SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
Tosse persistente
e Gota Pós-Nasal
Anatomia e Funções do Nariz
» O revestimento do nariz produz uma secreção, de
aspecto pegajoso, capaz de reter partículas finas,
bactérias, poeira e outras substâncias presentes no
ar. Além disso, essa secreção ajuda a umidificar o ar
inspirado.
» Para produzir este muco há uma grande circulação de
sangue nos “cornetos nasais”. Esta circulação de sangue
aquece o ar para que ele chegue ao pulmão numa
temperatura semelhante à do restante do organismo.
Cornetos
nasais
Traqueia
Língua
Anatomia e Funções do Nariz
Curiosidade:
» O espirro é um reflexo que tem como intenção a
limpeza da cavidade nasal em resposta a alguma
irritação, da mesma maneira que a tosse limpa os
pulmões.
Cornetos
nasais
Traqueia
Língua
Agressões ao Nariz
» Como visto anteriormente, o nariz retém algumas
partículas que são potencialmente agressivas e
estão presentes no ar. As principais delas são:
Cornetos
nasais
Traqueia
Língua
AGENTES
ALERGÊNICOS
VÍRUS BACTÉRIAS
Reações à agressão
» Aumento da secreção.
Observe como os cornetos nasais ficam inchados.
Este inchaço (chamado edema) é o responsável pelo
aumento da produção de catarro.
Reações à agressão
» Pra onde vai esta secreção?
» Parte da secreção sai pela narina e é chamada
“coriza”.
» Outra parte escoa pela parte posterior do nariz e
é chamada “gota pós-nasal”.Coriza
Gota pós-nasal
Reações à agressão
» Pra onde vai esta secreção? ⇨ OTITE
» Qual a relação entre o nariz e o ouvido?
A Tuba auditiva (antigamente chamada Tuba de Eustáquio) é
um canal que conecta o nariz ao ouvido.
Tuba de
Eustáquio
Abertura da Tuba de Eustáquio
na parte de traz do nariz
Reações à agressão
» Pra onde vai esta secreção? ⇨ OTITE
» Quando a secreção nasal repleta de vírus, bactérias, fungos
e agentes alérgenos invade a tuba auditiva pode causar otite
– que é uma infecção do ouvido médio.
Tuba de
Eustáquio
Tuba de Eustáquio
cheia de secreção
Tímpano
Reações à agressão
» Pra onde vai esta secreção? ⇨ OTITE
» Por que as crianças tem mais otite que os adultos? A Tuba
de Eustáquio nas crianças é quase horizontal enquanto nos
adultos ela tem uma angulação que dificulta o preenchimento
com secreção nasal.
Tuba de
Eustáquio
Reações à agressão
» Pra onde vai esta secreção? ⇨ SINUSITE
» Os seios paranasais são espaços
preenchidos por ar localizados no interior dos
ossos do crânio e face, que se comunicam
com a cavidade nasal.
» Quando vírus, bactérias, fungos e agentes
alérgenos invadem os seios paranasais ocorre
uma sinusite.
Sinusite
Desenvolvimento dos seios da face
Idade
Gestacional em
que começa a
formação (em
meses)
Idade em que a
presença tem
Significado
Clínico
Completamente
desenvolvido
Maxilar 2 Ao Nascimento 12 Anos
Etimóide 3 Ao Nascimento 12 Anos
Frontal 4 3 Anos 18-20 Anos
Esfenóide 3 8 Anos 12-15 Anos
Sinusite
Reações à agressão
» Pra onde vai esta secreção? ⇨ TOSSE
» A secreção que escorre pela parte posterior do nariz e é
chamada “gota pós-nasal”. Quando esta secreção atinge a
laringe induz o reflexo da tosse.
É possível identificar a gota
pós nasal durante o exame
da boca:
Gota pós-nasal
úvula
amigdala
VISÃO NORMAL * Gota pós-nasal
úvula
*
Prevenção
» O importância da Higiene Nasal
» Estudos comprovam que a lavagem nasal feita de maneira
correta e regular consegue evitar de 30 a 50% os problemas
respiratórios como resfriados, sinusites, rinites e outros.
» A lavagem nasal pode ser utilizada desde o nascimento.
» O Soro Fisiológico (NaCl 0,9%) é o produto ideal para a
lavagem nasal.
» A lavagem nasal pode ser feita tanto com seringas, como
por diversos dispositivos (sprays, dispositivos
pressurizados de jato contínuo ou conta-gotas).
Soro Fisiológico 0,9%
Prevenção
» O importância da Higiene Nasal
» Não há um número máximo de aplicações. A frequência das
aplicações depende do dispositivo utilizado e do objetivo da
lavagem nasal.
» Para a hidratação da mucosa nasal, a aplicação duas ou
três vezes no dia costuma ser suficiente.
» O uso de sugadores não é recomendado na maioria dos
casos, principalmente nas crianças pequenas, pelo risco de
lesões na mucosa nasal.
Soro Fisiológico 0,9%
Tosse que não passa!!!
» Nem sempre a tosse/coriza está relacionado a gripe/resfriado.
Na maioria das vezes é apenas uma reação natural do organismo à má
qualidade do ar. Poluição, partículas físicas, mofo, pelos, etc... são as causas
mais comuns de hipersecreção nasal.
» Se esses sintomas não forem acompanhados de nenhum outro (febre, falta
de ar, etc...) podem persistir por bastante tempo.
» A Higiene respiratória realizada com Soro Fisiológico 0,9% aplicado várias
vezes ao dia previne 30 a 50% das complicações como resfriados, sinusites,
rinites e outras.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Propedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonarPropedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonardapab
 
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicina
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicinaBacia obstétrica - aula para graduação de medicina
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicinaPatricia de Rossi
 
Ultrassom na cirrose, hepatite crônica e nas anormalidades vasculares hepáticas
Ultrassom na cirrose, hepatite crônica e nas anormalidades vasculares hepáticasUltrassom na cirrose, hepatite crônica e nas anormalidades vasculares hepáticas
Ultrassom na cirrose, hepatite crônica e nas anormalidades vasculares hepáticasFernanda Hiebra Gonçalves
 
Icterícia Neonatal
Icterícia NeonatalIcterícia Neonatal
Icterícia Neonatalblogped1
 
Cascata de coagulação
Cascata de coagulaçãoCascata de coagulação
Cascata de coagulaçãoRutxizita
 
Semiologia do recém nascido
Semiologia do recém nascidoSemiologia do recém nascido
Semiologia do recém nascidoLaped Ufrn
 
Síndromes pulmonares
Síndromes pulmonaresSíndromes pulmonares
Síndromes pulmonarespauloalambert
 
Exame físico do sist. respiratório
Exame físico do sist. respiratórioExame físico do sist. respiratório
Exame físico do sist. respiratórioresenfe2013
 
Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)
Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)
Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)Laped Ufrn
 
Propedeutica abdominal l
Propedeutica abdominal lPropedeutica abdominal l
Propedeutica abdominal lpauloalambert
 
Pré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção BásicaPré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção Básicamarianagusmao39
 
Anticoagulante e Antiagregante
Anticoagulante e AntiagreganteAnticoagulante e Antiagregante
Anticoagulante e Antiagreganteresenfe2013
 
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecçõesICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecçõesRicardo Portela
 

Mais procurados (20)

Propedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonarPropedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonar
 
Abortamento
AbortamentoAbortamento
Abortamento
 
Aula teorica do torax
Aula teorica do toraxAula teorica do torax
Aula teorica do torax
 
Hemorragias na gestação
Hemorragias na gestaçãoHemorragias na gestação
Hemorragias na gestação
 
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicina
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicinaBacia obstétrica - aula para graduação de medicina
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicina
 
Ultrassom na cirrose, hepatite crônica e nas anormalidades vasculares hepáticas
Ultrassom na cirrose, hepatite crônica e nas anormalidades vasculares hepáticasUltrassom na cirrose, hepatite crônica e nas anormalidades vasculares hepáticas
Ultrassom na cirrose, hepatite crônica e nas anormalidades vasculares hepáticas
 
Icterícia Neonatal
Icterícia NeonatalIcterícia Neonatal
Icterícia Neonatal
 
Cascata de coagulação
Cascata de coagulaçãoCascata de coagulação
Cascata de coagulação
 
Exame do nariz
Exame do narizExame do nariz
Exame do nariz
 
Semiologia do recém nascido
Semiologia do recém nascidoSemiologia do recém nascido
Semiologia do recém nascido
 
Dor Crônica: Anamnese - Profa. Rilva - GESME
Dor Crônica: Anamnese - Profa. Rilva - GESMEDor Crônica: Anamnese - Profa. Rilva - GESME
Dor Crônica: Anamnese - Profa. Rilva - GESME
 
Síndromes pulmonares
Síndromes pulmonaresSíndromes pulmonares
Síndromes pulmonares
 
Exame físico do sist. respiratório
Exame físico do sist. respiratórioExame físico do sist. respiratório
Exame físico do sist. respiratório
 
Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)
Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)
Infecção do Trato Urinário na Infância (ITU)
 
Propedeutica abdominal l
Propedeutica abdominal lPropedeutica abdominal l
Propedeutica abdominal l
 
Pré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção BásicaPré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção Básica
 
Hiv aids infeccoes oportunistas 2020
Hiv aids infeccoes oportunistas 2020Hiv aids infeccoes oportunistas 2020
Hiv aids infeccoes oportunistas 2020
 
Anticoagulante e Antiagregante
Anticoagulante e AntiagreganteAnticoagulante e Antiagregante
Anticoagulante e Antiagregante
 
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecçõesICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
 
Capnografia
CapnografiaCapnografia
Capnografia
 

Semelhante a Tosse persistente e Gota Pós-Nasal: anatomia, funções e reações do nariz

é Mais feliz quem respira pelo nariz
é Mais feliz quem respira pelo narizé Mais feliz quem respira pelo nariz
é Mais feliz quem respira pelo narizevelyngerm
 
Sistema respiratório 2017
Sistema respiratório 2017Sistema respiratório 2017
Sistema respiratório 2017ladyacp
 
Rinite Alérgica
Rinite AlérgicaRinite Alérgica
Rinite Alérgicaalinemsnjc
 
Curiosidades fisiológicas
Curiosidades fisiológicasCuriosidades fisiológicas
Curiosidades fisiológicasFabíola Barbosa
 
Otorrino Brasilia
Otorrino BrasiliaOtorrino Brasilia
Otorrino BrasiliaOtoFace
 
Doenças e distúrbios dos sistema respiratório
Doenças e distúrbios dos sistema respiratórioDoenças e distúrbios dos sistema respiratório
Doenças e distúrbios dos sistema respiratórioAna Beatriz Cargnin
 
Apostila Sistema Respiratório-2016
Apostila Sistema Respiratório-2016Apostila Sistema Respiratório-2016
Apostila Sistema Respiratório-2016arn4ldo
 
Sinusite-Doenças do Sistema Respiratório
Sinusite-Doenças do Sistema RespiratórioSinusite-Doenças do Sistema Respiratório
Sinusite-Doenças do Sistema RespiratórioLetceO
 
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...Cleanto Santos Vieira
 
Trate a sinusite com a acupuntura
Trate a sinusite com a acupunturaTrate a sinusite com a acupuntura
Trate a sinusite com a acupunturaFatima Borges Silva
 
Cartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema RespiratórioCartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema RespiratórioAna Filadelfi
 

Semelhante a Tosse persistente e Gota Pós-Nasal: anatomia, funções e reações do nariz (20)

é Mais feliz quem respira pelo nariz
é Mais feliz quem respira pelo narizé Mais feliz quem respira pelo nariz
é Mais feliz quem respira pelo nariz
 
Higiene no ouvido
Higiene no ouvidoHigiene no ouvido
Higiene no ouvido
 
Anoidetite
AnoidetiteAnoidetite
Anoidetite
 
Aula Curso Cuidador Escolar
Aula Curso Cuidador EscolarAula Curso Cuidador Escolar
Aula Curso Cuidador Escolar
 
Sistema respiratório 2017
Sistema respiratório 2017Sistema respiratório 2017
Sistema respiratório 2017
 
Lavagem Nasal
Lavagem NasalLavagem Nasal
Lavagem Nasal
 
Lavagem Nasal
Lavagem NasalLavagem Nasal
Lavagem Nasal
 
Rinite Alérgica
Rinite AlérgicaRinite Alérgica
Rinite Alérgica
 
Rinite alérgica
Rinite alérgicaRinite alérgica
Rinite alérgica
 
Curiosidades fisiológicas
Curiosidades fisiológicasCuriosidades fisiológicas
Curiosidades fisiológicas
 
Otorrino Brasilia
Otorrino BrasiliaOtorrino Brasilia
Otorrino Brasilia
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO
SISTEMA RESPIRATÓRIOSISTEMA RESPIRATÓRIO
SISTEMA RESPIRATÓRIO
 
Doenças e distúrbios dos sistema respiratório
Doenças e distúrbios dos sistema respiratórioDoenças e distúrbios dos sistema respiratório
Doenças e distúrbios dos sistema respiratório
 
Apostila Sistema Respiratório-2016
Apostila Sistema Respiratório-2016Apostila Sistema Respiratório-2016
Apostila Sistema Respiratório-2016
 
Sinusite-Doenças do Sistema Respiratório
Sinusite-Doenças do Sistema RespiratórioSinusite-Doenças do Sistema Respiratório
Sinusite-Doenças do Sistema Respiratório
 
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
Primeiros Socorros - Respiração noções de primeiros socorros e cuidados de em...
 
Trate a sinusite com a acupuntura
Trate a sinusite com a acupunturaTrate a sinusite com a acupuntura
Trate a sinusite com a acupuntura
 
Cartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema RespiratórioCartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema Respiratório
 
Olfato 2
Olfato 2Olfato 2
Olfato 2
 
Olfato 2
Olfato 2Olfato 2
Olfato 2
 

Mais de Fabricio Batistoni (20)

Lavagem Nasal 2
Lavagem Nasal 2Lavagem Nasal 2
Lavagem Nasal 2
 
Febre
FebreFebre
Febre
 
Tosse
TosseTosse
Tosse
 
Prevenção de Acidentes
Prevenção de AcidentesPrevenção de Acidentes
Prevenção de Acidentes
 
ASMA na infância
ASMA na infânciaASMA na infância
ASMA na infância
 
Vacinação contra Covid-19
Vacinação contra Covid-19Vacinação contra Covid-19
Vacinação contra Covid-19
 
Saltos de desenvolvimento
Saltos de desenvolvimentoSaltos de desenvolvimento
Saltos de desenvolvimento
 
Consumo de Mel em Crianças
Consumo de Mel em CriançasConsumo de Mel em Crianças
Consumo de Mel em Crianças
 
Dislalia 2020
Dislalia 2020Dislalia 2020
Dislalia 2020
 
Introdução alimentar
Introdução alimentarIntrodução alimentar
Introdução alimentar
 
Dor de crescimento
Dor de crescimentoDor de crescimento
Dor de crescimento
 
Fica muito doente
Fica muito doenteFica muito doente
Fica muito doente
 
TDAH, Dislexia e Discalculia
TDAH, Dislexia e DiscalculiaTDAH, Dislexia e Discalculia
TDAH, Dislexia e Discalculia
 
TDAH para Educadores
TDAH para EducadoresTDAH para Educadores
TDAH para Educadores
 
TDAN mitos e verdades
TDAN mitos e verdadesTDAN mitos e verdades
TDAN mitos e verdades
 
Desenvolvimento da linguagem
Desenvolvimento da linguagemDesenvolvimento da linguagem
Desenvolvimento da linguagem
 
Imunoterapia
ImunoterapiaImunoterapia
Imunoterapia
 
Melatonina e sono
Melatonina e sonoMelatonina e sono
Melatonina e sono
 
Novo normal
Novo normalNovo normal
Novo normal
 
Novo normal na infância
Novo normal na infânciaNovo normal na infância
Novo normal na infância
 

Último

Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemAula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemCarlosLinsJr
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obrasosnikobus1
 
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinaaula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinajarlianezootecnista
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdfHELLEN CRISTINA
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdfHELLEN CRISTINA
 
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdfAromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdfanalucia839701
 
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALCarlosLinsJr
 
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.pptos-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.pptfernandoalvescosta3
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfMarceloMonteiro213738
 
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoTécnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoPamelaMariaMoreiraFo
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999vanessa270433
 
CCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICO
CCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICOCCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICO
CCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICOTHIALYMARIASILVADACU
 

Último (14)

Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemAula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
 
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinaaula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdf
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
 
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdfAromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
 
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
 
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.pptos-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
 
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoTécnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
 
CCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICO
CCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICOCCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICO
CCIH NO CC.pdf comissao da CCIH NO CENTR CIRURGICO
 

Tosse persistente e Gota Pós-Nasal: anatomia, funções e reações do nariz

  • 2. Anatomia e Funções do Nariz » O revestimento do nariz produz uma secreção, de aspecto pegajoso, capaz de reter partículas finas, bactérias, poeira e outras substâncias presentes no ar. Além disso, essa secreção ajuda a umidificar o ar inspirado. » Para produzir este muco há uma grande circulação de sangue nos “cornetos nasais”. Esta circulação de sangue aquece o ar para que ele chegue ao pulmão numa temperatura semelhante à do restante do organismo. Cornetos nasais Traqueia Língua
  • 3. Anatomia e Funções do Nariz Curiosidade: » O espirro é um reflexo que tem como intenção a limpeza da cavidade nasal em resposta a alguma irritação, da mesma maneira que a tosse limpa os pulmões. Cornetos nasais Traqueia Língua
  • 4. Agressões ao Nariz » Como visto anteriormente, o nariz retém algumas partículas que são potencialmente agressivas e estão presentes no ar. As principais delas são: Cornetos nasais Traqueia Língua AGENTES ALERGÊNICOS VÍRUS BACTÉRIAS
  • 5. Reações à agressão » Aumento da secreção. Observe como os cornetos nasais ficam inchados. Este inchaço (chamado edema) é o responsável pelo aumento da produção de catarro.
  • 6. Reações à agressão » Pra onde vai esta secreção? » Parte da secreção sai pela narina e é chamada “coriza”. » Outra parte escoa pela parte posterior do nariz e é chamada “gota pós-nasal”.Coriza Gota pós-nasal
  • 7. Reações à agressão » Pra onde vai esta secreção? ⇨ OTITE » Qual a relação entre o nariz e o ouvido? A Tuba auditiva (antigamente chamada Tuba de Eustáquio) é um canal que conecta o nariz ao ouvido. Tuba de Eustáquio Abertura da Tuba de Eustáquio na parte de traz do nariz
  • 8. Reações à agressão » Pra onde vai esta secreção? ⇨ OTITE » Quando a secreção nasal repleta de vírus, bactérias, fungos e agentes alérgenos invade a tuba auditiva pode causar otite – que é uma infecção do ouvido médio. Tuba de Eustáquio Tuba de Eustáquio cheia de secreção Tímpano
  • 9. Reações à agressão » Pra onde vai esta secreção? ⇨ OTITE » Por que as crianças tem mais otite que os adultos? A Tuba de Eustáquio nas crianças é quase horizontal enquanto nos adultos ela tem uma angulação que dificulta o preenchimento com secreção nasal. Tuba de Eustáquio
  • 10. Reações à agressão » Pra onde vai esta secreção? ⇨ SINUSITE » Os seios paranasais são espaços preenchidos por ar localizados no interior dos ossos do crânio e face, que se comunicam com a cavidade nasal. » Quando vírus, bactérias, fungos e agentes alérgenos invadem os seios paranasais ocorre uma sinusite.
  • 11. Sinusite Desenvolvimento dos seios da face Idade Gestacional em que começa a formação (em meses) Idade em que a presença tem Significado Clínico Completamente desenvolvido Maxilar 2 Ao Nascimento 12 Anos Etimóide 3 Ao Nascimento 12 Anos Frontal 4 3 Anos 18-20 Anos Esfenóide 3 8 Anos 12-15 Anos
  • 13. Reações à agressão » Pra onde vai esta secreção? ⇨ TOSSE » A secreção que escorre pela parte posterior do nariz e é chamada “gota pós-nasal”. Quando esta secreção atinge a laringe induz o reflexo da tosse. É possível identificar a gota pós nasal durante o exame da boca: Gota pós-nasal úvula amigdala VISÃO NORMAL * Gota pós-nasal úvula *
  • 14. Prevenção » O importância da Higiene Nasal » Estudos comprovam que a lavagem nasal feita de maneira correta e regular consegue evitar de 30 a 50% os problemas respiratórios como resfriados, sinusites, rinites e outros. » A lavagem nasal pode ser utilizada desde o nascimento. » O Soro Fisiológico (NaCl 0,9%) é o produto ideal para a lavagem nasal. » A lavagem nasal pode ser feita tanto com seringas, como por diversos dispositivos (sprays, dispositivos pressurizados de jato contínuo ou conta-gotas). Soro Fisiológico 0,9%
  • 15. Prevenção » O importância da Higiene Nasal » Não há um número máximo de aplicações. A frequência das aplicações depende do dispositivo utilizado e do objetivo da lavagem nasal. » Para a hidratação da mucosa nasal, a aplicação duas ou três vezes no dia costuma ser suficiente. » O uso de sugadores não é recomendado na maioria dos casos, principalmente nas crianças pequenas, pelo risco de lesões na mucosa nasal. Soro Fisiológico 0,9%
  • 16. Tosse que não passa!!! » Nem sempre a tosse/coriza está relacionado a gripe/resfriado. Na maioria das vezes é apenas uma reação natural do organismo à má qualidade do ar. Poluição, partículas físicas, mofo, pelos, etc... são as causas mais comuns de hipersecreção nasal. » Se esses sintomas não forem acompanhados de nenhum outro (febre, falta de ar, etc...) podem persistir por bastante tempo. » A Higiene respiratória realizada com Soro Fisiológico 0,9% aplicado várias vezes ao dia previne 30 a 50% das complicações como resfriados, sinusites, rinites e outras.