Novos Serviços de Referência Digital

5.460 visualizações

Publicada em

Apresentação da Palestra "Novos serviços de referência digital nas bibliotecas Universitárias" na UFMG em Belo Horizonte, MG, no dia 11 de março de 2009.

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
18 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.460
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
41
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
18
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Novos Serviços de Referência Digital

    1. 1. Miguel Ángel Márdero Arellano Novos Serviços de Referência Digital II Encontro do Sistema de Bibliotecas da UFMG
    2. 2. AS TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO REFERÊNCIA DIGITAL REDES SOCIAIS BLOGS E WIKIS
    3. 3. Qual é a importância de um serviço de referência digital na biblioteca universitária?
    4. 4. <ul><li>“ Um dos grandes desafios da educação e da universidade está em ensinar o educando a localizar, interpretar e reagir às informações disponibilizadas em inúmeros bancos de dados através de múltiplos canais de acesso, desenvolvendo o aprendizado da pesquisa, da capacidade analítica, interpretativa e criativa, da habilidade em problematizar os objetos de investigação, construir síntese de elementos relevantes aos propósitos almejados, posicionar-se eticamente frente aos conflitos humanos, comunicar o conhecimento e transformar suas próprias ações[...]. </li></ul><ul><li> L. Milanesi </li></ul>BIBLIOTECÁRIOS E A UNIVERSIDADE
    5. 5. <ul><li>“ A atividade de educação é compartilhada entre bibliotecários e docentes no momento em que se cria demanda para a pesquisa, a leitura e estabelece o itinerário pelos caminhos do conhecimento.” </li></ul><ul><li> L. Milanesi </li></ul>BIBLIOTECÁRIOS E DOCENTES
    6. 6. <ul><li>Em 2001 não existiam no Brasil nenhum serviço de referência virtual 24 horas, sete dias por semana. Já em 2007 nenhuma das bibliotecas das universidades públicas brasileiras oferecia serviços de referência digital fora de correio eletrônico. </li></ul>O serviço de referência digital no Brasil
    7. 8. <ul><li>A tecnologia a ser usada no serviço de referência é a mais adequada? </li></ul><ul><li>A tecnologia permite que os bibliotecários de referência façam coisas tradicionais da forma antiga? </li></ul><ul><li>A tecnologia permite que os bibliotecários de referência façam coisas tradicionais de forma inovadora? </li></ul><ul><li>A tecnologia está criando experiências de pesquisa e aprendizagem novas e diferentes no serviço de referência da biblioteca? </li></ul>REFLEXÕES
    8. 9. AS TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
    9. 10. <ul><li>A Informação globalizada se originou no século XV, com a abertura das rotas marítimas intercontinentais e a invenção da imprensa. </li></ul><ul><li>Borgman, C. L. 2000. From Gutenberg to the Global Information Infrastructure: Access to Information in the Networked World. Cambridge, MA: MIT Press. </li></ul><ul><li>http://www.ukoln.ac.uk/events/pv-2005/pv-2005-final-papers/032.pdf </li></ul>RECURSOS DE INFORMAÇÃO
    10. 11. <ul><li>A comunicação eletrônica ofereceu maior facilidade de transmissão dos conhecimentos, de forma ágil e com baixo custo, e permite a interação em condições de igualdade. </li></ul><ul><li>O Google detectou mais de um trilhão de endereços exclusivos na internet. Um crescimento de um bilhão de páginas por dia na Web. </li></ul>CANAIS DE COMUNICAÇÃO
    11. 12. <ul><li>O Brasil é o país onde a população passa mais tempo conectada, com três horas à frente do segundo colocado, a Alemanha, cujo tempo médio de navegação foi de 20 horas e 11 minutos em junho de 2008. </li></ul>
    12. 13. <ul><li>Em 3 anos, dobrou número de brasileiros com Internet em casa </li></ul><ul><li>Segundo Ibope/Netratings, usuários saltaram de 18,3 milhões em junho de 2005 para 35,5 milhões em 2008 </li></ul>
    13. 14. <ul><li>O número de usuários ativos, aqueles que acessam a Internet pelo menos uma vez no mês, cresceu para 22,9 milhões em 2008. </li></ul><ul><li>Os dados relativos ao primeiro trimestre de 2008 do Global Internet Trends -- GNetT indicam que 41,565 milhões de pessoas com 16 anos ou mais declararam ter acesso à Internet em qualquer ambiente (casa, trabalho, escola, cybercafés, bibliotecas e outros locais). </li></ul>
    14. 15. <ul><li>WWW 1.0 </li></ul><ul><li>Web pages, Netscape </li></ul><ul><li>WEB 2.0 </li></ul><ul><li>YouTube, Google tools, MySpace, Facebook, Wikis, Podcasts, RSS, Second Life, Flickr </li></ul><ul><li>WEB 3.0 </li></ul><ul><li>FOAF, Amazon Mechanical Turk, Folksonomia, Web Semántica </li></ul>Evolução da World Wide Web
    15. 16. PÁGINAS WEB CONVENCIONAIS
    16. 17. sítios diversos blogs agregador de conteúdo CANAIS RSS
    17. 18. <ul><li>RSSReader http://www.rssreader.com </li></ul><ul><li>FeedReader http://www.feedreader.com/ </li></ul><ul><li>Bloglines http://www.bloglines.com </li></ul><ul><li>Google Reader http://www.google.com.br/reader </li></ul><ul><li>NewsisFree http://www.newsisfree.com </li></ul><ul><li>Netvibes http://www.netvibes.com </li></ul><ul><li>Syndic8 http://www.syndic8.com </li></ul><ul><li>RSSfeeds.com http://www.rssfeeds.com Feeds Brasil http:// www.feeds.com.br </li></ul>AGREGADORES
    18. 19. <ul><li>O que o Google tem que as bibliotecas não tenham? </li></ul><ul><li>E os novos buscadores sociais: </li></ul><ul><li>www.searchme.com </li></ul><ul><li>www.viewzi.com </li></ul><ul><li>www.chacha.com </li></ul><ul><li>www.mahalo.com </li></ul><ul><li>www.digg.com </li></ul><ul><li>www.meneame.net </li></ul><ul><li>www.documenea.com </li></ul><ul><li>www.stumbleupon.com </li></ul>INTERNET II
    19. 30. <ul><li>2009 </li></ul><ul><li>Nova geração de serviços de busca </li></ul><ul><li>www.quintura.com </li></ul><ul><li>www.hakia.com </li></ul><ul><li>www.i3owerset.com </li></ul><ul><li>www.lexxe.com </li></ul>INTERNET III
    20. 31. <ul><li>Para 2020… </li></ul><ul><li>A comunicação móvel será o principal meio de conexão na Internet </li></ul>INTERNET III
    21. 32. <ul><li>Celulares 3G com Web (suportam HTML e XML) </li></ul><ul><li>Smartphone G1 da HTC </li></ul><ul><li>iPHONE 3G da Apple </li></ul>Tecnologia móvel
    22. 33. <ul><li>Smartphone G1 da HTC </li></ul><ul><li>Primeiro celular com Android, o sistema operacional da Google para Internet móvel com mais de 500 aplicativos. </li></ul>Tecnologia móvel
    23. 34. Rápido! Qual é a tua senha no Flickr!!
    24. 35. Brinquedos ou ferramentas?
    25. 37. Tudo o que era necessário para a área comercial já foi inventado
    26. 38. Quem compra quem?
    27. 39. REFERÊNCIA DIGITAL
    28. 40. <ul><li> É um serviço de referência iniciado eletronicamente , freqüentemente em tempo real , onde usuários utilizam computadores ou outra tecnologia da Internet para se comunicarem com a equipe de referência sem estar fisicamente presente. </li></ul>REFERÊNCIA DIGITAL
    29. 41. <ul><li>ASSÍNCRONA </li></ul><ul><li>a pergunta é enviada pelo usuário e respondida pelo bibliotecário em um outro momento. </li></ul>REFERÊNCIA DIGITAL SÍNCRONA a comunicação usuário/bibliotecário acontece em tempo real. Formulário Web E-mail Videoconferência Chat
    30. 44. pequenos aplicativos que flutuam pela área de trabalho e fornecem funcionalidade específicas ao utilizador (previsão do tempo, cotação de moedas, relógio, ...) WIDGETS
    31. 46. LIGUE PARA O SKYPE DO BIBLIOTECÁRIO
    32. 47. EVOLUÇÃO DOS SERVIÇOS DE REFERÊNCIA DIGITAL
    33. 48. <ul><li>Chatterbot Web calling, Video Chat, </li></ul><ul><li>e-reference, f2f, reference web calling/video chat synchronous, remote face-to-face reference motivation; </li></ul><ul><li>Wikis, social networks, web calling, mashups blogs, mobile browsing, podcasts virtual worlds; </li></ul><ul><li>Web-based IM, Email, Plugoo, Meebo, Chat G-Talk, jabber, questionpoint, AIM, groopz. </li></ul>Novas ferramentas de intermediação
    34. 49. <ul><li>É uma inovação tecnológica, produto ou serviço que ultrapassa uma tecnologia dominante existente. </li></ul><ul><li>Exemplos: </li></ul><ul><ul><li>os carros que substituíram as carroças, </li></ul></ul><ul><ul><li>os CDs que acabaram com os discos de vinil, </li></ul></ul><ul><ul><li>as câmeras digitais que mataram o filme fotográfico. </li></ul></ul>Tecnologias Disruptivas Clayton M. Christensen: The Innovator's Dilemma. 1997
    35. 50. REFERÊNCIA DIGITAL TECNOLOGIAS DISRUPTIVAS 2.0
    36. 52. REDES SOCIAIS
    37. 53. <ul><li>FaceBook </li></ul><ul><li>LinkedIn </li></ul><ul><li>Orkut </li></ul><ul><li>MySpace </li></ul><ul><li>Sonico </li></ul><ul><li>Yigg </li></ul><ul><li>Sphinn </li></ul><ul><li>Faves </li></ul><ul><li>Simpy </li></ul><ul><li>Diigo </li></ul>Redes Sociais
    38. 58. BLOGS E WIKIS
    39. 59. <ul><li>BLOGS PORTAIS WIKIS </li></ul>CONJUNTOS DE PÁGINAS WEB
    40. 60. <ul><li>BLOGS PORTAIS WIKIS </li></ul><ul><li>Estabilidade </li></ul><ul><li>Atualização </li></ul><ul><li>Publicidade </li></ul><ul><li>Templates </li></ul><ul><li>Feeds </li></ul>CONJUNTOS DE PÁGINAS WEB
    41. 61. <ul><li>BLOGS WIKIS </li></ul><ul><li>REDUZEM: </li></ul><ul><li>Barreiras na </li></ul><ul><li>publicação </li></ul><ul><li>Custos com </li></ul><ul><li>software </li></ul><ul><li>Custos com </li></ul><ul><li>hospedagem </li></ul><ul><li>Barreiras de </li></ul><ul><li>conteúdo </li></ul>CONJUNTOS DE PÁGINAS WEB
    42. 64. Como usar Registre um blog da disciplina como professor Escreva, edite e publique no blog da disciplina como professor Adicione os alunos da disciplina no blog para que possam publicar textos Os estudantes escrevem artigos relacionados com a disciplina O professor revisa os artigos publicados O estudante submete o artigo no blog para ser revisado pelo professor Os alunos e leitores do blog comentam o artigo publicado O professor lê e aprova os comentários a serem publicados. Como usar blogs na sala de aula David Warlick http://www.classblogmeister.com
    43. 65. <ul><li>2006 foi o ano que mais foram criados blog , a partir disso decai o número, incluso os dos cursos de biblioteconomia . </li></ul><ul><li>The Liblog Landscape </li></ul><ul><li>2007-2008 </li></ul><ul><li>Walt Crawford </li></ul>BLOGS
    44. 67. <ul><li>Como o Twitter têm menos barreiras e até os parágrafos não precisam estar escritos em português correto. </li></ul>Microblogging systems
    45. 68. <ul><li>Um Wiki é um conjunto de páginas Web criadas e gerenciadas usando um software wiki . </li></ul><ul><li>É falsa a afirmação: “qualquer um pode editar” </li></ul>WIKIS
    46. 69. <ul><li>Blogs e Wikis ajudam aos estudantes a se comunicar e colaborar; </li></ul><ul><li>Motivam aos estudantes a participar; </li></ul><ul><li>Provem oportunidades para ler, escrever, e editar; </li></ul><ul><li>Os post podem ser criados pelos estudantes a qualquer hora e lugar. </li></ul><ul><li>http://www.thebestkidsbooksite.com/librarycourses/wikicourse.cfm </li></ul>Beneficios educacionais
    47. 70. <ul><li>Blogs e Wikis tem que ter: propósito, freqüência, seqüência (mesmo que sejam materiais espelhados de jornais), publicidade e mesmo que seja fácil criar vários, ficar com aquele que serve melhor aos interesses da biblioteca. </li></ul><ul><li>Não usar templates complicados (cores, aplicativos) a melhor forma e mais usada nos blogs para atrair usuários é o feed (RSS). </li></ul>Não esquecer
    48. 71. <ul><li>Determinar a política da instituição com relação ao serviço de referencia digital ; </li></ul><ul><li>Lembrar: criar um canal de comunicação não significa criar conteúdo; </li></ul><ul><li>Uma falha: a falta de conteúdo pode ser porque não tem nada a dizer ou tem preguiça de dizer; </li></ul><ul><li>As páginas dos serviços de referência digital nas bibliotecas tem que estar sempre atualizados e com informações novas; </li></ul><ul><li>Se for um blog alimentado por outros sites sempre checar se esses sites não ficam parados. </li></ul>Serviço de referência social
    49. 72. <ul><li>Testar pelo menos uma versão experimental de uma ferramenta de referência digital. </li></ul><ul><li>Desenvolver um modelo de custo para o serviço. </li></ul><ul><li>Selecionar e treinar pessoal responsável pelas áreas de cobertura e operacional. </li></ul><ul><li>Estabelecer a política de funcionamento. </li></ul><ul><li>Elaborar tutoriais e manuais de uso para cada ferramenta. </li></ul><ul><li>Promover o serviço de referência digital nas redes sociais. </li></ul>Serviço de referência 2.0
    50. 73. <ul><li>Na qual os serviços de informação reforcem a participação dos usuários, considerando a tecnologia disponível e a ideologia da Web 2.0 que focaliza o conhecimento coletivo. </li></ul>Novo modelo de biblioteca universitária
    51. 74. Bibliografia
    52. 75. Miguel Ángel Márdero Arellano Novos Serviços de Referência Digital II Encontro do Sistema de Bibliotecas da UFMG Obrigado

    ×