FACULDADE FRASSINETTI DO RECIFE
LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
ECOLOGIA DE POPULAÇÕES E COMUNIDADES
Bheatriz Nunes
Ge...
Bioma brasileiro:
Pampas
O que é BIOMA? Bioma é um conjunto de
diferentes ecossistemas, que
também são conhecidos como
comunidades biológicas.
Bioma Pampas
Também conhecido como Campos do Sul ou
Campos Sulinos, este bioma é constituído
principalmente por vegetação ...
Características do Pampas
O Pampa é uma região de clima
subtropical úmido, com temperaturas
médias de 18°C. As estação do ...
Maior temperatura desde
1958 (40,3°C) é registrada
em Porto Alegre no dia
05/02/2014
Aspectos climáticos
 O Pampa é uma r...
Aspectos ecológicos
 A substituição de áreas naturais por pastagens e monocultura, bem como a
arenização e a introdução d...
Fauna
 A fauna do bioma Pampa é muito rica e diversa, caracterizada por uma grande
variedade de aves, mamíferos, artrópod...
Fauna
Procnias nudicollis vieillot.
(Araponga)
Penelope sp. (Jacu) Alouatta guariba (Guariba)
Leopardus pardalis L. (Jaqua...
Fauna
Ctenomys flamarioni ( Tuco-tuco)
Melanophryniscus atroluteus
(sapinho-de-barriga-vermelha)
Pseudalopex gymnocercus (...
Flora
 Por ser um conjunto de ecossistemas muito antigos, o Pampa apresenta flora
própria e grande biodiversidade, ainda ...
Flora
Paspalum Papil losum.
(Capim-Forquilha)
Cyperus Compressus
(Barba-de-bode)
Prosopis algorobilla (Algarrobo)
Acacia f...
Interações presentes
 Predação é uma relação trófica em que um indivíduo, o predador, mata e se
alimenta de outro indivíd...
Protocoperação
Predação
Parasitismo
Exemplos de coexistência mediada por
competição
Onça
Pintada
Peixe Serpente Lebre Cervo
Influencia da competição na estrutura
da comunidade no referido bioma
Onça
Pintada
Peixe Serpente Lebre Cervo
Vegetais
Influencia da predação na estrutura da
comunidade
 A agricultura, a pecuária e o cultivo de monoculturas florestais têm e...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS
Adaptado de:
1. http://www.mma.gov.br/biomas/pampa
2. www.hiperativo.com/biomas-brasileiros-res...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O bioma Pampas e sua Flora e Fauna.

20.638 visualizações

Publicada em

FACULDADE FRASSINETTI DO RECIFE - FAFIRE
LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
ECOLOGIA DE POPULAÇÕES E COMUNIDADES
Graduandos: Bheatriz Nunes, Gerciane Sotero, Jarde Silva e Werikson Santana
Profª Dinabel Villa-Boas - Recife 2014

Também conhecido como Campos do Sul ou Campos Sulinos. A palavra PAMPAS tem origem indígena que quer dizer “região plana”.

---> caso manifestem interesse e precisem do mesmo, comentar o porquê (com no mínimo 3 linhas) e e-mail! <---

Publicada em: Educação
0 comentários
16 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
20.638
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
16
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O bioma Pampas e sua Flora e Fauna.

  1. 1. FACULDADE FRASSINETTI DO RECIFE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ECOLOGIA DE POPULAÇÕES E COMUNIDADES Bheatriz Nunes Gerciane Sotero Jarde Silva Werikson Santana Profª Dinabel Villa-Boas Recife 2014
  2. 2. Bioma brasileiro: Pampas
  3. 3. O que é BIOMA? Bioma é um conjunto de diferentes ecossistemas, que também são conhecidos como comunidades biológicas.
  4. 4. Bioma Pampas Também conhecido como Campos do Sul ou Campos Sulinos, este bioma é constituído principalmente por vegetação campestre (gramíneas, herbáceas e algumas árvores).A palavra PAMPAS tem origem indígena que quer dizer “região plana”. No Brasil este bioma está restrito ao estado do Rio Grande do Sul, ocupando uma área de 176.496 km² (IBGE, 2004) o equivalente a 63% do território do estado e cerca de 2,7% do território nacional. E também ocupa territórios da Argentina e Uruguai.
  5. 5. Características do Pampas O Pampa é uma região de clima subtropical úmido, com temperaturas médias de 18°C. As estação do ano são bem definidas nesta região. E é o único lugar no Brasil que chega a nevar. O Pampa se caracterizam pelo predomínio dos campos nativos, mas há também a presença de matas ciliares, matas de encosta, matas de pau-ferro, formações arbustivas, butiazais, banhados, afloramentos rochosos, etc. E suas paisagens naturais são variadas, de serras a planícies, de morros rupestres a coxilhas. É considerado um dos ecossistemas mais importantes do mundo.
  6. 6. Maior temperatura desde 1958 (40,3°C) é registrada em Porto Alegre no dia 05/02/2014 Aspectos climáticos  O Pampa é uma região de clima temperado e chuvoso, com temperaturas médias de 18°C, formada por coxilhas onde se situam os campos de produção pecuária e as várzeas que se caracterizam por áreas baixas e úmidas.  Marcado pela frequência de frentes polares e temperaturas negativas no período do inverno. O relevo é caracterizado como aplainado e suave ondulado, formado por um mosaico de solos basálticos e sedimentares, geralmente rasos e frágeis.
  7. 7. Aspectos ecológicos  A substituição de áreas naturais por pastagens e monocultura, bem como a arenização e a introdução de espécies exóticas, são alguns dos fatores que ameaçam a biodiversidade desse Bioma  Registros recentes da ocorrência de espécies ameaçadas, como o lobo guará, ressaltam a urgência de estudos e ações para conservar e proteger a biodiversidade do Pampa.  Monoculturas de árvores exóticas  A dinâmica da vegetação em ecossistemas campestres é mediada por variações na intensidade e na frequência de distúrbios causados por agentes de perturbação.
  8. 8. Fauna  A fauna do bioma Pampa é muito rica e diversa, caracterizada por uma grande variedade de aves, mamíferos, artrópodes, répteis e anfíbios.  Com quase 500 espécies de aves entre elas a ema (Rhea americana), o perdigão (Rynchotus rufescens), o quer-quero (Vanellus chilensis) e o caminheiro-de-espora (Anthus correndera);  Também ocorrem mais de 100 espécies de mamíferos terrestres, incluindo o veado- campeiro (Ozotoceros bezoarticus) e o graxaim (Pseudalopex gymnocercus)  O Pampa abriga um ecossistema muito rico, com muitas espécies endêmicas tais como: Tuco-tuco (Ctenomys flamarioni), o beija-flor-de-barba-azul (Heliomaster furcifer); o sapinho-de-barriga-vermelha (Melanophryniscus atroluteus)  Além disso, abriga 11 espécies de mamíferos raros ou ameaçados de extinção, ratos d’água, cevídeos e lobos, e 22 espécies de aves nesta mesma situação. Pelo menos uma espécie de peixe, cará (Gymnogeophagus sp.) é endêmica da bacia do rio Ibirapuitã.
  9. 9. Fauna Procnias nudicollis vieillot. (Araponga) Penelope sp. (Jacu) Alouatta guariba (Guariba) Leopardus pardalis L. (Jaquatirica) Sciurus aestuans L. (Caxinguelê)
  10. 10. Fauna Ctenomys flamarioni ( Tuco-tuco) Melanophryniscus atroluteus (sapinho-de-barriga-vermelha) Pseudalopex gymnocercus (Graxaim) Gymnogeophagus sp. ( cará )
  11. 11. Flora  Por ser um conjunto de ecossistemas muito antigos, o Pampa apresenta flora própria e grande biodiversidade, ainda não completamente descrita pela ciência.  Estimativas indicam valores em torno de 3000 espécies de plantas, com notável diversidade de gramíneas, são mais de 450 espécies (campim- forquilha, grama-tapete, flechilhas, brabas-de-bode, cabelos de-porco, dentre outras).  Nas áreas de campo natural, também se destacam as espécies de compostas e de leguminosas (150 espécies) como a babosa-do-campo, o amendoim-nativo e o trevo-nativo. Nas áreas de afloramentos rochosos podem ser encontradas muitas espécies de cactáceas. Entre as várias espécies vegetais típicas do Pampa vale destacar o Algarrobo (Prosopis algorobilla) e o Nhandavaí (Acacia farnesiana) arbusto cujos remanescentes podem ser encontrados apenas no Parque Estadual do Espinilho, no município de Barra do Quaraí.
  12. 12. Flora Paspalum Papil losum. (Capim-Forquilha) Cyperus Compressus (Barba-de-bode) Prosopis algorobilla (Algarrobo) Acacia farnesiana (Nhandavaí)
  13. 13. Interações presentes  Predação é uma relação trófica em que um indivíduo, o predador, mata e se alimenta de outro indivíduo, neste caso a presa.  Pode estabelecer-se entre indivíduos de espécies diferentes ou da mesma espécie. No primeiro caso, trata-se de relações interespecíficas (predação no sentido amplo); no segundo, de relações intraespecíficas (canibalismo).  A predação tem alta significância ecológica e evolutiva, pois quando existem múltiplas espécies de presas, a predação pode amenizar a dominância que a competição poderia originar, afetando fortemente a composição de espécies de um local.  Em muitos casos, a predação pode evitar que um habitat seja dominado por uma espécie competidora potencialmente mais apta, mas quando intensa, pode reduzir a riqueza de espécies por conduzir as presas de algumas espécies à extinção.  A dominância competitiva de algumas espécies de presas pode ser reduzida por seus predadores, o que culmina no aumento da riqueza de espécies. A este evento dá-se o nome de coexistência mediada por predação. O sistema de coexistência mediada por predador é basicamente estruturado com 1 Predador – 2 Presas – 1 Recurso.
  14. 14. Protocoperação Predação Parasitismo
  15. 15. Exemplos de coexistência mediada por competição Onça Pintada Peixe Serpente Lebre Cervo
  16. 16. Influencia da competição na estrutura da comunidade no referido bioma Onça Pintada Peixe Serpente Lebre Cervo Vegetais
  17. 17. Influencia da predação na estrutura da comunidade  A agricultura, a pecuária e o cultivo de monoculturas florestais têm exercido forte pressão sobre o local, resultando no desaparecimento de espécies nativas, no aumento do processo de arenização e na invasão de espécies indesejáveis.  Onça pintada :  Sendo o maior mamífero carnívoro do Brasil, necessita de pelo menos 2 Kg de alimento por dia, o que determina a ocupação de um território de 25 a 80 Km2 por indivíduo a fim de possibilitar capturar uma grande variedade de presas. A onça seleciona naturalmente as presas mais fáceis de serem abatidas, em geral indivíduos inexperientes, doentes ou mais velhos, o que pode resultar como benefício para a própria população de presas.  Desertificação:  Um grande problema tem assolado o sudoeste do Rio Grande do Sul, o processo de arenização dos solos, conhecido também como desertificação. Esse processo é provocado, principalmente, pela atividade agropecuária extensiva que é exercida ao longo de décadas na região.
  18. 18. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS Adaptado de: 1. http://www.mma.gov.br/biomas/pampa 2. www.hiperativo.com/biomas-brasileiros-resumo 3. www.naturaekos.com.br/biodiversidade/pampas 4. www.ibflorestas.org.br/bioma-pampa.html 5. www.dialogoflorestal.org.br/biomas/pampa

×