A Arte Barroca

2.066 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

A Arte Barroca

  1. 1. Origens e Características do Barroco O barroco foi uma tendência artística que se desenvolveu primeiramente nas artes plásticas e depois se manifestou na literatura, no teatro e na música. O berço do barroco é a Itália do século XVII, porém se espalhou por outros países europeus como, por exemplo, a Holanda, a Bélgica, a França e a Espanha. O barroco permaneceu vivo no mundo das artes até o século XVIII. Na América Latina, o barroco entrou no século XVII, trazido por artistas que viajavam para a Europa, e permaneceu até o final do século XVIII. Contexto histórico O barroco se desenvolve no seguinte contexto histórico: após o processo de Reformas Religiosas, ocorrido no século XVI, a Igreja Católica havia perdido muito espaço e poder. Mesmo assim, os católicos continuavam influenciando muito o cenário político, econômico e religioso na Europa. A arte barroca surge neste contexto e expressa todo o contraste deste período: a espiritualidade e teocentrismo da Idade Média com o racionalismo e antropocentrismo do Renascimento. Os artistas barrocos foram patrocinados pelos monarcas, burgueses e pelo clero. As obras de pintura e escultura deste período são rebuscadas, detalhistas e expressam as emoções da vida e do ser humano. A palavra barroco tem um significado que representa bem as características deste estilo. Significa "pérola irregular" ou "pérola deformada" e representa de forma pejorativa a idéia de irregularidade. O período final do barroco (século XVIII) é chamado de rococó e possui algumas peculiaridades, embora as principais características do barroco estão presentes nesta fase. No rococó existe a presença de curvas e muitos detalhes decorativos (conchas, flores, folhas, ramos). Os temas relacionados à mitologia grega e romana, além dos hábitos das cortes também aparecem com freqüência. Historia da arte Barroca A arte barroca estendeu-se por todo o século XVII e pelas primeiras décadas do XVIII. Surgiu em Roma e depois espalhou-se aos poucos por toda a Europa e a América Latina, assumindo características diversas ao longo do tempo. O barroco nasceu e se desenvolveu em princípios do século XVII na Roma dos papas. Mais que um estilo artístico, era um estilo de vida. É profundamente católico e foi usado como forma de expressão da mensagem religiosa da Contra-Reforma.
  2. 2. Barroco no Brasil Na metade do século XVIII, o Barroco já tinha entrado em declínio na Europa. Mas em algumas regiões do Brasil, especialmente em Minas Gerais, ele teve um último desenvolvimento, estimulado pela riqueza gerada pela descoberta de ouro e pedras preciosas. O artista mais original do barroco brasileiro foi Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1730-1814). Pintura Barroca Características do Barroco • Predominam as emoções e não o racionalismo. • Busca de efeitos decorativos e visuais, através de curvas, colunas retorcidas. • Entrelaçamento entre a arquitetura e escultura. • Violentos contrastes de luz e sombra. • Pinturas com efeitos ilusionistas, dando-nos às vezes a impressão de ver o céu, tal a aparência de profundidade conseguida. Características da Pintura Barroca Uma característica marcante da pintura barroca é o efeito de ilusão buscado pelos artistas. Isso se manifesta claramente nas pinturas feitas em tetos e paredes de igrejas ou palácios. Os artistas pintam cenas e elementos arquitetônicos (colunas, escadas, balcões, degraus) que dão uma incrível ilusão de movimento e ampliação de espaço, chegando, em alguns casos, a dar a impressão de que a pintura é a realidade e a parede, de fato, não existe. Outra característica da pintura barroca é a exploração do jogo de luz e sombra, como se pode observar, por exemplo, na obra do pintor italiano Caravaggio, que teve vários seguidores, dentro e fora da Itália. Um bom exemplo brasileiro desse ilusionismo é o teto pintado por Manuel da Costa Ataíde na igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto. Pintura Barroca no Brasil A pintura, até a segunda metade do século XVII, era feita em madeira, ou sobre pano, algumas emolduradas por talhas barrocas, num gênero que conviria melhor enquadrar no estilo Maneirista. Nossos pintores, sem formação acadêmica, trabalhavam sob a direção de um mestre. Recebiam das Ordens e Irmandades religiosas as estampas que deviam reproduzir. Como exceção a este quadro, temos a presença de pintores de formação européia na Igreja dos
  3. 3. Jesuítas. De maneira geral, os pintores baianos trabalharam a partir de estampas impressas na França, Itália, Holanda e Alemanha. O teto em perspectiva surgiu somente na segunda metade do século XVIII, com José Joaquim da Rocha. A pintura ilusionista do Barroco só chegou à Bahia no final do século XVIII, com José Joaquim Rocha. Principais Pintores  Caravaggio;  Michelangelo;  Tintoretto;  El Greco;  Velázquez;  Rembrandt;  Peter Paul Rubens  Manuel da Costa Ataíde Caravaggio Caravaggio (1573-1610), Michelangelo Merisi (apelidado Caravaggio), por ter nascido em Caravaggio, Itália. Identificado como um artista Barroco, estilo do qual ele é o primeiro grande representante. Iniciou sua carreira como assistente de pintor.Caravaggio foi um artista de personalidade forte. O que melhor caracteriza a sua pintura é o modo revolucionário como ele usa a luz. Ela não aparece como reflexo da luz solar, mas é criada intencionalmente pelo artista, para dirigir a atenção do observador. Michelangelo Miguel Ângelo di Lodovico Buonarroti Simoni (1475-1564), Capresse, Itália. Porém, o artista passou parte de sua infância e adolescência na cidade de Florença. Entre os anos de 1534 e 1541, trabalhou na pintura O Último Julgamento, na janela do altar da capela Sistina. Em 1547 foi indicado como o arquiteto oficial da Basílica de São Pedro no Vaticano. Tintoretto Jacopo Comin conhecido como Tintoretto (1515-1549), nascido na cidade de Veneza (Itália) Ainda jovem, ganha o apelido Tintoretto, pequeno tintureiro,
  4. 4. uma alusão ao ofício do pai, especialista em tintura de seda. A produção artística de Tintoretto foi muito grande. Pintou temas religiosos, mitológicos e retratos, sempre com duas características bem marcantes: os corpos das figuras são mais expressivos do que os seus rostos e a luz e a cor tem grande intensidade. Obras em destaque: Cristo em Casa de Marta e Maria. El Greco El Greco (1541-1614), nasceu em Creta. Suas obras têm como característica: a verticalidade das figuras. Essa peculiaridade pode ser observada nas obras: Espólio, A Ressurreição de Cristo, O Enterro do Conde de Orgaz. Velázquez Diego Rodrigues da Silva y Velázquez (1599-1660), além de retratar as pessoas da corte espanhola do século XVII, suas obras tem como características: os rostos da nacionalidade espanhola, registro de tipos populares do seu país, documentando o dia-a-dia do povo espanhol num dado momento da história. Entre as obras que retratam a vida diária das pessoas simples estão: Velha Fritando Ovos, O Aguadeiro de Sevilha e As Meninas (Fig.1.5., pág.4). Em ambos os quadros o artista usa tons escuros para o fundo, deixando expostos à luz os objetos cotidianos das pessoas que quer valorizar. Dentre os retratos de pessoas da corte estão: As Meninas e O Conde Duque de Olivares. Rembrandt Rembrandt (1606-1669), sua obra tem como características: a emoção por meio da gradação da claridade, que dirige nossa atenção, os meios-tons, as penumbras que envolvem áreas de luminosidade mais intensa. É assim, por exemplo, nas telas Mulher no Banho e Ronda Noturna. Mas é em seu quadro Lição de Anatomia do Doutor Tulp, que podemos notar a penumbra que indefine os espaços e o uso que fez da luz. Peter Paul Rubens Rubens (1577-1640), suas obras tem como características: a força das cores quentes. A cor sempre foi o elemento mais importante na pintura flamenga, e um exemplo disso são suas obras, geralmente no vestuário que se localizam as cores quentes o vermelho e o amarelo – que contrabalançam a luminosidade da pele clara das figuras humanas, como em: O Rapto das Filhas
  5. 5. de Leucipo e Caçadas aos Leões. Além de colorista vibrante, Rubens se notabilizou por criar cenas que sugerem, a partir das linhas contorcidas dos corpos e das pregas das roupas, um intenso movimento. Manuel da Costa Ataíde Manuel da Costa Ataíde , mais conhecido como Mestre Ataíde, (1762- 1830), foi um importante artista do Barroco-Rococó mineiro, até a metade do século XIX, continuaram a fazer uso de seu método de composição, particularmente em trabalhos de perspectiva no teto de igrejas. Uma das características da sua expressão era o emprego de cores vivas em inusitadas combinações, que têm sido associadas à exuberante natureza do país; no seu desenho, os anjos, as madonas e os santos apresentam às vezes traços mestiços; por isso é tido como um dos precursores de uma arte genuinamente brasileira. Pinturas mais famosas desses artistas A Vocação de São Mateus ou Invocação de São Mateus é uma pintura realizada pelo o pintor barroco italiano Caravaggio concluída em 1599-1600, em óleo sobre tela, 340 cm × 322 cm para a Capela Contarelli em San Luigi dei Francesi, onde ainda se conserva em Roma. Mais de uma década antes, o cardeal Matteo Contarelli tinha deixado fundos e as instruções específicas para a decoração de uma capela com base em temas de seu santo padroeiro. O Juízo Final é um afresco do pintor italiano Michelangelo medindo 13,7 m x 12,2 m, pintado na parede do altar da Capela Sistina. É, na visão do artista, uma representação do Juízo Final inspiradas na narrativa bíblica. Nesta pintura, Michelangelo, dedicou todo seu engenho e força de 1535 a 1541. Uma confrontação de dois espíritos fortes e audazes, sem dúvida. O trabalho fora encomendado pelo Papa Clemente VII, mas só com a morte deste teve início, já no pontificado de Paulo III, que ratificou o contrato. O afresco ocupa inteiramente a parede atrás do altar. Para sua execução, duas janelas foram fechadas e algumas pinturas da época de Sisto IV apagadas: os primeiro retratos de Papas; a primeira cena da vida de Cristo e a primeira da vida de Moisés; uma imagem da Virgem da Assunção de Perugino, e as primeiras duas lunettes, onde o próprio Michelangelo havia pintado os ancestrais de Cristo. Tintoretto, Milagres de São Marcos / Descoberta do corpo de São Marcos 1562-66, 396 x 400 cm, Pinacoteca di Brera, Milan El Expolio, 1577–1579, óleo sobre tela, 285 × 173 cm, Sacristia da Catedral de Toledo) é um dos mais famosos retábulos de El Greco. Seus retábulos são conhecidos pela composição dinâmica e inovações surpreendentes.
  6. 6. AS MENINAS, Nomeada originalmente como A Família, a tela foi salva de um incêndio que atingiu o Palacio Real de Madrid em 1750, passando ao Museu do Prado em 1819 e recebendo, posteriormente, o título de Las Meninas. Embora “menina” seja uma palavra da língua portuguesa, era usada na corte espanhola com o sentido de “dama de companhia”. Rembrandt A companhia militar do capitão Frans Banning Cocq e o tenente Willem van Ruytenburg (A Ronda Nocturna), 1642, Óleo sobre tela, Altura: 379.5 cm. Largura: 453.5 cm As Três Graças The Three Graces (1636-1638), Óleo sobre tela, 221 × 181 cm, Localizace no Museo del Prado,Madrid Manuel da Costa Ataíde Elevação de Maria aos céus na abóbada da Igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto, a mesma na qual o famoso Aleijadinho, seu contemporâneo, produziu esculturas e ornamentos elaborados com massa de estuque. Escultura Barroca A escultura levou ao máximo as produções do barroco. Um exemplo é a obra do escultor italiano Bernini, que fez esculturas retratando fielmente o homem em emoção e movimento. Predominam as linhas curvas, os drapeados das vestes e o uso do dourado. Os gestos e os rostos das personagens revelam emoções violentas e atingem uma dramaticidade desconhecida no Renascimento. A escultura barroca privilegia o movimento. As figuras deixam de ser representadas numa atitude de repouso para serem flagradas no meio de uma ação, num dinamismo ausente no Renascimento. As vestes que envolvem as personagens aparecem quase sempre agitadas pelo movimento dos corpos ou flutuantes, impelidas pelo vento. Daí a preferência por gestos bruscos, corpos torcidos, que melhor se prestam a essa representação dinâmica. Principais Artistas da Escultura Barroca  Michelangelo;  Bernini;  Aleijadinho (Antonio Francisco Lisboa);  Agostinho de Jesus; Michelangelo
  7. 7. Miguel Ângelo di Lodovico Buonarroti Simoni (1475-1564), Capresse, Itália. Porém, o artista passou parte de sua infância e adolescência na cidade de Florença. Entre os anos de 1534 e 1541, trabalhou na pintura O Último Julgamento, na janela do altar da capela Sistina. Em 1547 foi indicado como o arquiteto oficial da Basílica de São Pedro no Vaticano. Gian Lorenzo Bernini Gian Lorenzo Bernini ou simplesmente Bernini (Nápoles, 7 de dezembro de 1598 – Roma, 28 de novembro de 1680) foi um eminente artista do barroco italiano, trabalhando principalmente na cidade de Roma. Distinguiu- se como escultor e arquiteto, ainda que tivesse sido pintor, desenhista, cenógrafo e criador de espectáculos de pirotecnia. Esculpiu numerosas obras de arte presentes até os dias atuais em Roma e no Vaticano. Antonio Francisco Lisboa (Aleijadinho) Antônio Francisco Lisboa (Aleijadinho), Ouro Preto, 1730 ou, mais provavelmente, 1738-1814, foi um importante escultor, entalhador e arquiteto do Brasil colonial. Pouco se sabe com certeza sobre sua biografia, a principal fonte documental sobre o Aleijadinho é uma nota biográfica escrita somente cerca de quarenta anos depois de sua morte. Toda sua obra, entre talha, projetos arquitetônicos, relevos e estatuária, foi realizada em Minas Gerais, especialmente nas cidades de Ouro Preto, Sabará, São João del-Rei e Congonhas. Os principais monumentos que contém suas obras são a Igreja de São Francisco de Assis de Ouro Preto e o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos. Com um estilo relacionado ao Barroco e ao Rococó, é considerado pela crítica brasileira quase em consenso como o maior expoente da arte colonial no Brasil e, ultrapassando as fronteiras brasileiras, para alguns estudiosos estrangeiros é o maior nome do Barroco americano, merecendo um lugar destacado na história da arte do ocidente. Frei Agostinho de Jesus Frei Agostinho de Jesus (1600-1661) foi um dos primeiros escultores a trabalhar no Brasil. Possivelmente foi discípulo do frei Agostinho da Piedade, trabalhando em estilo semelhante na produção de estatuária sacra em terracota. A maior parte de suas obras foram criadas para as congregações beneditinas do Rio de Janeiro e São Paulo. Das suas obras reconhecidas estão as estátuas em tamanho natural de São Bento e de Santa Escolástica, preservadas no
  8. 8. Mosteiro de São Bento, e uma Nossa Senhora da Purificação, no Museu de Arte Sacra de São Paulo. Nascido no Rio de Janeiro, passou boa parte de sua vida na cidade de Santana do Parnaíba, região da Grande São Paulo, onde, segundo estudiosos, confeccionou a belíssima imagem de Nossa Senhora da Conceição em terracota, que, encontrada nas águas do Rio Paraíba do sul, região de Guaratinguetá, em meados de outubro do ano de 1717, veio a dar início a uma grande devoção à milagrosa santa "aparecida", mais tarde conhecida como Nossa Senhora da Conceição Aparecida, padroeira do Brasil. Esculturas mais famosas desses artistas A Pietà (em português Piedade) de Michelangelo é talvez a mais conhecida e uma das mais famosas esculturas feitas pelo artista. Representa Jesus morto nos braços da Virgem Maria. A fita que atravessa o peito da Virgem Maria traz a assinatura do autor. Fica na basílica de São Pedro, na primeira capela da alameda do lado direito. Desde que a estátua foi atacada em 1972, está protegida por um vidro a prova de bala. Tem 174 centímetros por 195 centímetros e é feita em mármore. O Êxtase de Santa Teresa é uma escultura de Gian Lorenzo Bernini (1598- 1680) um dos maiores escultores do século XVII, representando a experiência mística de Santa Teresa de Ávila trespassada por uma seta de amor divino por um anjo, realizada para a capela do cardeal Federico Cornaro. Esculpida durante o período de 1645-1652, seguindo as tendências do estilo barroco, hoje ela se encontra em um nicho em mármore e bronze dourado na Capela Cornaro, Igreja de Santa Maria della Vittoria, Roma. A beleza da obra se deve ao uso da iluminação e da fidelidade da escultura, que conferem à obra sensibilidade, pois o escultor aplicava em suas esculturas o uso de corpos alongados, gestos expressivos, expressões mais simples mas mais emocionadas. Bernini seguia as determinações da Igreja Católica Romana, que diziam que a a arte religiosa deveria ser inteligível e realista, e servir, acima de tudo, como um estímulo emocional à religiosidade. Bernini serviu a Cidade do Vaticano durante muito tempo, criando esculturas feitas por pedido. Grupo de profetas esculpido por Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1730(8)-1814). Basílica do Bom Jesus de Matosinho, em Congonhas do Campo (MG). Frei Agostinho de Jesus (1610-1661), Nossa Senhora da Purificação, primeira metade do século XVII. Barro cozido e poli cromado. Proveniente da Matriz de Sant'Ana do Parnaíba, SP. Altura: 97 cm. Acervo do Museu de Arte Sacra de São Paulo (São Paulo, Brasil).
  9. 9. Arquitetura Barroca Características da Arquitetura Barroca • Ondulações. • Efeitos ilusionista e decorativos. • Preocupação paisagística com grandes jardins. Características da Arquitetura Barroca A arquitetura Barroca parte dos princípios utilizados na arquitetura da Renascença, mas como resultado final elas divergem completamente. O efeito proporcionado pela arquitetura barroca foi muito mais rebuscado, complexo e simbólico. Os elementos clássicos estão reunidos: colunas, frontões e cúpulas; porém o conjunto não segue a simplicidade harmônica e simétrica da arquitetura clássica. Existe uma imponência na sua estrutura e nos detalhes bastante decorados. As colunas, por exemplo, são duplas ou espiraladas. Os interiores seguem os mesmos princípios. No caso das igrejas, todo o apelo sentimental da Arte Barroca foi intensamente decorado, pois os ambientes se propõem a mostrar o esplendor de Deus e o poder da Igreja Católica. Nos palácios o mesmo se repete: o barroco se adapta para glorificar o poder dos reis europeus que neste período começa a se fortificar. A arquitetura se destacou principalmente nos palácios e nas igrejas. A igreja católica queria proclamar o triunfo de sua fé e, por isso, realizou obras que impressionam pelo seu esplendor. Principais Arquitetos Barrocos  Jesuino do Monte Carmelo;  Francesco Borromini;  Bernini; Jesuino do Monte Carmelo Frei Jesuíno do Monte Carmelo, Jesuíno Francisco de Paula Gusmão (Santos, 1764-1819) foi um pintor, arquiteto, escultor, encarnador, dourador, entalhador, mestre em torêutica, músico e poeta e padre carmelita brasileiro. Filho e neto de escrava, mulato, foi influenciado pelo barroco europeu. Deixou produção artística em Santos, São Paulo e Itu.
  10. 10. Em Santos, como artesão, aprendeu o preparo das tintas. Fez pinturas, criou, para mulatos e negros, um lugar de igualdade no reino dos Céus. Afirmando a ascendência de seus filhos, por parte da mãe, da família Godói, e por parte de pai, da família Gusmão, acabou por retratar o rosto deles em seus santos, tendo inclusive pintado um anjo mulato. Francesco Borromini A arquitetura se destacou principalmente nos palácios e nas igrejas. A igreja católica queria proclamar o triunfo de sua fé e, por isso, realizou obras que impressionam pelo seu esplendor. Bernini A arquitetura Barroca parte dos princípios utilizados na arquitetura da Renascença, mas como resultado final elas divergem completamente. O efeito proporcionado pela arquitetura barroca foi muito mais rebuscado, complexo e simbólico. Os elementos clássicos estão reunidos: harmônica e simétrica da arquitetura clássica. Existe uma imponência na sua estrutura e nos detalhes bastante decorados. As colunas, por exemplo, são duplas ou espiraladas. Os interiores seguem os mesmos princípios. No caso das igrejas, todo o apelo sentimental da Arte Barroca foi intensamente decorado, pois os ambientes se propõem a mostrar o esplendor de Deus e o poder da Igreja Católica. Nos palácios o mesmo se repete: o barroco se adapta para glorificar o poder dos reis europeus que neste período começa a se fortificar. A arquitetura se destacou principalmente nos palácios e nas igrejas. A igreja católica queria proclamar o triunfo de sua fé e, por isso, realizou obras que impressionam pelo seu esplendor. colunas, frontões e cúpulas; porém o conjunto não segue a simplicidade Obras arquitetônicas mais famosas desses artistas A igreja de Nossa Senhora da Luz começou a ser construída por volta de 1600 e é um dos poucos exemplos da arquitetura colonial de São Paulo. As esculturas do Barroco paulista são muito simples, em razão da pobreza da cidade nenhum artista de renome ia para lá por isso as imagens são em geral rústicas e primitivas, feitas de barro cozido. Sant'Ivo alla Sapienza é uma igreja de Roma, considerada como uma obra- prima da arquitetura barroca, erguida em 1642-1660 pelo arquiteto Francesco Borromini. A igreja começou provavelmente no século XIV como uma capela do palácio da Universidade de Roma.
  11. 11. A Universidade chama-se La Sapienza, e a igreja está dedicada a Santo Ivo (santo padroeiro dos juristas), dando à igreja o seu nome. Borromini viu-se obrigado a adaptar o seu desenho ao palácio já existente. Por isso escolheu uma planta semelhante a uma estrela de David, e entalhou a fachada da igreja com o pátio do palácio. Bernini desenhou sua obra-prima imaginando dois espaços abertos conjuntos. O primeiro, a Piazza Obliqua, tem forma de um elipse rodeada por colunatas que se abrem como num grande abraço maternal e simbolizam a Igreja Mãe. O pavimento tem pedras brancas que marcam caminho até o obelisco central, montado sobre quatro leões de bronze. Tradicionalmente, o obelisco representa o elo entre a antiguidade e a cristandade. Dos dois lados, há duas fontes em bronze, com bases de granito.

×