A economia e a sociedade

7.017 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.017
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
259
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A economia e a sociedade

  1. 1. A Economia e a Sociedade
  2. 2. As Desigualdades Econômicas e Sociais no Brasil  A desigualdade social é um dos maiores e mais evidentes problemas das grandes cidades atualmente, principalmente em países em desenvolvimento e subsdesenvolvidos.
  3. 3. As Desigualdades Econômicas e Sociais no Brasil  A desigualdade social é um problema que afeta atualmente a maioria dos países, mas principalmente os países menos desenvolvidos. Isso se dá pela distribuição desigual de renda de um país.  A desigualdade social vem acontecendo em todos os países e o Brasil é o oitavo país que tem o maior indíce de desigualdade social e econômica no mundo.
  4. 4. Pobreza <ul><li>As causas primeiras da pobreza e a sua eliminação são uma questão altamente controversa e politizada. </li></ul><ul><li>A direita costuma olhar para fatores estruturais que impedem o crescimento econômico como: </li></ul><ul><li>A fraca proteção dos direitos de propriedade </li></ul><ul><li>A falta de um sistema de crédito </li></ul><ul><li>O crime </li></ul><ul><li>A corrupção </li></ul><ul><li>A regulamentação prejudicial que prejudica a eficiência econômica. </li></ul>
  5. 5. Pobreza <ul><li>As opiniões mais à esquerda vêm a pobreza como o resultado de diferentes fatores sistémicos. </li></ul><ul><li>Por exemplo, pode considerar-se que esta é causada pela carência de oportunidades (nomeadamente de educação) e que é a falta de intervenção governamental que causa maior pobreza. </li></ul><ul><li>Também segundo esta corrente de pensamento, o alívio da pobreza é uma questão de justiça social e é da responsabilidade dos mais ricos ajudar os necessitados. </li></ul>
  6. 6. Pobreza <ul><li>A pobreza pode ser entendida em vários sentidos, principalmente: </li></ul><ul><li>Carência material: tipicamente envolvendo as necessidades da vida cotidiana como alimentação, vestuário, moradia e cuidados de saúde. </li></ul><ul><li>Falta de recursos econômicos: nomeadamente a carência de rendimento ou riqueza (não necessariamente apenas em termos monetários). As medições do nível econômico são baseadas em níveis de suficiência de recursos ou em &quot;rendimento relativo&quot;. </li></ul><ul><li>Carência Social: como a exclusão social, a dependência e a incapacidade de participar na sociedade. Isto inclui a educação e a informação. </li></ul><ul><li>Carência energética: para mudar o que não pode ser mudado, o impossível esta dentro de sua mente, a superação dos paradigmas faz a ponte de um estado-baixo em estado-alto. </li></ul>
  7. 7. Desenvolvimento Econômico O desenvolvimento econômico é um processo pelo qual a renda nacional real de uma economia aumenta durante um longo período de tempo. O processo de desenvolvimento econômico supõe que ajustes institucionais, fiscais e jurídicos são necessários, incentivos para inovações e investimentos, assim como fornecer condições para um sistema eficiente de produção e distribuição de bens e serviços à população.
  8. 8. Desenvolvimento Econômico Desenvolvimento pode ser entendido como exercício de potencial. Uma analogia ajuda a entender o significado: quando uma semente se torna uma planta adulta está exercendo um potencial genético, em outras palavras, está desenvolvendo-se. Quando qualificado pelo adjetivo econômico, refere-se ao processo de produção de riqueza material, a partir do potencial dado pela disponibilidade de recursos humanos e naturais e uso de tecnologia.
  9. 9. Distribuição de Renda <ul><li>O Brasil possui grande parcela da população incapaz de atender às suas necessidades básicas e a distribuição de renda é uma das mais desiguais do mundo; </li></ul><ul><li>o Coeficiente de Gini do Brasil em 2001 era de 0,594, melhor apenas que a Guatemala, Suazilândia, República Centro-Africana, Serra Leoa, Botsuana, Lesoto e Namíbia. </li></ul>
  10. 10. Distribuição de Renda <ul><li>A concentração de renda permaneceu praticamente inalterada durante as últimas quatro décadas, com seus índices oscilando dentre as 10 últimas posições do mundo, dando os primeiros sinais de melhora somente a partir de 2001. </li></ul><ul><li>Nos últimos anos, o país tem conseguido aliar o crescimento econômico com a redução da desigualdade. </li></ul>
  11. 11. Distribuição de Renda <ul><li>No Brasil, a alta concentração de renda no topo da pirâmide dificulta a sua medição através dos índices mais comuns como o P90/P10 . Isso por causa da anormalidade da distribuição: a metade pobre da população brasileira ganha em soma quase o mesmo valor (12,5% da renda nacional) que os 1% mais ricos (13.3%). </li></ul>

×