Consilio dos Deuses

3.740 visualizações

Publicada em

Trabalho efectuado em Português, pelos alunos Rui e Adriano do 8CEF da EB2,3 de Vila Caiz - Amarante

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.740
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Consilio dos Deuses

  1. 1. Consílio dosDeuses Adriano Ferreira Nº 1 Rui Gonçalves Nº 13 8º cefEscola EB 2,3 de Vila Caiz 2011/2012
  2. 2. Escola EB 2,3 de Vila Caiz 2011/2012 Neste trabalho iremos apresentar a bibliografia de Luís De Camões e iremostambém fazer-lhe uma pequena entrevista. De seguida, vamos apresentar um pequeno resumo de umepisódiod’Os Lusíadas,mais concretamente o “Consílio dos deuses”. No final, procederemos à análise da estrutura formal desse mesmo episódio. Página | 1
  3. 3. Escola EB 2,3 de Vila Caiz 2011/2012 Bibliografia de Luís de CamõesSabe-se que o maior poeta português, Luís Vaz de Camões,nasceu provavelmente em Lisboa (Portugal), por volta de 1524e pertenceu a uma família da pequena nobreza, de origem galega. Este poeta do classicismo português possui obras que o colocam à altura dosgrandes poetas do mundo. Seu poema épico Os Lusíadas divide-se em dezcantos repartidos em oitavas. Esta epopeia tem como tema os feitos dosportugueses: suas guerras e navegações. Dono de um estilo de vida boémio, este escritor lusitano foi frequentador daCorte, viajou para o Oriente, esteve preso, passou por um naufrágio, foi tambémprocessado e terminou em miséria. Seus últimos anos de vida foram na maiscompleta pobreza. A bagagem literária deixada pelo escritor é de inestimável valor literário. Eleescreveu poesias líricas e épicas, peças teatrais, sonetos que em sua maior partesão verdadeiras obras de arte. Criador da linguagem clássica portuguesa, teve seu reconhecimento eprestígio cada vez mais elevados a partir do século XVI. Faleceu em Lisboa,Portugal, no ano de 1580. Seus livros vendem milhares de exemplaresatualmente, sendo que foram traduzidos para diversos idiomas (espanhol, inglês,francês, italiano, alemão, entre outros). Seus versos continuam vivos emdiversos filmes, músicas e roteiros. Página | 2
  4. 4. Escola EB 2,3 de Vila Caiz 2011/2012 Hoje vamos ter um grande escritor no nosso auditório,Luís de Camões,e iremosfazer-lhe uma pequena entrevista sobre a sua vida enquanto escritor.Entrevistador- Olá, bom dia, tudo bem? Hoje vamos-lhe fazer uma entrevista, umaspreguntas simples e fáceis.Onde nasceu?Luís de Camões- Nasci em Lisboa por volta de 1524 e pertenci a uma família dapequena nobreza, de origem galega.Entrevistador - Qual foi a sua inspiração para escrever o livro Os Lusíadas?Luís de Camões- A minha inspiração foi mais concretamente a coragem dos nossosPortugueses.Entrevistador - Gostou das suas viagens pelo Oriente? Passou por dificuldades?Luís de Camões- Sim, tive algumas dificuldades, mas para além disso foi bom, porqueconheci pessoas novas e aprendi…Entrevistador - Quando esteve na miséria,conseguiu ultrapassar as dificuldades semajudas?Luís de Camões- A verdade é que não consegui, tive ajuda. Estive na pobreza muitotempo, mas tive de me desenrascar.Entrevistador - A sua venda de livros foi muito elevada ou nem por isso?Luís de Camões- Os meus livros venderam milhares de exemplares, sendo que foramtraduzidos para diversos idiomas (espanhol, inglês, francês, italiano, alemão, entreoutros).Entrevistador - Quando e onde morreu?Luís de Camões- Morri em Lisboa, no ano de 1580.Entrevistador - Antes de morrer concretizou todos os seus sonhos?Luís de Camões- Não, faltaram alguns, mas nada de importante.Antes de vos deixarquero dizer que nós portugueses fomos os melhores a descobrir há cerca de 500 anos.Agora, deixo-vos, pois tenho que ir para outra entrevista de um colega seu.Obrigada pela sua atenção e um dia encontrar-nos-emos. Página | 3
  5. 5. Escola EB 2,3 de Vila Caiz 2011/2012 O canto I é constituído pela Proposição em que o poeta anuncia o que vai cantar, pela Invocação de inspiração às ninfas, pela Dedicatória do seu poema ao Rei D.Sebastião e pelo Consílio dos Deuses no Olimpo. Neste Consílio, os Deuses iam decidir se ajudavam os portugueses a chegar à Índia ou os impediam. Esta reunião era presidida por Júpiter, tendo estado presentes todos os Deuses convocados. Júpiter decide ajudá-los, pois considerou que os portugueses, pelos seus feitos passados, eram dignos de tal ajuda. Vénus apoia Júpiter, pois vê reflectida nos portugueses a força e a coragem do seu filho Eneias. Marte decide também a favor dos portugueses, pois sentia-se apaixonado por Vénus. Baco, pelo contrário, não queria que os portugueses fossem para a Índia com medo de perder a sua fama no Oriente. Página | 4
  6. 6. Escola EB 2,3 de Vila Caiz 2011/2012 Estrutura formal Onúmerode estrofes do episódio “Consílio dos Deuses” é de 23 e cada estrofetem 8 versos, que se chamam oitavas. O esquema rimático da estrofe 21 é ABABABCC. Os 6 primeiros versos têmrima cruzada e os últimos dois têmrima emparelhada. De seguida, vamos fazer a escansão dessa mesma estrofe: Dei/xam/ dos/ se/te/ Céus/ o/re/gi/men, Que/ do/po/der /mais/ al/to/ lhe/ foi/ da, Al/to/po/der,/ que/ só/ co/pen/sa/men Go/ver/no o/ Céu,/ a/ Te/rra/ e/ o/ Mar A/li/ se a/cha/ram/jun/tos/ num/ mo/men Os/ que ha/bi/tam/ o Ar/ctu/ro/con/ge/la E/ os/ que o /Aus/tro/ têm/ e os/ par/tes/on A Au/ro/ra/ nas/ce e o /cla/ro/ Sol/ se es/con Com isto, concluímos que todos os versos desta estrofe têm 10 sílabas métricas,denominando-se versos decassilábicos. Página | 5
  7. 7. Escola EB 2,3 de Vila Caiz 2011/2012 Gostámos de fazer este trabalho, porque ficámos a saber mais sobre Luís deCamões e uma das suas mais importantes e conhecidas obras, neste caso Os Lusíadas. Com este trabalho, aprendemos mais sobre um dos episódios da obra acimareferida, mais concretamente «O Consílio dos Deuses». Apesar de termos gostado de realizar este trabalho, sentimos algumasdificuldades na sua concretização, mais concretamente na elaboração da entrevista, poisnão sabíamos quais as questões mais importantes a formular. Página | 6

×