Processo laboratorial de identificação de bactérias patogênicas

1.162 visualizações

Publicada em

Processo laboratorial de identificação de bactérias patogênicas.

Publicada em: Ciências
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.162
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
41
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Processo laboratorial de identificação de bactérias patogênicas

  1. 1. Processo de identificação de Bactérias patogênicas no Laboratório São Paulo Gabrielle Marques Inácio Análises Clínicas - COLTEC
  2. 2. Microbiologia Microbiologia é o ramo da biologia que estuda os microrganismos, incluindo eucariontes unicelulares e procariontes, como as bactérias, fungos e vírus. Bacteriologia É a ciência que estuda a morfologia, ecologia, genética e bioquímica das bactérias bem como outros muitos aspectos relacionados com elas. Meio de cultura Material nutriente preparado em laboratório para o crescimento de microrganismos. Esses meios podem ser simples, enriquecidos, seletivos, indicadores, etc. Encontrado em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Bacteriologia> <http://pt.wikipedia.org/wiki/Microbiologia>
  3. 3. Amostras As amostras recebidas pelo setor podem ser: o Urina o Fezes o Swabs vaginais, uretrais, perianais, orofaringeanos, etc. o Hemoculturas o Raspados dermatológicos Sendo que o maior número se concentra em amostras de urina.
  4. 4. • Quando recebida pelo setor, primeiramente a amostra é localizada e enumerada. • Depois é feito o cultivo/Gram da amostra em meios de cultura especializados para o local de onde ela foi colhida. Streptococcus, Staphylococcus Exemplo: Swab orofaringeano - ágar sangue, ágar Mcconkey e caldo tioglicolato.
  5. 5. Uroculturas • Cultivadas em ágar cromogênico; • Gram de gota Após a observação de crescimento, que é considerado positivo só em casos de mais de 40 colônias. É feita uma pré-identificação por meio das características físicas das colônias.
  6. 6. Identificação • Após a identificar se a bactéria pesquisada é Gram negativa ou Gram positiva e se essa tem importância clínica – bastonetes Gram positivos não são patogênicos – é necessário descobrir o gênero e a espécie desse agente infeccioso.
  7. 7. Cocos Gram Positivos • Catalase + DNAse, Manitol, Sacarose, Trealose • Catalase - BHI 6,5%, Bile esculina, CAMP
  8. 8. Bastonetes Gram negativos • Realiza-se a Série Bioquímica Sacarose Citrato SIM Malonato Urease Lisina Arginina Ornitina Rugai
  9. 9. Antibiograma • Após descobrir o gênero e, sempre que possível, a espécie da bactéria em questão é necessária a realização do antibiograma. Esse define a resistência ou sensibilidade da bactéria a determinados antibióticos. Os antibióticos são escolhidos de acordo com as características de cada bactéria.
  10. 10. Liberação dos resultados • O resultado é liberado para o paciente contendo o gênero e, sempre que possível, a espécie da(s) bactéria(s) encontrada(s). • Também há no resultado a lista de antibióticos utilizados para a realização do antibiograma e a sensibilidade ou resistência da bactéria à esses. • A liberação desses resultados é de extrema importância, pois eles direcionam o médico a forma de tratamento mais adequada aos seus pacientes.
  11. 11. Bactérias mais encontradas • Escherichia coli • Proteus mirabllis • Proteus vulgaris • Klebsiella sp • Pseudomonas sp • Staphylococcus aureus • Staphylococcus sp • Streptococcus agalactiae • Streptococcus pneumoniae • Enterococcus sp

×