SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Baixar para ler offline
EXPEDIENTE
Diretor: Adilson da Costa Moreira
Fones 8433-7462 e 3328-0176
Dep. comerciail: Sharon Simão Zunino
Rua Canadá, 2108 - Ap. 31 - Bloco A9 - Bacacheri - Curitiba
E-mail: gazetasantacandida@gmail.com Tiragem: 10.000 exemplares
www.gazetasantacandida.com.br / www.santacandida.blogspot.com
As matérias assinadas não refletem necessariamente a opinião do jornal.
2
Anuncie aqui
Quem anuncia, vende
mais!
8433-7462
3328-0176
www.santacandida.blogspot.com
O senador tucano Alvaro
Dias, o mesmo que visitou o
Paraguai logo após o golpe para
apoiar a “deposição constituci-
onal” do presidente Fernando
Lugo, não gostou da presença
do embaixador venezuelano
Maximilien Arveláiz no ato “Em
defesa do legado Lula”, reali-
zado ontem no auditório da Câ-
mara Legislativa do Distrito Fe-
deral. Hoje ele apresentou re-
querimento convocando o mi-
nistro de Relações Exteriores,
Antonio Patriota, para explicar
a participação do seu colega na
manifestação pública.
Alvaro Dias se supera a cada
dia que passa. Vaidoso, ele não
sabe o que faz para ganhar os
holofotes da mídia. Nem o
PSDB do Paraná o aguenta
mais – ele está para perder a
vaga na disputa para o Senado
em 2014 e já ameaça deixar o
partido. Ele podia até virar re-
presentante oficial dos golpistas
paraguaios ou hondurenhos no
Brasil! Segundo o requerimen-
to, o embaixador venezuelano
participou de um evento para
“protestar contra o julgamento
do mensalão” já que o ato teve
a presença do ex-ministro
José Dirceu.
Insuflados pelo senador,
PSDB, DEM e PPS divulgaram
no final da tarde “nota de repú-
dio à interferência do embaixa-
dor da Venezuela em assuntos
internos do Brasil”. O documen-
to é mais uma peça de campa-
nha para as eleições presiden-
ciais de 2014. Risível, a nota
dos bajuladores do império afir-
ma que a presença do embai-
O senador Álvaro Dias persegue a Venezuela
xador é um “afronta à sobera-
nia” e exige “explicações do
chanceler brasileiro Antônio
Patriota sobre a omissão do
governo da presidente Dilma
Rousseff diante de um episódio
de tamanha gravidade”.
Sem se intimidar diante das
bravatas da direita colonizada,
a Embaixada da Venezuela no
Brasil divulgou agora à noite
uma nota de esclarecimento.
Reproduzo-a na íntegra:
Brasília, 06 de fevereiro de
2012
Deputado Sérgio Guerra,
presidente nacional do PSDB
Deputado Roberto Freire,
presidente nacional do PPS
Senador José Agripino, pre-
sidente nacional do Democratas
Com relação à nota
divulgada pelos partidos PSDB,
PPS e Democratas, cumpre
afirmar:
Faz parte das atribuições de
um embaixador conhecer os
acontecimentos políticos do
país no qual está alocado. Re-
cebo convites e assisto aos
mais diversos eventos das
mais diversas instituições bra-
sileiras em todos os Estados.
Inclusive tenho aceitado e con-
tinuarei aceitando qualquer
convite que me façam os par-
tidos signatários.
É absolutamente despropo-
sitado atribuir à minha presen-
ça entre os convidados de um
evento público sobre realiza-
ções do governo federal no
Brasil caráter de interferência
em assuntos internos. Trata-se
de coerção da representação
diplomática da Venezuela e de
uma tentativa imprópria de
usar um país irmão para dis-
putas políticas internas.
MaximilienArveláiz, embaixa-
dor da República Bolivariana da
Venezuela no Brasil
Partido O GLOBO já em
campanha para 2014
O GLOBO, um dos principais
integrantes do PIG (partido da im-
prensa golpista) e representante do
monopólio da mídia brasileira, re-
solveu atacar toda política econô-
mica do governo Dilma, no ano que
antecede a eleição de 2014. Já está
em campanha.
Na economia tudo errado. Re-
pete a mesma ladainha e a mesma
defesa da política neoliberal que
está falindo EUA e Europa. Só fal-
ta culpar o Brasil pela crise inter-
nacional. Omite e não faz nenhuma
análise sobre a crise externa e suas
conseqüências no Brasil e no mun-
do. Por oportunismo, má fé e mal
caratismo esquece a globalização
no ônus. Só analisa e vê o bônus.
Por exemplo, combate a política de
distribuição de renda (consumo in-
terno) e supervaloriza
infraestrutura e PIB. Cadê a
infraestrutura dos países ricos nes-
sa hora? E o PIB deles como anda?
Mente dizendo que o “espírito
animal” dos empresários está recu-
ado com a falta de política do go-
verno Dilma. Combate e critica ju-
ros baixos, incentivos fiscais, con-
trole cambial, inflação sobre con-
trole e PIB equilibrado.
Para eles nada presta por uma
razão muito simples: essa políti-
ca que o governo Dilma executa
tem o endereço da maioria (99%)
e a deles só atinge 1% da popula-
ção. Apenas isso. Um detalhe in-
significante.
Antonio Negrão de Sá
3
SOCIEDADE ESPORTIVA
RENOVICENTE FUNDADA EM
21/12/2001, EM DECORRÊNCIA
DA FUSÃO DO CLUBE
ATLÉTICOSÃOVICENTE(03/03/
49) E RENOVE – RECREATIVO
NOVA ESTELA 9 FAZENDA RIO
GRANDE/PR, 04/97)
A fusão aconteceu porque na
época, o clube Atlético São Vicente,
com um patrimônio invejável, sede e
Estádio em uma área de 19.420 m²,
encontrava-se licenciado da FPF, do
Campeonato Metropolitano Amador
da Categoria Adulto. Em contra
partida, o RENOVE estava com uma
equipe de atletas de ótimo nível
técnico, porém, sem estrutura física
para participar de campeonatos
oficiais da FPF.
Diante disso,concluiu-se que a
fusão seria a melhor solução para os
dirigentes e torcedores das duas
equipes.
As cores da S.E.Renovicente são:
azul,vermelha e branca. Ficando o
clube conhecido como “tricolor da
Santa Cândida”. Prevalecendo as
cores dos times extintos C.A. São
Vicente e Renove.
O orgão soberano do Clube é o
RENOVICENTE,O TRICOLOR DO SANTA CÂNDIDA
conselhogestor,compostopelosenhor
Darci Eckemann, srª Regina Taborda
e por 6 sócios fundadores, que deram
origem a S.E. Renovicente, com
cargos vitalícios.
A S.E. Renovicente
possui patrimônio
próprio, com uma área
de 19.420 m²,
capacidade de
público para duas
mil pessoas, campo
oficial de futebol, 4
vestiários, amplo
estacionamento,
parque infantil,
lanchonete panorâmica
com vista para o campo de
futebol oficial, dois bosques, cancha
de grama para futebol de sete com
iluminação, academia com
equipamentos adequados para
preparação de atletas, sala de jogos,
uma cabine de imprensa e autoridades
de 84 m², composta de três cabines
para transmissões de jogos, dois
camarotes para convidados, com
frigobar e mobília sob medida,
banheiro privativo, cabine e
arquibancada coberta co m
capacidade para 100 pessoas.
Em seu primeiro ano de atuação
no Campeonato Metropolitano da 1º
Divisão de Amadores da F.P.F.
(2002), foi campeão da categoria
Adulto, conquistando a vaga para a
divisão especial deAmadores.
Também foi vice–
campeão da categoria
de Master e Vice-
Campeão da Copa
Folha de
Tamandaré.
A partir do ano
de 2005, o clube
teve como foco,
participar de
campeonatos das
categorias de base, com o
objetivo de revelar atletas jovens. Nos
anos de 2006 e 2007, em
participações nos Campeonatos
Federados, obteve boas campanhas
nas categorias de Juniores, Juvenil e
Infantil, além de sagrar-se campeão
da categoria Juvenil na copa
Brasilitalia no Rio de Janeiro e
campeãodacategoriaInfantilnaCopa
São Miguel Arcanjo, no interior de
São Paulo.
No ano de 2010, foi Campeão
amador Juvenil da FPF em Curitiba/
PR e, Vice-Campeão na Copa Itá,
interior de Santa Catarina. Em
2011, conquistou o Bi-campeonato
Amador Juvenil da capital
paranaense.
Pioneirosdobairrotemalembrança
docampodos‘’Kanias”, muitosjogos
dos polacos foram realizados neste
lugar além dos descendentes de
italianos que moravam na região,
tempo não muito distante passou a
chamar de Estádio Onaireves Nilo
Rolim de Moura, (em homenagem ao
ex-presidente da Federação
Paranaense de Futebol), atualmente
Estádio Solar do Bosque.
Presidente: Darci Echermann,
Rua Fernando de Noronha, 2246
Por Denis Barbosa e
Adilson Moreira
Atentado que matou Lino Oviedo pode ser obra da CIA
Diversos publicitários brasi-
leiros, da cidade de Curitiba,
que trabalhavam na campanha
de Lino Oviedo no Paraguai,
contaram que nos dias que an-
tecederam o assassinato do ge-
neral, havia uma tensão muito
forte em Assunção.
Lino Oviedo havia conse-
guido unir forças de esquerda
e de direita no apoio à sua can-
didatura, o que o levaria à vi-
tória na atual campanha presi-
dencial. Do outro lado existe
um candidato ligado ao crime
organizado, à máfia paraguaia.
Algumas reuniões realizadas
por autoridades paraguaias que
apoiavam Lino Oviedo tiveram
de ser realizadas no país vizi-
nho, Uruguai, diante do clima
de pressão e perseguição aos
apoiadores de Oviedo.
Alguns brasileiros informa-
ram que tiveram de se registrar
no escritório da CIA em Assun-
ção, com a desculpa de impe-
dir que fossem atacados pela
máfia paraguaia. Haveria dois
escritórios da CIA em Assun-
ção, um deles formado pela
“banda podre”, e outro escritó-
rio mais “diplomático”, isto é,
não envolvido diretamente com
o crime organizado.
A derrubada do helicóptero
que transportava Lino Oviedo
no chaco paraguaio foi uma ex-
plosão programada. Partes dos
corpos dos ocupantes foram en-
contradas há mais de 140
metros de distância do local da
queda, revelando que houve sa-
botagem, possivelmente reali-
zada pela CIA, porque o gover-
no norte-americano não tem in-
teresse em eleger um presiden-
te nacionalista para presidir o
Paraguai, dentro de sua estra-
tégia de fomentar conflitos en-
tre os países latino-america-
nos, tentando dividir o bloco
Mercosul.
Durante o governo do pre-
sidente Luiz Gonzalez Macchi
(1999-2003) houve uma tenta-
tiva de vender a Binacional
Itaipu para um grupo norte-
americano ligado ao então pre-
sidente George W. Bush. O
projeto não prosperou porque
o general Lino Oviedo e seus
apoiadores impediram que fos-
se levado à votação no Con-
gresso.
Entre as causas da morte do
general Lino Oviedo está sua
honra, coragem, nacionalismo
à toda prova, que contrariava
interesses poderosos em um
país onde o crime organizado
é muito forte, envolve grande
parte dos políticos, e atua em
conluio com a CIA.
4
Locais para doar sangue em Curitiba:
Banco de Sangue do Hospital Erasto
Gaertner - Rua Dr. Ovande do Amaral,
201, Jardim das Américas
Funcionamento: segunda à sexta, das 13h
às 17h30. Nos dias 31 de dezembro e 1º
de janeiro, estará fechado.
Hemepar - Travessa João Prosdócimo,
145, Alto da XV
Funcionamento: das 7h30 às 18h30, de
segunda a sexta-feira; sábado das 8 às
18 h. Informações: 0800-6454-555.
Hemobanco - Rua Capitão Souza Franco,
290 - Informações: 3023-5545.
Cerca de 6 mil agentes de seguran-
ça pública, sendo 5,2 mil policiais mi-
litares, participaram da segunda edição
da “Operação Nhapecani”. As 6 horas
da manhã desta quarta-feira 508 pon-
tos de todo o Paraná começaram a so-
frerbloqueios.Aaçãoécomandadapela
Polícia Militar, com apoio da Polícia
Civil, Polícia Federal, Polícia Rodovi-
ária Federal, além de integrantes da
Receita Federal e da Guarda Munici-
pal.
“Trata-se de uma coordenação de
forças inédita, e que já deu certo. Ela
deve acontecer constantemente, com o
fechamento das principais vias de aces-
so aos municípios e rodovias para coi-
bir a criminalidade em geral. Trata-se
de uma ação para ampliar a segurança
do Paraná”, disse o comandante-geral
da PM, coronel Roberson Luiz
Bondaruk. Cerca de 1,5 mil viaturas
estão sendo usadas na operação.
Aincidênciadecrimesviolentoscon-
tra a pessoa (homicídios, latrocínios e
lesões corporais) e contra o patrimônio
(furtos e roubos), tanto às residências
contra o comércio, assim como os ca-
sos de roubos e furtos em veículos de-
vem ser reduzidos com esta ação. Poli-
ciais estão fazendo batidas, abordagens
e bloqueios, fiscalizando todos os tipos
de veículos e estabelecimentos comer-
ciais.
Polícia reúne 6 mil agentes para fechar o
cerco contra o crime no Paraná
“Estes pontos são flexíveis para que
os policiais circulem. Quando eles fi-
cam num mesmo local, a ção perde a
efetividade, uma vez que as pessoas
podem evitar passar por ali”, disse o
coronelVilmar Becker, subcomandante
da PM. Somente em
Curitiba, quase 100
pontos de blitz acon-
tecerão ao longo de
toda a operação.
Para o supevisor
operacionaldaPolícia
Rodoviária Federal,
Lyer Woczikosky, a
integração das forças
com a Polícia Judici-
áriaémuitoimportan-
te. “Quando todas as
forças trabalham unidas, o resultado
final é bem melhor e traz mais benefí-
cios à população”, afirmou
Woczikosky.
“APolíciaCiviltambémestádesem-
penhando policiamento ostensivo, mas
principalmente os serviços judiciários.
Além disso, os trabalhos de Poder Ju-
diciário, cumprimento de mandados de
prisões, buscas e apreensões no Paraná
também estão sendo feitos. Mas o gran-
de mote da mega-operação são as bar-
reiras em todo o Estado”, comentou o
porta-voz da operação da Polícia Ci-
vil, Walter Baruffi Júnior.
Os batalhões especializados da Po-
lícia Militar também devem participar
das ações, sendo eles: o Batalhão de
Polícia Rodoviária, o Batalhão de Po-
lícia Militar Ambiental, o Batalhão de
Patrulha Escolar, o Batalhão de Polí-
cia de Trânsito e o Regimento de Polí-
cia Montada, que estão atuando em
conformidade aos comandos regionais
onde atuam.
Além deles, participam o Batalhão
de Operações Especiais, o Batalhão de
Policia Guarda e o Batalhão de Polícia
de Fronteira.
Nhapecani - A operação, que esta
na segunda edição, surgiu das reuniões
periódicas com os setores de inteligên-
cia em parceria com os órgãos partici-
pantes. Outras edições da operação
ocorrerão constantemente sem data es-
pecífica ou horário determinado.
A primeira edição da Nhapecani,
feita em dezembro do ano passado, re-
sultou na abordagem de 36 mil pessoas
das quais 188 delas foram detidas ou
apreendidas.
As equipes vistoriaram 22,8 mil ve-
ículos, sendo que 614 foram apreendi-
dos ou recuperados. Cerca de 50 qui-
los de maconha e 4.227 pedras de crack
também foram encontrados.
Trinta armas de fogo e 512 muni-
ções, de diversos calibres, foram apre-
endidas. Este resultado foi conquista-
do em 42 horas de operação. Além de
31 Carteiras Nacionais de Habilitação
(CNH) apreendidas, 3.427 multas por
infração de trânsito foram expedidas.
As equipes também vistoriaram 733
estabelecimentos. Os policiais militares
apreenderam 5.447 objetos ilícitos ou
de contrabando. Das ações, 31 resulta-
ram em assinatura de Termo Circuns-
tanciado.
5
Santa Maria: Que esse beijo mortal não se repita jamais
“O nosso problema ali não foi um pro-
blema de legislação, porque a legislação
do município de Santa Maria era uma le-
gislação muito forte, muito dura. Nós te-
mos problemas de fiscalização, de cum-
primento da legislação por parte dos do-
nos da danceteria. Há um problema de
fiscalização que precisará ser analisado
no próximo período”.
Marcos Maia, deputado gaúcho, pre-
sidente da Câmara Federal
Precisava do sacrifício de 231 jovens
para constatar o óbvio? Ou ainda vão
querer ceifar mais vidas até tomarem uma
decisão decente no controle das arapucas
que se espalham pela noite povoada de
incautos?
O que aconteceu em Santa Maria é o
queolugarcomumconvencionouchamar
de tragédia anunciada. Não seria a pri-
meira por conta da negligência, da
irresponsabilidade, da tolerância corrup-
ta e do abuso das máfias tão poderosas
que operam 90% das nossas casas no-
turnassemalvará,segundodepoimentode
Antônio Ramalho, presidente do Sindi-
cato dos Trabalhadores na Construção
Civil de São Paulo.
E, infelizmente, pode não ser a últi-
ma. Mesmo diante do torpor e da como-
ção que transformou o dia de ontem no
domingo mais traumático de nossa histó-
ria, são poucas as administrações muni-
cipais e estaduais que sinalizam provi-
dências para evitar o repeteco do
morticínio.
Isso não teria acontecido se não
houvesse cumplicidade
Nenhumacasanoturnafuncionariaem
condições tão afrontosas à segurança dos
seus frequentadores se não rolasse um
suspeita tolerância entre os vários órgãos
fiscais, inclusive,entreosbombeiros,que
insistem em falar que estava tudo nos
conformes. Nesse caso, desde julho esta-
va vencido o alvará de segurança e, mes-
mo assim, a casa funcionou a mil, ante os
olhares cúmplices e canalhas de quem ti-
nha por obrigação interditá-la. Qualquer
pessoa com o mínimo de sanidade sabe,
aliás, que aquela casa com o sugestivo
nome de “Kiss” jamais poderia ter funci-
onado um só dia.
A tendência, aliás, é persistir o qua-
dro temerário, com algumas medidas ine-
vitáveis, como a suspensão de espetácu-
los de pirotecnia em ambientes fechados.
Isso, porém, não quer dizer nada: no in-
cêndio na boate República Cromagnon,
de Buenos Aires, em 2004, que custou
194 vidas, foram jovens da platéia que
dispararam morteiros para o alto.
Por que se as autoridades agirem com
seriedade, sobrarão muito poucas casas
noturnas no país em condições de funci-
onamento. E aí vai ter muita gente de rabo
preso, muito mafioso ameaçando jogar
seus “gibis” no ventilador.
Na noite, é tênue e quase imperceptí-
vel a fronteira entre o mundo das casas
Tragédia da boate “Kiss” é fruto da omissão
e cumplicidade das autoridades
de segurança e fiscais
legais e o submundo dos inferninhos e da
indústria do jeitinho e da
irresponsabilidade. O ponto comum en-
tre ambos é a baixa qualidade do pessoal
de segurança, contratado sem qualquer
treinamento e a salvo do controle da po-
lícia. Estimativas sugerem que cerca de
80% desses seguranças não se submetem
aos cursos de 160 horas da Polícia Fe-
deral e não são filiados ao sindicato da
categoria, o que supõe o devido preparo.
Tudo isso faz parte de um patético
ambiente de tolerância comprada e
corrupção institucionalizada. Para os
agentes públicos corruptos, a noite é o
filé mignon do propinoduto mundial. É
nela que transitam, impávidos, os ele-
mentos mais inescrupulosos da escória,
onde o dinheiro corre fácil, e onde se
mercadejam as prendas mais degenera-
das que seduzem o instinto humano.
Leis omissas e projetos congelados
Leis há, projetos também. Desde
2007 dormita no gaveteiro da Câmara
Federal o Projeto de Lei 2020-B, da de-
putada paraense Elcione Barbalho. Não
é uma obra prima, mais já atualiza a le-
gislação com exigências óbvias, mas
omitidas nas legislações municipais.
Já tem parecer do relatorArtur Maia,
no entanto, não sai do lugar. Por que?
Teria a deputada recuado em função de
algum “lobbie” desses que têm o poder
irrecusável de mudar as posturas dos nos-
sos parlamentares? Ou seria a obstrução
da turma da pecúnia que domina a Câ-
mara Federal?
Das autoridades, espera-se mais do
que lágrimas
A presidenta e o governador têm de
agir exemplarmente
Nisso tudo há um componente cultu-
ral cada vez mais saliente: a alienação
alimenta a desinformação e cristaliza a
miopia. As pessoas estão viciadas em só
tratarem daquilo que lhe diz respeito de
perto, diretamente, ao palmo do nariz.
Não estão nem aí para o que acomete os
outros, mesmos nas adjacências, fiel a
primado de que cada qual cuide de si,
como se a elas não pudesse acontecer o
mesmo.
Essa alienação acovarda e acomoda.
Muitas vezes você vê a coisa errada, mas
evita “arranjar problema”. No caso das
casas noturnas, quantas vezes vemos a
falta de segurança e o mais que fazemos
é decidir não mais voltar a tal arapuca?
A tragédia de Santa Maria da Boca
do Mato tem componentes muito graves
e muito comuns a outras cidades para ser
encarada apenas com um banho de lágri-
mas. Lágrima, aliás, não é o que se espe-
ra apenas de uma chefa de Estado. De-
cretação de luto é muito fácil, não afeta
interesses poderosos e violentos. Impõe-
se, sim, ações concretas, exemplares.
Responsabilizar quem tem respon-
sabilidade
Não adianta prender os guris
fandangueiros e os donos da boate. É pre-
ciso ir fundo e apontar com coragem a
omissão e a cumplicidade das autorida-
des da área. Se elas tivessem cumprido
seu dever, talvez não estivéssemos dian-
te desse luto nacional.
Além disso, a perda de tantas vidas
na flor da idade é um safanão em toda a
sociedade e não apenas nas autoridades.
Causou sofrimentos profundos e perma-
nentes aos seus parentes queridos, seus
pais, irmãos e amigos. Mas também vai
deixar uma ferida aberta na alma de to-
dos os que tiverem o mínimo de humani-
dade em seus corações.
Por muito tempo, um longo e tempes-
tuoso tempo, os brasileiros vão conser-
var em suas lembranças as imagens trá-
gicas da fornalha tóxica em que se con-
verteu uma casa de show pelo uso irres-
ponsável de sinalizador pirotécnico, pela
existência de uma danceteria sem saídas
alternativas de emergência, pela falta de
treinamento dos seus seguranças e, o que
é mais grave, pela cumplicidade compra-
da das autoridades.
A morte desses gauchinhos bonitos e
cheios de futuro é como se fosse a morte
dos nossos próprios filhos. . Quem não
tem esse sentimento, não tem grandeza,
não se libertou dos grilhões mesquinhos
da vida ensimesmada.
Com os filhos caçulas na faixa de ida-
de desses jovens imolados, quando a vida
verte caudalosa por todas as veias, de-
claro minha mais profunda indignação.
Eminhavontadepétreadecontribuircom
minha palavra e minhas denúncias para
que tragédias tão dolorosas não se repi-
tam jamais.
Autor: Pedro Porfírio em seu blog
6
7
Mais um ano aconteceu no
Centro Histórico de Curitiba, com
aproximadamente 12mil foliões em
caranaval “fora de época” dançam
e brincam, tradicionalmente nestes
4 domingos que antecedem o
carnaval, ao som de marchinhas
de carnaval cantadas pelo bloco
Garibaldis e Sacis. Com o desfile,
está aberta a temporada pré-
carnaval da cidade. Até mesmo o
prefeiro Gustavo Fruet esteve na
concentração do bloco,na praça
19 de Dezembro,onde
desmonstrou paoio e totós para
que tudo ocorresse bem; sento
evitados incidentes como os que
acoanteram ano passado,quando
a polícia entro em confronto com
foliões que brincavam no bloco
carnavalesco.
Para aqueles que não existe
carnaval em Curitiba e que os
curitibanos não tem samba no pé,
está totalmente equivocado! Há 14
anos, nos quatro domingos que
antecedem o carnaval os foliões
do Garibaldis e Sacis colocam o
bloco na rua e fazem uma
verdadeira festa popular no Largo
da Ordem! A festa começa por
Bloco Garibaldis e Sacis desfilam nos bairros de
Curitiba pela primeira vez
volta das 16hs e se estende até a
noite.
Ordem: a Sociedade Garibaldi
e o Bar do Saci e de acordo com
estimativas dos organizadores, o
grupo já reuniu cerca de 5 mil
pessoas em um único dia. A cada
fim de semana há um enredo
diferente, variando de Garibaldis
vão à praia até inversão dos
gêneros, em que os homens de
fantasiam de mulheres e vice-
versa.
O Garibaldis e Sacis
começaram em 1998, com uma
reunião de um grupo de meia
dúzia de amigos que queriam
animar o carnaval da cidade e
acabar com o mito de que Curitiba
não tem carnaval. A idéia deu tão
certo que hoje já se tornou uma
tradição e o bloco Garibaldis e
Sacis é considerado o melhor
bloco pré-carnavalesco do Sul do
país!
O que mais agrada os foliões é
o clima de alegria, empolgação e
a família na brincadeira. Boa parte
das marchinhas cantadas pelos
Garibaldis e Sacis em cima do
minitrio elétrico que percorre o
Largo da Ordem são composições
próprias e lembram os antigos
carnavais!
Um pouco diferente da
aglomeração que forma junto ao
bloco no Largo, boa parte do
público do Sítio Cercado aguarda
neste dia 03 o desfile que
acontecerá na rua São José dos
Pinhais entre no cruzamento com
a Rua Nova Aurora. De lá, o bloco
seguirá até a Rua Doutor Lauro
Gentio Portugal Tavares.
Para Gladimir Nascimento,
novo secretário de Comunicação
Social da Prefeitura de Curitiba e
que estará acompanhando o pré-
carnaval no Sítio Cercado, “a festa
destes dias e dos anos anteriores,
tem marcado o calendário da
cidade, derruba a pauta de que
não existe carnaval em Curitiba”.
Bar do Dudu, ambiente familiar e aconchegante
Bar do Ivo ou como é mais conhecido, “Bar do Dudu” vem sendo um
point reconhecido na região norte de Curitiba.
Pensando em reunir amigos e as famílias ao redor e dos Conjuntos de
Moradores Cassiopéia, Ivo Barros de Assunção sentiu a necessidade de
seus clientes terem um espaço adequado e melhor, e com este objetivo
expandiu o atendimento. Em junho de 2010 ofereceu mais acomodações
para seus clientes assistirem aos eventos esportivos pela televisão, além
de servir várias opções de lanches, petiscos e porções.
Com uma equipe comprometida e dedicada, das 8 as 24 horas de
segunda a segunda.
Atualmente serve Petiscos e Porções de Alcatra com fritas, batata com
bacon,aipin,Tulipa,coxinha de frango,frios ,Lanche:Cheese Salada Cheeese
tudo,dentre outros.Aos domingos serve almoço com Picanha e de Alcatra.
Para este ano, breve estará oferecendo aos Sábados: Feijoada, dobradinha,
pão com pernil. Breve também o serviço de entrega em domicílios.
No ano 2012 criou o tema festivo: ‘’Músicas dos anos 80" e neste
ano,”Tarde do Samba” onde os amigos se confraternizaram.
Dudu Comércio de Bebidas
Atende também com entrega de água e gás
Rua Antônio Lago, 208, loja 01 e 02 - Boa Vista.
Telefones: 3053-2400, 3257-7818, 9679-4442 (Jaja) 9857-4515 (Ivo)
8
A busca por terapia em
consultórios de Psicologia está
sendo cada vez mais comum e
menos preconceituosa. Isso
porque as pessoas querem
maior qualidade de vida, tanto
no plano individual, quanto nas
relações familiares, conjugais,
fraternais, profissionais e em
todos os outros aspectos.
Existem diversas teorias que
embasam os terapeutas nos
atendimentos dentro dos
consultórios. A Psicologia
Relacional Sistêmica não
considera o seu cliente isolado,
mas sim, sempre dentro de um
contexto, onde ele cria laços,
adquire características,
heranças, vícios, crenças,
hábitos, valores, que vieram da
sua família de origem, de onde
foram criados e que influenciam
na sua maneira de levar a vida.
É a partir dessa percepção que
o terapeuta vai iniciar o
processo terapêutico, focando
Burger King: hambúrgueres contaminados
com carne de cavalo
Rede mundial de lanchone-
tes Burger King admite con-
taminação de hambúrgueres
com carne de cavalo
A famosa rede de fast-food
Burger King afirmou, nesta últi-
ma quinta-feira, que foram en-
contrados vestígios de carne de
cavalo em alguns de seus ham-
búrgueres. Na declaração, a
empresa explica que as amos-
tras foram coletadas nas carnes
processadas pelo frigorífico
Silvercrest, na Irlanda.
“Os resultados de nossos
testes de DNA independentes
dos produtos retirados dos res-
taurantes foram negativos para
DNA equino. Mas quatro amos-
tras recolhidas recentemente da
fábrica de Silvercrest mostra-
ram a presença de níveis muito
pequenos de DNA equino”, in-
formou a empresa no comuni-
cado.
A nota ainda conta com a in-
formação do rompimento do
vínculo entre o Burger King e o
frigorífico devido ao caso. “Den-
tro de 36 horas, estabelecemos
que a Silvercrest usou uma pe-
quena porcentagem de carne
importada de um fornecedor
não aprovado na Polônia. Eles
prometeram entregar hambúr-
gueres de carne 100% britâni-
ca e irlandesa e não cumpriram.
Este é um desrespeito claro às
nossas especificações e encer-
ramos nossa relação com eles”,
diz.
No mês passado, foi consta-
tada a presença de carna de
equinos e suínos em hambúr-
gueres vendidos nos mercados
da Irlanda e do Reino Unido. A
descoberta foi feita por centros
de saúde da Irlanda. Foram ve-
rificados 27 produtos diferentes
e constatados que dez deles
possuíam DNA de cavalos, en-
quanto outros 23 continham
DNA de porcos. Apesar da mis-
tura de carnes, o consumo des-
tes alimentos não faz mal à saú-
de, de acordo com especialis-
tas.
Em entrevista ao jornal “The
Guardian”, um representante da
empresa de fast-food disse que
a companhia está muito inco-
modada com a descoberta e de-
verá aumentar os procedimen-
tos de controle da qualidade dos
alimentos. “Vamos nos dedicar
a determinar quais as lições que
podem ser aprendidas e quais
as medidas adicionais, incluin-
do testes de DNA e maiores
controles de origem que pode-
rão ser acrescentados”, afir-
mou.
Fonte: Blog
Pragmatismo Político
A terapia é para todos!
na responsabilidade do seu
cliente em assumir suas
escolhas para que com isso
desenvolvam as mudanças
necessárias. Na terapia
Relacional Sistêmica, o
atendimento pode ser individual,
para a família, em grupo ou de
casal. A proposta básica é fazer
os clientes perceberem como
funcionam no que embasam
suas atitudes, o que precisam
aprender, e como fazer essas
mudanças e aprendizagens. O
processo geralmente é muito
rápido, e o terapeuta é capaz de
estipular um prazo para a
finalização da terapia.
Em qualquer momento da
vida é importante iniciar o
processo terapêutico, mas
principalmente nos primeiros
meses do ano, por ser o período
onde as pessoas estão com
mais vontade e fazem mais
planos de mudanças. E mais, o
processo pode ser concluído
ainda mais rapidamente. A
terapia é para todos!
Alessandra C. B. Dorigo
Psicoterapeuta com
especialização em Terapia
Relacional Sistêmica
CRP 08/13603
Contato: (41) 9626 – 6689
Rua Santa Catarina, 65 sala
513B
Água Verde – Curitiba - PR
9
Pierogi é um tipo de pastel cozido
originário da Polônia e oeste da Ucrânia,
onde é chamado Perohe.
Pierogi (também escrito perogi,
pierogy, perogy, pierógi, pyrohy,
pirogi, ou pyrogy; forma diminutiva:
piero¿ki) são tortas de massa primeiro
cozidas, e então assadas ou fritas
normalmente na manteiga com cebolas,
tradicionalmente recheado com batata,
chucrute, carne moída, queijo ou frutas.
Proveniente do centro e do leste europeu,
eles têm formato normalmente
semicircular, mas em algumas culturas
podem ser retangulares ou triangulares.
A palavra polonesa pierogi está no
plural; a forma singular
pieróg(Pierogue) é raramente utilizada,
já que tipicamente a porção individual
consiste em vários pieróg.
Pierogi são pequenos o bastante para
serem servidos em unidade ou em grande
quantidade de uma vez, então a forma
plural é a mais comum quando se trata
deste prato.Apalavra polonesa, pierogi
esta plural, tendo pieróg como singular.
Na República Checa e Eslováquia
pirohy é a forma plural, piroh sendo
singular. Na Alemanha, esta comida é
chamada Pirogge no singular e Piroggen
no plural, contanto, o nome polonês
Pierogi (Pierogue) também é utilizado.
Ingredientes
Pierogi pode ser recheado
(exclusivamente ou em várias
combinações) com purê de batatas,
queijo, repolho, Chucrute carne,
cogumelos, espinafre, ou outros
ingredientes dependendo da preferência.
Pierogi podem ser servidos em forma de
sobremesa com o recheio de frutas
frescas, como cereja, morango, pêssego,
A ORIGEM PIEROGUE
ameixa ou maçã; ameixa seca também é
utilizada. Para um sabor melhor, creme
de leite pode ser adicionado à mistura.
O recheio mais popular na cozinha
polonesa é de purê de batatas com
requeijão(ricota) e cebola frita. Um
recheio popular para pierogi no Canadá
é purê de batata com queijo Cheddar.
Preparo
A massa, que é feita simplesmente
misturando farinha e água morna, é
esticada e então cortada em pequenos
círculos utilizando um copo. O recheio
é posicionado no centro do círculo e a
massa é dobrada sobre o recheio
formando um semi-círculo. Os pierogi
são cozidos até que eles flutuem depois
escoados, e algumas vezes frito ou
assado na manteiga antes de serem
servidos. O prato pode ser servido com
manteiga derretida, creme de leite ou
servido com pequenos pedaços de bacon
frito, cebolas e também cogumelos. A
variação doce pode ser servida com calda
de maçã.
O pierogi é bastante conhecido em
regiões do Sul do Brasil colonizadas por
imigrantes polacos e ucranianos , onde
pode ser encontrado na mesa dos
milhares de descendentes de eslavos , em
restaurantes típicos, e mesmo em
barracas nas feiras de rua de Curitiba
e em diversos municípios do Paraná e
Rio Grande do Sul: Ponta Grossa,
Prudentópolis, Araucária, Contenda,
Ariranha do Ivaí, Mallet, São João do
Triunfo, São Mateus do Sul, União da
Vitória, RioAzul, Rio Negro, Tijucas do
Sul, entre outros.
Brasilianas Massas
Rua Padre João Wislinski,567 –
Sant Cândida – done 3151-4401
Tenha a farinha de berinjela
como aliado em sua dieta. Um
estudo recente da Universidade
Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
mostrou que mulheres que
consumiram esse alimento
tiveram redução na gordura
abdominal. A explicação é
simples. “A farinha apresentou
bons resultados em função de
sua maior concentração de
fibras”, afirma a nutricionista
Glorimar Rosa, coordenadora da
pesquisa
A farinha de berinjela possui
40% de fibras em sua
composição. Elas geram
saciedade, diminuindo a fome e
evitando a compulsão alimentar.
Também ajudam a diminuir os
índices de colesterol, triglicérides
e de ácido úrico no sangue (que
causa inflamações, como a
gota).
O produto, no entanto, peca
por conter menos vitaminas e
pela maior concentração de
sódio comparada ao legume in
Farinha de berinjela ajuda a
reduzir a gordura abdominal
natura. Mas isso não é um
grande problema. Essa
quantidade ainda é bem mais
baixa do que a oferecida em
qualquer pacote de salgadinho.
Assim ela está liberada para
hipertensos.
A única ressalva é que, após
a ingestão da farinha, há o
aumento dos radicais livres no
organismo – aquelas
substâncias que destroem as
células do corpo e aceleram o
envelhecimento. Por esse
motivo, os especialistas
recomendam consumir, logo
depois, uma fruta cítrica, rica em
vitamina C (como laranja, limão,
acerola, kiwi). Esse nutriente
neutraliza o efeito destrutivo
dessas moléculas oxidantes.
Assim, evita o problema.
Quer aprender a fazer a
farinha em casa? A nutricionista
Mauara Scorsatto, coautora da
pesquisa, ensina a receita
“Primeiro, lave bem a berinjela,
pique em pedaços pequenos e
coloque em um tabuleiro. Depois
asse por aproximadamente 2
horas. Espere esfriar e bata no
liquidificador ou processador”.
Pronto! Agora é só consumir.
Mas , você pode conseguir
pronta nas casas de produtos
naturais.
Flor de Laranjeiras
Produtos Naturais
Rua Guilherme Weigert ,
1046 Santa Cândida
Telefone 3357-1428
10
Marido
de aluguel
Pequenos reparos em
eletricidade, hidráulica
básica e pinturas
Consulte 8457-6128
Oswaldo Nunes Bissoli, 37
anos, comerciante e persona
non grata na Família Oliveira
Lafaiette. O estopim para o ódio
se deu a partir da revelação que
genro e sogro mantinham
relações íntimas em segredo e
desejam tornar público o amor
que compartilhavam.
Antonio Novaes Lafaiette, 60
anos, bancário e pai de três
filhas surpreendeu amigos e
familiares ao abandonar o lar
onde viveu por 32 anos para
viver com Oswaldo este amor
‘proibido’. Natália Oliveira
Lafaiette, 59 anos, aposentada
e abandonada está à base de
ansiolíticos desde que soube do
fato.
As famílias que moram no
município de Vila Velha no
Espírito Santo nunca
suspeitaram que a amizade
entre genro e sogro
transcendesse os limites
fraternais. Ambos durante anos
Homem troca a
mulher pelo
sogro em Vila
Velha
cultuavam o hábito de pescar e
por isso viajavam pelos recantos
mais belos do Brasil em busca
de rios em que pudessem
colocar suas varas.
A impactante descoberta se
deu quando Oswaldo pediu para
seu cunhado A.O.L. 17 anos
formatasse seu computador.
Curioso o jovem decidiu
“conhecer melhor” o computador
antes de realizar o serviço. Neste
momento ele se depara com
uma pasta repleta de fotos
íntimas do sigiloso casal.
Karina Oliveira Lafaiette 35
anos, professora e esposa
traída, num momento de fúria
decidiu enviar as fotos íntimas
deles para amigos e familiares
do casal e hoje responde a um
processo por violação de
privacidade. Quem viu as fotos
diz que o comerciante possuía
uma ‘pequena empresa’
enquanto o seu sogro era
detentor de um ‘grande negócio’.
Ex-presidente dos EUA denuncia:
atual governo é terrorista
Revelações de que altos funcionários do
governo dos Estados Unidos decidem quem
será assassinado em países distantes, inclusi-
ve cidadãos norte-americanos, são a prova ape-
nas mais recente, e muito perturbadora, de
como se ampliou a lista das violações de direi-
tos humanos cometidas pelos EUA.
Esse desenvolvimento começou depois dos
ataques terroristas de 11/9/2001; e tem sido
autorizado, em escala crescente, por atos do
executivo e do legislativo norte-americanos, dos
dois partidos, sem que se ouça protesto popu-
lar. Resultado disso, os EUA já não podem fa-
lar, com autoridade moral, sobre esses temas
cruciais.
Por mais que os EUA tenham cometido er-
ros no passado, o crescente abuso contra di-
reitos humanos na última década é dramatica-
mente diferente de tudo que algum dia se viu.
Sob liderança dos EUA, a Declaração Univer-
sal dos Direitos do Homem foi adotada em 1948,
como “fundamento da liberdade, justiça e paz
no mundo”. Foi compromisso claro e firme, com
a ideia de que o poder não mais serviria para
acobertar a opressão ou a agressão a seres
humanos. Aquele compromisso fixava direitos
iguais para todos, à vida, à liberdade, à segu-
rança pessoal, igual proteção legal e liberdade
para todos, com o fim da tortura, da detenção
arbitrária e do exílio forçado.
Aquela Declaração tem sido invocada por
ativistas dos direitos humanos e da comunida-
de internacional, para trocar, em todo o mundo,
ditaduras por governos democráticos, e para
promover o império da lei nos assuntos domés-
ticos e globais. É gravemente preocupante que,
em vez de fortalecer esses princípios, as políti-
cas de contraterrorismo dos EUA vivam hoje de
claramente violar, pelo menos, 10 dos 30 arti-
gos daquela Declaração, inclusive a proibição
de qualquer prática de “castigo cruel, desuma-
no ou tratamento degradante.”
Legislação recente legalizou o direito do
presidente dos EUA, para manter pessoas sob
detenção sem fim, no caso de haver suspeita
de ligação com organizações terroristas ou “for-
ças associadas” fora do território dos EUA – um
poder mal delimitado que pode facilmente ser
usado para finalidades autoritárias, sem qual-
quer possibilidade de fiscalização pelas cortes
de justiça ou pelo Congresso (a aplicação da
lei está hoje bloqueada, suspensa por senten-
ça de um(a) juiz(a) federal). Essa lei agride o
direito à livre manifestação e o direito à presun-
ção de inocência, sempre que não houver cri-
me e criminoso determinados por sentença ju-
dicial – mais dois direitos protegidos pela De-
claração Universal dos Direitos do Homem, aí
pisoteados pelos EUA.
Além de cidadãos dos EUA assassinados
em terra estrangeira ou tornados alvos de de-
tenção sem prazo e sem acusação clara, leis
mais recentes suspenderam as restrições da
Foreign Intelligence Surveillance Act, de 1978,
para admitir violação sem precedentes de di-
reitos de privacidade, legalizando a prática de
gravações clandestinas e de invasão das co-
municações eletrônicas dos cidadãos, sem
mandato. Outras leis autorizam a prender indi-
víduos pela aparência, modo de trajar, locais
de culto e grupos de convivência social.
Além da regra arbitrária e criminosa, segun-
do a qual qualquer pessoa assassinada por
aviões-robôs comandados à distância (drones)
por pilotos do exército dos EUA é automatica-
mente declarada inimigo terrorista, os EUA já
consideram normais e inevitáveis também as
mortes que ocorram ‘em torno’ do ‘alvo’, mulhe-
res e crianças inocentes, em muitos casos. De-
pois de mais de 30 ataques aéreos contra resi-
dências de civis, esse ano, no Afeganistão, o
presidente Hamid Karzai exigiu o fim desse tipo
de ataque. Mas os ataques prosseguem em
áreas do Paquistão, da Somália e do Iêmen,
que sequer são zonas oficiais de guerra. Os
EUA nem sabem dizer quantas centenas de ci-
vis inocentes foram assassinados nesses ata-
ques – todos eles aprovados e autorizados pe-
las mais altas autoridades do governo federal
em Washington. Todos esses crimes seriam
impensáveis há apenas alguns anos.
Essas políticas têm efeito evidente e grave
sobre a política exterior dos EUA. Altos funcio-
nários da inteligência e oficiais militares, além
de defensores dos direitos das vítimas nas áre-
as alvos, afirmam que a violenta escalada no
uso dos drones como armas de guerra está em-
purrando famílias inteiras na direção das orga-
nizações terroristas; enfurece a população civil
contra os EUA e os norte-americanos; e autori-
za governos antidemocráticos, em todo o mun-
do, a usar os EUA como exemplo de nação vio-
lenta e agressora.
Simultaneamente, vivem hoje 169 prisionei-
ros na prisão norte-americana de Guantánamo,
em Cuba. Metade desses prisioneiros já foram
considerados livres de qualquer suspeita e po-
deriam deixar a prisão. Mas nada autoriza a
esperar que consigam sair vivos de lá. Autori-
dades do governo dos EUA revelaram que, para
arrancar confissões de suspeitos, vários prisio-
neiros foram torturados por torturadores a ser-
viço do governo dos EUA, submetidos a simu-
lação de afogamento mais de 100 vezes; ou
intimidados sob a mira de armas
semiautomáticas, furadeiras elétricas e amea-
ças (quando não muito mais do que apenas
ameaças) de violação sexual de esposas, mães
e filhas. Espantosamente, nenhuma dessas vi-
olências podem ser usadas pela defesa dos
acusados, porque o governo dos EUA alega que
são práticas autorizadas por alguma espécie de
‘lei secreta’ indispensável para preservar algu-
ma “segurança nacional”.
Muitos desses prisioneiros – mantidos em
Guantánamo como, noutros tempos, outros ino-
centes também foram mantidos em campos de
concentração de prisioneiros na Europa – não
têm qualquer esperança de algum dia recebe-
rem julgamento justo nem, sequer, de virem a
saber de que crimes são acusados.
Em tempos nos quais o mundo é varrido
por revoluções e levantes populares, os EUA
deveriam estar lutando para fortalecer, não para
enfraquecer cada dia mais, os direitos que a lei
existe para garantir a homens e mulheres e to-
dos os princípios da justiça listados na Decla-
ração Universal dos Direitos do Homem. Em vez
de garantir um mundo mais seguro, a repetida
violação de direitos humanos, pelo governo dos
EUA e seus agentes em todo o mundo, só faz
afastar dos EUA seus aliados tradicionais; e une,
contra os EUA, inimigos históricos.
Como cidadãos norte-americanos preocu-
pados, temos de convencer Washington a mu-
dar de curso, para recuperar a liderança moral
que nos orgulhamos de ter, no campo dos di-
reitos humanos. Os EUA não foram o que fo-
ram por terem ajudado a apagar as leis que pre-
servam direitos humanos essenciais. Fomos o
que fomos, porque, então, andávamos na dire-
ção exatamente oposta à que hoje trilhamos.
*Jimmy Carter é Prêmio Nobel e ex-pre-
sidente dos EUA. Matéria publicada no New
York Times
ANUNCIE AQUI
8433.7462
QUEM ANUNCIA,
VENDE MAIS!
11
Mulher desconfiada
Apesar de viverem na abundância, as
coisas não corriam bem entre o marido e
sua jovem mulher. Na verdade, ela estava
convencida de que ele andava metido com
a bonita empregada da casa.
Então resolveu preparar uma armadilha
pra pegar o marido no flagra.
Dispensou a empregada no fim de semana
e não contou ao marido.
A noite, quando iam pra cama, o marido
contou a mesma velha história:
- Desculpe, minha querida, mas estou mal
do me u estomago outra vez. Vou tomar
um ar e já volto.
Ele então rumou em direção ao banheiro.
A mulher saiu rápido pelo corredor, subiu
as escadas e deitou-se na cama da
empregada.
Mal ela tinha apagado a luz, veio ele, em
silêncio. E , sem perda de tempo, saltou
para a cama e fez amor com ela com toda
a fogosidade.
Ambos gemiam de prazer.
Quando terminaram, a mulher disse, ainda
ofegante:
- Você não esperava me encontrar nesta
cama, não é querido? E ligou a luz.
- Sinceramente, não, minha senhora, disse
o jardineiro.
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
O detetive presta contas à cliente:
- Ontem eu segui o seu marido e ele foi
primeiro a um restaurante, depois entrou
numa loja, passou num salão de beleza,
depois foi a um Shopping, em seguida foi
numa casa de Chá, depois foi numa Casa
de Jogo de Bingo, foi numa boate e depois
para um motel…
- Mais que cafajeste! – protesta a mulher.
– Eu mato esse desgraçado! Me diga em
detalhes o que ele fez em cada um destes
lugares…
- Bem… não fez nada! Acho que só estava
seguindo a senhora!
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
Morre o homem e, não demora muito, a
viúva também vai para o céu.
Chegando no paraíso, ela encontra o
marido.
- Querido! Querido! ? diz ela, abraçando o
ex - Que bom te encontrar aqui! Agora nós
vamos ficar juntos pra sempre!
- Opa, opa! Peraí… O trato foi: “Até que a
morte nos separe”!
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
No médico a mulher reclama:
- Doutor, quando eu era solteira tive que
fazer 4 abortos! Agora que casei, tô doida
pra ter um filho e não consigo engravidar!
- É muito simples! – responde o médico.
- Então me fala, Doutor!
- Você não está conseguindo reproduzir
em cativeiro!
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
A garota recebe um convite para sair e fica
toda animada.
Quando ela retorna a mãe pergunta.
E aí filha, como foi seu encontro?
- Ah, mãe. Eu gostei, mas achei ele muito
apressado. Imagina que logo que
chegamos no cinema ele me pediu um
beijo.
A mãe, espantada pergunta:
- No duro?
A garota responde:
- Não, mamãe, na boca!
Como o palhaço sai do motel?
R. Todo gozadinho.
E a patricinha?
R. Toda metidinha!
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
Dois amigos conversam no bar:
- Quer dizer que você brigou de novo com
a sua mulher?
- Foi… Mas dessa vez ela terminou no
chão, de quatro!
- É mesmo? – pergunta o amigo, surpreso
– Quem diria, hein! Pelo jeito as coisas
mudaram… Mas conta aí essa história
direito!
- Ah, eu falei umas verdades e ela veio
correndo atrás de mim! Aí eu entrei no
quarto, ela ficou de quatro e falou: “Saia já
debaixo dessa cama, seu covarde!”
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
Os dois amigos conversam no boteco:
- Minha mulher me trata como um cachor-
ro! – um deles reclama.
- E como você reage? – o amigo pergunta.
- Eu a trato como um poste!
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
Assim que nasceu o seu décimo filho, o
sujeito jurou para o seu melhor amigo que
se a sua mulher tornasse a engravidar ele
se enforcaria.
Um ano depois, o amigo vai visitá-lo e vê a
mulher do cara com um barrigão enorme.
- Ué… você não disse que se a sua mulher
voltasse a engravidar, você se enforcaria?
Resolveu quebrar a sua promessa?
- De jeito nenhum! Tanto estava eu
decidido a cumpri-la que cheguei até a
comprar alguns metros de corda, mas…
- Mas o quê?
- Aí eu pensei comigo mesmo: “Será que
não estou enforcando o homem errado?”
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
Dois sujeitos se encontram no bar.
- Por que essa cara de enterro, rapaz? –
pergunta o primeiro.
- Ih, rapaz! Briguei com a minha mulher e
ela jurou ficar sem conversar comigo
durante um mês inteiro.
- Agora eu entendo por que você está tão
triste!
- É que o prazo acaba hoje!
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
Depois de certo tempo de namoro, o casal
vai pro motel para a tão esperada primeira
vez. Aí a moça diz:
- Olha, você deve estar fazendo uma idéia
errada, eu não sou desse tipo.
- Não esquenta, nunca pensei mal de você.
- Vou te confessar uma coisa… sabe que
você é o primeiro?
- Primeiro a transar?
- Não, o primeiro a não pensar mal de mim!
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
A mulher se queixava, quase em prantos, à
sua empregada:
- Oh, Maria, acho que meu marido está me
enganando com a secretária!
- Não acredito! A senhora está dizendo isso
pra me deixar com ciúmes.
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
E tem aquela daquele solteirão, cansado
de viver sozinho, que colocou um anúncio
na seção de classificados do jornal de
maior circulação da cidade: “Procura-se
uma Esposa”, era o título.
Durante a semana, ele recebeu mais de
uma centena de cartas. Mas, para a sua
decepção, eram todas de homens e diziam
a mesma coisa: “Pode ficar com a minha”.
Helena e Gilda, duas solteironas, são donas de uma farmácia.
Entra um homem e pede uma camisinha. Helena atende e traz
a camisinha.
- É pequena! - reclama o freguês. E Helena traz uma maior:
- Ainda é pequena.
E Helena pega a maior do estoque.
- Desculpe, mas tem de ser maior.
Helena grita pra Gilda, que está no estoque da farmácia:
- Ó, Giiiiiiiiirrda! Tem um homem aqui que precisa de uma
camisinha maior que a XXL! O que é que eu ofereço a ele?
- Casa, comida, roupa lavada e sociedade na farmácia!
12
A segurança preventiva dos
condomínios está diretamente ligada
à mudança de hábitos de todos,
desde síndicos, moradores e
funcionários, informa Diógenes
Coldri especialista em segurança
coletiva, que levantou os dez
principais erros de comportamento
que devem ser evitados para não
expor os moradores de edifícios a
riscos desnecessários.
Como em família existem as
regras de convivência; descumprir
as próprias normas estabelecidas
pelo condomínio é a primeira atitude
a ser banida, com multas se
necessário, pois desestrutura
qualquer sistema de segurança.
Outro erro muito comum é em
relação ao controle de acesso dos
automóveis e motos “O profissional
de portaria deve identificar o veículo
e principalmente quem está dentro
do veículo. E, na dúvida, não abrir
o portão”, afirma Diogenes Coldri.
Por vezes os condôminos não se
preocupam em observar o
movimento das áreas internas do
condomínio pelo circuito de
TV, comprometendo todo o
investimento em equipamentos de
segurança. Além disso, é comum
que as pessoas, ao chegar próximo
do edifício esquecer de verificar se
há estranhos nas imediações ou
mesmo se os funcionários de
vigilância e portaria estão
devidamente posicionados.
Outro equívoco básico é o
Segurança nos condomínios, melhor quando compartilhado
morador entrar no condomínio
juntamente com visitantes.As visitas
devem passar sempre por um
sistema de identificação, por mais
incômodo que esse procedimento
possa parecer, diz, Coldri. E
o condômino jamais deve pedir ao
porteiro que permita a entrada de
alguém que ainda não tenha de fato
chegado.Avisita deve ser anunciada
ao morador na hora - embora um
tanto difícil quando
não há em funcio-
namento o aparelho
de interfonar.
Porteiros não devem
deixar, nunca, seu
posto, ainda quer por
poucos minutos,
sem nenhuma
cobertura. Nesse
c a s o , d e v e - s e
chamar outro
profissional –
faxineiro ou zelador
– para ficar na
guarita. A presença
de equipamentos
como rádio e TV nas
portarias também é
incorreta, pois pode
tirar a atenção do
profissional.Apenas
um monitor com
imagens do circuito
de câmeras deve ser
mantido.
Deixar as chaves
do apartamento ou do carro na
portaria e repreender funcionários
que causem algum transtorno
justamente por cumprir as normas
de segurança do condomínio são
outras práticas que devem ser
abolidas.
Por: Diógenes Coldri e
Adilson Moreira
A D M I N I S T R A Ç Ã O
1 Assembleia
- O síndico deve programar uma pauta objetiva
e deixar os assuntos gerais para serem
discutidos somente no final da assembleia.
2 Conselho
- Mantenha o Conselho informado sobre os
balancetes e convoque-o sempre que tiver uma
decisão importante para tomar
3 Previsão orçamentária.
- Ao fazer a previsão orçamentária, não se
esquecer de levar em conta a inflação do ano e
o reajuste salarial dos funcionários.
4 Nota fiscal
- Sempre peça nota fiscal ou recibo para provar
a aquisição de produtos e serviços e poder
elaborar corretamente a prestação de contas.
5 Produtos e serviços
- Ao contratar uma prestadora de serviço ou
comprar um produto, atenha-se ao preço, mas
principalmente à qualidade
6 Administradora e síndico profissional
- Podem trazer suporte ao síndico na
administração do prédio e ser uma saída para
quando ninguém quer assumir o cargo. “É
necessário verificar a idoneidade da empresa
contratada e a satisfação de outros clientes”.
7 Prestação de contas
- A prestação de contas anual é obrigatória por
lei e importante para mostrar a transparência da
gestão.
8 Cotas extras
- Para evitar as cotas extras próximo ao Natal
para o pagamento de 13º salário, o condomínio
pode fazer o parcelamento do valor e inserir na
taxa condominial durante o ano.
9 Orçamento
- Na contratação de produtos e serviços, peça
pelo menos orçamentos de três empresas.
10 Fundo de Reserva
- O Fundo de Reserva serve para cobrir
emergências e não deixar o caixa no vermelho.
O percentual destinado deve ser estipulado pela
convenção.
11 Inadimplência
- A inadimplência atrapalha a gestão do síndico
e onera o condômino que quita a taxa em dia.
Encontre soluções firmes para combatê-la.
12 Seguros
- Exija sempre uma cópia da proposta de
seguro contratado e confira com a apólice.
Negocie seguros e faça orçamentos.
Dicas para um condomínio eficiente

Mais conteúdo relacionado

Destaque

GAZETA SANTA CÂNDIDA OUTUBRO 2015
GAZETA SANTA CÂNDIDA OUTUBRO 2015GAZETA SANTA CÂNDIDA OUTUBRO 2015
GAZETA SANTA CÂNDIDA OUTUBRO 2015Adilson Moreira
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA , FEVEREIRO 2016
GAZETA SANTA CÂNDIDA , FEVEREIRO 2016GAZETA SANTA CÂNDIDA , FEVEREIRO 2016
GAZETA SANTA CÂNDIDA , FEVEREIRO 2016Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA JUNHO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA JUNHO 2015GAZETA DO SANTA CÂNDIDA JUNHO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA JUNHO 2015Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA ABRIL 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA ABRIL 2015GAZETA DO SANTA CÂNDIDA ABRIL 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA ABRIL 2015Adilson Moreira
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA MARÇO 2013
GAZETA SANTA CÂNDIDA MARÇO 2013GAZETA SANTA CÂNDIDA MARÇO 2013
GAZETA SANTA CÂNDIDA MARÇO 2013Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA SETEMBRO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA SETEMBRO 2015GAZETA DO SANTA CÂNDIDA SETEMBRO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA SETEMBRO 2015Adilson Moreira
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA - NOVEMBRO 2014
GAZETA SANTA CÂNDIDA - NOVEMBRO 2014GAZETA SANTA CÂNDIDA - NOVEMBRO 2014
GAZETA SANTA CÂNDIDA - NOVEMBRO 2014Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA MARÇO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA MARÇO  2015GAZETA DO SANTA CÂNDIDA MARÇO  2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA MARÇO 2015Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA - DEZEMBRO 2014
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA - DEZEMBRO 2014GAZETA DO SANTA CÂNDIDA - DEZEMBRO 2014
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA - DEZEMBRO 2014Adilson Moreira
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA JULHO 2015
GAZETA SANTA CÂNDIDA JULHO 2015GAZETA SANTA CÂNDIDA JULHO 2015
GAZETA SANTA CÂNDIDA JULHO 2015Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2016
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2016GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2016
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2016Adilson Moreira
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2016
GAZETA SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2016GAZETA SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2016
GAZETA SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2016Adilson Moreira
 

Destaque (12)

GAZETA SANTA CÂNDIDA OUTUBRO 2015
GAZETA SANTA CÂNDIDA OUTUBRO 2015GAZETA SANTA CÂNDIDA OUTUBRO 2015
GAZETA SANTA CÂNDIDA OUTUBRO 2015
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA , FEVEREIRO 2016
GAZETA SANTA CÂNDIDA , FEVEREIRO 2016GAZETA SANTA CÂNDIDA , FEVEREIRO 2016
GAZETA SANTA CÂNDIDA , FEVEREIRO 2016
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA JUNHO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA JUNHO 2015GAZETA DO SANTA CÂNDIDA JUNHO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA JUNHO 2015
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA ABRIL 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA ABRIL 2015GAZETA DO SANTA CÂNDIDA ABRIL 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA ABRIL 2015
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA MARÇO 2013
GAZETA SANTA CÂNDIDA MARÇO 2013GAZETA SANTA CÂNDIDA MARÇO 2013
GAZETA SANTA CÂNDIDA MARÇO 2013
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA SETEMBRO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA SETEMBRO 2015GAZETA DO SANTA CÂNDIDA SETEMBRO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA SETEMBRO 2015
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA - NOVEMBRO 2014
GAZETA SANTA CÂNDIDA - NOVEMBRO 2014GAZETA SANTA CÂNDIDA - NOVEMBRO 2014
GAZETA SANTA CÂNDIDA - NOVEMBRO 2014
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA MARÇO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA MARÇO  2015GAZETA DO SANTA CÂNDIDA MARÇO  2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA MARÇO 2015
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA - DEZEMBRO 2014
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA - DEZEMBRO 2014GAZETA DO SANTA CÂNDIDA - DEZEMBRO 2014
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA - DEZEMBRO 2014
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA JULHO 2015
GAZETA SANTA CÂNDIDA JULHO 2015GAZETA SANTA CÂNDIDA JULHO 2015
GAZETA SANTA CÂNDIDA JULHO 2015
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2016
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2016GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2016
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2016
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2016
GAZETA SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2016GAZETA SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2016
GAZETA SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2016
 

Semelhante a Diretoria e contatos da Gazeta Santa Cândida

Revista Entre Lagos Edição 111
Revista Entre Lagos Edição 111Revista Entre Lagos Edição 111
Revista Entre Lagos Edição 111Chiquinho Dornas
 
Jornais e blogs 27.1.14
Jornais e blogs 27.1.14Jornais e blogs 27.1.14
Jornais e blogs 27.1.14contraocrack
 
Jornais e blogs 27.1.14
Jornais e blogs 27.1.14Jornais e blogs 27.1.14
Jornais e blogs 27.1.14Kelly Ribeiro
 
Nota oficial 18_08_2011
Nota oficial 18_08_2011Nota oficial 18_08_2011
Nota oficial 18_08_2011Jamildo Melo
 
Advogados pedem a interdição de Bolsonaro
Advogados pedem a interdição de BolsonaroAdvogados pedem a interdição de Bolsonaro
Advogados pedem a interdição de BolsonaroJoaquim de Carvalho
 
MAÇONARIA _ Carta aberta mudança já
MAÇONARIA _ Carta aberta mudança jáMAÇONARIA _ Carta aberta mudança já
MAÇONARIA _ Carta aberta mudança jáRoberto Rabat Chame
 
EDIÇÃO 407 DE 11 DE NOVEMBRO DE 2020
EDIÇÃO 407 DE 11 DE NOVEMBRO DE 2020EDIÇÃO 407 DE 11 DE NOVEMBRO DE 2020
EDIÇÃO 407 DE 11 DE NOVEMBRO DE 2020Afonso Pena
 
Recessão versus estabilidade econômica
Recessão versus estabilidade econômicaRecessão versus estabilidade econômica
Recessão versus estabilidade econômicaCIRINEU COSTA
 
JORNAL ATUAL 11-09-2014 - www.portalcocal.com.br
JORNAL ATUAL 11-09-2014 - www.portalcocal.com.brJORNAL ATUAL 11-09-2014 - www.portalcocal.com.br
JORNAL ATUAL 11-09-2014 - www.portalcocal.com.brPortalCocal
 
Inconfidência 256
Inconfidência 256Inconfidência 256
Inconfidência 256Lucio Borges
 
Carta aberta
Carta abertaCarta aberta
Carta abertaaipaf
 

Semelhante a Diretoria e contatos da Gazeta Santa Cândida (20)

Revista Entre Lagos Edição 111
Revista Entre Lagos Edição 111Revista Entre Lagos Edição 111
Revista Entre Lagos Edição 111
 
Jornais e blogs 27.1.14
Jornais e blogs 27.1.14Jornais e blogs 27.1.14
Jornais e blogs 27.1.14
 
Jornais e blogs 27.1.14
Jornais e blogs 27.1.14Jornais e blogs 27.1.14
Jornais e blogs 27.1.14
 
Nota oficial 18_08_2011
Nota oficial 18_08_2011Nota oficial 18_08_2011
Nota oficial 18_08_2011
 
Advogados pedem a interdição de Bolsonaro
Advogados pedem a interdição de BolsonaroAdvogados pedem a interdição de Bolsonaro
Advogados pedem a interdição de Bolsonaro
 
Diz Jornal - Edição 219
Diz Jornal - Edição 219Diz Jornal - Edição 219
Diz Jornal - Edição 219
 
MAÇONARIA _ Carta aberta mudança já
MAÇONARIA _ Carta aberta mudança jáMAÇONARIA _ Carta aberta mudança já
MAÇONARIA _ Carta aberta mudança já
 
Revista entre lagos ed99 final web
Revista entre lagos ed99 final webRevista entre lagos ed99 final web
Revista entre lagos ed99 final web
 
Jornal digital 10-04-17
Jornal digital 10-04-17Jornal digital 10-04-17
Jornal digital 10-04-17
 
EDIÇÃO 407 DE 11 DE NOVEMBRO DE 2020
EDIÇÃO 407 DE 11 DE NOVEMBRO DE 2020EDIÇÃO 407 DE 11 DE NOVEMBRO DE 2020
EDIÇÃO 407 DE 11 DE NOVEMBRO DE 2020
 
Diz Jornal Edição 175
Diz Jornal Edição 175Diz Jornal Edição 175
Diz Jornal Edição 175
 
Recessão versus estabilidade econômica
Recessão versus estabilidade econômicaRecessão versus estabilidade econômica
Recessão versus estabilidade econômica
 
JORNAL ATUAL 11-09-2014 - www.portalcocal.com.br
JORNAL ATUAL 11-09-2014 - www.portalcocal.com.brJORNAL ATUAL 11-09-2014 - www.portalcocal.com.br
JORNAL ATUAL 11-09-2014 - www.portalcocal.com.br
 
Revista cachoeiro rc82
Revista cachoeiro rc82Revista cachoeiro rc82
Revista cachoeiro rc82
 
Inconfidência 256
Inconfidência 256Inconfidência 256
Inconfidência 256
 
Diz Jornal - Edição 215
Diz Jornal - Edição 215Diz Jornal - Edição 215
Diz Jornal - Edição 215
 
Carta aberta
Carta abertaCarta aberta
Carta aberta
 
Caderno de pauta 007
Caderno de pauta 007Caderno de pauta 007
Caderno de pauta 007
 
Ermelino 157
Ermelino 157Ermelino 157
Ermelino 157
 
Imp 31
Imp 31Imp 31
Imp 31
 

Mais de Adilson Moreira

GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023
GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023
GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020Adilson Moreira
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020Adilson Moreira
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2019Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019Adilson Moreira
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019Adilson Moreira
 
GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019
GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019
GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019Adilson Moreira
 

Mais de Adilson Moreira (20)

GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023
GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023
GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2019
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019
 
GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019
GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019
GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
 

Diretoria e contatos da Gazeta Santa Cândida

  • 1.
  • 2. EXPEDIENTE Diretor: Adilson da Costa Moreira Fones 8433-7462 e 3328-0176 Dep. comerciail: Sharon Simão Zunino Rua Canadá, 2108 - Ap. 31 - Bloco A9 - Bacacheri - Curitiba E-mail: gazetasantacandida@gmail.com Tiragem: 10.000 exemplares www.gazetasantacandida.com.br / www.santacandida.blogspot.com As matérias assinadas não refletem necessariamente a opinião do jornal. 2 Anuncie aqui Quem anuncia, vende mais! 8433-7462 3328-0176 www.santacandida.blogspot.com O senador tucano Alvaro Dias, o mesmo que visitou o Paraguai logo após o golpe para apoiar a “deposição constituci- onal” do presidente Fernando Lugo, não gostou da presença do embaixador venezuelano Maximilien Arveláiz no ato “Em defesa do legado Lula”, reali- zado ontem no auditório da Câ- mara Legislativa do Distrito Fe- deral. Hoje ele apresentou re- querimento convocando o mi- nistro de Relações Exteriores, Antonio Patriota, para explicar a participação do seu colega na manifestação pública. Alvaro Dias se supera a cada dia que passa. Vaidoso, ele não sabe o que faz para ganhar os holofotes da mídia. Nem o PSDB do Paraná o aguenta mais – ele está para perder a vaga na disputa para o Senado em 2014 e já ameaça deixar o partido. Ele podia até virar re- presentante oficial dos golpistas paraguaios ou hondurenhos no Brasil! Segundo o requerimen- to, o embaixador venezuelano participou de um evento para “protestar contra o julgamento do mensalão” já que o ato teve a presença do ex-ministro José Dirceu. Insuflados pelo senador, PSDB, DEM e PPS divulgaram no final da tarde “nota de repú- dio à interferência do embaixa- dor da Venezuela em assuntos internos do Brasil”. O documen- to é mais uma peça de campa- nha para as eleições presiden- ciais de 2014. Risível, a nota dos bajuladores do império afir- ma que a presença do embai- O senador Álvaro Dias persegue a Venezuela xador é um “afronta à sobera- nia” e exige “explicações do chanceler brasileiro Antônio Patriota sobre a omissão do governo da presidente Dilma Rousseff diante de um episódio de tamanha gravidade”. Sem se intimidar diante das bravatas da direita colonizada, a Embaixada da Venezuela no Brasil divulgou agora à noite uma nota de esclarecimento. Reproduzo-a na íntegra: Brasília, 06 de fevereiro de 2012 Deputado Sérgio Guerra, presidente nacional do PSDB Deputado Roberto Freire, presidente nacional do PPS Senador José Agripino, pre- sidente nacional do Democratas Com relação à nota divulgada pelos partidos PSDB, PPS e Democratas, cumpre afirmar: Faz parte das atribuições de um embaixador conhecer os acontecimentos políticos do país no qual está alocado. Re- cebo convites e assisto aos mais diversos eventos das mais diversas instituições bra- sileiras em todos os Estados. Inclusive tenho aceitado e con- tinuarei aceitando qualquer convite que me façam os par- tidos signatários. É absolutamente despropo- sitado atribuir à minha presen- ça entre os convidados de um evento público sobre realiza- ções do governo federal no Brasil caráter de interferência em assuntos internos. Trata-se de coerção da representação diplomática da Venezuela e de uma tentativa imprópria de usar um país irmão para dis- putas políticas internas. MaximilienArveláiz, embaixa- dor da República Bolivariana da Venezuela no Brasil Partido O GLOBO já em campanha para 2014 O GLOBO, um dos principais integrantes do PIG (partido da im- prensa golpista) e representante do monopólio da mídia brasileira, re- solveu atacar toda política econô- mica do governo Dilma, no ano que antecede a eleição de 2014. Já está em campanha. Na economia tudo errado. Re- pete a mesma ladainha e a mesma defesa da política neoliberal que está falindo EUA e Europa. Só fal- ta culpar o Brasil pela crise inter- nacional. Omite e não faz nenhuma análise sobre a crise externa e suas conseqüências no Brasil e no mun- do. Por oportunismo, má fé e mal caratismo esquece a globalização no ônus. Só analisa e vê o bônus. Por exemplo, combate a política de distribuição de renda (consumo in- terno) e supervaloriza infraestrutura e PIB. Cadê a infraestrutura dos países ricos nes- sa hora? E o PIB deles como anda? Mente dizendo que o “espírito animal” dos empresários está recu- ado com a falta de política do go- verno Dilma. Combate e critica ju- ros baixos, incentivos fiscais, con- trole cambial, inflação sobre con- trole e PIB equilibrado. Para eles nada presta por uma razão muito simples: essa políti- ca que o governo Dilma executa tem o endereço da maioria (99%) e a deles só atinge 1% da popula- ção. Apenas isso. Um detalhe in- significante. Antonio Negrão de Sá
  • 3. 3 SOCIEDADE ESPORTIVA RENOVICENTE FUNDADA EM 21/12/2001, EM DECORRÊNCIA DA FUSÃO DO CLUBE ATLÉTICOSÃOVICENTE(03/03/ 49) E RENOVE – RECREATIVO NOVA ESTELA 9 FAZENDA RIO GRANDE/PR, 04/97) A fusão aconteceu porque na época, o clube Atlético São Vicente, com um patrimônio invejável, sede e Estádio em uma área de 19.420 m², encontrava-se licenciado da FPF, do Campeonato Metropolitano Amador da Categoria Adulto. Em contra partida, o RENOVE estava com uma equipe de atletas de ótimo nível técnico, porém, sem estrutura física para participar de campeonatos oficiais da FPF. Diante disso,concluiu-se que a fusão seria a melhor solução para os dirigentes e torcedores das duas equipes. As cores da S.E.Renovicente são: azul,vermelha e branca. Ficando o clube conhecido como “tricolor da Santa Cândida”. Prevalecendo as cores dos times extintos C.A. São Vicente e Renove. O orgão soberano do Clube é o RENOVICENTE,O TRICOLOR DO SANTA CÂNDIDA conselhogestor,compostopelosenhor Darci Eckemann, srª Regina Taborda e por 6 sócios fundadores, que deram origem a S.E. Renovicente, com cargos vitalícios. A S.E. Renovicente possui patrimônio próprio, com uma área de 19.420 m², capacidade de público para duas mil pessoas, campo oficial de futebol, 4 vestiários, amplo estacionamento, parque infantil, lanchonete panorâmica com vista para o campo de futebol oficial, dois bosques, cancha de grama para futebol de sete com iluminação, academia com equipamentos adequados para preparação de atletas, sala de jogos, uma cabine de imprensa e autoridades de 84 m², composta de três cabines para transmissões de jogos, dois camarotes para convidados, com frigobar e mobília sob medida, banheiro privativo, cabine e arquibancada coberta co m capacidade para 100 pessoas. Em seu primeiro ano de atuação no Campeonato Metropolitano da 1º Divisão de Amadores da F.P.F. (2002), foi campeão da categoria Adulto, conquistando a vaga para a divisão especial deAmadores. Também foi vice– campeão da categoria de Master e Vice- Campeão da Copa Folha de Tamandaré. A partir do ano de 2005, o clube teve como foco, participar de campeonatos das categorias de base, com o objetivo de revelar atletas jovens. Nos anos de 2006 e 2007, em participações nos Campeonatos Federados, obteve boas campanhas nas categorias de Juniores, Juvenil e Infantil, além de sagrar-se campeão da categoria Juvenil na copa Brasilitalia no Rio de Janeiro e campeãodacategoriaInfantilnaCopa São Miguel Arcanjo, no interior de São Paulo. No ano de 2010, foi Campeão amador Juvenil da FPF em Curitiba/ PR e, Vice-Campeão na Copa Itá, interior de Santa Catarina. Em 2011, conquistou o Bi-campeonato Amador Juvenil da capital paranaense. Pioneirosdobairrotemalembrança docampodos‘’Kanias”, muitosjogos dos polacos foram realizados neste lugar além dos descendentes de italianos que moravam na região, tempo não muito distante passou a chamar de Estádio Onaireves Nilo Rolim de Moura, (em homenagem ao ex-presidente da Federação Paranaense de Futebol), atualmente Estádio Solar do Bosque. Presidente: Darci Echermann, Rua Fernando de Noronha, 2246 Por Denis Barbosa e Adilson Moreira Atentado que matou Lino Oviedo pode ser obra da CIA Diversos publicitários brasi- leiros, da cidade de Curitiba, que trabalhavam na campanha de Lino Oviedo no Paraguai, contaram que nos dias que an- tecederam o assassinato do ge- neral, havia uma tensão muito forte em Assunção. Lino Oviedo havia conse- guido unir forças de esquerda e de direita no apoio à sua can- didatura, o que o levaria à vi- tória na atual campanha presi- dencial. Do outro lado existe um candidato ligado ao crime organizado, à máfia paraguaia. Algumas reuniões realizadas por autoridades paraguaias que apoiavam Lino Oviedo tiveram de ser realizadas no país vizi- nho, Uruguai, diante do clima de pressão e perseguição aos apoiadores de Oviedo. Alguns brasileiros informa- ram que tiveram de se registrar no escritório da CIA em Assun- ção, com a desculpa de impe- dir que fossem atacados pela máfia paraguaia. Haveria dois escritórios da CIA em Assun- ção, um deles formado pela “banda podre”, e outro escritó- rio mais “diplomático”, isto é, não envolvido diretamente com o crime organizado. A derrubada do helicóptero que transportava Lino Oviedo no chaco paraguaio foi uma ex- plosão programada. Partes dos corpos dos ocupantes foram en- contradas há mais de 140 metros de distância do local da queda, revelando que houve sa- botagem, possivelmente reali- zada pela CIA, porque o gover- no norte-americano não tem in- teresse em eleger um presiden- te nacionalista para presidir o Paraguai, dentro de sua estra- tégia de fomentar conflitos en- tre os países latino-america- nos, tentando dividir o bloco Mercosul. Durante o governo do pre- sidente Luiz Gonzalez Macchi (1999-2003) houve uma tenta- tiva de vender a Binacional Itaipu para um grupo norte- americano ligado ao então pre- sidente George W. Bush. O projeto não prosperou porque o general Lino Oviedo e seus apoiadores impediram que fos- se levado à votação no Con- gresso. Entre as causas da morte do general Lino Oviedo está sua honra, coragem, nacionalismo à toda prova, que contrariava interesses poderosos em um país onde o crime organizado é muito forte, envolve grande parte dos políticos, e atua em conluio com a CIA.
  • 4. 4 Locais para doar sangue em Curitiba: Banco de Sangue do Hospital Erasto Gaertner - Rua Dr. Ovande do Amaral, 201, Jardim das Américas Funcionamento: segunda à sexta, das 13h às 17h30. Nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro, estará fechado. Hemepar - Travessa João Prosdócimo, 145, Alto da XV Funcionamento: das 7h30 às 18h30, de segunda a sexta-feira; sábado das 8 às 18 h. Informações: 0800-6454-555. Hemobanco - Rua Capitão Souza Franco, 290 - Informações: 3023-5545. Cerca de 6 mil agentes de seguran- ça pública, sendo 5,2 mil policiais mi- litares, participaram da segunda edição da “Operação Nhapecani”. As 6 horas da manhã desta quarta-feira 508 pon- tos de todo o Paraná começaram a so- frerbloqueios.Aaçãoécomandadapela Polícia Militar, com apoio da Polícia Civil, Polícia Federal, Polícia Rodovi- ária Federal, além de integrantes da Receita Federal e da Guarda Munici- pal. “Trata-se de uma coordenação de forças inédita, e que já deu certo. Ela deve acontecer constantemente, com o fechamento das principais vias de aces- so aos municípios e rodovias para coi- bir a criminalidade em geral. Trata-se de uma ação para ampliar a segurança do Paraná”, disse o comandante-geral da PM, coronel Roberson Luiz Bondaruk. Cerca de 1,5 mil viaturas estão sendo usadas na operação. Aincidênciadecrimesviolentoscon- tra a pessoa (homicídios, latrocínios e lesões corporais) e contra o patrimônio (furtos e roubos), tanto às residências contra o comércio, assim como os ca- sos de roubos e furtos em veículos de- vem ser reduzidos com esta ação. Poli- ciais estão fazendo batidas, abordagens e bloqueios, fiscalizando todos os tipos de veículos e estabelecimentos comer- ciais. Polícia reúne 6 mil agentes para fechar o cerco contra o crime no Paraná “Estes pontos são flexíveis para que os policiais circulem. Quando eles fi- cam num mesmo local, a ção perde a efetividade, uma vez que as pessoas podem evitar passar por ali”, disse o coronelVilmar Becker, subcomandante da PM. Somente em Curitiba, quase 100 pontos de blitz acon- tecerão ao longo de toda a operação. Para o supevisor operacionaldaPolícia Rodoviária Federal, Lyer Woczikosky, a integração das forças com a Polícia Judici- áriaémuitoimportan- te. “Quando todas as forças trabalham unidas, o resultado final é bem melhor e traz mais benefí- cios à população”, afirmou Woczikosky. “APolíciaCiviltambémestádesem- penhando policiamento ostensivo, mas principalmente os serviços judiciários. Além disso, os trabalhos de Poder Ju- diciário, cumprimento de mandados de prisões, buscas e apreensões no Paraná também estão sendo feitos. Mas o gran- de mote da mega-operação são as bar- reiras em todo o Estado”, comentou o porta-voz da operação da Polícia Ci- vil, Walter Baruffi Júnior. Os batalhões especializados da Po- lícia Militar também devem participar das ações, sendo eles: o Batalhão de Polícia Rodoviária, o Batalhão de Po- lícia Militar Ambiental, o Batalhão de Patrulha Escolar, o Batalhão de Polí- cia de Trânsito e o Regimento de Polí- cia Montada, que estão atuando em conformidade aos comandos regionais onde atuam. Além deles, participam o Batalhão de Operações Especiais, o Batalhão de Policia Guarda e o Batalhão de Polícia de Fronteira. Nhapecani - A operação, que esta na segunda edição, surgiu das reuniões periódicas com os setores de inteligên- cia em parceria com os órgãos partici- pantes. Outras edições da operação ocorrerão constantemente sem data es- pecífica ou horário determinado. A primeira edição da Nhapecani, feita em dezembro do ano passado, re- sultou na abordagem de 36 mil pessoas das quais 188 delas foram detidas ou apreendidas. As equipes vistoriaram 22,8 mil ve- ículos, sendo que 614 foram apreendi- dos ou recuperados. Cerca de 50 qui- los de maconha e 4.227 pedras de crack também foram encontrados. Trinta armas de fogo e 512 muni- ções, de diversos calibres, foram apre- endidas. Este resultado foi conquista- do em 42 horas de operação. Além de 31 Carteiras Nacionais de Habilitação (CNH) apreendidas, 3.427 multas por infração de trânsito foram expedidas. As equipes também vistoriaram 733 estabelecimentos. Os policiais militares apreenderam 5.447 objetos ilícitos ou de contrabando. Das ações, 31 resulta- ram em assinatura de Termo Circuns- tanciado.
  • 5. 5 Santa Maria: Que esse beijo mortal não se repita jamais “O nosso problema ali não foi um pro- blema de legislação, porque a legislação do município de Santa Maria era uma le- gislação muito forte, muito dura. Nós te- mos problemas de fiscalização, de cum- primento da legislação por parte dos do- nos da danceteria. Há um problema de fiscalização que precisará ser analisado no próximo período”. Marcos Maia, deputado gaúcho, pre- sidente da Câmara Federal Precisava do sacrifício de 231 jovens para constatar o óbvio? Ou ainda vão querer ceifar mais vidas até tomarem uma decisão decente no controle das arapucas que se espalham pela noite povoada de incautos? O que aconteceu em Santa Maria é o queolugarcomumconvencionouchamar de tragédia anunciada. Não seria a pri- meira por conta da negligência, da irresponsabilidade, da tolerância corrup- ta e do abuso das máfias tão poderosas que operam 90% das nossas casas no- turnassemalvará,segundodepoimentode Antônio Ramalho, presidente do Sindi- cato dos Trabalhadores na Construção Civil de São Paulo. E, infelizmente, pode não ser a últi- ma. Mesmo diante do torpor e da como- ção que transformou o dia de ontem no domingo mais traumático de nossa histó- ria, são poucas as administrações muni- cipais e estaduais que sinalizam provi- dências para evitar o repeteco do morticínio. Isso não teria acontecido se não houvesse cumplicidade Nenhumacasanoturnafuncionariaem condições tão afrontosas à segurança dos seus frequentadores se não rolasse um suspeita tolerância entre os vários órgãos fiscais, inclusive,entreosbombeiros,que insistem em falar que estava tudo nos conformes. Nesse caso, desde julho esta- va vencido o alvará de segurança e, mes- mo assim, a casa funcionou a mil, ante os olhares cúmplices e canalhas de quem ti- nha por obrigação interditá-la. Qualquer pessoa com o mínimo de sanidade sabe, aliás, que aquela casa com o sugestivo nome de “Kiss” jamais poderia ter funci- onado um só dia. A tendência, aliás, é persistir o qua- dro temerário, com algumas medidas ine- vitáveis, como a suspensão de espetácu- los de pirotecnia em ambientes fechados. Isso, porém, não quer dizer nada: no in- cêndio na boate República Cromagnon, de Buenos Aires, em 2004, que custou 194 vidas, foram jovens da platéia que dispararam morteiros para o alto. Por que se as autoridades agirem com seriedade, sobrarão muito poucas casas noturnas no país em condições de funci- onamento. E aí vai ter muita gente de rabo preso, muito mafioso ameaçando jogar seus “gibis” no ventilador. Na noite, é tênue e quase imperceptí- vel a fronteira entre o mundo das casas Tragédia da boate “Kiss” é fruto da omissão e cumplicidade das autoridades de segurança e fiscais legais e o submundo dos inferninhos e da indústria do jeitinho e da irresponsabilidade. O ponto comum en- tre ambos é a baixa qualidade do pessoal de segurança, contratado sem qualquer treinamento e a salvo do controle da po- lícia. Estimativas sugerem que cerca de 80% desses seguranças não se submetem aos cursos de 160 horas da Polícia Fe- deral e não são filiados ao sindicato da categoria, o que supõe o devido preparo. Tudo isso faz parte de um patético ambiente de tolerância comprada e corrupção institucionalizada. Para os agentes públicos corruptos, a noite é o filé mignon do propinoduto mundial. É nela que transitam, impávidos, os ele- mentos mais inescrupulosos da escória, onde o dinheiro corre fácil, e onde se mercadejam as prendas mais degenera- das que seduzem o instinto humano. Leis omissas e projetos congelados Leis há, projetos também. Desde 2007 dormita no gaveteiro da Câmara Federal o Projeto de Lei 2020-B, da de- putada paraense Elcione Barbalho. Não é uma obra prima, mais já atualiza a le- gislação com exigências óbvias, mas omitidas nas legislações municipais. Já tem parecer do relatorArtur Maia, no entanto, não sai do lugar. Por que? Teria a deputada recuado em função de algum “lobbie” desses que têm o poder irrecusável de mudar as posturas dos nos- sos parlamentares? Ou seria a obstrução da turma da pecúnia que domina a Câ- mara Federal? Das autoridades, espera-se mais do que lágrimas A presidenta e o governador têm de agir exemplarmente Nisso tudo há um componente cultu- ral cada vez mais saliente: a alienação alimenta a desinformação e cristaliza a miopia. As pessoas estão viciadas em só tratarem daquilo que lhe diz respeito de perto, diretamente, ao palmo do nariz. Não estão nem aí para o que acomete os outros, mesmos nas adjacências, fiel a primado de que cada qual cuide de si, como se a elas não pudesse acontecer o mesmo. Essa alienação acovarda e acomoda. Muitas vezes você vê a coisa errada, mas evita “arranjar problema”. No caso das casas noturnas, quantas vezes vemos a falta de segurança e o mais que fazemos é decidir não mais voltar a tal arapuca? A tragédia de Santa Maria da Boca do Mato tem componentes muito graves e muito comuns a outras cidades para ser encarada apenas com um banho de lágri- mas. Lágrima, aliás, não é o que se espe- ra apenas de uma chefa de Estado. De- cretação de luto é muito fácil, não afeta interesses poderosos e violentos. Impõe- se, sim, ações concretas, exemplares. Responsabilizar quem tem respon- sabilidade Não adianta prender os guris fandangueiros e os donos da boate. É pre- ciso ir fundo e apontar com coragem a omissão e a cumplicidade das autorida- des da área. Se elas tivessem cumprido seu dever, talvez não estivéssemos dian- te desse luto nacional. Além disso, a perda de tantas vidas na flor da idade é um safanão em toda a sociedade e não apenas nas autoridades. Causou sofrimentos profundos e perma- nentes aos seus parentes queridos, seus pais, irmãos e amigos. Mas também vai deixar uma ferida aberta na alma de to- dos os que tiverem o mínimo de humani- dade em seus corações. Por muito tempo, um longo e tempes- tuoso tempo, os brasileiros vão conser- var em suas lembranças as imagens trá- gicas da fornalha tóxica em que se con- verteu uma casa de show pelo uso irres- ponsável de sinalizador pirotécnico, pela existência de uma danceteria sem saídas alternativas de emergência, pela falta de treinamento dos seus seguranças e, o que é mais grave, pela cumplicidade compra- da das autoridades. A morte desses gauchinhos bonitos e cheios de futuro é como se fosse a morte dos nossos próprios filhos. . Quem não tem esse sentimento, não tem grandeza, não se libertou dos grilhões mesquinhos da vida ensimesmada. Com os filhos caçulas na faixa de ida- de desses jovens imolados, quando a vida verte caudalosa por todas as veias, de- claro minha mais profunda indignação. Eminhavontadepétreadecontribuircom minha palavra e minhas denúncias para que tragédias tão dolorosas não se repi- tam jamais. Autor: Pedro Porfírio em seu blog
  • 6. 6
  • 7. 7 Mais um ano aconteceu no Centro Histórico de Curitiba, com aproximadamente 12mil foliões em caranaval “fora de época” dançam e brincam, tradicionalmente nestes 4 domingos que antecedem o carnaval, ao som de marchinhas de carnaval cantadas pelo bloco Garibaldis e Sacis. Com o desfile, está aberta a temporada pré- carnaval da cidade. Até mesmo o prefeiro Gustavo Fruet esteve na concentração do bloco,na praça 19 de Dezembro,onde desmonstrou paoio e totós para que tudo ocorresse bem; sento evitados incidentes como os que acoanteram ano passado,quando a polícia entro em confronto com foliões que brincavam no bloco carnavalesco. Para aqueles que não existe carnaval em Curitiba e que os curitibanos não tem samba no pé, está totalmente equivocado! Há 14 anos, nos quatro domingos que antecedem o carnaval os foliões do Garibaldis e Sacis colocam o bloco na rua e fazem uma verdadeira festa popular no Largo da Ordem! A festa começa por Bloco Garibaldis e Sacis desfilam nos bairros de Curitiba pela primeira vez volta das 16hs e se estende até a noite. Ordem: a Sociedade Garibaldi e o Bar do Saci e de acordo com estimativas dos organizadores, o grupo já reuniu cerca de 5 mil pessoas em um único dia. A cada fim de semana há um enredo diferente, variando de Garibaldis vão à praia até inversão dos gêneros, em que os homens de fantasiam de mulheres e vice- versa. O Garibaldis e Sacis começaram em 1998, com uma reunião de um grupo de meia dúzia de amigos que queriam animar o carnaval da cidade e acabar com o mito de que Curitiba não tem carnaval. A idéia deu tão certo que hoje já se tornou uma tradição e o bloco Garibaldis e Sacis é considerado o melhor bloco pré-carnavalesco do Sul do país! O que mais agrada os foliões é o clima de alegria, empolgação e a família na brincadeira. Boa parte das marchinhas cantadas pelos Garibaldis e Sacis em cima do minitrio elétrico que percorre o Largo da Ordem são composições próprias e lembram os antigos carnavais! Um pouco diferente da aglomeração que forma junto ao bloco no Largo, boa parte do público do Sítio Cercado aguarda neste dia 03 o desfile que acontecerá na rua São José dos Pinhais entre no cruzamento com a Rua Nova Aurora. De lá, o bloco seguirá até a Rua Doutor Lauro Gentio Portugal Tavares. Para Gladimir Nascimento, novo secretário de Comunicação Social da Prefeitura de Curitiba e que estará acompanhando o pré- carnaval no Sítio Cercado, “a festa destes dias e dos anos anteriores, tem marcado o calendário da cidade, derruba a pauta de que não existe carnaval em Curitiba”. Bar do Dudu, ambiente familiar e aconchegante Bar do Ivo ou como é mais conhecido, “Bar do Dudu” vem sendo um point reconhecido na região norte de Curitiba. Pensando em reunir amigos e as famílias ao redor e dos Conjuntos de Moradores Cassiopéia, Ivo Barros de Assunção sentiu a necessidade de seus clientes terem um espaço adequado e melhor, e com este objetivo expandiu o atendimento. Em junho de 2010 ofereceu mais acomodações para seus clientes assistirem aos eventos esportivos pela televisão, além de servir várias opções de lanches, petiscos e porções. Com uma equipe comprometida e dedicada, das 8 as 24 horas de segunda a segunda. Atualmente serve Petiscos e Porções de Alcatra com fritas, batata com bacon,aipin,Tulipa,coxinha de frango,frios ,Lanche:Cheese Salada Cheeese tudo,dentre outros.Aos domingos serve almoço com Picanha e de Alcatra. Para este ano, breve estará oferecendo aos Sábados: Feijoada, dobradinha, pão com pernil. Breve também o serviço de entrega em domicílios. No ano 2012 criou o tema festivo: ‘’Músicas dos anos 80" e neste ano,”Tarde do Samba” onde os amigos se confraternizaram. Dudu Comércio de Bebidas Atende também com entrega de água e gás Rua Antônio Lago, 208, loja 01 e 02 - Boa Vista. Telefones: 3053-2400, 3257-7818, 9679-4442 (Jaja) 9857-4515 (Ivo)
  • 8. 8 A busca por terapia em consultórios de Psicologia está sendo cada vez mais comum e menos preconceituosa. Isso porque as pessoas querem maior qualidade de vida, tanto no plano individual, quanto nas relações familiares, conjugais, fraternais, profissionais e em todos os outros aspectos. Existem diversas teorias que embasam os terapeutas nos atendimentos dentro dos consultórios. A Psicologia Relacional Sistêmica não considera o seu cliente isolado, mas sim, sempre dentro de um contexto, onde ele cria laços, adquire características, heranças, vícios, crenças, hábitos, valores, que vieram da sua família de origem, de onde foram criados e que influenciam na sua maneira de levar a vida. É a partir dessa percepção que o terapeuta vai iniciar o processo terapêutico, focando Burger King: hambúrgueres contaminados com carne de cavalo Rede mundial de lanchone- tes Burger King admite con- taminação de hambúrgueres com carne de cavalo A famosa rede de fast-food Burger King afirmou, nesta últi- ma quinta-feira, que foram en- contrados vestígios de carne de cavalo em alguns de seus ham- búrgueres. Na declaração, a empresa explica que as amos- tras foram coletadas nas carnes processadas pelo frigorífico Silvercrest, na Irlanda. “Os resultados de nossos testes de DNA independentes dos produtos retirados dos res- taurantes foram negativos para DNA equino. Mas quatro amos- tras recolhidas recentemente da fábrica de Silvercrest mostra- ram a presença de níveis muito pequenos de DNA equino”, in- formou a empresa no comuni- cado. A nota ainda conta com a in- formação do rompimento do vínculo entre o Burger King e o frigorífico devido ao caso. “Den- tro de 36 horas, estabelecemos que a Silvercrest usou uma pe- quena porcentagem de carne importada de um fornecedor não aprovado na Polônia. Eles prometeram entregar hambúr- gueres de carne 100% britâni- ca e irlandesa e não cumpriram. Este é um desrespeito claro às nossas especificações e encer- ramos nossa relação com eles”, diz. No mês passado, foi consta- tada a presença de carna de equinos e suínos em hambúr- gueres vendidos nos mercados da Irlanda e do Reino Unido. A descoberta foi feita por centros de saúde da Irlanda. Foram ve- rificados 27 produtos diferentes e constatados que dez deles possuíam DNA de cavalos, en- quanto outros 23 continham DNA de porcos. Apesar da mis- tura de carnes, o consumo des- tes alimentos não faz mal à saú- de, de acordo com especialis- tas. Em entrevista ao jornal “The Guardian”, um representante da empresa de fast-food disse que a companhia está muito inco- modada com a descoberta e de- verá aumentar os procedimen- tos de controle da qualidade dos alimentos. “Vamos nos dedicar a determinar quais as lições que podem ser aprendidas e quais as medidas adicionais, incluin- do testes de DNA e maiores controles de origem que pode- rão ser acrescentados”, afir- mou. Fonte: Blog Pragmatismo Político A terapia é para todos! na responsabilidade do seu cliente em assumir suas escolhas para que com isso desenvolvam as mudanças necessárias. Na terapia Relacional Sistêmica, o atendimento pode ser individual, para a família, em grupo ou de casal. A proposta básica é fazer os clientes perceberem como funcionam no que embasam suas atitudes, o que precisam aprender, e como fazer essas mudanças e aprendizagens. O processo geralmente é muito rápido, e o terapeuta é capaz de estipular um prazo para a finalização da terapia. Em qualquer momento da vida é importante iniciar o processo terapêutico, mas principalmente nos primeiros meses do ano, por ser o período onde as pessoas estão com mais vontade e fazem mais planos de mudanças. E mais, o processo pode ser concluído ainda mais rapidamente. A terapia é para todos! Alessandra C. B. Dorigo Psicoterapeuta com especialização em Terapia Relacional Sistêmica CRP 08/13603 Contato: (41) 9626 – 6689 Rua Santa Catarina, 65 sala 513B Água Verde – Curitiba - PR
  • 9. 9 Pierogi é um tipo de pastel cozido originário da Polônia e oeste da Ucrânia, onde é chamado Perohe. Pierogi (também escrito perogi, pierogy, perogy, pierógi, pyrohy, pirogi, ou pyrogy; forma diminutiva: piero¿ki) são tortas de massa primeiro cozidas, e então assadas ou fritas normalmente na manteiga com cebolas, tradicionalmente recheado com batata, chucrute, carne moída, queijo ou frutas. Proveniente do centro e do leste europeu, eles têm formato normalmente semicircular, mas em algumas culturas podem ser retangulares ou triangulares. A palavra polonesa pierogi está no plural; a forma singular pieróg(Pierogue) é raramente utilizada, já que tipicamente a porção individual consiste em vários pieróg. Pierogi são pequenos o bastante para serem servidos em unidade ou em grande quantidade de uma vez, então a forma plural é a mais comum quando se trata deste prato.Apalavra polonesa, pierogi esta plural, tendo pieróg como singular. Na República Checa e Eslováquia pirohy é a forma plural, piroh sendo singular. Na Alemanha, esta comida é chamada Pirogge no singular e Piroggen no plural, contanto, o nome polonês Pierogi (Pierogue) também é utilizado. Ingredientes Pierogi pode ser recheado (exclusivamente ou em várias combinações) com purê de batatas, queijo, repolho, Chucrute carne, cogumelos, espinafre, ou outros ingredientes dependendo da preferência. Pierogi podem ser servidos em forma de sobremesa com o recheio de frutas frescas, como cereja, morango, pêssego, A ORIGEM PIEROGUE ameixa ou maçã; ameixa seca também é utilizada. Para um sabor melhor, creme de leite pode ser adicionado à mistura. O recheio mais popular na cozinha polonesa é de purê de batatas com requeijão(ricota) e cebola frita. Um recheio popular para pierogi no Canadá é purê de batata com queijo Cheddar. Preparo A massa, que é feita simplesmente misturando farinha e água morna, é esticada e então cortada em pequenos círculos utilizando um copo. O recheio é posicionado no centro do círculo e a massa é dobrada sobre o recheio formando um semi-círculo. Os pierogi são cozidos até que eles flutuem depois escoados, e algumas vezes frito ou assado na manteiga antes de serem servidos. O prato pode ser servido com manteiga derretida, creme de leite ou servido com pequenos pedaços de bacon frito, cebolas e também cogumelos. A variação doce pode ser servida com calda de maçã. O pierogi é bastante conhecido em regiões do Sul do Brasil colonizadas por imigrantes polacos e ucranianos , onde pode ser encontrado na mesa dos milhares de descendentes de eslavos , em restaurantes típicos, e mesmo em barracas nas feiras de rua de Curitiba e em diversos municípios do Paraná e Rio Grande do Sul: Ponta Grossa, Prudentópolis, Araucária, Contenda, Ariranha do Ivaí, Mallet, São João do Triunfo, São Mateus do Sul, União da Vitória, RioAzul, Rio Negro, Tijucas do Sul, entre outros. Brasilianas Massas Rua Padre João Wislinski,567 – Sant Cândida – done 3151-4401 Tenha a farinha de berinjela como aliado em sua dieta. Um estudo recente da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) mostrou que mulheres que consumiram esse alimento tiveram redução na gordura abdominal. A explicação é simples. “A farinha apresentou bons resultados em função de sua maior concentração de fibras”, afirma a nutricionista Glorimar Rosa, coordenadora da pesquisa A farinha de berinjela possui 40% de fibras em sua composição. Elas geram saciedade, diminuindo a fome e evitando a compulsão alimentar. Também ajudam a diminuir os índices de colesterol, triglicérides e de ácido úrico no sangue (que causa inflamações, como a gota). O produto, no entanto, peca por conter menos vitaminas e pela maior concentração de sódio comparada ao legume in Farinha de berinjela ajuda a reduzir a gordura abdominal natura. Mas isso não é um grande problema. Essa quantidade ainda é bem mais baixa do que a oferecida em qualquer pacote de salgadinho. Assim ela está liberada para hipertensos. A única ressalva é que, após a ingestão da farinha, há o aumento dos radicais livres no organismo – aquelas substâncias que destroem as células do corpo e aceleram o envelhecimento. Por esse motivo, os especialistas recomendam consumir, logo depois, uma fruta cítrica, rica em vitamina C (como laranja, limão, acerola, kiwi). Esse nutriente neutraliza o efeito destrutivo dessas moléculas oxidantes. Assim, evita o problema. Quer aprender a fazer a farinha em casa? A nutricionista Mauara Scorsatto, coautora da pesquisa, ensina a receita “Primeiro, lave bem a berinjela, pique em pedaços pequenos e coloque em um tabuleiro. Depois asse por aproximadamente 2 horas. Espere esfriar e bata no liquidificador ou processador”. Pronto! Agora é só consumir. Mas , você pode conseguir pronta nas casas de produtos naturais. Flor de Laranjeiras Produtos Naturais Rua Guilherme Weigert , 1046 Santa Cândida Telefone 3357-1428
  • 10. 10 Marido de aluguel Pequenos reparos em eletricidade, hidráulica básica e pinturas Consulte 8457-6128 Oswaldo Nunes Bissoli, 37 anos, comerciante e persona non grata na Família Oliveira Lafaiette. O estopim para o ódio se deu a partir da revelação que genro e sogro mantinham relações íntimas em segredo e desejam tornar público o amor que compartilhavam. Antonio Novaes Lafaiette, 60 anos, bancário e pai de três filhas surpreendeu amigos e familiares ao abandonar o lar onde viveu por 32 anos para viver com Oswaldo este amor ‘proibido’. Natália Oliveira Lafaiette, 59 anos, aposentada e abandonada está à base de ansiolíticos desde que soube do fato. As famílias que moram no município de Vila Velha no Espírito Santo nunca suspeitaram que a amizade entre genro e sogro transcendesse os limites fraternais. Ambos durante anos Homem troca a mulher pelo sogro em Vila Velha cultuavam o hábito de pescar e por isso viajavam pelos recantos mais belos do Brasil em busca de rios em que pudessem colocar suas varas. A impactante descoberta se deu quando Oswaldo pediu para seu cunhado A.O.L. 17 anos formatasse seu computador. Curioso o jovem decidiu “conhecer melhor” o computador antes de realizar o serviço. Neste momento ele se depara com uma pasta repleta de fotos íntimas do sigiloso casal. Karina Oliveira Lafaiette 35 anos, professora e esposa traída, num momento de fúria decidiu enviar as fotos íntimas deles para amigos e familiares do casal e hoje responde a um processo por violação de privacidade. Quem viu as fotos diz que o comerciante possuía uma ‘pequena empresa’ enquanto o seu sogro era detentor de um ‘grande negócio’. Ex-presidente dos EUA denuncia: atual governo é terrorista Revelações de que altos funcionários do governo dos Estados Unidos decidem quem será assassinado em países distantes, inclusi- ve cidadãos norte-americanos, são a prova ape- nas mais recente, e muito perturbadora, de como se ampliou a lista das violações de direi- tos humanos cometidas pelos EUA. Esse desenvolvimento começou depois dos ataques terroristas de 11/9/2001; e tem sido autorizado, em escala crescente, por atos do executivo e do legislativo norte-americanos, dos dois partidos, sem que se ouça protesto popu- lar. Resultado disso, os EUA já não podem fa- lar, com autoridade moral, sobre esses temas cruciais. Por mais que os EUA tenham cometido er- ros no passado, o crescente abuso contra di- reitos humanos na última década é dramatica- mente diferente de tudo que algum dia se viu. Sob liderança dos EUA, a Declaração Univer- sal dos Direitos do Homem foi adotada em 1948, como “fundamento da liberdade, justiça e paz no mundo”. Foi compromisso claro e firme, com a ideia de que o poder não mais serviria para acobertar a opressão ou a agressão a seres humanos. Aquele compromisso fixava direitos iguais para todos, à vida, à liberdade, à segu- rança pessoal, igual proteção legal e liberdade para todos, com o fim da tortura, da detenção arbitrária e do exílio forçado. Aquela Declaração tem sido invocada por ativistas dos direitos humanos e da comunida- de internacional, para trocar, em todo o mundo, ditaduras por governos democráticos, e para promover o império da lei nos assuntos domés- ticos e globais. É gravemente preocupante que, em vez de fortalecer esses princípios, as políti- cas de contraterrorismo dos EUA vivam hoje de claramente violar, pelo menos, 10 dos 30 arti- gos daquela Declaração, inclusive a proibição de qualquer prática de “castigo cruel, desuma- no ou tratamento degradante.” Legislação recente legalizou o direito do presidente dos EUA, para manter pessoas sob detenção sem fim, no caso de haver suspeita de ligação com organizações terroristas ou “for- ças associadas” fora do território dos EUA – um poder mal delimitado que pode facilmente ser usado para finalidades autoritárias, sem qual- quer possibilidade de fiscalização pelas cortes de justiça ou pelo Congresso (a aplicação da lei está hoje bloqueada, suspensa por senten- ça de um(a) juiz(a) federal). Essa lei agride o direito à livre manifestação e o direito à presun- ção de inocência, sempre que não houver cri- me e criminoso determinados por sentença ju- dicial – mais dois direitos protegidos pela De- claração Universal dos Direitos do Homem, aí pisoteados pelos EUA. Além de cidadãos dos EUA assassinados em terra estrangeira ou tornados alvos de de- tenção sem prazo e sem acusação clara, leis mais recentes suspenderam as restrições da Foreign Intelligence Surveillance Act, de 1978, para admitir violação sem precedentes de di- reitos de privacidade, legalizando a prática de gravações clandestinas e de invasão das co- municações eletrônicas dos cidadãos, sem mandato. Outras leis autorizam a prender indi- víduos pela aparência, modo de trajar, locais de culto e grupos de convivência social. Além da regra arbitrária e criminosa, segun- do a qual qualquer pessoa assassinada por aviões-robôs comandados à distância (drones) por pilotos do exército dos EUA é automatica- mente declarada inimigo terrorista, os EUA já consideram normais e inevitáveis também as mortes que ocorram ‘em torno’ do ‘alvo’, mulhe- res e crianças inocentes, em muitos casos. De- pois de mais de 30 ataques aéreos contra resi- dências de civis, esse ano, no Afeganistão, o presidente Hamid Karzai exigiu o fim desse tipo de ataque. Mas os ataques prosseguem em áreas do Paquistão, da Somália e do Iêmen, que sequer são zonas oficiais de guerra. Os EUA nem sabem dizer quantas centenas de ci- vis inocentes foram assassinados nesses ata- ques – todos eles aprovados e autorizados pe- las mais altas autoridades do governo federal em Washington. Todos esses crimes seriam impensáveis há apenas alguns anos. Essas políticas têm efeito evidente e grave sobre a política exterior dos EUA. Altos funcio- nários da inteligência e oficiais militares, além de defensores dos direitos das vítimas nas áre- as alvos, afirmam que a violenta escalada no uso dos drones como armas de guerra está em- purrando famílias inteiras na direção das orga- nizações terroristas; enfurece a população civil contra os EUA e os norte-americanos; e autori- za governos antidemocráticos, em todo o mun- do, a usar os EUA como exemplo de nação vio- lenta e agressora. Simultaneamente, vivem hoje 169 prisionei- ros na prisão norte-americana de Guantánamo, em Cuba. Metade desses prisioneiros já foram considerados livres de qualquer suspeita e po- deriam deixar a prisão. Mas nada autoriza a esperar que consigam sair vivos de lá. Autori- dades do governo dos EUA revelaram que, para arrancar confissões de suspeitos, vários prisio- neiros foram torturados por torturadores a ser- viço do governo dos EUA, submetidos a simu- lação de afogamento mais de 100 vezes; ou intimidados sob a mira de armas semiautomáticas, furadeiras elétricas e amea- ças (quando não muito mais do que apenas ameaças) de violação sexual de esposas, mães e filhas. Espantosamente, nenhuma dessas vi- olências podem ser usadas pela defesa dos acusados, porque o governo dos EUA alega que são práticas autorizadas por alguma espécie de ‘lei secreta’ indispensável para preservar algu- ma “segurança nacional”. Muitos desses prisioneiros – mantidos em Guantánamo como, noutros tempos, outros ino- centes também foram mantidos em campos de concentração de prisioneiros na Europa – não têm qualquer esperança de algum dia recebe- rem julgamento justo nem, sequer, de virem a saber de que crimes são acusados. Em tempos nos quais o mundo é varrido por revoluções e levantes populares, os EUA deveriam estar lutando para fortalecer, não para enfraquecer cada dia mais, os direitos que a lei existe para garantir a homens e mulheres e to- dos os princípios da justiça listados na Decla- ração Universal dos Direitos do Homem. Em vez de garantir um mundo mais seguro, a repetida violação de direitos humanos, pelo governo dos EUA e seus agentes em todo o mundo, só faz afastar dos EUA seus aliados tradicionais; e une, contra os EUA, inimigos históricos. Como cidadãos norte-americanos preocu- pados, temos de convencer Washington a mu- dar de curso, para recuperar a liderança moral que nos orgulhamos de ter, no campo dos di- reitos humanos. Os EUA não foram o que fo- ram por terem ajudado a apagar as leis que pre- servam direitos humanos essenciais. Fomos o que fomos, porque, então, andávamos na dire- ção exatamente oposta à que hoje trilhamos. *Jimmy Carter é Prêmio Nobel e ex-pre- sidente dos EUA. Matéria publicada no New York Times ANUNCIE AQUI 8433.7462 QUEM ANUNCIA, VENDE MAIS!
  • 11. 11 Mulher desconfiada Apesar de viverem na abundância, as coisas não corriam bem entre o marido e sua jovem mulher. Na verdade, ela estava convencida de que ele andava metido com a bonita empregada da casa. Então resolveu preparar uma armadilha pra pegar o marido no flagra. Dispensou a empregada no fim de semana e não contou ao marido. A noite, quando iam pra cama, o marido contou a mesma velha história: - Desculpe, minha querida, mas estou mal do me u estomago outra vez. Vou tomar um ar e já volto. Ele então rumou em direção ao banheiro. A mulher saiu rápido pelo corredor, subiu as escadas e deitou-se na cama da empregada. Mal ela tinha apagado a luz, veio ele, em silêncio. E , sem perda de tempo, saltou para a cama e fez amor com ela com toda a fogosidade. Ambos gemiam de prazer. Quando terminaram, a mulher disse, ainda ofegante: - Você não esperava me encontrar nesta cama, não é querido? E ligou a luz. - Sinceramente, não, minha senhora, disse o jardineiro. -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- O detetive presta contas à cliente: - Ontem eu segui o seu marido e ele foi primeiro a um restaurante, depois entrou numa loja, passou num salão de beleza, depois foi a um Shopping, em seguida foi numa casa de Chá, depois foi numa Casa de Jogo de Bingo, foi numa boate e depois para um motel… - Mais que cafajeste! – protesta a mulher. – Eu mato esse desgraçado! Me diga em detalhes o que ele fez em cada um destes lugares… - Bem… não fez nada! Acho que só estava seguindo a senhora! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Morre o homem e, não demora muito, a viúva também vai para o céu. Chegando no paraíso, ela encontra o marido. - Querido! Querido! ? diz ela, abraçando o ex - Que bom te encontrar aqui! Agora nós vamos ficar juntos pra sempre! - Opa, opa! Peraí… O trato foi: “Até que a morte nos separe”! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- No médico a mulher reclama: - Doutor, quando eu era solteira tive que fazer 4 abortos! Agora que casei, tô doida pra ter um filho e não consigo engravidar! - É muito simples! – responde o médico. - Então me fala, Doutor! - Você não está conseguindo reproduzir em cativeiro! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- A garota recebe um convite para sair e fica toda animada. Quando ela retorna a mãe pergunta. E aí filha, como foi seu encontro? - Ah, mãe. Eu gostei, mas achei ele muito apressado. Imagina que logo que chegamos no cinema ele me pediu um beijo. A mãe, espantada pergunta: - No duro? A garota responde: - Não, mamãe, na boca! Como o palhaço sai do motel? R. Todo gozadinho. E a patricinha? R. Toda metidinha! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Dois amigos conversam no bar: - Quer dizer que você brigou de novo com a sua mulher? - Foi… Mas dessa vez ela terminou no chão, de quatro! - É mesmo? – pergunta o amigo, surpreso – Quem diria, hein! Pelo jeito as coisas mudaram… Mas conta aí essa história direito! - Ah, eu falei umas verdades e ela veio correndo atrás de mim! Aí eu entrei no quarto, ela ficou de quatro e falou: “Saia já debaixo dessa cama, seu covarde!” -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Os dois amigos conversam no boteco: - Minha mulher me trata como um cachor- ro! – um deles reclama. - E como você reage? – o amigo pergunta. - Eu a trato como um poste! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Assim que nasceu o seu décimo filho, o sujeito jurou para o seu melhor amigo que se a sua mulher tornasse a engravidar ele se enforcaria. Um ano depois, o amigo vai visitá-lo e vê a mulher do cara com um barrigão enorme. - Ué… você não disse que se a sua mulher voltasse a engravidar, você se enforcaria? Resolveu quebrar a sua promessa? - De jeito nenhum! Tanto estava eu decidido a cumpri-la que cheguei até a comprar alguns metros de corda, mas… - Mas o quê? - Aí eu pensei comigo mesmo: “Será que não estou enforcando o homem errado?” -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Dois sujeitos se encontram no bar. - Por que essa cara de enterro, rapaz? – pergunta o primeiro. - Ih, rapaz! Briguei com a minha mulher e ela jurou ficar sem conversar comigo durante um mês inteiro. - Agora eu entendo por que você está tão triste! - É que o prazo acaba hoje! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Depois de certo tempo de namoro, o casal vai pro motel para a tão esperada primeira vez. Aí a moça diz: - Olha, você deve estar fazendo uma idéia errada, eu não sou desse tipo. - Não esquenta, nunca pensei mal de você. - Vou te confessar uma coisa… sabe que você é o primeiro? - Primeiro a transar? - Não, o primeiro a não pensar mal de mim! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- A mulher se queixava, quase em prantos, à sua empregada: - Oh, Maria, acho que meu marido está me enganando com a secretária! - Não acredito! A senhora está dizendo isso pra me deixar com ciúmes. -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- E tem aquela daquele solteirão, cansado de viver sozinho, que colocou um anúncio na seção de classificados do jornal de maior circulação da cidade: “Procura-se uma Esposa”, era o título. Durante a semana, ele recebeu mais de uma centena de cartas. Mas, para a sua decepção, eram todas de homens e diziam a mesma coisa: “Pode ficar com a minha”. Helena e Gilda, duas solteironas, são donas de uma farmácia. Entra um homem e pede uma camisinha. Helena atende e traz a camisinha. - É pequena! - reclama o freguês. E Helena traz uma maior: - Ainda é pequena. E Helena pega a maior do estoque. - Desculpe, mas tem de ser maior. Helena grita pra Gilda, que está no estoque da farmácia: - Ó, Giiiiiiiiirrda! Tem um homem aqui que precisa de uma camisinha maior que a XXL! O que é que eu ofereço a ele? - Casa, comida, roupa lavada e sociedade na farmácia!
  • 12. 12 A segurança preventiva dos condomínios está diretamente ligada à mudança de hábitos de todos, desde síndicos, moradores e funcionários, informa Diógenes Coldri especialista em segurança coletiva, que levantou os dez principais erros de comportamento que devem ser evitados para não expor os moradores de edifícios a riscos desnecessários. Como em família existem as regras de convivência; descumprir as próprias normas estabelecidas pelo condomínio é a primeira atitude a ser banida, com multas se necessário, pois desestrutura qualquer sistema de segurança. Outro erro muito comum é em relação ao controle de acesso dos automóveis e motos “O profissional de portaria deve identificar o veículo e principalmente quem está dentro do veículo. E, na dúvida, não abrir o portão”, afirma Diogenes Coldri. Por vezes os condôminos não se preocupam em observar o movimento das áreas internas do condomínio pelo circuito de TV, comprometendo todo o investimento em equipamentos de segurança. Além disso, é comum que as pessoas, ao chegar próximo do edifício esquecer de verificar se há estranhos nas imediações ou mesmo se os funcionários de vigilância e portaria estão devidamente posicionados. Outro equívoco básico é o Segurança nos condomínios, melhor quando compartilhado morador entrar no condomínio juntamente com visitantes.As visitas devem passar sempre por um sistema de identificação, por mais incômodo que esse procedimento possa parecer, diz, Coldri. E o condômino jamais deve pedir ao porteiro que permita a entrada de alguém que ainda não tenha de fato chegado.Avisita deve ser anunciada ao morador na hora - embora um tanto difícil quando não há em funcio- namento o aparelho de interfonar. Porteiros não devem deixar, nunca, seu posto, ainda quer por poucos minutos, sem nenhuma cobertura. Nesse c a s o , d e v e - s e chamar outro profissional – faxineiro ou zelador – para ficar na guarita. A presença de equipamentos como rádio e TV nas portarias também é incorreta, pois pode tirar a atenção do profissional.Apenas um monitor com imagens do circuito de câmeras deve ser mantido. Deixar as chaves do apartamento ou do carro na portaria e repreender funcionários que causem algum transtorno justamente por cumprir as normas de segurança do condomínio são outras práticas que devem ser abolidas. Por: Diógenes Coldri e Adilson Moreira A D M I N I S T R A Ç Ã O 1 Assembleia - O síndico deve programar uma pauta objetiva e deixar os assuntos gerais para serem discutidos somente no final da assembleia. 2 Conselho - Mantenha o Conselho informado sobre os balancetes e convoque-o sempre que tiver uma decisão importante para tomar 3 Previsão orçamentária. - Ao fazer a previsão orçamentária, não se esquecer de levar em conta a inflação do ano e o reajuste salarial dos funcionários. 4 Nota fiscal - Sempre peça nota fiscal ou recibo para provar a aquisição de produtos e serviços e poder elaborar corretamente a prestação de contas. 5 Produtos e serviços - Ao contratar uma prestadora de serviço ou comprar um produto, atenha-se ao preço, mas principalmente à qualidade 6 Administradora e síndico profissional - Podem trazer suporte ao síndico na administração do prédio e ser uma saída para quando ninguém quer assumir o cargo. “É necessário verificar a idoneidade da empresa contratada e a satisfação de outros clientes”. 7 Prestação de contas - A prestação de contas anual é obrigatória por lei e importante para mostrar a transparência da gestão. 8 Cotas extras - Para evitar as cotas extras próximo ao Natal para o pagamento de 13º salário, o condomínio pode fazer o parcelamento do valor e inserir na taxa condominial durante o ano. 9 Orçamento - Na contratação de produtos e serviços, peça pelo menos orçamentos de três empresas. 10 Fundo de Reserva - O Fundo de Reserva serve para cobrir emergências e não deixar o caixa no vermelho. O percentual destinado deve ser estipulado pela convenção. 11 Inadimplência - A inadimplência atrapalha a gestão do síndico e onera o condômino que quita a taxa em dia. Encontre soluções firmes para combatê-la. 12 Seguros - Exija sempre uma cópia da proposta de seguro contratado e confira com a apólice. Negocie seguros e faça orçamentos. Dicas para um condomínio eficiente