GAZETA SANTA CÂNDIDA ABRIL 2013

505 visualizações

Publicada em

Jornal com circulação mensal e edições extra

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
505
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

GAZETA SANTA CÂNDIDA ABRIL 2013

  1. 1. 2 Mutirão oferecerá serviços nas áreas jurídica, saúde, beleza e de lazer. Representantes da Prefeitura de Colombo e do Governo do Estado estiveram reunidos nesta terça-fei- ra na Regional Maracanã, para dis- cutir os preparativos da realização de mais uma edição do Programa “Mutirão da Cidadania – Paraná em Ação”, previsto para acontecer no município nos dias 18 e 19 do pró- ximo mês de maio. O objetivo é oferecer vários ser- viços sociais gratuitos à comunida- de, que abranjam as seguintes áre- as: jurídica, saúde, beleza e lazer. Os organizadores definirão, nos próxi- mos dias, o melhor local para ser realizado o evento que irá mobili- zar os setores da Prefeitura como também do Governo do Estado. MUTIRÃO DA CIDADANIA DO MUNICÍPIO DE COLOMBO Evento acontecerá nos dias 18 e 19 de maio. Comunidade terá vários serviços sociais gratuitos em um só local. O Programa “Paraná em Ação”, é realizado em local estratégico, em formato de feira itinerante, onde a população encontra serviços essen- ciais em um só local. Entre eles, con- fecção de documentos, casamento coletivo, exames médicos, nutricionais, serviços judiciários, estética, orientações na área da saú- de, além de recreação cultural. Paraná em Ação O programa “Paraná em Ação” se tornou um referencial no Estado e transformou-se na lei 16 583, de 29 de setembro de 2010. O princi- pal argumento para efetivar o Pro- grama foi o interesse em promover, junto com diversos segmentos da sociedade, oportunidades que tra- tam dos direitos básicos do cidadão. O evento percorre todo o Esta- do do Paraná em parceria com o Poder Judiciário, Prefeituras e a Sociedade Civil organizada. “Nos- sa principal intenção é resgatar a cidadania, oferecer, principalmente para as pessoas mais carentes, opor- tunidades de atendimentos básicos com qualidade. Tudo, em um só lu- gar, para facilitar a vida da nossa comunidade”, relata a secretária de Ação Social e Trabalho, Maria da Silva Souza. É realizado todo quarto sábado do mês a partir das 14 horas na Paróquia Nossa Senhora de Nazaré. Bazar de Usados e Fei- ra de Artesanato com a tarde do pastel. Pessoas interessadas em participar com venda de produtos usados ou ar- BAZAR E FEIRA DE ARTESANATO NOSSA SENHORA DE NAZARÉ tesanato deverão entrar em contato com a coorde- nação no fone 9194-8886, Leda ou no e-mail leda_aps@hotmail.com. Temos artesanato em mosaico, velas decoradas, chinelos, bijuterias, crochê, bolsas, pano de prato, can- ção nova e muito mais, ve- nham conferir. Temos tam- bém oficinas de curso em mosaico e em feltro. O evento é realizado no salão paroquial na rua Fernando de Noronha - 2081, esquina com a rua Paolo Batan, Boa Vista, com estacionamento. Venha reencontrar os amigos e parentes que você não os vê para um bate papo, você convida e também é o nosso convi- dado. Nosso próximo encon- tro será dia 27 de Abril. Bazar de Usados e Feira de Artesanato com a tarde do pastel.
  2. 2. 3 Crianças comemoram o Dia da Terra com atividade educativa Trinta e seis alunos do 5º ano da Escola Municipal Professor Lauro Esmanhoto tiveram uma tarde diver- tida e educativa nesta segunda-feira (22). Para comemorar o Dia Interna- cional da Terra, o grupo saiu da sala de aula e foi até o Parque Tanguá. No local, participaram de uma oficina de criação de histórias sobre a Carta da Terra para Crianças. Este documento foi elaborado du- rante a conferência Eco92, no Rio de Janeiro, e, posteriormente, aprovado pela Organização das Nações Unidas (ONU).Reúneprincípiosbásicospara construir uma sociedade justa, susten- tável e pacífica. “A grande importância da ativida- de é a sensibilização dos alunos para quesetornemagentesmultiplicadores dos princípios da sustentabilidade”, diz a diretora do departamento de Educação Para a Sustentabilidade da Secretaria Municipal do MeioAmbi- ente, Marcia Frasson. “O aprendiza- do certamente será repassado pelas crianças em suas escolas, famílias e grupos de amigos”, explica. O estudante Rassan Andrade Fi- lho, 9 anos, conta que irá ensinar o que aprendeu para as pessoas com as quais convive. “Vou repassar essa li- ção aos meus colegas e familiares”, afirma. Ao lado da colega de classe Eduarda CristineAlves, ele redigiu a história Compartilhar. “Nosso texto fala sobre a necessidade que temos de combater a miséria”, comenta a alu- na. “Todos somos iguais”, diz Eduarda. Também foram temas dos textos redigidos pelos alunos, tópicos como: utilize com cuidado a água, a terra e o ar; conheça e proteja as pessoas, ani- mais e plantas; diga sim à paz e não à guerra, entre outros. Ao final, as cri- anças confeccionaram desenhos em argila para expressar a ideia principal dos textos que criaram. Na opinião da professora do gru- po, Eliane de Lima Penz, a atividade ao ar livre, num local inspirador como o Parque Tanguá, é uma oportunida- de lúdica e divertida de aprender so- bre valores tão importantes. “Desen- volve, conscientiza e faz com que eles transmitam o recado aos outros cole- gas, através de exemplos”, diz. Chamada oficialmente de Dia In- ternacional da Mãe Terra, a data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 22 de abril de 2009, para marcar a responsabilidade coletivaempromoveraharmoniacom a natureza e a Terra e alcançar um balanço entre economia, sociedade e ambiente. EXPEDIENTE Diretor: Adilson da Costa Moreira Fones 8433-7462 e 3328-0176 Dep. comerciail: Sharon Simão Zunino Rua Canadá, 2108 - Ap. 31 - Bloco A9 - Bacacheri - Curitiba E-mail: gazetasantacandida@gmail.com Tiragem: 10.000 exemplares www.gazetasantacandida.com.br / www.santacandida.blogspot.com As matérias assinadas não refletem necessariamente a opinião do jornal. O consumo de refrigerantes, sucos industrializados e outras bebidas açucaradas pode estar associado a cerca de 180 mil mortes por ano no mundo, de acordo com uma pesquisa apresentada nesta semana no congresso da Associação Americana de Cardiologia.Os autores da pesquisa usaram dados do estudo “The Global Burden of Disease” (literalmente, “O Peso Global da Doença”) de 2010 e relacionaram a ingestão de bebidas açucaradas a 133 mil mortes por diabetes, 44 mil mortes por doenças cardiovasculares e 6.000 mortes por câncer. Cerca de 80% dessas mortes ocorreram em países de rendas média e baixa.Especialistas afirmam que o consumo dessas bebidas pode gerar resistência à insulina e levar ao diabetes “Refris” são ligados a 180 mil mortes por ano tipo 2, além de aumentar o risco de obesidade.Os pesquisadores calcularam as quantidades consumidas dessas bebidas por idade e sexo, os efeitos desse consumo na obesidade e no diabetes e o impacto das mortes relacionadas a essas doenças.A América Latina e o Caribe tiveram o maior número de mortes por diabetes relacionadas ao consumo de bebidas adoçadas em 2010. Entre os 15 países mais populosos, o México teve a maior taxa de mortes por causa da ingestão das bebidas.À CNN, a Associação Americana de Bebidas disse à que o estudo traz “mais sensacionalismo do que ciência”. A Associação Americana de Cardiologia recomenda que os adultos consumam menos de 450 calorias por semana de bebidas adoçadas. Anuncie aqui Quem anuncia, vende mais! 8433-7462 3328-0176 www.santacandida.blogspot.com
  3. 3. 4 O Movimento Paraná Sem Corrupção realizou no dia 18 de Abril, as 19 horas no auditório do Centro de Atendimento Urbano Regional Boa Vista (Rua da Ci- dadania Boa Vista), a primeira de nove audiências públicas programadas para a capital. Com o tema: Cidadania, Direi- tos e Deveres, a audiência tratou de te- mas de Saúde Pública e Prevenção à Vi- olência. A PEC 37 (Proposta de Emen- da Constitucional 37) e os riscos que ela representa à sociedade. O encontro teve a coordenação da Pro- motora Swami Mougenot Bomfim e co- ordenador do Movimento, Eduardo Cambi, com a presença do Administrador Regional, Pedro Ribeiro e integrantes do MP-PR da Subplan – Subprocuradoria- Geral de Justiça para Assuntos de Plane- jamento Institucional, entre eles, o procu- rador de Justiça Bruno Sérgio Galatti. Foi debatido e sugerido ações do Movimento para as escolas e espaços públicos da região. Com mais de 80 par- ticipantes dos bairros Boa Vista, Pilarzinho, Taboão, Abranches, São Lourenço, Barreirinha, Cachoeira, San- ta Cândida, Bacacheri, Tingui, Tarumã, Bairro Alto, Atuba. A audiência pública faz parte das es- tratégias de mobilização do Movimento Paraná Sem Corrupção, que este ano tra- tará, em todo o estado, do tema: “Cidada- nia – direitos e deveres”. Na capital, mais 8 encontros estão programados, um em cada Regional Administrativa da cidade. Controle Social Promotora da saúde Dra. Fernanda N. Garcez fez exposição sobre a impor- tância dos Conselhos locais de saúde e, o controle social que devemos exercer nas comunidades, junto às instituições e ór- gãos públicos. “Conselhos locais e regio- nais estarão organizando as conferências de Saúde, oportunizando a participação do cidadão na fiscalização e execução dos serviços públicos na abrangência das uni- dades de saúde dos moradores. Que pela lei, há de considerar a paridade de Usuá- rio, Gestor, funcionários na formação do CLS e o planejamento. Que o levantamen- to dos problemas devem ser priorizado e também discutido em reuniões mensais com apontamento de possíveis soluções”. Havendo também outros mecanismos de participação para assegurar os direitos bá- sicos do cidadão na segurança, saúde, ido- so, criança entre outros. Campanha Paraná sem Corrupção “A Constituição Federal de 1988 do- tou o Ministério Público Federal de atri- Audiência Pública na Regional Boa Vista inaugura a 1ª de uma série de reuniões com moradores de Curitiba buições no exercício de investigar fatos ilícitos civis e criminais, sem grandes questionamentos. Nos últimos 10 anos, já consolidada, articulada e estrutura da, in- tensificou o alcance de sua atuação, com- batendo com êxito o crime organizado, a corrupção, a lavagem de capitais, os da- nos ao erário, enfim, ilícitos cometidos, via de regra, por setores da sociedade até então inatingíveis,” afirmou o Promotor Dr. Eduardo A. Cambi. Toda mídia noticiou as investigações envolvendo o deputado federal Paulo Maluf, crítico ferrenho ás investigações pelo Ministério Público, o ex-deputado Hildebrando Pascoal, o ex-senador Luís Estevão, o juiz Nicolau dos Santos Neto, o falecido (Chefão do jogo do Bicho) Cas- tor de Andrade, entre outros.. Diante desse novo cenário, em que, pela primeira vez no Brasil, detentores do poder econômico e político se tornaram alvos de investigações com muitos deles com processos criminais e até prisões, ini- ciou-se uma perseguição e ataques ao MP, entre os quais o questionamento acerca de sua relevância diante da sociedade. Pela proposta, no Brasil, só a polícia poderá investigar, estão tentando enfraquecer jus- tamente quem se deveria fortalecer. Às demais autoridades administrativas, Mi- nistério Público, receita Federal, COAF, Banco Central e outras, estariam proibi- das! Também no STF a questão foi nova- mente suscitada, em julgamentos envol- vendo o assassinato do ex-prefeito de Santo André (SP), e o descumprimento de or- dem judicial referente a pagamento de precatórios pelo ex-prefeito de Ipanema (MG). As Decisões se encontram suspensas por pedido de vista pelo minis- tro Luiz Fux, havendo discussões apenas acerca dos limites da investigação (se para todos os delitos ou apenas alguns). Deta- lhe: de 0 a 10, o Brasil tem nota 3,7 na escala da corrupção, ocupando o 73º lu- gar na lista de 183 Países elaborada pela Transparência Internacional. Em suma, a PEC da impunidade e a decisão final do STF serão marco na his- tória do Brasil. O que parece é que vive- mos no movediço reino da impunidade, dando ares de profecia à célebre frase de Jô Soares: “A corrupção não é uma inven- ção brasileira, mas a impunidade é uma coisa muito nossa “. Campanha Conte até 10 “O lutador Wanderlei Silva”, um dos maiores nomes do MMA mundial, entrou na campanha Conte Até 10, promovida pelo Conselho Nacional do Ministério Público e pela Estratégia Nacional de Jus- tiça e Segurança Pública (ENASP), com o apoio do Ministério Público do Paraná. Co- nhecido nos octógonos como "Cachorro Louco", o lutador curitibano gravou vídeo( acesse no Youtube ) defendendo que lutas só devem ocorrer dentro do ringue, con- cluiu Dr. Paulo Sérgio "Um campeão sempre evita brigas” é lema da produção audiovisual apresenta- da aos meios de comunicação. Para Wan- derlei Silva, aquele que não aceita a pro- vocação para uma briga é o verdadeiro vencedor, pois tem controle de suas rea- ções. A campanha do Ministério Público, do Ministério da Justiça e do Conselho Na- cional de Justiça, visa reduzir o número de crimes cometidos por impulso, que ocorrem após desentendimentos banais ou aqueles que, por meio de uma reflexão, po- deriam ser evitados. A iniciativa dissemina o lema "Conte até 10", por meio de diversas atividades e mobilizações, com o apoio de esportistas e lutadores que, fora dos tatames e octógonos, cultivam uma atitude de paz. No Paraná, o lançamento oficial foi reali- zado no dia 19 de novembro de 2012, em uma escola estadual "A campanha no Paraná, além de buscar a diminuição de crimes de ho- micídios, é voltada a prevenir qualquer discussão ou conflito, seja no ambiente familiar, no trânsito, na escola, etc., que possa levar a crime com conteúdo de violência", afirmou promotor de Justi- ça Dr.Paulo Sérgio. O diretor da Escola Estadual Papa João Paulo 1º, Aguinaldo Afonso Carnei- ro ressaltou a importância da capacitação dos professores para trabalharem direi- tos e deveres com os alunos, ofereceu o espaço da escola para a conferência e reu- nião da saúde. O Presidente do Conselho Distrital Boa Vista, Adalberto Prado des- tacou a necessidade de capacitação dos conselheiros e, assessoria Jurídica no auxílio da legislação e aplicação de me- canismos de informação para a popula- ção sobre seus direitos e deveres. A Coordenadora dos Consegs da Se- cretaria Estadual de Segurança Pública, Michelle Lourenço Cabral, informou que dos 13 Conselhos de Segurança somente 8 estão ativos e que está sendo instituído um serviço informatizado de controle das atividades, demandas e encaminhamentos para todos os Consegs de Curitiba.
  4. 4. 5 A Secretaria estadual da Saúde prorrogou a campanha de vacinação contra a gripe até o final do mês (30) por sugestão da Comissão Estadual de Infectologia na reunião realiza- da nesta segunda-feira.Até o come- ço desta tarde, 950 mil pessoas já haviam recebido a vacina contra a gripe desde o início da campanha. Neste ano, a expectativa é vacinar 2,5 milhões de paranaenses. A vacinação segue até terça-feira nas unidades de saúde de todo o Paraná, das 8 às 17 horas. A Secre- taria da Saúde orientou as 22 regio- nais de saúde para que os municípi- os que tiverem baixa cobertura vacinal e grande circulação de pes- soas também façam postos volantes durante a semana.Além disso, reco- menda a todos os municípios que neste sábado mantenham as unida- des de saúde abertas para vacinação. Pela primeira vez a campanha de vacinação foi antecipada em 20 dias, uma reivindicação do Paraná desde 2011, pois no Sul do Brasil o inverno é mais rigo- roso. Neste mês as temperaturas já estão baixas e os casos de gri- pe começam a ser registrados. “Contamos com o compareci- mento da população para que haja Vacinação contra gripe é prorrogada até o final do mês tempo suficiente de garantir imuni- dade aos que mais precisam. É im- portante que todos os que estão nos grupos prioritários recebam a vaci- na o mais rápido possível”, explicou o secretário da Saúde, Michele Caputo Neto.Avacina leva em mé- dia 15 dias para garantir a imunida- de, dessa forma é imprescindível que a população receba a vacina antes do inverno chegar. O secretário enfatizou que, nes- te ano, também estão sendo vacina- dos os doentes crônicos e as mu- lheres que tiveram filhos em até 45 dias (puérperas). “Sabemos que esta população é mais vulnerável. Re- cebemos 1 milhão de doses a mais para atender a estes públicos”. Des- de o início da campanha mais de 138 mil doentes crônicos foram vacinados. O grupo das puérperas já atingiu 57% da meta estipulada pelo Ministério da Saúde. Dentro dos outros grupos, 50% dos idosos já receberam a dose da vacina e 43% das crianças de seis meses a menores de dois anos. O grupo das gestantes também tem baixa cobertura vacinal (38%). Os trabalhadores de saúde são os que menos aderiram à campanha (28%). A Secretaria da Saúde ori- enta a todos os trabalhadores de saúde que procurem as unidades mais próximas dos seus locais de trabalho para serem vacinadas. Eles deverão apresentar a carteira pro- fissional ou um documento que comprove ser trabalhador de saúde. PREVENÇÃO – A gripe pode ser prevenida com alguns cuida- dos de higiene como lavar bem, e com frequência, as mãos com água e sabão; evitar tocar os olhos, boca e nariz após contato com superfícies; não compartilhar objetos de uso pessoal e, ainda, cobrir a boca e o nariz com lenço descartável ao tossir ou espirrar. As pessoas que apresentarem sin- tomas de síndrome gripal devem procurar o serviço de saúde para receber o tratamento com o antiviral oseltamivir, quando indicado. Se o medicamento antiviral for prescrito em até 48 horas, a chance de cura é de aproximadamente 100%. O que define a identidade de uma pessoa são as suas vivências particulares e todas as influências de sua família. Mas, o que significa tudo isso e qual a sua importância? Significa que desde o momento em que os pais tomam a decisão de ter um filho (incluindo as adoções), automaticamente criam, primeiramente através das expectativas, as características de seus filhos. Exemplos disso começam no processo de escolha do nome (quem escolheu, se o nome é uma homenagem a alguém, significado do nome, nomes compostos, nome que era para ser, etc). Psicologia: Por que somos o que somos? Não é à toa que, ao longo da vida, a pessoa vai demonstrando crenças, valores e rituais semelhantes aos de seus pais. Ela aprendeu pelo que cresceu ouvindo (ordens e regras) e por aquilo que não lhe foi dito (o que é evitado, o que é observado nos atos, o que passa pelos olhares, toques e palavras). A mesma coisa acontece com as relações entre pessoas que convivem no mesmo meio e que não são os pais. No início da vida, os primeiros contatos que alguém tem fora da sua casa são com os parentes (avós, tios, primos, etc) . Depois, são os amigos, colegas de trabalho, chefes, professores, namorados, família de namorados e todas as outras relações rotineiras que transmitem dados de limites, educação, confiança e outras informações de uma maneira bem diferente da adquirida pelos pais. Assim, o indivíduo vai desenvolver sua auto imagem e pode escolher entre usar isso para definir o que quer mudar, onde tomar mais cuidado, o que precisa aprender, ou, ainda, usar as dificuldades para justificar suas falhas, defeitos, inabilidades e criar álibis para não mudar. A importância de dar atenção especial à identidade de si mesmo é que possibilita descobrir sua maneira particular de funcionar ou da família como um todo e, através da terapia, pode se responsabilizar e enriquecer-se com as experiências passadas para aprimorar o futuro, eliminando coisas que o incomodam nesse seu “jeito de ser”. Alessandra C. B. Dorigo - Psicoterapeuta com especialização em Terapia Relacional Sistêmica - CRP 08/ 13603 - Contato: (41) 9626 – 6689 - Rua Santa Catarina, 65 sala 513B - Água Verde – Curitiba - PR
  5. 5. 6 Na UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTACATARINA, os cientistas descobriram que três doses (cada uma com cerca de 300 ml) diárias do chimarrão típico dos gaúchos, à base de erva-mate, são capazes de diminuirem 13% o colesterol ruim (LDL) e aumentar o bom (HDL). A explicação dos pesquisadores é de que “isso se deve às SAPONINAS, substâncias que funcionam como espécie de detergente e reagiriam com ácidos biliares, impedindo a absorção da gordura pelo intestino”. O mesmo efeito anticolesterol já havia sido confirmado por pesquisadores da UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO, em BRAGANÇA PAULISTA. Por outro lado, na CORÉIA DO SUL, cientistas da UNIVERSIDADE DE YONSEI disseram que a suplementação com erva-mate diminui o peso, a gordura abdominal e a glicose. Assim, além de prevenir placas nas artérias, a erva-mate CHIMARRÃO EMAGRECE! combate radicais livres, moléculas que surgem naturalmente no organismo e que promovem a deterioração das células. Mais uma informação científica: uma cuia ou uma xícara de chá-mate depois do almoço auxilia o intestino, favorecendo a digestão, e acelera a queima de gordura, de acordo com pesquisa da UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. “Os índios norte-americanos já usavam a fruta para prevenir e tratar doenças do trato urinário há séculos e isso sempre intrigou os cientistas que vêm estudando os potenciais benefícios do suco de cranberry (oxicoco ou mirtilo), últimos anos”, diz Edson Credidio, Doutor em Ciências de Alimentos pela Unicamp. É uma das três frutas nativas dos Estados Unidos, ao lado do b l u e b e r r y (mirtilo) e da concord grape (um tipo de uva escura), e é c o n s i d e r a d a poderosa por uma série de possíveis benefícios que traria à saúde. para a saúde nos últimos anos”. É uma fruta pequena e vermelha, bastante conhecida nos Estados Unidos e Europa. Seu suco combate uma série de doenças, como as cistites ou infecções urinárias. Há uma substância na fruta que impede a adesão das bactérias nas paredes da bexiga, em especial a Escherichia Coli (E-coli), maior causadora das cistites. O cranberry também contém vitaminasA,C e D, e é rico em flavonoides, que combatem os radicais livres. Esse mecanismo que impede a adesão bacteriana, além de ser ótimo no combate à cistite, pode funcionar no combate à úlcera. As proantocianidinas presentes na fruta podem impedir a fixação da bactéria Helicobacter plorim (causadora de gastrite e úlceras) na mucosa estomacal.Vários estudos contatam que pessoas propensas a desenvolver úlceras apresentam melhoras ao consumir o suco de cranberry. Em um estudo duplo-cego realizado em 2008 e publicado na Cranberry no combate da infecção urinária revista Nutrition, pesquisadores acompanharam crianças e adolescentes que apresentaram resultado positivo para a bactéria H. Pylory. Ao longo de 3 semanas, um grupo ingeriu diariamente 200 mililitros do suco de cranberry, outro grupo ingeriu um suplemento probiótico com diferentes bactérias e um terceiro grupo ingeriu placebo. Ao final, o grupo que ingeriu o suco de cranberry apresentou índices de erradicação da bactéria H. Pylory significativamente maiores do que o grupo que ingeriu placebo , e índices ligeiramente melhores que o grupo que ingeriu o suplemento probiótico. Conclusão: o suco de cranberry pode realmente auxiliar na prevenção de úlceras estomacais. Porém, alguns especialistas advertem que se o suco de cranberry for ingerido em excesso, ele pode provocar desarranjos intestinais. Os diabéticos também devem evitar a ingestão do suco, por conta da frutose, e as pessoas que tomam remédios anticoagulantes também devem evitá-lo, pois pode haver interação com algumas substâncias da fruta. Flor de Laranjeiras Produtos Naturais Rua Guilherme Weigert, 1046 Santa Cândida 3357-1428
  6. 6. 7 O ato foi realizado na sede cam- pestre do Clube Santa Mônica, em Curitiba. O encontro marca a come- moração do Dia do Escoteiro, no dia 23 de abril, data em que tam- bém se comemora o dia de São Jor- ge, padroeiro e protetor símbolo do escotismo no país. Anualmente a Medalha de São Jorge, condecoração máxima do grupo, é concedida a uma pessoa representativa para o movimento. “Fruet é uma pessoa com o espírito e o ideal do escoteiro tocando a coisa pública”, afirmou o presiden- te da Câmara de Vereadores de Curitiba, Paulo Salamuni, ao lado dos secretários de Meio Ambiente, Renato Eugenio de Lima, e de Es- porte Lazer e Juventude,Aluisio de OliveiraDutraJunior.Salamunilem- brou que quando o prefeito atuou como deputado federal, em três mandatos consecutivos (1999 a 2011), foi o responsável pelo apoio à realização de diversos eventos es- coteiros, na condição de Secretário Geral da União Parlamentar dos Escoteiros do Brasil. Fruet ressaltou que o movimen- to e a gestão municipal comungam de “ideais comuns”. O prefeito fez referência ao lançamento da 1ª edi- ção da Maratona Infantil e Juvenil Grupo Ar América do Santa Cândida no XXI Jogos da Fraternidade de Grupos Escoteiros da Sustentabilidade, durante as co- memorações do aniversário de Curitiba. “Quero pedir a vocês que nos ajudem. É um trabalho muito grande que vamos fazer nos próxi- mos anos em relação aos conceitos de sustentabilidade na capital”, afir- mou. A Maratona da Sustentabilidade prevê a realização de atividades que se estenderão até novembro e que devem atingir dire- tamente mais de 1,4 mil alunos da rede municipal de ensino. O princi- pal objetivo é incentivar o conheci- mento e a vivência de práticas de educação para a sustentabilidade. Fraternidade Neste ano, os jogos reuniram cerca de dois mil participantes, com idades de 7 a 21 anos, entre lobinhos, escoteiros e pioneiros. Além de grupos atuantes em Curitiba, o evento contou com a presença de jovens de outras cida- des, como Guarapuava e Marechal Cândido Rondon. Os jogos incluem diversas atividades relacionadas ao meio ambiente e à conscientização e tem como principal interesse a confraternização. Os escoteiros também fizeram a doação de alimen- tos que serão encaminhados a insti- tuições filantrópicas. GRUPO ESCOTEIRO AR/AMÉRICA Atualmente tem suas atividades na sede da Capela Nossa Senhora de Monte Claro. Rua: João Mequetti ,121 bairro Santa Cândida Na foto, o Grupo Ar América do Bairro Santa Cândida com o Prefei- to Gustavo Fruet. Espaço da Poesia Antonio Pedro Flores Amaral, morador na divisa dos bairros Água Verde e Rebouças REALIZAÇÃO QUE IMENSA FELICIDADE! TER DEIXADO NAS DISTÂNCIAS A MANHÃ DOS SONHOS SEM ECOS TER COBERTO DE LUZES DE ESTRELAS! OS PENSAMENTOS NEGROS DAS INCERTEZAS TER ABAFADO COM SUAVIDADES AS FALSAS MELODIAS DAS ILUSÕES PARTIDAS! TER GUARDADO NA MEMÓRIA AVERDADE UNIVERSAL! DAS LUZES ESPAÇAL TER ESCRITO NO MEU ÍNTIMO A RIMA DAS ESTRELAS NO FIRMAMENTO DA REDENÇÃO! TER DESENHADO NA MADRUGADA A ROSA-DOS-VENTOS NO CAMINHO DAS TEMPESTADES! TER MATADO NA FLOR! AS CORES DO EGO TURVOS DA INSÔNIA DAS NOITES PERDIDAS TER GRAVADO NOS MARES AS IMPOSSIBILIDADES DE TODOS OS RETOCESSOS NA VIDA DAS PASSAGENS OBSCURAS!
  7. 7. 8
  8. 8. 9 O Paraná Competitivo é um marco na história da industrialização do Esta- do, na avaliação do secretário da Fazen- da, Luiz Carlos Hauly. Ele adiantou que o momento “o programa já atraiu 120 empresas, responsáveis por investimen- tos da ordem de R$ 20 bilhões e a gera- ção de 136 mil empregos diretos”. Ao falar sobre o programa, nesta terça-feira, para auditores fiscais da Receita Estadual, durante a abertura do III Seminário do Fisco Paranaense, Hauly enfatizou que o Governo tem obtidosucessoemlevarempreendimen- tos para todas as regiões. “Do total de investimentos atraídos para o Paraná até agora, 33% se situam em Curitiba e região metropolitana, enquanto 67% estão distribuídos pelo interior do Es- tado”, informou. Para ilustrar o propósito do Gover- no Beto Richa, o secretário da Fazen- da disse que o maior investimento por empresa é o da Klabin, em Ortigueira, com R$ 6,8 bilhões na indústria de ce- lulose e mais R$ 1,2 bilhão na máqui- na de cartões. “Este é o maior investi- mento privado da história do Paraná”, acrescentou. Hauly enfatizou que as plantas in- dustriais da Klabin irão beneficiar mais Paraná registra o maior volume de investimento industrial da história 11 municípios próximos de Ortigueira, na região que concentra o menor índice de desenvolvimento humano (IDH) paranaense. Atrás do investimento in- dustrial privado, irão as ações do go- verno estadual em educação, prepara- ção de mão-de-obra, saúde e seguran- ça entre outros. “Portanto, quando se fala em insta- lação de indústrias em determinada ci- dade ou região carente é preciso enten- der que o Governo do Estado também leva investimentos nas diversas áreas para atendimento à demanda por servi- ços e infraestrutura pela população e pelo empreendimento, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico da região”, esclareceu Hauly. CREDIBILIDADE – O secretário destacou, ainda, que o sucesso do pro- grama Paraná Competitivo junto aos investidores,alémdosatrativoscomoos incentivos fiscais, é decorrente da “se- gurança jurídica e credibilidade política proporcionada pelo Governo Beto Richa”. CIDADANIA – Na abertura do evento, o secretário Hauly enfatizou a importância do trabalho e do empenho dos auditores fiscais para que o Esta- do possa cumprir com seus compromis- sos com a sociedade, por meio do com- bate à sonegação e o aumento da arre- cadação. “Vocês representam a força do Fisco, responsável pelo provimento dos recursos necessários para que o go- verno cumpra com suas obrigações jun- to ao Estado, junto à sociedade paranaense”, disse. O presidente do Sindicato dos Au- ditores Fiscais da Receita do Paraná (Sindafep),Agenor Carvalho Dias, dis- se que as ações do auditor fiscal, no cumprimento de seu dever, acabam re- fletindo sobre a sociedade, porque o im- posto que ela gera é aplicado em bene- fício da população. Dias enfatizou que também é papel da categoria, por exemplo, se esforçar para que os contribuintes destinem 6% do Imposto de Renda devido para a Associação Paranaense de Apoio à Criança com Neoplasia (APACN). “Ao exercer a solidariedade com este gesto, o contribuinte faz com que o dinheiro do imposto fique no Paraná e movimen- te a economia de nosso estado.Ao con- trário, se vai para Brasília, não retorna”, acrescentou. O presidente da Federação Nacio- nal do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco), Manoel Santos Neto, des- tacou que o auditor “não é apenas fis- cal, do ponto de vista do profissional responsável pela arrecadação, mas tam- bém ser fiscal da boa aplicação dos re- cursos proporcionados pelos tributos em benefício da população, na forma de serviços cada vez melhores. E isto é exercício da cidadania”. Promovido pelo Sindafep, em par- ceria com a Escola de Administração Tributária (ESAT), da Coordenação da Receita Estadual, o III Seminário do Fisco Paranaense se encerra nesta quar- ta-feira. Também participaram da aber- tura dos trabalhos, o diretor geral da Secretaria de Estado da Fazenda, Clo- vis Rogge, e a coordenadora da Esat, Nilce Costa Nascentes. Paulo Bernardo esteve ontem em São Paulo para uma audiência com o prefeito Fernando Haddad. Ao sair, afirmou: “O prefeito me disse que tem abertura para discutir (na Câmara Municipal) mudança na legislação. Ele me falou da intenção da prefeitura de estabelecer políticas públicas na área de comunicação, por exemplo, uma rede de wi-fi na cidade”. E acrescentou: “Eu disse ao prefeito: ‘você quer uma rede de wi-fi na cidade, mas se fizer uma rede chinfrim, o pessoal vai fazer uma festa, inaugura, dali a dois meses vai começar a reclamar que a internet é muito lenta. Vão falar mal de quem? Vão falar do Fernando Haddad.” Setivesselidoessadeclaraçãoemoutro veículo e assinada por outro jornalista, duvidaria.Maso texto édotalentosoamigo Eduardo Maretti e foi publicado na Rede BrasilAtual, que até onde sei não tem nada contra Paulo Bernardo e nem contra Haddad. A propósito, Paulo Bernardo nos idos tempos foi ligado ao movimento PPPPPaulo Bernardo, minisaulo Bernardo, minisaulo Bernardo, minisaulo Bernardo, minisaulo Bernardo, ministro das ttro das ttro das ttro das ttro das teles?eles?eles?eles?eles? sindical bancário e era um petista de quatro costados. E hoje, a quem serve Paulo Bernardo? O PT aprovou recente resolução defendendo a regulamentação da área de comunicação e questionando os 60 bilhões de isenção (que Bernardo diz serem 6 bilhões) para as teles. E Bernardo, que se diz petista, fez de conta que não era com ele. Agora Bernardo vem a São Paulo defender as teles e tentar colocar reio no governo municipal porque este quer distribuir wi-fi grátis na cidade. Vem em nome das teles ou do governo federal? Qual é o papel de um ministro? Incentivar políticas públicas ou tentar impedi-las em nome de interesses privados? Dilma sabia que Paulo Bernardo viria a São Paulo com esta missão hoje? Isso foi discutido em âmbito federal? Foi Dilma quem solicitou a ele que fizesse lobby tentando impedir a cidade de abrir o sinal da internet em alguns pontos? Entrei em contato com algumas pessoas que estão na equipe do secretário Simão Pedro (Obras e Serviços) e que estudam formas de criar condições para lançar uma política pública de banda larga na cidade. Quando lia os trechos da reportagem, a perplexidade era imensa. Em nenhum momento a equipe do ministro ou assessores dele procuraram assessores da prefeitura que estão trabalhando no tema. Ou seja, Bernardo não tem nenhum elemento para dizer que o plano é chinfrim. Mas mesmo assim saiu atacando-o porque as teles estão morrendo de medo que se implantado com sucesso em São Paulo, um plano desses as fará perder parte do mercado que as alimenta com monstruosos lucros operando um serviço de péssima qualidade. Entre outras coisas, no projeto de wi- fi grátis de São Paulo discute-se que onde o sinal for aberto aproximadamente 1 mil pessoas possam vir a se conectar ao mesmo tempo tendo uma banda superior a 1 Mbps. Bem diferente do PNBL chinfrim que Paulo Bernardo falou que ia implantar, mas que virou plano de negócios das teles. Hoje, o governo federal e a Telebrás só entram onde as teles não têm interesse em operar. O ex-bancário, sindicalista, petista e agora ministro, trabalha para o governo e para a sociedade brasileira? Porque se é isso, melhor refletir sobre a visita de ontem a São Paulo, onde se comportou como um garoto de recado das teles. Por Renato Rovai, em seu blog
  9. 9. 10 Desde a infância, começamos a aprender como conviver bem com os ou- tros. Em nossos lares descobrimos que para se conseguir conviver bem com as pessoas à sua volta é preciso antes de tudo respeitar o direito do outro, indepen- dente de quem ele seja, se um filho, um irmão, um amigo ou um vizinho. A regra é antiga e clara: nosso direi- to termina onde começa o do outro. As- sim, por exemplo, eu posso fazer uma festa e ouvir música alta, desde que as outras pessoas, que também a estiverem ouvindo, gostem de som alto e do estilo da música. Nesse momento, é bom pen- sarmos nos nossos vizinhos e não só naquele que se encontra no mesmo am- biente onde a música está tocando. Se vivêssemos como ermitões, de que nos preocuparíamos? Porém, como vivemos em comunidade é um pouco di- ferente. Precisamos aprender a agir de forma a não prejudicar o outro. É impor- tante, também, nos acostumarmos a tra- tar a todos educadamente. A difícil arte de viver em comunidade As leis tratam de assuntos mais gra- ves, tais como matar e roubar. Porém, to- dos têm outros direitos além do direito à vida e à suas propriedades. Quando fala- mos de vida precisamos incluir o machu- car o outro e não só matar, portanto nin- guém tem o direito de bater em outra pes- soa. E quando falamos de propriedade é bom lembrar que estragar de qualquer for- ma, aquilo que não é seu, inclui, por exem- plo, pichar um muro, arranhar um carro, e várias outras coisas. Também é preciso que tratemos os ou- tros não da forma que queremos ser trata- dos, mas sim da forma que eles gostariam de ser tratados. Pode ser que o gosto dos outros seja diferente do nosso. Se possível, procure seguir algumas re- gras de boa convivência no seu dia a dia: • Não economize sorriso: de todas as moedas circulantes no comércio da vida, o sorriso é a que compra maior porção de alegria pelo menor preço. • Por falar nisso, não compre briga por- que sai caro. • Seja otimista. Quem vê tudo na exis- tência pelo lado sombrio do derrotismo ra- ramente cruza com amigos na rua, porque a maioria deles dobra a esquina para es- capar do encontro. • Seja alegre e comunicativo. Um “bom dia”, um “alô” custa pouco e rende muito. • Seja simples e modesto. Se você pos- sui qualidades “notáveis”, cedo ou tarde as pessoas notarão isso, como também des- cobrirão suas imperfeições. • Seja um bom conversador deixando com que os outros falem mais. • Procure ouvir as pessoas ou avaliar a situação antes de emitir um julgamento. • Interesse-se pelos outros. Só assim eles acharão você interessante. • Tenha coragem para assumir deci- sões. Principalmente assuma o que fez. • Assegure-se que as informações se- jam claras, completas, transparentes e bem recebidas pelo outro. • Compreenda que as pessoas que pensam de outra forma, estão sinceramen- te convencidas de que o errado é você. • Faça aos outros, em lugar de críticas, quantos elogios puder fazer honestamen- te. As pessoas de um modo geral adoram ouvi-los e quando os recusam talvez no fundo esperem ser elogiados por isso. • Com os inimigos, declarados ou gra- tuitos, mantenha a sobriedade do cavalhei- rismo. Não fale mal por trás nem perca uma oportunidade de reconciliação, dando o pri- meiro passo, pois nada lhe garante que no dia seguinte um deles não seja a única pes- soa capaz de “salvar a sua vida”. Para concluir, deixo mais uma dica: per- gunte-se: como você gostaria de ser lembra- doquandonãoestivermaisaqui?Oquedirão de você? Pense no que disse Chico Xavier: Comece, hoje, a escrever um novo roteiro para sua vida, porque se não podemos vol- tar atrás e fazer um novo começo, podemos começar, agora, a fazer um novo fim. Sonia Jordão é especialista em lideran- ça, palestrante e consultora organizacional. Autora do livro: “A arte de Liderar – Vivenciando mudanças num mundo globalizado”
  10. 10. 11 Futebol: Definida a tabela de jogos da Copa de Futebol da Integração Metropolitana Começa no dia 19 de maio a 4ª Copa de Futebol da Integração Metropolitanada. A fórmula de dis- puta e o sorteio da tabela de jogos aconteceram na tarde de segun- da-feira, durante arbitral realizado na sede da Federação Paranaense de Futebol (FPF). Dezesseis equipes representando 15 municípios da Região Metropo- litana de Curitiba (RMC) se inscre- veram para a competição. Para o futebol feminino, que será a novi- dade desta edição, haverá nova reunião para definir os participan- tes e o método de disputa. A Copa Integração Metropolita- na é organizada pela Secretaria Municipal de Assuntos Metropoli- tanos com o apoio da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Ju- ventude e Federação Paranaense de Futebol. O secretário de Assun- tos Metropolitanos, Valfrido Eduar- do Prado, e o presidente da FPF, Hélio Cury, estiveram no arbitral. Para o secretário, a Copa Me- tropolitana, além de servir para a integração dos municípios perten- centes à RMC, também tem o po- tencial de incrementar atividades recreativas e sociais nas cidades onde os jogos são disputados. Disputa Cada município da RMC pode inscrever apenas um time, seja já existente ou selecionado para a disputa. A exceção deste ano é Curitiba, que contará com dois re- presentantes. Isso ocorre porque o atual campeão da Copa Metro- politana é da capital (União Vila das Torres) e tem vaga assegura- da. O outro representante de Curitiba é o Esporte Clube São Braz, de Santa Felicidade (atual campeão da Copa Kaiser), time que foi indicado pelo município. ACopa vai ser disputada no sis- tema mata-mata (eliminatório). Os adversários se enfrentam em dois jogos (ida e volta) e quem obtiver melhor campanha avança na com- petição. Cada município tem um mando de campo por fase. A abertura da Copa Metropoli- tana será realizada no estádio Má- rio Vendramel, na Vila das Torres, em Curitiba, com a partida entre o campeão de 2012 (União Vila das Torres) contra a Seleção da Lapa. A primeira fase tem jogos marca- dos para os dias 19 de maio (ida) e 26 de maio (volta). Os atletas par- ticipantes devem ser amadores e não federados. Cientistas afirmam terem desco- berto o motivo exato por todo mundo parecer mais bonito depois de você ter tomado alguns drinks.Arazão tem a ver com a preferência que temos por PORQUE AS PESSOAS PARECEM BONITAS DEPOIS DA CERVEJA? rostos simétricos. E, para as moças, uma má notícia: vocês são mais afe- tadas pelo efeito embelezador da cer- veja e tem mais chances de descobrir, no dia seguinte, que seu príncipe mais parecia um sapo. Por natureza, achamos ros- tos simétricos mais atraentes, mas o álcool afeta a parte do cérebro capaz de detectar a simetria. Como resultado, quando o sangue começa a ter maiores concentrações de ál- cool, mais as pessoas nos pa- recem simétricas e bonitas. Para chegar a essas conclu- sões, 64 estudantes foram analisados por cientistas (metade sóbria, meta- de sob a influência de alguns copos de cerveja). Primeiro os cientistas mostraram aos voluntários vinte pa- res de rostos (um mais simétrico, ou- tro mais assimétrico) e os estudantes deveriam escolher, dos dois rostos, aquele que achava mais bonito. Depois eles analisaram 20 ros- tos diferentes, um de cada vez, e deveriam dizer se os achavam si- métricos ou assimétricos. Os resultados mostraram que es- tudantes “bêbados” tinham uma mai- or dificuldade em escolher o rosto mais bonito ou dizer se ele era simé- trico ou não, enquanto os sóbrios não apresentaram dificuldade. Dentre os estudantes que beberam, as mulheres foram as mais afetadas pela “visão da cerveja” – os cientistas acreditam que isso aconteça porque os homens são mais visualmente ori- entados do que as moças, já que eles tendem a analisar mais suas parceiras em potencial do que as mulheres. Esse foi o primeiro estudo que comprovou as razões pelas quais o álcool afeta nosso cérebro. Luciana Galastri
  11. 11. 12 Os professores da rede estadual de educação do Paraná que ingressam na carreira com jornada de 40 horas sema- nal ganham mais que o piso nacional. O salário base inicial no Estado é de R$ 2.089,88, enquanto o piso nacional fixa R$ 1.567,00 para a mesma jornada. O Governo do Estado paga ainda aos pro- fessores R$ 609,66 por mês de auxílio transporte. Além de garantir salário maior que o piso nacional, o governo estadual es- tabeleceu um bom diálogo com os pro- fissionais da educação nos últimos dois anos. Com isso, o Paraná avançou na valorização do magistério. Entre as me- didas adotadas estão reajustes salariais que somam 34,85%, e o pagamento pro- moções e progressões atrasadas desde 2009, beneficiando mais de 65 mil ser- vidores. Também houve contratação de mais 17.261 servidores por concurso público e um novo edital foi autorizado, para 13.771 professores. O balanço foi feito pelo vice-gover- nador e secretário da Educação Flávio Arns, nesta terça-feira (23/4), ao defen- der a aprovação pela Assembleia Legislativa de dois projetos encaminha- dos pelo governador Beto Richa que marcam avanços históricos para os pro- fissionais da educação. Um dos proje- tos garante a ampliação da hora-ativi- dade para os professores e, o outro, in- corpora no Plano de Cargos e Salários dos Funcionários das escolas da rede es- tadual o direito a progressões. “As leis vão assegurar avanços me- recidos pela dedicação, o trabalho e o compromisso da categoria com a quali- dade do ensino oferecido aos nossos alu- nos”, disse o secretário. As propostas devem ir ao plenário nesta quarta-feira. CONTRATAÇÕES Desde janeiro de 2011, foram con- tratados 17.261 servidores por meio de concurso público na área da educação. Os novos professores, pedagogos e agentes educacionais passaram a aten- der 2,2 mil escolas nos 32 Núcleos Re- gionais da Educação. Um novo concurso já está em anda- mento para a contratação de mais 13.771 profissionais. “A ação demonstra a pre- ocupação do Governo do Estado asse- gurar aos profissionais da educação uma carreira estável, alicerce fundamental para a qualidade do ensino”, afirma Arns. “Com o novo concurso teremos mais de30milnovosprofessoresepedagogos no quadro próprio. É uma das maiores No Paraná, salário de ingresso de professor é 33% maior que o piso nacional contratações da história do Paraná na área de ensino e se deve ao empenho do governador Beto Richa”, afirmou o se- cretário da Educação. Os profissionais contratados vão atender todo o Estado e todas as disci- plinas da matriz curricular.“Praticamen- te completaremos o quadro próprio da educação”, destacou o vice-governador e secretário da Educação, Flávio Arns. Segundo ele, os contratados também possibilitam ampliar o contraturno es- colar. HORA-ATIVIDADE A Secretaria da Educação vem au- mentando a hora-atividade dos profes- sores, tempo dedicado para o planeja- mento do trabalho. Os professores já passaram de quatro aulas semanais em 2010 para cinco aulas semanais em fe- vereiro de 2013. No decorrer deste ano, a hora-ativi- dade aumentará ainda mais. Das 20 ho- ras-aula semanais, os professores pas- sarão a contar com o tempo de seis au- las exclusivo para planejamento de tra- balho, atendimento aos familiares, pes- quisa e outras atividades que precisam ser feitas fora de sala de aula, mas den- tro da escola. “A ideia é que a ampliação da jorna- da extraclasse acrescente qualidade, atu- alidade e profundidade aos conteúdos trabalhados pelos professores em sala de aula”, afirmaArns. Outro compromisso que vem sendo cumprido é da equiparação salarial do magistério com os demais com os de- mais técnicos de nível superior do Esta- do. Com a próxima data base da cate- goria, os professores terão novo aumen- to salarial. PLANO DE CARREIRA AAssembleia também votará as ade- quações propostas pelo Governo para o Plano de Carreira dos Funcionários da Educação Básica.Amedida aumenta as oportunidades de promoções na carrei- ra dos funcionários das escolas estadu- ais que prestam serviços de apoio e ad- ministrativo, proporcionando avanços e ganhos salariais. Advogados listaram 10 situações que podem indicar violações aos direitos do consumidor. Veja a seguir: Seja em um pagamento de uma dívida ou para solicitar o cancelamento de uma compra pela internet, muitos consumidores sentem que estão sendo desrespeitado e não sabem como agir. Muitos casos, inclusive, são facilmente solucionados, sem precisar necessariamente da ajuda de terceiros, como órgãos de defesa do consumidor ou a Justiça. Os advogados Marco Antônio Araujo Junior e Brunno Giancoli listaram algumas situações que podem indicar violações aos direitos do consumidor. Veja a seguir: 1. O nome do consumidor deve ser limpo até cinco dias após o pagamento da dívida De acordo com a decisão da STJ (Superior Tribunal de Justiça), quando o consumidor paga uma dívida atrasada, seu nome deve ser retirado em até cinco dias dos órgãos de proteção ao crédito. 2. A construtora deve pagar indenização por atraso em obra Quando ocorre algum atraso na entrega do imóvel, a construtora deve indenizar o consumidor. De acordo com o Ministério Público de São Paulo, os atrasos superiores há 180 dias, a construtora deve pagar uma multa equivalente a 2% do valor desembolsado pelo consumidor, mais 0,5% ao mês. 3. Os bancos devem oferecer serviços gratuitos Os consumidores não são obrigados a contratarem um determinado pacote de serviços do banco, pois ele que deve oferecer gratuitamente uma quantidade mínima de serviços. Alguns exemplos de serviços gratuitos são: fornecer o cartão de débito, a realização sem custo quatro saques e duas transferências por mês e também até dois extratos e dez folhas de cheque por mês. 4. Não existe valor mínimo para comprar com cartão Apesar de muitas lojas estabelecerem limite, nenhuma pode exigir um valor mínimo para se pagar a compra com cartão. Conforme o Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) e o Procon (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor), se a loja tem a opção de pagamento com o cartão, ela está obrigada a aceitá-lo para compras de qualquer valor, desde que seja à vista. 5. O consumidor pode desistir de compras feitas pela internet O consumidor que faz compras pela internet ou por telefone tem a opção de desistir da compra, sem custo adicional, 10 casos em que seus direitos estão sendo violados (e você não sabia) desde que seja feito em sete dias após a compra. O Procon-SP diz que a contagem do prazo inicia-se a partir do posterior à contratação ou recebimento do produto. Conforme está no artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor, a contagem não é interrompida nos finais de semana ou feriados. 6. O consumidor pode suspender serviços sem custo Uma vez por ano, o consumidor tem direito de suspender serviços de telefone fixo e celular, de TV a cabo, água e luz sem custo adicional. No caso da TV e telefone, o prazo máximo de suspensão é de até 120 dias. Já no caso da água e da luz, não existe um prazo máximo, mas para religar o serviço, o consumidor precisará pagar. 7. A cobrança indevida deve ser devolvida em dobro Qualquer pessoa que for vítima de alguma cobrança indevida pode exigir que o valor pago devolvido seja em dobro e corrigido. Conforme consta do artigo 42 do Código de Defesa do Consumidor, se a conta de telefone foi de R$ 150, por exemplo, mas o cliente percebeu que o correto seria R$ 100, ele tem direito de receber de volta não só os R$ 50 pagos a mais, e sim R$ 100 (o dobro) corrigidos. 8. O consumidor não precisa contratar seguro de cartão de crédito As administradoras de cartão de crédito sempre oferecem aos clientes um seguro que protege o consumidor contra perda e roubo. Órgãos de defesa do consumidor entendem que, caso o cartão seja furtado e o cliente realizar o bloqueio, toda compra feita a partir deste momento será de responsabilidade da administradora, independente que ele tenha ou não o seguro. 9. Quem compra imóvel não precisa contratar assessoria Quando o comprador adquire um imóvel ainda na planta, ele tende ser cobrado pelo Sati (Serviço de Assessoria Técnica Imobiliária), que se trata de uma assistência por advogados indicados pela imobiliária. Mas esta cobrança não é obrigatória. O contrato pode ser fechado sem a contratação da assessoria. 10. Passagens de ônibus têm validade de um ano As passagens de ônibus com data e horário marcados têm validade de um ano, conforme a Lei nº 11.975, de 7/6/2009. Se o consumidor não conseguir fazer a viagem na data da passagem, deve comunicar a empresa com antecedência de até três horas. Depois, o consumidor pode usar o bilhete para outra viagem, sem nenhum custo adicional (mesmo ocorrendo aumento de tarifa).
  12. 12. 13 Ferramentas usadas para a manufatura de massa datadas de antes do século 7 a.C. fo- ram encontradas em tumbas etruscas. Poetas romanos, como Horácio (65-27 a.C.), escre- veram na Antiguidade sobre um alimento cha- mado laganum, o provável ancestral da lasanha. Ele, aliás, não foi nem de longe o único personagem histórico a se render aos encantos da pasta. Há registros de que o es- critor alemão Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832) era fã de espaguete. O multitalentoso Leonardo da Vinci (1452-1519), que dizia preferir ser mais lembrado como co- zinheiro do que como pintor ou engenheiro, gostava tanto de macarrão que chegou a de- dicar horas de seu tempo à industrialização do alimento. O Código Atlântico, um compêndio de seus projetos, registra o desenho de uma gigantesca máquina de preparar lasanha. A geringonça não deu certo: a mistura, que de- veria ser submetida à alta pressão, quebrava antes mesmo de ser cortada. Frustrado, não sossegou enquanto não conseguiu calcular a exata tensão que o talharim e o espaguete suportavam antes de se romper. Como se vê, a pasta tem história. E muita. Vários cientistas, baseados em achados arque- ológicos, atribuem sua invenção aos chineses, há 4 mil anos. Outros dizem que ela surgiu na Palestina daAntiguidade. Há ainda os que afir- mam que os gregos foram os primeiros a con- sumi-la. Se a origem causa discórdia, uma coisa é certa: foi na península Itálica que a massa se transformou naquilo que hoje conhe- cemos. Lá, ganhou centenas de formatos, re- cheios, molhos e fama. Por isso, só podia ter saído da cozinha italiana um livro como Encyclopedia of Pasta (Enciclopédia da Mas- sa, inédito em português), da pesquisadora Oretta Zanini de Vita. Durante dez anos, ela entrevistou centenas de conterrâneos para conhecer antigos métodos de produção do ali- mento e suas diferenças regionais. E escarafunchou arquivos país afora para encon- trar registros sobre a fabricação, o comércio e o consumo de massa. O resultado são os 130 tipos que ela lista em seu livro, um verdadeiro tratado sobre a comida. Oretta tem sido com- parada à Julia Child, a americana que ajudou a desmistificar a cozinha francesa ao escrever um best-seller sobre o tema (e que teve sua vida retratada no filme Julie & Julia, de 2009, com Meryl Streep como uma das protagonis- tas). Mas a italiana esclarece: "Este não é um livro de receitas". E tem razão. Sua obra tem muito de história social. Os verbetes da enci- clopédia trazem o nome da massa, os ingredi- entes, como ela é preparada, outros apelidos pelos quais é conhecida (o espaguete, por exemplo, era chamado vermicelli, algo como "vermezinhos", até a virada do século 20. Hoje há os dois tipos, com espessuras variadas), a forma como é tradicionalmente servida, em que regiões da Itália ela é encontrada e curiosida- des sobre sua história. A pesquisadora traça ainda paralelos en- tre a trajetória de seu país e a de sua comida preferida. Alguns tipos de massa criados no século 19 foram batizados com os nomes de proezas militares da Itália na África. É o caso Massa Macarrão e sua origem A Itália não é mãe natural do macarrão, mas o adotou de tal forma que mudou sua história - e influenciou a alimentação em todo o mundo. Quando o homem notou ser possível moer determinados tipos de cereais, obtendo uma massa ao ser misturada com água, surgiu o alimento. do grupo de um macarrãozinho simpático que tem diversos tamanhos e geralmente é servi- do cozido em um caldo, cujos nomes são tripolini, bengazini e abissini. As referênci- as são, respectivamente, às cidades de Trípoli e Bengazi, na Líbia, e à região da Abissínia (Etiópia), onde os italianos em- preenderam algumas campanhas militares. Outra massa desse grupo é a assabesi, uma alusão à compra do porto de Assab, em 1869, no mar Vermelho, por uma com- panhia de navegação genovesa. Mitos Encyclopedia of Pasta também se encar- rega de desvendar alguns mitos. Talvez o mai- or deles seja o de que o explorador Marco Polo teria trazido o macarrão para a Itália. Segundo Oretta, uma massa seca feita com trigo duro já era consumida na península por volta do ano 800. Ela foi levada de lá para o resto do mun- do por navios de conquistadores muçulmanos da Sicília. No século 12, as repúblicas de Gê- nova e Pisa comercializavam a pasta seca para várias regiões próximas e também para outros países da Europa. "Existem documentos para provar isso, se há alguém que ainda acredite - e parece mesmo que há - que Marco Polo le- vou os noodles para a Itália em 1296 em seu retorno a Veneza da China", diz a autora no livro. "Na verdade, naquela época as pessoas de toda a Itália já comiam pasta havia pelo menos um século. Marco Polo relata um en- contro com o noodle chinês e usa a palavra ‘pasta’ para descrevê-lo, claramente mostran- do familiaridade tanto com o termo quanto com o conceito." Produzir pasta, descreve Oretta, foi durante vários séculos um processo extremamente tra- balhoso, que dependia de mão de obra espe- cializada. A massa era feita na martora, uma espécie de tina em que o operário entrava e, como fazem os produtores de vinho ao esma- gar as uvas, amassava-a. Misturar sêmola à água levava entre duas e três horas. Depois a massa era transferida para uma máquina com dois rolos, da qual saía mais fina para ganhar seu formato a mão. A secagem era demorada e ainda mais trabalhosa. Massas frescas são sensíveis ao clima - por isso, os antigos pro- dutores eram considerados praticamente má- gicos. "Eles rastreavam o céu, questionavam as estrelas e examinavam as fases da Lua e os ventos para estabelecer a posição de seca- gem da pasta", escreve Oretta. Tudo porque nos primeiros dias era necessário ar úmido, para depois a massa ser submetida ao ar seco. Esse método começou a cair em de- suso no século 16, com o surgimento do en- genho, que, como os nossos engenhos de açúcar, tornou o trabalho mais rápido e fá- cil, além de possibilitar o aumento da pro- dução. A massa passou a ser feita com água quente, o que facilitava a mistura. Moinhos eram movidos com água dos rios ou com a força de burros, cavalos ou mesmo huma- na. Mas foi só no fim do século 17 que esse processo de produção multiplicou-se pelo país e o preço da pasta começou a cair - assim, a população mais pobre pôde, enfim, consumi-la em datas que não fossem exclu- sivamente a Páscoa, o Natal e o Carnaval. A industrialização, porém, seguiu caminhos tortuosos. No começo do século 20, ainda fal- tavam energia e canais de comunicação em diversas províncias. Até hoje, a antiga forma de fazer macarrão sobrevive em pequenos negócios familiares. Cada região, província, cidade e até família, claro, fazia a pasta no formato que quisesse. E esses diversos mo- delos levaram muito tempo até se espalhar pela Itália. Pouco depois da Segunda Guerra Mundial, quatro quin- tos da população do campo ainda tinham sua dieta base- ada em vegetais.Amassa, por ser ainda cara (apesar do ba- rateamento iniciado cerca de 300 anos antes), era reserva- da a dias especiais - e geral- mente servida diluída no meio de uma sopa de legumes. Hoje, o consumo médio de pasta no país é de 25 a 28 kg por ano por pessoa. Para ter uma ideia do que significa isso, nada como exami- nar a própria mesa: cada brasileiro, no ano passado, comeu apenas 6,4 kg, apesar de sermos o terceiro maior produtor mundial de macarrão. O revolucionário italiano Giuseppe Garibaldi havia proferido no século 19: "Será o macarrão, eu juro para vocês, que unificará a Itália". Se o alimento não teve a capacidade de fazer isso por sua nação, ele, pelo menos, conseguiu unificar o paladar do mundo todo. Pois não há sujeito bom da cabeça que resis- ta a um saboroso prato de massa. Variadas e deliciosas Os mais curiosos tipos de massa Nhoque - Ingredientes: farinha de trigo ou farinha de trigo duro e água. Às vezes, mistu- ram-se batatas e ovos. Como é servido: com molhos variados, em sopas de legumes e ainda in brodo (no caldo). Onde é encontrado: por toda a Itália. Curiosidades: é o ancestral de todo tipo de pasta na Grande Bota. O termo - gnocco, em italiano - é usado para inúmeras formas, desde a redonda, comum no Brasil, até uma mais alongada, parecida com o espaguete. Costumava ser cozido ou frito, coisa que ain- da acontece em certas regiões italianas. Sabe- se que é consumido desde a Antiguidade. A princípio, era feito apenas com farinha e água. Em regiões pobres, sua massa era constituí- da por sobras de alimentos ou de pão. A bata- ta passou a fazer parte dos ingredientes só no século 19. Capeletti - Ingredientes: farinha de trigo e ovos. Para o recheio, uma mistura de carne e temperos, de acordo com o costume local, ou de ricota temperada. Espinafre ou outra ver- dura podem ser adicionados. Como é servido: com caldo de frango ou carne. Onde é encontrado: no norte da Itália (Emilia-Romagna), mas também em Lazio, Marche e Úmbria. Curiosidades: o formato é o de um chapéu medieval, do qual vem seu nome. Na Idade Média, uma grande variedade de massa re- cheada deliciava o paladar dos mais afortuna- dos. O capeletti sem carne, como era feito em Romagna, ajudava a preencher o vácuo que a Quaresma e outros feriados deixavam no es- tômago dos menos privilegiados. Farfalle - Ingredientes: farinha de trigo, ovos e água. Como é servido: os menores são geralmen- te cozidos em caldo. Os maiores, servidos com molhos típicos da região em que são consu- midos. Onde é encontrado: por toda a Itália. Curiosidades: o nome significa "borbole- tas", por causa de seu formato. Algumas de suas variações ganharam nomes também re- ferentes ao mundo animal, como lumachine ("minhoquinhas", em italiano), coralli ou corallini ("coral") e fischiotti (uma espécie de pato). Gloria patri - Ingredientes: farinha, ovos e água. Como é servida: geralmente em sopas, com condimentos tradicionais de cada região. Onde é encontrada: Marche e Úmbria. Curiosidades: o nome significa "Glória ao Pai". Donas de casa, na cozinha, costumavam rezar orações como o pai-nosso ou ave-maria para medir o tempo de cozimento da pasta. Gloria patri era reservada apenas para os dias de festividades porque exigia um processo de preparo longo e trabalhoso. Os pauzinhos usa- dos para fazê-la eram de um tipo muito espe- cífico de madeira, como a faia. Mafalda - Ingredientes: farinha de trigo duro e água. Como é servida: como o espaguete, com molhos tradicionais de acordo com a região. Onde é encontrada: por toda a Itália. Curiosidades: o nome é uma homenagem à princesa Mafalda, nascida em 1902. No co- meço do século 20, um pequeno grupo de massas foi dedicado à casa real de Savoia, os novos monarcas italianos. Têm o mesmo for- mato que a mafalda as massas chamadas regine, "rainhas", e seus diminutivos, como reginelle e reginette, além de signorine, "se- nhorita". Colaboração: Brasiliana Massas – rua Padre João Wislinski, 567 Santa Cândida - 3357-1428
  13. 13. 14 Criação do meu pai O fazendeiro chega na beira do rio com sua criação de vacas e pergunta para o Joãozinho que está em cima da cerca: - Esse rio é fundo menino? O Joãozinho responde: - Não, a criação do meu pai passa com a água no peito. Então o fazendeiro passa sua criação e lá pelo meio do rio todas as vacas se afogam. Desesperado ele pergunta para o menino: - Caracas! Seu pai cria o quê, moleque filho da puta? - Pato. -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Saudades é fogo Depois de algum tempo viajando, o sujeito entrou numa boate, deu R$ 2.000,00 para a cafetina e pediu: - Eu quero a mulher mais feia da casa e um prato de macarrão bem gorduroso! A mulher respondeu: - Olha cavalheiro, por esse dinheiro, você pode ter uma mulher linda e um prato finíssimo! - Minha senhora, eu não estou com tesão. Eu estou com saudades da minha casa. -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- O banqueiro Certa tarde, um famoso banqueiro ia para casa em sua “limusine” quando viu dois homens à beira da estrada, comendo grama. Ordenou ao seu motorista que parasse e, saindo, perguntou a um deles: - Porque vocês estão comendo grama? - Não temos dinheiro para comida.. - disse o pobre homem - Por isso temos que comer grama. - Bem, então venham à minha casa e eu lhes darei de comer - disse o banqueiro. - Obrigado, mas tenho mulher e dois filhos comigo. Estão ali, debaixo daquela árvore. - Que venham também - disse novamente o banqueiro. E, voltando- se para o outro homem, disse-lhe: - Você também pode vir. O homem, com uma voz muito sumida disse: - Mas, senhor, eu também tenho esposa e seis filhos comigo! - Pois que venham também. - respondeu o banqueiro.E entraram todos no enorme e luxuoso carro. Uma vez a caminho, um dos homens olhou timidamente o banqueiro e disse: - O senhor é muito bom.. Obrigado por nos levar a todos! O banqueiro respondeu: - Meu caro, não tenha vergonha, fico muito feliz por fazê-lo! Vocês vão ficar encantados com a minha casa!... A grama está com mais de 20 centímetros de altura! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Na sexta não dá Um casal vai a um psicólogo. Logo que chegam ao consultório, o terapeuta pergunta qual é o motivo da consulta. A mulher tira uma lista bem grande e detalhada de todos os problemas que tiveram em 25 anos de casados: É... pouca atenção, falta de intimidade, vazio, solidão, não me sinto amada e desejada... por aí vai. Finalmente, o psicólogo se levanta, aproxima-se da mulher, pede que ela também se levante, abraça e a beija com paixão, enquanto o marido os observa, impressionado. A mulher fica muda e se senta meio atordoada. O terapeuta vira para o marido e diz: - Isto é o que sua mulher precisa pelo menos 3 vezes por semana! Você consegue? O marido pensa um pouco e responde: - Bom, eu posso trazê-la segunda e quarta, mas, às sextas, eu jogo bola! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Outra do Joãozinho A professora (muito gostosa) entra no banheiro atrás do Joãozinho, e pega o menino com a mão na massa (depenando o sabiá): - Joãozinho!! O que é isso, menino? E ele diz: - Professora! Que susto! A senhora não morre tão cedo. -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- O portuga No leito de morte, a esposa, com remorsos, resolve fazer uma confissão: - Joaquim, preciso dizer-lhe uma coisa que está me atormentado há anos e acho que a hora certa é esta. Nosso filho mais velho... - Que tem ele? - pergunta o marido, assustado. - Não é teu! - diz a esposa, chorosa. - Ah, é isso... - suspira aliviado. - Você acha pouco? - pergunta a mulher, surpresa. - Não te preocupes com isso agora, mulher. - responde o marido. E, abaixando a cabeça, prossegue: - Sabes... O nosso filho Joaquim... não é teu! - Mas como, Manoel? - diz a mulher, entre surpresa e atônita. - Sim, eu sei, mas não te lembras do primeiro dia na maternidade? - diz ele. - Claro que lembro, como poderia esquecer? - O Joaquinzinho fez cocô e você me mandou trocá-lo... - Pois é... Eu o troquei por outro bebezinho que estava limpinho!
  14. 14. 15
  15. 15. 16

×