Industria do Entretenimento

712 visualizações

Publicada em

Analise da Indústria do Entretenimento no Brasil para a Disciplina de Realidades Regionais e Brasileira

Publicada em: Marketing
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
712
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Industria do Entretenimento

  1. 1. REALIDADE = JANELA
  2. 2. INDÚSTRIA DO ENTRETENIMENTO NO BRASIL Brunna Souza, Danyelle Clemente, Jéssica Rabelo e Thiago Cabral
  3. 3. A indústria do entretenimento é composta por toda e qualquer empresa que contribua para cadeia de valor de produtos ou serviços do entretenimento, esses definidos por serem qualquer tipo de atividade desempenhada com a função de divertir e/ou desempenhadas nos tempos livres.
  4. 4. Desde a segunda metade do século XX, o lazer tem se tornado objeto de uma indústria e todo um complexo de serviços. É uma das indústrias que mais teve crescimento nos últimos anos, em especial no tocante ao entretenimento ao vivo
  5. 5. Números Nos últimos dois anos, esse setor movimentou de R$ 10 bilhões a R$ 12 bilhões no país (incluídos shows, peças teatrais, competições esportivas, feiras e eventos empresariais) e a estimativa de crescimento para os próximos 5 anos é de 9% (Nos esportes, os números são ainda maiores). - Informações do Jornal Valor Econômico
  6. 6. Novas empresas do ramo foram abertas, como a Geo ( das organizações Globo), IMX (de Eike Batista) e 9ine (Ronaldo Fenômeno), além de outras que foram consolidadas
  7. 7. MOTIVOS - Estabilidade política e econômica (em oposição à Europa e EUA) - Crescente classe C - Aumento do gasto familiar e individual com a cultura e lazer - Necessidade do mercado principalmente fonográfico (As grandes bandas precisam fazer shows porque não vendem mais tantos CDs)
  8. 8. MOTIVOS - A publicidade encontra nos eventos uma grande oportunidade de se conectar com o público, tentando fidelizá-lo na apresentação de conceitos e estilo de vida, e não só produtos/ serviços - Incentivos do governo brasileiro à cultura (Lei Rouanet e Programa Nacional de Apoio à Cultura - Pronac )
  9. 9. PRINCIPAIS ÁREAS DE EVENTOS NO BRASIL Fóruns, shows, moda e eventos esportivos
  10. 10. BRASIL:DESTINO OBRIGATÓRIO A partir de 2006 o país começou e entrar na rota dos grandes shows e eventos internacionais. Das 10 maiores turnês de artistas estrangeiros realizadas na temporada 2010/2011, 5 passaram por aqui.
  11. 11. CRISE Em 2012 e 2013, grandes festivais como o Sonar e o SWU foram cancelados, e shows que seriam sucesso de público, foram fracassos de venda, como os shows que marcaram as passagens das cantoras Madonna e Lady Gaga, que inclusive virou piada nas redes sociais.
  12. 12. Em contrapartida, O Lollapalloza Brasil 2013 foi um sucesso, tendo todos os seus ingressos esgotados, e o Rock in Rio 2013 em apenas 4h teve seus mais de 500 mil ingressos vendidos. O que nos faz perguntar: Existe mesmo crise?
  13. 13. • O mercado do entretenimento não está em crise. Está apenas se adequando a realidade do mercado brasileiro após passar pelo momento do boom.
  14. 14. FATORES QUE INFLUENCIARAM ESTA NOVA REALIDADE: • • • • Alta do dólar Mão de obra Estrutura Lei da oferta-demanda (muitos shows em pouco espaço de tempo, fazendo com que o público tenha que escolher pra qual ir para poder arcar como custo) • Meia entrada (sobe o preço da entrada geral pra pagar os custos da meia entrada. Ingresso fica mais caro e menos pessoas participam.)
  15. 15. CONCLUSÃO • A falta de planejamento e o imediatismo que existiu em nosso mercado de entretenimento nos últimos tempos, não cabe mais em nosso mercado.

×