Curso para formação de cipeiros

11.917 visualizações

Publicada em

0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.917
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
625
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Curso para formação de cipeiros

  1. 1. CURSO PARA FORMAÇÃO DE CIPEIROS. CURRÍCULO BÁSICO CONFORME PORTARIA Nº. 08 DE 23 DE FEVEREIRO DE 1999. I – ESTUDO DO MEIO AMBIENTE, DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO, BEM COMO DOS RISCOS ORIGINADOS DO PROCESSO PRODUTIVO. II – METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE DE ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO. III – NOÇÕES SOBRE ACIDENTE E DOENÇAS DO TRABALHO DECORRENTES DE EXPOSIÇÃO AOS RISCOS EXISTENTES NA EMPRESA. IV – NOÇÕES SOBRE A SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA – AIDS E MEDIDAS DE PREVENÇÃO. V – NOÇÕES SOBRE LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA RELATIVAS A SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. VI – PRINCÍPIOS GERAIS DE HIGIENE DO TRABALHO E DE MEDIDAS DE CONTROLE DOS RISCOS. VII – ORGANIZAÇÃO DA CIPA E OUTROS ASSUNTOS NECESSÁRIOS AO EXERCÍCIO DAS ATRIBUIÇÕES DA COMISSÃO.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 1 MARCIANO ROCHA
  2. 2. A EVOLUÇÃO DO HOMEM E A SUA PREVENÇÃO, ESTÁ DIVIDIDA EM PRÉ-HISTÓRIA E HISTÓRIA. PRÉ-HISTÓRIA: HÁ MAIS OU MENOS UM MILHÃO DE ANOS. O HOMEM PERCEBE QUE PRECISA SE PROTEGER E PREVENIR ACIDENTES. PASSA A CONFECCIONAR SUAS RUDES ARMAS E MORAR EM CAVERNAS. HISTÓRIA: O MUNDO SOFRE CONSIDERÁVEIS MUDANÇAS EM SEUS COSTUMES E FORMAS DE VIDA. APÓS AS DESCOBERTAS: RODA – MÁQUINA DE TEAR – TEAR MECÂNICO – MÁQUINA A VAPOR – DESCAROÇADOR DE ALGODÃO – NAVIO A VAPOR – MOTOR MOVIDO A ELETRICIDADE. SURGE ENTÃO, A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL, E A PARTIR DE 1760 CRESCE ASSUSTADORAMENTE O NÚMERO DE ACIDENTES NOS PAISES DE PRIMEIRO MUNDO, E A PARTIR DE 1930 NO BRASIL.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 2 MARCIANO ROCHA
  3. 3. PRINCIPAIS CAUSAS DOS ACIDENTES. ORIGEM AGRÍCOLA. MÃO DE OBRA DESPREPARADA. MÁQUINAS IMPORTADAS DESPROVIDAS DE PROTEÇÕES EM SUAS PARTES MÓVEIS. NÃO HAVIA UMA CULTURA PREVENCIONISTA. PROCESSO ACELERADO NA INDUSTRIALIZAÇÃO. DESEJO DE LUCRO IMEDIATO. NECESSIDADE DE RECONSTRUIR RAPIDAMENTE O QUE A GUERRA DIZIMOU. INEFICIÊNCIA NA FISCALIZAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 3 MARCIANO ROCHA
  4. 4. BRASIL! MUDANÇAS SIGNIFICATIVAS NA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO NA SUA HISTÓRIA.1934 – PROMULGADA A CONSTITUIÇÃO NO BRASIL.1943 – É CRIADA A CLT. 1944 – É INSTITUÍDA A OBRIGATORIEDADE DA CIPA NAS EMPRESAS.DE 1930 A 1944 – PRIMEIROS PASSOS IMPORTANTES, PORÉM TUDO FICAVA NO PAPEL. 1975 – Primeira formação de profissionais na área de Segurança e Medicina do Trabalho. 1977 – Lei 6514 de 22 de dezembro, estabelece as normas regulamentadoras do trabalho urbano. 1978 – Portaria 3214 de 08 de Junho, institui as NRs. Regulamentando os artigos 154 a 201 da CLT, especificamente os artigos 163 a 165, embasando a NR-05 (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes). 1994 – Em Dezembro, são instituídas as normas NR-07 (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional), e NR-09 (Programa de Prevenção a Riscos Ambientais).Quando também se institui o Mapa de Riscos. 1999 – Portaria de N.º 08 de 23 de Fevereiro modifica e atualiza a NR-05.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 4 MARCIANO ROCHA
  5. 5. COMO SE DESENVOLVEU A HISTÓRIA DA SEGURANÇA DO TRABALHO NO MUNDO? 1700 – MÉDICO ITALIANO BERNARDINO RAMAZZINI EDITA O LIVRO “AS DOENÇAS DOS TRABALHADORES”. PREDOMINANCIA DE MULHERES E CRIANÇAS NAS FÁBRICAS. MUITOS ACIDENTES E TAMBÉM DOENÇAS CONTAGIOSAS. 1760 – INÍCIO DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NA INGLATERRA. 1830 – DR. ROBERT BACKER – PRIMEIRO MÉDICO DO TRABALHO. 1834 – “LEI DAS FÁBRICAS”- PROIBE O TRABALHO NOTURNO PARA MENORES DE 18 ANOS – RESTRINGE O TRABALHO DO MENOR PARA 12 HORAS POR DIA E 69 HORAS POR SEMANA – IDADE MÍNIMA PARA TRABALHO É DE 09 ANOS.OBRIGATÓRIO ATESTADO MÉDICO PARA CRIANÇAS. 1919 – CRIADA A OIT – ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO A PARTIR DE UM TRATADO DE PAZ APÓS A PRIMEIRA GUERA MUNDIAL. A OIT ESTIPULA PARÂMETROS DE LEGISLAÇÃO TRABALHISTA A SEREM OBSERVADOS PELOS PAISES A ELA FILIADOS, INCLUSIVE NO QUE SE REFERE A SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 5 MARCIANO ROCHA
  6. 6. CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES Comissão: grupo de pessoas formado por representantes do empregador e empregado. Interna: seu campo de atuação está restrito a própria empresa. Prevenção: antecipar-se a situações de riscos quando nos deparamos com elas, dando exemplos de pró-atividade e de trabalho correto. Acidente: qualquer ocorrência inesperada que interfere no andamento normal do trabalho causando danos materiais, perda de tempo ou lesão ao trabalhador.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 6 MARCIANO ROCHA
  7. 7. O PAPEL DO CIPEIRO. O CIPEIRO TEM AUTORIDADE? O CIPEIRO NÃO TEM AUTORIDADE PARA EXECUTAR, CONTROLAR, DIRIGIR OU COMPRAR. A função de cipeiro é de esclarecimento. O cipeiro é um professor de adultos. Não tem autoridade segundo a lei, porém conquista a confiança da autoridade moral, baseada no exemplo e na prestação de serviço no trabalho. Sua atividade é de ensinar. Atividades principais do cipeiro: Identificar os riscos. Elaborar o mapa de riscos e plano de trabalho. Verificações, inspeções e avaliações. Participar, colaborar, divulgar e orientar.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 7 MARCIANO ROCHA
  8. 8. A CIPA SOB O PONTO DE VISTA LEGAL! Existência jurídica através dos artigos 163 a 165 da C.L.T. Constituição Federal. Código penal. Código civil. C.L.T. Normas Regulamentadoras. Acordo coletivo. Normas internas para Segurança do Trabalho. ACORDO COLETIVO: Este prevalece em relação a outras leis obedecendo a Constituição.Esta permite livre negociação entre as partes. CONSTITUIÇÃO: Toda empresa pública ou privada deverá constituir CIPA, por estabelecimento, e mantê-la em regular funcionamento com o objetivo de assegurar aos trabalhadores um ambiente saudável e seguro.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 8 MARCIANO ROCHA
  9. 9. ATRIBUIÇÕES DA CIPA DEVERÁ POR EM PRÁTICA OS SEGUINTES PROCEDIMENTOS: Identificar os riscos. Sugerir medidas preventivas. Promover SIPAT. Elaborar plano de trabalho. Inspeções de segurança. Participar das reuniões e avaliar o cumprimento do plano de trabalho. Divulgar informações referentes a segurança do trabalho. Investigar e analisar acidentes e doenças do trabalho. Realizar mapa de riscos. Participar de campanhas preventivas. Ser pró-ativo e colaborar com a empresa e empregados no cumprimento do PPRA e PCMSO, e/ou outras necessidades que venham surgir. Respeitar e cumprir sempre normas internas da empresa. Obedecer sempre a escala de hierarquia de sua empresa.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 9 MARCIANO ROCHA
  10. 10. ATRIBUIÇÕES NA CIPA. PRESIDENTE: CONVOCA E COORDENA AS REUNIÕES DA CIPA. MANTEM O EMPREGADOR INFORMADO SOBRE AS DECISÕES DA CIPA. DELEGA ATRIBUIÇÕES AO VICE-PRESIDENTE E/OU OUTROS. VICE-PRESIDENTE: EXECUTA AS ATRIBUIÇÕES QUE LHE FOREM DELEGADAS. SUBSTITUI O PRESIDENTE NAS SUAS EVENTUAIS AUSÊNCIAS, E AFASTAMENTOS TEMPORÁRIOS. SECRETÁRIA (O): REDIGE A ATA COM FIDELIDADE AOS ASSUNTOS DISCUTIDOS.PREPARA AS CORRESPONDÊNCIAS E ELABORA RELATÓRIOS ESTATÍSTICOS. EMPRESA : CUMPRE E FAZ CUMPRIR AS DISPOSIÇÕES QUE DEVEM SER EXECUTADAS PARA O ANDAMENTO DOS TRABALHOS DA CIPA. DEMAIS EMPREGADOS: DEVEM COLABORAR COM TODO O PROCESSO, DESDE A ELEIÇÃO ATÉ TODAS AS DEMAIS NECESSIDADES REFERENTES A ATUAÇÃO DE CIPA DURANTE A SUA GESTÃO DE 12 MESES, PROPORCIONANDO INFORMAÇÕES IMPORTANTES DE SEUS SETORES, PRATICANDO ASSIM A PRÓ-ATIVIDADE.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 10 MARCIANO ROCHA
  11. 11. REUNIÕES DA CIPA. DEVEM SER ABERTAS, CONDUZIDAS E ENCERRADAS PELO PRESIDENTE. DEVERÁ SER RESPEITADO CALENDÁRIO PRÉ-ESTABELECIDO. TRATAR DE ASSUNTOS EXCLUSIVAMENTE DE SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO. SER REALIZADA EM HORÁRIO DE EXPEDIENTE NORMAL DE TRABALHO. REUNIR-SE EM LOCAL ADEQUADO. DEVERÁ EXECUTAR PLANO DE TRABALHO. UTILIZAR ADEQUADAMENTE O TEMPO DE REUNIÃO. ACIDENTES E AFASTAMENTOS DEVEM SER DISCUTIDOS E REGISTRADOS. AVALIAR O CUMPRIMENTO DAS METAS ESTABELECIDAS. DEVERÁ SER EXTRAORDINÁRIA: QUANDO HOUVER ACIDENTE GRAVE OU FATAL, DENÚNCIA DE RISCO GRAVE E IMINENTE, OU SOLICITAÇÃO EXPRESSA DE UMA DAS REPRESENTAÇÕES.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 11 MARCIANO ROCHA
  12. 12. PLANO DE TRABALHO PLANO DE TRABALHO – CIPADATA RISCO LOCAL SOLUÇÃO RESPONSÁVEL PRAZO PRIORIDADE RESULTADOSPRESIDENTE: _______________________ VICE- PRESIDENTE : ______________________ IMPORTANTE: ESTE PLANO DE TRABALHO DEVERÁ SEMPRE CONTEMPLAR AS RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS ESTABELECIDAS NO PPRA E PCMSO ALÉM DE OUTRAS MEDIDAS PREVENTIVAS QUE A COMISSÃO JULGAR NECESSÁRIAS. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 12 MARCIANO ROCHA
  13. 13. PROCESSO ELEITORAL  Compete ao empregador convocar eleições para escolha dos representantes dos empregados.  Prazos: Mínimo de 60 (sessenta) dias antes do término do mandato em curso.  Comissão eleitoral – o presidente e o vice-presidente da CIPA constituirão dentre seus membros, no prazo de 55 ( ciquenta e cinco) dias antes do término do mandato em curso, a comissão eleitoral.  A comissão eleitoral será responsável pela organização e acompanhamento do processo eleitoral.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 13 MARCIANO ROCHA
  14. 14. PROCEDIMENTOS a) Publicação do edital de convocação em local de fácil e visualização em 55 dias antes do térmio domandato. b) Inscrição de andidatura por mínimo 15 dias c/ fornecimento de comprovante para os candidatos, permitindo liberdade de inscrição para todos os interessados. c) Garantia de emprego para todos os candidatos até o dia da eleição. d) Realização da eleição no prazo mínimo de 30 dias antes do témino dq CIPA, quando houver. e) Realização da eleição em dia normal de trabalho, respeitando os horários que possibilite a participação da maioria dos empregados. f) Voto secreto. g) Apuração dos votos, em horário normal de trabalho, com acompnhamento de representantes do empregador e dos empregados, em número a ser definido pela comissão eleitoral. h) Faculdade de eleição por meios eletrônicos. i) Guarda pelo empregador, de todos os documentos relativos à eleição, por um período mínimo de cinco anos. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 14 MARCIANO ROCHA
  15. 15. PROVIDÊNCIAS EM CASOS DE ANULAÇÃO DO PROCESSO ELEITORAL. Havendo participação inferior a 50% dos empregados na votação, o pleito será anulado, e providenciar-se-á em 10 dias nova eleição. Denuncias sobre o processo deverão ser protocoladas no TEM, até 30 dias após a data da posse. Cabe ao TEM a anulação da eleição em caso de fraude. O empregador deverá providenciar a eleição em 5 dias a contar da data da ciência do fato, e garantir as inscrições anteriores. Quando a anulação se der antes da posse, será garantida a prorrogação do mandato anterior, até a complementação do processo eleitoral. Assumirão a condição de membros titulares e suplentes, os canditatos mais votados. Em caso de empate, assumirá aquele que tiver maior tempo de serviço no estabelecimento. Os candidatos votados e não eleitos deverão ser relacionados em ordem decrescente de votos na ata de eleição, para que possam assumir em caso de possível vacância. A definição de cargos será de acordo com o número de votos obtidos na eleição. O presidente da CIPA será indicado pelo empregador e o vice-presidente será escolhido dentre os eleitos pelos empregados. Os membros serão empossados no primeiro dia útil após o término do mandato anterior. As atas de Eleição, Instalação e Posse, e calendário anual das reuniões, deverão ser entregues aos cipeiros titulares mediante recibo. E caso de solicitação pelo sindicato da categoria, deverão ser entregues a eles mediante protocolo do mesmo. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 15 MARCIANO ROCHA
  16. 16. CONTRATANTES E CONTRATADAS. EMPREITEIRAS E PRESTADORAS DE SERVIÇOS, CONSIDERA-SE ESTABELECIMENTO, PARA FINS DA NR-05, O LOCAL EM QUE OS EMPREGADOS ESTIVEREM EXERCENDO SUAS FUNÇÕES. QUANDO DA PRESENÇA DE DUAS OU MAIS EMPRESAS NUM MESMO ESTABELECIMENTO, A EMPRESA CONTRATANTE DEVERÁ DEFINIR MECANISMOS DE INTEGRAÇÃO E PARTICIPAÇÃO DE TODOS OS TRABALHADORES EM RELAÇÃO ÀS DECISÕES DAS CIPAS OU DESIGNADOS EXISTENTES NO SEU ESTABELECIMENTO. CONTRATANTE E CONTRATADAS EM UM MESMO ESTABELECIMENTO DEVERÃO ARTICULAR-SE EM UM SÓ PROGRAMA DE PREVENÇÃO, PARA GARANTIR UM MESMO NÍVEL DE PROTEÇÃO NA SEGURANÇA E NA SAÚDE. É DE RESPONSABILIDADE DA CONTRATANTE, INFORMAR AS DEMAIS EMPRESAS QUE LHE PRESTAM SERVIÇOS, SOBRE OS RISCOS PRESENTES NO AMBIENTE DE TRABALHO, BEM COMO AS MEDIDAS DE PROTEÇÃO ADEQUADAS. SERÁ TAMBÉM DE RESPONSABILIDADE DA CONTRATANTE, EXIGIR DAS CONTRATADAS QUE CUMPRAM E FAÇAM CUMPRIR AS NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 16 MARCIANO ROCHA
  17. 17. VOCE ESTÁ DEMITIDA! CIPEIRO PODE SER DEMITIDO? SIM! QUANDO SE ENQUADRAR NOS ARTIGOS 158 E 482. ARTIGO 482: ATO DE IMPROBIDADE: ROUBO – FALSIFICAÇÃO – FURTO – ETC. MÁ CONDUTA – EX: ASSÉDIO SEXUAL. CONCORRÊNCIA À EMPRESA NA QUAL TRABALHA POR CONTA PRÓPRIA. DESRESPEITO AS NORMAS DE SEGURANÇA DA EMPRESA. DESÍDIA, OU SEJA GRANDE REDUÇÃO NA PRODUÇÃO. EMBRIAGUÊZ NO SERVIÇO. VIOLAÇÃO DE SEGREDO DA EMPRESA. ATO DE INDISCIPLINA E INSUBORDINAÇÃO. ABANDONO DE EMPREGO. JOGOS DE AZAR, MESMO NO HORÁRIO DE ALMOÇO, DENTRO DA EMPRESA. ARTIGO 158: RECUSA INJUSTIFICADA À OBSERVÂNCIA DAS INSTRUÇÕES PELO EMPREGADOR QUANTO AO USO DE EPI, OU OBEDIÊNCIA ÀS NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA NA EMPRESA.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 17 MARCIANO ROCHA
  18. 18. TIPOS DE ACIDENTES DE TRABALHO TÍPICO: AQUELE QUE OCORRE NO EXERCÍCIO DE SUAS FUNÇÕES. TRAJETO: AQUELE QUE OCORRE NO TRAJETO ENTRE SUA RESIDÊNCIA E O TRABALHO E VICE-VERSA. DOENÇA DO TRABALHO: DOENÇA QUE SE ORIGINA DE ALGUM TIPO DE AGENTE EXISTENTE NO AMBIENTE DE TRABALHO. DOENÇA PROFISSIONAL: DOENÇA QUE SE ORIGINA DE AGENTES QUE ESTÃO SEMPRE PRESENTES NO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 18 MARCIANO ROCHA
  19. 19. CONCEITO LEGAL CONCEITO PREVENCIONISTA DE ACIDENTES. A LEI ENXERGA COMO ACIDENTE DE TRABALHO SOMENTE AQUELE QUE OCORREU PELO EXERCÍCIO DO TRABALHO A SERVIÇO DA EMPRESA, E QUE TENHA CAUSADO LESÃO COM INCAPACIDADE TEMPORÁRIA OU PERMANENTE, OU ATÉ A MORTE DO SEGURADO. JÁ O CONCEITO PREVENCIONISTA, É TODA OCORRÊNCIA NÃO PROGRAMADA, QUE INTERFERE NO ANDAMENTO NORMAL DO TRABALHO, E QUE RESULTA SEPARADAMENTE OU EM CONJUNTO, DANOS MATERIAIS, PERDA DE TEMPO, PREJUIZO FINANCEIRO, E/OU ATÉ LESÕES. MESMO QUE NÃO HAJA LESÃO HOJE, NO FUTURO PORÉM NÃO PODEREMOS AFIRMAR QUE NÃO HAVERÁ ALGUM TIPO DE LESÃO NO TRABALHADOR.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 19 MARCIANO ROCHA
  20. 20. CONCEITOS DE DOENÇA DO TRABALHO E DOENÇA PROFISSIONAL.  DOENÇA PROFISSIONAL: É AQUELA PRODUZIDA OU DESENCADEADA PELO EXERCÍCIO DO TRABALHO, PECULIAR A DETERMINADA ATIVIDADE E CONSTANTE DE RELAÇÃO ELABORADA PELO MINISTÉRIO DO TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL.  DOENÇA DO TRABALHO: ASSIM ENTENDIDA AQUELA ADQUIRIDA OU DESENCADEADA EM FUNÇÃO DE CONDIÇÕES ESPECIAIS NO AMBIENTE DE TRABALHO, E COM ELE SE RELACIONE DIRETAMENTE, E QUE TAMBÉM É CONSTANTE DE RELAÇÃO ELABORADA PELO MINISTÉRIO DO TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 20 MARCIANO ROCHA
  21. 21. NÃO SERÃO CONSIDERADAS DOENÇAS DO TRABALHO: CONFORME LEI 8213/91: A DOENÇA DEGENERATIVA. A INERENTE A GRUPO ETÁRIO. A QUE NÃO PRODUZ INCAPACIDADE LABORATIVA. A DOENÇA ENDÊMICA ADQUIRIDA POR SEGURADOS HABITANTES DE REGIÃO EM QUE ELA SE DESENVOLVA, SALVO COMPROVAÇÃO DE QUE RESULTOU DE EXPOSIÇÃO OU CONTATO DIRETO DETERMINADO PELA NATUREZA DO TRABALHO. EM CASO EXCEPCIONAL, CONSTANDO-SE QUE A DOENÇA NÃO INCLUÍDA NA RELAÇÃO PREVISTA NOS INCISOS I E II, DO ARTIGO 20 DA LEI 8213 DE 1991, RESULTOU DE CONDIÇÕES ESPECIAIS EM QUE O TRABALHO É EXECUTADO E COM ELE SE RELACIONA DIRETAMENTE, A PREVIDÊNCIA SOCIAL DEVE EQUIPARÁ-LA A ACIDENTE DO TRABALHO.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 21 MARCIANO ROCHA
  22. 22. EQUIPARAM-SE TAMBÉM AO ACIDENTE DE TRABALHO. CONFORME O ARTIGO 21 LEI 8213/91. ATO SOFRIDO PELO EMPREGADO NO LOCAL E HORÁRIO DE TRABALHO, EM CONSEQÜÊNCIA DE: ACIDENTE LIGADO AO TRABALHO, EMBORA NÃO TENHA SIDO CAUSA ÚNICA. ATO DE AGRESSÃO, SABOTAGEM OU TERRORISMO PRATICADO POR TERCEIRO OU COMPANHEIRO DE TRABALHO. OFENSA FÍSICA INTENCIONAL, INCLUSIVE DE TERCEIRO, POR MOTIVO DE DISPUTA RELACIONADA COM O TRABALHO. ATO DE IMPRUDÊNCIA, DE NEGLIGÊNCIA OU DE IMPERÍCIA DE TERCEIRO, OU DE COMPANHEIRO DE TRABALHO. ATO DE PESSOA PRIVADA DO USO DA RAZÃO. DESABAMENTO, INUNDAÇÃO, INCÊNDIO E OUTROS CASOS FORTUITOS DECORRENTES DE FORÇA MAIOR. DOENÇA PROVENIENTE DE CONTAMINAÇÃO ACIDENTAL DO EMPREGADO NO EXERCÍCIO DE SUA ATIVIDADE. ACIDENTE SOFRIDO, AINDA QUE FORA DO LOCAL E HORÁRIO DE TRABALHO. NA REALIZAÇÃO DE SERVIÇOS SOB AUTORIDADE DA EMPRESA. NA PRESTAÇÃO ESPONTÂNEA PARA A EMPRESA PARA LHE EVITAR PREJUIZO. EM VIAGENS A SERVIÇO DA EMPRESA. E ACIDENTE DE TRAJETO.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 22 MARCIANO ROCHA
  23. 23. ACIDENTE DE TRAJETO. É QUANDO UM FUNCIONÁRIO SOFRE UM ACIDENTE NO PERCURSO DA SUA RESIDÊNCIA PARA O TRABALHO OU DO TRABALHO PARA A SUA RESIDÊNCIA. A LEI NÃO PREVÊ QUALQUER TIPO DE PARADA ENTRE RESIDÊNCIA E TRABALHO! PORÉM, NÃO IMPORTA O TIPO DE LOCOMOÇÃO! EXISTE TEMPO PRÉ- ESTABELECIDO?! NÃO, O TEMPO É O HABITUAL DE PERCURSO. MAS, SE ESSE TEMPO FOR EXCEDIDO, PODERÁ DESCARACTERIZAR O ACIDENTE DE TRAJETO.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 23 MARCIANO ROCHA
  24. 24. OUTROS TIPOS DE ACIDENTES. ACIDENTE POR ATO DE TERCEIRO. QUANDO OUTRA PESSOA PROVOCA O ACIDENTE. CULPOSO: SEM INTENÇÃO, POR NEGLIGÊNCIA, POR IMPRUDÊNCIA. DOLOSO: COM INTENÇÃO, POR SABOTAGEM, OFENSA FÍSICA. ACIDENTE POR FORÇA MAIOR. ORIUNDA DE FENÔMENOS DA NATUREZA, INCÊNDIOS, INUNDAÇÕES, DESCARGAS ELÉTRICAS (RAIOS), DESDE QUE OCORRIDAS NO HORÁRIO E LOCAL DE TRABALHO. ACIDENTE FORA DO LOCAL DE TRABALHO. CUMPRIMENTO DE ORDEM DE SERVIÇO, SOB AUTORIDADE DA EMPRESA. EX: VIAGENS A SERVIÇO, SOB QUALQUER MODO DE LOCOMOÇÃO. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 24 MARCIANO ROCHA
  25. 25. CAT – COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO. CAT A EMPRESA DEVERÁ REGISTRAR OS ACIDENTES DE TRABALHO NO IMPRESSO CAT. A CAT DEVERÁ SER EMITIDA EM 06(SEIS) VIAS:1. VIA PARA INSS – INSTITUTO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL.2. PARA O EMITENTE.3. PARA O SEGURADO OU DEPENDENTE.4. SINDICATO DA CLASSE TRABALHADORA.5. SUS – SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE.6. DRT – DELEGACIA REGIONAL DO TRABALHO. ESTE É UM DOCUMENTO MUITO IMPORTANTE, POIS ALÉM DE SER UM REGISTRO E CONTROLE DE ACIDENTES, TAMBÉM É O CADASTRO OFICIAL DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, QUE PERMITE O PAGAMENTO DE BENEFÍCIOS AOS SEGURADOS, QUE POR VENTURA VENHAM A FICAR AFASTADOS POR MAIS DE 15 DIAS.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 25 MARCIANO ROCHA
  26. 26. QUAL É A ESTABILIDADE DO ACIDENTADO? O ACIDENTADO QUE FICAR AFASTADO POR UM PERÍODO MAIOR QUE 15 DIAS, NÃO PODERÁ SER DEMITIDO ATÉ UM ANO APÓS O SEU RETORNO. QUEM SERÁ RESPONSÁVEL PELO PAGAMENTO DO ACIDENTADO, QUANDO AFASTADO? ATÉ 15 DIAS, A EMPRESA EFETUA O PAGAMENTO. A PARTIR DO 16º DIA O PAGAMENTO É FEITO PELO INSS. CARACTERÍSTICAS DO ACIDENTE DE TRABALHO. ACIDENTE COM AFASTAMENTO: O FUNCIONÁRIO NÃO REORNA PARA SUAS ATIVIDADES NO DIA SEGUINTE. ACIDENTES SEM AFASTAMENTO: O FUNCIONÁRIO RETORNA PARA SUAS ATIVIDADES NO MESMO DIA OU NO DIA SEGUINTE. ACIDENTES SEM VÍTIMA: SOMENTE DANOS MATERIAIS.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 26 MARCIANO ROCHA
  27. 27. PRAZOS PARA EMISSÃO DA CAT. SITUAÇÕES EMISSÃO DE CAT ACIDENTES COM AFASTAMENTO. 24 HORAS APÓS O ACIDENTE. ACIDENTES SEM AFASTAMENTO 24 HORAS APÓS O ACIDENTE. ACIDENTES SEM VÍTIMAS NÃO HAVERÁ EMISSÃO DA CAT. MORTE COMUNICAR IMEDIATAMENTE AS AUTORIDADES.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 27 MARCIANO ROCHA
  28. 28. NOÇÕES SOBRE LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA RELATIVAS A SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. PRESTAÇÃO DE BENEFÍCIOS E SERVIÇOS AO SEGURADO PELA PREVIDÊNCIA SOCIAL: APOSENTADORIA POR INVALIDEZ ( 100% DO SALÁRIO BENEFÍCIO). APOSENTADORIA POR IDADE. APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO. APOSENTADORIA ESPECIAL ( 100 % DO SALÁRIO BENEFÍCIO). AUXÍLIO DOENÇA ( 91 % DO SALÁRIO BENEFÍCIO). SALÁRIO FAMÍLIA. SALÁRIO MATERNIDADE. AUXÍLIO ACIDENTE ( 50 % DO SALÁRIO BENEFÍCIO). QUANTO AO DEPENDENTE: PENSÃO POR MORTE. AUXÍLIO RECLUSÃO ( DEVIDO AOS DEPENDENTES DO SEGURADO RECOLHIDO A PRISÃO QUE NÃO RECEBER REMUNERAÇÃO DA EMPRESA).PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 28 MARCIANO ROCHA
  29. 29. NOÇÕES SOBRE LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA GRAUS DE INSALUBRIDADE.INSALUBRIDADE.É TODA OPERAÇÃO QUE SE DESENVOLVE ACIMA DOS LIMITES DE TOLERÂNCIA PREVISTOSNOS ANEXOS N.º 1 – 2 – 3 – 5 – 11 – E 12, QUE CONSTAM DA NORMA NR – 15 ( ATIVIDADES EOPERAÇÕES INSALUBRES) DA PORTARIA 3214 DO MINISTÉRIO DO TRABALHO. ÉCOMPROVADA ATRAVÉS DE INSPEÇÃO DO LOCAL DE TRABALHO.NO CASO DE INCIDÊNCIA DE MAIS DE UM FATOR DE INSALUBRIDADE, SERÁ APENASCONSIDERADO O DE GRAU MAIS ELEVADO, PARA EFEITO DE ACRÉSCIMO SALARIAL, SENDOVEDADA A PERCEPÇÃO CUMULATIVA.O EXERCÍCIO DO TRABALHO EM CONDIÇÕES DE INSALUBRIDADE ASSEGURA AOTRABALHADOR A PERCEPÇÃO DE ADICIONAL, INCIDENTE SOBRE O SALÁRIO MÍNIMO,EQUIVALENTE A:40% PARA INSALUBRIDADE DE GRAU MÁXIMO.20% PARA INSALUBRIDADE DE GRAU MÉDIO.10% PARA INSALUBRIDADE DE GRAU MÍNIMO.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 29 MARCIANO ROCHA
  30. 30. NOÇÕES SOBRE LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA GRAUS DE INSALUBRIDADE. ATIVIDADES OU OPERAÇÕES QUE EXPONHAM O TRABALHADOR PERCENTUALNÍVEIS DE RUÍDO CONTÍNUO OU INTERMITENTE SUPERIORES AOS LIMITES DE TOLERÂNCIA 20 % FIIXADOS. NÍVEIS DE RUÍDO DE IMPACTO SUPERIORES AOS LIMITES DE TOLERÂNCIA FIXADOS 20% EXPOSIÇÃO AO CALOR COM VALORES DE IBUTG SUPERIORES AOS LIMITES DE TOLERÂNCIA FIXADOS. NÍVEIS DE ILUMINAMENTO INFERIORES AOS MÍNIMOS EXIGIDOS - NÍVEIS DE RADIAÇÕES IONIZANTES COM RADIOATIVIDADE SUPERIORES AOS LIMITES DE 40% TOLERÂNCIA FIXADOS. RADIAÇÕES NÃO IONIZANTES CONSIDERADAS INSALUBRES EM DECORRÊNCIA DE 20% INSPEÇÕES REALIZADAS NOS LOCAIS DE TRABALHO. VIBRAÇÕES CONSIDERADAS INSALUBRES 20% FRIO CONSIDERADO INSALUBRE EM DECORRÊNCIA DE INSPEÇÕES 20% UMIDADE CONSIDERADA INSALUBRE 20% AGENTES QUÍMICOS CUJAS CONCENTRAÇÕES SEJAM ACIMA DOS LIMITES 10% - 20%- 40% POEIRAS MINERAIS CUJAS CONCENTRAÇÕES SEJAM SUPERIORES AOS LIMITES 40% ATIVIDADES OU OPERAÇÕES, ENVOLVENDO AGENTES QUÍMICOS 10%- 20%- 40% AR COMPRIMIDO 40% AGENTES BIOLÓGICOS 20% OU 40% PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 30 MARCIANO ROCHA
  31. 31. NOÇÕES SOBRE LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA GRAUS DE PERICULOSIDADE. ATIVIDADES OU OPERAÇÕES PERIGOSAS COM EXPLOSIVOS. ATIVIDADES ADICIONAL DE 30 % ARMAZENAMENTO DE EXPLOSIVOS TODOS NESTA ATIVIDADE OU QUE PERMANEÇAM NA ÁREA DE RISCO. NO TRANSPORTE DE EXPLOSIVOS TODOS OS TRABALHADORES NESTA ATIVIDADENAS OPERAÇÕES DE MANUSEIO DE EXPLOSIVOS TODOS OS TRABALHADORES NESTA ATIVIDADE ATIVIDADES OU OPERAÇÕES PERIGOSAS COM INFLAMÁVEIS ATIVIDADES ADICIONAL 30% NA PRODUÇÃO – TRANSPORTE – PROCESSAMENTO E TODOS NESTA ATIVIDADE OU OS QUE OPERAM NA ÁREA DE ARMAZENAGEM DE GÁS LIQÜEFEITO RISCO. TRANSPORTE ARMAZENAGEM DE INFLAMÁVEIS LÍQUIDOS E E GASOSOS E VASILHAMES VAZIOS NÃO DESGASEIFICADOS OU TODOS OS TRABALHADORES DA ÁREA DE OPERAÇÃO. DECANTADOS OPERAÇÕES DE DESGASEIFICAÇÃO OU DECANTAÇÃO TODOS NESTA ATIVIDADE OU OS QUE OPERAM NA ÁREA DE RISCO TESTE DE APARELHOS E SEUS EQUIPAMENTOS TODOS NESTA ATIVIDADE OU OS QUE OPERAM NA ÁREA DE RISCO TRANSPORTE DE INFLAMÁVEIS EM CAMINHÃO-TANQUE MOTORISTA E AJUDANTETRANSPORTE EM CAMINHÃO TOTAL- IGUAL OU SUP 200 LITROS MOTORISTA E AJUDANTETRANSPORTE DE VASILHAMES EM CAMINHÃO IGUAL-SUP.135 KG MOTORISTA E AJUDANTEPRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 31 MARCIANO ROCHA
  32. 32. PRINCIPAIS CAUSAS DOS ACIDENTES PORQUE OS ACIDENTES OCORREM. CONDIÇÕES CAUSAS PREVISÍVEIS CAUSAS IMPREVISÍVEIS CONDIÇÕES ORIGEM ATOS INSEGUROS FENÔMENOS DA NATUREZA INSEGURAS FATOR DE ORIGEM HUMANO AMBIENTE X PERCENTUAL 70 % 28 % X INCIDÊNCIAS 98 % DOS ACIDENTES 2 % DOS ACIDENTESPRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 32 MARCIANO ROCHA
  33. 33. ESTATÍSTICA DE ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO NO BRASIL – 2003. ANO TRABALHADORES ACIDENTES DOENÇAS TOTAL ÓBITOS Por Por Típico Trajeto ano dia 1 1986 22.163.827 72.693 6.014 1.207.859 4.578 13 1987 22.617.787 1.065.912 64.830 6.382 1.137.124 5.738 16 1988 23.661.579 926.354 60.202 5.025 991.581 4.616 13 1989 24.486.553 825.081 58.524 4.838 888.443 4.554 12 1990 23.198.656 632.012 56.343 5.217 693.572 5.355 15 1991 23.004.264 579.362 46.679 6.281 632.322 4.527 12 1992 22.272.843 490.916 33.299 8.299 532.514 3.516 10 1993 23.165.027 374.167 22.709 15.417 412.293 3.110 9 1994 23.667.241 350.210 22.824 15.270 388.304 3.129 9 1995 23.755.736 374.700 28.791 20.646 424.137 3.967 11 1996 23.830.312 325.870 34.696 34.889 395.455 4.448 12 1997 24.104.428 347.482 37.213 36.648 421.343 3.469 10 1998 24.491.635 347.738 36.114 30.489 414.341 3.793 10 1999 24.993.265 326.404 37.513 23.903 387.820 3.896 11 2000 25.456.158 287.500 37.362 19.134 343.996 3.094 9PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 33 2 MARCIANO ROCHA 25.999.568 282.965 38.799 18.487 340.251 2753 7
  34. 34. PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES. ATOS INSEGUROS EXEMPLOS: 1 – NÃO USAR EPI. 2 – DEIXAR MATERIAIS ESPALHADOS NO CORREDOR. 3- OPERAR MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS SEM HABILITAÇÃO. – 4 – DISTRAIR-SE OU REALIZAR BRINCADEIRAS DURANTE O TRABALHO. 5 – UTILIZAR FERRAMENTAS NÃO ADEQUADAS. 6 – USAR AR COMPRIMIDO PARA REALIZAR LIMPEZA EM UNIFORME OU NO PRÓPRIO CORPO. 7 – DESLIGAR DISPOSITIVOS DE PROTEÇÃO COLETIVA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. 8 – NÃO RESPEITAR O LIMITE DE POTÊNCIA DAS MÁQUINAS.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 34 MARCIANO ROCHA
  35. 35. CONDIÇÕES INSEGURAS.SÃO DEFICIÊNCIAS, DEFEITOS OU IRREGULARIDADES TÉCNICAS NASINSTALAÇÕES FÍSICAS, MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS QUE PRESENTES NOAMBIENTE PODEM CAUSAR ACIDENTES DE TRABALHO.1 – FALTA DE CORRIMÃO EM ESCADAS. 2 –FALTA DE GUARDA-CORPO EM PATAMARES. 3 –ARRANJOS INADEQUADOS. 4 –PISO IRREGULAR. 5 – PISO SUJO E COM POÇAS DE ÓLEO. 6 –EQUIPAMENTOS MAL POSICIONADOS. 7 – MATERIAIS ARMAZENADOS DE FORMA IRREGULAR,8 – EXTINTORES OBSTRUÍDOS. 9 –CABOS E ACESSÓRIOS DE EQUIPAMENTOS DE IÇAR PESOSEM MAL ESTADO DE CONSERVAÇÃO, DEVEM SER SUBSTITUIDOS. 10 - FERRAMENTASDEFEITUOSAS. 11 – FALTA DE TREINAMENTO. 12 – FALTA DE PROTEÇÕES EM PARTES MÓVEISDE MÁQUINAS. 13 – PEÇAS E OBJETOS ROLIÇOS ESPALHADOS PELO CHÃO. ETC. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 35 MARCIANO ROCHA
  36. 36. QUEM PERDE COM OS ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO? O ACIDENTE! $ TODOS PERDEM! TEMPO, DINHEIRO, QUALIDADE DE VIDA, QUALIDADE NO PRODUTO, CONFIABILIDADE DO CLIENTE! A EMPRESA PERDE COM:1. COM PAGAMENTO DOS PRIMEIROS 15 DIAS SEGUINTES APÓS O ACIDENTE.2. REFLEXOS NEGATIVOS NO AMBIENTE DE TRABALHO.3. DANOS E AVARIAS NOS EQUIPAMENTOS, MÁQUINAS E/OU FERRAMENTAS.4. PARALIZAÇÃO DESTES EQUIPAMENTOS, AFETANDO PROCESSO PRODUTIVO.5. ATENDIMENTO COM PRIMEIROS SOCORROS E APOIO AO FUNCIONÁRIO.6. REFLEXOS NEGATIVOS NA BOA IMAGEM DA EMPRESA, VARIÁVEL QUE DEPENDERÁ DA GRAVIDADE DO ACIDENTE. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 36 MARCIANO ROCHA
  37. 37. GOVERNO - INSS PAGAMENTO ATRAVÉS DO INSS DOS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS AO TRABALHADOR ACIDENTADO OU A SEUS DEPENDENTES, TAIS COMO:1. AUXÍLIO DOENÇA.2. AUXÍLIO ACIDENTE.3. APOSENTADORIA POR INVALIDEZ.4. PENSÃO POR MORTE.5. PAGAMENTO DE DESPESAS MÉDICO-HOSPITALARES EM TRATAMENTO.6. DESPESAS COM REABILITAÇÃO PROFISSIONAL DO TRABALHADOR.7. COM FORNECIMENTO DE APARELHOS DE PRÓTESE, CONFORME A NECESSIDADE.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 37 MARCIANO ROCHA
  38. 38. ACIDENTADO. 1. SOFRIMENTO FÍSICO, DOR, LESÃO INCAPACITANTE, PARCIAL OU TOTAL, TEMPORÁRIA OU PERMANENTE, OU ATÉ MESMO A MORTE. 2. REFLEXOS PSICOLÓGICOS NEGATIVOS DECORRENTES DE EVENTUAIS SEQÜELAS ACIDENTÁRIAS, INCLUSIVE PODENDO GERAR DISTÚRBIOS FAMILIARES, DEPENDENDO DO GRAU DE INCAPACIDADE. 3. REDUÇÃO SALARIAL DECORRENTE DA PERCEPÇÃO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 38 MARCIANO ROCHA
  39. 39. COLEGAS DE TRABALHO. 1. COBRANÇA PARA AUMENTO DE RÍTMO DE TRABALHO DEVIDO A PRAZO DE PRODUÇÃO, PODENDO GERAR NOVOS ACIDENTES DE TRABALHO. 2. ABALO EMOCIONAL DA EQUIPE, GERANDO BAIXA PRODUTIVIDADE E STRESS, POR HAVER UM PESSOA PRÓXIMA LESIONADA, PODENDO TER OCORRIDO A MORTE DO ACIDENTADO, O QUE AGRAVA AINDA MAIS A SITUAÇÃO. 3. INSEGURANÇA EM EXECUTAR AS TAREFAS POR RECEIO DE SE ACIDENTAR TAMBÉM. 4. PERDE A EMPRESA FINANCEIRAMENTE COM UM POSSÍVEL RETARDO OU PARADA NA PRODUÇÃO.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 39 MARCIANO ROCHA
  40. 40. FAMÍLIA REFLEXOS EMOCIONAIS, POR HAVER UMA PESSOA PRÓXIMA LESIONADA E AFASTADA DE SUAS ATIVIDADES. EM CASO DE MORTE, PERDA AFETIVA IRREPARÁVEL. DIFICULDADES FINANCEIRAS, POIS, PARTE OU TODA RENDA FAMILIAR FICARÁ COMPROMETIDA.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 40 MARCIANO ROCHA
  41. 41. RISCO AMBIENTAIS E OCUPACIONAIS SÃO SITUAÇÕES, CONDIÇÕES E SUBSTÂNCIAS QUE CONFORME SUA NATUREZA, TEMPO DE EXPOSIÇÃO, INTENSIDADE E CONCENTRAÇÃO, SÃO CAPAZES DE CAUSAR DANOS À SAÚDE OU A INTEGRIDADE FÍSICA DO TRABALHADOR. OS RISCOS AMBIENTAIS SÃO CLASSIFICADOS EM 03 GRANDES GRUPOS, DE ACORDO COM A SUA ORIGEM:1. RISCOS FÍSICOS.2. RISCOS QUÍMICOS.3. RISCOS BIOLÓGICOS. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 41 MARCIANO ROCHA
  42. 42. RISCOS OCUPACIONAIS ERGONÔMICOS. DE ACIDENTES. Falta de adaptação das condições do ambiente de trabalho ao homem. Condições inseguras encontradas no ambiente de trabalho e ausência de treinamento.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 42 MARCIANO ROCHA
  43. 43. RISCOS FÍSICOS RUÍDO VIBRAÇÕES PRESSÕES ANORMAIS TEMPERATURAS EXTREMAS RADIAÇÕES IONIZANTES RADIAÇÕES NÃO IONIZANTES INFRA-SOM SOM EM FREQÜÊNCIA ABAIXO DA PERCEPÇÃO HUMANA. ( ABAIXO DE 16 HZ.. ) ULTRA-SOM SOM EM FREQÜÊNCIA ACIMA DA PERCEPÇÃO HUMANA. ( ACIMA DE 20.000 HZ..). UMIDADEPRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 43 MARCIANO ROCHA
  44. 44. RISCOS FÍSICOS - CONSEQÜÊNCIAS1- RUÍDO CAUSA: NA AUDIÇÃO – PERDA TEMPORÁRIA OU PERMANENTE. NO SISTEMA NERVOSO: FADIGA NERVOSA – ALTERAÇÕES MENTAIS – PERDA DE MEMÓRIA IRRITABILIDADE DIFICULDADES EM COORDENAR IDÉIAS. NO APARELHO CARDIOVASCULAR: HIPERTENSÃO – MODIFICAÇÃO DO RÍTMO CARDÍACO - MODIFICAÇÕES DO CALIBRE DOS VASOS SANGUÍNEOS.2- VIBRAÇÕES CAUSAM: VIBRAÇÕES LOCALIZADAS: ALTERAÇÕES NEUROVASCULARES NAS MÃOS – PROBLEMAS NAS ARTICULAÇÕES DAS MÃOS - TAMBÉM OSTEOPOROSE ( PERDA DE SUBSTÂNCIA ÓSSEA). VIBRAÇÕES GENERALIZADAS OU CORPO INTEIRO: LESÕES NA COLUNA VERTEBRAL E DORES LOMBARES.3- RADIAÇÕES IONIZANTES CAUSAM: EFEITOS CRÔNICOS E AGUDOS, GENÉTICOS OU SOMÁTICOS, PODENDO AFETAR PARTES DO ORGANISMO, E/OU SE MANIFESTAREM NOS DESCENDENTES DAS PESSOAS EXPOSTAS AS RADIAÇÕES.CÂNCER.4- RADIAÇÕES NÃO IONIZANTES: PROVENIENTES DE ONDAS DE CALOR, COMO ULTRAVIOLETA E INFRA-VERMELHO QUE PODEM CAUSAR: CATARATA – DESIDRATAÇÃO– ERUPÇÃO DA PELE – CÂIMBRAS – DISTÚRBIOS PSICONEURÓTICOS – PROBLEMAS CARDIOVASCULARES – INSOLAÇÃO. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 44 MARCIANO ROCHA
  45. 45. RISCOS FÍSICOS - CONSEQÜÊNCIAS TEMPERATURAS EXTREMAS CAUSAM: CALOR EM ALTAS TEMPERATURAS PODE GERAR: CATARATA – DESIDRATAÇÃO – ERUPÇÃO DA PELE – CÂIMBRAS – DISTÚRBIOS PSICONEURÓTICOS – PROBLEMAS CARDIOVASCULARES – INSILAÇÃO. BAIXAS TEMPERATURAS: O FRIO, TEMPERATURA ABAIXO DE – 15 C.º PODE GERAR: DIMINUIR A CONCENTRAÇÃO DAS PESSOAS. VASO CONSTRIÇÃO PERIFÉRICA. QUEDA DE FREQÜENCIA DO PULSO. QUEDA DE PRESSÃO ARTERIAL. TREMOR INCONTROLÁVEL. HIPOTERMIA ( INIBIÇÃO DOS MECANISMOS DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL). EVOLUINDO PARA SONOLÊNCIA E COMA. PRESSÕES HIPERBÁRICAS: RUPTURA DO TÍMPANO – DORES ABDOMINAIS – DOR DE DENTE – EXOFTALMIA ( SALIÊNCIA EXAGERADA DO GLOBO OCULAR – OBSTRUÇÃO DOS VASOS SANGUÍNEOS – INTOXICAÇÃO POR OXIGÊNIO E GÁS CARBÔNICO - DOENÇA DESCOMPRESSIVA. UMIDADE: TRABALHOS EM AMBIENTES ALAGADOS E ENXARCADOS OU UMIDADE EXECESSIVA PODEM GERAR: DERMATOSES E DOENÇAS RESPIRATÓRIAS. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 45 MARCIANO ROCHA
  46. 46. RISCOS FÍSICOS - PREVENÇÃO PREVENÇÃO: EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA EM PRIMEIRA INSTÂNCIA. ELIMINAR RUÍDOS NA FONTE. USAR PROTEÇÃO AUDITIVA. DOSAR ÍNDICE DE RUÍDO. UTILIZAR AMORTECEDORES NOS EQUIPAMENTOS QUE APRESENTAM VIBRAÇÕES. UTILIZAR EPI ADEQUADO PARA NEUTRALIZAR VIBRAÇÕES. EQUIPAMENTOS DE RADIOTERAPIA DEVERÃO POSSUIR ENCLAUSURAMENTO ADEQUADO COM PLACAS DE CHUMBO E VEDAÇÕES PERFEITAS ( NAS RADIAÇÕES IONIZANTES). UTILIZAR ROUPAS E AVENTAIS DE PROTEÇÃO ( RADIAÇÕES IONIZANTES). ROUPAS TÉRMICAS ( EM BAIXAS TEMPERATURAS). CALÇADOS ESPECÍFICOS ( CORRESPONDENTE A ATIVIDADE). ÓCULOS DE SEGURANÇA ADEQUADOS A SITUAÇÃO. ROUPAS E CALÇADOS IMPERMEÁVEIS QUANDO LIDAR COM EXCESSIVA UMIDADE. MÁSCARAS E/OU RESPIRADORES ADEQUADOS AO TIPO DE AGENTE E ATMOSFERA LOCAL. LINHAS DE AR MANDADO PARA AMBIENTES CONFINADOS. VENTILAÇÃO LOCAL EXAUSTORA ADEQUADA AO AMBIENTE, ENFIM TODOS OS EPIS DIRETAMENTE RELACIONADOS AOS DIFERENTES TIOS DE AGENTES CORRESPONDENTES. UTILIZAR CÂMARAS DE DESCOMPRESSÃO OUTROS EQUIPAMENTOS ESPECIAIS PARA PRESSÕES ANORMAIS – SER TREINADO E ACOMPANHADO POR ESPECIALISTA E SEGUIR PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA ( EM PRESSÕES HIPERBÁRICAS). PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 46 MARCIANO ROCHA
  47. 47. RISCOS QUÍMICOS POEIRAS ________________________ FUMOS ______________________________________ NÉVOAS _________________________ NEBLINAS __________________________ GASES __________________________ VAPORES _________________________PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 47 MARCIANO ROCHA
  48. 48. RISCOS QUÍMICOS CONSEQÜÊNCIAS E PREVENÇÃO.CONSEQÜÊNCIAS: ATACAM O SISTEMA NERVOSO CENTRAL. DEPRESSÕES E EUFORIAS. PNEUMOCONIOSES. DERMATITES. CÂNCER. DIVERSAS DOENÇAS RESPIRATÓRIAS. CATARATA. PROBLEMAS ALÉRGICOS. PREVENÇÃO: USO DE EPC – VENTILAÇÃO LOCAL EXAUSTORA. MONITORAMENTO – CONTRÔLE DO AMBIENTE REFERENTE A CONCENTRAÇÃO NA ATMOSFERA. SUBSTITUIÇÃO DE PRODUTO POR OUTRO NÃO AGRESSIVO. USO DE EPI ADEQUADO. ROUPAS DE MATERIAL RESISTENTE AO PRODUTO QUÍMICO CORPO INTEIRO. MÁSCARA DE FUGA PARA SITUAÇÕES DE ABANDONO DE ÁREA. RESPIRADORES COM AR MANDADO. RESPIRADORES ESPECIAIS COM FILTROS PRÓPRIOS AO AGENTE PRESENTE NA ATMOSFERA LOCAL. USO DE EXPLOSÍMETROS CONSTANTEMENTE NOS LOCAIS ONDE O RISCO DE VAZAMENTO DE GASES INFLAMÁVEIS E/OU EXPLOSIVOS, É MAIS FREQÜENTE.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 48 MARCIANO ROCHA
  49. 49. RISCOS QUÍMICOS FATORES QUE INFLUENCIAM SUA TOXICIDADE. TÓXICO TEMPO  CONCENTRAÇÃO DE  INTENSIDADE EXPOSIÇÃO  NATUREZA DO RISCO SENSIBILIDADE INDIVIDUALPRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 49 MARCIANO ROCHA
  50. 50. RISCOS QUÍMICOS SUAS CARACTERÍSTICAS. PRODUTOS QUÍMICOS: POEIRAS: MINERAIS: - SILICOSE (SÍLICA) – ABESTOSE (AMIANTO). VEGETAIS: BISSINOSE (ALGODÃO) - BAGAÇOSE (CANA DE AÇUCAR ). ALCALINAS: ENFIZEMA PULMONAR. INCÔMODAS: - POTENCIALIZA NOCIVIDADE. FUMOS METÁLICOS: INTOXICAÇÃO ESPECÍFICA DE ACORDO COM METAL FEBRE DOS FUMOS METÁLICOS – DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA. NÉVOAS – NEBLINAS GASES E VAPORES: IRRITANTES: IRRITAÇÃO DAS VIAS AÉREAS SUPERIORES. EX: ÁCIDO CLORÍDRICO – SODA CÁUSTICA – ÁCIDO SULFÚRICO. ASFIXIANTES: DOR DE CABEÇA – NÁUSEAS –SONOLÊNCIA – CONVULÇÕES. COMA E MORTE. EX: HIDROGÊNIO – NITROGÊNIO – HÉLIO – ACETILENO – METANO – DIÓXIDO DE CARBONO – MONÓXIDO DE CARBONO, ETC. ANESTÉSICOS: AÇÃO DEPRESSIVA SOBRE O SISTEMA NERVOSO DANOS AOS DIVERSOS ORGÃOS – AO SISTEMA FORMADOR DO SANGUE. EX: BUTANO – PROPANO – ALDEIDOS – CETONAS – CLORETO DE CARBONO TRICLOROETILENO – BENZENO – TOLUENO – ALCÓOIS – PERCLORETILENO XILENO, ETC.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 50 MARCIANO ROCHA
  51. 51. AGENTES QUÍMICOS QUE PROVOCAM LESÕES NO FÍGADO E RINS. ARSÊNICO – CHUMBO – ESTANHO – MERCÚRIO. PODEM PROVOCAR NO FÍGADO:1. CIRROSE: LESÃO GRAVE – IRRITAÇÃO PROLONGADA OU FREQÜENTE.2. HEPATITE: INFLAMAÇÃO.3. ICTERÍCIA: PROVOCA COLORAÇÃO AMARELA EM TODO O ORGANISMO.4. HEPATOMEGALIA: AUMENTO DE TAMANHO DO FÍGADO, PROVOCADO POR ACÚMULO DE LÍQUIDO NO SEU INTERIOR. PODEM PROVOCAR NOS RINS:1. EDEMA: DIFICULDADE NA CAPACIDADE DE FILTRAGEM, OBSTRUINDO OS VASOS SANGUÍNEOS, PROVOCANDO A RETENÇÃO DE LÍQUIDOS.2. UREMIA: INTOXICAÇÃO PROVOCADA PELO FUNCIONAMENTO DEFICIENTE DO RIM EM VIRTUDE DA RETENÇÃO DE SUBSTÂNCIAS QUE DEVERIAM SER ELIMINADAS PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 51 MARCIANO ROCHA
  52. 52. AGENTES QUÍMICOS NA CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA. ALGUMAS SUBSTÂNCIAS COMO A ANILINA, PENETRAM NA PELE, ATINGEM A CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA, PREJUDICANDO O TRANSPORTE DE OXIGÊNIO E PROVOCANDO UMA COLORAÇÃO AZULADA NA PELE. DETERMINADAS SUBSTÂNCIAS PROVOCAM A DIMINUIÇÃO DA HEMOGLOBINA OCASIONANDO A ANEMIA. HÁ SUBSTÂNCIAS QUE SÃO CANCERÍGENAS, EMBRIOTÓXICAS OU EMBRIOLETAIS QUE PROVOCAM NAS MULHERES GRÁVIDAS A INTOXICAÇÃO E MORTE DO FETO. OUTRAS CHAMADAS DE TERATOGÊNICAS PROVOCAM DEFORMAÇÃO E MORTE DO FETO. OUTRAS SÃO MUTÁGENAS, ISTO É, PROVOCAM ALTERAÇÕES OU MUTAÇÕES GENÉTICAS.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 52 MARCIANO ROCHA
  53. 53. AGENTES QUÍMICOS QUE ATUAM NO SISTEMA NERVOSO. SISTEMA NERVOSO. ALGUMAS SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS ATUAM NO SISTEMA NERVOSO, BLOQUEANDO AS SINAPSES (ESPAÇO EXISTENTE ENTRE AS TERMINAÇÕES NERVOSAS) PROVOCANDO: ALUCINAÇÕES. TÓXICO EMBRIAGUEZ. EUFORIA. DEPRESSÃO DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 53 MARCIANO ROCHA
  54. 54. AGENTES QUÍMICOS POR VIA CUTÂNEA.PELE O CONTATO COM DETERMINADOS PRODUTOS QUÍMICOS PODE PROVOCAR O SURGIMENTO DE CAROÇOS OU CHAGAS ( ACNE QUÍMICA). CERTAS SUBSTÂNCIAS PODEM TAMBÉM CAUSAR IRRITAÇÃO E INFLAMAÇÃO NOS OLHOS ( CONJUNTIVITE). MUITAS SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS APRESENTAM A PROPRIEDADE DE SEREM MELHOR ABSORVIDAS PELA PELE DO QUE OUTRAS, PROVOCANDO LESÕES NO ORGANISMO, POR EXEMPLO: ANILINA – BENZINA – FENOL E A MAIORIA DOS INSETICIDAS.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 54 MARCIANO ROCHA
  55. 55. AGENTES QUÍMICOS POR VIAS DIGESTIVA E RESPIRATÓRIA RESPIRATÓRIO VIA RESPIRATÓRIA: É A MAIS COMUM E A QUE OFERECE MAIOR PROBABILIDADE DE CONTAMINAÇÃO. SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS NA FORMA DE PÓS PODEM FACILMENTE PENETRAR NO ORGANISMO PELAS VIAS RESPIRATÓRIAS, CHEGANDO A ATINGIR PARTES MAIS PROFUNDAS DO PULMÃO. ESTAS SUBSTÂNCIAS EM FORMA DE PÓS ESTÃO SUSPENSAS NO AR. SE O SISTEMA DE VENTILAÇÃO LOCAL EXAUSTORA FOR DEFICIENTE, E NÃO HOUVER EPI, OS FUNCIONÁRIOS ESTARÃO EXPOSTOS A AÇÃO NOCIVA DESTES PRODUTOS. VIA DIGESTIVA: EMBORA EM MENOR PROPORÇÃO, A CONTAMINAÇÃO POR ESTA VIA PODE OCORRER. HÁBITOS INADEQUADOS COMO ALIMENTAR-SE OU INGERIR LÍQUIDOS NO LOCAL DE TRABALHO, UMEDECER OS LÁBIOS COM A LÍNGUA, FUMAR, USAR AS MÃOS PARA BEBER ÁGUA E FALTA DE HIGIENE CONTRIBUEM PARA A INGESTÃO DE SUBSTÂNCIAS NOCIVAS. DIGESTIVOPRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 55 MARCIANO ROCHA
  56. 56. EXEMPLO DE ALGUNS PRODUTOS QUÍMICOS COMO É USADO - SEUS RISCOS - SINTOMAS.PRODUTO USO RISCOS PRINCIPAIS SINTOMASANTIMÔNIO. EM LIGAS C/ CHUMBO. ASSOCIADO DORES DE ESTÔMAGO E COMPLICAÇÕES BATERIAS – C/CHUMBO E INTESTINAIS GRAXEIRAS ARSÊNICO CAUSA: VÔMITOS – DIARRÉIAS – METAIS P/ IMPRENSA. IRRITAÇÃO NOS IRRITABILIDADE- OLHOS VERTIGENS-DORES SOLDAGENS – PELE – MUCOSAS – MUSCULARES- REDUÇÃO FABRICAÇÃO DE DE GLÓBULOS BRANCOS TINTAS VIAS RESPIRATÓRIAS. LESÕES NOS MÚSCULOS CARDÍACOS.CHUMBO. BATERIAS – ALGUNS DE SEUS DEMÊNCIA – FADIGA – CÓLICAS INTESTINAIS – CONSTRUÇÃO- COMPOSTOS SÃO CEFALÉIA – VISÃO DUPLA TINTAS – VERNIZES – CANCERÍGENOS. – ANEMIA – FABRICAÇÃODE PENETRAM POR DEGENERAÇÃO DOS RINS AUTOMÓVEIS – LATAS INALAÇÃO E E FÍGADO – LESÕES - TUBULAÇÕES INGESTÃO CEREBRAIS - PESTICIDAS PROVOCAM LESÕES DEPRESSÃO NO SISTEMA NERVOSO CENTRAL – INSETICIDAS RENAIS E HEPÁTICAS DELÍRIO – MORTE. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 56 MARCIANO ROCHA
  57. 57. EXEMPLO DE ALGUNS PRODUTOS QUÍMICOS COMO É USADO - SEUS RISCOS - SINTOMAS.PRODUTO USO RISCOS PRINCIPAIS SINTOMASMERCÚRIO FABRICAÇÃO DE INCHAÇO DAS NÁUSEAS GLANDULAS VÔMITOS – DIARRÉIA – TERMÔMETROS SALIVARES CEFALÉIA – DORES ABDOMINAIS – BARÔMETROS QUEDAS DOS TREMORES – BOMBAS DE VÁCUO - DENTES CONVULSÕES – DORES CONTATOS ÚLCERAS NA BOCA E MUSCULARES – ELÉTRICOS DEPRESSÃO – GENGIVA NERVOSISMO – EXTRAÇÃO DE OURO ACUMULA-SE NOS ANSIEDADE – POR DENTISTAS. RINS – FÍGADO – TRANSTORNO DE BAÇO E ESQUELETO. CONDUTA.NÍQUEL LIGAS C/ AÇO PARA EXTREMAMENTE CEFALÉIA MÁQUINAS PESADAS CANCERÍGENO FALTA DE RESPIRAÇÃO E AUTOMÓVEIS PROVOCA CÂNCER: VERTIGENS – VÔMITOS COMPONENTES FEBRE ALTA NOS PULMÕES ELÉTRICOS TOSSE – DELÍRIO CAVIDADES NASAIS ALUCINAÇÕES NIQUELAGEM OSSOS – ESTÔMAGO DIMINUIÇÃO SANGUÍNEA BATERIAS DERMATITE E E MORTE. ACUMULADORES DE ALERGIAS MOEDASPRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 57 MARCIANO ROCHA
  58. 58. EXEMPLO DE ALGUNS PRODUTOS QUÍMICOS COMO É USADO - SEUS RISCOS - SINTOMAS.PRODUTO USO RISCOS PRINCIPAIS SINTOMASZINCO FABRICAÇÃO DE: FEBRE DOS DERMATITE METALÚRGICOS: BATERIAS – IRRITAÇÃO DO PILHAS – LIGAS DE CALAFRIOS FEBRE APARELHO ALTA E SECURA NA LATÃO BOCA DIGESTIVO BRONZE SEUS COMPOSTOS PROVOCANDO GALVANIZAÇÃO PREJUDICAM OLHOS NÁUSEAS E PELE E MUCOSAS VÔMITOS.ACETILENO USADO NA É TÓXICO PARA A IRRITAÇÃO DAS MUCOSAS: DE NARIZ – DISSOLUÇÃO E PELE – OS OLHOS GARGANTA – E OLHOS. TRATAMENTO DE – MUCOSA DAS OPRESSÃO TORÁXICA – MINÉRIOS VIAS ANGÚSTIA – RESPIRAÇÃO METÁLICOS RESPIRATÓRIAS AGITADA – BRONQUITE – VERTIGENS – SALIVAÇÃO PRODUZ EDEMA E SENSAÇÃO DE FADIGA PULMONAR. MUSCULAR. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 58 MARCIANO ROCHA
  59. 59. EXEMPLO DE ALGUNS PRODUTOS QUÍMICOS COMO É USADO - SEUS RISCOS - SINTOMAS.PRODUTO USO RISCOS PRINCIPAIS SINTOMASÁCIDO DISSOLVENTE NA DEGRADAÇÃO DE IRRITANTE PARA O CAUSA TOSSE SISTEMA PNEUMONIA QUÍMICA CERTOS MINÉRIOSSULFÚRICO FORMA-SE NO RESPIRATÓRIO EROSÃO DOS TRATAMENTO DE QUANDO DILUÍDO DENTES MINPERIO DE ENXOFRE PODE CAUSAR NÁUSEAS - VÔMITOS USADO NA INDÚSTRIA DERMATITES E E DORES QUÍMICA E NA INDÚSTRIA LESÕES NOS METALÚRGICA. ABDOMINAIS PULMÕES. É CORROSIVO PARA A PELE E OLHOS.CLORO USADO NA IRRITA OS OLHOS CAUSA SENSAÇÃO DE EXTRAÇÃO DE PICADAS – ARDOR E A PELE E AS CONGESTÃO NOS ALGUNS MINÉRIOS E NA ELETRÓLISE DE MUCOSAS DAS OLHOS – PELE – HIPERTENSÃO. ALGUNS METAIS. VIAS EM ALTA DOSE CAUSA É LIBERADO NOS RESPIRATÓRIAS. COLÁPSO GASES DE RESPIRATÓRIO EXPLOSÃO E FUSÃO. MORTE POR ASFIXIA.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 59 MARCIANO ROCHA
  60. 60. RISCOS BIOLÓGICOS AGENTES BIOLÓGICOS SÃO AQUELES CONSTITUÍDOS POR SERES VIVOS CAPAZES DE AFETAR A SAÚDE DO TRABALHADOR, COMO MICROORGANISMOS (VÍRUS, BACTÉRIAS, BACILOS, FUNGOS, PROTOZOÁRIOS, ETC.). ESTES PODEM CAUSAR DOENÇAS DE NATUREZA DISTINTA, QUE EM MUITOS CASOS SE TRANSMITEM DE OUTROS ANIMAIS AO HOMEM, COMO AS ZOONOZES. EM GERAL, OS MAIORES RISCOS BIOLÓGICOS SÃO AQUELES LIGADOS À CRIA DE ANIMAIS (EM ESTÁBULOS E CAVALARIÇAS), À MANIPULAÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL(RESÍDUOS DETERIORADOS DE ANIMAIS), CLÍNICAS VETERINÁRIAS, SERVIÇOS DE LIMPEZA PÚBLICA (LIXO URBANO), RESTAURANTES, SANITÁRIOS, SERVIÇOS DE EXUMAÇÃO DE CORPOS EM CEMITÉRIOS. TRABALHOS EM LABORATÓRIOS BIOLÓGICOS E CLÍNICOS, EM HOSPITAIS, EM UNIDADES DE EMERGÊNCIA, EM ESGOTOS ( GALERIAS E TANQUES),ETC.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 60 MARCIANO ROCHA
  61. 61. RISCOS BIOLÓGICOS ATIVIDADES ONDE ESTÃO PRESENTES. SERVIÇOS DE LIMPEZA DE SANITÁRIOS E COLETA DE LIXO URBANO. SERVIÇOS EM AÇOUGUES E/OU INDÚSTRIAS _________ ALIMENTÍCIAS. SERVIÇOS EM RESTAURANTES E LANCHONETES ________________________ SERVIÇOS EM CEMITÉRIOS SERVIÇOS VETERINÁRIOS E CRIAÇÃO DE ANIMAIS _________________ SERVIÇOS EM HOSPITAIS E LABORATÓRIOS CLÍNICOS __PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 61 MARCIANO ROCHA
  62. 62. RISCOS BIOLÓGICOS CONSEQÜÊNCIAS VÍRUS _________ HEPATITE – POLIOMIELITE – HERPES – VARIOLA FEBRE AMARELA - RAIVA (HIDROFOBIA) – RUBÉOLA – AIDS – DENGUE MENINGITE. BACTÉRIAS/BACILOS _____ HANSENIASE – TUBERCULOSE – TÉTANO FEBRE TIFÓIDE – PNEUMONIA – DIFTERIA – CÓLERA – LEPTOSPIROSE DISENTERIAS. PROTOZOÁRIOS _____ MALÁRIA – MAL DE CHAGAS – TOXOPLASMOSE DISENTERIAS. FUNGOS __________ ALERGIAS – MICOSES.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 62 MARCIANO ROCHA
  63. 63. RISCOS BIOLÓGICOS – CONSEQÜÊNCIAS PREVENÇÃO MEDIDAS PREVENTIVAS:1. TRATAMENTO MÉDICO.2. BATERIA DE EXAMES MÉDICOS3. CONTROLE MÉDICO.4. ESTERILIZAÇÃO DE INSTRUMENTOS CIRÚRGICOS.5. VACINAÇÃO.6. ESTERILIZAÇÃO DE ROUPAS E/OU UTENSÍLIOS.7. HIGIENE PESSOAL.8. HIGIENIZAÇÃO LOCAL.9. VENTILAÇÃO LOCAL EXAUSTORA.10. MANUTENÇÃO DE APARELHOS E DUTOS DE AR CONDICIONADO.11. NÃO USAR ROUPAS ÍNTIMAS DE OUTRAS PESSOAS.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 63 MARCIANO ROCHA
  64. 64. RISCOS ERGONÔMICOS FALTA DE ADAPTAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO ÀS CARACTERÍSTICAS PSICOFISIOLÓGICAS DO TRABALHADOR. POSTURA E ACOMODAÇÕES NOS AMBIENTES ADMINISTRATIVOS. ESFORÇO FÍSICO INTENSO. LEVANTAMENTO E TRANSPORTE MANUAL DE PESO. TRANSPORTE DE MATERIAIS. EXIGÊNCIA DE POSTURA INADEQUADA.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 64 MARCIANO ROCHA
  65. 65. RISCOS ERGONÔMICOS CONTROLE RÍGIDO DE PRODUTIVIDADE _______ IMPOSIÇÃO DE RÍTMOS EXCESSIVOS ______________ TRABALHO EM TURNOS E TRABALHO NOTURNO ______________ MOVIMENTO REPETITIVO ________ JORNADA DE TRABALHO PROLONGADA ___________________ MONOTONIA E REPETITIVIDADE _______ ILUMINAÇÃO INADEQUADA _______________________PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 65 MARCIANO ROCHA
  66. 66. RISCOS ERGONÔMICOS – CONSEQÜÊNCIAS. BURSITE ( PEQUENAS BOLSAS LOCALIZADAS ENTRE OS OSSOS E TENDÕES DAS ARTICULAÇÕES DOS OMBROS). DOS MÚSCULOS RESPONSÁVEIS PELA SUPINAÇÃO DO ANTEBRAÇO – A DOR SE MANIFESTA NO COTOVELO, CHEGANDO AS MÃOS E OMBRO. SÍNDROME CERVICOBRONQUIAL – COMPRESSÃO DOS NERVOS DA COLUNA CERVICAL, DEVIDO A COMPRESSÃO DO FEIXE NEUROVASCULAR AO ATRAVESSAR OS MÚSCULOS DO PESCOÇO, CAUSANDO DOR. SÍDROME DO TUNEL DO CARPO – LESÕES NOS PUNHOS, DEVIDO À COMPRESSÃO DO NERVO MEDIANO AO NÍVEL DO PUNHO. TENDINITE – INFLAMAÇÃO DA PORÇÃO LARGA DO BÍCEPS. GERALMENTE OCORRE NAS OPERAÇÕES EM QUE O BRAÇO É MANTIDO EM ELEVAÇÃO POR LONGOS PERÍODOS. INFLAMAÇÃO DA ESTRUTURA OSTEOMUSCULAR DO ANTEBRAÇO, POR MOVIMENTOS REPETITIVOS DE SUPINAÇÃO DO MESMO. TENOSSINOVITE – INFLAMAÇÃO DOS EXTENSORES DOS DEDOS, POR SUAS CONTRAÇÕES EXCESSIVAS. OCORREM NORMALMENTE POR OPERAÇÕES COM MOUSE E DIGITAÇÃO. INFLAMAÇÃO DOS TENDÕES DA FACE VENTRAL DO BRAÇO E PUNHO, E FLEXORES DOS DEDOS. DECORREM DEVIDO A GRANDE INTENSIDADE E VELOCIDADE NA DIGITAÇÃO, MOVIMENTAÇÃO VELOZ DOS DEDOS E OPERAÇÃO ESTÁTICA COM MOUSE, DE FORMA A CAUSAR TODOS ESSES MALES. PROBLEMAS COM A COLUNA – HÉRNIAS DE DISCO, ETC. STRESS MENTAL E CANSAÇO FÍSICO. MÁ QUALIDADE DE VIDA.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 66 MARCIANO ROCHA
  67. 67. RISCOS ERGONÔMICOS - PREVENÇÃO ADAPTAR AS CONDIÇÕES DE TRABALHO ÀS CONDIÇÕES PSICOFISIOLÓGICAS DO TRABALHADOR. ESTUDAR MELHORIAS NAS CONDIÇÕES DOS MOBILIÁRIOS, MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS, ETC, COM OBJETIVO DE TORNÁ-LOS COMPATÍVEL EM RELAÇÃO AS NECESSIDADES DE CADA INDIVÍDUO QUE ESTIVER NESSE AMBIENTE DE TRABALHO. RODÍZIOS NAS TAREFAS MAIS CRÍTICAS. RECICLAR CONTEÚDO DAS TAREFAS. ORGANIZAR-SE NO TRABALHO. REVER CONDIÇÕES DE FERRAMENTAS. POR EM PRÁTICA GINÁSTICA LABORAL. ESTUDAR COM ATENÇÃO TODOS OS POSTOS DE TRABALHO. VERIFICAR A MONOTONIA DE CERTAS FUNÇÕES. PROCURAR PROPORCIONAR CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO ADMINISTRATIVO, REVENDO ILUMINAÇÃO ADEQUADA, MOBÍLIA UTILIZADA E TAMBÉM EM QUAIS CONDIÇÕES SE UTILIZAM OS MICRO-COMPUTADORES E SEUS ACESSÓRIOS. ESTUDAR A POSTURA E TEMPOS DE INTERVALO NOS TRABALHOS EM QUE A DIGITAÇÃO É CONSTANTE E INTENSA.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 67 MARCIANO ROCHA
  68. 68. RISCOS DE ACIDENTES ARRANJO FÍSICO INADEQUADO __________ MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS SEM PROTEÇÃO _________________ FERRAMENTAS INADEQUADAS OU DEFEITUOSAS ___ ELETRICIDADE ___________ PROBABILIDADE DE INCÊNDIO OU EXPLOSÃO ____________ ANIMAIS PEÇONHENTOS _____________________PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 68 MARCIANO ROCHA
  69. 69. RISCOS DE ACIDENTES – CONSEQÜÊNCIAS. ACIDENTES GRAVES. MUTILAÇÕES. ESMAGAMENTO. QUEDAS. FRATURAS. INCÊNDIOS. QUEIMADURAS. EXPLOSÕES. CHOQUES ELÉTRICOS. PARADAS CARDÍACAS E/OU RESPIRATÓRIAS. FERIMENTOS CORTANTES. FERIMENTOS CORTO-LACERANTES. FERIMENTOS PERFURO-CORTANTES. HEMORRAGIAS. CONTAMINAÇÃO. GANGRENAS. DOENÇAS. MORTE.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 69 MARCIANO ROCHA
  70. 70. RISCOS DE ACIDENTES – PREVENÇÃO. PROTEÇÃO EM PARTES MÓVEIS DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. TREINAMENO E CAPACITAÇÃO DE SEUS OPERADORES. MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA. IMPLANTAÇÃO DE DISPOSITIVOS ELETRO-MECÂNICOS – ELÉTRICOS – ELETRÔNICOS – MECÂNICOS – HIDRÁULICOS, ETC. NAS MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. LUBRIFICAÇÃO E REVER NECESSIDADE DE TROCA DE ACESSÓRIOS. CURSO DE PRIMEIROS SOCORROS PARA ELETRICISTAS E/OU OUTROS COM RCP. IDENTIFICAÇÃO NAS CAIXAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA. IDENTIFICAÇÃO DE TOMADAS. FIAÇÕES ELÉTRICAS DEVEM ESTAR EM CONDUITES RÍGIDOS – ELETRODUTOS,ETC. VERIFICAR AS CONDIÇÕES DAS INSTALAÇÕES DAS FIAÇÕES ELÉTRICAS. OBEDECER A NORMA TÉCNICA DE SEGURANÇA EM ELETRICIDADE- NR – 10. CONSULTAR APENAS PROFISSIONAL QUALIFICADO NA ÁREA DE ELÉTRICA. UTILIZAR-SE DE SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA. VERIFICAR CORRIMÃOS DAS ESCADAS. NÃO ESTOCAR INFLAMÁVEIS EM EXCESSO OU FORA DAS NORMAS. ORGANIZAÇÃO, HIGIENE E LIMPEZA. OBEDECER NORMAS DO CORPO DE BOMBEIROS. MONTAR E TREINAR BRIGADA DE INCÊNDIO. DISCIPLINA.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 70 MARCIANO ROCHA
  71. 71. MAPA DE RISCOS. COMENTÁRIOS: É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS RISCOS EXISTENTES NO LOCAL DE TRABALHO, POR MEIO DE CÍRCULOS DE DIFERENTES CORES. ESTÁ BASEADO NO CONCEITO DE QUEM FAZ O TRABALHO. AS INFORMAÇÕES DEVEM TER A PARTICIPAÇÃO DOS TRABALHADORES. SEU CONTEÚDO DEVE SER INFORMADO AOS DEMAIS TRABALHADORES DA EMPRESA. FOI IMPLANTADO PELA PORTARIA Nº. 05/92 DO MINISTÉRIO DO TRABALHO, ALTERADA PELA PORTARIA Nº. 25 DE 29/12/94, SENDO OBRIGATÓRIO NAS EMPRESAS. SEU OBJETIVO É INCENTIVAR OS TRABALHADORES A RECONHECEREM OS RISCOS EXISTENTES NOS SEUS AMBIENTES DE TRABALHO, BEM COMO ENVOLVÊ-LOS NUMA CAMPANHA DE CUMPRIR AS NORMAS DE SEGURANÇA. DEVE SER EXECUTADO EM TRÊS ETAPAS:1. ELABORAÇÃO.2. EXECUÇÃO.3. ACOMPANHAMENTO. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 71 MARCIANO ROCHA
  72. 72. TABELA DE RISCOS AMBIENTAIS GRUPO GRUPO GRUPOGRUPO VERDE VERMELHO MARROM GRUPO AMARELO AZUL RISCOS RISCOS RISCOSRISCOS FÍSICOS QUÍMICOS BIOLÓGICOS ERGONÔMICOS RISCOS DE ACIDENTES ESFORÇO FÍSICO ARRANJO FÍSICO RUÍDO POEIRAS VÍRUS INTENSO INADEQUADO LEVANTAMENTO MÁQUINAS E VIBRAÇÕES FUMOS BACTÉRIAS TRANSPORTE MANUAL DE EQUIPAMENTOS PESO. SEM PROTEÇÃO EXIGÊNCIA DE POSTURA PROBABILIDADE DE CALOR NÉVOAS PROTOZOÁRIOS INADEQUADA INCÊNDIO E EXPLOSÃO. CONTROLE RÍGIDO DE MATÉRIA SEM FRIO NEBLINAS FUNGOS PRODUTIVIDADE. ESPECIFICAÇÃO. IMPOSIÇÃO DE RÍTMOS FERRAMENTAS RADIAÇÕES GASES EXCESSIVOS. DEFEITUOSAS OU INADEQUADAS. IONIZANTES PARASITAS TRABALHO EM TURNO OUTRAS SITUAÇÕES DE UMIDADE VAPORES BACILOS E NOTURNO. RISCOS. SUBSTÂNCIAS OUTRAS SITUAÇÕES COMPOSTOS CAUSADORAS DE STRESS RADIAÇÕES PRODUTOS FÍSICO OU PSÍQUICO. ANIMAIS PEÇONHENTOS.NÃO IONIZANTES QUÍMICOS EM GERAL. MONOTONIA E PRESSÕES R E ANORMAIS ELETRICIDADE. PPRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 72 MARCIANO ROCHA E T I
  73. 73. MAPA DE RISCO REPRESENTAÇÃO EM PERSPECTIVA.SEÇÃO DE USINAGEM 14  16 RISCOS IDENTIFICADOS: 15 13 4 10 1. ILUMINAÇÃO DEFICIENTE. 2. FALTA DE LIMPEZA. 3. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 12 INADEQUADAS. 11 4. FALTA DE EXTINTORES. 1 5. VESTIMENTA INADEQUADA. 16 9 6. ASSENTO INADEQUADO.7 5 7. FALTA DE TREINAMENTO. 8. FERRAMENTA NO BOLSO 8 TRASEIRO. 9. MÁQUINA SEM PROTEÇÃO. 2 10. GASES DE SOLDA. 11. RADIAÇÃO NÃO IONIZANTE. 2 6 12. 13. ARRANJO FÍSICO INADEQUADO. ARMAZENAMENTO INADEQUADO. 14. CHAVE FACA SEM PROTEÇÃO. 15. CILINDROS SOLTOS. 16. RUÍDO. 3 3 2PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 73 MARCIANO ROCHA
  74. 74. MAPA DE RISCO - REPRESENTAÇÃO GRÁFICA (PLANTA BAIXA). SEÇÃO DE USINAGEM. PLANTA BAIXA CILINDROS SOLTOS ARMAZENAMENTO INADEQUADO Gases de soldaCHAVE FACA SEM PROTEÇÃO Risco de incêndio e explosão Radiação não ionizante . Ferramenta no bolso Arranjo físico traseiro inadequado Máquina sem RUÍDO proteção Falta de treinamento FALTA DE LIMPEZA. FALTA DE EXTINTORES CAMISA C/ MANGAS COMPRIDAS. ILUMINAÇÃO DEFICIENTE.INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INADEQUADAS ASSENTO INADEQUADO PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 74 MARCIANO ROCHA
  75. 75. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA – NR - 6. OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA SÃO DISPOSITIVOS, EQUIPAMENTOS E PROVIDÊNCIAS ADOTADAS COM O OBJETIVO DE PREVENIR ACIDENTES E PRESERVAR A SAÚDE DE UM GRUPO, ESTA É A PRINCIPAL DIFERENÇA CONCEITUAL COM O EPI E UM EPC, COMO VERIFICAREMOS A SEGUIR. EXEMPLOS:1. CORRIMÃO DE ESCADAS.2. VENTILADORES.3. VENTILAÇÃO LOCAL EXAUSTORA PARA AMBIENTES NORMAIS E/OU CONFINADOS.4. HIDRANTES.5. EXTINTORES.6. PROTEÇÃO DE MÁQUINAS.7. ENCLAUSURAMENTO DE MÁQUINAS, ETC.8. ANDAIMES E OUTROS ACESSÓRIOS PARA SERVIÇOS EM ALTURA. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 75 MARCIANO ROCHA
  76. 76. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA.VENTILAÇÃO LOCAL EXAUSTORA. ANDAIMES E OUTROS ACESSÓRIOS PARA SERVIÇOS EM ALURA. EXTINTORES DE INCÊNDIO. CORRIMÃO DE ESCADAS INTERNAS.VENTILAÇÃO LOCALEXAUSTORA PARAAMBIENTESCONFINADOS.. CORRIMÃO DE ESCADAS VENTILADORES. EXTERNAS.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 76 MARCIANO ROCHA
  77. 77. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. EPI – NR – 6.EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL SÃO DISPOSITIVOS DE USOINDIVIDUAL COM O OBJETIVO DE PREVENIR ACIDENTES E PRESERVAR ASAÚDE DE UM ÚNICO INDIVIDUO POR VÊZ.TEMOS QUE RESSALTAR QUE PARA CADA ATIVIDADE E DE ACORDO COM ORISCO A QUE ESTÁ EXPOSTO O TRABALHADOR SERÁ INDICADO UM TIPO DEEPI ADEQUADO AO RISCO PRESENTE, ASSIM CHEGAMOS À CONCLUSÃOQUE SE É NECESSÁRIO QUE O FUNCIONÁRIO USE O EPI, É POR QUETÉCNICOS E PESSOAS ESPECIALIZADAS, JÁ VERIFICARAM ESTANECESSIDADE E O USO DEVE SER INQUESTIONÁVEL.É DE EXTREMA IMPORTÂNCIA A CONSCIÊNCIA POR PARTE DOEMPREGADOR DA NECESSIDADE DO FORNECIMENTO DO EPI E COBRAR DOEMPREGADO O SEU USO.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 77 MARCIANO ROCHA
  78. 78. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. RESPONSABILIDADES DO EMPREGADOR – NR – 6. O EMPREGADOR DEVERÁ:1. ADQUIRIR O ADEQUADO AO RISCO DE CADA ATIVIDADE.2. EXIGIR SEU USO.3. FORNECER AO TRABALHADOR SOMENTE EPI APROVADOS PELO MINISTÉRIO DO TRABALHO COM O C.A.(CERTIFICADO DE APROVAÇÃO).4. ORIENTAR E TREINAR O TRABALHADOR SOBRE O USO ADEQUADO, GUARDA E CONSERVAÇÃO.5. SUBSTITUIR IMEDIATAMENTE, QUANDO DANIFICADO OU EXTRAVIADO.6. RESPONSABILIZAR-SE PELA HIGIENIZAÇÃO E MANUTENÇÃO PERIÓDICA.7. COMUNICAR AO MINISTÉRIO DO TRABALHO QUALQUER IRREGULARIDADE ENCONTRADA. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 78 MARCIANO ROCHA
  79. 79. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. RESPONSABILIDADES DO EMPREGADO – NR - 6. CABE AO EMPREGADO: • USAR, UTLIZANDO-O APENAS PARA A FINALIDADE A QUE SE DESTINA. • RESPONSABILIZAR-SE PELA GUARDA E CONSERVAÇÃO. • COMUNICAR AO EMPREGADOR QUALQUER ALTERAÇÃO QUE O TORNE IMPRÓPRIO PARA O USO. • CUMPRIR AS DETERMINAÇÕES DO EMPREGADOR SOBRE O USO ADEQUADO.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 79 MARCIANO ROCHA
  80. 80. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. CABE AO MINISTÉRIO DO TRABALHO – NR - 6. CABE AO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO: CADASTRAR O FABRICANTE OU IMPORTADOR DE EPI. RECEBER E COLOCAR EM TESTES O EPI, PARA CONFIRMAR OU NÃO A APROVAÇÃO, OU RENOVAÇÃO CONFORME O CASO, DO C.A.. ESTABELECER, QUANDO NECESSÁRIO, OS REGULAMENTOS TÉCNICOS PARA ENSAIOS DE EPI. EMITIR OU RENOVAR O C.A. E O CADASTRO DE REGISTRO DE FABRICANTE CRF, OU CADASTRO E REGISTRO DE IMPORTADOR C.I.. SUSPENDER O CADASTRAMENTO DA EMPRESA FABRICANTE OU IMPORTADORA QUANDO ASSIM CONVIER. CANCELAR O C.A.,CRF,CI, QUANDO CONSTATAR IRREGULARIDADES TÉCNICAS QUE PONHAM EM RISCO A INTEGRIDADE FÍSICA E SAÚDE DO TRABALHADOR.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 80 MARCIANO ROCHA
  81. 81. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. EPI – NR – 6. PROTEÇÃO P/ CABEÇA. PROTEÇÃO P/ OLHOS E FACE. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA PROTEÇÃO AUDITIVA. PROTEÇÃO P/ AS MÃOS PROTEÇÃO P/ O TRONCO, BRAÇOS E PERNAS. PROTEÇÃO CORPO INTEIRO. PROTEÇÃO P/ OS PÉS. PROTEÇÃO P/ SERVIÇOS EM ALTURA.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 81 MARCIANO ROCHA
  82. 82. INSPEÇÃO DE SEGURANÇA PROCEDIMENTO TÉCNICO NO QUAL SE EFETUA UMA VERIFICAÇÃO FÍSICA NUM DETERMINADO AMBIENTE DE TRABALHO, A FIM DE SEREM ADOTADAS MEDIDAS ADEQUADAS OBJEIVANDO PREVENIR A CONCRETIZAÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO. TIPOS DE INSPEÇÃO DE SEGURANÇA:GERAIS – REALIZADA EM TODOS OS SETORES.EXEMPLO: MAPA DE RISCOS.PARCIAIS – REALIZADA EM SETORES ESPECÍFICOS OU EM DETERMINADASATIVIDADES.ROTINA – CARACTERIZA-SE PELA SUA CONSTÂNCIA NA REALIZAÇÃO.EXEMPLO: INSPEÇÃO NO EPI.PERIÓDICAS – REALIZADA COM UM TEMPO PRÉ-ESTABELECIDO.EXEMPLO: INSPEÇÃO NOS EXTINTORES DE INCÊNDIO.EVENTUAIS – REALIZADA SEM UM TEMPO PRÉ-ESTABELECIDO.EXEMPLO: SITUAÇÃO ESPORÁDICA.TÉCNICAS - REALIZADA POR PROFISSIONAIS QUALIFICADOS DEVIDO SEU TEOR TÉCNICO.EXEMPLO: MEDIÇÕES DE RUÍDO, DETECÇÃO DE GASES, RADIAÇÕES IONIZANTES, TEMPERATURAS, OU USO DE OUTROS APARELHOS.OFICIAIS – REALIZADAS POR AUTORIDADES FEDERAIS,ESTADUAIS, MUNICIPAIS, COMO AUDITORES FISCAIS DO TRABALHO, PREVIDÊNCIA SOCIAL, RECEITA FEDERAL, SEMASA, CETESB, CENEM, PREFEITURAS,ETC. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 82 MARCIANO ROCHA
  83. 83. ETAPAS DA INSPEÇÃO DE SEGURANÇA.1 - PLANEJAMENTO: ENTENDIMENTO DO OBJETIVO DO TRABALHO. ELABORAÇÃO DE FORMULÁRIO ESPECÍFICO PARA FACILITAR O TRABALHO. FORMAÇÃO DE EQUIPES PELO PRESIDENTE DA CIPA. DETERMINAR OS SETORES A SEREM VISITADOS. AGENDAMENTO DAS VISITAS ÁS ÁREAS A SEREM INSPECIONADAS.2 – OBSERVAÇÃO: SITUAÇÕES DE RISCOS EXISTENTES NAS ÁREAS. ANOTAÇÃO DOS RISCOS E LOCAIS ENCONTRADOS.3 – INFORMAÇÃO: LEVANTAMENTO DE DADOS, ATRAVÉS DE QUESTIONAMENTOS DOS SUPERVISORES E TRABALHADORES. OBSERVAR OS PROCESSOS DE TRABALHO E POSSÍVEIS MELHORIAS. IMPORTANTE: QUANDO ENTREVISTAR OS FUNCIONÁRIOS, PEÇA QUE FALE SOBRE O SEU TRABALHO, QUE RELATE SUAS ATIVIDADES, E COMO AS REALIZA, NÃO DEIXE TAMBÉM DE VALORIZA-LOS E ELOGIAR OS TRABALHOS.4 – ÚLTIMOS PROCEDIMENTOS: ENCAMINHE. EXECUTE. VERIFIQUE EFICÁCIA, BENEFÍCIOS, E FINALMENTE SE O SEU PROJETO É SEGURO À EMPRESA E SEUS COLABORADORES. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 83 MARCIANO ROCHA
  84. 84. FICHA DE INSPEÇÃO DE SEGURANÇA MODÊLO SIMPLIFICADO FICHA DE INSPEÇÃO DE SEGURANÇAN.º _____/______DE: CIPA.PARA: DEPTO. RESPONSÁVEL ____________________DATA: ____/____/______SETOR:___________________________________________ ÁREA – MÁQUINA – EQUIPAMENTO.__________________________________________________ ------------------------------------------------------------------------------CIPEIRO RESPONSÁVEL:_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________HORÁRIO: _____________ NOME DO ACOMPANHANTE: _____________________________________________________________________ ________________________________________________________________________ _RELATÓRIO DA INSPEÇÃO.CONDIÇÃO ANALISADA: ______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________RISCOS ENCONTRADOS: _________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________MEDIDAS PREVENTIVAS: ______________________________ VISTO DA CIPA: __________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ VISTO DO SUPERVISOR: _________________________ PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 84 MARCIANO ROCHA
  85. 85. INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE DE ACIDENTES. INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE DE ACIDENTES: TEMOS POR OBJETIVO PREVENIR OS ACIDENTES, MAS, EVENTUALMENTE ESTES PODEM OCORRER, ASSIM, A CIPA DEVE SER IMEDIATAMENTE AVISADA E APRESENTAR- SE NO LOCAL COM A FINALIDADE DE IDENTIFICAR AS CAUSAS DO ACIDENTE OCORRIDO E ELABORAR MEDIDAS CORRETIVAS QUE VISEM EVITAR SUA REINCIDÊNCIA. POSTURA AO INVESTIGAR: SER OBSERVADOR. SABER OUVIR. SER IMPARCIAL. TER FOCO. NÃO TENTAR ENCONTRAR CULPADOS. PROCURAR ENCONTRAR AS CAUSAS. TER INICIATIVA. SER PRÓ-ATIVO.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 85 MARCIANO ROCHA
  86. 86. ETAPAS DA INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE DE ACIDENTES. PLANEJAMENTO: DETERMINAR QUEM FARÁ A INVESTIGAÇÃO. DETERMINAR PESSOAS QUE NÃO ESTEJAM INTIMAMENTE LIGADAS AO ACIDENTADO. ELABORAR FORMULÁRIO PRÓPRIO PARA REGISTRO DOS FATOS. LEVANTAMENTO DE DADOS: OBSERVAR DETALHADAMENTE: O LOCAL, MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS, SINALIZAÇÃO,, TREINAMENTO, USO DE DROGAS, ALCOOL,ETC. QUESTIONAR: MÉDICO E/OU ENFERMEIRA QUE ATENDEU O ACIDENTADO. SUPERVISORES, ENCARREGADOS, COLEGAS DE TRABALHO, OU OUTRAS TESTEMUNHAS. DIAGNOSTICAR E ELABORAR: REAL CAUSA DO ACIDENTE. ELEBORAR RELATÓRIO PARA A DIRETORIA. ELEBORAR MEDIDAS PREVENTIVAS. ACOMPANHAR: IMPLEMENTAÇÃO DE MEDIDAS CORRETIVAS. SE A MESMA NÃO VAI GERAR OUTROS RISCOS. A SUA EFICIÊNCIA. OS BENEFÍCIOS QUE TROUXE ESTA NOVA MEDIDA.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 86 MARCIANO ROCHA
  87. 87. FICHA DE ANÁLISE DE ACIDENTES MODÊLO SIMPLIFICADO. FICHA DE ANÁLISE DE ACIDENTESN.º _____/______DE: CIPA.PARA: DEPTO. RESPONSÁVEL ____________________DATA: ____/____/______NOME DO ACIDENTADO: IDADE:SEÇÃO: FUNÇÃO:HORA DO ACIDENTE: LOCAL DO ACIDENTE:CIRCUNSTÂNCIAS DO ACIDENTE: _______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ _HOUVE AFASTAMENTO: SIM NÃO.PROCEDIMENTOS DO SOCORRO: ______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________TIPO DE LESÃO: CORTE ESCORIAÇÃO ENTORSE CONTUSÃO ALERGIA QUEIMADURA OUTROSCAUSAS DO ACIDENTE:PROPOSTA DE PREVENÇÃO:PARECER DO MÉDICO:PARECER DO TÉCNICO DE SEGURANÇA OU CIPA: PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 87 MARCIANO ROCHA
  88. 88. AIDS – SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA. DOENÇA RECENTE, SENDO RECONHECIDA APENAS EM 1981. A ORIGEM DO VÍRUS AINDA É DESCONHECIDA. UMA DAS HIPÓTESES: QUE TERIA SURGIDO NA ÁFRICA CENTRAL, COMO RESULTADO DE UMA MUTAÇÃO, DE UM VÍRUS IDENTIFICADO NO MACACO. EM 1984, CIENTISTAS AMERICANOS E FRANCESES ISOLARAM, DE CÉLULAS DE PACIENTES COM AIDS, O VÍRUS HIV, QUE PASSOU A SER CONSIDERADO O CAUSADOR DA DOENÇA. UMA PESSOA PODE SABER SE É OU NÃO PORTADORA DO VÍRUS DA AIDS, POR MEIO DE EXAMES. SER PORTADOR DO VÍRUS NÃO SIGNIFICA QUE A PESSOA DESENVOLVERÁ NECESSARIAMENTE A DOENÇA.O VÍRUS PERMANECE INATIVO POR UM TEMPO VARIÁVEL, NO INTERIOR DAS CÉLULAS INFECTADAS, E PODE DEMORAR ATÉ 10 ANOS PARA DESENCADEAR A MOLÉSTIA.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 88 MARCIANO ROCHA
  89. 89. AIDS - TRANSMISSÃO DA DOENÇA. TRANSMITE:1. SEXO VAGINAL SEM CAMISINHA.2. SEXO ANAL SEM CAMISINHA.3. SEXO ORAL SEM CAMISINHA.4. USO DE SERINGAS DE FORMA COLETIVA.5. AMAMENTAÇÃO.6. TRANSFUSÃO DE SANGUE. NÃO TRANSMITE:1. SALIVA2. BEIJO NO ROSTO.3. BEIJO NA BOCA.4. APERTO DE MÃO.5. TALHERES.6. ASSENTO SANITÁRIO.7. ASSENTOS GERAIS.8. MANICURE.9. DENTISTA.10. ABRAÇO.11. CARINHO. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 89 MARCIANO ROCHA
  90. 90. AIDS – SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA. ESTATÍSTICA DA AIDS E SEU TRATAMENTO. SEGUNDO A OMS (ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE), O NÚMERO DE PESSOAS CONTAMINADAS COM O VÍRUS DA AIDS ULTRAPASSOU, EM 1996, A MARCA DE 20 MILHÕES. A ESTIMATIVA É DE QUE ATÉ O ANO DE 2005 A DOENÇA ATINJA CERCA DE 30 A 40 MILHÕES DE PESSOAS. TRATAMENTO: OS CIENTISTAS DESCOBRIRAM UMA MISTURA CONHECIDA COMO “COQUETEL DE DROGAS”, QUE DIMINUE 100 VEZES O RÍTIMO DE REPRODUÇÃO DO VÍRUS. ESTA DROGA BLOQUEIA A AÇÃO DE DUAS ENZIMAS RESPONSÁVEIS PELA MULTIPLICAÇÃO DO VÍRUS: A TRANSCRIPTASE REVERSA E A PROTEASE. EM 1998, 6800 BRASILEIROS CONTRAÍRAM AIDS. DESSES 50 % NA RELAÇÃO SEXUAL.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 90 MARCIANO ROCHA
  91. 91. A CIPA E A SIPAT. DENTRE OUTROS EVENTOS QUE A CIPA DEVE E PODERÁ REALIZAR, O MAIS IMPORTANTE É A SIPAT ( SEMANA INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES), INCENTIVADA PELO GOVERNO FEDERALE MINISTÉRIO DO TRABALHO, QUE ABORDA DIVERSOS ASSUNTOS. A SIPAT. NELA A CIPA PODERÁ CONTEMPLAR PALESTRAS SOBRE:1. ERGONOMIA.2. PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO.3. DOENÇAS COMO AIDS E DST.4. USO DE EPI.5. MEIO AMBIENTE.6. QUALIDADE DE VIDA.7. TABAGISMO.8. ALCOOL E DROGAS.9. SEGURANÇA NO TRÂNSITO E DIREÇÃO DEFENSIVA.10. E OUTROS TEMAS TAMBÉM SOCIALMENTE INTERESSANTES.11. GERENCIAMENTO DO STRESS.PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 91 MARCIANO ROCHA
  92. 92. CIPA - VAMOS COMPRAR ESTA IDÉIA?! ALGUNS ARGUMENTOS PARA COMPRARMOS ESSA IDÉIA!1. PROMOVE A SAÚDE DE TODOS.2. GARANTE MELHOR QUALIDADE DE VIDA.3. ENVOLVE A PARTICIPAÇÃO DE TODOS COM RESPONSABILIDADE.4. CRIA LAÇOS DE AMIZADE ENTRE OS COLABORADORES.5. DESENVOLVE EM CADA UM O ESPÍRITO PREVENCIONISTA.6. PROMOVE O AMOR E RESPEITO PELA VIDA.7. PLANTA NAS PESSOAS A SEMENTE DO AMOR PELO MEIO AMBIENTE, MOSTRANDO SUA IMPORTÂNCIA NA VIDA DE TODOS.8. INSPIRA CONFIANÇA ENTRE TODOS AQUELES QUE DÃO SUA CONTRIBUIÇÃO, POR MENOR QUE SEJA.9. EVITA ACIDENTES E DOENÇAS OCUPACIONAIS QUE GERAM AFASTAMENTOS E A INCAPACIDADE LABORAL.10. TRAZ ECONOMIA PARA OS COFRES PÚBLICOS, PARA A EMPRESA, PARA O BOLSO DO TRABALHADOR, E PARA A COMUNIDADE EM GERAL.11. FAZ RENASCER O DIREITO A CIDADANIA E A UMA VIDA COM DIGNIDADE. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 92 MARCIANO ROCHA
  93. 93. CIPA - VAMOS REPENSAR NOSSO AMBIENTE! SER CIDADÃO!PROTEGER A FAUNA! A FLORA! NOSSO MEIO AMBIENTE! GARANTIR A VIDA.PROTEGENDO TRABALHADORES COM ATUAÇÃO RESPONSÁVEL. GARANTIR A SAÚDE OCUPACIONAL PROTEGER NOSSOS DE QUEM TRABALHA. MARES E RIOS. PRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 93 MARCIANO ROCHA
  94. 94. CIPA! MAIS QUE UMA OBRIGATORIEDADE! UMA CONQUISTA DE TODOS! FIMPRÓ-ATIVIDADE - ATITUDE INTELIGENTE! LOUSADA 94 MARCIANO ROCHA

×