
3° Bimestre_1° Avaliação_3° ano EJA_AM_BM
3° Bimestre_1° Avaliação_3° ano EJA_AM_BM3° Bimestre_1° Avaliação_3° ano EJA_AM_BM
3° Bimestre_1° Avaliação_3° ano EJA_AM_BM
 
avaliação 9 ano química
avaliação 9 ano químicaavaliação 9 ano química
avaliação 9 ano química
 
Questionário de pesquisa de campo
Questionário de pesquisa de campoQuestionário de pesquisa de campo
Questionário de pesquisa de campo
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Lista de exercícios estrutura atômica
Lista de exercícios estrutura atômicaLista de exercícios estrutura atômica
Lista de exercícios estrutura atômica
 
Tabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º anoTabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º ano
 
O que é a Física?
O que é a Física?O que é a Física?
O que é a Física?
 
Eletrização
EletrizaçãoEletrização
Eletrização
 
Física energia
Física   energiaFísica   energia
Física energia
 
Radiação Eletromagnetica
Radiação EletromagneticaRadiação Eletromagnetica
Radiação Eletromagnetica
 
Atividade tabela periódica
Atividade   tabela periódicaAtividade   tabela periódica
Atividade tabela periódica
 
Exercícios de fixação Química
Exercícios de fixação QuímicaExercícios de fixação Química
Exercícios de fixação Química
 
Trabalho e Energia Mecânica
Trabalho e Energia MecânicaTrabalho e Energia Mecânica
Trabalho e Energia Mecânica
 
Exercícios extras_processos de eletrização e lei de coulomb
Exercícios extras_processos de eletrização e lei de coulombExercícios extras_processos de eletrização e lei de coulomb
Exercícios extras_processos de eletrização e lei de coulomb
 
Atividades sobre densidade
Atividades sobre densidadeAtividades sobre densidade
Atividades sobre densidade
 

Semelhante a Espectro luminoso (20)

A cor
A corA cor
A cor
 
Aula 01 teoria da cor
Aula 01   teoria da corAula 01   teoria da cor
Aula 01 teoria da cor
 
Aula 04 linguagem gráfica no jornalismo
Aula 04   linguagem gráfica no jornalismoAula 04   linguagem gráfica no jornalismo
Aula 04 linguagem gráfica no jornalismo
 
Sem Luz não existe Cor
Sem Luz não existe CorSem Luz não existe Cor
Sem Luz não existe Cor
 
Espetro eletromagnético.pptx
Espetro eletromagnético.pptxEspetro eletromagnético.pptx
Espetro eletromagnético.pptx
 
A luz como onda 2012
A luz como onda   2012A luz como onda   2012
A luz como onda 2012
 
A luz como onda 2012
A luz como onda   2012A luz como onda   2012
A luz como onda 2012
 
Aula_análise instrumental.pptx
Aula_análise instrumental.pptxAula_análise instrumental.pptx
Aula_análise instrumental.pptx
 
Teoria da cor2
Teoria da cor2Teoria da cor2
Teoria da cor2
 
Aula 06 - Fundamentos Teoria da Cor 2022.pdf
Aula 06 - Fundamentos Teoria da Cor 2022.pdfAula 06 - Fundamentos Teoria da Cor 2022.pdf
Aula 06 - Fundamentos Teoria da Cor 2022.pdf
 
Cor
CorCor
Cor
 
Compreendendo o Mundo Linguagem Visual
Compreendendo o Mundo Linguagem VisualCompreendendo o Mundo Linguagem Visual
Compreendendo o Mundo Linguagem Visual
 
Pp Luz Cor M5 Cga
Pp Luz Cor M5 CgaPp Luz Cor M5 Cga
Pp Luz Cor M5 Cga
 
Ciência das Cores.pdf
Ciência das Cores.pdfCiência das Cores.pdf
Ciência das Cores.pdf
 
Qual a cor_do_power_ranger
Qual a cor_do_power_rangerQual a cor_do_power_ranger
Qual a cor_do_power_ranger
 
Luz cor 1
Luz cor 1Luz cor 1
Luz cor 1
 
Refração da luz e o Modelo Atômico de Bohr
Refração da luz e o Modelo Atômico de BohrRefração da luz e o Modelo Atômico de Bohr
Refração da luz e o Modelo Atômico de Bohr
 
01 frequencia
01 frequencia01 frequencia
01 frequencia
 
Luz e Pigmento módulo 5 CGAV
Luz e Pigmento módulo 5 CGAVLuz e Pigmento módulo 5 CGAV
Luz e Pigmento módulo 5 CGAV
 
Brotero - Imagem (1ª parte)
Brotero - Imagem (1ª parte)Brotero - Imagem (1ª parte)
Brotero - Imagem (1ª parte)
 

Mais de Secretaria de Estado de Educação do Pará

Mais de Secretaria de Estado de Educação do Pará (20)

Operações com Naturais - 1ª Atividade Avaliativa - 1ª Série - FGB.pdf
Operações com Naturais - 1ª Atividade Avaliativa - 1ª Série - FGB.pdfOperações com Naturais - 1ª Atividade Avaliativa - 1ª Série - FGB.pdf
Operações com Naturais - 1ª Atividade Avaliativa - 1ª Série - FGB.pdf
 
02 - Introdução aos Números Naturais
02 - Introdução aos Números Naturais02 - Introdução aos Números Naturais
02 - Introdução aos Números Naturais
 
03 - Sistema de Numeração Decimal
03 - Sistema de Numeração Decimal03 - Sistema de Numeração Decimal
03 - Sistema de Numeração Decimal
 
04 - Adição com Números Naturais
04  - Adição com Números Naturais04  - Adição com Números Naturais
04 - Adição com Números Naturais
 
01 - Sistemas de Numeração
01 - Sistemas de Numeração01 - Sistemas de Numeração
01 - Sistemas de Numeração
 
Plano de estudo dirigido 8° ano
Plano de estudo dirigido   8° anoPlano de estudo dirigido   8° ano
Plano de estudo dirigido 8° ano
 
Plano de estudo dirigido 7° ano
Plano de estudo dirigido   7° anoPlano de estudo dirigido   7° ano
Plano de estudo dirigido 7° ano
 
ALGORITMOS DO PASSADO: as diferentes tecnicas de multiplicação
ALGORITMOS DO PASSADO: as diferentes tecnicas de multiplicaçãoALGORITMOS DO PASSADO: as diferentes tecnicas de multiplicação
ALGORITMOS DO PASSADO: as diferentes tecnicas de multiplicação
 
Análise combinatória I - exercícios - AP 19
Análise combinatória I - exercícios - AP 19Análise combinatória I - exercícios - AP 19
Análise combinatória I - exercícios - AP 19
 
Probabilidade I - exercícios - AP 21
Probabilidade I - exercícios - AP 21Probabilidade I - exercícios - AP 21
Probabilidade I - exercícios - AP 21
 
Análise combinatória II - exercícios - AP 20
Análise combinatória II - exercícios - AP 20 Análise combinatória II - exercícios - AP 20
Análise combinatória II - exercícios - AP 20
 
Geometria III - habilidade 8 e 9 - AP 18
Geometria III - habilidade 8 e  9 - AP 18Geometria III - habilidade 8 e  9 - AP 18
Geometria III - habilidade 8 e 9 - AP 18
 
Geometria II - habilidade 8 da matriz ENEM - AP 17
Geometria II - habilidade 8 da matriz ENEM - AP 17Geometria II - habilidade 8 da matriz ENEM - AP 17
Geometria II - habilidade 8 da matriz ENEM - AP 17
 
Geometria I - habilidade 6 e 7 da matriz ENEM - AP 16
Geometria I - habilidade 6 e 7 da matriz ENEM - AP 16Geometria I - habilidade 6 e 7 da matriz ENEM - AP 16
Geometria I - habilidade 6 e 7 da matriz ENEM - AP 16
 
Função exponencial - definições e exercícios - AP 13
Função exponencial - definições e exercícios - AP 13Função exponencial - definições e exercícios - AP 13
Função exponencial - definições e exercícios - AP 13
 
Sequências - pa e pg - definições e exercícios - AP 15
Sequências - pa e pg - definições e exercícios - AP 15Sequências - pa e pg - definições e exercícios - AP 15
Sequências - pa e pg - definições e exercícios - AP 15
 
Função logarítmica - definições propriedades e exercícios - AP 14
Função logarítmica - definições propriedades e exercícios - AP 14Função logarítmica - definições propriedades e exercícios - AP 14
Função logarítmica - definições propriedades e exercícios - AP 14
 
Função quadrática - definições e exercícios - AP 12
Função quadrática - definições e exercícios - AP 12Função quadrática - definições e exercícios - AP 12
Função quadrática - definições e exercícios - AP 12
 
Teoria dos conjuntos - definições e exercícios - AP 10
Teoria dos conjuntos - definições e exercícios - AP 10Teoria dos conjuntos - definições e exercícios - AP 10
Teoria dos conjuntos - definições e exercícios - AP 10
 
Porcentagem - Definições e exercícios - AP 08
Porcentagem - Definições e exercícios - AP 08Porcentagem - Definições e exercícios - AP 08
Porcentagem - Definições e exercícios - AP 08
 

Último

A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSdjgsantos1981
 

Último (20)

A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
 

Espectro luminoso

  • 2. Onda eletromagnética É um propagação de energia através de um campo elétrico e magnético que oscilam perpendicularmente entre si, que no vácuo tem uma velocidade c de 3. 108 m/s. Toda onda eletromagnética é transversal
  • 4. 𝑪𝒐𝒎𝒑𝒓𝒊𝒎𝒆𝒏𝒕𝒐 𝒅𝒆 𝒐𝒏𝒅𝒂 𝝀 𝐞 𝑨𝒎𝒑𝒍𝒊𝒕𝒖𝒅𝒆 𝑨
  • 5. 𝑭𝒓𝒆𝒒𝒖ê𝒏𝒄𝒊𝒂 𝒇 𝒆 𝑷𝒆𝒓𝒊𝒐𝒅𝒐(𝑻) 𝑓 = 1 𝑇 𝑇 = 1 𝑓 𝑽𝒆𝒍𝒐𝒄𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆 𝒅𝒆 𝒖𝒎𝒂 𝒐𝒏𝒅𝒂 𝒆𝒍𝒆𝒕𝒓𝒐𝒎𝒂𝒈𝒏é𝒕𝒊𝒄𝒂 𝑣 = 𝜆. 𝑓
  • 7. Luz É uma onda eletromagnética que sensibiliza nossas células visuais
  • 9. Luz monocromática É a luz constituída de uma única frequência (cor).
  • 10. Luz policromática É a luz constituída de muitas frequências (cores).
  • 11. Cor de um corpo Issac Newton (1666) “A cor de um corpo é determinada pela luz que ele reflete difusamente.
  • 12. Cor de um corpo
  • 13. Sensação de cor para o ser humano.
  • 14. Cores resultantes (aditivas) das cores primárias
  • 17. 1- Um pedaço de tecido vermelho, quando observado numa sala iluminada com luz azul, parece: a) preto b) branco c) vermelho d) azul e) amarelo 2-As folhas de uma árvore, quando iluminadas pela luz do Sol, mostram-se verdes porque: a) refletem difusamente a luz verde do espectro solar; b) absorvem somente a luz verde do espectro solar; c) refletem difusamente todas as cores do espectro solar, exceto o verde; d) difratam unicamente a luz verde do espectro solar; e) a visão humana é mais sensível a essa cor.
  • 18. 3-(ENEM-2009)Sabe-se que o olho humano não consegue diferenciar componentes de cores e vê apenas a cor resultante, diferentemente do ouvido, que consegue distinguir, por exemplo, dois instrumentos diferentes tocados simultaneamente. Os raios luminosos do espectro visível, que têm comprimento de onda entre 380 nm e 780 nm, incidem na córnea, passam pelo cristalino e são projetados na retina. Na retina, encontram-se dois tipos de fotorreceptores, os cones e os bastonetes, que convertem a cor e a intensidade da luz recebida em impulsos nervosos. Os cones distinguem as cores primárias: vermelho, verde e azul, e os bastonetes diferenciam apenas níveis de intensidade, sem separar comprimentos de onda. Os impulsos nervosos produzidos são enviados ao cérebro por meio do nervo óptico, para que se dê a percepção da imagem. Um indivíduo que, por alguma deficiência, não consegue captar as informações transmitidas pelos cones, perceberá um objeto branco, iluminado apenas por luz vermelha, como a) um objeto indefinido, pois as células que captam a luz estão inativas. b) um objeto rosa, pois haverá mistura da luz vermelha com o branco do objeto. c) um objeto verde, pois o olho não consegue diferenciar componentes de cores. d) um objeto cinza, pois os bastonetes captam luminosidade, porém não diferenciam cor. e) um objeto vermelho, pois a retina capta a luz refletida pelo objeto, transformando-a em vermelho.
  • 19. 4-(ENEM 2011)Para que uma substância seja colorida ela deve absorver luz na região do visível. Quando uma amostra absorve luz visível, a cor que percebemos é a soma das cores restantes que são refletidas ou transmitidas pelo objeto. A Figura 1 mostra o espectro de absorção para uma substância e é possível observar que há um comprimento de onda em que a intensidade de absorção é máxima. Um observador pode prever a cor dessa substância pelo uso da roda de cores (Figura 2): o comprimento de onda correspondente à cor do objeto é encontrado no lado oposto ao comprimento de onda da absorção máxima. Qual a cor da substância que deu origem ao espectro da Figura 1? a) Azul. b) Verde. c) Violeta. d) Laranja. e) Vermelho.
  • 20. 4-(ENEM-2019) Os olhos humanos normalmente têm três tipos de cones responsáveis pela percepção das cores: um tipo para tons vermelhos, um para tons azuis e outro para tons verdes. As diversas cores que enxergamos são o resultado da percepção das cores básicas, como indica a figura. A protanopia,é um tipo de daltonismo em que há diminuição ou ausência de receptores da cor vermelha. Considere um teste com dois voluntários: uma pessoa com visão normal e outra com caso severo de protanopia. Nesse teste, eles devem escrever a cor dos cartões que lhes são mostrados. São utilizadas as cores indicadas na figura. Para qual cartão os dois voluntários identificarão a mesma cor? a) Vermelho. b) Magenta. c) Amarelo. d) Branco. e) Azul