Gravidez na adolescência e aborto

1.944 visualizações

Publicada em


Trabalho da Matéria de Educação Fisíca - ETEC PROFESSOR BASILIDES DE GODOY (3°A - Ensino Médio)

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.944
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
52
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gravidez na adolescência e aborto

  1. 1. 3°A Educação Física
  2. 2. Gravidez na Adolescência  Introdução.  Principais causas: 1. Falta de orientação; 2. Imaturidade; 3. Uso errado de métodos contraceptivos; 4. Bebidas e Drogas; 5. Falta de prevenção; 6. Métodos não eficazes.
  3. 3. Riscos e Consequências • FÍSICAS • PSICOLÓGICAS • SOCIAIS • Para a criança.
  4. 4. Resultados da Pesquisa 60% 40% Sexo Feminino Masculino 13% 40%27% 20% Faixa etária dos entrevistados 16-20 21-30 31-40 41-50 27% 23%30% 13% 7% Causas da Gravidez na Adolescência Irresponsabilidade Falta de orientação Falta de prevenção Alcoolismo Utilização de métodos pouco eficazes 36% 27% 17% 20% Danos da Gravidez Precoce Mudança de hábitos Abandonam da escola Perdem oportunidades Problemas de saúde
  5. 5. Aborto  Um aborto ou interrupção da gravidez é a remoção ou expulsão prematura de um embrião ou feto do útero, resultando na sua morte ou sendo por esta causada. Isto pode ocorrer de forma espontânea ou induzida, provocando-se o fim da gestação, e consequente fim da atividade biológica do embrião ou feto, mediante uso de medicamentos ou realização de cirurgias. (Wikipédia)
  6. 6. Tipos de Aborto e Métodos de Indução  Ameaça de aborto  Aborto acidental  Aborto espontâneo  Aborto induzido: Ilegal e Legalmente.  Químico: Por envenenamento salino ou mediante Prostaglandinas (antiprogestativo mifepristone RU 486)  Cirúrgico: Por "D & X" às 32 semanas (8m) ou por Operação Cesárea.
  7. 7. Consequências  FÍSICAS Mãe; Criança;  PSICOLÓGICAS Mãe; Família;  SOCIAIS Pais Mãe e Filho Filhos que nascem depois Equipe Médica Sociedade
  8. 8. Legislação Brasileira A InterrupçãoVoluntária da Gravidez (aborto) é regulamentada pelos Artigos (1984):  140º Aborto.  141º Aborto agravado.  142º Interrupção da gravidez não punível, quando: Há risco de vida a mulher; A gravidez é resultante de um estupro; O feto for anencefálico. Não é considerado crime se for realizado fora do território nacional Brasileiro, em países que permitem a prática.
  9. 9. Legalização do Aborto  Brasil: Estado Laico.  Discussão sobre a geração da vida.  Dados sobre abortamentos, OMS.  Países desenvolvidos x Subdesenvolvidos.
  10. 10. 40% 27% 33% Legalização do Aborto Sim Não Com algumas exceções “Acho que o aborto deveria ser sim legalizado, até porque a mulher deve ter controle total sobre seu corpo e isso inclui decidir se quer ou não ter um bebê.” Anônimo (a), 23 anos. “O aborto é um método que mata crianças que nem ao menos tem culpa de estarem sendo geradas e além do mais, sua legalização faria com que as pessoas agissem muito mais impunimente em relação à preservação na hora do ato sexual.” Anônimo (a), 40 anos.
  11. 11. Integrantes:  Cibele Brotto  Eduardo Calasse  Gabriel Alves Maia  Gabriella Bueno  Mariana Brotto  Pedro Schimidt  Raphaela Alves  Ricardo Wilian  Rodrigo de Paula  Victória Gaiardo

×