GAZETA SANTA CÂNDIDA JULHO 2015

367 visualizações

Publicada em

Distribuição na região norte de Curitiba. Nos principais bairros da região norte.

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
367
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

GAZETA SANTA CÂNDIDA JULHO 2015

  1. 1. 2 GAZETADOSANTACÂNDIDA Atingindo a maioria dos bairros da nossa região. Anuncie 8433-7462 3328-0176 Diretor: Adilson da Costa Moreira - Fones 8433-7462 e 3328-0176 Dep. comercial: Sharon Simão Zunino Rua Canadá, 2108 - Ap. 32 - Bloco B-3 - Bacacheri - Curitiba E-mail: gazetasantacandida@gmail.com Tiragem: 10.000 exemplares www.gazetasantacandida.com.br / www.gazetasantacandida.blogspot.com As matérias assinadas não refletem necessariamente a opinião do jornal. EXPEDIENTE GAZETADOSANTACÂNDIDA Atingindo a maioria dos bairros da nossa região. Anuncie 8433-7462 3328-0176 www.gazetasantacandida.com.br www.gazetasantacandida.blogspot.com O Brasil enfrenta efetivamente pro- fundas crises (econômica, política, soci- al, jurídica e, sobretudo, ética). Quando a Corte Máxima de um país é chamada para julgar três ladrões (um subtraiu 1 par de chinelos de R$ 16, outro 15 bom- bons de R$ 30 e o terceiro 2 sabonetes de R$ 48) e diz que é impossível não aplicar, nesses casos, a pena de prisão, ainda que substituindo-a por alternativas penais, é porque chegamos mesmo no fundo do poço em termos de desproporcionalidade e de racionalidade. Usa-se o canhão do direito penal para matar pequenos pássaros (Jescheck). Em países completamente civilizados, para esse tipo de questão adota-se a cha- mada “resolução alternativa de conflitos” (RAC). O problema (enfrentado por equipes de psicólogos, assistentes soci- ais etc.) nem sequer vai ao Judiciário (desjudicialização). Do que é mínimo não deve se encarregar o juiz (já diziam os romanos, há mais de 2 mil anos). O fato não deixa de ser ilícito, mas a cultura evoluída se contenta com esse tipo de solução (que faz parte de um con- texto educacional de qualidade). É exa- tamente isso o que acontece nas faixas ricas no Brasil. Muitos filhos de gente rica, nos seus respectivos clubes ou nas escolas, praticam subtrações de peque- nas coisas.Tudo é resolvido caseiramente (sem se chamar a polícia). A vítima po- bre não tem a quem chamar, salvo o 190. Daí a policialização e judicialização de todos os conflitos, incluindo os insignifi- cantes. Coisa de paiseco atrasado, de republiqueta (marcadamente feudalista). STF condena três perigosos ladrões: de 1 par de chinelos, de 15 bombons e de 2 sabonetes Vivemos a era da emocionalidade (J. L. Tizón, Psicopatologiía del poder). No campo penal, por força da oclocracia (governo influenciado pelas massas rebeladas), dissemina-se (com a intensa ajuda da mídia) o populismo penal irraci- onal centrado no uso e no abuso da pri- são desnecessária. A explosão do siste- ma penitenciário é uma tragédia há tem- pos anunciada.Agrava-se a cada dia (so- mente em SP, o saldo dos que entram e dos que saem chega a 800 novos presos por mês). A pena de prisão para fatos insignifi- cantes conflita com o bom senso (com a racionalidade). Os países desenvolvidos aplicam outros tipos de sanção. Em sis- temas acentuadamente neofeudalistas como o nosso, tenta-se disseminar o cha- madoprincípiodainsignificância,queeli- mina o crime (evitando a condenação penal). Mas o legislador brasileiro nunca cuidou desse assunto (salvo no Código Penal militar). Cada caso então fica por conta de cada juiz. O STF tratou do tema em 2004, no HC 84.412-SP.Aí fixou vá- rios critérios, mas todos “abertos” (su- jeitos a juízos de valor de cada juiz). Uma “jabuticabada” (como diz Rômulo de Andrade Moreira). O Plenário do STF voltou a enfrentar o tema em 3/8/15 (nos HCs 123734, 123533 e 123108): réu reincidente pode ser beneficiado com o princípio da insig- nificância? Se o furto é qualificado, pode incidir o citado princípio? O STF fixou algumas orientações (não vinculantes aos juízes do país). Os três casos julgados, somados, davam R$ 94. Pobre que furta é ladrão, rico que rouba é barão. O min. Luís Roberto Barroso, no prin- cípio, votava pela incidência do princípio da insignificância. Mudou de posicionamento a partir do voto-vista do ministro Teori Zavascki, que firmou ori- entação no sentido oposto (de não apli- car referido princípio nesses casos). O Pleno apenas sinalizou o caminho a ser seguido. Não fixou entendimento vinculante. Porque, em direito penal, cada caso é um caso. Para o ministro Zavascki a não apli- cação do princípio da insignificância (nos casos citados) se deve ao seguinte: (a) são crimes com circunstâncias agravadoras; (b) apenas a reparação ci- vil é insuficiente (para a prevenção ge- ral); (c) reconhecer a licitude desses fa- tos é um risco (risco do justiçamento com as próprias mãos); (d) a imunidade esta- tal pode se converter em justiça privada (com consequências graves); (e) cabe ao juiz em cada caso concreto reconhe- cer ou não a insignificância assim como fazer a individualização da pena. Nos três casos concretos analisados não houve reconhecimento do princípio da insignificância, mas, tampouco se ad- mitiu o encarceramento do agente. A saída para evitar a prisão é a aplicação de penas substitutivas (CP, art. 43 e ss.) ou a aplicação do regime aberto (que hoje, na quase totalidade das comarcas, é cumprido em domicílio, em razão da ausência de estabelecimentos penais adequados). Mesmo em se tratando de reincidente, nos casos de pouca reper- cussão social, pode-se aplicar o regime aberto (para evitar a prisão). Qualquer outro regime seria (mais ainda) despro- porcional. País que não cuida da preven- ção (e que conta com escolaridade mé- dia ridícula de apenas 7,2 anos, exata- mente a mesma de Zimbábue) tem que se expor internacionalmente ao ridículo. Chega na sua Corte Máxima o furto de bombons, de um par de chinelos, dois sabonetes, um desodorante, duas galinhas etc. O País e os juízes que julgam penal- mente coisas pequenas jamais serão grandes. Luiz Flávio Gomes Professor Jurista e professor. Fundador da Rede de Ensino LFG. Diretor-presiden- te do InstitutoAvante Brasil. Foi Promo- tor de Justiça (1980 a 1983), Juiz de Di- reito (1983 a 1998) e Advogado (1999 a 2001).
  2. 2. 3 Nas consultas públicas à LDO 2016 (Lei de Diretrizes Orçamentárias) re- alizadas pela Prefeitura de Curitiba, o tema predominante nas regionais de Santa Felicidade e Boa Vista – foi “vias públicas”. Segundo a prefeitura, na consulta pública do dia 14 de abril, os moradores da regional Boa Vista apresentaram 252 sugestões relacionadas às vias públicas, 22,2% das 1.134 demandas. Em analise por bairro, o tema é predominante no Santa Cândida, BoaVista, Tingui, Bairro Alto, Atuba, Barreirinha, Bairro Alto, Obra em via pública é a principal reivindicação dos moradores da região norte Cachoeira, Pilarzinho, Abranches eTarumã. Outras áreas Junto com as vias públicas, deman- das na área de segurança (2º lugar, 14,3%), esporte e lazer (3ª posição, 13,8%) e trânsito (4º lugar, 10,2%) estão no topo das sugestões apresentadas pela regional Boa Vista. Nas consultas públicas à LDO 2016 (Lei de Diretrizes Orçamentárias) reali- zadas pela Prefeitura de Curitiba, o tema predominante em duas regionais – San- ta Felicidade e Boa Vista – foi “vias pú- blicas”. É o que informou o Executivo, em resposta a dois requerimentos de Mauro Ignácio (PSB) encaminhados pelo Legislativo em abril deste ano. O projeto de lei para a LDO 2016 foi aprovado pela Câmara de Curitiba no fi- nal de junho. A matéria previa a receita total de R$ 8,355 bilhões, contra os R$ 7,3 bilhões do orçamento deste ano. Os recursos próprios, formados por taxas e impostos, entre outros itens, equivalem a 50% (R$ 4,207 bilhões) dos R$ 8,355 bilhões, a receita total. Em seguida vêm as trans- ferências da União (R$ 1,236 bilhão) e as do governo estadual (R$ 1,414 bilhão). A LDO destina R$ 1,496 bilhão à edu- cação – o equivalente a 30% das recei- tas utilizadas no cálculo do índice consti- tucional obrigatório para a área, cujo pa- tamar mínimo é de 25%. Para a saúde, reserva R$ 1,64 bilhão, valor que corresponde a 19,25% da base utilizada para o cálculo do índice obrigatório, que é de 15%. Também prevê investimentos diretos em obras e equipamentos públi- cos de R$ 861 milhões. Um bairro (comunidade) fica mais motivador quando seus moradores amam onde vivem o suficiente para dedicar seu tempo fazendo melhorias. Ajudar sua comunidade melhora a vida de seus amigos, familiares e outras pessoas. Se você olhar ao seu redor, verá um monte de problemas, chegou a hora de começar a agir para consertá-los. Associações comunitárias e grupos sociais Procure um grupo social, associação de bairro, entre em contato; é bem provável que eles tenham uma lista de coisas que você pode fazer para começar a ajudar imediatamente. Além de ser voluntário, você ajuda a sua comunidade na tomada de decisões coletivas. “Ajudar no dia de limpeza na margem do rio e praça, orientar moradores sobres boas práticas de cidadania, são algumas das ações da Associação Mãos Amigas do Abaeté que mais tem contribuído para a qualidade de vida do con- junto Abaeté, no bairro Boa Vista. Muitas outras tarefas fo- ram assumidas por voluntários da comunidade pela limita- ção do poder público”, diz Sandra, presidente da entidade. Agradecimento aos colaboradores e voluntários: Al- ceu, Helena, Sirlene Dinaldo, Luiz, Claudete, Stival, Carlito, Sandra, Reni, Conceição, Antônio Misael, Ivan, Gabriel, Lucas e Nelson. Associação Mãos Amigas do Abaeté agradece voluntários e amigos do Bairro
  3. 3. 4 A primeira referência sobre Santa Cândida foi encontrada no Calendário da Igreja de Córdoba e em alguns documen- tos da antiga Galícia, ambas na Espanha. Mas, foi pela tradição cristã do povo napolitano, na Itália, que se concluiu a história desta Santa. A vida cristã de Cân- didainiciouquandoelafoi convertida, segundo essa tradição, pelo próprio apóstolo Pedro de passa- gem por Nápolis. Naque- la época oApóstolo, com destino a Roma atraves- souNápolisondeaprimei- ra pessoa que encontrou na estrada foi a pequena Cândida.Percebeuimedi- atamente que a pobre cri- ança estava doente. Pa- rou e lhe perguntou se co- nhecia a palavra de Jesus Cristo. Diante da negativa e em seu ar- dor de levar a mensagem do Evangelho, Pedro lhe falou da Boa Nova, da fé e da religião dos cristãos; curou-a dos males que sofria e a converteu em Cristo. Assim Cândida foi colhida pela luz de Deus e curada do físico e da alma. Che- gou em sua casa falando sobre o Cristi- anismo e contando tudo o que oApósto- lo Pedro lhe dissera. Muito intrigado e A ORIGEM DE SANTA CÂNDIDA, PADROEIRA DAS FAMÍLIAS E DOS DOENTES confuso, Aspreno, um parente que a cri- ava, saiu para procurá-lo. Quando se en- contraram, com muito zelo Pedro con- verteu também Aspreno, que o hospe- dou em sua modesta casa por alguns dias. O Apostolo acabou de catequizar os dois e, em seguida, os batizou e lhes ministrou a primeira Eu- caristia durante a celebra- ção da Santa Missa. Este local recebeu o nome de "Ara Petri", que significa Altar de Pedro. Depois, antes de partir, oApósto- lo consagrou Aspreno o primeiroBispodeNápolis e pediu para a pequena Cândida continuar com a evangelização, salvando as almas para Nosso Se- nhor Jesus Cristo. Aquele lugar onde fora celebrado a Santa Missa por São Pedro, tornou-se de grande veneração por Cândida. Ela deixou seu lar com to- dos os confortos, preferindo passar seus dias numa gruta escura nas proximida- des de "Ara Petri".Alí vivia em penitên- cia e oração, catequizando e converten- do muitos pagãos. Após alguns anos, o número de cristãos havia aumentado mui- to. Por isto, quando o imperador romano Projeto oficializa futsac como esporte criado em Curitiba Uma mistura de futebol, futevôlei e tênis, o futsac (ou futebol de saco) deve ser reconhecido como uma modalida- de esportiva criada na cidade de Curitiba. Essa é a ideia de um projeto de lei apresentado na Câmara Munici- pal, na última terça-feira (14), pelo ve- reador Felipe Braga Côrtes (PSDB). O futsac foi criado em 2002, pelo Oração a Santa Cândida Virgem e Mártir Santa Cândida, protetora das famílias, socorro dos doentes, e que realizastes a um grau heróico o ideal da mulher cristã, nós recorremos a vós para alcançar de Deus a graça da fidelidade ao nosso batismo. Guardai em nossas famílias a fé viva nos ensinamentos de Cristo e a obediência ao sucessor de São Pedro, o Sumo Pontifície. Ajudai as nossas famílias; levai alívio e saúde do corpo e da alma aos nossos doentes; protejei-nos em nossos negócios temporais e espirituais e alcançai-nos a salvação eterna, pelos méritos da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém. ordenou as perseguições contra a Igre- ja, os convertidos foram obrigados a fu- gir ou se esconder. Então, o Bispo Aspreno embarcou Cândida junto com outros cristãos, com destino à Cartago, no norte da África, tentando mantê-los a salvo da implacável perseguição, mas não conseguiu. Foram alcançados, presos e torturados. Cândida foi levada a julga- mento e condenada a morte porque se negou a renunciar a fé em Cristo. No Martirológio Romano, encontra- mos registrado que a virgem e mártir cris- tã Cândida morreu no Anfiteatro dos martírios de Cartago. Suas relíquias, en- contradas nas Catacumbas de Priscila, agora estão guardadas na igreja Santa Maria dos Milagres, em Roma. Muitos séculos mais tarde, pesquisas arqueológicas feitas na cidade de Nápolis, encontraram no local "Ara Petri" um an- tigo cemitério de cristãos. O fato colo- cou ainda mais devoção sobre a figura de Santa Cândida, eleita pelos fiéis como padroeira das famílias e dos doentes. Ela recebe as tradicionais homenagens litúrgicas confirmadas pela Igreja, vene- rada em Roma, na igreja de santa Praxedes , aonde o corpo foi transladado pelo papa Pascoal I, o seu nome consta e uma epígrafe (inscrição) escrita quan- do o papa ainda vivia, junto com o de outros mártires ali sepultados. Comemo- ra-se no dia 29 de agosto. Não se sabe se era natural de Roma, nem se deve identificar-se com outras santas do mes- mo nome e da mesma cidade. (texto ex- traído do livro "Bibliotheca Sanctorum, Instituto Giovanni XXIII nelle Pontificia Universitá Lateranense - 1963 - Vol. III - pg. 734:). A virgem e mártir Santa Cândida, a padroeira, é festejada no dia 29 de agos- to. Estudo: Tarcisio Cirino. curitibano Marcos Juliano Ofenbock, a partir do footbag, em que a pessoa faz malabarismos com os pés com uma pe- quena bolinha cheia de pequenos grãs plástico. Ele co- nheceu a modali- dade naAustrália, em1998.“Devol- ta ao Brasil, Mar- cos Juliano come- çou a adaptar a bolinha para um jogo mais compe- titivo. É o primei- ro esporte da his- tória criado no es- tado do Paraná”, explica o autor da proposição. A modalidade esportiva é praticada com uma peque- na bola de crochê, recheada com plás- tico granulado reciclado, em uma qua- dra que mede 10 metros de compri- mentopor5metrosdelargura,comuma rede divisória de 1,5 metro de altura. Podeserjogadoindividualmenteouem duplas. “O objetivo é derrubar a boli- nha no campo adversário, e é permiti- do usar os pés, pernas, tronco e cabe- ça. São disputados três sets até 21 pon- tos”, diz Braga Côrtes. O primeiro campeonato de futsac ocorreu em Curitiba, em 2007, e a Fe- deraçãoParanaensedeFutsac(FPFSac) foifundadadoisanosdepois.Asprimei- ras quadras públicas foram construídas no Parque Barigui, em 2010, e uma ce- rimôniarealizadaem2011,nesselocal, o reconheceu como um esporte oficial- menteparanaense.“Nofinalde2013foi criada a Confederação Brasileira de Futsac[CBFSac],comsedenacidade”, acrescenta o autor do projeto. O esporte foi reconhecido pelo Mi- nistério do Esporte em março de 2014. A lei municipal 13.977/2012, proposta também por Felipe Braga Côrtes, de- clarou a Federação Paranaense de Futsac como de utilidade pública. Vereador Felipe Braga Côrtes, autor do projeto de Lei
  4. 4. 5 De 21 ao dia 30 de agosto 2015 Programação Novenário e praça da alimentação (a partir das 18 hs no pátio da Igreja) Sexta-feira 21/08– missa: 20 horas – Praça daAlimentação, Noite da Sopa na Broa e Pastel Visitadaimagemperegrinade Nossa Senhora deAparecida Sábado: 22/08 – missa: 19h30 – Praça daAlimentação, Noite do PieroguiePastel Domingo: 23/08– missa: 19h - Praça daAlimentação , Noite da Sopa e Pastel Segunda-feira:24/08–missa: 20hs – Praça daAlimentação, Noite do Pastel Terça-feira: 25/08– missa: 20hs – Praça daAlimentação, Noite do frangocomPolenta Quarta - feira: 26/08 –missa : 20 hs - Praça daAlimentação , Noite do Pierogui e Pastel Quinta-feira:27/08–missa:20hs – Praça daAlimentação, Noite da Empadinha e Cachorro-quente FESTA DA PADROEIRA PARÓQUIA SANTA CÂNDIDA Sexta-feira: 28/08 – missa:20hs – Praça daAlimentação, Noite do Bolo de Santa Cândida e pastel. Sábado - 29/08 – missa: 19h30 – TRADICIONAL CUQUE PO- LONÊS E CERVEJACASEIRA à partir das 8 horas. Domingo 30/08 – 8 hs: missa, 9h30: procissão saindo da Igreja Matriz; 10hs: missa da Padroeira; 19hs:missa. Festividades dia 08/08 – 21hs – balada Jovem dia 15/08 – 18hs – Show da dupla Álvaro & Daniel, e as 20 hs – CaféColônia) FESTEJOS POPULARES 12HS – TRADICIONAL ALMOÇO Churrasco completo (alcatra acompanhado de risoto e maionese) para duas pessoas a R$ 50,00 na venda antecipada. Buffet de saladas para quem almoçar no local. 14HS – SHOW DA DUPLA ALVARO & DANIEL, CAFÉ DA COLÔNIA, SHOW DE PRÊMI- OS E BARRAQUINHA O governador Beto Richa recebeu nesta segunda-feira, no Palácio Iguaçu, em Curitiba, prefeitos de 35 municípi- os, de diversas regiões do Paraná. Richa assinou autorização de licitações para novas obras e para compra de equipa- mentos rodoviários e, também, a homo- logação de licitações já concluídas. Na mesma solenidade, 11 municípios assinaram novos contratos de financia- mento com a Fomento Paraná, no valor de R$ 30,7 milhões: Cafeara, Jacarezinho, Medianeira, Paranavaí, Piraquara, Quatro Pontes, Rio Negro, São Carlos do Ivaí, São Mateus do Sul, Telêmaco Borba e Umuarama.Somados os novos contratos e as licitações e homologações, o investi- mento chega a R$ 62 milhões. Os recursos são das linhas do Sistema de Financiamento dos Municípios (SFM) e do Programa para Aquisição de Máqui- nas e Equipamentos Rodoviários para Pre- feituras (PROMAP), administradas pela Fomento Paraná em parceria com a Se- cretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e ParanaCidade.Richa ressaltou a parceria com os municípios para garantir a melhoria da qualidade de vida da popula- ção. “São investimentos em infraestrutura urbana e viária e aquisição de maquinários que garantem mais obras e, por consequência, mais bem-estar social às famílias do Paraná”, disse ele. “O anúncio de investimentos nas cidades é uma rotina no Paraná. Estamos frequentemente anun- ciando novos repasses a todos os municí- pios sem discriminação política”, afirmou Beto Richa.O governador destacou, ain- Richa autoriza obras e compra de equipamentos para 35 municípios da, a retomada dos investimentos do Es- tado graças ao ajuste fiscal promovido pelo governo. “Neste momento de estagnação da economia nacional, inflação alta e difi- culdades em vários estados, o Paraná re- toma muitas obras. Estamos honrando compromissos com os credores e reali- zando investimentos”, ressaltou. Richa afirmou que a previsão é chegar até o fim do ano com as contas equilibradas. “Para o ano que vem, teremos, se tudo der cer- to, R$ 5 bilhões para novos investimen- tos”, afirmou. RUAS, PRAÇAS E PRÉDIOS – Os municípios irão aplicar os recursos em obras de pavimentação, recape asfáltico, drenagem urbana, revitalização de ilumi- nação pública, construção de prédio da prefeitura, praças, pista de skate, ciclovias e na compra de equipamentos rodoviári- os. “Os prefeitos apresentam suas neces- sidades e cabe à Secretária do Desenvol- vimento Urbano fazer todo o alinhamen- to, a análise dos projetos e aprovar o cré- dito para repassar esses recursos para as obras dos municípios”, explicou o secre- tário do Desenvolvimento Urbano, Rati- nho Júnior. “São recursos importantes para os municípios poderem investir mes- mo num momento de crise”, disse ele. Até o final de 2018, a previsão é in- vestir R$ 1,2 bilhão nas cidades paranaenses, segundo o presidente da Fomento Paraná, Juraci Barbosa Sobri- nho. “Além da melhoria da qualidade de vida da população, esses recursos aque- cem a economia local”, disse. Mulher: Del - fone 9980-3530 Homem: Enos - fone 9716-2643
  5. 5. 6
  6. 6. 7 Uma sensação dolorosa comumente explicada por “dentes sensíveis’’ – fe- nômenosdenominadoshipersensibilidade dentinária, ocorre quando a dentina, que protege a polpa (nervo), tecido vivo do dente, perde sua proteção natural, cha- mado esmalte ou cemento. Em contato com temperaturas quentes ou frias , acontece uma movimentação de fluidos no interior dos túbulos dentinários , de- sencadeando a sensação de dor na pol- pa. A perda desse revestimento natural pode ser ocasionada por abrasões, ero- sões dentais ou atrição. Naserosões,osprincipaisresponsáveis são os ácidos. O consumo excessivo de re- frigerantes,frutasessucoscítricos,além de algumas drogas, prejudicam os dentes. Na abrasão, o desgaste é ocasionado por ação mecânica. Neste caso, o im- portante é observar a qualidade da es- cova dental, que precisa ser macia, com extremidades arredondadas.Além disso, a escovação não pode ser feita com movimentos bruscos, pois sua função é DENTES SENSÍVEIS??? remover a placa bacteriana , e não a es- trutura dental. Outro processo que causa desgaste do esmalte na coroa do dente é a atrição: acontece devido à mastigação ou por hábitos parafuncionais, como o bruxismo (ranger os dentes). Se o paciente tiver problema oclusal, isto é, de encaixe en- tre os dentes superiores e in- feriores ou perda de algum elemento dental, pode haver mais concentração de força sobre alguns dentes, durante a mastigação. Com o tempo surgem trinca no esmalte, que serão eliminadas através da escovação provocando a ex- posição a dentina, causando sensibilidade. Atualmente as opções que temos para o tratamento da hipersensibilidade são os antinflamatórios , a obliteração dos túbulos dentinários com dessensibilizantes e adesivos dentinários de ultima geração. Há ainda os cremes dentais á base de cloreto de estrôncio e nitrato de potássio, que são importante aliados nestes casos. Contudo, se os seus dentes estão sen- síveis, procuro o dianóstico correto, pois a sensibilidade dentinária ainda pode ocorrer em situações como cáries, trin- cas e fraturas. Em caso de desconforto, a opinião de um cirurgião-dentista conti- nua sendo a melhor forma de chegar ao diagnóstico e, consequentemente, ao tra- tamento correto. Drª Andreia Paula Costa C.R.O 11.393 - Especialista em ortodontia e clínica geral - Fone 3155-0062 As Federações das Indústrias do Rio de Janeiro e São Paulo lançaram manifes- to pedindo serenidade, diálogo e respon- sabilidade do Congresso Nacional diante da crise política que assola o país. Aos industriais não interessa um país conflagrado, dominado por políticos que defendem “o quanto pior, melhor”. É preciso superar a atual crise e evitar um mal maior, a fragmentação da socie- dade, o radicalismo e a irresponsabilidade de muitos. Leia a seguir a íntegra dos industriais paulistas e cariocas: “A FIRJAN e a FIESP vêm a público manifestar seu apoio à proposta de união apresentada ontem peloVice-Presidente da República, Michel Temer. O momento é de responsabilidade, diálogo e ação para preservar a estabilidade institucional do Brasil. A situação política e econômica é a mais aguda dos últimos vinte anos. É vi- tal que todas as forças políticas se con- Industriais pedem responsabilidade do Congresso vençam da necessidade de trabalhar em prol da sociedade. O Brasil não pode se permitir mais irresponsabilidades fiscais, tributárias ou administrativas e deve agir para manter o grau de investimento tão duramente con- quistado, sob pena de colocar em risco a sobrevivência de milhares e milhares de empresas e milhões de empregos. O povo brasileiro confiou os destinos do país a seus repre- sentantes. É hora de colo- car de lado a m b i ç õ e s pessoais ou partidárias e mirar o inte- resse maior do Brasil. É preciso que estes repre- s e n t a n t e s c u m p r a m seu mais no- bre papel – agir em nome dos que os elegeram para defender pleitos legítimos e fundados no melhor interesse da Nação. Ao mesmo tempo, é preciso que o go- verno faça sua parte: cortando suas pró- prias despesas; priorizando o investimen- to produtivo; deixando de sacrificar a so- ciedade com aumentos de impostos. É fundamental ainda apoiar todas as iniciativas de combate à corrupção e pu- nir exemplarmente todos os desvios devi- damente comprovados. É nesse sentido que a indústria brasi- leira se associa ao apelo de união para que o bom senso, o equilíbrio e o espírito pú- blico prevaleçam no Brasil.”
  7. 7. 8
  8. 8. 9 GAZETADO SANTACÂNDIDA Atingindo a maioria dos bairros da nossa região, com informação e qualidade. Anuncie 8433-7462 e 3328-0176 VOCÊ SE CONSIDERA JOVEM OU VELHO? Há uns meses, estava conversando comminhatia: - Na próxima semana, tenho de visitar um grupo de terceira idade para levar-lhes comida e diverti-los um pouco. - E a senhora não se considera uma pessoa da terceira idade? Ela começou a rir. Minha tia já tem 89 anos. Ela cozinha para seus filhos, netos e bisnetos; é ativa em uma orga- nização que promove festas. No ano passado, escreveu e dirigiu uma peça de teatro. Pinta quadros, sai de ônibus em São Paulo e este ano vai visitar sua filha,naFlórida. Minha tia não se considera uma pessoa “da terceira idade”. Está deci- didaacontinuarativa,felizesaudável. O conceito de velhice é relativo. Quando eu tinha 30 anos, uma das mi- nhassobrinhastinha15,emedisse:“Tia, você é velha!”. Eu só ri. Hoje ela vive no Chile com seu esposo e dois filhos. Perguntei-lhe se ela se acha “velha”, agoraquetemmaisde30anos.Elares- pondeu:“Sómesintomaismadura,mas não ‘velha’. Sou mais compreensiva e me aceito melhor do que antes”. Isso acontece com muitas pessoas. Todos nossos conceitos podem mudar para melhor. Por isso, o conceito de idade e de velhice não necessita estar fundamentadonoqueamaioriapensa. Euprefiropensardamaneiracomoex- plicaateólogacristãMaryBakerEddy, quedescreveocristianismocomouma ciência para ser compreendida e apli- cada na vida diária: “O homem, na Ci- Agência Curitiba, em parceria com o Sebrae/PR oferece cursos gratuitos sobre economia e negóci- os para os microempreendedores de Curitiba. Sãocursosrápidos,comduraçãode três horas, e que têm a proposta de ori- entar e preparar os empreendedores para atuar no mercado formal. As capacitações ocorrem nas Ruas da Cidadania sempre em dias de semana, das 19h às 22 horas e as turmas são limitadas a 30 participan- tes por curso. Os cursos integram o programa CuritibaEmpreendedora,desenvolvido pelaAgência Curitiba. Os cursos mi- nistradossão: "Torne-se um microempreendedor individual" "SeiEmpreender" "SeiControlarMeuDinheiro" "SeiUnirForçasparaMelhorarmeu Negócio" ência,nãoénemjovem nemvelho”… “Nunca leves em consideração a ida- de.…Ohomem,governadopelaMen- te imortal, é sempre belo e sublime. Cada ano que passa desdobra sabe- doria, beleza e santidade”. “Homem”,nestecaso,éotermoge- néricoparatodos.AafirmaçãodeEddy élógicaecoerente.Alémdisso,explica não só o caso da minha tia e sobrinha, mas também o de uma atleta alemã. JohannaQuaasentrounolivroGuinness World Records como a ginasta mais velha do mundo. Seu exemplo mostra que a alegria, a lucidez e as atividades físicas não dependem da idade. Em 2014, Quaas completou 88 anos. Se cada vez mais pessoas se con- siderarem “nem jovens nem velhas” e começarem a desfrutar cada momen- to como uma oportunidade para ex- pressar sabedoria e felicidade, a so- ciedade sofrerá uma transformação radical,poisveremosmuitosexemplos de superação de limites de idade em todo o mundo. Leide Lessa é Professora de Ciên- cia Cristã e escreve sobre a relação entre consciência e saúde. Email:brasil@compub.org VOCÊ PRETENDE ABRIR O SEU NEGÓCIO OU É MICROEMPREENDEDOR "SeiPlanejar" "SeiVender" "SeiComprar" "Como Criar um Modelo de Negó- cioparaminhaEmpresa" "SeiCrescer" Para participar é necessário ser microempreendedor individual for- malizado com CNPJ e também é oportunizada a participação de pes- soas que têm interesse, mas não são formalizadas, podem participar da palestra , que trata sobre as vanta- gens de se formalizar. COMO SE INSCREVER: Através dos telefones 3221-9930, 9938, 9925 ou nos Postos de Atendi- mento nas Ruas da Cidadania: Boa Vista 3313-5638 - Boqueirão 3313-5553 - Cajuru 3266-9720 - CIC 3212-1560 - Fazendinha 3245-9356 - Pinheirinho 3044-1174 - Santa Felicidade 3374- 5009 - Tatuquara 3298-2015. Os conceitos básicos para a estratégia do seu negócio. Mais produtividade e possibilidades de ter sucesso em seu novo empreendimento. Livraria do Chain R. General Carneiro, 441 - Alto da Glória, Telefone 3264-3484 - www.livrariadochain.com.br Política internacional. Aquilo que você não lê na imprensa comercial.
  9. 9. 10 ComoiníciodavigênciadaMedida Provisória nº 676/2015, publicada no diáriooficialem18/06,passaramava- ler novas regras na concessão de be- nefíciosdaPrevidênciaSocial.Apartir desta data, a concessão da aposenta- doria por tempo de contribuição está submetida à chamada “Regra 85/95”. Masafinaloquemudoucomessanova regra? A fórmula 85/95 significa que o se- guradoprecisaatingirumnúmeromíni- mo de pontos, obtido a partir da soma da idade e o tempo de contribuição, para poder se aposentar com o valor integraldobenefício.Amulherprecisa somar 85 pontos e o homem 95. Umexemploparaentendermelhor: Se na data da aposentadoria o se- gurado tiver, por exemplo, 58 anos de idade e 37 anos de contribuição, ele atingirá o total de 95 pontos e poderá se aposentar com provento integral. Vale lembrar que ainda é exigido o tempo mínimo de contribuição de 30 anos para mulher e 35 anos homem. Além disso, os professores que se de- dicaram exclusivamente ao ensino in- fantil,fundamentaloumédioganham5 pontos na soma da idade e tempo de contribuição. Basicamente,amudançaconsistena não aplicação da fórmula matemática, conhecidacomofatorprevidenciário,na aposentadoria por tempo de contribui- ção. Este fator criado em 99, ainda no governo FHC, possui o objetivo de re- duzir o benefício de quem se aposenta antesdaidademínima(60anosmulher e 65 homem) de forma a incentivar o trabalhador a contribuir para a previ- dência por mais tempo. A presidente Dilma vetou o fim da incidência do fator previdenciário no cálculo da aposentadoria, mas de for- maalternativamanteveFórmula85/95 com progressividade. O fator APOSENTADORIA, O QUE MUDA COM A NOVA REGRA 85/95 previdenciáriocontinuarásendoaplica- do quando o segurado possui tempo mínimo de contribuição, mas não atin- giu a idade mínima. A introdução da progressividade implica aumento do número de pontos, que evoluem a par- tir do ano de 2017 até 2022. A progressividadeacontecerádaseguin- teforma: Ao longo dos próximos 7 anos, a pontuaçãoiráaumentargradativamente até chegar em 2022 com a fórmula 90/ 100, ou seja, a partir de 2017 a pontu- açãomínimaaumenta1ponto. Segundooatualgoverno,aprogres- são no cálculo da aposentadoria per- mite o acompanhamento da transição demográficanoBrasil,poisoaumento da expectativa de vida e de sobrevida da população gera a necessidade de mudançasnalegislaçãoprevidenciária. Vale lembrar que a nova regra vale apenas para a aposentadoria por tem- po de contribuição na hipótese de re- querimento de benefício pelo valor in- tegral. No entanto, se o segurado pre- tende se aposentar antes de completar a soma de pontos exigidos, ele poderá requerer o benefício, mas neste caso a fator previdenciário será aplicado, im- portando em possível redução do be- nefício. A fórmula 85/95 é uma regra tem- porária,umavezqueasoluçãodefiniti- vaaindaestásendodiscutidaemfórum de debates fomentando por represen- tantes do governo, dos empregadores, empregados, aposentados e pensionis- tas e ainda poderá ser alterada no Con- gressoNacional. Importante ressaltar que a nova re- granãoatingeasaposentadoriasjácon- cedidas e também não cabe pedido de revisão do cálculo da aposentadoria com base na atual fórmula, se já houve recebimentodobenefício. Jusbrasil Arotinanosterminais,pontoseôni- bus de Curitiba ganharam um pouco de arte a partir do dia 20 de julho. Durante 20 dias, um grupo de 15 atores fazem intervenções artís- ticas em diferentes linhas do trans- porte coletivo em 600 horas de jo- gos teatrais, performances inusita- das, cenas fora de contexto, con- versas literárias tendo como foco o encontro. Aprimeiravivênciaartísticadopro- jeto "Perca o Ponto Mas Não Perca a História" aconteceu às 14h no Termi- naldoCabralseguindopelalinhaSan- ta Cândida Capão Raso até o terminal do Capão Raso. Idealizado e dirigido por Rafael Camargo, o projeto foi viabilizado pela Lei de Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba e terá a participação, em grupo ou indivi- dual, dos atoresAlan Raffo,Adriano Petermann, Christiane de Macedo, Diego Marchioro, Fernando Urrutia, Giovana de Liz, Jussara Batista, Mauricio Vogue, Marcel Gritten, Marcel Szimanski, Paulo Marques, Pagu Leal, Tiago Luz, Wagner Corrêa e Karin Caríssimi. PERCA O PONTO, MAS NAO PERCAAHISTÓRIA Fichatécnica Direção:RafaelCamargo Com: Alan Raffo, Adriano Petermann, Christiane de Macedo, DiegoMarchioro, FernandoUrrutia,GiovanadeLiz, Jussara Batista, Mauricio Vogue, MarcelGritten,MarcelSzimanski,Pau- lo Marques, Pagu Leal, Tiago Luz, Wagner Corrêa e Karin Caríssimi. Direção de produção: Diego Marchioro Produção: RosaAragón Fotografia:CayoVieira Vídeos:AlanRaffo Designer Gráfico: Leonardo PimentelDaniel Oficineiro:FernandoDourado Assessoria de Imprensa: Fernando de Proença Realização: Inusitada CIA, Tanta Produções, Rumo Empreendimentos Culturais SERVIÇO: Data: de 20 de julho a 10 de agosto Locais: Terminais, pontos e ôni- bus de Curitiba. PROJETO LEVA 600 HORAS DE AÇÕES ARTÍSTICAS AOS ÔNIBUS DE CURITIBA
  10. 10. 11 Uma mulher foi levada às pressas para o CTI de um Hospital. Lá chegan- do, teve aquela quase morte, que é uma situação pré-coma. E, neste estado, en- controu-se com Deus: - Que é isso? - perguntou ao Criador - eu morri? - Não, pelos meus cálculos, você morrerá da- qui a 43 anos, 8 meses, 9 dias e 16 horas - respondeu o Eterno.Ao voltar a si, sa- bendo quanto tempo ainda tinha de vida, resolveu, ali mesmo, naquela clínica, fa- zer uma lipoaspiração, uma plástica de restauração dos seios, plástica no rosto, no nariz, na barriga, tirou todos os ex- cessos, ficando linda, jovial, e teve alta uma semana depois. No dia seguinte, ao atravessar uma rua, veio um veículo em alta velocidade e a atropelou, matando- a na hora.Ao encontrar-se de novo com Deus, ela perguntou: - Puxa, Senhor Deus, eu achei que tinha mais 43 anos de vida. Por que morri logo depois de toda aquela despesa com cirurgias plás- ticas? E Deus, aproximando-se dela e olhando-adiretamentenosolhos,respon- deu: - Menina. Não te reconheci. O sujeito encontra o amigo: - O Zé! Você tá muito triste. O que aconteceu? -Acabei de enterrar a minha sogra ! - E por que; você está todo sujo de terra? - A velha não queria de jeito nenhum! A mulher se queixava, quase em prantos, à sua empregada: - Oh, Ma- ria, acho que meu marido está me en- ganando com a secretária! - Não acre- dito. A senhora está dizendo isso pra me deixar com ciúmes. Hospitalizada, com uma grave en- fermidade, a mulher diz ao marido: - Querido, nós fomos felizes por 25 anos. Por isso, se acontecer o pior, desejo a sua completa felicidade. Encontre uma mulher que seja uma boa amante e companheira, melhor ainda do que eu tenho sido. Dê tudo o que é meu para ela, até mesmo as roupas... - Isso será impossível, querida. Você usa 46 e ela 38. O caipira emocionadíssimo com a primeira viagem de avião que ia fazer... sentase no banco, todo nervoso, e daí a pouco faz um comentário com a aero- moça: - Que interessante: as pessoas lá embaixo parecem formiguinhasAaero- moça: - São formiguinhas mesmo. Nós ainda não levantamos vôo. O jovem pai chegou ao pediatra, bastante aflito, com uma criança no colo: - Doutor, meu filho está com seis meses e não abre os olhos! O médico examinou bem, virou-se pro rapaz, e falou : - Quem deve abrir os olhos é o senhor, meu amigo. Seu filho é japo- nês! Se você está se sentindo sozinho, abandonado, achando que ninguém liga para você... “Atrase um pagamento" Nasceu uma criança branca numa al- deia da áfrica. O chefe ficou uma fera e mandou chamar o missionário que era o únicohomembrancoporali:-Meufilho, pra tudo nesse mundo tem explicação... E o chefe: -Acho bom o senhor explicar mesmo,porqueochefeestarmuitoputo. Eomissionáriocomeçouemsentidoale- górico: - O chefe está vendo aquela re- banho de ovelhas ali? - Estou e dai? - Me diga chefe, todas são brancas me- nos uma. Como o senhor explica isso? Ochefelevouumsusto,olhouprumlado, pro outro e falou baixinho pro missioná- rio: - Entendi. Chefe livra cara de missi- onário, missionário livra cara de chefe. Num circo de segunda categoria, o descuidado domador deixa a porta da jaula aberta e a certa altura do espetá- culo, um dos leões escapa e vai cami- nhando lentamente em direção ao públi- co. No mais completo desespero, a mul- tidão começa a correr pra todo lado e só um aleijado fica ali parado, suando em bicas, a poucos metros da fera.Ao per- ceber a tragédia iminente, a turma co- meça a gritar: - Olha o aleijadinho! Olha o aleijadinho! Enfurecido, o aleijadinho responde: - Filhos das p*! Deixa o leão escolher! O cara vai procurar um médico pois não está se sentindo bem. Quando o mé- dico diz que o problema é que ele está bebendodemais,eleexplica:-Queéisso, doutor?? Eu não bebo quase nada. Só bebo um trago. - Um trago, mas o se- nhor é um alcoólatra! - Eu só bebo um traguinho.Acontecequequandoeubebo um trago viro outro homem. E o outro, doutor, é um tremendo pinguço! No café da manhã, Juquinha pergun- ta para a mãe: - Mamãe, o papai já sa- rou da diarréia? E ela espantada: - Que idéia, menino! Quem falou que o seu pai estava com diarréia? - Ontem à noite, quando eu passei na frente do quarto de vocês eu ouvi a senhora falar para ele: E essa merda, que nunca fica dura! Joãozinho diz para sua mãe: - Mãe, o meu amigo, o Pedrinho, disse que ele tem um ta-ta-ta-ta-ta-ta-ta-taravô. - Ora, filho!! O Pedrinho é mentiroso! - Não é não, mãe! Ele é gago! Dois caras resolvem tomar uma cervejinha no bar. Um deles recomen- da ao garçom: - Copo limpo, viu? Dali a pouco o garçom volta com uma cer- veja e dois copos e pergunta: - Quem pediu copo limpo?
  11. 11. 12 Toda a sustentação e movimentação do corpo tem como centro, a coluna vertebral que une resistência e delica- deza. Resistência porque representa 40% do tamanho do ser humano e pro- porciona a flexibilidade e os movimen- tos realizados pelo corpo. Delicadeza porque entre suas 33 vértebras passa a medula espinhal – estrutura sensível que funciona como canal de comunicação entre o cérebro e as demais partes do corpo. Você deve consultar um especi- alista em coluna se sua resposta for sim para estas perguntas: Associados a dor lombar Você tem pro- blemas persistentes de bexiga ou de intes- tinos ou cólicas em período menstrual? Problemas de bexiga ou de intesti- nos podem ter diversas causas, mas al- guns problemas de coluna podem cau- sar esses sintomas, portanto há a ne- cessidade de investigar. Em caso de cólica menstrual associada a dor lom- bar, justifica-se pelo aumento de tensão dos músculos lombares durante este período, que podem ser devidos a má postura. Você acorda frequentemente com dores no corpo e associa que piora durante o sono? Devemos estar atentos a postura de DORES DA COLUNA. MAIS ALGUNS SINAIS DE ALERTA (2ª parte) dormir, pois dores na coluna causam dis- túrbios do sono e o uso de cama ou tra- vesseiros inadequados pioram as dores. O ideal e manter a coluna alinhada, podendo usar um travesseiro embaixo da cabeça e outro entre as pernas, alinhando a coluna cervical e lombar com a coluna torácica. Você fica com as pernas adormecidas ou enfraquecidas ao caminhar? Esses problemas podem ser causa- dos por um estreitamento do canal ver- tebral. Isso é chamado de estenose ver- tebral onde pode estar havendo um pinçamento de nervos. Você sente dores de cabeça em aperto na região da nuca que desce para os om- bros, podendo chegar ate os braços? Quando ocorrem disfunções na colu- na cervical comumente pode ser devido a compressão de nervos dos ombros, bra- ços, cabeça ou face. Não é preciso entrar em pânico sem motivo aparente, mas sim observar os sinais do nosso corpo , como a dor. Ao sentir que algo está em desacordo ou fora da rotina, não hesite em procurar ajuda profissional. Ivo – especialista em Quiropraxia Massagem terapêutica , Relaxamento e Quiropraxia – fone: 9676-6805 “Estava no bairro Santa Cândida e fui atacado por um cão comum, quando co- locava na caixa de correio o jornal do bairro que é entre- gue de forma gratuita. Foi uma surpresa não sabia que o portão estava aberto. Quando falei com o seu dono disse para ter mais cuidado e ele disse que não poderia fazer nada. Foi um grande susto que rendeu quatro pontos no calcanhar. Muitas residências, além de não tem uma caixa de correio adequada para cor- respondências maiores, deixam seu cão invadir a distancia da cerca e da caixa de correio. Hoje há muito cães soltos pelas ruas que atacam pedestres. Assistimos o desleixo e a irresponsabilidade de seus donos, que não dão cuidados adequados’’, afirma o entregador JeffersonAndrade. O caso do entregador do jornal é um exemplo do que vivem diariamente leituristas da Copel e Sanepar, e funcio- nários da Cavo, empresa que faz coleta de lixo na capital, e principalmente carteiros. Estima-se que somente Curitiba pos- sui cerca de 450 mil cães, média de um animal a cada quatro habitantes. Em 2012 foram registrados 14.699 ataques em que as vítimas precisaram de vacina antirrábica ou outro atendi- mento médico. O jornal Gazeta do Santa Cândida tem mapeado ruas e residências que recebiam o jornal mas que deixarão de ser entre- gues para segurança de seus entregadores. Seria de fundamental importância fa- DONOS DE ANIMAIS AGRESSORES DEVEM SER PUNIDOS PELO CÓDIGO CÍVEL zermos o “Estatuto de proteção aos ani- mais”, para que não somente os cães sejam protegidos, mas, que o proprie- tário seja responsabilizados, e para que não tenha cães abandonados nas ruas da cidade. Ao avistar cachorro solto na rua, li- gue 153 para denunciar os locais e os animais soltos. A carrocinha ainda exis- te e é usada nestes casos, para recolher os animais violentos. De acordo com o Novo Código Civil Brasileiro, artigo 936, o dono torna-se responsável por qualquer ato do ani- mal, seja o dano intencional ou não. Se uma pessoa tem um cão que é fe- roz (por estresse ou por natureza própria) e morder alguém por estar solto na rua ou por conta de uma fuga acidental, o dono é totalmente responsável por isso e deve arcar com o prejuízo ou tratamento médi- co, medicamentos e indenização. Caso a vítima do animal fique com sequelas e não possa voltar a traba- lhar, o dono também terá que arcar com todo o prejuízo, contabilizando sa- lário dos dias parados.

×