Acido acetico

2.112 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.112
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acido acetico

  1. 1. Qual é a função do ácido acético?1 ano atrás DenuncieanaMelhor resposta - Escolhida pelo autor da perguntaAnidrido acético é o composto químico com fórmula (CH3CO)2O. Comumente abreviado Ac2O,é um dos mais simples anidridos de ácidos e é largamente usado como reagente em sínteseorgânica. É um composto incolor que cheira fortemente a ácido acético, que é formado pela suareação com a umidade do ar.É utilizado largamente como agente de acetilação e desidratação na síntese de produtosorgânicos para a indústria química e farmacéutica.Ac2O é principalmente usado para a acetilação da celulose a acetato de celulose para filmesfotográficos e outras aplicações, historicamente em substituição a outros filmes maisinflamáveis e até explosivos (nitrocelulose).Na indústria têxtil, é utilizado para a obtenção do acetato rayon.Em geral, álcoois e aminas são acetilados.[3] Aspirina, ácido acetilsalicílico, é preparado pelaacetilação do ácido salicílico usando anidrido acético. Por causa de seu uso na síntese de heroínae drogas similares, pela diacetilação da morfina, o anidrido acético é listado como um"precursor" de substâncias entorpecentes, o que o faz ser controlado em inúmeros países, emespecial os ligados ao antigo bloco soviético.INTRODUÇÃO
  2. 2. Em meados de 1887, S. Arrhenius propôs que substâncias produtoras de íons hidrogênio emágua fossem chamadas de ácidos e substâncias produtoras de íons hidroxila em água fossemchamadas de bases. De acordo com esta definição, o conceito de um ácido ou base tem sidoestendido e redefinido para explicar de uma forma mais completa os termos acidez e basicidadee a participação do solvente nos equilíbrios ácido-base.J. N. Brönsted e T. M. Lowry estabeleceram, em 1923, uma outra definição onde um ácido eratido como um doador de prótons e uma base como receptador de prótons. Esta definiçãoprovou ser de grande valia, pois conseguiu levar em conta a influência do solvente (além daágua) em equilíbrios ácido-base.Brown ainda comenta que a maioria das substâncias ácidas, são ácido fracos, devido estasionizarem-se apenas parcialmente em soluções aquosas. E para expressar a extensão na qual oácido fraco ioniza-se, usa-se a constante de equilíbrio para a reação de ionização, onderepresenta-se HA como ácido fraco.HA (aq) + H2O(l) H3O+(aq) + A-(aq) ou HA (aq) H+(aq) + A-(aq), representa as reações deionização onde o próton hidratado é representado como H3O+(aq) ou H+(aq).Como [H2O] é solvente, omite-se este da expressão da constante de equilíbrio, que pode serescrita como:Ka = ou Ka = , onde o índice inferior a em Kadenota que ela é uma constante de equilíbrio paraa ionização de um ácido, logo Ka é chamada de constante de dissociação ácida.Uma das formas para descobrir se a substância tem caráter de ácido forte ou fraco, seriamedindo-se o Ka, pois segundo Brown, a grandeza Ka indica a tendência de o ácido ionizar-seem água e quanto maior o valor de Ka, mais forte o ácido. A tabela que segue, mostra adiferença de alguns ácidos em relação ao Ka:ácido Forte
  3. 3. ácido FracoácidoFórmula estruturalBase conjugadaFórmula molecularKaFluorídricoF-HF6,8 x10-4Nitroso
  4. 4. NO2-HNO24,5 x10-4BenzóicoC7H5O2-C6H5CO2H46,3 x10-5AcéticoC2H3O2-
  5. 5. CH3CO2H1,8 x10-5HipoclorosoClO-HOCl3,0 x10-8CianídricoCN-HCN4,9 x10-10Fenol
  6. 6. C6H5O-HC6H5O1,3 x10-10TABELA 1. Alguns ácidos em água a 25º C. O próton que ioniza-se está mostrado em azul.Outra forma de saber se uma substância tem caráter ácido ou básico seria medindo-se o pH dasubstância, pois os químicos desenvolveram uma escala de pH que vai de 0 a 14. A substância éácida quando possui pH entre 0 à 7, básica quando está entre 7 à 14 e neutra quando o pH éigual a 7, ou seja, nem ácido nem básico.Também pode-se medir as concentrações típicas de H3O+ e OH- . Químicos utilizam uma escalalogarítmica que fornece um comprimento igual na escala para cada potência de 10 daconcentração de H3O+. Assim é definida a variável chamada pH, onde:pH = -log [ H3O+] ou [ H3O+] = 10-pHSe um ácido se dissocia totalmente em solução, a concentração do íon hidrogênio, e pH, serámedida da quantidade total na solução. Para um ácido forte tem-se:[H3O+] = CpH = - logC = PC
  7. 7. onde C é a concentração molar do ácido forte em solução. Essa relação é verdadeira para ácidosfortes como HClO4, HCl e HNO3.Contudo, se o ácido é monoprótico fraco, ele não estará totalmente dissociado e a concentraçãodo íon hidrogênio, ou pH. Precisa-se também conhecer a constante de dissociação Ka,comentanda anteriormente. É possível determinar C medindo a quantidade de uma base forte,como por exemplo NaOH, que é necessária para reagir totalmente com uma amostra do ácido.Isto é chamado de titulação ácido-base. A base é adicionada a partir de uma bureta, e assim,conhecendo-se a concentração da base e o volume necessário para titular o ácido, é possívelcalcular a quantidade total de ácido fraco em solução.Ácido acéticoÁcido acético ou ácido etanóico, de fórmula C2H4O2, em uma solução aquosa atua como ácidofraco. O ácido acético puro recebe o nome de ácido acético glacial, devido ao fato de se congelara temperaturas ligeiramente mais baixas que a temperatura ambiente, em torno de 16ºC.Quando misturado com água, solidifica-se a temperaturas muito mais baixas. Este ácido ésolúvel em água e em numerosos solventes orgânicos, como o álcool e o éter. Sua ionizaçãopode ser observada pela reação abaixo:O ácido acético é um gás incolor, de cheiro penetrante, de sabor azedo. É de longe o maisimportante de todos os ácidos carboxílicos e prepara-se por oxidação, pelo ar, de várioshidrocarbonetos ou do aldeído acético.Pode ser obtido pela ação do ar sobre soluções de álcool, em presença de certa classe debactérias como a Bacterium aceti. As soluções diluídas (de 4 a 8%) preparadas deste modo apartir do vinho, sidra ou malta constituem o que conhecemos como vinagre. O ácido acéticoconcentrado se prepara industrialmente mediante distintos processos, como a reação demetanol (álcool metílico) e de monóxido de carbono (CO) em presença de um catalisador, oupela oxidação do etanal (acetaldeído). Tem um ponto de ebulição de 118 °C e um ponto de
  8. 8. fusão de 17 °C.Além de ser usado na alimentação como vinagre, o ácido acético é utilizado na produção deacetato de vinila, do qual se obtém o plástico PVA; de anidro acético e cloreto de acetila,importante para a síntese orgânica; de ésteres, solventes, essências, perfumes, dentre outros.Por sua ação desincrustante, também se é utilizado no lavado químico de Equipamentos deDiálise, em diluições que vão de 2,5% a 5% dependendo da recomendação do fabricante, ecomo ação complementar o ácido acético funciona como bactericida.OBJETIVOEsta prática teve por objetivo a obtenção da massa molar, molaridade e constante dedissociação do ácido acético, a medição do pH da solução de ácido acético contendo umaconcentração em massa conhecida e familirização com o medidor de pH, o pHmetro. Para quese conheça o comportamento e as características de um ácido fraco.EXPERIMENTALMateriaisErlenmeyer;Pipeta;Bureta;Balança;
  9. 9. Becker 50 ml;Pipetadores;Medidor de pH, pHmetro.ReagentesHidroxido de sodio (NaOH);Acido acético (C2H4O2);Azul de timol 0,1%;ProcedimentosMedição de pH e titulação de solução de ácido acéticoFoi medido o pH de uma solução de ácido acético de 2,4g/L e pesado. Transferiu-se 20 ml desteácido para um erlenmeyer, adicionando azul de timol 0,1%. Titulou0se a amostra até oaparecimento da cor azul permanente. E em seguida fez-se nova leitura do pH da solução e feitoos devidos cálculos.Medição de pH do ácido acético pelo método de semineutralizaçãoPesou-se 20 ml de ácido acético e transferiu-o para um erlenmeyer, adicionando duas gotas doindicador azul de timol. Adicionou-se então, a metade do volume de hidróxido de sódio gasto na
  10. 10. titulação anterior. O que produziria uma solução de ácido acético semineutralizada. Mediu-se opH da solução. O pH deverá ser igual ao pKa do ácido.RESULTADO E DISCUSSÃOMedição de pH e titulação de solução de ácido acéticoPrimeira titulaçãoO pH da solução de ácido acético 2,4g/L medido quando ainda estava no vidro foi 2,01. O quemostrou que o ácido utilizado era um ácido fraco. Apesar de o ácido acético apresentar quatrohidrogênios, apenas um é desprendido, o que está ligado ao radical de função orgânica: ácidocarboxílico. O peso de 5 mL da solução foi 4.29g. Ao adicionar as gotas de azul de timol àsolução, esta ganhou coloração amarela, provando que se tratava de um ácido.Ao titular com hidróxido de sódio até o aparecimento da cor azul permanente, o que significariauma solução neutralizada, consumiu-se um volume de 3,2mL. O pH medido desta nova soluçãofoi de 12,1.Neste tipo de titulação, o ponto de equivalência se dá em um pH superior a 7, devido a hidrólisedo ânion do ácido fraco, que é uma hidrólise que origina íons OH– .CH3COOH(aq) + NaOH(aq) → NaCH3COO–(aq) + H20(l)
  11. 11. NaCH3COO–(aq) → Na+(aq) + CH3COO–(aq)Como oNa+ é uma partícula neutra, ou seja, mesma quantidade de cargas, do ponto de vistaácido-base, cátion de uma base forte não hidrolisa, apenas o CH3COO- (ânion de um ácidofraco) sofrerá hidrólise, como mostrado abaixo:CH3COO-(aq)+ H2O(l) → CH3COOH(aq) + OH-Os ions OH– aumentarão o pH da solução, pois irão reagir com H3O+ pela equação:OH-(aq) + H3O+(aq) → 2H2O(l)Segunda titulaçãoO pH da solução de ácido acético 2,4g/L medido quando já estava no erlenmeyer foi 2,04. E opeso de 10 mL da solução foi de 9.729g. Fez-se novamente a titulação utilizando o hidróxido desódio como titulador e azul de timol como indicador até o aparecimento da cor azulpermanente, e observou-se um consumo de 5,4mL e um pH medido de 10,91.Cálculo da massa molar do ácido acético:
  12. 12. CH3COOH : C = 12 2 = 24H=1 4=4O = 16 2 = 2460 g/mol à massa molar do ácido acéticoCálculo da MolaridadePrimeiramente calculou-se a media dos volumes para calcular a molaridade da solução comomostram os cálculos:Media dos volumes: 0,01L+ 0,005L = 7,5 x 10-3L21L solução ---------- 2,4 g ácido acético7,5 x 10-3L solução ------ X g ácido acéticoX = 0,018 g ácido acéticon = m n = 0,018g n = 3 x 10-4molM 60g/mol
  13. 13. M = n M = 3 x 10-4mol M = 0,04mol/L à molaridade do ácido acéticoV 7,5 x 10-3LMedição de pH do ácido acético pelo método de semineutralizaçãoO peso obtido em 10mL de ácido acético foi de 9.729g. Ao adicionar as gotas de azul de timolobservou-se novamente a cor amarela na solução. Adicionou-se a metade do volume dehidróxido de sódio anteriormente utilizado no processo de titulação, ou seja, 2,95mL. Fazendocom que produzisse uma solução semineutralizada. Feito isto, observou-se que a coloração dasolução ainda se encontrava amarela, porém em um tom mais claro, significando que o pH aindanão havia sido neutralizado. O pH medido foi de 4,35. O valor do pKa do ácido foi obtido atravésdos cálculos a seguir:Ka = 1,8 . 10-5 (informação obtida da tabela que se encontra na introdução)pKa = - log KapKa = 4,7Pode-se observar que o valor do pKa obtido é bem próximo ao valor real do pH da solução.Sendo o cálculo do Ka, Ka = , e sabendo que ácidos fracos têm baixo grau de ionização, pode-seperceber que a concentração do ácido ([HA]) é quase igual à concentração do ânion ([A-]), umavez que a concentração de H3O+ é pouca. Portanto, [HA] e [A-] praticamente se anulam,restando [H3O+].Como pKa = - log Ka, e Ka = [H3O+], então pKa = pH, para ácidos fracos, como é o caso do ácido
  14. 14. acético.CONCLUSÃOPode-se concluir que o ácido acético é mais conhecido e empregado na sua forma impura, ovinagre. Sendo do grupo dos Ácidos carboxílicos, ele é um ácido fraco, uma vez que seu grau deionização é aproximadamente 3%. Por ser um ácido monoprótico, ele ioniza em solução aquosaproduzindo um único próton (H+) por molécula. Quando titulado com o hidróxido de sódioneutraliza-se, aumentando o pH da solução formada.De mesma maneira pode-se concluir que quanto maior o pKa de um ácido, mais fraco este será.No caso de ácidos fracos, como o ácido acético, o valor do pKa tende a ser igual ao valor de seupH devido ao baixo grau de ionização de ácidos fracos.Com isto, faz-se necessário ao engenheiro químico o conhecimento destas características,processos e comportamento, uma vez que a medição de pH, cálculos de molaridade, massamolar e pKa são uma realidade da profissão. E as taxas de pH devem ser sempre controladasindependente de que área o profissional atue, pois dependendo da situação um pH muito alto,ou muito baixo, pode ser tóxico ao ambiente e às pessoas. Anidrido acéticoAnidrido acético é o composto químico com fórmula (CH3CO)2O. Comumente abreviado Ac2O,é um dos mais simples anidridos de ácidos e é largamente usado como reagente em síntese
  15. 15. orgânica. É um composto incolor que cheira fortemente a ácido acético, que é formado pela suareação com a umidade do ar.Índice [esconder]1 Produção2 Usos3 Hidrólise4 Segurança5 Notas e referências
  16. 16. 6 Ligações externas7 Ver também[editar]ProduçãoAnidrido acético é produzido por carbonilação do acetato de metila:[1]CH3CO2CH3 + CO → (CH3CO)2OEste processo envolve a conversão do acetato de metila a iodeto de metila e um sal acetato.Carbonilação do iodeto de metila permite a produção de iodeto de acetila, o qual reage com saisacetato ou ácido acético para dar o produto final. Iodetos de ródio ou lítio são empregados
  17. 17. como catalisadores. Porque o anidrido acético não é estável em água, a conversão é conduzidasob condições anidras. Em contraste, a síntese de ácido acético Monsanto, a qual tambémenvolve uma carbonilação catalisada por ródio do iodeto de metila, é parcialmente aquosa.Acrescente-se também que o anidrido acético é também preparado pela reação de cetena comácido acético.[2]H2C=C=O + CH3COOH → CH3-CO-O-OC-CH3 [1]A cetena é produzida por desidratação da acetona a elevada temperatura (700-750 °C).CH3COCH3 → CH4 + H2C=C=O
  18. 18. Na verdade a reação [1] acima pode ser modificada para uma reação com qualquer ácidocarboxílico:[2]H2C=C=O + RCOOH → CH3-CO-O-OC-RDevido ao seu baixo custo, o anidrido acético é fornecido, não preparado, para uso em pesquisasem laboratório.[editar]UsosÉ utilizado largamente como agente de acetilação e desidratação na síntese de produtosorgânicos para a indústria química e farmacéutica.
  19. 19. Ac2O é principalmente usado para a acetilação da celulose a acetato de celulose para filmesfotográficos e outras aplicações, historicamente em substituição a outros filmes maisinflamáveis e até explosivos (nitrocelulose).Na indústria têxtil, é utilizado para a obtenção do acetato rayon.Em geral, álcoois e aminas são acetilados.[3] Aspirina, ácido acetilsalicílico, é preparado pelaacetilação do ácido salicílico usando anidrido acético. Por causa de seu uso na síntese de heroínae drogas similares, pela diacetilação da morfina, o anidrido acético é listado como um"precursor" de substâncias entorpecentes, o que o faz ser controlado em inúmeros países, emespecial os ligados ao antigo bloco soviético.[4][5]
  20. 20. Por exemplo, a reação o anidrido acético com etanol é:(CH3CO)2O + CH3CH2OH → CH3CO2CH2CH3 + CH3CO2HFrequentemente uma base tal como a piridina é a dicionada a função como catalisador. Sais deÁcido de Lewis de escândio são também catalisadores efetivos.[6]É utilizado na obtenção do acetato de vinila, assim como de corantes, matérias primas paraperfumes e como reativo na fabricação de vernizes, lubrificantes e lacas para aeronaves.É utilizado na esterificação do amido.[editar]Hidrólise
  21. 21. Anidrido acético dissolve-se em água a aproximadamente 2,6% em peso.[7] Soluções aquosastem limitada estabilidade porque, como a maioria dos anidridos de ácido, o anidrido acético sehidrolisa dando ácido acético:[8](CH3CO)2O + H2O → 2 CH3CO2H[editar]SegurançaCorrosivoAnidrido acético é irritante e inflamável. Por causa de sua reatividade com água, espuma decombate a incêndios resistente a álcool ou dióxido de carbono são preferíveis para a extinção de
  22. 22. chamas.[9] O vapor de anidrido acético é nocivo.[10][11]Apresenta incompatibilidade com as seguintes substâncias:[12] ácido nítrico (formação denitrato de acetila), ácido perclórico (formação de anidrido perclórico, Cl2O7), permanganato depotássio (reação exotérmica), assim como com outros oxidantes enérgicos.Ácido AcéticoSinônimos: Acetic acid, Ácido etanóico, Ácido carboxílico, methane carboxylic acid.Fórmula química: CH3COOH
  23. 23. 1) IDENTIFICAÇÃO DOS DANOSAVISO: Corrosivo! O líquido causa graves queimaduras por todo o corpo. Se for ingeridopode ser fatal. Nocivo se for inalado. A inalação do vapor pode causar problemas no pulmãoe dentes. O líquido e o vapor são inflamáveis.Índices:Saúde: 2 – moderadoFlamabilidade: 2 – moderado
  24. 24. Reatividade: 2 – moderadoContato: 3 – severoEquipamento a ser usado em laboratório: luvas e avental impermeáveis; óculos desegurança ou protetor facial.Código de Armazenamento: branco (armazenamento separado) *Etiqueta deve conter aprecaução de se evitar contato com olhos, pele e roupas, respiração do vapor. Deve contertambém instruções de se usar com ventilação adequada.Efeitos potenciais à saúde:
  25. 25. InalaçãoPode causar irritação nas mucosas do nariz, garganta, pulmão e dificuldade na respiração.IngestãoA ingestão pode causar graves ferimentos e levar à morte. Os sintomas são dor de garganta,vômito e diarréia. A ingestão de 1 ml resulta em perfuração do esôfago.Contato com a peleCausa sérios problemas de pele. Os sintomas incluem vermelhidão, dor e queimaduras.Contato com os olhos
  26. 26. A solução pode causar sérios ferimentos seguidos de perda de visão. A exposição ao vaporpode causar intensa lacrimação e irritação nos olhos.Exposição crônicaExposição repetida e prolongada pode causar manchas na pele, desgaste e exposição dosdentes, inflamação crônica do nariz, garganta e brônquios.Agravo das condições pré- existentesPessoas com desordens de pele ou olhos e com função respiratória falha devem ser maissuscetíveis aos efeitos da substância.
  27. 27. 2) MEDIDAS DE PRIMEIROS- SOCORROSInalaçãoRemover o indivíduo ao ar livre. Se não estiver respirando, fazer respiração artificial. Serespirar com dificuldade, dê oxigênio. Procure ajuda médica.IngestãoNÃO INDUZA O VÔMITO! Se possível, dê grandes quantidades de água ou leite. Nunca dêalgo pela boca para uma pessoa inconsciente. Procure um médico imediatamente.
  28. 28. Contato com a peleLave imediatamente em água corrente por, pelo menos, 15 minutos. Remova a roupacontaminada e os sapatos. Lave as roupas e os sapatos antes de reutilizá-los. Procure ajudamédica.Contato com os olhosLave imediatamente com água corrente por, pelo menos, 15 minutos, abrindo e fechando aspálpebras. Procure ajuda médica imediatamente.3) MEDIDAS EM CASO DE INCÊNDIO
  29. 29. FogoLíquido e vapor são inflamáveis. O contato com oxidantes fortes pode causar fogo.ExplosãoAcima do ponto de ebulição, a mistura ar- vapor é explosiva.Meio de extinção de fogoUsar água, pó químico ou dióxido de carbono.AVISO ESPECIAL EM CASO DE INCÊNDIO: No caso de fogo, usar equipamento protetor
  30. 30. completo, contendo respirador individual operando com demanda de pressão ou outrosistema de pressão positiva.4) MEDIDAS PARA VAZAMENTO ACIDENTALVentilar e isolar a área de vazamento. Remover toda fonte de ignição. Usar equipamento deproteção pessoal apropriado como máscara com filtro especial e completa proteção docorpo e olhos. Quando ocorrer o vazamento, recolher o material num container apropriado,fazer a diluição com água e a absorção com material inerte. Não jogue no esgoto, podecontaminar água e ar.
  31. 31. 5) MANUSEIO E ARMAZENAMENTOMantenha o material em um container bem fechado, armazenando-o em local fresco, seco ebem ventilado, longe do fogo e de substâncias oxidantes. Os recipientes para guardar oácido acético devem ser de aço inoxidável ou de vidro. Deve ser armazenado longe de ácidocrômico, peróxido de sódio e ácido nítrico, pois quando em contato com esses produtos éparticularmente perigoso. Os containers vazios deste material são tóxicos pois retêmresíduos; observe todos os avisos e precauções com relação ao produto.Trabalhar com ácido acético somente em capelas; a evacuação das águas residuais no esgoto
  32. 32. ou nos rios não deve ser efetuada, sem corrigir o pH entre os limites de 5,5 e 8,5.6) CONTROLE DE EXPOSIÇÃO E PROTEÇÃO PESSOALSistema de Ventilação: um sistema de exaustão local ou geral é recomendado para manter aexposição do usuário(a) a menor possível. O sistema local é preferível porque controla aemissão do contaminante em sua origem, prevenindo dispersão dele numa área maior.Respiradores pessoais: para as condições de uso em que há exposição à poeira ou vapor, umrespirador de meia face contra poeira e vapor é efetivo. Para emergências e instâncias emque não se sabe os níveis de exposição, use um respirador inteiriço de pressão positiva.
  33. 33. AVISO: respirador com purificação de ar não é efetivo num ambiente deficiente de oxigênio.Proteção da Pele: use luvas protetoras e roupas limpas que cubram todo o corpo.Proteção dos Olhos: use óculos químico- protetores. Mantenha uma fonte para lavar osolhos na área de trabalho.7) ESTABILIDADE E REATIVIDADEEstabilidade: Estável sob corretas condições de uso e estocagem. O calor e a luz podemdesestabilizar o composto. Quando misturado com água libera calor e vapor tóxico.
  34. 34. Produtos de sua decomposição Quando aquecido pode liberar vapores irritantes comodióxido de carbono e monóxido de carbono.Polimerização do produto: Não ocorrerá.Incompatibilidade: Ácido acético é incompatível com ácido crômico, ácido nítrico,etilenoglicol, ácido perclórico, triclorofosforoso, oxidantes, peróxido de sódio, corrosivosfortes, carbonatos, hidróxidos, óxidos, fosfatos e com a maioria dos metais (excetoalumínio), que quando reage, produz gás hidrogênio, que pode formar uma misturaexplosiva com o ar.
  35. 35. Condições a se evitar: Manter longe de calor, chamas, fontes de ignição e substânciasincompatíveis.8) INFORMAÇÕES ECOLÓGICASDestino no ecossistema: Quando liberado no ar, esta substância pode se degradar porreação química produzindo radicais hidróxi. Quando liberado na água ou no solo, se tornabiodegradável.Toxicidade ambiental: Esta substância é tratada como tóxica à vida aquática.
  36. 36. 9) CONSIDERAÇÕES PARA ELIMINAÇÃOSempre que não for possível salvar a substância para reutilização ou reciclagem, deve sercolocada em um aparato aprovado e apropriado para eliminação do lixo. O processamento,uso ou contaminação deste produto pode alterar a forma de administrar o lixo.Ácido acético ou Ácido etanóico, de fórmula CH3 COOH. Em uma solução aquosa atua comoácido fraco. O ácido acético puro recebe o nome de ácido acético glacial, isto é devido a quese congela a temperaturas ligeiramente mais baixas que a temperatura ambiente. Quando
  37. 37. misturado com água solidifica a temperaturas muito mais baixas. O ácido acético pode sermisturado com água e com numerosos dissolventes orgânicos.Pode obter-se pela ação do ar sobre soluções de álcool, em presença de certa classe debactérias como a Bacterium aceti. As soluções diluídas (de 4 a 8%) preparadas deste modoa partir do vinho, sidra ou malta constituem o que conhecemos como vinagre. O ácidoacético concentrado se prepara industrialmente mediante distintos processos, como areação de metanol (álcool metílico) e de monóxido de carbono (CO) em presença de umcatalisador, ou pela oxidação do etanal (acetaldeído). Tem um ponto de ebulição de 118 °C e
  38. 38. um ponto de fusão de 17 °C.AplicaçõesPor sua ação desincrustante, o ácido acético se utiliza no lavado químico de Equipamentosde Diálise (em diluições que vão de 2,5% a 5% dependendo da recomendação do fabricantedo Equipamento).Como ação complementar, o ácido acético funciona como bactericida.Informação comercial
  39. 39. Pode realizar seu pedido pelo telefone, e-mail ou fax. Se desejar obter uma cotação denossos produtos por favor, preencha o formulario de cotizaciones.Atenção ao cliente:Tel: +54 223 482-7000 (e rotativas) - 0800 666 3489E-mail: ventas@grupofg.com.ar

×