ESCOLA LIBERTADORA:
Conflitos Intelectuais em
Aulas Participativas
Prof. Mtd. Rafael C. Lima
Ferraz de Vasconcelos-SP, 04 ...
O que é educação libertadora?
[...] existem situações conflitantes,
desafiantes, que a aplicação de técnicas
convencionais, simplesmente não
resolvem pr...
Quais temas podem gerar
conflitos em sala de aula?
REPARAÇÕES
 Pré-conhecimentos que antecedem as aulas;
 Humanização;
 Tirar o foco do conflito;
 Atribuir valor a const...
HUMANIZAR PARA APRENDER
 Abertura ao diferente
Se a diversidade é a maior riqueza de um grupo, a tolerância com o diferen...
Vamos praticar a Educação
Progressiva Libertadora?
 Responda as questões, a
seguir:
1) De acordo com o pensamento freireano, a prática pedagógica é,
por natureza, política. Um professor que assuma uma dimen...
2) Dentre os saberes necessários à prática educativa,
Paulo Freire destaca a “escuta”. Escutar, no sentido
freireano, sign...
Considerações
A escola que adotar,
deve:
Fornecer subsídios para a
formação do professor;
Parceria familiar e
comunitária;...
Obrigado!!!
Conflitos intelectuais em aulas participativas
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Conflitos intelectuais em aulas participativas

310 visualizações

Publicada em

Escola Libertadora: Conflitos Intelectuais em Aulas Participativas

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
310
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conflitos intelectuais em aulas participativas

  1. 1. ESCOLA LIBERTADORA: Conflitos Intelectuais em Aulas Participativas Prof. Mtd. Rafael C. Lima Ferraz de Vasconcelos-SP, 04 de agosto de 2015
  2. 2. O que é educação libertadora?
  3. 3. [...] existem situações conflitantes, desafiantes, que a aplicação de técnicas convencionais, simplesmente não resolvem problemas [...] (SCHÖN, 1997, p.21)
  4. 4. Quais temas podem gerar conflitos em sala de aula?
  5. 5. REPARAÇÕES  Pré-conhecimentos que antecedem as aulas;  Humanização;  Tirar o foco do conflito;  Atribuir valor a construção do conhecimento;  Diálogo (Freire, 2009); Portanto, o respeito é o fator mais importante para a tarefa de educar (FREIRE, 2009).
  6. 6. HUMANIZAR PARA APRENDER  Abertura ao diferente Se a diversidade é a maior riqueza de um grupo, a tolerância com o diferente é essencial.  Flexibilidade “jogo de cintura” é fundamental para se lidar com diferentes pessoas e situações.  Respeito à individualidade O preconceito é um dos maiores entraves para as novas ideias e incentivo à padronização de comportamentos, eliminando as tão importantes diferenças.  Saber falar e saber ouvir ideias A comunicação fluida envolve o falar e principalmente o ouvir.
  7. 7. Vamos praticar a Educação Progressiva Libertadora?  Responda as questões, a seguir:
  8. 8. 1) De acordo com o pensamento freireano, a prática pedagógica é, por natureza, política. Um professor que assuma uma dimensão social e política no seu fazer, deveria investir em:  (A) uma prática que contribua para a constituição da própria individualidade e autonomia dos alunos.  (B) um exercício de análise das competências e habilidades de seus alunos para adaptá-los na sociedade em que vivem.  (C) uma prática que oriente os alunos na direção do reconhecimento das políticas culturais que incentivam a verdadeira arte.  (D) um exercício de seu direito de orientar os alunos de acordo com seus princípios político-ideológicos.  (E) uma prática que preserve o espaço da escola de debates políticos que não tematizem a arte e que desviem o foco estético. (Concurso Vunesp – 26/07/2015 – Questão 47 – Diretor de Escola Livre de Música – Prefeitura de Municipal de Arujá-SP).
  9. 9. 2) Dentre os saberes necessários à prática educativa, Paulo Freire destaca a “escuta”. Escutar, no sentido freireano, significa:  (A) saber retirar do discurso suas incoerências, a fim de identificar os objetivos do falante.  (B) ser capaz de interpretar as segundas intenções presentes em diferentes discursos.  (C) poder analisar os vários níveis de vocabulário, de sotaque e de expressões idiomáticas, a fim de contextualizar o falante.  (D) estar sempre disponível para a abertura à fala, aos gestos e às diferenças do outro.  (E) estar apto a perceber as falhas e lacunas no discurso do outro para poder ajudá-lo a se expressar melhor. (Concurso Vunesp – 26/07/2015 – Questão 33 – Diretor de Escola Livre de Música – Prefeitura de Municipal de Arujá-SP).
  10. 10. Considerações A escola que adotar, deve: Fornecer subsídios para a formação do professor; Parceria familiar e comunitária; Pensamento crítico individual; Conhecimento intelectual a sua coletividade.
  11. 11. Obrigado!!!

×