Garota vermelha - robert

189 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
189
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Garota vermelha - robert

  1. 1. Garota Vermelha L. K. Angell
  2. 2. Garota Vermelha Capítulo I: Robert Helen Jane abriu os olhos vagarosamente, tentando aproveitar e se relembrar ao máximo das notícias que tinha tido na noite anterior. Noiva! Eu estou noiva! Ela nunca imaginou que quando chegasse em casa, exausta, encontraria seu eterno Robert a esperando. Foi o melhor jantar da sua vida, com um lindo anel de diamantes no fim_ ah, fora o sexo maravilhoso... Helen se virou para o lado, passou a mão sobre a cama, apalpando delicadamente o corpo de Robert. Ela sentiu o peito dele subir e descer com sua respiração calma de quem dorme tranquilo. Os lábios de Helen procuraram automaticamente os de Robert, ainda com os olhos fechados. Se pudesse eu eternizava esse momento. _Amor?_ A voz suave e grossa de Robert cortou o ar, fazendo-a abrir sobressaltada os olhos. A mulher sedutora, com cabelos loiros e olhos castanhos avermelhou as bochechas, desejava poder se esconder embaixo da coberta como nas noites de tempestade de quando era criança. _Amor?_ A voz de Robert se repetiu sem resposta, exceto pelo sorriso que começava a aparecer em seu rosto, ainda vermelho_ Não quer continuar? Oh meu Deus... Helen sabia o que ele queria... E ela também desejava. Depois do sexo intenso da noite_ e madrugada_ ela apenas desejava ainda mais sexo. Não que fosse muito esnobe, mas o pau de seu namorado era... Fantástico (e mágico), grande e grosso, bem durinho sempre... Oh meu Deus... Sua cabeça discordava, mas seu corpo desejava muito ter mais sexo. Quase nem percebeu quando suas mãos um pouco trêmulas levantaram a coberta para olhar o corpo de seu noivo. Ele estava excitado, a ponto de bala, desejando ela. Ela também o desejava, sua... Bem, você sabe... Estava bem molhada, ansiando por um pau bem gostoso para arrombar. Helen lançou a cabeça embaixo da coberta. A única coisa que separava ela de seu homem era o escuro completo que se formava da sua boca ao pau. Delicadamente ela chegou no pênis. Pegou-o com a mão direita e o sentiu... Estava mais duro que ferro. Sentia-o pulsar, e também a mão de seu namorado em sua nuca, jogando e forçando sua cabeça contra o pau grosso. Não perdeu nem mais um minuto e começou...
  3. 3. Seus lábios vermelhos borrados pelo batom que não tinha tirado na noite passada, formaram um biquinho para dar um selinho na cabeça do pau. Beijo outras duas vezes, enquanto sua mão massageava o corpo do pau. Sua buceta estava molhando tanto quanto o pau de Robert, que nesse momento recebia com carinho um chupada na cabeça toda. Era um vai e vém frenético na cabeça do pau que a cada vez, ia mais fundo em sua garganta, arrombando sua boca com o prazer que dominava não só Robert mas também a si mesma. Gemidos baixinhos vinham do lado de fora da coberta. A mão grossa, firme e forte de Robert acariciava sua cabeça, enquanto tentava socar sua boca cada vez mais em seu pau melado que babava aquele líquido salgadinho na garganta de Helen. Helen Jane chupava com força, engolindo da cabeça do pau até o fim. Lambuzava de batom vermelho forte todo o pênis. _Ahhh..._ Robert gemeu fundo enquanto Helen continuava chupando o pênis_ Vai, chupa, vai! Helen chupou mais ainda, fazendo aquele homem se encolher embaixo de si. É uma sensação única a de fazer um homem sentir prazer. Era ela quem mandava... Ela chupava com força, fazendo gemidos sair de Robert e sua buceta ficar molhada, escorrendo uma gota entre suas pernas... _Ahhh..._ Robert gemeu mais fundo, um aviso discreto de que iria gozar. Helen voltou a chupar a cabeça grande do pau gostoso de Robert. Ela latejava e escorria aquela porra deliciosa... Ela sentia a cada movimento de sua língua envolta da cabeça, um novo gemido. Ela socou com força o pau inteiro na garganta, sentia um pouco de dor pelo tamanho e grossura, mas mesmo assim amava fazer aquilo... Socou mais uma vez, o prazer aumentava mais e mais, e pela última vez ela socou, enfiando com força tudo o que pode na boca e na garganta... Se sentia arrombada quando o líquido salgadinho e um pouco grosso escorreu dentro de si. Tomou com orgulho todo o líquido. Continuava com o vai e vém um pouco mais calmo. Robert ainda gozava, e ela engolia tudo o que conseguia. A porra que não engolia, acabava escorrendo em sua boca, lambuzando seus lábios e pingando nos lençóis. Helen continuou chupando, até o pênis amolecer em seus lábios. Saiu de baixo da coberta, tímida, a boca parecia dez vezes mais larga que antes... O meu Deus, amo até quando Robert arromba minha boca! _Que boquinha gostosa..._ Robert estava com um sorriso safado no rosto. Seu maxilar quadrado irradiava prazer, como se Helen ainda continuasse o chupando gostoso. Helen ainda não falou nada. Apenas passou sua língua pelos lábios, tirando o pouco batom e porra que estava ali. _Te amo_ disse por fim, sentindo Robert abraçar. Suas pernas estavam abertas, úmidas e
  4. 4. pedindo por um pau entre elas... Estava tão molhadinha... O dedo gostoso de Robert caminhou por entre suas coxas, enquanto ele ficava em cima de Helen, recuperando o fôlego enquanto a beijava. _Agora é a minha vez de sentir prazer_ disse safada, com a voz mansa e um olhar provocador, Helen Jane. _Agora eu vou te fazer mulher!_ Robert rodou o dedo indicador nas paredes dentro da buceta molhada de Helen. Ele sabia que era o único que a fazia mulher.

×