Universidade Federal de Roraima      Curso de PedagogiaDisciplina: Filosofia da Educação Professora: Giselle Boucherville ...
TRAJETÓRIA DO ENSINO DE  FILOSOFIA NO BRASIL
IntroduçãoPensar o exercício da filosofia no Ensino MédioBrasileiro requer a contextualização do problemae uma retomada de...
O ENSINO DA FILOSOFIA NO             BRASIL Influência na primeira fase da História daCompanhia de Jesus, no século XVI (...
A educação estava, na época, segundoCARTOLANO (1985),voltada para os setores da elite dirigente,com conteúdo livresco, for...
“A filosofia era assim considerada umadisciplina livresca. Da Europa ela nos vinhajá feita. Era sinal de grande cultura o ...
Filosofia, ela se constitui mais precisamentecomo assimilação, “registro, comentário, ecode escolas e correntes estrangeir...
Antigo Colégio dos Jesuítas - Bahia1572
Antigo Colégio dos Jesuítas - Olinda               1580
REFORMAS POMBALINAS•   Ocorreu uma reforma na universidade    após a expulsão dos jesuítas por Marques    de Pombal.•   Po...
   Após a vinda de D. João VI, abriram-se    portas para o comércio mundial, o que    contribuiu para novas ideias.   Ne...
Mesmo tendo sido um passo de grande valiapara o ensino, as reformas do Marquês dePombal não deixam de marcar, todavia, umr...
O POSITIVISMO NO BRASILEntre    as     correntes    filosóficas  emascensão, nas últimas décadas do séculoXIX, por volta d...
ESCOLA DE RECIFEFoi na Faculdade de Direito do Recife (hoje:Faculdade de Direito da Universidade Federalde Pernambuco) ond...
O ECLETISMO            ESPIRITUALISTAAtitude dos filósofos que pretendem elaborardoutrina própria, que desejam coerente, o...
A FILOSOFIA BRASILEIRA DO           SÉCULO XXCom a queda do império e com a instauração daRepública em 1889, a preocupação...
O MOVIMENTO PENDULAR DAFILOSOFIA NOS CURRÍCULOSAté o início do século XX, inúmeraslegislações no campo da educação foramed...
Conclusão              CONCLUSÕESA Filosofia, é, portanto, uma prática, um cultivo,um modo de aprender, de conhecer e pens...
MAPA CONCEITUAL                        Trajetória do                      ensino de filosofia                          no ...
Recapitulando o que vimos
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação de filosofia

715 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
715
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação de filosofia

  1. 1. Universidade Federal de Roraima Curso de PedagogiaDisciplina: Filosofia da Educação Professora: Giselle Boucherville Acadêmicos: Daniele Lima Nayhamar Moura Paulo Nascimento Sádira Silva Sueleyda Souza Tatiane Machado Boa Vista 2013
  2. 2. TRAJETÓRIA DO ENSINO DE FILOSOFIA NO BRASIL
  3. 3. IntroduçãoPensar o exercício da filosofia no Ensino MédioBrasileiro requer a contextualização do problemae uma retomada de sua história, tarefa cujaproposta é realizada aqui. Desenvolver-se-á,nesta pesquisa, a questão relativa ao papel que afilosofia desempenhou ao longo da História daeducação brasileira, de modo a chamar a atençãopara as razões ideológicas.
  4. 4. O ENSINO DA FILOSOFIA NO BRASIL Influência na primeira fase da História daCompanhia de Jesus, no século XVI (1553). Os jesuítas eram os responsáveis pelaeducação e catequese. Marquês de Pombal expulsou os jesuítasda colônia. Movimento Enciclopedista.
  5. 5. A educação estava, na época, segundoCARTOLANO (1985),voltada para os setores da elite dirigente,com conteúdo livresco, formalista, retórico,gramatical, sem base natural e nacional, queservia de deleite ao colono branco, rico ecatólico.A cultura filosófica passa a ser “merocomentário teológico, baseado,principalmente, na renovação da escolásticaaristotélica”. (CARTOLANO, 1985 p. 20)
  6. 6. “A filosofia era assim considerada umadisciplina livresca. Da Europa ela nos vinhajá feita. Era sinal de grande cultura o simplesfato de saber reproduzir as ideias maisrecentemente chegadas. A novidade supria oespírito de análise, a curiosidade supria acrítica” (COSTA, 1967:8)
  7. 7. Filosofia, ela se constitui mais precisamentecomo assimilação, “registro, comentário, ecode escolas e correntes estrangeiras” (COSTA,1967).
  8. 8. Antigo Colégio dos Jesuítas - Bahia1572
  9. 9. Antigo Colégio dos Jesuítas - Olinda 1580
  10. 10. REFORMAS POMBALINAS• Ocorreu uma reforma na universidade após a expulsão dos jesuítas por Marques de Pombal.• Pombal modernizou o ensino da época, destruindo a velha universidade e seu ensino estático.• Mesmo com as mudanças trazidas por Pombal, o retrocesso educacional ainda
  11. 11.  Após a vinda de D. João VI, abriram-se portas para o comércio mundial, o que contribuiu para novas ideias. Nesse período foram realizadas conferências filosóficas, surgiram novos colégios para preparar a nova classe que iria administrar a colônia.
  12. 12. Mesmo tendo sido um passo de grande valiapara o ensino, as reformas do Marquês dePombal não deixam de marcar, todavia, umretrocesso na educação, pois,“...o ensino orientou-se ainda para os mesmosobjetivos religiosos e livrescos dos jesuítas; realizouse através dos mesmos métodos pedagógicos, comapelo à autoridade e à disciplina estreitas, tendendoa impedir a criação individual a originalidade. Quantoao ensino de filosofia, continuou também no mesmoestilo livresco e escolástico” (CARTOLANO, 1985,p.25).
  13. 13. O POSITIVISMO NO BRASILEntre as correntes filosóficas emascensão, nas últimas décadas do séculoXIX, por volta de 1870, o Positivismo foi aque mais repercussão teve no seio dopensamento brasileiro e na educação queaqui se ministrava.A razão fundamental desse fato radica-se napreexistente tradição cientificista que seiniciou com as reformas pombalinas, à luzdas quais se estruturou todo o sistema deensino superior, em bases que privilegiavama ciência aplicada e a instrução estritamente
  14. 14. ESCOLA DE RECIFEFoi na Faculdade de Direito do Recife (hoje:Faculdade de Direito da Universidade Federalde Pernambuco) onde nasceu e floresceu omovimento intelectual poético, crítico,filosófico, sociológico, folclórico e jurídicoconhecido como a Escola do Recife, nos anosde 1860 e 1880 e cujo líder era o sergipanoTobias Barreto. Outras figuras importantes domovimento foram Sílvio Romero, ArturOrlando, Clóvis Beviláqua, Capistrano deAbreu, Graça Aranha.
  15. 15. O ECLETISMO ESPIRITUALISTAAtitude dos filósofos que pretendem elaborardoutrina própria, que desejam coerente, o quese lhes afigura mais valioso de entre as tesesde diversos sistemas. Hábito ou liberdade detirar proveito do que se considera mais útil emqualquer cultura ou corrente política, semaderir exclusivamente a um sistema.
  16. 16. A FILOSOFIA BRASILEIRA DO SÉCULO XXCom a queda do império e com a instauração daRepública em 1889, a preocupação com a buscade uma sociedade racional tornou-se metaprioritária da elite intelectual brasileira. Surgiramnovos centros urbano-industriais e um forteprocesso de desarmonia entre campo e cidade.No ano de 1908, fundava-se a Faculdade Livrede Filosofia e Letras que possuía umaorientação puramente neotomista. Nesseperíodo também apareceram novos livros deensino da filosofia e quase todos possuíam umaorientação católica.
  17. 17. O MOVIMENTO PENDULAR DAFILOSOFIA NOS CURRÍCULOSAté o início do século XX, inúmeraslegislações no campo da educação forameditadas, porém, nenhuma delas aproximou adisciplina de Filosofia da realidadebrasileira, apesar dos grandesapelos, reivindicações e do empenho deprofessores e intelectuais partidários aosmovimentos reivindicatórios.
  18. 18. Conclusão CONCLUSÕESA Filosofia, é, portanto, uma prática, um cultivo,um modo de aprender, de conhecer e pensarque, em sua autonomia, em sua radicalidadecrítica constitui, na verdade, o vigor e a própriaessência de todo aprender, de todo conhecer,de todo pensar. Quando se defende aobrigatoriedade do retorno da disciplina deFilosofia nos currículos, quer-se justamente, queela venha despertar, em cada cidadão, o desejode pensar a realidade com criticidade evislumbrar, na totalidade, os diferentes aspectosque a compõem e, assim, olhar para a suaexistência de uma maneira mais reflexiva.
  19. 19. MAPA CONCEITUAL Trajetória do ensino de filosofia no Brasil Luta pelaEducação dos Reformas Busca em uma formalização da jesuítas pombalinas sociedade racional filosofia no ensino
  20. 20. Recapitulando o que vimos

×