Dois exemplos de tecnologias digitais para a Educação

3.309 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre dois exemplos de tecnologias digitais para a Educação: o OA CompMUS e o ROODAPlayer.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.309
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Programa Pró-Licenciaturas do Ministério de Educação (MEC). O curso PROLICENMUS também conta com universidades parceiras. São elas: a Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Universidade Federal da Bahia (UFBA), Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Fundação Federal de Rondônia (UNIR). Disponível em: http://prolicenmus.ufrgs.br/.
  • Programa Pró-Licenciaturas do Ministério de Educação (MEC). O curso PROLICENMUS também conta com universidades parceiras. São elas: a Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Universidade Federal da Bahia (UFBA), Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Fundação Federal de Rondônia (UNIR). Disponível em: http://prolicenmus.ufrgs.br/.
  • Gonçalves fala da aproximação entre as duas modalidades. Estudos realizados por Gonçalves (2012) apontam que a oferta de cursos bimodais parece ser uma tendência para o futuro. Desta forma, percebe-se a necessidade de cursos e disciplinas que preparem os professores para atuarem nas duas modalidades. GONÇALVES, Maria Beatriz Ribeiro de Oliveira. A inserção da EAD em uma instituição de ensino convencional. In.: LITTO, Frederic e FORMIGA, Marcos (Org). Educação a distância: o estado da arte Vol2. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2012, p.294-302. Projeto Piloto denominado: COMPETÊNCIAS PARA O CONTEXTO TECNOLÓGICO-MUSICAL: UM FOCO NO USO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS ONLINE PARA A EDUCAÇÃO.
  • Programa Pró-Licenciaturas do Ministério de Educação (MEC). O curso PROLICENMUS também conta com universidades parceiras. São elas: a Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Universidade Federal da Bahia (UFBA), Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Fundação Federal de Rondônia (UNIR). Disponível em: http://prolicenmus.ufrgs.br/.
  • Pilares: Aprender a conhecer; aprender a ser; aprender a viver juntos; aprender a fazer.
  • Pilares: Aprender a conhecer; aprender a ser; aprender a viver juntos; aprender a fazer.
  • Módulo 1 – A importância da música digital na educação ( trilhas sonoras contextualizadas podem ser motivadoras) – uso de tecnologias digitais; leis e alternativas para o uso e postagem de música na internet; vídeos sobre as funções da trilha sonora para o cinema; Linha do tempo sobre a evolução das trilhas sonoras para o cinema ( música incidental); Desafios: Análise de OA com trilha sonora; debate sobre como pode ser trabalhada a música nas escolas utilizando tecnologias digitais.
  • Módulo 2- Organizando os sons musicalmente; Desafio: Escolha uma dentre as formas musicais simples: Unária (A), Binária (A B), Ternária (A B A) ou Rondó (A B A C A) e realize uma composição musical utilizando ferramenta CODES ( http://gia.inf.ufrgs.br/CODES3/# ) ou MusicLab ( http://remixer.clubcreate.com/v2/musiclab/launch.html ). Escreva em um parágrafo no Word ou outro editor de texto de sua escolha, qual a forma musical que você escolheu para estruturar a sua composição e descreva brevemente a(s) sua(s) parte(s).
  • Módulo 2 – Noções de forma e estrutura musical; Apresentação: Vídeo sobre o que é forma musical; Mapa conceitual: Sampling; Vídeos: Exemplo da análise formal de uma música (trilha sonora); Desafio: Escolha uma dentre as formas musicais simples: Unária (A), Binária (A B), Ternária (A B A) ou Rondó (A B A C A) e realize uma composição musical utilizando ferramenta CODES ( http://gia.inf.ufrgs.br/CODES3/# ) ou MusicLab ( http://remixer.clubcreate.com/v2/musiclab/launch.html ). Escreva em um parágrafo no Word ou outro editor de texto de sua escolha, qual a forma musical que você escolheu para estruturar a sua composição e descreva brevemente a(s) sua(s) parte(s).
  • Módulo 2- Organizando os sons musicalmente; Desafio: Escolha uma dentre as formas musicais simples: Unária (A), Binária (A B), Ternária (A B A) ou Rondó (A B A C A) e realize uma composição musical utilizando ferramenta CODES ( http://gia.inf.ufrgs.br/CODES3/# ) ou MusicLab ( http://remixer.clubcreate.com/v2/musiclab/launch.html ). Escreva em um parágrafo no Word ou outro editor de texto de sua escolha, qual a forma musical que você escolheu para estruturar a sua composição e descreva brevemente a(s) sua(s) parte(s).
  • Módulo 3- Introdução: noções de harmonia tonal ocidental; conceito de cifras cordais; ordenamento de cifras Mapa mental: Noções teóricas e exemplos musicais de harmonia, melodia e ritmo Apresentação: Prezzi sobre pressupostos da música eletroacústica: a música concreta; exemplos – apreciação; contribuiçoes de Schaeffer Vídeo: Como criar trilhas sonoras no Jamstudio; Desafios: 1 Compor um acompanhamento no JAMSTUDIO 2 Desafio 2Escolha um exemplo de música concreta e um exemplo de paisagem sonora para apreciar, dentre os exemplos logo a seguir. Em seguida participe do Fórum de discussão: As novas sonoridades na música contemporânea: as paisagens sonoras.
  • Módulo 2- Organizando os sons musicalmente; Desafio: Escolha uma dentre as formas musicais simples: Unária (A), Binária (A B), Ternária (A B A) ou Rondó (A B A C A) e realize uma composição musical utilizando ferramenta CODES ( http://gia.inf.ufrgs.br/CODES3/# ) ou MusicLab ( http://remixer.clubcreate.com/v2/musiclab/launch.html ). Escreva em um parágrafo no Word ou outro editor de texto de sua escolha, qual a forma musical que você escolheu para estruturar a sua composição e descreva brevemente a(s) sua(s) parte(s).
  • Módulo 4- Podcasting: uma ferramenta da Web 2.0 na educação. Introdução: Ferramentas da Web 2.0:podcasting e a ferramenta interativa Tonematrix. Apresentação: Podcast e videocast educacional. Mapa conceitual: Podcasting; Desafios:Desafio 1 Forme grupos e escolha um conteúdo de sua área de atuação e grave-o no Audacity em forma de debate ou entrevista com características de um episódio de podcast. Não esqueça de especificar para que série/ano o podcast se dirige.   Desafio 2 Componha uma trilha sonora ou vinheta para o podcast criado, utilizando uma ou mais ferramentas empregadas no OA CompMUS. O podcast educacional deverá ser postado e apresentado como trabalho final. Obs.: Para a gravação, mixagem e edição da trilha sonora e do podcast sugere-se o software Audacity. Para a composição da trilha sonora sugere-se o MUSICLAB ( http://remixer.clubcreate.com/v2/musiclab/launch.html ) e/ou o JAMSTUDIO ( www.jamstudio.com ). Você também poderá utilizar outras ferramentas on-line ou teclados virtuais:
  • Módulo 2- Organizando os sons musicalmente; Desafio: Escolha uma dentre as formas musicais simples: Unária (A), Binária (A B), Ternária (A B A) ou Rondó (A B A C A) e realize uma composição musical utilizando ferramenta CODES ( http://gia.inf.ufrgs.br/CODES3/# ) ou MusicLab ( http://remixer.clubcreate.com/v2/musiclab/launch.html ). Escreva em um parágrafo no Word ou outro editor de texto de sua escolha, qual a forma musical que você escolheu para estruturar a sua composição e descreva brevemente a(s) sua(s) parte(s).
  • O roodAFETO e o MineraFórum buscam considerar os estados de ânimo no ROODA , ampliando o leque de comunicação professor-aluno, considerando não somente os aspectos cognitivos, mas também os afetivos. - Projeto contemplado no Edital 12 da SEAD da UFRGS.
  • Quando se fala em áudio na internet, muitos são céticos. Não os culpo, afinal tem um longo caminho a percorrer até que o áudio tenha a mesma função que no cinema e na TV, por exemplo. As principais reclamações são: . O áudio disparado na primeira página, automaticamente. . Volume muito alto. . Requer muitos plug-ins. . Muitas pessoas não tem o ambiente adequado para recepção do conteúdo, como uma placa ou caixas de som adequados. Mas será que realmente o conteúdo sonoro está sendo pensado seriamente nos projetos de design de interface ou apenas esses julgamentos de que não dá certo está prevalecendo mais do que o interesse de investigar quais são as possibilidades de sound design nos websites e outros ambientes na Internet? http://www.audionainternet.com/?p=75
  • “ Podcast na escola” foi feito por alunos de 7ª série de um Colégio de Caxias do Sul. Magaly Parreira do Prado diz que audiocast e podcast é a mesma coisa. Só que o podcast lembra produtos da Apple. Por isso prefere o termo audiocast. Escreveu a dissertação: Audiocast nooradio – Redes colaborativas de Conhecimento e trabalhou com paisagens sonoras em forma de audiocast. McLoughlin e Lee (2007) ao falarem do podcast no Ensino Superior, diferem o termo de audiocast. Embora o termo podcast seja utilizado por diversos autores e educadores como sendo um arquivo de áudio transmitido via Internet, para McLoughlin e Lee (Ibid.) essa definição seria a de audiocast.
  • Player de mídias digitais como tocadores de mp3, celulares, iPods, Smartphones, fazem parte do cotidiano dos jovens e também de adultos. Propriedades extramusicais evocando sentimentos e memórias, influenciando os estados de ânimo.
  • Dois exemplos de tecnologias digitais para a Educação

    1. 1. Fátima Weber Rosas Patricia Alejandra BeharXV Encontro Regional da ABEM SUL 24 e 25 de maio de 2012
    2. 2. Sumário Educação Musical a Distância, uso de tecnologias digitais e formação de professores; Objeto de Aprendizagem (OA) CompMUS; Tocador de mídias digitais, o ROODAPlayer; Considerações finais.
    3. 3. Cursos de Licenciatura em Música a Distância no Brasil Universidade de Brasília (UnB-UAB); Universidade Federal de São Carlos (UFsCar – UAB); Universidade Federal do Rio Grande do Sul(UFRGS-Prolicenmus)
    4. 4. Formação de professores para atuarem na Educação Musical Professores que atuam na Educação presencialBásica – Educação Musical são em quantidade ínfima; Parceria com os professores das séries iniciais(leigos em música); (CISZEVSKI, 2010); (ABREU, 2011); (BELLOCHIO, 2000). Aproximação da Música com a Pedagogia; Formação para a Educação Musical em cursos dePedagogia. (FIGUEIREDO, 2004, p.56)
    5. 5. Formação de professores e tutores para atuarem na Educação Musical bimodal Uso de tecnologias digitais para viabilizar asaulas virtuais e torná-las mais atrantes esignificativas em ambas as modalidades; Desenvolvimento de competências para oo contexto tecnológico-musical;
    6. 6. Educação para o desenvolvimento de competências Maior aproximação entre teoria e prática; Concebe o sujeito em todas as suasdimensões, preparando-o para situações reaisao longo da vida;(ZABALA e ARNAU, 2010) Consonância com os quatro pilares da Educaçãodo séc.XXI;(DELORS, 1996)
    7. 7. Aprender a fazer a conhecer a conhecer a fazer a viver a ser juntos(DELORS, 1996)
    8. 8. Competência  Mobilização de 3 elementos essenciais: a conhecer CONHECIMENTOS SABER a HABILIDADES SABER FAZER fazer Competência SABER SER ATITUDES A A(ZABALA e ARNAU, 2010)
    9. 9. O objeto de aprendizagem OAComposição Musical Digital para a Educação (CompMUS) Conceito de OA:“[...] qualquer material digital, como por exemplo, textos, animação, vídeos, imagens, aplicações, páginas web de forma isolada ou em combinação, com fins educacionais”. (BEHAR ET AL., 2009, p.67).
    10. 10. OA CompMUS Desenvolvido por equipe interdisciplinar do Núcleo de Tecnologia Digital Aplicada a Educação (NUTED); Apoio teórico/pedagógico durante um curso de extensão na modalidade semipresencial. Estudo das competências necessárias para o contexto tecnológico- musical.
    11. 11. http://www.nuted.ufrgs.br/objetos_de_aprendizagem/2011/CompMUS/#
    12. 12. CompMUS – módulo 1  : A importância da música digital na educação. -Introdução; -Apresentação; -Linha do tempo; -Vídeos; -Desafios.
    13. 13. Desafios - módulo 11- Analisar trilhas sonoras de objetosde aprendizagem;2- Participar do Fórum sobre comopode ser trabalhada a música nasescolas utilizando tecnologiasdigitais.
    14. 14. CompMUS – módulo 2  : Organizando os sons musicalmente. -Introdução; -Apresentação; -Mapa conceitual; -Vídeos; -Desafios.
    15. 15. Desafio módulo 2  Escolher umadentre as formas COoperative Music Protomusicais simples e (CODES)realizar uma composiçãomusicalcom umas das  MusicLabferramentas:
    16. 16. CompMUS – módulo 3  : Entendendo a harmonia e sua representação por cifras na música popular e as novas sonoridades na composição contemporânea. -Introdução; -Apresentação; -Mapa mental; -Vídeos; -Desafios.
    17. 17. Desafios - módulo 31- Compor uma trilha sonora na ferramentaonline JAMSTUDIO;2- Escolher um exemplo de música concretae um exemplo de paisagem sonora paraapreciar. Participar do Fórum discussão: Asnovas sonoridades na músicacontemporânea: as paisagens sonoras.
    18. 18. CompMUS – módulo 4  : Podcasting: uma ferramenta da Web 2.0 na educação. -Introdução; -Apresentação; -Mapa conceitual; -Desafios.
    19. 19. Desafios - módulo 41- Montar um podcast educacional.2- Compor uma trilha sonora para opodcast utilizando pelo menos uma dasferramentas online utilizadas durante ocurso.
    20. 20. ROODAPlayer Tocador de mídias digitais integrado ao AVA Rede cOOperativa De Aprendizagem (ROODA). https://www.ead.ufrgs.br/rooda/
    21. 21. Projeto “Do roodAFETO ao MINERAfórum: produzindo recursos tecnológicos para o ambiente ROODA” Objetivo geral:Desenvolvimento de novas ferramentas erecursos para o ambiente ROODA. Objetivos específicos:- Dar subsídios aos professores sobre os estados deânimo do aluno em interação no ambiente virtual deaprendizagem.- Oferecer subsídios aos professores para umamediação pedagógica de maior qualidade através daanálise dos tópicos dos Fóruns.
    22. 22. Objetivos 1) Facilitar o acesso a vídeo e áudios no AVA; 2) Considerar o aspecto4) Motivar; ROODAPlayer: afetivo, além do cognitivo; 3) Promover uma aprendizagem significativa;
    23. 23. Etapas de construção 2- Avaliação de servidores 1- Estudo de players do mercado; públicos ou não;7- Disponibilização 3- Design dana plataforma ROODAPlayer: novaoficial. funcionalidade; 4- Implementação; 6- Validação em disciplinas de 5- Testes de graduação e pós- operacionalidade; graduação;
    24. 24. Design
    25. 25. Potencialidades pedagógicas do ROODAPlayer Podcast/podcasting: Exemplo no EnsinoFundamental: http://podcastnaescola.podomatic.com/ Videocast: Exemplo no Ensino Superior “Quimicasting”: http://www.youtube.com/watch?v=ITacuFYcwN0 Audiocast: http://magalyprado.blog.uol.com.br/(Prado, 2010) (McLoughlin e Lee, 2007).
    26. 26. Podcast/audiocast – Um olhar sobre os aspectos afetivos e cognitivos Motivação; - Cotidiano Players de mídias digitais:(Hardgreaves,1999) - Aprendizagem significativa - Vinhetas Música: Propriedades extramusicais - Trilhas sonoras Desenvolvimento de competências ligadas à oralidade
    27. 27. Considerações finais O uso de tecnologias digitais como OAs, ferramentas e AVAs de forma integrada pode auxiliar no desenvolvimento de competências tecnológico-musicais no âmbito educacional.Quando construídos de acordo com o público-alvoe proposta do professor, os OAs podem promover a construção de conhecimentos envolvendo a compreensão musical e além da habilidade para manusear softwares musicais.
    28. 28. Obrigada pela atenção!

    ×