SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 47
Sumario
   Os conflitos no Oriente médio
Sumario
 Os conflitos no Oriente médio.
 Aquestão palestina.
Sumario
 Os conflitos no Oriente médio.
 Aquestão palestina.
 A Índia.
Sumario
 Os conflitos no Oriente médio.
 Aquestão palestina.
 A Índia.
 O sudeste Asiático.
Sumario
 Os conflitos no Oriente médio.
 Aquestão palestina.
 A Índia.
 O sudeste Asiático.
 Os novos tigres Asiaticos.
Oriente Médio
   O oriente médio é formado por 15 países e uma
 pequena porção do Egito situada em terras
 asiáticas.Na      antiguidade,diversos    povos
 habitaram e dominaram a região,entre os quais
 os caldeus,os egípcios,os gregos e os romanos.
    A partir do século XV,os turcos otomanos
 ocuparam a região,mas ao final do século xix,seu
 poderio passou a ser minado pelos europeus.Os
 franceses dominaram a síria e o Líbano;os
 ingleses ocuparam o Iraque,a Jordânia e o
 Líbano.
    A retirada dos otomanos só se deu no fim da
 primeira guerra mundial (1914-1918).Deu origem
 a Turquia.
Centro vital
   61% das reservas mundiais de petróleo se
 concentram no Oriente Médio.No decorrer do
 século XX foi palco de inúmeros conflitos
 envolvendo diversos países da região,assim como
 de intervenções internacionais por a área ter
 papel de destaque na geopolítica mundial.
O Afeganistão
   O Afeganistão,situado na região centro-
 meridional da Ásia,é o pais mais pobre de toda a
 região.
    No século XIX foi dominado pelos ingleses,que
 lá se mantiveram até a independência,em
 1919.Entre 1979 e 1989,os soviéticos estiveram
 presentes no pais e sua retirada deveu-se à ação
 conjunta de afegãos apoiados pelos EUA,
 Paquistão e Arábia Saudita.Em 1996 os Talibãs
 tomaram o poder e declararam “guerra santa”
 contra o mundo ocidental,particularmente contra
 os estados unidos,foram destituídos do poder em
 2001,mas a paz ainda não reina no pais.
X
   A Faixa de Gaza, uma das extensões de terra mais
    densamente povoadas do mundo, abriga cerca de
    1,2 milhão de palestinos.

   Deste total, 33% vivem em acampamentos de
    refugiados patrocinados pela ONU.

   A Faixa de Gaza também tem 6.900 colonos judeus.
   As zonas controladas por Israel e os assentamentos
    ocupam 40% do território.

   Israel controla todas as fronteiras e as principais
    vias de acesso à região.
ÁREAS CONTROLADAS PELOS PALESTINOS
          NA CISJORDÂNIA
   A Declaração de Princípios de 1993, que surgiu dos
    acordos de paz assinados em Oslo, na Noruega,
    prevê a devolução gradual da administração civil e
    militar da Faixa de Gaza e da Cisjordânia à
    Autoridade Palestina.

   Na Cisjordânia, porém, a Autoridade Palestina não
    tem poder sobre áreas que abrigam assentamentos
    judeus.

   Os palestinos também não administram estradas e
    outras regiões que permanecem sob o controle de
    Israel porque foram qualificadas como áreas
    militares ou reservas naturais.
ASSENTAMENTOS JUDEUS NA CISJORDÂNIA
          OCUPADA - 1999
   Israel justifica a sua plítica de construção de
    assentamentos na Cisjordânia com argumentos
    religiosos e de segurança.

   Os assentamentos e seus territórios adjacentes
    ocupam grandes áreas da Cisjordânia.

   Atualmente, 59% da Cisjordânia está oficialmente
    sob os controle civil e de segurança israelenses.

   O restante do território é governado pela Autoridade
    Nacional Palestina.
ASSENTAMENTO JUDEU NA FAIXA DE
           GAZA
   A Faixa de Gaza, uma das extensões de terra mais
    densamente povoadas do mundo, abriga cerca de
    1,2 milhão de palestinos.

   Deste total, 33% vivem em acampamentos de
    refugiados patrocinados pela ONU.

   A Faixa de Gaza também tem 6.900 colonos judeus.

   As zonas controladas por Israel e os assentamentos
    ocupam 40% do território.

   Israel controla todas as fronteiras e as principais
    vias de acesso à região.
JERUSALÉM - ANTES DE
1967
 Desde que conquistou a totalidade de Jerusalém em
  1967, Israel colocou as partes oriental e ocidental da
  cidade sob sua soberania e controle exclusivos.
 A parte árabe, em Jerusalém Oriental, foi submetida às
  leis civis israelenses.
 Autoridades israelenses redesenharam os limites
  municipais de Jerusalém que foram estendidos para o
  norte e para o sul.
 Em 1980, o Parlamento de Israel aprovou uma lei que
  tornava explícita a anexação de Jerusalém Oriental.
 A partir daí, os principais assentamentos de Israel
  passaram a circundar os perímetros do norte, leste e sul
  da cidade.
 Isso criou uma barreira física entre os palestinos de
  Jerusalém e os que vivem em outras áreas da
  Cisjordânia.
TERRITÓRIO OCUPADO POR ISRAEL EM
              1967
 Em 5 de junho de 1967, Israel atacou o
  Egito, a Jordânia e a Síria e passou a
  ocupar a Cisjordânia, a Faixa de Gaza,
  as Colinas de Golã e a Península do
  Sinai.
 O princípio de "terra por liberdade" —
  presente nas negociações árabe-
  israelenses — é baseado na devolução
  de territórios ocupados em 1967 por
  Israel em troca de acordos de paz.
 Os acordos reconheciam as fronteiras
  de Israel e seu direito à segurança.
 A Península do Sinai foi devolvida por
  Israel ao Egito em 1979 como parte do
  acordo de paz entre os dois países.
LINHA DO ARMISTÍCIO DE 1949
 A Cisjordânia e a Faixa de Gaza tornaram-se
  duas unidades geográficas distintas com o
  resultado da Linha de Armistício de 1949, que
  separou o novo Estado judaico de Israel de
  outras partes da chamada Palestina.
 De 1948 a 1967, a Cisjordânia, incluindo
  Jerusalém Oriental, era governada pela
  Jordânia.
 Durante o período, a Faixa de Gaza esteve
  sob administração militar do Egito.
 Na época da Guerra Árabe-Israelense, Israel
  tomou o controle da parte ocidental de
  Jerusalém, enquanto a Jordânia assumiu o
  lado leste, incluindo a cidade velha, que
  abriga monumentos importantes para as
  religiões judaica, cristã e muçulmana.
ONU - PLANO DE PARTILHA DA
         PALESTINA
 A Assembléia-Geral da ONU aprovou
  em 1947 a partilha da Palestina em
  dois Estados: um árabe e outro
  judaico.
 Jerusalém receberia o status de
  cidade internacional.
 O plano, que foi rejeitado pelos
  palestinos, nunca chegou a ser posto
  em prática.
   O acordo Sykes-Picot, de desmembramento do
    Império Otomano, foi negociado secretamente e
    concluído em maio de 1916, durante a Primeira
    Guerra Mundial.
    Os signatários foram a França e Grã-Bretanha, com a
    anuência da Rússia.
    O acordo levou à divisão da região que hoje
    corresponde a Síria (então controlada pelos turcos),
    Iraque, Líbano e Palestina em várias áreas
    administradas pela França e pela Inglaterra.
    O documento recebeu o nome de seus negociadores,
    o britânico Mark Sykes e o francês Georges Picot.
Israel e a questão Palestina
              A Palestina e sua partilha

              Formação de dois Estados:
              Israel e Palestina

              Proposta da ONU em 1947:
              --Área do Estado Judeu: 56,6%
              (ISRAEL)
              --- Área do Estado Árabe:
              42,9%¨(PALESTINA)
              -- Área Intercionalizada: 0,5%
              (JERUSALÉM)
Conflitos árabes/judeus:
1º conflito (1948/49) – O mundo árabe ataca Israel, desaparece o Estado
Palestino, sendo que uma parte passou a ser ocupada por Israel.
O Egito ocupou a Faixa de Gaza e a Jordânia anexou a Cisjordânia.
2° conflito (1956) - Israel ataca Egito com o auxílio da França e Inglaterra.
MOTIVO – Nacionalização do Canal de Suez pelo Egito
PROBLEMA – O reconhecimento de Israel cada vez mais difícil no mundo árabe.
3° conflito (1967) –Guerra dos Seis Dias
  ou a melhor defesa é o ataque
Euforia árabe com o título: “Vamos jogar
os judeus ao mar”.                                       5

-- Israel contra-ataca e vence, tomando os
seguintes territórios:                               3
--Do Egito    – A Faixa de Gaza e a 2 -
                                                     4
Penísula do Sinai                                1
              1
--Da Jordânia – 3 Cisjordânia e 4 setor
de Jerusalém (que foi anexada
integralmente a Israel)
-- Da Síria – 5 as Colinas de Golã (área
das nascentes do Rio Jordão)
                                             2
Conseqüências desta Guerra
-- Os árabes perdem de forma
humilhante
-- Paira novos conflitos no ar
-- Israel perde parte da popularidade
no mundo quando afirma que não
devolverá terras conquistadas.
4° conflito – Guerra do Yom Kippur
(outubro de 1973) – Síria e Egito
contra Israel.
-- Israel vence a guerra e passa a sofrer o
isolamento diplomático.
-- Perde prestígio em âmbito mundial
-- O mundo árabe se reúne em 1974 e cria a
primeira crise mundial do petróleo, chamada
“Choque Petrolífero”, em conseqüência do
apoio do mundo ocidental à Israel.
A ONU EXIGE DEVOLUÇÃO DAS ÁREAS OCUPADAS PARA A FORMAÇÃO
                   DA PÁTRIA PALESTINA.


-- Israel desconhece o que está acontecendo no mundo, implanta colônias em
áreas conquistadas e afirma que não vai devolvê-las.
-- A Jordânia aceita a perda da Cisjordânia e não mais se envolverá em guerra
contra Israel.
-- O Egito e a Síria empenham em buscar suas áreas perdidas em guerras.
-- A crise mundial do petróleo aprofunda cada vez mais.
-- O Egito aproxima-se mais concretamente dos EUA e consegue mais tarde a
devolução da Península de Sinai e passa a ser considerado traidor da causa
árabe depois que assina o Tratado de Camp David.
A liderança Palestina
-- O líder Yasser Arafat disse: “A Palestina
é a pátria do povo palestino, parte indivisível
da vasta pátria árabe, e o povo palestino é
parte da nação árabe”.
-- Em 1974, a ONU admite a OLP como membro observador e reconheceu o
direito da luta palestina pela sua pátria.
-- Porém, com as perdas de guerras para os judeus (sionismo), Arafar vai
aceitar a divisão proposta pela ONU e passa a ser considerado traidor da
causa árabe.
-- A partir dos anos 1980, a OLP passa a contar com o apoio de diversos
países do terceiro mundo pela sua causa.
-- Surge a milícia islâmica do Hizbollah (palestina) que ocupa o sul do Líbano
e lá permanece até hoje.
8 de dezembro de 1988: Revolta da INTIFADA (Guerra das Pedras)

                                        -- O mundo exige uma solução
                                            para a questão palestina.
                                        -- Arafat aproveita este
                                            momento e volta como
                                            grande líder palestino.
                                        -- Em 1988, o Conselho
                                            Nacional Palestino
                                            declarou na ONU:
                                        a) Rejeição ao terroroismo
                                        b) Aceitação de todas as
                                           resoluções da ONU
 OLP passa a ser considerada            c) Solução da Paz
  traidora e surge com força
grupos HAMAS, HIZBOLLAH (já             d) Aceitação do Estado
   existia) e JIRAD ISLâMICA               Palestino
ANOS 1990 – Israel e tentativas de acordos de
                     paz
                      -- Com ajuda norte-americana, em 1993,
                      Arafat e Rabin assinam o 1° acordo para
                      o futuro Estado Palestino.
  Jericó              -- Israel devolveria a cidade de Jericó e a
                      Faixa de Gaza à OLP (que passa a ser
                      chamada de ANP).
                      -- Este acordo previa que as demais
                      terras da Cisjordânia seriam devolvidas
                      até o dia 13 de setembro de 2000, quando
                      seria formado o Estado Palestino.
                      -- Essas resoluções não aconteceram.
Os problemas com os acordos
-- A ANP começou à enfrentar oposições dos grupos radicais, chamados
HAMMAS, HIZBOLLAH e JIRAD ISLÂMICO; que passaram a fazer atentados
terroristas para que as resoluções assinadas não fossem compridas.
-- Os atentados perturbam exageradamente Israel.
Um dos problemas básicos da questão palestina passa por Jerusalém

 -- Jerusalém é considerada sagrada tanto para os judeus quanto para os
 palestinos.
 -- Palestinos não aceitam perder Jerusalém Oriental que para eles será sua futura
 capital.
 -- Israel considera Jerusalém sua capital indivisível e não quer nenhuma cláusula
 sobre isso com os palestinos.
Problemas do final dos anos 1990 que continuam até
                          hoje
-- Israel retira-se do sul do Líbano e este espaço caiu na mão dos terroristas do
Hizbollah, que declararam vitoriosos frente à Israel e não devolveram o espaço
para o governo libanês .
-- Em meados da 1ª década do século XXI, houve a 1ª guerra entre o Estado de
Israel e a milícia do Hizbollah, “notalizando” uma área dentro de um Estado que
gerou uma nova polêmica mundial.




                                                 Uma nova e polêmica liderança
                                                        contra Israel




  Hassan Nasrallah
Merecem ser destacados como dois fatos importantes
          na Questão Palestina- Judaíca

                    2        1 – Colinas de Golã (nascentes
                             do Rio Jordão) que não foram
                        1
                             devolvidas (veja localização no
                             mapa ao lado)
                             2 - a presença no sul do Líbano
                             dos radicais islâmicos




                                O Rio Jordão é o principal rio
                                        desta região.
Se forem resolvidos os problemas com os grupos radicais (do
HIZBOLLAH, HAMMAS e JIRAD ISLÂMICA) que não aceitam a presença do
Estado de Israel na região, quais os outros problemas que a ANP teria que
resolver para assinar um acordo com o Estado de Israel?
1 – Assentamento judaicos em espaços palestinos.
2 – A questão de Jerusalém Oriental
3 – Refugiados palestinos que querem voltar para a região (cerca de 4 milhões
de pessoas).




                          O Estado de Israel não aceita nenhuma dessas
                          reivindicações.
-- Em 2006, numa decisão surpreendente, o primeiro ministro israelense, Ariel
Sharon, devolveu a Faixa de Gaza para a ANP (Fatah) que passou a receber
ajuda internacional para a formação da futura nação palestina.
Um novo problema: O muro em volta da Cisjordânia.




                                              O primeiro ministro de
                                              Israel manda construir
                                              um muro separando o
                                                Estado de Israel da
                                              Cisjordânia para evitar
                                                  os atentados às
                                                 cidades judaicas.
  --Complica a situação dos palestinos que trabalham para a
  comunidade judaica.
  -- Palestinos acusam que parte do seu território está sendo
  tirada pelo muro.
  -- E realmente os atentados diminuem.
Grupo de terroristas
   do HAMMAS
-- Em 2007, eleições dentro da Faixa de Gaza, levam o
    HAMMAS à vitória e a volta do radicalismo na
    região, quando este grupo passa a chamar o Fatah
    (Líder da ANP) de traidor.
-- A paz na região hoje torna-se cada vez mais difícil pois a
    comunidade internacional não apóia atitude do
    HAMMAS.
•   A perda de prestígio do atual primeiro ministro de
    Israel, Ehud Olmert, depois do ataque do Hizbollah no
    sul do Líbano à Israel fez com que tivéssemos a
    primeira vitória de uma comunidade árabe sob Israel (a
    comunidade internacional acusou Israel de atacar civis
    libaneses).
Índia - Geopolítica
 Principal potencial
  regional
 3,2 milhões de km² -
  7º maior país
 1.100 milhões de
  habitantes – cerca de
  16% da pop. Mundial
Índia – controle populacional
   Desde a década de 1960, há um rígido controle do crescimento
    populacional na Índia, por meio do qual se tenta reduzir a
    pobreza, a fome e a gravidade do quadro social existente no país.
    Para efetuar esse controle foram tomadas várias medidas, entre as
    quais podemos citar: a esterilização em massa da população de
    baixa renda, a limitação do número de filhos para as famílias mais
    carentes e a divulgação de métodos contraceptivos.
   A população com renda mais elevada pode ter até seis filhos.
   A questão do crescimento populacional na Índia está
    relacionada, também, a aspectos culturais. Um exemplo é o fato de
    muitos indianos acreditarem que, tendo um maior número de
    filhos, terão maiores chances de viver confortavelmente quando
    forem idosos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conflitos no Mundo Islâmico
Conflitos no Mundo IslâmicoConflitos no Mundo Islâmico
Conflitos no Mundo Islâmico
Paulo Alexandre
 
Aula oriente médio2
Aula oriente médio2Aula oriente médio2
Aula oriente médio2
Bruna Tiago
 
Oriente médio uma região de conflitos
Oriente médio uma região de conflitosOriente médio uma região de conflitos
Oriente médio uma região de conflitos
Edirlene Fraga
 
Oriente medio geral
Oriente medio geralOriente medio geral
Oriente medio geral
Otavio Megda
 
A Criação do Estado de Israel e a Questão Palestina
A Criação do Estado de Israel e a Questão PalestinaA Criação do Estado de Israel e a Questão Palestina
A Criação do Estado de Israel e a Questão Palestina
eiprofessor
 

Mais procurados (20)

Conflito Árabe-Israelense e a Questão Palestina
Conflito Árabe-Israelense e a Questão PalestinaConflito Árabe-Israelense e a Questão Palestina
Conflito Árabe-Israelense e a Questão Palestina
 
Conflitos oriente
Conflitos orienteConflitos oriente
Conflitos oriente
 
Oriente e Ocidente: Conflitos e Coexistência
Oriente e Ocidente: Conflitos e CoexistênciaOriente e Ocidente: Conflitos e Coexistência
Oriente e Ocidente: Conflitos e Coexistência
 
Conflitos no Mundo Islâmico
Conflitos no Mundo IslâmicoConflitos no Mundo Islâmico
Conflitos no Mundo Islâmico
 
Aula oriente médio2
Aula oriente médio2Aula oriente médio2
Aula oriente médio2
 
Oriente médio prof chris
Oriente médio  prof chrisOriente médio  prof chris
Oriente médio prof chris
 
Conflitos no Oriente Médio
Conflitos no Oriente MédioConflitos no Oriente Médio
Conflitos no Oriente Médio
 
Oriente médio uma região de conflitos
Oriente médio uma região de conflitosOriente médio uma região de conflitos
Oriente médio uma região de conflitos
 
Oriente médio
Oriente médioOriente médio
Oriente médio
 
Conflitos contemporâneos no oriente médio
Conflitos contemporâneos no oriente médioConflitos contemporâneos no oriente médio
Conflitos contemporâneos no oriente médio
 
Conflitos Árabes - Israelenses - aula silmara
Conflitos Árabes - Israelenses - aula silmaraConflitos Árabes - Israelenses - aula silmara
Conflitos Árabes - Israelenses - aula silmara
 
O conflito entre israelenses e palestinos
O  conflito entre israelenses e palestinosO  conflito entre israelenses e palestinos
O conflito entre israelenses e palestinos
 
Oriente medio geral
Oriente medio geralOriente medio geral
Oriente medio geral
 
Aula - Oriente Médio
Aula - Oriente MédioAula - Oriente Médio
Aula - Oriente Médio
 
Oriente Médio
Oriente MédioOriente Médio
Oriente Médio
 
A Criação do Estado de Israel e a Questão Palestina
A Criação do Estado de Israel e a Questão PalestinaA Criação do Estado de Israel e a Questão Palestina
A Criação do Estado de Israel e a Questão Palestina
 
Israel e os conflitos árabes
Israel e os conflitos árabesIsrael e os conflitos árabes
Israel e os conflitos árabes
 
Oriente medio
Oriente medioOriente medio
Oriente medio
 
Conflitos no oriente médio
Conflitos no oriente médioConflitos no oriente médio
Conflitos no oriente médio
 
Conflitos árabe-israelenses
Conflitos árabe-israelensesConflitos árabe-israelenses
Conflitos árabe-israelenses
 

Semelhante a Gabriel-geo grafia

Oriente médio enem
Oriente médio   enemOriente médio   enem
Oriente médio enem
Auxiliadora
 
Oriente médio enem
Oriente médio   enemOriente médio   enem
Oriente médio enem
Auxiliadora
 
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupeOriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Italo Alan
 
Orientemedio parte1 170520101843 (2)
Orientemedio parte1 170520101843 (2)Orientemedio parte1 170520101843 (2)
Orientemedio parte1 170520101843 (2)
Norma Almeida
 
O conflito entre árabes e judeus na palestina
O conflito entre árabes e judeus na palestinaO conflito entre árabes e judeus na palestina
O conflito entre árabes e judeus na palestina
Google
 
Recuperação palestina
Recuperação palestinaRecuperação palestina
Recuperação palestina
Lenne Silva
 
Oriente médio 1
Oriente médio 1Oriente médio 1
Oriente médio 1
delgouveia
 
Recuperação palestina2
Recuperação palestina2Recuperação palestina2
Recuperação palestina2
Lenne Silva
 

Semelhante a Gabriel-geo grafia (20)

Oriente médio
Oriente médioOriente médio
Oriente médio
 
03b conflito_arabe_x_israel
03b  conflito_arabe_x_israel03b  conflito_arabe_x_israel
03b conflito_arabe_x_israel
 
Israel E ..
Israel E ..Israel E ..
Israel E ..
 
Oriente Médio - Terra Santa?
Oriente Médio - Terra Santa?Oriente Médio - Terra Santa?
Oriente Médio - Terra Santa?
 
Conflito árabe israelense
Conflito árabe israelenseConflito árabe israelense
Conflito árabe israelense
 
Oriente médio enem
Oriente médio   enemOriente médio   enem
Oriente médio enem
 
Oriente médio enem
Oriente médio   enemOriente médio   enem
Oriente médio enem
 
Israel e a questão palestina
Israel e a questão palestinaIsrael e a questão palestina
Israel e a questão palestina
 
Fronteiras entre Israel e Territórios Palestinos.
Fronteiras entre Israel e Territórios Palestinos.Fronteiras entre Israel e Territórios Palestinos.
Fronteiras entre Israel e Territórios Palestinos.
 
Geopolítica mundial
Geopolítica mundialGeopolítica mundial
Geopolítica mundial
 
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupeOriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
 
Orientemedio parte1 170520101843 (2)
Orientemedio parte1 170520101843 (2)Orientemedio parte1 170520101843 (2)
Orientemedio parte1 170520101843 (2)
 
O conflito entre árabes e judeus na palestina
O conflito entre árabes e judeus na palestinaO conflito entre árabes e judeus na palestina
O conflito entre árabes e judeus na palestina
 
Recuperação palestina
Recuperação palestinaRecuperação palestina
Recuperação palestina
 
Israel palestina
Israel palestinaIsrael palestina
Israel palestina
 
Oriente médio 1
Oriente médio 1Oriente médio 1
Oriente médio 1
 
Geo 3anos
Geo 3anosGeo 3anos
Geo 3anos
 
Geo 3anos
Geo 3anosGeo 3anos
Geo 3anos
 
O conflito entre árabes e judeus na palestina
O conflito entre árabes e judeus na palestinaO conflito entre árabes e judeus na palestina
O conflito entre árabes e judeus na palestina
 
Recuperação palestina2
Recuperação palestina2Recuperação palestina2
Recuperação palestina2
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 

Último (20)

Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 

Gabriel-geo grafia

  • 1.
  • 2. Sumario  Os conflitos no Oriente médio
  • 3. Sumario  Os conflitos no Oriente médio.  Aquestão palestina.
  • 4. Sumario  Os conflitos no Oriente médio.  Aquestão palestina.  A Índia.
  • 5. Sumario  Os conflitos no Oriente médio.  Aquestão palestina.  A Índia.  O sudeste Asiático.
  • 6. Sumario  Os conflitos no Oriente médio.  Aquestão palestina.  A Índia.  O sudeste Asiático.  Os novos tigres Asiaticos.
  • 7. Oriente Médio O oriente médio é formado por 15 países e uma pequena porção do Egito situada em terras asiáticas.Na antiguidade,diversos povos habitaram e dominaram a região,entre os quais os caldeus,os egípcios,os gregos e os romanos. A partir do século XV,os turcos otomanos ocuparam a região,mas ao final do século xix,seu poderio passou a ser minado pelos europeus.Os franceses dominaram a síria e o Líbano;os ingleses ocuparam o Iraque,a Jordânia e o Líbano. A retirada dos otomanos só se deu no fim da primeira guerra mundial (1914-1918).Deu origem a Turquia.
  • 8. Centro vital 61% das reservas mundiais de petróleo se concentram no Oriente Médio.No decorrer do século XX foi palco de inúmeros conflitos envolvendo diversos países da região,assim como de intervenções internacionais por a área ter papel de destaque na geopolítica mundial.
  • 9. O Afeganistão O Afeganistão,situado na região centro- meridional da Ásia,é o pais mais pobre de toda a região. No século XIX foi dominado pelos ingleses,que lá se mantiveram até a independência,em 1919.Entre 1979 e 1989,os soviéticos estiveram presentes no pais e sua retirada deveu-se à ação conjunta de afegãos apoiados pelos EUA, Paquistão e Arábia Saudita.Em 1996 os Talibãs tomaram o poder e declararam “guerra santa” contra o mundo ocidental,particularmente contra os estados unidos,foram destituídos do poder em 2001,mas a paz ainda não reina no pais.
  • 10. X
  • 11.
  • 12. A Faixa de Gaza, uma das extensões de terra mais densamente povoadas do mundo, abriga cerca de 1,2 milhão de palestinos.  Deste total, 33% vivem em acampamentos de refugiados patrocinados pela ONU.  A Faixa de Gaza também tem 6.900 colonos judeus.  As zonas controladas por Israel e os assentamentos ocupam 40% do território.  Israel controla todas as fronteiras e as principais vias de acesso à região.
  • 13. ÁREAS CONTROLADAS PELOS PALESTINOS NA CISJORDÂNIA
  • 14. A Declaração de Princípios de 1993, que surgiu dos acordos de paz assinados em Oslo, na Noruega, prevê a devolução gradual da administração civil e militar da Faixa de Gaza e da Cisjordânia à Autoridade Palestina.  Na Cisjordânia, porém, a Autoridade Palestina não tem poder sobre áreas que abrigam assentamentos judeus.  Os palestinos também não administram estradas e outras regiões que permanecem sob o controle de Israel porque foram qualificadas como áreas militares ou reservas naturais.
  • 15. ASSENTAMENTOS JUDEUS NA CISJORDÂNIA OCUPADA - 1999
  • 16. Israel justifica a sua plítica de construção de assentamentos na Cisjordânia com argumentos religiosos e de segurança.  Os assentamentos e seus territórios adjacentes ocupam grandes áreas da Cisjordânia.  Atualmente, 59% da Cisjordânia está oficialmente sob os controle civil e de segurança israelenses.  O restante do território é governado pela Autoridade Nacional Palestina.
  • 17. ASSENTAMENTO JUDEU NA FAIXA DE GAZA
  • 18. A Faixa de Gaza, uma das extensões de terra mais densamente povoadas do mundo, abriga cerca de 1,2 milhão de palestinos.  Deste total, 33% vivem em acampamentos de refugiados patrocinados pela ONU.  A Faixa de Gaza também tem 6.900 colonos judeus.  As zonas controladas por Israel e os assentamentos ocupam 40% do território.  Israel controla todas as fronteiras e as principais vias de acesso à região.
  • 20.  Desde que conquistou a totalidade de Jerusalém em 1967, Israel colocou as partes oriental e ocidental da cidade sob sua soberania e controle exclusivos.  A parte árabe, em Jerusalém Oriental, foi submetida às leis civis israelenses.  Autoridades israelenses redesenharam os limites municipais de Jerusalém que foram estendidos para o norte e para o sul.  Em 1980, o Parlamento de Israel aprovou uma lei que tornava explícita a anexação de Jerusalém Oriental.  A partir daí, os principais assentamentos de Israel passaram a circundar os perímetros do norte, leste e sul da cidade.  Isso criou uma barreira física entre os palestinos de Jerusalém e os que vivem em outras áreas da Cisjordânia.
  • 21. TERRITÓRIO OCUPADO POR ISRAEL EM 1967
  • 22.  Em 5 de junho de 1967, Israel atacou o Egito, a Jordânia e a Síria e passou a ocupar a Cisjordânia, a Faixa de Gaza, as Colinas de Golã e a Península do Sinai.  O princípio de "terra por liberdade" — presente nas negociações árabe- israelenses — é baseado na devolução de territórios ocupados em 1967 por Israel em troca de acordos de paz.  Os acordos reconheciam as fronteiras de Israel e seu direito à segurança.  A Península do Sinai foi devolvida por Israel ao Egito em 1979 como parte do acordo de paz entre os dois países.
  • 24.  A Cisjordânia e a Faixa de Gaza tornaram-se duas unidades geográficas distintas com o resultado da Linha de Armistício de 1949, que separou o novo Estado judaico de Israel de outras partes da chamada Palestina.  De 1948 a 1967, a Cisjordânia, incluindo Jerusalém Oriental, era governada pela Jordânia.  Durante o período, a Faixa de Gaza esteve sob administração militar do Egito.  Na época da Guerra Árabe-Israelense, Israel tomou o controle da parte ocidental de Jerusalém, enquanto a Jordânia assumiu o lado leste, incluindo a cidade velha, que abriga monumentos importantes para as religiões judaica, cristã e muçulmana.
  • 25. ONU - PLANO DE PARTILHA DA PALESTINA
  • 26.  A Assembléia-Geral da ONU aprovou em 1947 a partilha da Palestina em dois Estados: um árabe e outro judaico.  Jerusalém receberia o status de cidade internacional.  O plano, que foi rejeitado pelos palestinos, nunca chegou a ser posto em prática.
  • 27.
  • 28. O acordo Sykes-Picot, de desmembramento do Império Otomano, foi negociado secretamente e concluído em maio de 1916, durante a Primeira Guerra Mundial. Os signatários foram a França e Grã-Bretanha, com a anuência da Rússia. O acordo levou à divisão da região que hoje corresponde a Síria (então controlada pelos turcos), Iraque, Líbano e Palestina em várias áreas administradas pela França e pela Inglaterra. O documento recebeu o nome de seus negociadores, o britânico Mark Sykes e o francês Georges Picot.
  • 29. Israel e a questão Palestina A Palestina e sua partilha Formação de dois Estados: Israel e Palestina Proposta da ONU em 1947: --Área do Estado Judeu: 56,6% (ISRAEL) --- Área do Estado Árabe: 42,9%¨(PALESTINA) -- Área Intercionalizada: 0,5% (JERUSALÉM)
  • 30. Conflitos árabes/judeus: 1º conflito (1948/49) – O mundo árabe ataca Israel, desaparece o Estado Palestino, sendo que uma parte passou a ser ocupada por Israel. O Egito ocupou a Faixa de Gaza e a Jordânia anexou a Cisjordânia. 2° conflito (1956) - Israel ataca Egito com o auxílio da França e Inglaterra. MOTIVO – Nacionalização do Canal de Suez pelo Egito PROBLEMA – O reconhecimento de Israel cada vez mais difícil no mundo árabe.
  • 31. 3° conflito (1967) –Guerra dos Seis Dias ou a melhor defesa é o ataque Euforia árabe com o título: “Vamos jogar os judeus ao mar”. 5 -- Israel contra-ataca e vence, tomando os seguintes territórios: 3 --Do Egito – A Faixa de Gaza e a 2 - 4 Penísula do Sinai 1 1 --Da Jordânia – 3 Cisjordânia e 4 setor de Jerusalém (que foi anexada integralmente a Israel) -- Da Síria – 5 as Colinas de Golã (área das nascentes do Rio Jordão) 2
  • 32. Conseqüências desta Guerra -- Os árabes perdem de forma humilhante -- Paira novos conflitos no ar -- Israel perde parte da popularidade no mundo quando afirma que não devolverá terras conquistadas.
  • 33. 4° conflito – Guerra do Yom Kippur (outubro de 1973) – Síria e Egito contra Israel. -- Israel vence a guerra e passa a sofrer o isolamento diplomático. -- Perde prestígio em âmbito mundial -- O mundo árabe se reúne em 1974 e cria a primeira crise mundial do petróleo, chamada “Choque Petrolífero”, em conseqüência do apoio do mundo ocidental à Israel.
  • 34. A ONU EXIGE DEVOLUÇÃO DAS ÁREAS OCUPADAS PARA A FORMAÇÃO DA PÁTRIA PALESTINA. -- Israel desconhece o que está acontecendo no mundo, implanta colônias em áreas conquistadas e afirma que não vai devolvê-las. -- A Jordânia aceita a perda da Cisjordânia e não mais se envolverá em guerra contra Israel. -- O Egito e a Síria empenham em buscar suas áreas perdidas em guerras. -- A crise mundial do petróleo aprofunda cada vez mais. -- O Egito aproxima-se mais concretamente dos EUA e consegue mais tarde a devolução da Península de Sinai e passa a ser considerado traidor da causa árabe depois que assina o Tratado de Camp David.
  • 35. A liderança Palestina -- O líder Yasser Arafat disse: “A Palestina é a pátria do povo palestino, parte indivisível da vasta pátria árabe, e o povo palestino é parte da nação árabe”. -- Em 1974, a ONU admite a OLP como membro observador e reconheceu o direito da luta palestina pela sua pátria. -- Porém, com as perdas de guerras para os judeus (sionismo), Arafar vai aceitar a divisão proposta pela ONU e passa a ser considerado traidor da causa árabe. -- A partir dos anos 1980, a OLP passa a contar com o apoio de diversos países do terceiro mundo pela sua causa. -- Surge a milícia islâmica do Hizbollah (palestina) que ocupa o sul do Líbano e lá permanece até hoje.
  • 36. 8 de dezembro de 1988: Revolta da INTIFADA (Guerra das Pedras) -- O mundo exige uma solução para a questão palestina. -- Arafat aproveita este momento e volta como grande líder palestino. -- Em 1988, o Conselho Nacional Palestino declarou na ONU: a) Rejeição ao terroroismo b) Aceitação de todas as resoluções da ONU OLP passa a ser considerada c) Solução da Paz traidora e surge com força grupos HAMAS, HIZBOLLAH (já d) Aceitação do Estado existia) e JIRAD ISLâMICA Palestino
  • 37. ANOS 1990 – Israel e tentativas de acordos de paz -- Com ajuda norte-americana, em 1993, Arafat e Rabin assinam o 1° acordo para o futuro Estado Palestino. Jericó -- Israel devolveria a cidade de Jericó e a Faixa de Gaza à OLP (que passa a ser chamada de ANP). -- Este acordo previa que as demais terras da Cisjordânia seriam devolvidas até o dia 13 de setembro de 2000, quando seria formado o Estado Palestino. -- Essas resoluções não aconteceram.
  • 38. Os problemas com os acordos -- A ANP começou à enfrentar oposições dos grupos radicais, chamados HAMMAS, HIZBOLLAH e JIRAD ISLÂMICO; que passaram a fazer atentados terroristas para que as resoluções assinadas não fossem compridas. -- Os atentados perturbam exageradamente Israel.
  • 39. Um dos problemas básicos da questão palestina passa por Jerusalém -- Jerusalém é considerada sagrada tanto para os judeus quanto para os palestinos. -- Palestinos não aceitam perder Jerusalém Oriental que para eles será sua futura capital. -- Israel considera Jerusalém sua capital indivisível e não quer nenhuma cláusula sobre isso com os palestinos.
  • 40. Problemas do final dos anos 1990 que continuam até hoje -- Israel retira-se do sul do Líbano e este espaço caiu na mão dos terroristas do Hizbollah, que declararam vitoriosos frente à Israel e não devolveram o espaço para o governo libanês . -- Em meados da 1ª década do século XXI, houve a 1ª guerra entre o Estado de Israel e a milícia do Hizbollah, “notalizando” uma área dentro de um Estado que gerou uma nova polêmica mundial. Uma nova e polêmica liderança contra Israel Hassan Nasrallah
  • 41. Merecem ser destacados como dois fatos importantes na Questão Palestina- Judaíca 2 1 – Colinas de Golã (nascentes do Rio Jordão) que não foram 1 devolvidas (veja localização no mapa ao lado) 2 - a presença no sul do Líbano dos radicais islâmicos O Rio Jordão é o principal rio desta região.
  • 42. Se forem resolvidos os problemas com os grupos radicais (do HIZBOLLAH, HAMMAS e JIRAD ISLÂMICA) que não aceitam a presença do Estado de Israel na região, quais os outros problemas que a ANP teria que resolver para assinar um acordo com o Estado de Israel? 1 – Assentamento judaicos em espaços palestinos. 2 – A questão de Jerusalém Oriental 3 – Refugiados palestinos que querem voltar para a região (cerca de 4 milhões de pessoas). O Estado de Israel não aceita nenhuma dessas reivindicações.
  • 43. -- Em 2006, numa decisão surpreendente, o primeiro ministro israelense, Ariel Sharon, devolveu a Faixa de Gaza para a ANP (Fatah) que passou a receber ajuda internacional para a formação da futura nação palestina. Um novo problema: O muro em volta da Cisjordânia. O primeiro ministro de Israel manda construir um muro separando o Estado de Israel da Cisjordânia para evitar os atentados às cidades judaicas. --Complica a situação dos palestinos que trabalham para a comunidade judaica. -- Palestinos acusam que parte do seu território está sendo tirada pelo muro. -- E realmente os atentados diminuem.
  • 44. Grupo de terroristas do HAMMAS
  • 45. -- Em 2007, eleições dentro da Faixa de Gaza, levam o HAMMAS à vitória e a volta do radicalismo na região, quando este grupo passa a chamar o Fatah (Líder da ANP) de traidor. -- A paz na região hoje torna-se cada vez mais difícil pois a comunidade internacional não apóia atitude do HAMMAS. • A perda de prestígio do atual primeiro ministro de Israel, Ehud Olmert, depois do ataque do Hizbollah no sul do Líbano à Israel fez com que tivéssemos a primeira vitória de uma comunidade árabe sob Israel (a comunidade internacional acusou Israel de atacar civis libaneses).
  • 46. Índia - Geopolítica  Principal potencial regional  3,2 milhões de km² - 7º maior país  1.100 milhões de habitantes – cerca de 16% da pop. Mundial
  • 47. Índia – controle populacional  Desde a década de 1960, há um rígido controle do crescimento populacional na Índia, por meio do qual se tenta reduzir a pobreza, a fome e a gravidade do quadro social existente no país. Para efetuar esse controle foram tomadas várias medidas, entre as quais podemos citar: a esterilização em massa da população de baixa renda, a limitação do número de filhos para as famílias mais carentes e a divulgação de métodos contraceptivos.  A população com renda mais elevada pode ter até seis filhos.  A questão do crescimento populacional na Índia está relacionada, também, a aspectos culturais. Um exemplo é o fato de muitos indianos acreditarem que, tendo um maior número de filhos, terão maiores chances de viver confortavelmente quando forem idosos.