SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Baixar para ler offline
CASD Vestibulares BIO 3 1
BIOLOGIA 3
Prof.: Vinícius (Minguado)
LISTA 11 – FLUXO DE ENERGIA E PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
ORIENTAÇÕES
Esta lista contém questões relativas ao fluxo de energia
e pirâmides ecológicas de cadeias alimentares. Resolva
os exercício com muito foco e muita atenção. Não deixe
de treinar a escrita das respostas discursivas.
Bons estudos! =D
RESUMO TEÓRICO
FLUXO DE ENERGIA
O fluxo de energia é unidirecional isto é, se dá sempre
no sentido indicado abaixo.
O nível energético diminui à medida que se afasta dos
produtores.
PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
São representações que fornecem informações
quantitativas de cadeias alimentares.
● Pirâmide de números: indica o número (a
quantidade) de indivíduos em cada nível trófico de uma
cadeia alimentar.
Pode se inverter, caso o número de produtores na cadeia
em questão seja pequeno.
● Pirâmide de biomassa: indica a quantidade de
biomassa em cada nível trófico de uma cadeia alimentar.
Geralmente é uma pirâmide direita.
Porém podem se apresentar invertidas quando a
velocidade de reprodução dos produtores é bastante
alta. O principal exemplo é o do fitoplâncton e do
zooplâncton:
● Pirâmide de energia: indica a quantidade de energia
em cada um dos níveis tróficos de uma cadeia alimentar.
Nunca é invertida!
Veja o exemplo abaixo (em kcal.ano-1m-2)
Produtores  Consumidores  Decompositores
2 Frente 3 CASD Vestibulares
EXERCÍCIO RESOLVIDO
1. (UFPR 2010) Abaixo estão representados três
exemplos de cadeias alimentares na coluna da esquerda
e, na coluna da direita, três pirâmides que expressam o
número relativo de indivíduos em cada nível, numa
situação de equilíbrio ecológico. Relacione as cadeias
alimentares da coluna da esquerda com as pirâmides da
direita.
Assinale a alternativa que apresenta a numeração
correta da coluna da direita, de cima para baixo.
a) 1 – 2 – 3.
b) 1 – 3 – 2.
c) 3 – 1 – 2.
d) 2 – 1 – 3.
e) 3 – 2 – 1.
EXERCÍCIOS PROPOSTOS
● PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
1. (FGV 2008) As figuras apresentam pirâmides
ecológicas que expressam, graficamente, a estrutura
dos níveis tróficos de uma cadeia alimentar em termos
de energia, biomassa ou número de indivíduos. A base
das pirâmides representa os produtores, no primeiro
nível trófico.
Das quatro figuras apresentadas, pode-se dizer
corretamente que:
a) as figuras 1 e 4 podem representar pirâmides de
energia.
b) a figura 1 é a única que pode representar uma
pirâmide de biomassa.
c) a figura 2 pode representar uma pirâmide de biomassa
na cadeia alimentar fitoplâncton zooplâncton.
d) a figura 3 é característica de uma pirâmide de
números na situação em que o produtor é de grande
porte, como na cadeia alimentar árvores macacos
piolhos.
e) a figura 4 pode representar uma pirâmide de energia
na cadeia alimentar capim ratos cobras.
2. (UERJ) Nos ecossistemas, o fluxo de energia dos
organismos produtores para os consumidores pode ser
representado por um diagrama.
Dentre os diagramas anteriores, o que melhor
representa esse fluxo na cadeia alimentar é o de
número:
a) I
b) II
c) III
d) IV
3. (Unifesp) A figura esquematiza o fluxo de energia
através de um ecossistema. Esse fluxo é mediado por
processos fisiológicos nos organismos.
Os retângulos representam grupos de organismos e as
flechas, o fluxo de energia. Assinale a alternativa que
correlaciona corretamente os fluxos aos processos
ocorrentes nos organismos e representados por X, Y e
Z.
a) X: excreção; Y: respiração; Z: digestão.
b) X: respiração; Y: digestão; Z: excreção.
c) X: respiração; Y: excreção; Z: digestão.
d) X: excreção; Y: digestão; Z: respiração.
e) X: digestão; Y: respiração; Z: excreção.
Resolução:
A primeira pirâmide corresponde à cadeia alimentar
número 3, nessa pirâmide, a quantidade de milho
deve ser maior que a população de roedores, que
por sua vez deve ser maior que a população de
cobras, suas predadoras. A segunda pirâmide deve
corresponder à cadeia alimentar 1, uma vez que
várias pulgas devem parasitar a mesma preguiça,
que por sua vez, alimenta-se em mais de uma
árvore. A pirâmide 3 deve corresponder à cadeia
alimentar 2, uma vez que as jaguatiricas devem
estar em menor número em relação às cotias, suas
presas, que se alimentam de frutos de várias
árvores.
Alternativa C.
CASD Vestibulares Frente 3 3
4. (UFRGS) Considerando que, nas pirâmides
ecológicas apresentadas nas alternativas, P (produtor) =
fitoplâncton, C1 (consumidor primário) = zooplâncton e
C2 (consumidor secundário) = peixes, assinale a que
representa uma pirâmide de biomassa.
5. (Fuvest)
O esquema representa o fluxo de energia entre os níveis
tróficos (pirâmide de energia) de um ecossistema. Essa
representação indica, necessariamente, que:
a) o número de indivíduos produtores é maior do que o
de indivíduos herbívoros.
b) o número de indivíduos carnívoros é maior do que o
de indivíduos produtores.
c) a energia armazenada no total das moléculas
orgânicas é maior no nível dos produtores e menor no
nível dos carnívoros.
d) cada indivíduo carnívoro concentra mais energia do
que cada herbívoro ou cada produtor.
e) o conjunto dos carnívoros consome mais energia do
que o conjunto de herbívoros e produtores.
6. (Unifesp) Considere as definições seguintes.
I. Pirâmide de números: expressa o número de
indivíduos por nível trófico.
II. Pirâmide de biomassa: expressa a massa seca ("peso
seco") de matéria orgânica por nível trófico (g/m2).
III. Pirâmide de energia: expressa a energia acumulada
por nível trófico (kJ/m2).
Se o fluxo de energia no Cerrado brasileiro for
representado por esses três tipos de pirâmides, o
resultado obtido quanto à forma de cada uma será:
7. (UERJ) O gráfico a seguir é uma pirâmide ecológica e
demonstra as relações tróficas em uma comunidade.
A alternativa que indica, respectivamente, o tipo de
pirâmide e o aumento que ela representa, é:
a) de biomassa - do peso seco em função do tamanho
dos organismos
b) de energia - do teor de calorias, pela maior velocidade
de ciclagem
c) de energia - das populações de consumidores
primários e secundários
d) de números - da quantidade de organismos, sem
considerar a biomassa
8. (Unesp) Observe, inicialmente, as duas cadeias
alimentares:
1. árvore preguiças pulgas protozoários.
2. milho roedores cobras gaviões.
Observe os modelos de pirâmides a seguir:
É correto afirmar, com relação às cadeias 1 e 2 e aos
modelos de pirâmides I e II, que:
a) a pirâmide I pode representar tanto o número de
indivíduos como a quantidade de energia disponível, em
cada nível trófico da cadeia 2.
b) a pirâmide II pode representar tanto o número de
indivíduos como a quantidade de energia disponível, em
cada nível trófico da cadeia 1.
c) a pirâmide II pode representar a quantidade de
energia disponível em cada nível trófico da cadeia 2.
d) a pirâmide I pode representar o número de indivíduos
em cada nível trófico da cadeia 1.
e) a pirâmide I pode representar o número de indivíduos
da cadeia 2, e a pirâmide II, a quantidade de energia
disponível em cada nível trófico da cadeia 1.
4 Frente 3 CASD Vestibulares
9. (UFSCar) O diagrama seguinte representa uma
pirâmide de energia.
A largura de cada nível dessa pirâmide, quando
analisada de baixo para cima, representa
a) a quantidade de energia disponível para o nível trófico
seguinte.
b) o número de produtores, consumidores primários e
consumidores secundários, respectivamente.
c) o tamanho dos produtores, consumidores primários e
consumidores secundários, respectivamente.
d) a quantidade de energia perdida, quando se passa de
um nível trófico para o seguinte.
e) a produtividade primária bruta, a produtividade
primária líquida e a produtividade secundária líquida,
respectivamente.
10. (Mackenzie 2013) Um ecossistema pode ser
representado sob a forma de pirâmides ecológicas de
três tipos: de número, de biomassa e de energia. A esse
respeito, são feitas as seguintes afirmações:
I. Em todas elas, os produtores ocupam a sua base.
II. Em um ecossistema equilibrado, a pirâmide de
energia sempre apresenta a base maior do que o topo.
III. A pirâmide de número nunca se apresenta na forma
invertida.
IV. Os decompositores não são mostrados na pirâmide,
pois não representam parcela importante no
ecossistema.
Assinale se estão corretas, apenas,
a) I e II.
b) I e III.
c) I e IV.
d) II e III.
e) II e IV.
11. (Unifesp 2014) As pirâmides ecológicas são
utilizadas para representar os diferentes níveis tróficos
de um ecossistema e podem ser de três tipos: número
de indivíduos, biomassa ou energia. Elas são lidas de
baixo para cima e o tamanho dos retângulos é
proporcional à quantidade que expressam.
Considere uma pirâmide com a seguinte estrutura:
a) Que tipo de pirâmide, entre os três tipos citados no
texto, não poderia ser representada por essa estrutura?
Por quê?
________________________________
________________________________
________________________________
b) Dê um exemplo de uma pirâmide que pode ser
representada pela estrutura indicada. Substitua 1, 2 e 3
por dados quantitativos e qualitativos que justifiquem
essa estrutura de pirâmide.
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
12. (Unicamp 2010) Os seres vivos têm níveis de
organização acima do organismo, e a Ecologia é a área
da Biologia que estuda as relações entre os organismos
e destes com o ambiente em que vivem. Dentre os vários
níveis de organização podem ser citados a População, a
Comunidade e o Ecossistema.
a) As figuras adiante representam a biomassa de níveis
tróficos em dois tipos de ecossistemas. Relacione cada
uma das figuras com um ecossistema. Justifique.
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
b) Explique como o dióxido de enxofre (SO2), liberado na
atmosfera por diversas indústrias, pode afetar as
populações dos diferentes níveis tróficos da pirâmide A.
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
13. (Fuvest) A ilustração mostra a produtividade líquida
de um ecossistema, isto é, o total de energia expressa
em quilocalorias por metro quadrado/ano, após a
respiração celular de seus componentes.
CASD Vestibulares Frente 3 5
a) Considerando que, na fotossíntese, a energia não é
produzida, mas transformada, é correto manter o nome
de "produtores" para os organismos que estão na base
da pirâmide? Justifique.
________________________________
________________________________
________________________________
b) De que nível(eis) da pirâmide os decompositores
obtêm energia? Justifique.
________________________________
________________________________
________________________________
● CADEIAS E TEIAS ALIMENTARES
14. (UEG 2013) As transformações, a distribuição e o
aproveitamento de energia na natureza apresentam
muitas peculiaridades. Dentre elas, destaca-se:
a) a energia na forma de luz é convertida em energia
química dos alimentos e perde-se na forma de calor, que
não é reutilizado.
b) a fotossíntese transforma energia luminosa em
energia física que, por sua vez, é armazenada na
matéria orgânica.
c) a quantidade de energia aumenta a cada transferência
de um ser vivo para outro, confirmando a entropia
natural.
d) nos ecossistemas, a energia tem fluxo unidirecional,
ou seja, é constantemente reciclada e reaproveitada.
TEXTO PARA A QUESTÃO 13
Você já ouviu falar no vírus Nipah? Pois ele quase
provocou uma tragédia na Malásia, em 1998. Ele foi
encontrado em morcegos que se alimentavam de frutos
(frugívoros). As fazendas de criação de porcos invadiram
o ambiente natural dos morcegos. Instalados sob as
árvores, os chiqueiros ficaram cheios de frutas mordidas,
fezes e urina infectada. Os porcos adoeceram e as
pessoas foram contaminadas pela carne ou
excrementos dos animais – dos infectados, 50%
morreram.
Fonte: Disponível em
<http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/UMA+AMEAÇA+A+ME
NOS>. Acesso em: 20 de jul. 2012. (adaptado)
15. (UFSM 2013) Considerando as informações do texto,
pode-se afirmar:
I. A sequência morcego porco homem é um exemplo de
cadeia alimentar.
II. No texto, a expressão “ambiente natural” é sinônimo
de hábitat.
III. Em relação às árvores, os morcegos são
consumidores primários.
Está(ão) correta(s)
a) apenas I.
b) apenas II.
c) apenas III.
d) apenas I e II.
e) apenas II e III.
16. (UFRN 2013) A tirinha abaixo apresenta um exemplo
de cadeia alimentar.
A respeito dessa cadeia alimentar, é correto afirmar:
a) Os fluxos de matéria e de energia variam de acordo
com o tamanho do consumidor, por isso, quanto maior o
tamanho do consumidor, maiores serão as quantidades
de matéria e de energia nele presentes.
b) As quantidades de matéria e energia presentes em um
nível trófico são sempre menores que aquelas presentes
no nível trófico seguinte.
c) A energia e a matéria são conservadas ao longo da
cadeia alimentar, e seus valores são equivalentes em
cada um dos níveis tróficos representados.
d) Parte da matéria e parte da energia do alimento saem
da cadeia alimentar na forma de fezes, urina, gás
carbônico, água e calor, e, por isso, elas são menores no
homem.
17. (UFSM 2012) As pinturas rupestres datam da pré-
história do ser humano, em um tempo em que a vida em
sociedade e a cultura estavam ainda em evolução inicial.
Naquele tempo, era comum encontrar representações
em cavernas que retratavam o homem em seu meio
natural, como ocorria na atividade de caca a diversos
animais. Assim, a relação do homem com o meio
ambiente é antiga e enfatiza a importância das relações
de interação dos organismos com o meio que os envolve.
Sobre os processos que envolvem as relações
ecológicas e dinâmicas das populações dos seres vivos,
assinale a alternativa correta.
a) A predação é o único fator a determinar o crescimento
populacional de uma espécie de presa, como ocorre com
a lebre cujo predador é o lince.
b) As espécies de animais silvestres exibem
naturalmente um tipo de crescimento populacional
chamado de crescimento exponencial, não regulado pela
capacidade de suporte do ambiente.
c) Em uma pirâmide de energia, pode-se considerar o sol
como produtor, uma planta como consumidor primário e
o ser humano como consumidor secundário.
d) Quanto ao fluxo energético no ecossistema, apenas
uma parte da energia permanece na cadeia alimentar,
indo ao nível trófico seguinte; o restante é, em parte,
eliminado pela respiração celular.
e) O homem pré-histórico, ao consumir a carne de sua
caça, não estava participando do ciclo de matéria e do
fluxo de energia no ecossistema, já que vivia, desde
aquele tempo, em um sistema artificial criado por ele.
6 Frente 3 CASD Vestibulares
18. (UERJ 2012) O aumento da poluição atmosférica,
especialmente pelo acúmulo de gases do efeito estufa,
como o 2CO , tem acarretado a elevação da temperatura
global. Alguns seres vivos, no entanto, apresentam um
metabolismo capaz de fixar esse gás em matéria
orgânica.
Em condições ideais, o grupo de organismos com maior
capacidade de fixar 2CO é:
a) levedo
b) bactéria
c) zooplâncton
d) fitoplâncton
19. (UFRGS 2012) Com relação à biomassa e à
distribuição de energia nos diferentes níveis tróficos,
considere as seguintes afirmações.
I. Na maioria dos ecossistemas terrestres, a quantidade
de biomassa é inversamente proporcional à quantidade
de energia química disponível nas moléculas orgânicas.
II. Na maioria dos ecossistemas terrestres, as plantas
fotossintetizantes dominam tanto em relação à
quantidade de energia que representam, quanto em
relação à biomassa que contêm.
III. Na maioria dos ecossistemas aquáticos, uma
pequena biomassa de produtores pode alimentar uma
biomassa muito maior de consumidores primários.
Quais estão corretas?
a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas I e III.
d) Apenas II e III.
e) I, II e III.
20. (UERJ 2011) A biomassa de quatro tipos de seres
vivos existentes em uma pequena lagoa foi medida uma
vez por mês, durante o período de um ano. No gráfico a
seguir estão mostrados os valores obtidos.
A curva pontilhada representa a variação da biomassa
do fitoplâncton. A variação da biomassa do zooplâncton
está representada pela curva identificada por:
a) W
b) X
c) Y
d) Z
21. (ENEM 2011) Os personagens da figura estão
representando uma situação hipotética de cadeia
alimentar.
Suponha que, em cena anterior à apresentada, o homem
tenha se alimentado de frutas e grãos que conseguiu
coletar. Na hipótese de, nas próximas cenas, o tigre ser
bem-sucedido e, posteriormente, servir de alimento aos
abutres, tigre e abutres ocuparão, respectivamente, os
níveis tróficos de:
a) produtor e consumidor primário.
b) consumidor primário e consumidor secundário.
c) consumidor secundário e consumidor terciário.
d) consumidor terciário e produtor.
e) consumidor secundário e consumidor primário.
22. (Enem 2011) Diferente do que o senso comum
acredita, as lagartas de borboletas não possuem
voracidade generalizada. Um estudo mostrou que as
borboletas de asas transparentes da família Ithomiinae,
comuns na Floresta Amazônica e na Mata Atlântica,
consomem, sobretudo, plantas da família Solanaceae, a
mesma do tomate. Contudo, os ancestrais dessas
borboletas consumiam espécies vegetais da família
Apocinaceae, mas a quantidade dessas plantas parece
não ter sido suficiente para garantir o suprimento
alimentar dessas borboletas. Dessa forma, as
solanáceas tornaram-se uma opção de alimento, pois
são abundantes na Mata Atlântica e na Floresta
Amazônica.
Nesse texto, a ideia do senso comum é confrontada com
os conhecimentos científicos, ao se entender que as
larvas das borboletas Ithomiinae encontradas
atualmente na Mata Atlântica e na Floresta Amazônica,
apresentam:
a) facilidade em digerir todas as plantas desses locais.
b) interação com as plantas hospedeiras da família
Apocinaceae.
c) adaptação para se alimentar de todas as plantas
desses locais.
d) voracidade indiscriminada por todas as plantas
existentes nesses locais.
e) especificidade pelas plantas da família Solanaceae
existentes nesses locais.
23. (ENEM 2ª aplicação 2010) A figura representa uma
cadeia alimentar em uma lagoa. As setas indicam o
sentido do fluxo de energia entre os componentes dos
níveis tróficos.
CASD Vestibulares Frente 3 7
Sabendo-se que o mercúrio se acumula nos tecidos
vivos, que componente dessa cadeia alimentar
apresentará maior teor de mercúrio no organismo se
nessa lagoa ocorrer um derramamento desse metal?
a) As aves, pois são os predadores do topo dessa cadeia
e acumulam mercúrio incorporado pelos componentes
dos demais elos.
b) Os caramujos, pois se alimentam das raízes das
plantas, que acumulam maior quantidade de metal.
c) Os grandes peixes, pois acumulam o mercúrio
presente nas plantas e nos peixes pequenos.
d) Os pequenos peixes, pois acumulam maior
quantidade de mercúrio, já que se alimentam das plantas
contaminadas.
e) As plantas aquáticas, pois absorvem grande
quantidade de mercúrio da água através de suas raízes
e folhas.
24. (Unesp 2009) Sr. José Horácio, um morador de
Ipatinga, MG, flagrou uma cena curiosa, filmou-a e
mandou-a para um telejornal. Da ponte de um lago no
parque da cidade, pessoas atiravam migalhas de pão
aos peixes. Um socozinho (Butorides striata), ave que se
alimenta de peixes, recolhia com seu bico algumas
migalhas de pão e as levava para um lugar mais calmo,
à beira do lago e longe das pessoas. Atirava essas
migalhas “roubadas” no lago e, quando os peixes vinham
para comê-las, capturava e engolia esses peixes. Sobre
os organismos presentes na cena, pode-se afirmar que:
a) o socozinho é um parasita, os homens e os peixes são
os organismos parasitados.
b) o socozinho é um predador, que pode ocupar o
terceiro nível trófico dessa cadeia alimentar.
c) o homem é produtor, os peixes são consumidores
primários e o socozinho é consumidor secundário.
d) os peixes e o socozinho são consumidores
secundários, enquanto o homem ocupa o último nível
trófico dessa cadeia alimentar.
e) os peixes são detritívoros e o socozinho é consumidor
primário.
25. (Unifesp 2009) Quando nos referimos a uma cadeia
alimentar, é correto afirmar que:
a) A armazenagem de energia utiliza trifosfato de
adenosina apenas nos consumidores e nos
decompositores.
b) Na armazenagem de energia, é utilizado o trifosfato
de adenosina, tanto nos produtores quanto nos
consumidores.
c) As organelas celulares responsáveis pela quebra da
energia acumulada são diferentes entre produtores e
consumidores.
d) No nível celular, um consumidor primário utiliza
energia de forma diferente de um consumidor
secundário.
e) No interior da célula, a fonte de energia para
decompositores de plantas é diferente da fonte de
energia para decompositores de animais.
26. (UFSCar 2008) A energia luminosa do Sol é
transformada, por alguns organismos, em energia
química. Nas cadeias alimentares, o fluxo dessa energia
é unidirecional. Por outro lado, a matéria que compõe os
seres vivos se mantém em quantidades praticamente
constantes. Essas duas afirmações se justificam porque:
a) cada nível trófico capta energia luminosa que é
acumulada, assim como a matéria, na passagem dos
níveis tróficos, desde os produtores até os
decompositores.
b) a energia aumenta na passagem de um nível trófico
para outro e a matéria reciclada é acumulada.
c) a energia flui do último nível trófico para o primeiro por
reciclagem, juntamente com a matéria orgânica.
d) a energia captada pelos produtores é transferida de
um nível trófico para outro, sempre em menor
quantidade, até os decompositores, enquanto que a
matéria é reciclada.
e) a energia dissipa-se apenas pela ação dos
decompositores, que reciclam a matéria orgânica.
27. (PUC-SP 2008) Considere três espécies de animais
que vivem em uma comunidade, indicadas por 1, 2 e 3:
I. a espécie 1 é presa de 3;
II. a espécie 2 é predadora de 1;
III. a espécie 3 é presa de 2.
Um pesquisador constatou que a espécie 1 é herbívora,
o que permite concluir que, na cadeia alimentar em
questão:
a) 1 é produtora.
b) 2 é consumidora secundária e terciária.
c) 3 é consumidora secundária e terciária.
d) 1 e 2 são consumidoras primárias.
e) 2 e 3 são consumidoras primárias.
28. (Unesp 2008) João e Antônio apresentaram-se como
voluntários para o experimento de um nutricionista. João,
depois de passar um dia em jejum, foi alimentado com 500
g de milho cozido. Antônio, também depois de jejuar, foi
alimentado com 500 g da carne de um frango que cresceu
alimentado apenas com milho. Com relação à transferência
de energia ao longo da cadeia alimentar, pode-se dizer que,
no experimento,
a) a quantidade de energia obtida por Antônio foi igual
àquela necessária para a formação de 500 g de carne de
frango.
b) a quantidade de energia obtida por João foi igual àquela
necessária para a formação de 500 g de milho.
c) João e Antônio receberam a mesma quantidade de
energia, igual àquela necessária para a formação de 500 g
de milho.
d) João e Antônio receberam mais energia que aquela
necessária para a formação de 500 g de milho.
e) João e Antônio receberam menos energia que aquela
necessária para a formação de 500 g de milho.
29. (UFSCar) No exemplo de cadeia alimentar da ilustração,
supondo que o peixe abocanhado pelo jaburu se alimente
de plantas aquáticas, podemos considerar que:
8 Frente 3 CASD Vestibulares
a) a maior quantidade de energia disponível está no nível
trófico do peixe.
b) o nível trófico do jaburu apresenta menor quantidade de
energia disponível que o do jacaré.
c) a menor quantidade de energia disponível está no nível
trófico do jaburu.
d) a quantidade de energia disponível nos níveis tróficos do
peixe e do jacaré são equivalentes.
e) a quantidade de energia disponível no nível trófico do
peixe é maior que no nível trófico do jaburu.
30. (Fuvest) As bactérias diferem quanto à fonte primária de
energia para seus processos metabólicos. Por exemplo:
I. 'Chlorobium sp' utiliza energia luminosa.
II. 'Beggiatoa sp' utiliza energia gerada pela oxidação de
compostos inorgânicos.
III. 'Mycobacterium sp' utiliza energia gerada pela
degradação de compostos orgânicos componentes do
organismo hospedeiro.
Com base nessas informações, indique a alternativa que
relaciona corretamente essas bactérias com seu papel nas
cadeias alimentares de que participam.
31. (PUC-SP) Analise o esquema que se segue
Em uma comunidade marinha, os organismos indicados
por A e B, poderiam ser, respectivamente,
a) peixes herbívoros e peixes carnívoros.
b) peixes herbívoros e microcrustáceos.
c) algas planctônicas e microcrustáceos.
d) planctônicos em geral e bentônicos em geral.
e) algas microscópicas e algas filamentosas.
32. (UFSCar) No aparelho digestório de um boi o
estômago é dividido em 4 compartimentos. Os dois
primeiros, rúmem e barrete (ou retículo), contêm rica
quantidade de bactérias e protozoários que secretam
enzimas que decompõem a celulose do material vegetal
ingerido pelo animal. O alimento semidigerido volta à
boca onde é remastigado (ruminação) e novamente
deglutido. Os dois outros compartimentos, ômaso e
abômaso, recebem o alimento ruminado e secretam
enzimas que quebram as proteínas das bactérias e dos
protozoários que chegam continuamente dos
compartimentos anteriores. Considerando apenas o
aproveitamento das proteínas bacterianas na nutrição do
boi, é correto afirmar que o boi e os microorganismos
são, respectivamente,
a) consumidor primário e decompositores.
b) consumidor secundário e decompositores.
c) consumidor primário e produtores.
d) consumidor primário e consumidores secundários.
e) consumidor secundário e consumidores primários.
33. (FGV) Na goiabeira do quintal de uma casa, eram
muitas as goiabas que se apresentavam infestadas por
larvas de moscas. Nos galhos da árvore, inúmeros
pássaros se alimentavam dos frutos enquanto, ao pé da
goiabeira, pássaros iguais aos dos galhos se
alimentavam das larvas expostas pelas goiabas que
haviam caído e se esborrachado no chão. Sobre a
cadeia alimentar aqui representada, é correto afirmar
que:
a) os pássaros dos galhos e os pássaros do chão
ocupam diferentes níveis tróficos e, portanto, a despeito
da mesma aparência, não pertencem à mesma espécie.
b) as larvas são decompositores, enquanto os pássaros
são consumidores primários.
c) as larvas são consumidores primários e os pássaros
podem se comportar como consumidores primários e
secundários.
d) a goiabeira é produtor, os pássaros são consumidores
primários e as larvas são parasitas, não fazendo parte
desta cadeia alimentar.
e) as larvas ocupam o primeiro nível trófico, os pássaros
dos galhos e os pássaros do chão ocupam,
respectivamente, o segundo e o terceiro níveis tróficos.
34. (Fuvest) Uma lagarta de mariposa absorve apenas
metade das substâncias orgânicas que ingere, sendo a
outra metade eliminada na forma de fezes. Cerca de 2/3
do material absorvido é utilizado como combustível na
respiração celular, enquanto o 1/3 restante é convertido
em matéria orgânica da lagarta. Considerando que uma
lagarta tenha ingerido uma quantidade de folhas com
matéria orgânica equivalente a 600 calorias, quanto
dessa energia estará disponível para um predador da
lagarta?
a) 100 calorias.
b) 200 calorias.
c) 300 calorias.
d) 400 calorias.
e) 600 calorias.
35. (UFPR 2014) O estudo de cadeias tróficas é
importante para a compreensão das relações entre
organismos em um ambiente. Uma forma de estudá-las
é pela produtividade, em biomassa, em cada nível da
cadeia. Supondo a existência de uma cadeia, num
ambiente aquático, com três comunidades de
organismos (vegetação, herbívoros e carnívoros) em
equilíbrio, qual dos gráficos representa a variação
dessas comunidades, em biomassa (g/m2), em função
da disponibilidade de luz?
CASD Vestibulares Frente 3 9
36. (Unicamp 2013) Cerca de 70% da superfície da Terra
é coberta por água do mar e abaixo dessa superfície a
água atinge uma profundidade média de 3,8 quilômetros.
Os ecossistemas marinhos abrigam grande
biodiversidade, mas parte dela vem sendo ameaçada
pela pesca predatória. Na tentativa de controlar o
problema, medidas governamentais têm sido adotadas,
como a proibição da pesca em período reprodutivo e a
restrição do uso de redes de malhas finas.
a) Como a proibição da pesca em período reprodutivo e
como a restrição a redes de malhas finas minimizariam
o problema da pesca predatória, contribuindo para a
sustentabilidade da pesca? Explique.
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
b) Monte uma cadeia alimentar típica dos oceanos,
considerando a presença de quatro níveis tróficos.
________________________________
________________________________
37. (Fuvest 2011) Resultados de uma pesquisa
publicada na revista Nature, em 29 de julho de 2010,
mostram que a quantidade média de fitoplâncton dos
oceanos diminuiu cerca de 1% ao ano, nos últimos 100
anos. Explique como a redução do fitoplâncton afeta
a) os níveis de carbono na atmosfera.
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
b) a biomassa de decompositores do ecossistema
marinho.
________________________________
________________________________
________________________________
38. (Fuvest 2010) As mariposas da espécie Diataea
saccharalis colocam seus ovos na parte inferior de folhas
de cana-de-açúcar. Esses ovos desenvolvem-se em
larvas que penetram no caule e se alimentam do
parênquima ali presente. As galerias feitas por essas
larvas servem de porta de entrada para fungos da
espécie Colleotrichum falcatum. Esses fungos
alimentam-se da sacarose armazenada no caule.
As usinas de açúcar e álcool combatem as mariposas,
liberando pequenas vespas (Cofesia flavipes), cujos
ovos são depositados sobre as larvas das mariposas.
Quando os ovos eclodem, as larvas da vespa passam a
se alimentar das larvas da mariposa.
a) Com base nas informações contidas no texto acima,
indique os organismos que ocupam os seguintes níveis
tróficos:
a1) produtor;
a2) consumidor primário;
a3) consumidor secundário.
________________________________
________________________________
________________________________
b) Dentre as interações descritas nesse texto, indique
uma que você classificaria como parasitismo,
justificando sua resposta.
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
39. (UERJ 2010) Em um lago, três populações formam
um sistema estável: microcrustáceos que comem
fitoplâncton e são alimento para pequenos peixes. O
número de indivíduos desse sistema não varia
significativamente ao longo dos anos, mas, em um
determinado momento, foi introduzido no lago um grande
número de predadores dos peixes pequenos.
Identifique os níveis tróficos de cada população do
sistema estável inicial e apresente as consequências da
introdução do predador para a população de fitoplâncton.
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
10 Frente 3 CASD Vestibulares
40. (Unicamp) No esquema a seguir, estão
representados os níveis tróficos (A - D) de uma cadeia
alimentar.
a) Explique o que acontece com a energia transferida a
partir do produtor em cada nível trófico e o que
representa o calor indicado no esquema.
________________________________
________________________________
________________________________
b) Explique o que "E" representa e qual a sua função.
________________________________
________________________________
________________________________
41. (Fuvest) O esquema a seguir representa as
principais relações alimentares entre espécies que vivem
num lago de uma região equatorial.
Com relação a esse ambiente:
a) Indique os consumidores primários.
________________________________
________________________________
b) Dentre os consumidores, indique quais ocupam um
único nível trófico.
________________________________
c) Explique como o aumento das populações das aves
pode impactar as populações de mosquitos.
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
42. (UFSCar) O esquema mostra as relações tróficas
entre as espécies A, B, C e D de um ecossistema
aquático.
a) Identifique as espécies de decompositores, de
herbívoros, de carnívoros e de produtores.
________________________________
________________________________
________________________________
b) Se a espécie representada pela letra C for totalmente
dizimada, quais serão as consequências imediatas para
as populações A e D, respectivamente?
________________________________
________________________________
43. (UFSC 2014) O diagrama abaixo representa uma
possível teia alimentar marinha antártica.
Com base nas informações contidas no diagrama, bem
como em conceitos ecológicos, indique a soma da(s)
proposição(ões) CORRETA(S).
01) O fitoplâncton configura o grupo dos produtores e os
seres que se alimentam dele são consumidores
secundários.
02) As baleias com dentes participam de três níveis
tróficos diferentes.
04) Cerca de 10% da energia armazenada na matéria
orgânica de cada nível trófico é convertida em matéria
orgânica no nível trófico seguinte. Este fato é
considerado relevante para a inexistência de cadeias
alimentares muito longas.
08) Os decompositores, não representados na teia
alimentar acima, têm papel fundamental na ciclagem de
nutrientes.
CASD Vestibulares Frente 3 11
16) O krill e a lula podem ser consumidores secundários
ou terciários.
32) A biomassa da população de baleias é menor do que
a biomassa da população de fitoplâncton no ecossistema
antártico.
64) Na teia representada, existe apenas um indivíduo
ocupando o topo da cadeia alimentar.
RESOLUÇÕES E GABARITOS
● PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
1. [C] A pirâmide de biomassa pode ser invertida quando
a velocidades de reprodução dos produtores é bastante
elevada.
2. [C] 3. [B]
4. [B] Trata-se da pirâmide de biomassa invertida (como
na questão 1)
5. [C] O nível de energia sempre diminui à medida que
nos afastamos dos produtores numa cadeia alimentar.
6. [A] 7. [D] 8. [A] 9. [A]
10. [A]
III INCORRETO: As pirâmides ecológicas numéricas
podem variar, dependendo das relações entre os
componentes predadores ou parasitas, de cadeia
alimentar considerada.
IV INCORRETO: Os decompositores atuam em todos os
níveis da cadeia alimentar, exceto como produtores.
11. a) Pirâmide de energia. A energia diminui de um nível
trófico para o seguinte, a partir dos produtores (1), em
todas as cadeias alimentares.
b) Pirâmide de biomassa. Em ecossistemas aquáticos, a
biomassa dos produtores (1), representados pelas algas
do fitoplâncton, é menor do que a biomassa dos
consumidores primários (2), representados pelos
organismos microscópicos do zooplâncton, como
microcrustráceos e diversas larvas. A velocidade de
reprodução dos produtores é maior do que a capacidade
reprodutiva dos consumidores primários. O nível trófico
3 pode ser representado pelos peixes que se alimentam
dos organismos do zooplâncton.
12. a) A pirâmide de biomassa A representa as relações
alimentares de um ecossistema terrestre, com a
biomassa diminuindo ao longo dos níveis tróficos. A
pirâmide de biomassa B representa um ecossistema
marinho, onde a menor biomassa dos produtores é
compensada por sua alta taxa de reprodução,
assegurando a nutrição dos consumidores primários.
b) O SO2 liberado na atmosfera reage com o vapor
d’água produzindo ácido sulfúrico (H2SO4), o que
provoca as chuvas ácidas que diminuem o pH do solo,
assim prejudicando o crescimento vegetal. Além disso,
o ácido sulfúrico mata o meristema apical das plantas,
impedindo o crescimento do vegetal. Como os vegetais
são os produtores dos ecossistemas terrestres, todos os
demais níveis tróficos seriam afetados.
13. a) Não, pois a fotossíntese é uma transformação de
energia luminosa em química. O termo produtor se refere
à capacidade de produção de alimentos.
b) Os decompositores, fungos e bactérias, obtêm seu
alimento de todos os níveis tróficos.
● CADEIAS E TEIAS ALIMENTARES
14. [A] O fluxo da energia nos ecossistemas é
unidirecional. Ele inicia-se com a conversão da energia
luminosa em energia química na forma de alimento,
durante a fotossíntese. Ao longo das cadeias
alimentares, a energia é perdida na forma de calor, dos
produtores em direção aos consumidores, e não pode
ser reutilizada.
15. [E] I - FALSA: o morcego não é alimento do porco.
16. [D] O fluxo de energia na cadeia alimentar é
unidirecional e diminui dos produtores em direção aos
consumidores. Parte da matéria sai da cadeia alimentar
e pode ser reciclada pela atividade dos organismos
decompositores.
17. [D] A transferência de energia ao longo de uma
cadeia alimentar é unidirecional e redutiva, partindo-se
dos produtores em direção aos consumidores. A redução
energética ocorre devido à perda de calor durante a
respiração dos seres vivos.
18. [D] O fitoplâncton é constituído por microrganismos
unicelulares e autótrofos, como as diatomáceas e
pirrofíceas. Eles realizam a fotossíntese utilizando o
2CO , 2H O e a energia da luz para produzir a matéria
orgânica de que necessitam para sobreviver.
19. [D] Na maioria dos ecossistemas terrestres, a
quantidade de biomassa é diretamente proporcional à
quantidade de energia química disponível nas moléculas
orgânicas.
20. [C] O fitoplâncton é formado por organismos
produtores e o zooplâncton é constituído por
consumidores primários. Dessa forma, a variação da
biomassa de zooplâncton deverá acompanhar a
variação da biomassa de fitoplâncton, com alguma
defasagem, como mostra a curva Y.
21. [C] Ao se alimentar de humanos que comeram vegetais,
o tigre comporta-se como consumidor secundário. Os
abutres serão consumidores terciários quando ingerirem a
carne do tigre morto.
22. [E] O texto revela que a ideia do senso comum, de que
as lagartas de borboletas possuem voracidade
generalizada, é derrubada pela especificidade dos animais
ao se alimentar das plantas da família Solanaceae
existentes nos locais onde vivem.
23. [A] O mercúrio é um poluente não biodegradável e de
difícil eliminação pelos organismos vivos. Esse metal
pesado acumula-se ao longo das cadeias alimentares,
ficando mais concentrado nos níveis mais distantes dos
produtores, isto é, acumulado nos tecidos dos
consumidores que se alimentam de organismos
contaminados.
12 Frente 3 CASD Vestibulares
24. [B] O socozinho comporta-se como um predador ou
consumidor secundário ao se alimentar de peixes que
ingeriram migalhas de pão. O pássaro ocupa o terceiro
nível trópico da cadeia alimentar.
25. [B] 26. [D]
27. [B] A espécie 1 comporta-se como consumidor
primário, portanto a espécie 2 é consumidor secundário
e terciário, já que a espécie 3 é consumidor secundário.
28. [E] 29. [E] 30. [E] 31. [C] 32. [E] 33. [C] 34. [A]
35. [A] Em um ambiente aquático, normalmente a
biomassa da vegetação aumenta com o aumento da
intensidade luminosa. Consequentemente, a biomassa
dos herbívoros e carnívoros também deve aumentar.
36. a) A pesca durante o período reprodutivo reduz as
populações, porque impede a produção dos
descendentes. Redes de malha fina capturam animais
jovens que ainda não se reproduziram. A proibição da
pesca durante o período reprodutivo e a proibição da
utilização das redes com malhas finas têm a finalidade
de preservar o número de indivíduos das espécies
utilizadas na alimentação humana.
b) fitoplâncton  zooplâncton  peixes  tubarões.
37. a) A redução populacional do fitoplâncton diminui a
taxa de fotossíntese global e, consequentemente, o
sequestro de carbono da atmosfera. Devido às
emissões, conclui-se que o nível de carbono na
atmosfera vai aumentar.
b) A biomassa de decompositores do ecossistema
marinho é reduzida. A diminuição dos produtores afeta
todos os níveis das cadeias alimentares.
38. a) a1 – cana-de-açúcar
a2 – larva da mariposa e fungo
a3 – larva da vespa
b) Os fungos da espécie Colleotrichum falcatum que, ao
alimentarem-se da sacarose armazenada na cana-de-
açúcar, prejudicam o vegetal, assim constituindo uma
interação de parasitismo.
39. Fitoplâncton: 1º nível trófico – produtores;
microcrustáceos: 2º nível trófico – consumidores
primários; peixes pequenos: 3º nível trófico –
consumidores secundários. Com a introdução de um
novo nível trófico constituído de predadores de peixes
pequenos espera-se que ocorra uma diminuição no
número desses peixes, provocando um aumento no
número de microcrustáceos e uma diminuição na
quantidade de fitoplâncton.
40. a) A energia diminui nas passagens dos níveis
tróficos. O calor é uma das formas de energia perdida no
metabolismo.
b) São os decompositores (fungos e bactérias) que
realizam a decomposição e, consequentemente, a
reciclagem da matéria.
41. a) Os consumidores primários da teia esquematizada
são: zooplâncton e peixe 1.
b) Todos os consumidores exceto a ave 2.
c) O aumento da população de aves pode provocar uma
diminuição excessiva de peixes, os quais são
predadores de larvas de mosquitos.
42. a) No esquema apresentado, temos: decompositores
- B; produtores - D; herbívoros - C e carnívoros - A.
b) Diminuição populacional de A e aumento de D.
43. [02 + 04 + 08 + 32 = 46]
[01] INCORRETO: Os organismos que se alimentam do
fitoplâncton são os consumidores primários.
[16] INCORRETO: O crustáceo krill é consumidor
primário. As lulas podem ser consumidores secundários
quando comem copépodes ou consumidores terciários
quando se alimentam de peixes que ingeriram
copépodes.
[64] INCORRETO: As baleias com dentes e os
cachalotes são predadores de topo na teia alimentar
apresentada.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendel2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendel
bianca
 
Noções de evolução
Noções de evoluçãoNoções de evolução
Noções de evolução
emanuel
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
profatatiana
 
Capítulo 3 a diversidade da vida
Capítulo 3 a diversidade da vidaCapítulo 3 a diversidade da vida
Capítulo 3 a diversidade da vida
Sarah Lemes
 
Caracteristicas gerais dos seres vivos
Caracteristicas gerais dos seres vivosCaracteristicas gerais dos seres vivos
Caracteristicas gerais dos seres vivos
César Milani
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
Killer Max
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
emanuel
 

Mais procurados (20)

Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
 
2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendel2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendel
 
Aula respiração celular
Aula respiração celularAula respiração celular
Aula respiração celular
 
Noções de evolução
Noções de evoluçãoNoções de evolução
Noções de evolução
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Biotecnologia
 
I. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vidaI. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vida
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
 
Capítulo 3 a diversidade da vida
Capítulo 3 a diversidade da vidaCapítulo 3 a diversidade da vida
Capítulo 3 a diversidade da vida
 
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos. Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
 
Caracteristicas gerais dos seres vivos
Caracteristicas gerais dos seres vivosCaracteristicas gerais dos seres vivos
Caracteristicas gerais dos seres vivos
 
Taxonomia dos seres vivos
Taxonomia dos seres vivosTaxonomia dos seres vivos
Taxonomia dos seres vivos
 
Taxonomia - Estudo Dirigido
Taxonomia - Estudo DirigidoTaxonomia - Estudo Dirigido
Taxonomia - Estudo Dirigido
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
2ª lei de mendel
2ª lei de mendel2ª lei de mendel
2ª lei de mendel
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Aula ecologia.
Aula ecologia.Aula ecologia.
Aula ecologia.
 
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicasFluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
 
III. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico BiotecnologiaIII. 1 Histórico Biotecnologia
III. 1 Histórico Biotecnologia
 

Semelhante a Pcasd uploads-vinicius2-listas de ecologia-lista 11 - fluxo de energia e pirâmides ecológicas (1)

2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
CIN
 
Relacoes ecologicas-exercicios
Relacoes ecologicas-exerciciosRelacoes ecologicas-exercicios
Relacoes ecologicas-exercicios
Rafaella Carvalho
 
54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf
54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf
54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf
RefooOnline
 
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdfEcologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
LucasVideira1
 
Aval 6 ano(cadeia_alim)
Aval 6 ano(cadeia_alim)Aval 6 ano(cadeia_alim)
Aval 6 ano(cadeia_alim)
Ercio Novaes
 
apresentação sobre Fluxo energético para turma de biologia
apresentação sobre Fluxo energético  para turma de biologiaapresentação sobre Fluxo energético  para turma de biologia
apresentação sobre Fluxo energético para turma de biologia
rudvancicotti
 
1o ano fluxo e pirâmides de energia
1o ano   fluxo  e pirâmides de energia1o ano   fluxo  e pirâmides de energia
1o ano fluxo e pirâmides de energia
SESI 422 - Americana
 
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdfBanco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
IvoneSilva83
 

Semelhante a Pcasd uploads-vinicius2-listas de ecologia-lista 11 - fluxo de energia e pirâmides ecológicas (1) (20)

EJA VII BIOLOGIA 06 03 2023 INTEGRANDO A DIVERSIDADE BIOLÓGICA P2.pdf
EJA VII BIOLOGIA 06 03 2023 INTEGRANDO A DIVERSIDADE BIOLÓGICA P2.pdfEJA VII BIOLOGIA 06 03 2023 INTEGRANDO A DIVERSIDADE BIOLÓGICA P2.pdf
EJA VII BIOLOGIA 06 03 2023 INTEGRANDO A DIVERSIDADE BIOLÓGICA P2.pdf
 
EJA VII BIOLOGIA 06 03 2023 INTEGRANDO A DIVERSIDADE BIOLÓGICA P2.pdf
EJA VII BIOLOGIA 06 03 2023 INTEGRANDO A DIVERSIDADE BIOLÓGICA P2.pdfEJA VII BIOLOGIA 06 03 2023 INTEGRANDO A DIVERSIDADE BIOLÓGICA P2.pdf
EJA VII BIOLOGIA 06 03 2023 INTEGRANDO A DIVERSIDADE BIOLÓGICA P2.pdf
 
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
 
Piramide
PiramidePiramide
Piramide
 
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasFluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
 
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano
 
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matéria
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matériaLista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matéria
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matéria
 
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
 
Relacoes ecologicas-exercicios
Relacoes ecologicas-exerciciosRelacoes ecologicas-exercicios
Relacoes ecologicas-exercicios
 
38347187 relacoes-ecologicas-exercicios
38347187 relacoes-ecologicas-exercicios38347187 relacoes-ecologicas-exercicios
38347187 relacoes-ecologicas-exercicios
 
54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf
54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf
54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf
 
4302 m4 ft01.jogo_sustterra
4302 m4 ft01.jogo_sustterra4302 m4 ft01.jogo_sustterra
4302 m4 ft01.jogo_sustterra
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Ecologia cadeias
Ecologia cadeiasEcologia cadeias
Ecologia cadeias
 
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdfEcologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
 
Aval 8 ano(dig)1
Aval 8 ano(dig)1Aval 8 ano(dig)1
Aval 8 ano(dig)1
 
Aval 6 ano(cadeia_alim)
Aval 6 ano(cadeia_alim)Aval 6 ano(cadeia_alim)
Aval 6 ano(cadeia_alim)
 
apresentação sobre Fluxo energético para turma de biologia
apresentação sobre Fluxo energético  para turma de biologiaapresentação sobre Fluxo energético  para turma de biologia
apresentação sobre Fluxo energético para turma de biologia
 
1o ano fluxo e pirâmides de energia
1o ano   fluxo  e pirâmides de energia1o ano   fluxo  e pirâmides de energia
1o ano fluxo e pirâmides de energia
 
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdfBanco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
 

Último

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxSão Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.pptnocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
 

Pcasd uploads-vinicius2-listas de ecologia-lista 11 - fluxo de energia e pirâmides ecológicas (1)

  • 1. CASD Vestibulares BIO 3 1 BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 11 – FLUXO DE ENERGIA E PIRÂMIDES ECOLÓGICAS ORIENTAÇÕES Esta lista contém questões relativas ao fluxo de energia e pirâmides ecológicas de cadeias alimentares. Resolva os exercício com muito foco e muita atenção. Não deixe de treinar a escrita das respostas discursivas. Bons estudos! =D RESUMO TEÓRICO FLUXO DE ENERGIA O fluxo de energia é unidirecional isto é, se dá sempre no sentido indicado abaixo. O nível energético diminui à medida que se afasta dos produtores. PIRÂMIDES ECOLÓGICAS São representações que fornecem informações quantitativas de cadeias alimentares. ● Pirâmide de números: indica o número (a quantidade) de indivíduos em cada nível trófico de uma cadeia alimentar. Pode se inverter, caso o número de produtores na cadeia em questão seja pequeno. ● Pirâmide de biomassa: indica a quantidade de biomassa em cada nível trófico de uma cadeia alimentar. Geralmente é uma pirâmide direita. Porém podem se apresentar invertidas quando a velocidade de reprodução dos produtores é bastante alta. O principal exemplo é o do fitoplâncton e do zooplâncton: ● Pirâmide de energia: indica a quantidade de energia em cada um dos níveis tróficos de uma cadeia alimentar. Nunca é invertida! Veja o exemplo abaixo (em kcal.ano-1m-2) Produtores  Consumidores  Decompositores
  • 2. 2 Frente 3 CASD Vestibulares EXERCÍCIO RESOLVIDO 1. (UFPR 2010) Abaixo estão representados três exemplos de cadeias alimentares na coluna da esquerda e, na coluna da direita, três pirâmides que expressam o número relativo de indivíduos em cada nível, numa situação de equilíbrio ecológico. Relacione as cadeias alimentares da coluna da esquerda com as pirâmides da direita. Assinale a alternativa que apresenta a numeração correta da coluna da direita, de cima para baixo. a) 1 – 2 – 3. b) 1 – 3 – 2. c) 3 – 1 – 2. d) 2 – 1 – 3. e) 3 – 2 – 1. EXERCÍCIOS PROPOSTOS ● PIRÂMIDES ECOLÓGICAS 1. (FGV 2008) As figuras apresentam pirâmides ecológicas que expressam, graficamente, a estrutura dos níveis tróficos de uma cadeia alimentar em termos de energia, biomassa ou número de indivíduos. A base das pirâmides representa os produtores, no primeiro nível trófico. Das quatro figuras apresentadas, pode-se dizer corretamente que: a) as figuras 1 e 4 podem representar pirâmides de energia. b) a figura 1 é a única que pode representar uma pirâmide de biomassa. c) a figura 2 pode representar uma pirâmide de biomassa na cadeia alimentar fitoplâncton zooplâncton. d) a figura 3 é característica de uma pirâmide de números na situação em que o produtor é de grande porte, como na cadeia alimentar árvores macacos piolhos. e) a figura 4 pode representar uma pirâmide de energia na cadeia alimentar capim ratos cobras. 2. (UERJ) Nos ecossistemas, o fluxo de energia dos organismos produtores para os consumidores pode ser representado por um diagrama. Dentre os diagramas anteriores, o que melhor representa esse fluxo na cadeia alimentar é o de número: a) I b) II c) III d) IV 3. (Unifesp) A figura esquematiza o fluxo de energia através de um ecossistema. Esse fluxo é mediado por processos fisiológicos nos organismos. Os retângulos representam grupos de organismos e as flechas, o fluxo de energia. Assinale a alternativa que correlaciona corretamente os fluxos aos processos ocorrentes nos organismos e representados por X, Y e Z. a) X: excreção; Y: respiração; Z: digestão. b) X: respiração; Y: digestão; Z: excreção. c) X: respiração; Y: excreção; Z: digestão. d) X: excreção; Y: digestão; Z: respiração. e) X: digestão; Y: respiração; Z: excreção. Resolução: A primeira pirâmide corresponde à cadeia alimentar número 3, nessa pirâmide, a quantidade de milho deve ser maior que a população de roedores, que por sua vez deve ser maior que a população de cobras, suas predadoras. A segunda pirâmide deve corresponder à cadeia alimentar 1, uma vez que várias pulgas devem parasitar a mesma preguiça, que por sua vez, alimenta-se em mais de uma árvore. A pirâmide 3 deve corresponder à cadeia alimentar 2, uma vez que as jaguatiricas devem estar em menor número em relação às cotias, suas presas, que se alimentam de frutos de várias árvores. Alternativa C.
  • 3. CASD Vestibulares Frente 3 3 4. (UFRGS) Considerando que, nas pirâmides ecológicas apresentadas nas alternativas, P (produtor) = fitoplâncton, C1 (consumidor primário) = zooplâncton e C2 (consumidor secundário) = peixes, assinale a que representa uma pirâmide de biomassa. 5. (Fuvest) O esquema representa o fluxo de energia entre os níveis tróficos (pirâmide de energia) de um ecossistema. Essa representação indica, necessariamente, que: a) o número de indivíduos produtores é maior do que o de indivíduos herbívoros. b) o número de indivíduos carnívoros é maior do que o de indivíduos produtores. c) a energia armazenada no total das moléculas orgânicas é maior no nível dos produtores e menor no nível dos carnívoros. d) cada indivíduo carnívoro concentra mais energia do que cada herbívoro ou cada produtor. e) o conjunto dos carnívoros consome mais energia do que o conjunto de herbívoros e produtores. 6. (Unifesp) Considere as definições seguintes. I. Pirâmide de números: expressa o número de indivíduos por nível trófico. II. Pirâmide de biomassa: expressa a massa seca ("peso seco") de matéria orgânica por nível trófico (g/m2). III. Pirâmide de energia: expressa a energia acumulada por nível trófico (kJ/m2). Se o fluxo de energia no Cerrado brasileiro for representado por esses três tipos de pirâmides, o resultado obtido quanto à forma de cada uma será: 7. (UERJ) O gráfico a seguir é uma pirâmide ecológica e demonstra as relações tróficas em uma comunidade. A alternativa que indica, respectivamente, o tipo de pirâmide e o aumento que ela representa, é: a) de biomassa - do peso seco em função do tamanho dos organismos b) de energia - do teor de calorias, pela maior velocidade de ciclagem c) de energia - das populações de consumidores primários e secundários d) de números - da quantidade de organismos, sem considerar a biomassa 8. (Unesp) Observe, inicialmente, as duas cadeias alimentares: 1. árvore preguiças pulgas protozoários. 2. milho roedores cobras gaviões. Observe os modelos de pirâmides a seguir: É correto afirmar, com relação às cadeias 1 e 2 e aos modelos de pirâmides I e II, que: a) a pirâmide I pode representar tanto o número de indivíduos como a quantidade de energia disponível, em cada nível trófico da cadeia 2. b) a pirâmide II pode representar tanto o número de indivíduos como a quantidade de energia disponível, em cada nível trófico da cadeia 1. c) a pirâmide II pode representar a quantidade de energia disponível em cada nível trófico da cadeia 2. d) a pirâmide I pode representar o número de indivíduos em cada nível trófico da cadeia 1. e) a pirâmide I pode representar o número de indivíduos da cadeia 2, e a pirâmide II, a quantidade de energia disponível em cada nível trófico da cadeia 1.
  • 4. 4 Frente 3 CASD Vestibulares 9. (UFSCar) O diagrama seguinte representa uma pirâmide de energia. A largura de cada nível dessa pirâmide, quando analisada de baixo para cima, representa a) a quantidade de energia disponível para o nível trófico seguinte. b) o número de produtores, consumidores primários e consumidores secundários, respectivamente. c) o tamanho dos produtores, consumidores primários e consumidores secundários, respectivamente. d) a quantidade de energia perdida, quando se passa de um nível trófico para o seguinte. e) a produtividade primária bruta, a produtividade primária líquida e a produtividade secundária líquida, respectivamente. 10. (Mackenzie 2013) Um ecossistema pode ser representado sob a forma de pirâmides ecológicas de três tipos: de número, de biomassa e de energia. A esse respeito, são feitas as seguintes afirmações: I. Em todas elas, os produtores ocupam a sua base. II. Em um ecossistema equilibrado, a pirâmide de energia sempre apresenta a base maior do que o topo. III. A pirâmide de número nunca se apresenta na forma invertida. IV. Os decompositores não são mostrados na pirâmide, pois não representam parcela importante no ecossistema. Assinale se estão corretas, apenas, a) I e II. b) I e III. c) I e IV. d) II e III. e) II e IV. 11. (Unifesp 2014) As pirâmides ecológicas são utilizadas para representar os diferentes níveis tróficos de um ecossistema e podem ser de três tipos: número de indivíduos, biomassa ou energia. Elas são lidas de baixo para cima e o tamanho dos retângulos é proporcional à quantidade que expressam. Considere uma pirâmide com a seguinte estrutura: a) Que tipo de pirâmide, entre os três tipos citados no texto, não poderia ser representada por essa estrutura? Por quê? ________________________________ ________________________________ ________________________________ b) Dê um exemplo de uma pirâmide que pode ser representada pela estrutura indicada. Substitua 1, 2 e 3 por dados quantitativos e qualitativos que justifiquem essa estrutura de pirâmide. ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ 12. (Unicamp 2010) Os seres vivos têm níveis de organização acima do organismo, e a Ecologia é a área da Biologia que estuda as relações entre os organismos e destes com o ambiente em que vivem. Dentre os vários níveis de organização podem ser citados a População, a Comunidade e o Ecossistema. a) As figuras adiante representam a biomassa de níveis tróficos em dois tipos de ecossistemas. Relacione cada uma das figuras com um ecossistema. Justifique. ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ b) Explique como o dióxido de enxofre (SO2), liberado na atmosfera por diversas indústrias, pode afetar as populações dos diferentes níveis tróficos da pirâmide A. ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ 13. (Fuvest) A ilustração mostra a produtividade líquida de um ecossistema, isto é, o total de energia expressa em quilocalorias por metro quadrado/ano, após a respiração celular de seus componentes.
  • 5. CASD Vestibulares Frente 3 5 a) Considerando que, na fotossíntese, a energia não é produzida, mas transformada, é correto manter o nome de "produtores" para os organismos que estão na base da pirâmide? Justifique. ________________________________ ________________________________ ________________________________ b) De que nível(eis) da pirâmide os decompositores obtêm energia? Justifique. ________________________________ ________________________________ ________________________________ ● CADEIAS E TEIAS ALIMENTARES 14. (UEG 2013) As transformações, a distribuição e o aproveitamento de energia na natureza apresentam muitas peculiaridades. Dentre elas, destaca-se: a) a energia na forma de luz é convertida em energia química dos alimentos e perde-se na forma de calor, que não é reutilizado. b) a fotossíntese transforma energia luminosa em energia física que, por sua vez, é armazenada na matéria orgânica. c) a quantidade de energia aumenta a cada transferência de um ser vivo para outro, confirmando a entropia natural. d) nos ecossistemas, a energia tem fluxo unidirecional, ou seja, é constantemente reciclada e reaproveitada. TEXTO PARA A QUESTÃO 13 Você já ouviu falar no vírus Nipah? Pois ele quase provocou uma tragédia na Malásia, em 1998. Ele foi encontrado em morcegos que se alimentavam de frutos (frugívoros). As fazendas de criação de porcos invadiram o ambiente natural dos morcegos. Instalados sob as árvores, os chiqueiros ficaram cheios de frutas mordidas, fezes e urina infectada. Os porcos adoeceram e as pessoas foram contaminadas pela carne ou excrementos dos animais – dos infectados, 50% morreram. Fonte: Disponível em <http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/UMA+AMEAÇA+A+ME NOS>. Acesso em: 20 de jul. 2012. (adaptado) 15. (UFSM 2013) Considerando as informações do texto, pode-se afirmar: I. A sequência morcego porco homem é um exemplo de cadeia alimentar. II. No texto, a expressão “ambiente natural” é sinônimo de hábitat. III. Em relação às árvores, os morcegos são consumidores primários. Está(ão) correta(s) a) apenas I. b) apenas II. c) apenas III. d) apenas I e II. e) apenas II e III. 16. (UFRN 2013) A tirinha abaixo apresenta um exemplo de cadeia alimentar. A respeito dessa cadeia alimentar, é correto afirmar: a) Os fluxos de matéria e de energia variam de acordo com o tamanho do consumidor, por isso, quanto maior o tamanho do consumidor, maiores serão as quantidades de matéria e de energia nele presentes. b) As quantidades de matéria e energia presentes em um nível trófico são sempre menores que aquelas presentes no nível trófico seguinte. c) A energia e a matéria são conservadas ao longo da cadeia alimentar, e seus valores são equivalentes em cada um dos níveis tróficos representados. d) Parte da matéria e parte da energia do alimento saem da cadeia alimentar na forma de fezes, urina, gás carbônico, água e calor, e, por isso, elas são menores no homem. 17. (UFSM 2012) As pinturas rupestres datam da pré- história do ser humano, em um tempo em que a vida em sociedade e a cultura estavam ainda em evolução inicial. Naquele tempo, era comum encontrar representações em cavernas que retratavam o homem em seu meio natural, como ocorria na atividade de caca a diversos animais. Assim, a relação do homem com o meio ambiente é antiga e enfatiza a importância das relações de interação dos organismos com o meio que os envolve. Sobre os processos que envolvem as relações ecológicas e dinâmicas das populações dos seres vivos, assinale a alternativa correta. a) A predação é o único fator a determinar o crescimento populacional de uma espécie de presa, como ocorre com a lebre cujo predador é o lince. b) As espécies de animais silvestres exibem naturalmente um tipo de crescimento populacional chamado de crescimento exponencial, não regulado pela capacidade de suporte do ambiente. c) Em uma pirâmide de energia, pode-se considerar o sol como produtor, uma planta como consumidor primário e o ser humano como consumidor secundário. d) Quanto ao fluxo energético no ecossistema, apenas uma parte da energia permanece na cadeia alimentar, indo ao nível trófico seguinte; o restante é, em parte, eliminado pela respiração celular. e) O homem pré-histórico, ao consumir a carne de sua caça, não estava participando do ciclo de matéria e do fluxo de energia no ecossistema, já que vivia, desde aquele tempo, em um sistema artificial criado por ele.
  • 6. 6 Frente 3 CASD Vestibulares 18. (UERJ 2012) O aumento da poluição atmosférica, especialmente pelo acúmulo de gases do efeito estufa, como o 2CO , tem acarretado a elevação da temperatura global. Alguns seres vivos, no entanto, apresentam um metabolismo capaz de fixar esse gás em matéria orgânica. Em condições ideais, o grupo de organismos com maior capacidade de fixar 2CO é: a) levedo b) bactéria c) zooplâncton d) fitoplâncton 19. (UFRGS 2012) Com relação à biomassa e à distribuição de energia nos diferentes níveis tróficos, considere as seguintes afirmações. I. Na maioria dos ecossistemas terrestres, a quantidade de biomassa é inversamente proporcional à quantidade de energia química disponível nas moléculas orgânicas. II. Na maioria dos ecossistemas terrestres, as plantas fotossintetizantes dominam tanto em relação à quantidade de energia que representam, quanto em relação à biomassa que contêm. III. Na maioria dos ecossistemas aquáticos, uma pequena biomassa de produtores pode alimentar uma biomassa muito maior de consumidores primários. Quais estão corretas? a) Apenas I. b) Apenas II. c) Apenas I e III. d) Apenas II e III. e) I, II e III. 20. (UERJ 2011) A biomassa de quatro tipos de seres vivos existentes em uma pequena lagoa foi medida uma vez por mês, durante o período de um ano. No gráfico a seguir estão mostrados os valores obtidos. A curva pontilhada representa a variação da biomassa do fitoplâncton. A variação da biomassa do zooplâncton está representada pela curva identificada por: a) W b) X c) Y d) Z 21. (ENEM 2011) Os personagens da figura estão representando uma situação hipotética de cadeia alimentar. Suponha que, em cena anterior à apresentada, o homem tenha se alimentado de frutas e grãos que conseguiu coletar. Na hipótese de, nas próximas cenas, o tigre ser bem-sucedido e, posteriormente, servir de alimento aos abutres, tigre e abutres ocuparão, respectivamente, os níveis tróficos de: a) produtor e consumidor primário. b) consumidor primário e consumidor secundário. c) consumidor secundário e consumidor terciário. d) consumidor terciário e produtor. e) consumidor secundário e consumidor primário. 22. (Enem 2011) Diferente do que o senso comum acredita, as lagartas de borboletas não possuem voracidade generalizada. Um estudo mostrou que as borboletas de asas transparentes da família Ithomiinae, comuns na Floresta Amazônica e na Mata Atlântica, consomem, sobretudo, plantas da família Solanaceae, a mesma do tomate. Contudo, os ancestrais dessas borboletas consumiam espécies vegetais da família Apocinaceae, mas a quantidade dessas plantas parece não ter sido suficiente para garantir o suprimento alimentar dessas borboletas. Dessa forma, as solanáceas tornaram-se uma opção de alimento, pois são abundantes na Mata Atlântica e na Floresta Amazônica. Nesse texto, a ideia do senso comum é confrontada com os conhecimentos científicos, ao se entender que as larvas das borboletas Ithomiinae encontradas atualmente na Mata Atlântica e na Floresta Amazônica, apresentam: a) facilidade em digerir todas as plantas desses locais. b) interação com as plantas hospedeiras da família Apocinaceae. c) adaptação para se alimentar de todas as plantas desses locais. d) voracidade indiscriminada por todas as plantas existentes nesses locais. e) especificidade pelas plantas da família Solanaceae existentes nesses locais. 23. (ENEM 2ª aplicação 2010) A figura representa uma cadeia alimentar em uma lagoa. As setas indicam o sentido do fluxo de energia entre os componentes dos níveis tróficos.
  • 7. CASD Vestibulares Frente 3 7 Sabendo-se que o mercúrio se acumula nos tecidos vivos, que componente dessa cadeia alimentar apresentará maior teor de mercúrio no organismo se nessa lagoa ocorrer um derramamento desse metal? a) As aves, pois são os predadores do topo dessa cadeia e acumulam mercúrio incorporado pelos componentes dos demais elos. b) Os caramujos, pois se alimentam das raízes das plantas, que acumulam maior quantidade de metal. c) Os grandes peixes, pois acumulam o mercúrio presente nas plantas e nos peixes pequenos. d) Os pequenos peixes, pois acumulam maior quantidade de mercúrio, já que se alimentam das plantas contaminadas. e) As plantas aquáticas, pois absorvem grande quantidade de mercúrio da água através de suas raízes e folhas. 24. (Unesp 2009) Sr. José Horácio, um morador de Ipatinga, MG, flagrou uma cena curiosa, filmou-a e mandou-a para um telejornal. Da ponte de um lago no parque da cidade, pessoas atiravam migalhas de pão aos peixes. Um socozinho (Butorides striata), ave que se alimenta de peixes, recolhia com seu bico algumas migalhas de pão e as levava para um lugar mais calmo, à beira do lago e longe das pessoas. Atirava essas migalhas “roubadas” no lago e, quando os peixes vinham para comê-las, capturava e engolia esses peixes. Sobre os organismos presentes na cena, pode-se afirmar que: a) o socozinho é um parasita, os homens e os peixes são os organismos parasitados. b) o socozinho é um predador, que pode ocupar o terceiro nível trófico dessa cadeia alimentar. c) o homem é produtor, os peixes são consumidores primários e o socozinho é consumidor secundário. d) os peixes e o socozinho são consumidores secundários, enquanto o homem ocupa o último nível trófico dessa cadeia alimentar. e) os peixes são detritívoros e o socozinho é consumidor primário. 25. (Unifesp 2009) Quando nos referimos a uma cadeia alimentar, é correto afirmar que: a) A armazenagem de energia utiliza trifosfato de adenosina apenas nos consumidores e nos decompositores. b) Na armazenagem de energia, é utilizado o trifosfato de adenosina, tanto nos produtores quanto nos consumidores. c) As organelas celulares responsáveis pela quebra da energia acumulada são diferentes entre produtores e consumidores. d) No nível celular, um consumidor primário utiliza energia de forma diferente de um consumidor secundário. e) No interior da célula, a fonte de energia para decompositores de plantas é diferente da fonte de energia para decompositores de animais. 26. (UFSCar 2008) A energia luminosa do Sol é transformada, por alguns organismos, em energia química. Nas cadeias alimentares, o fluxo dessa energia é unidirecional. Por outro lado, a matéria que compõe os seres vivos se mantém em quantidades praticamente constantes. Essas duas afirmações se justificam porque: a) cada nível trófico capta energia luminosa que é acumulada, assim como a matéria, na passagem dos níveis tróficos, desde os produtores até os decompositores. b) a energia aumenta na passagem de um nível trófico para outro e a matéria reciclada é acumulada. c) a energia flui do último nível trófico para o primeiro por reciclagem, juntamente com a matéria orgânica. d) a energia captada pelos produtores é transferida de um nível trófico para outro, sempre em menor quantidade, até os decompositores, enquanto que a matéria é reciclada. e) a energia dissipa-se apenas pela ação dos decompositores, que reciclam a matéria orgânica. 27. (PUC-SP 2008) Considere três espécies de animais que vivem em uma comunidade, indicadas por 1, 2 e 3: I. a espécie 1 é presa de 3; II. a espécie 2 é predadora de 1; III. a espécie 3 é presa de 2. Um pesquisador constatou que a espécie 1 é herbívora, o que permite concluir que, na cadeia alimentar em questão: a) 1 é produtora. b) 2 é consumidora secundária e terciária. c) 3 é consumidora secundária e terciária. d) 1 e 2 são consumidoras primárias. e) 2 e 3 são consumidoras primárias. 28. (Unesp 2008) João e Antônio apresentaram-se como voluntários para o experimento de um nutricionista. João, depois de passar um dia em jejum, foi alimentado com 500 g de milho cozido. Antônio, também depois de jejuar, foi alimentado com 500 g da carne de um frango que cresceu alimentado apenas com milho. Com relação à transferência de energia ao longo da cadeia alimentar, pode-se dizer que, no experimento, a) a quantidade de energia obtida por Antônio foi igual àquela necessária para a formação de 500 g de carne de frango. b) a quantidade de energia obtida por João foi igual àquela necessária para a formação de 500 g de milho. c) João e Antônio receberam a mesma quantidade de energia, igual àquela necessária para a formação de 500 g de milho. d) João e Antônio receberam mais energia que aquela necessária para a formação de 500 g de milho. e) João e Antônio receberam menos energia que aquela necessária para a formação de 500 g de milho. 29. (UFSCar) No exemplo de cadeia alimentar da ilustração, supondo que o peixe abocanhado pelo jaburu se alimente de plantas aquáticas, podemos considerar que:
  • 8. 8 Frente 3 CASD Vestibulares a) a maior quantidade de energia disponível está no nível trófico do peixe. b) o nível trófico do jaburu apresenta menor quantidade de energia disponível que o do jacaré. c) a menor quantidade de energia disponível está no nível trófico do jaburu. d) a quantidade de energia disponível nos níveis tróficos do peixe e do jacaré são equivalentes. e) a quantidade de energia disponível no nível trófico do peixe é maior que no nível trófico do jaburu. 30. (Fuvest) As bactérias diferem quanto à fonte primária de energia para seus processos metabólicos. Por exemplo: I. 'Chlorobium sp' utiliza energia luminosa. II. 'Beggiatoa sp' utiliza energia gerada pela oxidação de compostos inorgânicos. III. 'Mycobacterium sp' utiliza energia gerada pela degradação de compostos orgânicos componentes do organismo hospedeiro. Com base nessas informações, indique a alternativa que relaciona corretamente essas bactérias com seu papel nas cadeias alimentares de que participam. 31. (PUC-SP) Analise o esquema que se segue Em uma comunidade marinha, os organismos indicados por A e B, poderiam ser, respectivamente, a) peixes herbívoros e peixes carnívoros. b) peixes herbívoros e microcrustáceos. c) algas planctônicas e microcrustáceos. d) planctônicos em geral e bentônicos em geral. e) algas microscópicas e algas filamentosas. 32. (UFSCar) No aparelho digestório de um boi o estômago é dividido em 4 compartimentos. Os dois primeiros, rúmem e barrete (ou retículo), contêm rica quantidade de bactérias e protozoários que secretam enzimas que decompõem a celulose do material vegetal ingerido pelo animal. O alimento semidigerido volta à boca onde é remastigado (ruminação) e novamente deglutido. Os dois outros compartimentos, ômaso e abômaso, recebem o alimento ruminado e secretam enzimas que quebram as proteínas das bactérias e dos protozoários que chegam continuamente dos compartimentos anteriores. Considerando apenas o aproveitamento das proteínas bacterianas na nutrição do boi, é correto afirmar que o boi e os microorganismos são, respectivamente, a) consumidor primário e decompositores. b) consumidor secundário e decompositores. c) consumidor primário e produtores. d) consumidor primário e consumidores secundários. e) consumidor secundário e consumidores primários. 33. (FGV) Na goiabeira do quintal de uma casa, eram muitas as goiabas que se apresentavam infestadas por larvas de moscas. Nos galhos da árvore, inúmeros pássaros se alimentavam dos frutos enquanto, ao pé da goiabeira, pássaros iguais aos dos galhos se alimentavam das larvas expostas pelas goiabas que haviam caído e se esborrachado no chão. Sobre a cadeia alimentar aqui representada, é correto afirmar que: a) os pássaros dos galhos e os pássaros do chão ocupam diferentes níveis tróficos e, portanto, a despeito da mesma aparência, não pertencem à mesma espécie. b) as larvas são decompositores, enquanto os pássaros são consumidores primários. c) as larvas são consumidores primários e os pássaros podem se comportar como consumidores primários e secundários. d) a goiabeira é produtor, os pássaros são consumidores primários e as larvas são parasitas, não fazendo parte desta cadeia alimentar. e) as larvas ocupam o primeiro nível trófico, os pássaros dos galhos e os pássaros do chão ocupam, respectivamente, o segundo e o terceiro níveis tróficos. 34. (Fuvest) Uma lagarta de mariposa absorve apenas metade das substâncias orgânicas que ingere, sendo a outra metade eliminada na forma de fezes. Cerca de 2/3 do material absorvido é utilizado como combustível na respiração celular, enquanto o 1/3 restante é convertido em matéria orgânica da lagarta. Considerando que uma lagarta tenha ingerido uma quantidade de folhas com matéria orgânica equivalente a 600 calorias, quanto dessa energia estará disponível para um predador da lagarta? a) 100 calorias. b) 200 calorias. c) 300 calorias. d) 400 calorias. e) 600 calorias. 35. (UFPR 2014) O estudo de cadeias tróficas é importante para a compreensão das relações entre organismos em um ambiente. Uma forma de estudá-las é pela produtividade, em biomassa, em cada nível da cadeia. Supondo a existência de uma cadeia, num ambiente aquático, com três comunidades de organismos (vegetação, herbívoros e carnívoros) em equilíbrio, qual dos gráficos representa a variação dessas comunidades, em biomassa (g/m2), em função da disponibilidade de luz?
  • 9. CASD Vestibulares Frente 3 9 36. (Unicamp 2013) Cerca de 70% da superfície da Terra é coberta por água do mar e abaixo dessa superfície a água atinge uma profundidade média de 3,8 quilômetros. Os ecossistemas marinhos abrigam grande biodiversidade, mas parte dela vem sendo ameaçada pela pesca predatória. Na tentativa de controlar o problema, medidas governamentais têm sido adotadas, como a proibição da pesca em período reprodutivo e a restrição do uso de redes de malhas finas. a) Como a proibição da pesca em período reprodutivo e como a restrição a redes de malhas finas minimizariam o problema da pesca predatória, contribuindo para a sustentabilidade da pesca? Explique. ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ b) Monte uma cadeia alimentar típica dos oceanos, considerando a presença de quatro níveis tróficos. ________________________________ ________________________________ 37. (Fuvest 2011) Resultados de uma pesquisa publicada na revista Nature, em 29 de julho de 2010, mostram que a quantidade média de fitoplâncton dos oceanos diminuiu cerca de 1% ao ano, nos últimos 100 anos. Explique como a redução do fitoplâncton afeta a) os níveis de carbono na atmosfera. ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ b) a biomassa de decompositores do ecossistema marinho. ________________________________ ________________________________ ________________________________ 38. (Fuvest 2010) As mariposas da espécie Diataea saccharalis colocam seus ovos na parte inferior de folhas de cana-de-açúcar. Esses ovos desenvolvem-se em larvas que penetram no caule e se alimentam do parênquima ali presente. As galerias feitas por essas larvas servem de porta de entrada para fungos da espécie Colleotrichum falcatum. Esses fungos alimentam-se da sacarose armazenada no caule. As usinas de açúcar e álcool combatem as mariposas, liberando pequenas vespas (Cofesia flavipes), cujos ovos são depositados sobre as larvas das mariposas. Quando os ovos eclodem, as larvas da vespa passam a se alimentar das larvas da mariposa. a) Com base nas informações contidas no texto acima, indique os organismos que ocupam os seguintes níveis tróficos: a1) produtor; a2) consumidor primário; a3) consumidor secundário. ________________________________ ________________________________ ________________________________ b) Dentre as interações descritas nesse texto, indique uma que você classificaria como parasitismo, justificando sua resposta. ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ 39. (UERJ 2010) Em um lago, três populações formam um sistema estável: microcrustáceos que comem fitoplâncton e são alimento para pequenos peixes. O número de indivíduos desse sistema não varia significativamente ao longo dos anos, mas, em um determinado momento, foi introduzido no lago um grande número de predadores dos peixes pequenos. Identifique os níveis tróficos de cada população do sistema estável inicial e apresente as consequências da introdução do predador para a população de fitoplâncton. ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________
  • 10. 10 Frente 3 CASD Vestibulares 40. (Unicamp) No esquema a seguir, estão representados os níveis tróficos (A - D) de uma cadeia alimentar. a) Explique o que acontece com a energia transferida a partir do produtor em cada nível trófico e o que representa o calor indicado no esquema. ________________________________ ________________________________ ________________________________ b) Explique o que "E" representa e qual a sua função. ________________________________ ________________________________ ________________________________ 41. (Fuvest) O esquema a seguir representa as principais relações alimentares entre espécies que vivem num lago de uma região equatorial. Com relação a esse ambiente: a) Indique os consumidores primários. ________________________________ ________________________________ b) Dentre os consumidores, indique quais ocupam um único nível trófico. ________________________________ c) Explique como o aumento das populações das aves pode impactar as populações de mosquitos. ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ 42. (UFSCar) O esquema mostra as relações tróficas entre as espécies A, B, C e D de um ecossistema aquático. a) Identifique as espécies de decompositores, de herbívoros, de carnívoros e de produtores. ________________________________ ________________________________ ________________________________ b) Se a espécie representada pela letra C for totalmente dizimada, quais serão as consequências imediatas para as populações A e D, respectivamente? ________________________________ ________________________________ 43. (UFSC 2014) O diagrama abaixo representa uma possível teia alimentar marinha antártica. Com base nas informações contidas no diagrama, bem como em conceitos ecológicos, indique a soma da(s) proposição(ões) CORRETA(S). 01) O fitoplâncton configura o grupo dos produtores e os seres que se alimentam dele são consumidores secundários. 02) As baleias com dentes participam de três níveis tróficos diferentes. 04) Cerca de 10% da energia armazenada na matéria orgânica de cada nível trófico é convertida em matéria orgânica no nível trófico seguinte. Este fato é considerado relevante para a inexistência de cadeias alimentares muito longas. 08) Os decompositores, não representados na teia alimentar acima, têm papel fundamental na ciclagem de nutrientes.
  • 11. CASD Vestibulares Frente 3 11 16) O krill e a lula podem ser consumidores secundários ou terciários. 32) A biomassa da população de baleias é menor do que a biomassa da população de fitoplâncton no ecossistema antártico. 64) Na teia representada, existe apenas um indivíduo ocupando o topo da cadeia alimentar. RESOLUÇÕES E GABARITOS ● PIRÂMIDES ECOLÓGICAS 1. [C] A pirâmide de biomassa pode ser invertida quando a velocidades de reprodução dos produtores é bastante elevada. 2. [C] 3. [B] 4. [B] Trata-se da pirâmide de biomassa invertida (como na questão 1) 5. [C] O nível de energia sempre diminui à medida que nos afastamos dos produtores numa cadeia alimentar. 6. [A] 7. [D] 8. [A] 9. [A] 10. [A] III INCORRETO: As pirâmides ecológicas numéricas podem variar, dependendo das relações entre os componentes predadores ou parasitas, de cadeia alimentar considerada. IV INCORRETO: Os decompositores atuam em todos os níveis da cadeia alimentar, exceto como produtores. 11. a) Pirâmide de energia. A energia diminui de um nível trófico para o seguinte, a partir dos produtores (1), em todas as cadeias alimentares. b) Pirâmide de biomassa. Em ecossistemas aquáticos, a biomassa dos produtores (1), representados pelas algas do fitoplâncton, é menor do que a biomassa dos consumidores primários (2), representados pelos organismos microscópicos do zooplâncton, como microcrustráceos e diversas larvas. A velocidade de reprodução dos produtores é maior do que a capacidade reprodutiva dos consumidores primários. O nível trófico 3 pode ser representado pelos peixes que se alimentam dos organismos do zooplâncton. 12. a) A pirâmide de biomassa A representa as relações alimentares de um ecossistema terrestre, com a biomassa diminuindo ao longo dos níveis tróficos. A pirâmide de biomassa B representa um ecossistema marinho, onde a menor biomassa dos produtores é compensada por sua alta taxa de reprodução, assegurando a nutrição dos consumidores primários. b) O SO2 liberado na atmosfera reage com o vapor d’água produzindo ácido sulfúrico (H2SO4), o que provoca as chuvas ácidas que diminuem o pH do solo, assim prejudicando o crescimento vegetal. Além disso, o ácido sulfúrico mata o meristema apical das plantas, impedindo o crescimento do vegetal. Como os vegetais são os produtores dos ecossistemas terrestres, todos os demais níveis tróficos seriam afetados. 13. a) Não, pois a fotossíntese é uma transformação de energia luminosa em química. O termo produtor se refere à capacidade de produção de alimentos. b) Os decompositores, fungos e bactérias, obtêm seu alimento de todos os níveis tróficos. ● CADEIAS E TEIAS ALIMENTARES 14. [A] O fluxo da energia nos ecossistemas é unidirecional. Ele inicia-se com a conversão da energia luminosa em energia química na forma de alimento, durante a fotossíntese. Ao longo das cadeias alimentares, a energia é perdida na forma de calor, dos produtores em direção aos consumidores, e não pode ser reutilizada. 15. [E] I - FALSA: o morcego não é alimento do porco. 16. [D] O fluxo de energia na cadeia alimentar é unidirecional e diminui dos produtores em direção aos consumidores. Parte da matéria sai da cadeia alimentar e pode ser reciclada pela atividade dos organismos decompositores. 17. [D] A transferência de energia ao longo de uma cadeia alimentar é unidirecional e redutiva, partindo-se dos produtores em direção aos consumidores. A redução energética ocorre devido à perda de calor durante a respiração dos seres vivos. 18. [D] O fitoplâncton é constituído por microrganismos unicelulares e autótrofos, como as diatomáceas e pirrofíceas. Eles realizam a fotossíntese utilizando o 2CO , 2H O e a energia da luz para produzir a matéria orgânica de que necessitam para sobreviver. 19. [D] Na maioria dos ecossistemas terrestres, a quantidade de biomassa é diretamente proporcional à quantidade de energia química disponível nas moléculas orgânicas. 20. [C] O fitoplâncton é formado por organismos produtores e o zooplâncton é constituído por consumidores primários. Dessa forma, a variação da biomassa de zooplâncton deverá acompanhar a variação da biomassa de fitoplâncton, com alguma defasagem, como mostra a curva Y. 21. [C] Ao se alimentar de humanos que comeram vegetais, o tigre comporta-se como consumidor secundário. Os abutres serão consumidores terciários quando ingerirem a carne do tigre morto. 22. [E] O texto revela que a ideia do senso comum, de que as lagartas de borboletas possuem voracidade generalizada, é derrubada pela especificidade dos animais ao se alimentar das plantas da família Solanaceae existentes nos locais onde vivem. 23. [A] O mercúrio é um poluente não biodegradável e de difícil eliminação pelos organismos vivos. Esse metal pesado acumula-se ao longo das cadeias alimentares, ficando mais concentrado nos níveis mais distantes dos produtores, isto é, acumulado nos tecidos dos consumidores que se alimentam de organismos contaminados.
  • 12. 12 Frente 3 CASD Vestibulares 24. [B] O socozinho comporta-se como um predador ou consumidor secundário ao se alimentar de peixes que ingeriram migalhas de pão. O pássaro ocupa o terceiro nível trópico da cadeia alimentar. 25. [B] 26. [D] 27. [B] A espécie 1 comporta-se como consumidor primário, portanto a espécie 2 é consumidor secundário e terciário, já que a espécie 3 é consumidor secundário. 28. [E] 29. [E] 30. [E] 31. [C] 32. [E] 33. [C] 34. [A] 35. [A] Em um ambiente aquático, normalmente a biomassa da vegetação aumenta com o aumento da intensidade luminosa. Consequentemente, a biomassa dos herbívoros e carnívoros também deve aumentar. 36. a) A pesca durante o período reprodutivo reduz as populações, porque impede a produção dos descendentes. Redes de malha fina capturam animais jovens que ainda não se reproduziram. A proibição da pesca durante o período reprodutivo e a proibição da utilização das redes com malhas finas têm a finalidade de preservar o número de indivíduos das espécies utilizadas na alimentação humana. b) fitoplâncton  zooplâncton  peixes  tubarões. 37. a) A redução populacional do fitoplâncton diminui a taxa de fotossíntese global e, consequentemente, o sequestro de carbono da atmosfera. Devido às emissões, conclui-se que o nível de carbono na atmosfera vai aumentar. b) A biomassa de decompositores do ecossistema marinho é reduzida. A diminuição dos produtores afeta todos os níveis das cadeias alimentares. 38. a) a1 – cana-de-açúcar a2 – larva da mariposa e fungo a3 – larva da vespa b) Os fungos da espécie Colleotrichum falcatum que, ao alimentarem-se da sacarose armazenada na cana-de- açúcar, prejudicam o vegetal, assim constituindo uma interação de parasitismo. 39. Fitoplâncton: 1º nível trófico – produtores; microcrustáceos: 2º nível trófico – consumidores primários; peixes pequenos: 3º nível trófico – consumidores secundários. Com a introdução de um novo nível trófico constituído de predadores de peixes pequenos espera-se que ocorra uma diminuição no número desses peixes, provocando um aumento no número de microcrustáceos e uma diminuição na quantidade de fitoplâncton. 40. a) A energia diminui nas passagens dos níveis tróficos. O calor é uma das formas de energia perdida no metabolismo. b) São os decompositores (fungos e bactérias) que realizam a decomposição e, consequentemente, a reciclagem da matéria. 41. a) Os consumidores primários da teia esquematizada são: zooplâncton e peixe 1. b) Todos os consumidores exceto a ave 2. c) O aumento da população de aves pode provocar uma diminuição excessiva de peixes, os quais são predadores de larvas de mosquitos. 42. a) No esquema apresentado, temos: decompositores - B; produtores - D; herbívoros - C e carnívoros - A. b) Diminuição populacional de A e aumento de D. 43. [02 + 04 + 08 + 32 = 46] [01] INCORRETO: Os organismos que se alimentam do fitoplâncton são os consumidores primários. [16] INCORRETO: O crustáceo krill é consumidor primário. As lulas podem ser consumidores secundários quando comem copépodes ou consumidores terciários quando se alimentam de peixes que ingeriram copépodes. [64] INCORRETO: As baleias com dentes e os cachalotes são predadores de topo na teia alimentar apresentada.