Serras e Serrotes

5.727 visualizações

Publicada em

Guia bem completo sobre os tipos de Serrote e serras, e seus usos.

Publicada em: Aperfeiçoamento pessoal
1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.727
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
99
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
101
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Serras e Serrotes

  1. 1. Serras e serrotes - como utilizar Um serrote nada mais é do que uma folha de aço com uma sucessão de arestas afiadas — os dentes — cuja forma e dimensões variam conforme o tipo de trabalho a realizar. Quanto maior for o número de dentes por polegada ou centímetro que uma folha de serra apresente, mais fino será o corte que esta executa. Quase todos os tipos de serrote têm os dentes inclinados no sentido longitudinal da folha e alternadamente dobrados para a direita e para a esquerda no sentido transversal. Esta característica — a que se dá o nome de trava — permite cortar facilmente sem que o serrote prenda. Permite também, enquanto se está serrando, alterar ligeiramente a linha de corte, pois a trava torna a largura do corte maior do que a espessura da folha. Uma trava correta é tão importante como um gume bem afiado. Quando vemos serrotes de marcas renomadas, como Veritas por exemplo, sempre nos deparamos com dois tipos de afiação nos serrotes, são eles em inglês: crosscut saw e o ripcut saw. O serrote para crosscut serve para serrar de forma transversal ou perpendicular em relação às fibras da madeira, enquanto que o ripcut serve para
  2. 2. serrar de forma longitudinal ou paralela às fibras da madeira. Este artigo tem a intenção de mostrar como são os dois tipos de dentes, porque cada tipo funciona de forma ideal para o corte transversal ou longitudinal. Essa é a visão lateral dos dentes cross de um serrote ocidental, eles são em formato de ponta de faca e cortam com a lateral. Já os dentes rip são em formato de formão e cortam com o topo.
  3. 3. Olhando os serrote de frente, vemos esse padrão dos dentes. Vemos que os dentes rip são retos no topo, enquanto os dentes cross possuem as laterais mais altas. Para exemplificar o uso dos dois tipos de dentes, fiz um desenho esquemático mostrando as fibras da madeira em grande ampliação. Vamos ver abaixo porque cada tipo de dente é melhor para cada caso. Se formos cortar de forma paralela às fibras qual dente é melhor usar, o em formato de formão (rip) ou em formato de ponta de faca (cross)? Pelo desenho acima fica claro que se usar o dente cross ele vai entrar entre as fibras da madeira; no final das contas ele vai cortar mas não de forma eficiente. Já se usarmos o dente rip, em formato de formão, ele vai cortar as fibras de forma bem eficiente, sem entrar entre as fibras.
  4. 4. Esse é o resultado de um corte longitudinal com o dente rip. Agora vamos fazer um corte de forma transversal às fibras. Agora se usarmos o dente rip em formato de formão ele irá serrar mas irá rasgar e esfacelar as fibras, deixando um corte sem acabamento. Já usando o dente em formato de ponta de faca ele irá serrar cortando as fibras ao meio, deixando um corte bem limpo na madeira.
  5. 5. E esse é o resultado do corte transversal usando os dentes cross. O desenho não ficou perfeito, mas acredito que dê para perceber bem que o dentre cross faz um corte transversal limpo na madeira. Agora vou mostrar uns desenhos mais realistas, do que acontece quando usamos o dente correto para cada tipo de corte. O dente rip faz um corte com o fundo reto.
  6. 6. Cada dente age como um minúsculo formão, cortando as fibras da madeira no sentido longitudinal. E o resultado de um corte transversal usando os dentes cross é esse, com o fundo é em forma de “V” invertido. Pelo desenho podemos notar que os dentes começam serrar pelas laterais do corte e conforme vão afundando na madeira vão limpando o centro do corte, isso confere um ótimo acabamento no corte transversal. E por fim tenho algumas fotos de exemplos práticos mostrando os cortes na madeira. Fiz cortes de todos jeitos usando ora o dente correto e ora o dente errado para cada corte, justamente para mostrar a diferença entre os dentes.
  7. 7. Aqui um corte longitudinal. Usando o tipo de dente correto, o rip, ele corta a madeira rapidamente e deixa o fundo do corte reto. Usando o dente cross até conseguimos cortar, mas é mais demorado, as pontas dos dentes se encravam entre as fibras e dá a sensação de que os dentes estão prendendo na madeira, se arrastando com mais dificuldade; podemos notar também que o fundo do corte é em formato de “V” invertido. Aqui um corte transversal. Usando o dentre cross vemos que as pontas dos dentes vão serrando a lateral do corte e aos poucos limpando o centro do corte. Fiz também um corte com os dentes rip mas o corte não fica com um acabamento bom.
  8. 8. Aqui o mesmo corte com os dentes rip da foto anterior em close, mostrando como a lateral do corte fica com um acabamento ruim, pois quando fazemos um corte transversal usando o dente rip ele vai arrebentando as fibras da madeira em vez de cortá-las. Os cortes acima foram feitos usando um serrote japonês, um ryoba que possui dentes rip de um lado e cross do outro. Os dentes rip dos serrotes japoneses são iguais aos ocidentais, os ângulos por vezes são um pouco diferentes, mas o formato básico é o mesmo. Já os dentes cross japoneses são diferentes dos ocidentais, a função é exatamente a mesma mas o o desenho é diferente.
  9. 9. Esse é o formato dos dentes cross de um serrote japonês. Cada dente possui três faces, além das duas faces laterais, como os ocidentais, ele possui uma face a mais na ponta. E aqui um close dos dentes cross dos serrotes japoneses. O formato dos dentes cross japoneses propiciam um corte extremamente macio e com ótimo acabamento. Não posso dizer que esse formato é melhor que o ocidental pois nunca usei um bom serrote crosscut ocidental, um serrote de qualidade. Para corte rip já usei tanto serrotes japoneses quanto um ótimo ocidental, da Veritas, e posso dizer que no final das contas o que importa é a qualidade do serrote, inclusive já passei maus bocados com serrote japonês de má
  10. 10. qualidade. Sendo ambos de qualidade, a preferência entre um japonês e um ocidental vai ser por gosto pessoal mesmo; eu uso ambos, me dou melhor com um ocidental para rabo de andorinha, mas prefiro os japoneses para espigas, como falei, é algo muito pessoal. Um rabo de andorinha por exemplo é basicamente um corte rip, já em uma espiga temos os dois tipos de corte, tanto rip quanto cross. Agora depois disso vocês já sabem porque há os dois tipos de dentes, cross e rip, e como escolher o serrote ideal para uma função específica. Quanto mais tempo despender nos cuidados dedicados à sua serra ou ao seu serrote, maior será a sua duração. Unte as folhas dos serrotes e serras com um óleo fino, a fim de evitar que enferrugem; não se esqueça, porém, de limpar todos os vestígios de óleo antes de começar a cortar, já que, do contrário, a madeira ficará manchada. Esfregue a folha de um serrote que está sendo utilizado com uma vela para facilitar o corte. Se, porém, a folha apre-sentar ferrugem, limpe-a com paiha de aço embebida em aguarrás.
  11. 11. Como afiar uma serra e um serrote Uma serra ou um serrote bem afiados e com uma trava perfeita são essenciais para cortes rápidos e fáceis. Se a serra ou o serrote precisarem ser afiados, você pode mandá-los a uma oficina especializada ou então realizar esse trabalho, poupando, assim, tempo e dinheiro. Para começar, tente afiar uma folha de serrote que seja relativamente nova, na qual é fácil reconhecer os ângulos dos dentes. Utilize uma lima triangular, ou de 3 quinas — uma de 150 mm para serrotes normais e outras serras grandes e outra de 80 mm a 100 mm para serrotes de costas •—, e ainda um alicate de travar, ou travadeira, para assegurar a constância do ângulo de dobra dos dentes. Em primeiro lugar, fixe o serrote numa prensa, colocando uma peça de madeira — régua — de cada lado, para que aquele fique bera apertado em todo o seu comprimento. Com um serrote de recortes, dê a estas peças de madeira a forma necessária para se adaptarem ao cabo e aperte-as na prensa, deixando apenas os dentes do serrote salientes. Se preferir, você pode construir uma armação própria para afiar. Partindo do cabo, lime o primeiro dente que se encontre rombudo, mantendo a lima inclinada para a frente. Se se tratar de um serrote de serrador, segure a iima horizontalmente e em ângulo reto com a folha. Se se tratar de um serrote universal, de traçar ou de costas, trabalhe com a lima numa posição horizontal, mas com uma inclinação de cerca de 60° em relação à folha. Guíe-se pelo ângulo original e, por
  12. 12. duas ou três vezes, lime firmemente, mas com cuidado, o dente que pretende afiar, até todo o lado brilhar, incluindo o bico. Passe para o terceiro dente, deixando, portanto, um de intervalo, e assim sucessivamente até o fim da folha, afiando todos os dentes voltados para a frente. Depois, vire o serrote de modo que os dentes já limados apontem para o sentido contrário e repita a operação. Travando a serra e o serrote Alicate de trava Segue-se a operação da trava, como pode ser visto na figura ao lado. Antes de começar esta operação, levante um pouco mais a serra entre as réguas de madeira. Ajuste o mostrador graduado da travadeira de modo que o número que aparece na parte superior corresponda ao número de dentes por polegada que a folha possui. Se preferir, você pode utilizar um número mais alto para obter uma trava mais fina, no caso de querer usar o serrote principalmente para madeira mole. Trave os dentes alternadamente; em seguida, vire a serra para travar os restantes. A travadeira é usada tal como um alicate comum, adaptando-se ao dente que será travado por meio do aperto dado aos seus cabos. Serrote de serrador Os serrotes de serrador foram concebidos para um trabalho específico — cortar rapidamente madeira ao correr do veio. Se você tiver uma grande quantidade de madeira para serrar, deve comprar um serrote deste tipo. Os dentes destes serrotes, geralmente em número de 4 por polegada, assemelhamse a uma série de pequenos formões. Se forem utilizados para cortar transversalmente ao veio, dilacerara
  13. 13. as fibras, tornando o corte imperfeito. O serrote cortará melhor se a folha fizer com a madeira um ângulo de 60? Se você pretender serrar peças curtas, utilize apenas um cavalete, mudando a posição da peça quando o corte ultrapassar metade do comprimento desta. Se as peças forem compridas, serão necessários dois cavaletes ou bancos. Comece a cortar numa extremidade, continue entre os cavaletes ou bancos e' termine para além do segundo apoio. Serrote de traçar O serrote de traçar apresenta dentes próprios para cortar madeira grossa transversalmente ao veio. Contudo, como proporciona um acabamento imperfeito, só vale a pena adquirilo se você tiver de efetuar frequentemente trabalhos pesados. Nunca serre entre os cavaletes transversalmente ao veio, pois a madeira pode curvar, prender a serra ou mesmo rachar. Coloque a madeira de forma que a parte a ser eliminada fique para além do apoio. Para acertar o topo de uma peça de madeira, fixe-lhe outra com um grampo, trace uma linha e serre-as conjuntamente.
  14. 14. Serra tico-tico e serrote de ponta A serra tico-tico, arco de serra tico-tico, ou serra de rodear com armação metálica, é a ferramenta mais indicada para cortes em curvas com qualquer forma. No entanto, a profundidade do corte não pode ser superior à distância que vai da folha à parte de cima da armação. De utilidade múltipla, esta serra pode ser utilizada, por exemplo, para cortes de tábuas de assoalho, cortes em redor de tubos, no acerto de malhetes, etc., podendo os cortes começar e terminar nós cantos da madeira ou nos interiores das peças. Se você tiver de fazer um corte interior, abra, primeiro, um furo na parte não aproveitável da madeira, introduza nele a lâmina, fixe-a na armação e, em seguida, serre de acordo com o formato que pretende obter. A serra tico-tico existe apenas num tamanho. As suas folhas, removíveis, são substituídas quando lisas, já que não podem ser afiadas. Podem ser adquiridas avulsas. Ao comprar uma folha de serra tico-tico, especifique se a pretende para trabalhar madeira, uma vez que existem folhas para metal, as quais não podem ser utilizadas em madeira, devido à inclinação dos dentes. Os serrotes de cabelo, também designados por arcos de serra tico-tico de volta larga, consistem num tipo de serra de rodear em que a altura da armação é maior, permitindo, por conseguinte, cortes a maiores profundidades. As folhas são montadas nos suportes de fixação, ou torneis, situados em cada extremidade da armação, sendo a distância entre eles maior do que o comprimento da folha. Quando esta está colocada, a elasticidade natural da armação a estica, impedindo-a de curvar. Para colocar a folha, desaparafuse o cabo e faça o suporte de fixação deslizar para a frente. Segure firmemente a armação com uma das mãos, apertando-a entre o estômago e um ponto fixo, como a bancada, por exemplo, inlroduzindo então a folha nos suportes. Atenção: os dentes devem ficar voltados em sentido contrário ao do cabo Para ajustar a inclinação da folha, gire o cabo, no sentido oposto ao dos ponteiros do relógio, até soltar a folha, alinhe os suportes de fixação, para que a folha forme o ângulo necessário, sem, no entanto, ficar torcida, e aperte novamente o cabo antes de continuar a serrar. Segure sempre o arco de serra tico--tico com as duas mãos no cabo e siga atentamente o trajeto descrito pela folha.
  15. 15. Serrote de ponta Este serrote, além de cortar com lentidão, dificilmente se mantém direito. Apresenta, contudo, a vantagem de poder ser utilizado em locais inacessíveis para outros serrotes. Se, por exemplo, você precisar abrir um furo num painel grande, o serrote de ponta será a única ferramenta manual adequada a este trabalho, a que procederá a partir de um furo aberto com um ferro de furar. As folhas são substituíveis e podem ser adquiridas em diversos tamanhos. Quanto mais comprida for a folha, maior tendência terá para curvar. Embora possa ser endireitada com os dedos, a folha, quando dobrada, ficará sempre com tendência para continuar a encurvar, sendo, portanto, preferível substituí-la. Teoricamente, pode ser afiada; contudo, sendo difícil mante-la firme, é também preferível substituí-la. O serrote de ponta é mais utilizado na abertura de rasgos para colocação de fechaduras. Serra de samblar (ou de rodear) A serra de rodear ou de samblar com armação de madeira, tal como a serra ti-co-tico eom armação metálica, corta segundo uma linha curva e outras trajetó-rias especiais. A sua folha, porém, mais comprida e mais grossa, permite cortar mais depressa e (rabalhar madeiras mais rijas e peças maiores. Não pode, contudo, cortar formas tão complexas como acontece com a serra tico-tico com armação metálica. A folha pode rodar 360°. Para modificar a sua inclinação, fazem-se girar os suportes de fixação. As folhas são substituíveis e moniam-se nos suportes cónicos de fixação, existentes um em cada extremidade da armação. Para esticar a folha, faça girar a cunha central até que o barbante torcido fique tenso. Em seguida, prenda a cunha de encontro à travessa central. Os dentes da serra devem ficar voltados na dire-ção do movimento de corte. A peça que se pretende serrar deve ser fixada na prensa o mais baixo possível, para evitar vibrações. Embora tenha de levantar a madeira frequentemente durante o trabalho, este será facilitado.
  16. 16. Serrote de cabelo ou serra tico-tico de volta larga Este serrote é a ferramenta ideal para a execução de trabalhos em miniatura. Coloque a folha com os dentes para baixo e corte somente no sentido descendente. A inclinação da folha não é ajusta vel. Com o serrote de cabelo, corte sobre a linha traçada, pois o corte é bastante perfeito e não necessita de posterior acabamento. Serrote de costas Este tipo de serrote, cujas costas apresentam um reforço de aço ou de latão, é o mais úti! para trabalhos delicados ou que necesitam de precisão, sendo aconselhável a sua compra. Pode ser utilzado para cortes de peças de emalhetar, ao correr do veio ou transversalmente a este. A sua folha, de dorso rígido, permite também cortar rigorosamente madeira fina. Para fins não especificados, compre um serrote com uma folha de 25 cm a 30 cm e com 14 a 16 dentes por polegada. Para cortar transversalmente ao veio, recorra a uma paralela, ou taleíro, o que facilitará o trabalho. Esta consiste numa base de madeira de 18 cm x 30 cm, apresentando uma travessa com cerca de 16 cm em cada topo, uma na parte superior e outra na parte inferior, as quais servem para fixação da peça a cortar e apoio na bancada. Com a paralela apoiada sobre a bancada, estando a travessa inferior encostada à mesma, segura-se com a mão a peça a cortar de encontro à travessa superior.
  17. 17. Para ter a certeza de que está cortando a madeira à esquadria, trace uma linha na face e no lado principais e observe ambas as linhas enquanto serra. Quando tiver de cortar à meia-es- quadria (ângulo de 45°), para construir, por exemplo, molduras ou guarnições de quadros, você deve utilizar o serrote de costas e uma caixa de meia-esquadria. Serrote de costas para malhetes O serrote de costas para malhetes é um tipo menor de serrote de costas, utilizado quando é necessário obter um corte mais fino Ao contrário do serrote de costas normal, os seus dentes não tem trava. A sua precisão baseia-se no fato de provocar pouca rebarba porque seus dentes estão ligeiramente inclinados Serrote de precisão O serrote de precisão (serrote-faca) é entre os serrotes de costas o de menor dimensão. Apresenta os dentes sem trava. É muito útil se pretende executar pequenos trabalhos como a confecção de delicadas caixas.
  18. 18. Serras Manuais Serra de cabelo ou arco de fio Serra de ângulo 90 e 45 graus Serra de ângulo de 45 a 90 graus
  19. 19. Serra de arco para metal Serrote Serras japonesas para madeira
  20. 20. Serra tico – tico de mesa Serrote elétrico
  21. 21. Serra Tico tico elétrica Serra copo Serra tico –tico para corte de metal
  22. 22. Serra de arco São José Serra fita

×