O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
S. Felíx da Marinha, Fevereiro de 2011 Sexualidade
Sexualidade  ? ? ? ? ? ? ? ?
“ A  vida sexual transforma-se constantemente ao longo de toda a evolução individual, porém só desaparece com a morte” Mir...
Somos sexuados <ul><li>O nosso corpo é sexuado (sistema endócrino, órgãos genitais internos e externos, cérebro, figura co...
<ul><li>A sexualidade é diferente  em cada idade  (maior diferença entre pré e pós puberdade). O desejo, interesses sexuai...
Factores psicossociais que condicionam a actividade  sexual a partir da idade adulta  <ul><li>Modelo da sexualidade domina...
<ul><li>Condições físicas inadequadas (álcool, fadiga física ou mental, obesidade, falta de higiene) diminuem o desejo e i...
<ul><ul><li>Há mais mulheres do que homens.  </li></ul></ul><ul><ul><li>Exº em Espanha entre </li></ul></ul><ul><ul><li>65...
<ul><li>A moral sexual é mais rígida para as mulheres, </li></ul><ul><li>Homens dão mais valor a aspectos da sexualidade q...
Saúde Física O  envelhecimento fisiológico é importante para a compreensão da diminuição da actividade  sexual. M udanças ...
A  doença pode reduzir ou impedir o interesse pela sexualidade em qualquer idade; M uitas disfunções sexuais na idade avan...
<ul><li>Feminino:  </li></ul><ul><li>-Os ovários diminuem progressivamente de tamanho; </li></ul><ul><li>-As Trompas de Fa...
Conhecimemtos sobre a sexualidade M uitos homens deixam de ter relações e sentem-se incapazes porque  não compreendem as m...
Problemas ligados à sexualidade <ul><li>D isfunção sexual de causa orgânica </li></ul><ul><li>D isfunção Eréctil; </li></u...
T ambém se produz um aumento da prevalência de disfunções sexuais devidas a causas médicas, psicológicas e/ou como efeito ...
Disfunção Eréctil N a maioria dos casos, as alterações da erecção devem-se a múltiplos factores, sendo a alteração vascula...
A  dispareunia, ou coito (acto) doloroso, é o sintoma mais frequente nas disfunções sexuais da mulher. Mesmo que a causa m...
Q ualquer doença sistémica, que produza debilidade, repercutirá na actividade sexual de maneira inespecífica D iminuição o...
Disfunção sexual de  origem psíquica A  causa mais frequente de disfunção sexual de origem psíquica é a depressão. Esta po...
Contracepção de Barreira <ul><li>É um invólucro de látex que evita a gravidez e protege contra as Infecções Sexualmente Tr...
Como se coloca o preservativo?
<ul><li>Abrir a embalagem com cuidado sem utilizar tesouras, as unhas, os dentes e outros materiais cortantes </li></ul>
<ul><li>Deve colocar-se o preservativo só quando o pénis estiver em erecção e antes de qualquer contacto com a vagina </li...
<ul><li>Retirar o ar do reservatório </li></ul>
<ul><li>Apertar o reservatório e desenrolar o preservativo até à base do pénis </li></ul>
<ul><li>Logo a seguir à ejaculação, enquanto o pénis se encontra em erecção, retirar com cuidado o preservativo  </li></ul...
<ul><li>PRECAUÇÕES: </li></ul><ul><li>Verificar sempre a data de validade da embalagem do preservativo.  </li></ul><ul><li...
<ul><li>PRECAUÇÕES: </li></ul><ul><li>Nunca se deve usar um preservativo mais do que uma vez </li></ul><ul><li>Nunca se de...
<ul><li>VANTAGENS: </li></ul><ul><li>Protege contra as IST’s  </li></ul><ul><li>Não necessita de ser prescrito pelo médico...
<ul><li>É a fase mais avançada do VIH (vírus da imunodeficiência humana) </li></ul><ul><li>TRANSMISSÃO: através do sangue,...
<ul><li>TRATAMENTO </li></ul><ul><ul><li>Não existe nenhum medicamento eficaz </li></ul></ul><ul><ul><li>Existem medicamen...
A SIDA transmite-se: Partilhando seringas Partilhando a escova de dentes  Fazendo tatuagens com agulhas não esterilizadas ...
A SIDA não se transmite:  Utilizando os mesmos copos ou talheres Partilhando a roupa Através de beijos ou abraços Através ...
<ul><li>TRANSMISSÃO: através do sangue, da saliva, do suor, das lágrimas, das relações sexuais, da mãe para o feto e atrav...
<ul><li>TRANSMISSÃO: através das relações sexuais e da mãe para o filho na altura do parto </li></ul><ul><li>SINTOMAS: fer...
<ul><li>TRANSMISSÃO: através das relações sexuais e da roupa interior contaminada </li></ul><ul><li>SINTOMAS: prurido; ard...
<ul><li>TRANSMISSÃO: através das relações sexuais e da mãe para o feto </li></ul><ul><li>SINTOMAS: feridas nos órgãos geni...
<ul><li>Qualquer infecção sexualmente transmissível pode ser prevenida com a utilização correcta do </li></ul>SIDA SÍFILIS...
<ul><li>A sexualidade é uma parte importante da existência humana, em qualquer etapa da vida.      </li></ul>Conclusão
 
<ul><li>http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=4141&ReturnCatID=1770   </li></ul><ul><li>http://gballone.site...
<ul><li>Cruz AJ. Fisiopatología do Envejecimento.  En: Serna I. Psicogeriatría. Madrid: Jarpyo Editores; 1996.  </li></ul>...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sexualidade ao longo da vida

412 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Sexualidade ao longo da vida

  1. 1. S. Felíx da Marinha, Fevereiro de 2011 Sexualidade
  2. 2. Sexualidade ? ? ? ? ? ? ? ?
  3. 3. “ A vida sexual transforma-se constantemente ao longo de toda a evolução individual, porém só desaparece com a morte” Mira y López
  4. 4. Somos sexuados <ul><li>O nosso corpo é sexuado (sistema endócrino, órgãos genitais internos e externos, cérebro, figura corporal). </li></ul><ul><li>Somos psicossocialmente sexuados ( roupa que vestimos, nome, brinquedos, cultura…). </li></ul>
  5. 5. <ul><li>A sexualidade é diferente em cada idade (maior diferença entre pré e pós puberdade). O desejo, interesses sexuais e capacidade de enamoramento mantêm-se ao longo da vida… </li></ul><ul><li>Finalidade da sexualidade? </li></ul><ul><li>Reprodução mas também prazer, ternura, afecto. </li></ul>
  6. 6. Factores psicossociais que condicionam a actividade sexual a partir da idade adulta <ul><li>Modelo da sexualidade dominante (juvenil, genital, heterossexual, ao serviço da reprodução); </li></ul><ul><li>Modelo dominante da figura corporal atractiva (juventude, elegância, vigor físico); </li></ul><ul><li>Falta de parceiro sexual (viúvos, solteiros, dificuldades de saúde do parceiro); </li></ul><ul><li>Relações rotineiras, insatisfatórias ou conflituosas, diminuem normalmente o desejo sexual, grau de excitação e com o tempo, as próprias capacidades sexuais; </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Condições físicas inadequadas (álcool, fadiga física ou mental, obesidade, falta de higiene) diminuem o desejo e interesse sexual; </li></ul><ul><li>Dificuldades económicas e sociais muitas vezes associadas á aposentação, muito ligadas á tensão e sensação de marginalização que provocam; </li></ul><ul><li>Medo de não ser capaz de ter relações sexuais coitais ou de proporcionar prazer ao outro, limita pela ansiedade e insegurança que acarreta, a capacidade sexual; </li></ul><ul><li>Atitude da sociedade em geral (e dos filhos adultos), normalmente negativa, que os pais possam interessar-se pela actividades sexual; </li></ul>
  8. 8. <ul><ul><li>Há mais mulheres do que homens. </li></ul></ul><ul><ul><li>Exº em Espanha entre </li></ul></ul><ul><ul><li>65 e 74 anos há aprox. 131 mulheres para 100 homens </li></ul></ul><ul><ul><li>75 e 85 anos há aprox. 181 mulheres para 100 homens </li></ul></ul><ul><ul><li>mais de 85 anos há aprox. 229 mulheres para 100 homens </li></ul></ul><ul><ul><li>Há mais mulheres sem parceiros do que homens… </li></ul></ul>
  9. 9. <ul><li>A moral sexual é mais rígida para as mulheres, </li></ul><ul><li>Homens dão mais valor a aspectos da sexualidade que se deterioram á medida que os anos passam (erecção, capacidade de ter várias vezes relações sexuais num dia…); </li></ul><ul><li>As mulheres aceitam melhor as alterações biológicas e tendem a dar mais valor a aspectos como o afecto e a comunicação. </li></ul>
  10. 10. Saúde Física O envelhecimento fisiológico é importante para a compreensão da diminuição da actividade sexual. M udanças na mulher: O envelhecimento não é um factor que possa necessariamente originar a diminuição do interesse sexual na mulher, nem a sua capacidade sexual. M udanças no Homem: Contrariamente ao que acontece nas mulheres, nos homens não existe um fim definido da capacidade reprodutora.
  11. 11. A doença pode reduzir ou impedir o interesse pela sexualidade em qualquer idade; M uitas disfunções sexuais na idade avançada são ditas como disfunções secundárias como resultado de acção clínica e problemas psicológicos; A dúvida do seu funcionamento sexual e o impacto psicológico na incerteza das suas capacidades sexuais podem tornar-se obstáculos para a satisfação sexual; Saúde Física
  12. 12. <ul><li>Feminino: </li></ul><ul><li>-Os ovários diminuem progressivamente de tamanho; </li></ul><ul><li>-As Trompas de Falópio fazem-se filiformes; </li></ul><ul><li>-O útero regride para seu tamanho pré-púbere. ; </li></ul><ul><li>-O endométrio e a mucosa do colo uterino atrofiam-se; </li></ul><ul><li>-A vagina torna-se mais curta e menos elástica; </li></ul><ul><li>-A mucosa vaginal torna-se mais delgada e friável; </li></ul><ul><li>-Diminui a capacidade de lubrificação da vagina; </li></ul>Alterações do envelhecimneto que decorrem no aparelho genital: Masculino: -A erecção pode tornar-se mais flácida.; -É necessário mais tempo para alcançar o orgasmo, que é de menor duração; -Diminui o número de erecções nocturnas involuntárias; -O período refractário depois da erecção aumenta acentuadamente; -A ejaculação retarda-se. Isto pode ser uma vantagem para os homens que apresentam ejaculação precoce; -Reduz-se o líquido pré-ejaculatório; -A ejaculação é menos intensa.
  13. 13. Conhecimemtos sobre a sexualidade M uitos homens deixam de ter relações e sentem-se incapazes porque não compreendem as mudanças fisiológicas ligadas ao processo evolutivo, interpretando-as como sendo sintomas de impotência .
  14. 14. Problemas ligados à sexualidade <ul><li>D isfunção sexual de causa orgânica </li></ul><ul><li>D isfunção Eréctil; </li></ul><ul><li>D isfunção Sexual na Mulher; </li></ul><ul><li>D isfunção sexual de origem psíquica </li></ul>
  15. 15. T ambém se produz um aumento da prevalência de disfunções sexuais devidas a causas médicas, psicológicas e/ou como efeito secundário da medicação administrada; C om a idade há uma diminuição progressiva da actividade sexual no indivíduo causada pela intervenção das mudanças fisiológicas normais em interacção com os factores psicossociais; Disfunção sexual de causa orgânica
  16. 16. Disfunção Eréctil N a maioria dos casos, as alterações da erecção devem-se a múltiplos factores, sendo a alteração vascular o factor mais frequente na velhice; A s causas orgânicas de Transtornos da Erecção incluem: Q ualquer sinal de impotência provoca grande preocupação nos homens em geral <ul><li>A lterações Metabólicos e Endócrinos; </li></ul><ul><li>A lterações Neurológicos; </li></ul><ul><li>P erturbações Sistémicas; </li></ul><ul><li>A lterações vasculares; </li></ul><ul><li>M edicação; </li></ul><ul><li>T óxicos; </li></ul>
  17. 17. A dispareunia, ou coito (acto) doloroso, é o sintoma mais frequente nas disfunções sexuais da mulher. Mesmo que a causa mais frequente desse quadro seja a diminuição fisiológica da produção de estrogénios devido à menopausa, há outras alterações sistémicas que podem ser origem desta alteração (Kaiser, 1996). A atrofia vaginal pós-menopausa, com diminuição da lubrificação da mucosa, faz com que a vagina seja um órgão mais susceptível às lesões e infecções ( Kaiser, 1996). É raro que as mulheres de idade avançada, principalmente quando são influenciadas pela educação recebida, consultem especialistas neste tipo de problemas. Disfunção Sexual na Mulher
  18. 18. Q ualquer doença sistémica, que produza debilidade, repercutirá na actividade sexual de maneira inespecífica D iminuição ou perda do desejo sexual A incontinência urinária, que é uma alteração muito frequente em mulheres mais velhas Disfunção Sexual na Mulher
  19. 19. Disfunção sexual de origem psíquica A causa mais frequente de disfunção sexual de origem psíquica é a depressão. Esta pode ser responsável por 10% dos casos de impotência no idoso; (Kaiser, 1996) O utra patologia psíquica que pode resultar em alterações na função sexual é a alteração de ansiedade, em qualquer de suas formas (generalizada, pânico, fobia...); E m algumas circunstâncias são outras alterações orgânicas que provocam a disfunção sexual, mas não por efeito directo dessas alterações sobre o aparelho sexual;
  20. 20. Contracepção de Barreira <ul><li>É um invólucro de látex que evita a gravidez e protege contra as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST’s) </li></ul>
  21. 21. Como se coloca o preservativo?
  22. 22. <ul><li>Abrir a embalagem com cuidado sem utilizar tesouras, as unhas, os dentes e outros materiais cortantes </li></ul>
  23. 23. <ul><li>Deve colocar-se o preservativo só quando o pénis estiver em erecção e antes de qualquer contacto com a vagina </li></ul>
  24. 24. <ul><li>Retirar o ar do reservatório </li></ul>
  25. 25. <ul><li>Apertar o reservatório e desenrolar o preservativo até à base do pénis </li></ul>
  26. 26. <ul><li>Logo a seguir à ejaculação, enquanto o pénis se encontra em erecção, retirar com cuidado o preservativo </li></ul><ul><li>Ter atenção para não deixar sair nenhuma porção de esperma </li></ul><ul><li>Fechar com um nó e “deitar fora” </li></ul>
  27. 27. <ul><li>PRECAUÇÕES: </li></ul><ul><li>Verificar sempre a data de validade da embalagem do preservativo. </li></ul><ul><li>No caso de estar fora de prazo ou de a embalagem estar estragada, não utilizar esse preservativo </li></ul><ul><li>Qualquer medicamento que se aplique tanto no pénis como na vagina pode estragar o preservativo </li></ul>
  28. 28. <ul><li>PRECAUÇÕES: </li></ul><ul><li>Nunca se deve usar um preservativo mais do que uma vez </li></ul><ul><li>Nunca se deve usar dois preservativos ao mesmo tempo </li></ul><ul><li>Conservar a embalagem num lugar fresco e sem contacto directo com o sol </li></ul><ul><li>Embora seja muito raro, há pessoas que fazem alergia ao látex. Estas pessoas devem comprar “preservativos não-alérgicos” </li></ul>
  29. 29. <ul><li>VANTAGENS: </li></ul><ul><li>Protege contra as IST’s </li></ul><ul><li>Não necessita de ser prescrito pelo médico </li></ul><ul><li>Envolve o homem na contracepção e na prevenção das IST’s </li></ul><ul><li>DESVANTAGENS: </li></ul><ul><li>Embora seja muito raro, há pessoas que fazem alergia ao látex </li></ul><ul><li>Se não for usado correctamente, pode rasgar ou ficar dentro da vagina </li></ul>
  30. 30. <ul><li>É a fase mais avançada do VIH (vírus da imunodeficiência humana) </li></ul><ul><li>TRANSMISSÃO: através do sangue, das relações sexuais, da mãe para o feto e através do leite materno </li></ul><ul><li>SINTOMAS: fadiga, anemia, febre, perda de peso, alterações imunitárias, desenvolvimento de doenças oportunistas </li></ul>S I D A
  31. 31. <ul><li>TRATAMENTO </li></ul><ul><ul><li>Não existe nenhum medicamento eficaz </li></ul></ul><ul><ul><li>Existem medicamentos que utilizados continuamente, controlam os sintomas das doenças oportunistas </li></ul></ul>S I D A
  32. 32. A SIDA transmite-se: Partilhando seringas Partilhando a escova de dentes Fazendo tatuagens com agulhas não esterilizadas Através de relações sexuais sem preservativo Partilhando objectos pessoais cortantes Pela transmissão ao feto pela mãe
  33. 33. A SIDA não se transmite: Utilizando os mesmos copos ou talheres Partilhando a roupa Através de beijos ou abraços Através de relações sexuais com preservativo Através de contactos sociais e profissionais Brincando com portadores de SIDA
  34. 34. <ul><li>TRANSMISSÃO: através do sangue, da saliva, do suor, das lágrimas, das relações sexuais, da mãe para o feto e através do leite materno </li></ul><ul><li>SINTOMAS: cirrose, hepatite, manifestações semelhantes a à gripe (fraqueza, fadiga, febre e vómitos), pele amarela </li></ul><ul><li>TRATAMENTO: não existe nenhum medicamento eficaz; existem medicamentos que controlam os sintomas da Hepatite B </li></ul>ALERTA: Vacina-te!!!
  35. 35. <ul><li>TRANSMISSÃO: através das relações sexuais e da mãe para o filho na altura do parto </li></ul><ul><li>SINTOMAS: feridas nos órgãos genitais externos </li></ul><ul><li>TRATAMENTO: não existe nenhum medicamento eficaz; existem medicamentos que controlam e aliviam os sintomas do/a Herpes Genital </li></ul><ul><li>ALERTA : Herpes Labial Herpes genital </li></ul>
  36. 36. <ul><li>TRANSMISSÃO: através das relações sexuais e da roupa interior contaminada </li></ul><ul><li>SINTOMAS: prurido; ardor; corrimento vaginal semelhante à nata do leite; órgãos genitais inchados e vermelhos </li></ul><ul><li>TRATAMENTO: medicação; uso de roupa interior de algodão </li></ul><ul><li>ALERTA: Candidíase oral Candidíase vaginal </li></ul>C A N D I D A I S E
  37. 37. <ul><li>TRANSMISSÃO: através das relações sexuais e da mãe para o feto </li></ul><ul><li>SINTOMAS: feridas nos órgãos genitais; feridas na pele e mucosas </li></ul><ul><li>TRATAMENTO: antibióticos que curam a infecção </li></ul>
  38. 38. <ul><li>Qualquer infecção sexualmente transmissível pode ser prevenida com a utilização correcta do </li></ul>SIDA SÍFILIS HERPES PRESERVATIVO!!
  39. 39. <ul><li>A sexualidade é uma parte importante da existência humana, em qualquer etapa da vida.     </li></ul>Conclusão
  40. 41. <ul><li>http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=4141&ReturnCatID=1770 </li></ul><ul><li>http://gballone.sites.uol.com.br/sexo/sexo65.html ; </li></ul><ul><li>http://saude.sapo.pt/gkBp/266623.html ; </li></ul><ul><li>http://www.vivatranquilo.com.br/terceira_idade/colaboradores/ficar_jovem/avulsas/sexualidade.htm ; </li></ul><ul><li>http://gballone.sites.uol.com.br/sexo/sexo65.html ; </li></ul><ul><li>http://www.masculin.com.br/velhice.html ; </li></ul><ul><li>http://www.riototal.com.br/feliz-idade/medica06.htm ; </li></ul><ul><li>http://www.prosex.org.br/sexual2.html ; </li></ul><ul><li>http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=4141&ReturnCatID=1770; </li></ul>Bibliografia
  41. 42. <ul><li>Cruz AJ. Fisiopatología do Envejecimento. En: Serna I. Psicogeriatría. Madrid: Jarpyo Editores; 1996. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Cruz AJ, Mercé J. A Função Sexual. En: Ribera JM, Cruz AJ. Geriatría. Madrid: Idepsa; 1992. </li></ul><ul><li>Delo M. Et al. Sexual Feelings and Sexual Life in an Italian Sample of 335 Elderly 65 to 106 year olds. Archives of Gerontoly and Geriatrics 1998 </li></ul><ul><li>Kaiser FE. Sexuality in the Elderly. Geriatric Urology 1996 </li></ul><ul><li>Limentani A. Creativity ande the Thirde Age. International Journal of Psychoanalysis 1995 </li></ul><ul><li>Schiavi RC, Rehmam J. Sexuality ande Aging. Impotence 1995 </li></ul><ul><li>Serna I. Transformaciones Físicas e Psíquicas no Anciano. En: Serna I. Psicogeriatría. Madrid: Jarpyo Editores; 1996. </li></ul><ul><li>Steinke EE. Sexuality im Aging: Implications for Nursing Facility Staff. The Journal of Continuing Education in Nursing 1997 </li></ul>Bibliografia

×