Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />Piso 1; Compartim...
  Não Estrutural: Pavimento desgastado e sujo;.</li></ul> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | ...
Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />Esquema da anomal...
Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />A anomalia a corr...
     Problemas biológicos como da incorrecta secagem das peças de madeira, o que é pouco    provável nesta construção
     Problemas de índole mecânica como sobrecargas, desgaste, má ligação à alvenaria estrutural de pedra da fachada, ou at...
     A vertente estética é também afectada, podendo estender-se ao exterior, revelando fissuras ou fendas na fachada, além...
     No interior é criada uma convexão no elemento, causando uma “lomba” no pavimento. </li></ul> Faculdade de Arquitectur...
Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />Para solucionar e...
Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />Esta técnica melh...
Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />2. Colocação de L...
Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />Por se tratar de ...
Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />a. Vigas Principa...
Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />Construído Actual...
Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />A vantagem do Cus...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Reabilitação de Moradia em Caxias

2.129 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.129
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
819
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reabilitação de Moradia em Caxias

  1. 1. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />Piso 1; Compartimento H; Anomalia Pavimento 1<br />P1.H-APav.1<br />Anomalias detectadas:<br /><ul><li> Estrutural: Empenamento do Pavimento;
  2. 2. Não Estrutural: Pavimento desgastado e sujo;.</li></ul> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  3. 3. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />Esquema da anomalia de empenamento estrutural de pavimento de madeira em alvenaria de pedra<br /> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  4. 4. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />A anomalia a corrigir é oempenamento do pavimento do compartimento H do Piso 1.<br />Causas Possíveis:<br /><ul><li>Deformação das vigas de madeira pertencentes à estrutura do edifício.
  5. 5. Problemas biológicos como da incorrecta secagem das peças de madeira, o que é pouco provável nesta construção
  6. 6. Problemas de índole mecânica como sobrecargas, desgaste, má ligação à alvenaria estrutural de pedra da fachada, ou até do empenamento da própria alvenaria. </li></ul>Consequências Possíveis:<br /><ul><li> O empenamento da estrutura do pavimento pode causar anomalias de embarrigamento da fachada decorrentes de cargas transversais que afectam as vigas de madeira, tornando este tipo de anomalia extremamente inconveniente a nível estrutural, podendo causar graves danos à construção.
  7. 7. A vertente estética é também afectada, podendo estender-se ao exterior, revelando fissuras ou fendas na fachada, além do embarrigamento.
  8. 8. No interior é criada uma convexão no elemento, causando uma “lomba” no pavimento. </li></ul> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  9. 9. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />Para solucionar esta anomalia, existem várias hipóteses, embora a seguinte combinação apresente vantagens significativas.<br />1. Reforço das Paredes de Alvenaria de Pedra:<br />Com a correcção da anomalia de empenamento do piso sem reforço das paredes estruturais, a segurança global do edifício pode ser afectada. Para consolidar os elementos verticais da estrutura, e onde são apoiadas as vigas de madeira que compõem o piso superior para evitar uma futura deformação da parede de alvenaria de pedra, é proposto um reforço por confinamento transversal das paredes, através da colocação de confinadores apertados mecanicamente. <br /> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  10. 10. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />Esta técnica melhora substancialmente a resistência à compressão da alvenaria através de uma optimização da ligação entre os dois lados da parede. <br />É destinada a anomalias como esmagamento ou embarrigamento, sendo uma técnica pouco intrusiva e reversível. <br />São praticados furos de pequeno diâmetro criteriosamente localizados, nos quais são inseridos e apertados confinadores, com placas de distribuição que são posteriormente cobertos pelo revestimento. <br /> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  11. 11. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />2. Colocação de Laje Mista de Betão/Madeira<br />O recurso a esta técnica permite rentabilizar todo o material já existente,uma vez que as vigas continuam a ter uma importante função estrutural, enquanto que as tábuas de soalho são utilizadas como cofragem natural para a lajeta de betão. <br />A transformação em sistemas mistos permite tirar partido das melhores propriedades destes dois materiais, ao combinar a resistência e a rigidezproporcionada pelo betão, com um material ecológico e leve como é a madeira.<br /> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  12. 12. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />Por se tratar de uma situação de laje mista a aplicar num edifício existente, a lajeta de betão é betonada directamente sobre a madeira. <br />Após substituição das vigas de madeira, procede-se à colocação dos pregos sobre as vigas principais. Depois da colocação da malhasol, para ter em conta os efeitos de retracção do betão, procede-se à betonagem até se obter uma espessura de 4 a 5 cm. <br />A ligação entre os dois materiais é feita através de elementos metálicos como pregos, parafusos, anéis de aço ou varões. <br /> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  13. 13. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />a. Vigas Principais | b. Vigas Secundárias | c. Tábuas | d. Laje de Betão <br />e. Malhasol | f. Conectores Metálicos | g. Conectores Metálicos entre Alvenaria e Betão <br />h. Vigota de Contorno em Betão.<br /> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  14. 14. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />Construído Actual:<br />Construído da Solução:<br /> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  15. 15. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />A vantagem do Custo <br />O custo de um piso madeira e betão é competitivo, quando comparado com um piso totalmente de betão. <br />Existem factores que contribuem para a economia no resto da estrutura e na obra através da solução de laje mista de madeira e betão como rapidez na execução, menor quantidade de formas para betão, redução nas fundações devido à diminuição do peso da estrutura, etc.<br />2. Correcção da Anomalia Não Estrutural<br />A anomalia não estrutural a corrigir está associada à anomalia estrutural. O pavimento deste espaço encontra-se em mau estado, apresentando manchas de sujidade e bastante desgaste apresentando um aspecto baço e áspero.<br />Ométodo de correcção da anomalia estrutural prevê a substituição do revestimento do pavimento.<br /> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  16. 16. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />Demolições<br /> 1.1.a – Viga Estrutural de Madeira 598,72€/m3<br />Madeira serrada de pinho silvestre para viga de 17x22cm de secção, com 5m de comprimento para aplicações estruturais (destinada à eventual substituição de vigas danificadas existentes na estrutura).<br />Protecção média contra agentes bióticos.<br />Sub-Total 352,50€/m3<br /> 1.1.b – Mão-de-Obra para montagem da viga<br />Mão-de-obra e outros recursos e trabalhos necessários.<br /> <br />Sub-Total 246,22€/m3<br /> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  17. 17. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />2. Construção <br /> 2.1.a – Estrutura<br /> 54,89€/m2<br /><ul><li> Cofragem Metálica de 0,5mm de espessura.
  18. 18. Vigotasde pinho 10x10cm
  19. 19. Tratamento hidrófugo e fungicida.
  20. 20. Malhasolde 100x300mm com arames de 3mm.
  21. 21. Betão para betonar com bomba.</li></ul>Sub-Total 46,30€/m2<br />2.1.b – Mão-de-Obra para montagem da estrutura<br /><ul><li> Mão-de-obra e outros recursos e trabalhos necessários.</li></ul>Sub-Total 8,61€/m2<br /> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  22. 22. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />2.2.a – Revestimento 78,64€/m2<br /><ul><li> Soalho maciço com peças de madeira de carvalho de 22mm de espessura, envernizado.
  23. 23. Pasta niveladora de 8mm.
  24. 24. Tela de espuma de polietileno de 3mm de espessura.
  25. 25. Colas e fitas autocolantes.</li></ul>Sub-Total62,14€/m2<br />2.2.b – Mão-de-Obra para montagem do revestimento <br /><ul><li> Mão-de-obra e outros recursos e trabalhos necessários.</li></ul> <br />Sub-Total16,50€/m2<br /> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  26. 26. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br />Correcção de Anomalias<br />2.3.a – Rodapé 6,49€/m2<br /><ul><li> Rodapé maciço de carvalho 6x1,2cm envernizado.</li></ul>Sub-Total3,80€/m2<br />2.3.b – Mão-de-Obra para montagem de rodapé<br /><ul><li> Mão-de-obra e outros recursos e trabalhos necessários.</li></ul>Sub-Total2,69€/m2<br />Os valores apresentados foram consultados e interpretados através do software CYPE, e de catálogos de fabricantes. <br /> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />
  27. 27. Tecnologias da Reabilitação da Arquitectura<br />Prof. Luísa Reis Paulo<br /> Faculdade de Arquitectura | Gustavo Miguel Nogueira de Macedo | #5881 | MIArq4B | 2008.09 <br />

×