Petroleo e gas

566 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Petroleo e gas

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE GURUPI CURSO DE QUÍMICA AMBIENTAL ACADÊMICOS: Gabriela Costa Milhomens Luiz Paulo Martins de Souza PROFESSOR: Horllys Gomes Barreto PROCESSAMENTO DO PETRÓLEO E GÁS GURUPI-TO
  2. 2. ÍNDICE  Introdução  Contaminantes  Classificação  A indústria de petróleo  Exploração  Explotação  Transporte  Refino  Distribuição  Processamento primário  Produção de derivados no Brasil 215:31
  3. 3. A palavra petróleo vem do latim, petrus, “pedra” e oleum, “óleo, extraído das rochas denominadas de Rocha Reservatório. Propriedades:  Variação de cores;  Caráter oleoso;  Inflamável;  Menos denso que a água;  Cheiro característico;  Hidrocarbonetos; INTRODUÇÃO 315:31
  4. 4. O Petróleo: Formou-se a milhares de anos. Quando extraído no campo de produção é chamado Óleo Cru. Seu estado natural é sempre uma mistura complexa de diversos tipos de hidrocarbonetos contendo também proporções menores de contaminantes (enxofre, nitrogênio, oxigênio e metais). HIDROCARBONETOS CONTAMINANTES ÓLEO CRU 415:31
  5. 5. CONTAMINANTES Mais comuns são os átomos de  enxofre (S),  nitrogênio (N),  oxigênio (O), e de  metais como:  níquel (Ni), ferro (Fe), cobre (Cu), sódio (Na) e vanádio (V) Causam problemas: No manuseio - redução de eficiência dos catalisadores nas refinarias; transporte - corrosão em oleodutos e gasodutos; derivados - causam poluição ambiental se presentes em combustíveis derivados do petróleo. 515:31
  6. 6. Hidrogênio 11-14% Carbono 83-87% Enxofre 0,06-8% Nitrogênio 0,11-1,7% Oxigênio 0,1-2% Metais Até 0,3% Tabela que exemplifica a composição elementar do óleo cru (% em peso) 615:31
  7. 7. CLASSIFICAÇÃO DO PETRÓLEO DE ACORDO COM O TEOR DE ENXOFRE a) óleo doce - apresenta baixo conteúdo de enxofre (menos de 0,5 % de sua massa); b) óleo ácido - apresenta teor elevado de enxofre (bem acima de 0,5 % de sua massa). 715:31
  8. 8. NO RESERVÁTORIO 815:31 Na zona superior do reservatório, geralmente há uma “capa” de gás rico em metano (CH4), conhecido como Gás Associado. Esse gás é composto também por outros hidrocarbonetos (no estado gasoso) e por gases corrosivos, como o gás sulfídrico (H2S) e o dióxido de carbono (CO2). Na zona intermediária, está o óleo propriamente dito, contendo água emulsionada e também os mesmos componentes presentes no gás associado. Na zona inferior, encontramos água livre (não misturada com óleo), com Sais Inorgânicos dissolvidos e Sedimentos.
  9. 9. 915:31 O óleo normalmente é encontrado juntamente com água, gás e outros compostos orgânicos.
  10. 10. A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO Distribuição Refino Transporte Exploração Explotação Indústria do Petróleo 1015:31
  11. 11. EXPLORAÇÃO  A exploração envolve a observação das rochas e a reconstrução geológica de uma área, com o objetivo de identificar novas reservas petrolíferas. Os métodos comuns empregados para se explorar petróleo são o sísmico, o magnético, o gravimétrico e o aerofotométrico.  Vale salientar que não basta descobrir o reservatório, é necessário verificar se há viabilidade econômica de produção do campo descoberto. 1115:31
  12. 12. No método sísmico, avalia-se o tempo de propagação de ondas artificiais nas formações geológicas estudadas. Tais formações influenciam a intensidade e direção do campo magnético da terra, cujas variações podem ser medidas através de métodos magnéticos. De modo semelhante, o método gravimético consiste no uso de equipamentos na superfície do solo para observar pequenas alterações locais na gravidade do planeta. Finalmente, podem-se ainda obter imagens do solo, analisadas segundo métodos aerofotométricos, particularmente com o uso de satélites. 1215:31
  13. 13. EXPLOTAÇÃO (PERFURAÇÃO + PRODUÇÃO) Durante a explotação, são empregadas técnicas de desenvolvimento e produção da reserva após comprovação de sua existência. O poço é então perfurado e preparado para produção, caracterizando a fase de completação. 1315:31
  14. 14. Torre de Perfuração - responsável pela abertura do poço 1415:31
  15. 15. A fase de produção em poços terrestres (on-shore) pode ocorrer de três formas: Bombeamento Mecânico; Injeção de Gás; Injeção de Água. 1515:31
  16. 16. Em reservas marítimas, por sua vez, a produção poderá ser feita em plataformas fixas, plataformas auto-eleváveis (em águas rasas: aproximadamente 90 m) ou plataformas semi- submersíveis, e auxiliada por navios-sonda. 1615:31
  17. 17. TRANSPORTE A produção é então transportada em embarcações, caminhões, vagões, navios-tanque ou tubulações (oleodutos ou gasodutos) aos terminais e refinarias de óleo ou gás. 1715:31
  18. 18. REFINO Refinar petróleo é, separar suas frações, hidrocarbonetos (óleo e gás), água e contaminantes e processá-las, transformando-o em produtos de grande utilidade. São os chamados produtos derivados do petróleo (gasolina, GLP, querosene, etc). 1815:31
  19. 19. O processo de refino poderá ocorrer de duas maneiras: UPGN (Unidade de Processamento do Gás Natural): processo de refino cuja matéria prima é o gás úmido ou gás não associado. REFINARIA: Uma refinaria, em geral, processa um ou mais tipos de petróleo, produzindo uma série de produtos derivados, como o GLP (gás liquefeito de petróleo), a nafta, o querosene e o óleo diesel. 1915:31
  20. 20. 2015:31
  21. 21. DISTRIBUIÇÃO Os produtos finais das refinarias são finalmente encaminhados às distribuidoras, que os comercializarão em sua forma original ou aditivada. 2115:31
  22. 22. Em resumo, os segmentos básicos da indústria do petróleo estão interligados conforme mostrado no diagrama abaixo. Campos de Petróleo e Gás Natural Gás Natural Seco Separador RefinariaUPGN Consumidor Final Bases de Distribuição Consumidor Final Gás Canalizado Derivados Gás Natural Não-associado Gás Natural Úmido Petróleo Petróleo + Gás Natural Associado EXPLORAÇÃO EXPLOTAÇÃO REFINO DISTRIBUIÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO Importação TRANSPORTE DOWNSTREAMUPSTREAM 2215:31
  23. 23.  O gás associado, contendo substâncias corrosivas e sendo altamente inflamável, deve ser removido por problemas de segurança (corrosão ou explosão).  Água, sais e sedimentos também devem ser retirados, para reduzirem-se os gastos com bombeamento e transporte, bem como para evitar-se corrosão ou acumulação de sólidos nas tubulações e equipamentos por onde o óleo passa.  Por isso, antes de ser enviado à refinaria, o petróleo passa pelo chamado Processamento Primário, realizado em equipamentos de superfície, nos próprios campos de produção (campos de petróleo). 2315:31
  24. 24. Ao final desse processamento, teremos fluxos separados de óleo e gás, além de salmoura descartável. O óleo final conterá teores menores daqueles hidrocarbonetos mais facilmente vaporizáveis; ficando, então, menos inflamável que o óleo cru. Por isso, esse óleo “processado” é também chamado Óleo Estabilizado. 2415:31
  25. 25. O Processamento Primário permite então que o óleo atenda as especificações exigidas pelo refino: a) um mínimo de componentes mais leves (os gases); b) quantidade de sais abaixo de 300 miligramas por litro (300 mg/l) de óleo; c) quantidade de água e sedimentos abaixo de 1% (do volume do óleo). 2515:31
  26. 26. São muitas as aplicações dos derivados do petróleo. Alguns derivados já saem da refinaria prontos para serem “consumidos”, sendo comercializados diretamente para distribuidores e consumidores. Outros derivados servirão ainda como matérias primas de várias indústrias, para a produção de outros artigos (os produtos finais). 2615:31
  27. 27. Derivados do petróleo podem ser utilizados em aplicações Energéticas ou Não energéticas: 2715:31
  28. 28. Os derivados energéticos são também chamados de combustíveis. Eles geram energia térmica (calor ou luz) ao entrar em combustão na presença do ar e de uma fonte de ignição (chama ou centelha). Uma refinaria de petróleo pode produzir os seguintes derivados energéticos ou combustíveis: a) Gás Combustível; b) Gás Liquefeito de Petróleo (GLP); c) Gasolina; d) Querosene; e) Óleo Diesel; f) Óleo Combustível; g) Coque (utilizado em indústria de cimento e aço). 2815:31
  29. 29. Não-energéticas, são eles:  Nafta e Gasóleos;  Lubrificantes;  Asfalto;  Solventes domésticos e industriais, como aguarrás, querosene, etc; 2915:31
  30. 30. PRODUÇÃO DE DERIVADOS NAS REFINARIAS DO BRASIL 3015:31
  31. 31. CONSIDERAÇÕES FINAIS Os derivados de petróleo devem continuar representando nos próximos anos um papel importante no atendimento da demanda, principalmente no setor de transporte, e com boas perspectivas de que o gás natural também contribua de modo expressivo para a expansão da capacidade de geração de energia elétrica. http://www.parahybano.com.br/ 3115:31
  32. 32. 3215:31

×