ANÁLISE DE
COMPORTAMENTO
DE PÚBLICO
MORTE DE EDUARDO CAMPOS
METODOLOGIA
Foram analisadas 2.048 postagens no Twitter, entre 13h10 e 17h59 do dia 13/08/2014,
que mencionassem Eduardo C...
PRIMEIRO PERÍODO | 13h10 - 14h
• Parte majoritária do público buscou disseminar
teorias conspiratórias contra o PT e piada...
SEGUNDO PERÍODO | 14h - 17h59
• Após o choque inicial, viu-se uma grande
diminuição nas “piadas” e afirmações
conspiratóri...
PRIMEIRO PERÍODO | 13h10 - 14h
• Analisando os políticos que foram mencionados
dentro do contexto Eduardo Campos,
percebem...
• Menções deixaram de citar outros
presidenciáveis, focando suas publicações em
Eduardo Campos.
• Citações à presidenta Di...
COMPARATIVO
PRIMEIRO E SEGUNDO PERÍODO
Primeiro Período (13h10 - 14h)
Segundo Período (14h - 17h59)
CONCLUSÕES
• Primeira reação na rede tem caráter imediatista; o usuário tende a buscar
exclusividade, seja na informação ou no humor....
Gauge | Estudo de Comportamento de Público - Morte de Eduardo Campos
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Gauge | Estudo de Comportamento de Público - Morte de Eduardo Campos

1.629 visualizações

Publicada em

A morte do candidato à presidência da República, Eduardo Campos, a três meses das eleições chocou o país nesta quarta-feira, 13 de agosto de 2014. O comportamento no Twitter mudou significativamente à medida que as horas passavam e a vida pessoal do político ganhava destaque na imprensa. Piadas, ironias e teorias conspiratórias, que se destacavam às 13h, reduziram significativamente nas horas posteriores, dando lugar ao posicionamento solidário à família do político.

Este estudo buscou entender o comportamento do público no microblog após a morte de uma personalidade importante, com o intuito de ressaltar a variação que ocorre entre a recepção inicial do fato e a repercussão nas horas seguintes.

Publicada em: Mídias sociais
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.629
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.154
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gauge | Estudo de Comportamento de Público - Morte de Eduardo Campos

  1. 1. ANÁLISE DE COMPORTAMENTO DE PÚBLICO MORTE DE EDUARDO CAMPOS
  2. 2. METODOLOGIA Foram analisadas 2.048 postagens no Twitter, entre 13h10 e 17h59 do dia 13/08/2014, que mencionassem Eduardo Campos. Isso representa uma amostra do volume bruto, de 126.901 menções, com nível de confiança de 95% e erro amostral de 3%. A análise se divide em dois períodos: Entre 13h10 e 13h59, e entre 14h e 17h59. Publicações anteriores a 13h10 não foram consideradas com o intuito de evitar mensagens de boatos não confirmados. OBJETIVOS • Entender o comportamento do público no Twitter nas primeiras horas após a morte de uma personalidade. • Entender as diferenças entre a recepção inicial da notícia e a repercussão das próximas horas.
  3. 3. PRIMEIRO PERÍODO | 13h10 - 14h • Parte majoritária do público buscou disseminar teorias conspiratórias contra o PT e piadas sobre o acidente. • O perfil @instagranzin teve a maior repercussão do período, somando 4.349 RTs. • Menções classificadas como “Afirmação de Ódio” trazem percepções negativas sobre outros candidatos, com público desejando que outros presidenciáveis estivessem no lugar de Campos.
  4. 4. SEGUNDO PERÍODO | 14h - 17h59 • Após o choque inicial, viu-se uma grande diminuição nas “piadas” e afirmações conspiratórias. • A troca de informações se tornou mais relevante, com compartilhamentos de notícias sobre Eduardo Campos e informações sobre o acidente. • Afirmações de luto passaram a ser mais relevantes e menos contidas, com público buscando maior conhecimento sobre a vida do político pessoal e pública, ocorrendo uma sensibilização dos interessados no assunto.
  5. 5. PRIMEIRO PERÍODO | 13h10 - 14h • Analisando os políticos que foram mencionados dentro do contexto Eduardo Campos, percebemos grande presença de Dilma Rousseff. • Publicações que citaram a presidente teceram teorias conspiratórias sobre o acidente. Em segundo plano, Dilma foi associada em citações de ódio.
  6. 6. • Menções deixaram de citar outros presidenciáveis, focando suas publicações em Eduardo Campos. • Citações à presidenta Dilma Rousseff foram representadas, principalmente, por RTs na mensagem de luto publicada em seu perfil. SEGUNDO PERÍODO | 14h - 17h59
  7. 7. COMPARATIVO
  8. 8. PRIMEIRO E SEGUNDO PERÍODO Primeiro Período (13h10 - 14h) Segundo Período (14h - 17h59)
  9. 9. CONCLUSÕES
  10. 10. • Primeira reação na rede tem caráter imediatista; o usuário tende a buscar exclusividade, seja na informação ou no humor. A busca por RTs torna-se mais importante do que o fato. • Com o passar do tempo, a imprensa começa a trazer mais informações sobre o político, destacando sua carreira pública e vida pessoal. • Essa movimentação da mídia acaba por gerar maior sensibilidade no público. As piadas diminuem, dando espaço para afirmações solidárias. • Também percebemos uma reeducação do público com o passar do tempo. Perfis humorísticos se omitiram, possivelmente após receber críticas dos próprios amigos, dando lugar a mensagens de apoio. • Não há, nesse primeiro momento, grande preocupação do público com especulações sobre o futuro da corrida presidencial. No entanto, existe a tendência de crescimento conforme a dissipação do choque inicial.

×