QUESTÕES COMENTADAS DO CONCURSO SEMUS 2013.
Lei Municipal dos Servidores de Palmas (LC nº 08/99).
Professor: Jorge Gustavo...
Art. 10. São formas de provimento de cargo público:
I - nomeação;
II - readaptação;
III - reversão;
IV - reintegração;
V -...
de serviço e não justifique, conforme art. 38.
Art. 38. O servidor perderá:
I - a remuneração do dia em que faltar ao serv...
público;
VIII - guardar sigilo sobre assunto da repartição;
IX - manter conduta compatível com a moralidade administrativa...
em detrimento da dignidade da função pública;
X - participar de gerência ou administração de empresa privada, de
sociedade...
máxima de trabalho semanal de 40 (quarenta) horas e observado o limite
máximo de 8 (oito) horas diárias.
QUESTÃO 23. Nos t...
direito no que diz respeito aos adicionais de insalubridade e periculosidade,
porém errou ao considerar o antigo texto da ...
I - para tratamento de saúde ou auxío-doença; (Redação dada pela
Lei Complementar nº 118, de 2006).
...
III - à gestante o...
período, a critério da Administração Pública ou ainda observada a
conveniência administrativa mediante requerimento do
emp...
Comentários: Muito tranquila a questão, porém, mais uma vez a técnica
“decoreba”, infelizmente, isto é muito comum em prov...
QUESTÃO 24. Nos termos da Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos
Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta ...
QUESTÃO 25. Julgue os itens, de acordo com a Lei Complementar n. 008/99
(Estatuto dos Servidores Públicos da Administração...
III. Correto. Trata-se da espécie de indenização denominada “ressarcimento
de despesas autorizadas”. Como reza o art. 54.
...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

QUESTÕES COMENTADAS PROVAS DA SAÚDE (LC 8/99): Servidores Públicos do Município de Palmas. Prof.: Jorge Gustavo.

954 visualizações

Publicada em

Lista de exercícios comentada das provas da prefeitura de palmas, da saúde, aplicada pela fundação Copese, no dia 27 de abril de 2014. Das provas de nível fundamental, médio e superior, na matéria LC nº 08/1999 (Servidores Públicos do Município de Palmas).

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
954
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

QUESTÕES COMENTADAS PROVAS DA SAÚDE (LC 8/99): Servidores Públicos do Município de Palmas. Prof.: Jorge Gustavo.

  1. 1. QUESTÕES COMENTADAS DO CONCURSO SEMUS 2013. Lei Municipal dos Servidores de Palmas (LC nº 08/99). Professor: Jorge Gustavo: Facebook: Jorge Gustavo (Gustavo Oliveira) Email: jgustavooliveira@live.com You tube: Pesquisar por (Jorge Gustavo) ou (Gustavo Oliveira) Direito Administrativo. Obs.: Pesquisar o nome entre parênteses. Nível Fundamental – Prova: AGENTE DE COMBATE ÀS ENDEMIAS: QUESTÃO 21: O servidor municipal habilitado em concurso público e empossado em cargo de provimento efetivo adquirirá estabilidade no serviço público ao completar: (A) seis meses de efetivo exercício. (B) doze meses de efetivo exercício. (C) vinte e quatro meses de efetivo exercício. (D) trinta e seis meses de efetivo exercício. GABARITO: LETRA D Comentários: muito tranquila esta questão, trouxe a literalidade do art.20, vejamos: Art. 20. O servidor municipal habilitado em concurso público e empossado em cargo de provimento efetivo adquirirá estabilidade no serviço público ao completar trinta e seis meses de efetivo exercício. QUESTÃO 22. NÃO é forma de provimento em cargo público: (A) nomeação (B) readaptação (C) reversão (D) desintegração GABARITO: LETRA D Comentários: A questão trabalhou quais seriam as formas de provimento, bem tranquila também, o que pode ser confirmado no art.10º, veja:
  2. 2. Art. 10. São formas de provimento de cargo público: I - nomeação; II - readaptação; III - reversão; IV - reintegração; V - recondução; VI - aproveitamento. QUESTÃO 23. Nos termos da Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas), a gratificação natalina corresponde a: (A) um doze avos da remuneração a que o servidor faz jus no mês de dezembro, por mês de exercício no respectivo ano. (B) dois doze avos da remuneração a que o servidor fizer jus no mês de dezembro, por mês de exercício no respectivo ano. (C) três doze avos da remuneração a que o servidor fizer jus no mês de dezembro, por mês de exercício no respectivo ano. (D) quatro doze avos da remuneração a que o servidor fizer jus no mês de dezembro, por mês de exercício no respectivo ano. GABARITO: LETRA A. Comentários: Bem tranquila também, a banca trabalhou com uma das Gratificações do servidor, na ocasião e natalina, presente no art. 68: Art. 68. A gratificação natalina corresponde a um doze avos da remuneração a que o servidor fizer jus no mês de dezembro, por mês de exercício no respectivo ano. QUESTÃO 24. Nos termos da Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas), o servidor público municipal perderá: (A) a remuneração do dia em que se atrasar ao serviço. (B) a remuneração do mês em que faltar mais de cinco dias ao serviço. (C) a remuneração do dia em que faltar ao serviço, sem motivo justificado. (D) a remuneração do mês em que se atrasar ao serviço por mais de dez dias. GABARITO: LETRA C. Comentários: Questão, com um nível de dificuldade mediano, trouxe as hipóteses em que haverá perda de remuneração do servido, caso falte os dias
  3. 3. de serviço e não justifique, conforme art. 38. Art. 38. O servidor perderá: I - a remuneração do dia em que faltar ao serviço, sem motivo justificado; II - a parcela de remuneração diária, proporcional aos atrasos não justificados. Parágrafo único. As faltas justificadas, nos termos desta Lei não afetam a remuneração ou o subsídio do servidor. QUESTÃO 25. Nos termos da Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas), é dever do servidor público municipal; (A) levar ao conhecimento da autoridade superior as irregularidades de que tiver ciência em razão do cargo. (B) valer-se do cargo para lograr proveito pessoal de terceiro, em detrimento de dignidade da função pública. (C) receber propina, comissão, presente ou vantagem de qualquer espécie, em razão de suas atribuições. (D) utilizar recursos materiais da repartição em serviços ou atividade particulares. GABARITO: LETRA A Comentários: Infelizmente, o nível desta questão é de maior dificuldade, ocasião em que se cobrou a literalidade da norma e uma parte que não se tem muito o que fazer, apenas decorar. Pelo senso comum de moralidade dá pra se ter ideia do que é correto (dever do servidor) e o que seria errado (proibições ao servidor), porém, a convicção seria apenas com o “decoreba”. A resposta da questão encontra no art. 131, da norma, veja: Art. 131. São deveres do servidor: I - exercer com zelo e dedicação as atribuições do cargo; II - ser leal às instituições a que servir; III - observar as normas legais e regulamentares; IV - cumprir as ordens superiores, exceto quando manifestamente ilegais; V - atender com presteza: a) ao público em geral, prestando as informações requeridas, ressalvadas as protegidas por sigilo; b) à expedição de certidões requeridas para defesa de direito ou esclarecimento de situações de interesse pessoal; c) às requisições para a defesa da Fazenda Pública; VI - levar ao conhecimento da autoridade superior as irregularidades de que tiver ciência em razão do cargo; VII - zelar pela economia do material e a conservação do patrimônio
  4. 4. público; VIII - guardar sigilo sobre assunto da repartição; IX - manter conduta compatível com a moralidade administrativa; X - ser assíduo e pontual ao serviço; XI - tratar com urbanidade as pessoas; XII - representar contra ilegalidade, omissão ou abuso de poder. Nível médio – Prova: AGENTE DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA: QUESTÃO 21. Nos termos da Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas), ao servidor público municipal NÃO será permitido: (A) participar de gerência ou administração de empresa provada, de sociedade civil, ou exercer o comércio, exceto na qualidade de acionista, quotista ou comanditário. (B) atender com presteza às requisições para a defesa da Fazenda Pública. (C) levar ao conhecimento da autoridade superior as irregularidades de que tiver ciência em razão do cargo. (D) representar contra a ilegalidade, omissão ou abuso de poder. GABARITO: LETRA A. Comentários: A banca, desta vez, misturou os deveres e as proibições, nas alternativas B, C e D colocou deveres do servidor e, na A, proibições. Por isso, dando continuidade ao raciocínio que começamos na questão anterior, vamos ver a proibições presentes no art. 132. Art. 132. Ao servidor público não será permitido: I - ausentar-se do serviço durante o expediente, sem prévia autorização do chefe imediato; II - retirar, sem prévia anuência da autoridade competente, qualquer documento ou objeto da repartição; III - recusar fé a documentos públicos; IV - opor resistência injustificada ao andamento de documento e processo ou execução de serviço; V - promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição; VI - cometer a pessoa estranha à repartição, fora dos casos previstos em lei, o desempenho de atribuição que seja de sua responsabilidade ou de seu subordinado; VII - coagir ou aliciar subordinados no sentido de filiarem-se a associação profissional ou sindical, ou a partido político; VIII - manter sob sua chefia imediata, em cargo ou função de confiança, cônjuge, companheiro ou parente até o segundo grau civil; IX - valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de terceiro,
  5. 5. em detrimento da dignidade da função pública; X - participar de gerência ou administração de empresa privada, de sociedade civil, ou exercer o comércio, exceto na qualidade de acionista, quotista ou comanditário; XI - atuar, como procurador ou intermediário, junto a repartições públicas, salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau, e de cônjuge ou companheiro; XII - receber propina, comissão, presente ou vantagem de qualquer espécie, em razão de suas atribuições; XIII - aceitar comissão, emprego ou pensão de Estado estrangeiro; XIV - praticar usura sob qualquer de suas formas; XV - proceder com desídia; XVI - utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares; XVII - cometer a outro servidor atribuições estranhas ao cargo que ocupa, exceto em situações de emergência e transitórias; XVIII - exercer quaisquer atividades que sejam incompatíveis com o exercício do cargo ou função e com o horário de trabalho; XIX - recusar-se a atualizar seus dados cadastrais e previdenciários quando solicitado. QUESTÃO 22. Nos termos da Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas), na jornada de trabalho dos servidores municipais será respeitada: (A) a duração máxima de trabalho semanal de quarenta horas e observado o limite máximo de oito horas diárias. (B) a duração máxima de trabalho semanal de quarenta e quatro horas e observado o limite máximo de oito horas diárias. (C) a duração máxima de trabalho semanal de trinta e seis horas e observado o limite máximo de oito horas diárias. (D) a duração máxima de trabalho semanal de quarenta horas e observado o limite máximo de doze horas diárias. GABARITO: LETRA A. Comentários: Podemos verificar, nesta questão, a importância do tema “jornada de trabalho”, que deve ser observado no limite diário e semanal, lembrando que caso ultrapasse tais limites será considerado hora extra até o limite de duas horas extras por dia. Em relação ao tema jornada de trabalho, veremos o art.18. Art. 18. Os servidores municipais cumprirão jornada de trabalho fixada em razão das atribuições dos respectivos cargos, respeitada a duração
  6. 6. máxima de trabalho semanal de 40 (quarenta) horas e observado o limite máximo de 8 (oito) horas diárias. QUESTÃO 23. Nos termos da Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas), NÃO é sanção disciplinar: (A) a advertência (B) a suspensão (C) a demissão (D) a aposentadoria compulsória GABARITO: LETRA D. Comentários: Muito tranquila, cobrou do candidato as formas de punição prevista na norma, quais sejam (art. 154¨): Art. 154. São sanções disciplinares: I - advertência; II - suspensão; III - demissão; IV - cassação de aposentadoria ou disponibilidade; V - destituição de cargo de provimento em comissão; VI - destituição de função comissionada. QUESTÃO 24. Nos termos da Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas), os servidores que trabalhem com habitualidade em locais insalubres ou em contato permanente com substâncias tóxicas, radioativas, ou com risco de vida, fazem jus a um adicional limitado ao: (A) dez por cento calcular exclusivamente sobre o vencimento do cargo efetivo (B) vinte por cento calcular exclusivamente sobre o vencimento do cargo efetivo (C) trinta por cento calcular exclusivamente sobre o vencimento do cargo efetivo (D) quarenta por cento calcular exclusivamente sobre o vencimento do cargo efetivo GABARITO: LETRA D (Gabarito Provisório) CABE RECURSO! Comentários: Desta vez, a banca cobrou o percentual que o servidor teria
  7. 7. direito no que diz respeito aos adicionais de insalubridade e periculosidade, porém errou ao considerar o antigo texto da lei, que já não está mais em vigor, vejamos: ANTIGA NORMA: Art. 73. Os servidores que trabalhem com habitualidade em locais insalubres ou em contato permanente com substâncias tóxicas, radioativas, ou com risco de vida, fazem jus a um adicional limitado a quarenta por cento calculado exclusivamente sobre o vencimento do cargo efetivo. NOVA NORMA: Art. 73. Os servidores que trabalhem com habitualidade em locais insalubres ou em contato permanente com substâncias tóxicas, radioativas, ou com risco de vida, fazem jus a um adicional sobre o vencimento do cargo efetivo. (Redação dada pela Lei Complementar nº 160, de 2008). Por isso, não existe assertiva certa, pois em seu novo texto foi retirado o percentual máximo que era previsto. QUESTÃO 25. Nos termos da Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas), NÃO será concedida licença ao servidor público municipal: (A) por motivo de afastamento do cônjuge ou companheiro (B) para o serviço militar (C) para atividade política (D) para servir ao tribunal do júri GABARITO: LETRA D. Comentários: Ausentar-se do serviço para participar do tribunal do júri não é das licenças concedidas ao servidor, mas sim uma mera falta justificada, por isso, deveríamos saber quais são as licenças, conforme art. 85. Art. 85. Conceder-se-á ao servidor licença: I - para tratamento de saúde; II - por motivo de doença em pessoa da família; III - à gestante ou adotante; IV - por motivo de afastamento do cônjuge ou companheiro; V - para o serviço militar; VI - para atividade política; VII - para capacitação; VIII - para tratar de interesses particulares; IX - para desempenho de mandato classista.
  8. 8. I - para tratamento de saúde ou auxío-doença; (Redação dada pela Lei Complementar nº 118, de 2006). ... III - à gestante ou adotante ou salário-maternidade; (Redação dada pela Lei Complementar nº 118, de 2006). Nível Superior - Prova: ANALISTA EM SAÚDE: ASSISTENTE SOCIAL: QUESTÃO 21. De acordo com a Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas), assinale a alternativa CORRETA. (A) O cargo público é instituído por lei, e implica no desempenho, pelo seu titular, de uma função pública, sócio-administrativa, com objetivo de prover a coletividade de produtos e serviços próprios da Administração Municipal e pertinentes às atribuições que lhe sejam outorgadas. (B) A posse ocorrerá no prazo de cento e oitenta dias, contados da publicação do ato de nomeação, podendo ser prorrogadas pelo dobro de período, a critério da Administração Pública ou a pedido do candidato aprovado. (C) O ocupante de cargo em comissão ou função de confiança, submete-se ao regime geral da previdência social, não podendo cumular com outro regime previdenciário. (D) Ao entrar em exercício, como condição essencial para a aquisição de estabilidade, o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo ficará sujeito a estágio probatório por período de cinquenta meses, devendo, durante esse período, ser analisada a sua aptidão física e mental. GABARITO: LETRA A. Comentários: Nesta questão, nota-se a cobrança da legislação seca, com pequenos erros, na maioria das assertivas, vejamos: A) Correta. É a letra seca do artigo 3º, vejamos: Art. 3º O cargo público é instituído por lei, e implica no desempenho, pelo seu titular, de uma função pública, sócio-administrativa, com o objetivo de prover à coletividade de produtos e serviços próprios da Administração Municipal e pertinentes às atribuições que lhe sejam outorgadas. B) Errada. Este não é o prazo da posse, o prazo é de 30 dias, podendo ser prorrogado por mais 30 dias, de acordo com o parágrafo primeiro do artigo 13. Art. 13. A posse dar-se-á pela assinatura do respectivo termo, no qual deverão constar as atribuições, os deveres, as responsabilidades e os direitos inerentes ao cargo. § 1º A posse ocorrerá no prazo de trinta dias, contados da publicação do ato de nomeação, podendo ser prorrogado por igual
  9. 9. período, a critério da Administração Pública ou ainda observada a conveniência administrativa mediante requerimento do empossando. C) Errada. O ocupante de função de confiança é apenas o servidor e ele se submete ao RPPS (Regime próprio de previdência social). Art. 4º Funções de confiança destinam-se ao desempenho de tarefas de chefia e administração ou de elevado grau de responsabilidade, são criadas e remuneradas por lei, de ocupação privativa por servidores municipais, efetivos ou estabilizados. Art. 204. Os benefícios do sistema de seguridade social do Município compreendem: I - aposentadoria; II - assistência à saúde; III - garantia de condições individuais e ambientais de trabalho satisfatórias; IV - pensão vitalícia e temporária; V - assistência social. § 1º As aposentadorias e pensões serão concedidas nos termos da lei específica do Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Palmas. D) Errado. O prazo do estágio probatório da questão, não é o correto previsto em lei, que é de trinta e seis meses, de acordo com o art. 19. Art. 19. Ao entrar em exercício, como condição essencial para a aquisição da estabilidade, o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo ficará sujeito a estágio probatório por período de trinta e seis meses, durante o qual a sua aptidão e capacidade serão objeto de avaliação especial de desempenho, por comissão instituída para essa finalidade, observados os seguintes fatores e critérios: QUESTÃO 22. De acordo com a Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas), ao servidor em estágio probatório, NÃO será concedida licença: (A) para tratamento da própria saúde. (B) por motivo de doença em pessoa da família. (C) em razão de gestação, adoção ou paternidade. (D) para fins de interesse particular. GABARITO: LETRA D.
  10. 10. Comentários: Muito tranquila a questão, porém, mais uma vez a técnica “decoreba”, infelizmente, isto é muito comum em provas de concursos, ainda mais em bancas que não tem como característica o raciocínio, comumente encontrado em questões de múltipla escolha (assinalar mais de uma assertiva), para fundamentar, vamos ao art. 19. § 4º, I: Art. 19, § 4º Ao servidor em estágio probatório somente poderão ser concedidas (os): I - as licenças: a) para tratamento da própria saúde; b) por motivo de doença em pessoa da família; c) em razão de gestação, adoção ou paternidade; d) para incorporação às Forças Armadas para o serviço militar obrigatório ou, ainda, quando convocado pelas Forças Armadas; e) para o exercício da atividade política; Logo, podemos verificar que dentre tais licenças não existe a para tratar de interesse particular. QUESTÃO 23. De acordo com a Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas), NÃO é requisito básico para investidura em cargo público municipal: (A) estar em gozo dos direitos políticos. (B) estar quite com as obrigações militares e eleitorais. (C) ter domicilio eleitoral registrado há mais de três anos no município. (D) provar aptidão física e mental exigidas para o exercício do cargo. GABARITO: LETRA C. Comentários: Muito tranquila esta questão, basta uma simples leitura no art. 5º, então, vamos ao artigo: Art. 5º São requisitos básicos para investidura em cargo público municipal: I - ter nacionalidade brasileira, ou estrangeira, nos termos em que dispuser a legislação federal; II – estar em gozo dos direitos políticos; III - estar quites com as obrigações militares e eleitorais; IV – contar com o nível de escolaridade exigido para o exercício do cargo; V – ter a idade mínima de dezoito anos; VI – provar aptidão física e mental exigidas para o exercício do cargo. Parágrafo único. As atribuições do cargo podem justificar a exigência
  11. 11. QUESTÃO 24. Nos termos da Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas), assinale a alternativa INCORRETA. (A) A posse dar-se-á pela assinatura do respectivo termo, no qual deverão constar as atribuições, os deveres, as responsabilidades e os direitos inerentes ao cargo. (B) Extinto o cargo ou declarada a sua desnecessidade, o servidor efetivo estável ou estabilizado será automaticamente exonerado. (C) Exercício é o efetivo desempenho das atribuições do cargo público ou da função de confiança. (D) Readaptação é a investidura do servidor municipal efetivo estável ou estabilizado em cargo de atribuições e responsabilidade compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental, verificada em inspeção médica. GABARITO: LETRA B. Comentários: Para fundamentarmos, vamos destacar cada assertiva: A) Correta. Vejamos o Art. 13: Art. 13. A posse dar-se-á pela assinatura do respectivo termo, no qual deverão constar as atribuições, os deveres, as responsabilidades e os direitos inerentes ao cargo. B) Errada. Analisemos Art. 28. Art. 28. Extinto o cargo, ou declarada a sua desnecessidade, o servidor efetivo estável ou o estabilizado ficará em disponibilidade, com remuneração proporcional ao tempo de serviço, até seu adequado aproveitamento em outro cargo cuja exigência de requisitos e atribuições sejam compatíveis com a sua formação profissional. C) Correta. Veja no Art. 15. Art. 15. Exercício é o efetivo desempenho das atribuições do cargo público ou da função de confiança municipal. D) Correta. Leia o Art. 22. Art. 22. Readaptação é a investidura do servidor municipal, efetivo estável ou do estabilizado em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada m inspeção médica.
  12. 12. QUESTÃO 25. Julgue os itens, de acordo com a Lei Complementar n. 008/99 (Estatuto dos Servidores Públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes do Município de Palmas): I. O servidor que, a serviços, afastar-se da sede do Município, em caráter eventual ou transitório para outro ponto do território nacional ou para o exterior, fará jus a passagens e diárias destinadas a indenizar as parcelas de despesas extraordinárias com pousada, alimentação e locomoção urbana, conforme se dispuser em regulamento. II. Conceder-se-á indenização de transporte ao servidor que realizar despesas com a utilização de meio próprio de locomoção para a execução de serviços externos, por força das atribuições próprias do cargo, conforme se dispuser em regulamento. III. Conceder-se-á o ressarcimento de despesas efetuadas pelo servidor municipal para o desempenho de suas funções, desde que previamente autorizadas pela autoridade competente nos termos de regulamento. IV. Ao servidor ocupante de cargo de provimento efetivo ou estabilizado, investido em cargo de provimento em comissão ou função de confiança, será devida gratificação fixada em lei própria. Estão CORRETOS: (A) apenas os itens I, II e III. (B) apenas os itens II, III, e IV. (C) apenas os itens I, III e IV. (D) todos os itens. GABARITO: LETRA D. Comentários: Para analisarmos esta questão, vamos analisar cada assertiva. I. Correto. Trata-se da espécie de indenização denominada “diária”. Conforme art. 51. Art. 51. O servidor que, a serviço, afastar-se da sede do Município, em caráter eventual ou transitório para outro ponto do território nacional ou para o exterior, fará jus a passagens e diárias destinadas a indenizar as parcelas de despesas extraordinárias com pousada, alimentação e locomoção urbana, conforme se dispuser em regulamento. II. Correto. Trata-se da espécie de indenização denominada “de transporte”. De acordo com o art. 53. Art. 53. Conceder-se-á indenização de transporte ao servidor que realizar despesas com a utilização de meio próprio de locomoção para a execução de serviços externos, por força das atribuições próprias do cargo, conforme se dispuser em regulamento.
  13. 13. III. Correto. Trata-se da espécie de indenização denominada “ressarcimento de despesas autorizadas”. Como reza o art. 54. Art. 54. Conceder-se-á o ressarcimento de despesas efetuadas pelo servidor municipal para o desempenho de suas funções, desde que previamente autorizadas pela autoridade competente nos termos de regulamento. IV. Correto. Trata-se da espécie de gratificação ocasionada pelo exercício de cargo em comissão ou função de confiança, como nos mostra o art. 67. Art. 67. Ao servidor ocupante de cargo de provimento efetivo ou ao estabilizado, investido em cargo de provimento em comissão ou em função de confiança, será devida gratificação fixada em lei própria.

×