Filo echinodermata (2)

569 visualizações

Publicada em

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
569
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Filo echinodermata (2)

  1. 1. Filo Echinodermata (equinodermos) By: Gerson Novais
  2. 2. Objectivos da aula • Descrever as principais características anatómicas dos representantes; • Caracterizar as formas de reprodução; • Descrever as principais classes.
  3. 3. Características Gerais • Exclusivamente marinhos (habitantes do fundo); • Hábitos bentônicos, presos ao fundo oceânico ou se movem lentamente sobre o substrato; • Modo de vida: livre, com exceção de algumas espécies da classe Crinoidea; • -Celomados; • -Triblásticos;
  4. 4. Simetria: Bilateral na Larva Radial no Adulto
  5. 5. Cont. • Esqueleto interno de origem mesodérmica • Deuterostômios: o blastóporo origina o ânus. • Corpo não segmentado. • Espinhos na pele: (echino=espinho; derma=pele).
  6. 6. Sistema Circulatório: • Ausente
  7. 7. Sistema Digestório
  8. 8. • Digestão Extracelular • Absorção dos nutrientes pelas células da parede intestinal e distribuído às demais células pelo líquido celomático
  9. 9. RESPIRAÇÃO • Branquial Brânquias→Líquido Celomático→Corpo • As trocas gasosas são facilitadas pelo sistema hidrovascular ou ambulacral • Ouriço: Brânquias ao redor da boca • Estrela-do-mar: entre os espinhos • Pepino-do-mar: árvore respiratória
  10. 10. EXCREÇÃO • Sistema Excretor ausente • Excreção se dá diretamente pela água que circula no sistema hidrovascular ou ambulacral • Brânquias auxiliam na excreção
  11. 11. SISTEMA NERVOSO • Presente • Formado por um anel nervoso em torno da boca de onde partem os nervos radiais
  12. 12. SISTEMA REPRODUTOR • Sexuados • Dióicos • Fecundação Externa • Desenvolvimento Indireto (com um ou mais tipos de larvas
  13. 13. • Possuem elevada capacidade de regeneração: • Estrelas-do-mar podem regenerar um ou mais dos seus braços perdidos • Ouriços-do-mar podem regenerar espinhos e pedicelárias
  14. 14. Uma estrela-do-mar em estado de regeneração
  15. 15. CLASSIFICAÇÃO
  16. 16. CLASSIFICAÇÃO A. Classe Asteroidea (asteróides): . Ex.: estrelas-do-mar. . Cinco braços partem de um disco central, sem nítida separação entre as estruturas.
  17. 17. B. Classe Echinoidea (equinóides): . Ex.: ouriços-do-mar e bolacha-da-praia . Ossículos do endoesqueleto estão intimamente ajustados formando uma estrutura rígida. . Forma arredondada (ouriços) e achatadas (bolachas). . Cinco zonas ambulacrais: pés ambulacrários e inserção dos espinhos. . Cinco zonas interambulacrais: inserção dos espinhos. . Nas bolachas: petalóides – áreas por onde saem os pés ambulacrários modificados para a respiração. . Lanterna-de-Aristóteles: “coroa de dentes” na boca para coletar
  18. 18. C. Classe Ophiuroidea (ofiuróides): . Ex.: ofiúros ou serpentes-do-mar. . Corpo central nitidamente separado dos cinco braços. . Braços finos e muito ágeis. . Sistema digestório incompleto (sem ânus).
  19. 19. D. Classe Crinoidea (crinóides): . Ex.: lírios-do-mar ou crinóides. . Disco central partindo cinco braços delgados ramificados. . Fixos no substrato pela região aboral (sésseis). . Boca e ânus na região oral.
  20. 20. E. Classe Holoturoidea (holotúrias): . Ex.: pepinos-do-mar ou holotúrias. . Corpo alongado com ossículos do endoesqueleto espalhados no tegumento – flexibilidade. . Tentáculos ao redor da boca – modificações dos pés ambulacrários . Árvore respiratória interna – trocas gasosas – via cloaca. . Evisceração: eliminação das vísceras pela cloaca quando ameaçados

×