“O deserto gelado”
As atividades científicas naAntártica• Estudos meteorológicos e oceanográficos:Entre os diversos estudos que vêm sendo rea...
PROANTARPrograma Antártico Brasileiro• Desde a primeira vez em que o Brasil foi à Antártica, no verão de 1982-83,até os di...
Problemas Ambientais no ártico• As emissões de CO² estão acelerando o processo de acidez dosoceanos, nomeadamente no Ártic...
Degelo das Plataformas Polares• Se a Antártica perder seu gelo, o nível dosoceanos pode subir até 65 metros. Oscientistas ...
 Antártica.ppt
 Antártica.ppt
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Antártica.ppt

1.526 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.526
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Antártica.ppt

  1. 1. “O deserto gelado”
  2. 2. As atividades científicas naAntártica• Estudos meteorológicos e oceanográficos:Entre os diversos estudos que vêm sendo realizados pela missãobrasileira, os que mais interessam aos pesquisadores são osvoltados a fenômenos meteorológicos e oceanográficos. No que dizrespeito à meteorologia, interessam aspectos relacionados com asanálises da dinâmica atmosférica, como o funcionamento dasmassas de ar polar, que regularmente afetam os climas brasileiros.Quanto à oceanografia, são analisadas questões ligadas à circulaçãodas águas oceânicas na região e à influência na formação decorrentes que atingem o litoral brasileiro.
  3. 3. PROANTARPrograma Antártico Brasileiro• Desde a primeira vez em que o Brasil foi à Antártica, no verão de 1982-83,até os dias de hoje, o Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR) temcontribuído sobremaneira para o desenvolvimento da ciência antártica.• O PROANTAR foi criado em janeiro de 1982 e, naquele mesmo ano, aMarinha do Brasil (MB) adquiriu o navio polar dinamarquês "Thala Dan",apropriado para o trabalho nas regiões polares, recebendo o nome deNavio de Apoio Oceanográfico (NApOc) "Barão de Teffé".• No início de dezembro de 1982, o navio viajou, pela primeira vez, com atarefa básica de realizar um reconhecimento hidrográfico, oceanográfico emeteorológico de áreas do setor noroeste da Antártica e selecionar o local ondeseria instalada a futura Estação Brasileira. O sucesso da Operação Antártica I,resultou no reconhecimento internacional de nossa presença na Antártica, o quepermitiu, em 12 de setembro de 1983, a aceitação do Brasil como ParteConsultiva do Tratado da Antártica.
  4. 4. Problemas Ambientais no ártico• As emissões de CO² estão acelerando o processo de acidez dosoceanos, nomeadamente no Ártico.Dentro de dez anos, as conchas e os corais vão ser dissolvidospelas águas do mar. Cientistas estimam que dentro de 40 anos oproblema afetará 50% das águas (todos os oceanos) e mais tardeserá um habitat nulo para espécies marinhas desenvolverem.Desta forma, no futuro, haverá uma deficiência na cadeia alimentar, uma vez que os animais afetados por esta acidezdesempenham um papel essencial.O rápido aceleramento do processo é mais eficaz no Ártico porqueas águas mais frias dissolvem melhor o CO², dióxido de carbono.
  5. 5. Degelo das Plataformas Polares• Se a Antártica perder seu gelo, o nível dosoceanos pode subir até 65 metros. Oscientistas desejam saber o que aconteceu daúltima vez que um aquecimento similar severificou na Terra, 20 milhões de anos atrás.• O Painel Intergovernamental das NaçõesUnidas de Mudanças no Clima previu que atemperatura média da superfície da Terra subaentre 1,4 e 5,8 graus Celsius antes da viradado próximo século, e isso devido ao aumentoda concentração na atmosfera de gáscarbônico e de outras substâncias queprovocam o efeito estufa.• A perfuração na Antártica poderia permitir queos cientistas vejam como a região era quandoo mundo tinha 3 a 4 graus Celsius a mais,afirmou um representante o Instituto deCiências Geológicas e Nucleares da NovaZelândia.• No passado as camadas de gelo eraminstáveis e que flutuavam o suficiente paraprovocar alterações no nível dos oceanos deaté 50 metros.

×