SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
Orientações para ​Almoço​ e ​Jantar
 
Entre 4 e 6 meses a criança apresenta maturidade fisiológica e neurológica, e produção enzimática                             
suficientes para ingestão de alimentos além do leite materno . Recomenda-se o consumo de alimentos                           1
saudáveis, ​“in natura” e que sejam preparados em casa, com boas condições de higiene. 2
Além das recomendações oficiais publicadas pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e pelo                         
Ministério da Saúde (MS) há outras técnicas bastante difundidas pela ​internet​. Um exemplo é o método BLW -                                   
Baby-Led Weaning​ que significa: desmame guiado pelo bebê. 
Não há evidências e trabalhos publicados em quantidade e qualidade suficientes para afirmar que os                             
métodos BLW ou BLISS sejam as únicas formas corretas de introdução alimentar. O método vai depender da                                 3
criança e seus cuidadores. Deve-se estimular a interação coma comida, evoluindo de acordo com seu tempo                               
de desenvolvimento . 4
A comida deve ser ​amassada, sem peneirar ou liquidificar​. Nos primeiros dias, é normal a criança                               
derramar ou cuspir o alimento; portanto, tal fato não deve ser interpretado como rejeição ao alimento . 5
 
 
1
Manual de Alimentação, Sociedade Brasileira de Pediatria, 4ªEd, 2018, p.28 
2
Considera-se alimento ​"in natura" ​ou minimamente processados – alimentos obtidos de plantas ou de animais e não passam por muitas alterações. Os 
alimentos minimamente processados passam por alguma modificação: limpeza, remoção de partes indesejáveis, divisão, moagem, secagem, fermentação, 
pasteurização, refrigeração, congelamento, mas não são adicionados de sal, açúcar, óleos, gorduras ou outras substâncias. Exemplos: Legumes, verduras, 
frutas, batata, mandioca e outras raízes e tubérculos in natura ou embalados, fracionados, refrigerados ou congelados; arroz branco, integral ou parbolizado, 
a granel ou embalado; milho em grão ou na espiga, grãos de trigo e de outros cereais; feijão de todas as cores, lentilhas, grão de bico e outras leguminosas; 
cogumelos frescos ou secos; frutas secas, carnes (boi, suína, peixe, de ave), ovos, iogurte sem açúcar. 
3
BLISS - ​Baby-Led Introduction to SolidS 
4
Guia prático de atualização: a alimentação complementar e o método BLW, DC nutrologia-SBP, 2017 
5
Manual de Alimentação, Sociedade Brasileira de Pediatria, 4ªEd, 2018, p.38
 
 
* A ​carne​, na quantidade de 50 a 70 g/dia (para duas papas), não deve ser retirada após o cozimento, mas, sim, picada, tamisada (cozida 
e amassada com as mãos) ou desfiada, fundamental que seja oferecida à criança (procedimento fundamental para garantir oferta 
adequada de ferro e zinco). 
 
Passo a Passo: 
1. Lave​ bem as mãos, as frutas, verduras, vegetais, legumes e tubérculos. 
2. Temperos naturais​ (​alho, cebola, cheiro verde e uma pitada de sal​) são permitidos - ​não use temperos 
artificiais​. 
3. Use ​água​ suficiente apenas para amaciar os alimentos (​a comida não deve ficar encharcada​). 
4. Faça a introdução de ​modo gradual​, oferecendo apenas um alimento novo de cada vez. A seguir 
acrescente dois ou três novos tipos de outros grupos. O ideal é misturar um vegetal, um tubérculo e 
um legume. Após uma semana a criança pode comer grãos como arroz, feijão e lentilha. 
5. Aos 8 meses, introduza gema de ovo bem cozida no almoço. Comece com 1/4 e aumente conforme 
aceitação, oferecendo 2 vezes por semana 
 
Atenção: 
● Macarrão, fubá, aveia e semolina são alimentos ricos de ​alto valor calórico​ e ​baixo valor nutricional​ e 
não devem substituir os grupos básicos (descritos acima). 
● Evite amamentar o bebê após o almoço. O leite prejudica a absorção do ferro alimentar. 
● Ofereça água e suco ao bebê. 
 
Quais são as proporções de cada ingrediente?  6
 
 
6
Esquema do prato para ser utilizado em todas as idades, variando o tamanho das porções. Weffort e Lamounier, 2017 
Cereal ou tubérculo   Leguminosa  Proteína animal*  Hortaliças 
Arroz, Milho, 
Cenoura, Batatas, 
Mandioca, Inhame, 
Cará, Farinha de 
Trigo, Aveia 
Feijão, Soja, 
Ervilha, 
Lentilha, Grão 
de bico 
Carne bovina, 
Carne de frango, 
Carne suína, 
Carne de peixe, 
Ovo 
Verduras​: alface, couve, rúcula, agrião, acelga, 
almeirão, brócolis, couve-flor, escarola, 
espinafre 
Legumes​: Abóbora, batata, berinjela, 
beterraba, inhame, cará, cenoura, chuchu, 
mandioca, mandioquinha, nabo, abobrinha 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentacao Introducao Alimentar.pdf
Apresentacao Introducao Alimentar.pdfApresentacao Introducao Alimentar.pdf
Apresentacao Introducao Alimentar.pdfricaFlorentino1
 
Alimentando Seu Bebê - Manual da Alimentação dos 6 meses a 1 Ano
Alimentando Seu Bebê - Manual da Alimentação dos 6 meses a 1 AnoAlimentando Seu Bebê - Manual da Alimentação dos 6 meses a 1 Ano
Alimentando Seu Bebê - Manual da Alimentação dos 6 meses a 1 AnoJuan Zambon
 
Aula alimentação 4º período
Aula alimentação 4º períodoAula alimentação 4º período
Aula alimentação 4º períodoSheyla Amorim
 
Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Juliana Maciel
 
Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno blogped1
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOblogped1
 
Folder alimentação na gestação
Folder alimentação na gestaçãoFolder alimentação na gestação
Folder alimentação na gestaçãoAntonio Elielton
 
Aulas de nutrição e dietética
Aulas de nutrição e dietéticaAulas de nutrição e dietética
Aulas de nutrição e dietéticaFabiano de Carvalho
 
Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...
Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...
Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...Letícia Spina Tapia
 
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptxALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptxFranciscoFlorencio6
 
Nutrição enteral e parenteral
Nutrição enteral e parenteralNutrição enteral e parenteral
Nutrição enteral e parenteralAlexandra Caetano
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilAlexandre Donha
 

Mais procurados (20)

Apresentacao Introducao Alimentar.pdf
Apresentacao Introducao Alimentar.pdfApresentacao Introducao Alimentar.pdf
Apresentacao Introducao Alimentar.pdf
 
Alimentando Seu Bebê - Manual da Alimentação dos 6 meses a 1 Ano
Alimentando Seu Bebê - Manual da Alimentação dos 6 meses a 1 AnoAlimentando Seu Bebê - Manual da Alimentação dos 6 meses a 1 Ano
Alimentando Seu Bebê - Manual da Alimentação dos 6 meses a 1 Ano
 
Alimentação na gestação
Alimentação na gestaçãoAlimentação na gestação
Alimentação na gestação
 
Alimentação no lactante
Alimentação no lactanteAlimentação no lactante
Alimentação no lactante
 
Aula alimentação 4º período
Aula alimentação 4º períodoAula alimentação 4º período
Aula alimentação 4º período
 
Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno
 
Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
 
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEFAleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
 
Folder alimentação na gestação
Folder alimentação na gestaçãoFolder alimentação na gestação
Folder alimentação na gestação
 
Aulas de nutrição e dietética
Aulas de nutrição e dietéticaAulas de nutrição e dietética
Aulas de nutrição e dietética
 
Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...
Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...
Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...
 
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptxALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
 
Nutrição enteral e parenteral
Nutrição enteral e parenteralNutrição enteral e parenteral
Nutrição enteral e parenteral
 
AGOSTO DOURADO.pptx
AGOSTO DOURADO.pptxAGOSTO DOURADO.pptx
AGOSTO DOURADO.pptx
 
Alimentação do paciente - Nutrição enteral
Alimentação do paciente - Nutrição enteralAlimentação do paciente - Nutrição enteral
Alimentação do paciente - Nutrição enteral
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
 
Aula 1.pptx
Aula 1.pptxAula 1.pptx
Aula 1.pptx
 
Agosto Dourado 2021: Proteger a Amamentação
Agosto Dourado 2021: Proteger a AmamentaçãoAgosto Dourado 2021: Proteger a Amamentação
Agosto Dourado 2021: Proteger a Amamentação
 
Tipos de dietas
Tipos de dietasTipos de dietas
Tipos de dietas
 

Semelhante a Introdução alimentar

alimentação 1 ano, pre escolar,escolar e adolescente.pptx
alimentação 1 ano, pre escolar,escolar e adolescente.pptxalimentação 1 ano, pre escolar,escolar e adolescente.pptx
alimentação 1 ano, pre escolar,escolar e adolescente.pptxHelosaFerreira9
 
10 passos p alimentação saudável
10 passos p alimentação saudável10 passos p alimentação saudável
10 passos p alimentação saudávelgisa_legal
 
Aula Gestante a Idosos para enfermagem e saude
Aula Gestante a Idosos para enfermagem e saudeAula Gestante a Idosos para enfermagem e saude
Aula Gestante a Idosos para enfermagem e saudeDescomplicandocomMar
 
1202257866 a alimentacao_do_bebe3
1202257866 a alimentacao_do_bebe31202257866 a alimentacao_do_bebe3
1202257866 a alimentacao_do_bebe3Pelo Siro
 
Alimentacao do bebe
Alimentacao do bebeAlimentacao do bebe
Alimentacao do bebePelo Siro
 
Alimentação saudável crianças
Alimentação saudável   criançasAlimentação saudável   crianças
Alimentação saudável criançasTeca Dias
 
AULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptx
AULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptxAULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptx
AULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptxadrianaalvesgw
 
Material aleitamento
Material aleitamentoMaterial aleitamento
Material aleitamentogikapp88
 
Alimentação no primeiro ano de vida
Alimentação no primeiro ano de vidaAlimentação no primeiro ano de vida
Alimentação no primeiro ano de vidaSimone Brito
 
nutricao da criaçna.ppt
nutricao da criaçna.pptnutricao da criaçna.ppt
nutricao da criaçna.pptANA FONSECA
 
Alimentação complementar
Alimentação complementarAlimentação complementar
Alimentação complementarNara Lordello
 
Trabalho de nutriçao pronto
Trabalho de nutriçao prontoTrabalho de nutriçao pronto
Trabalho de nutriçao prontoEduardo Weverton
 

Semelhante a Introdução alimentar (20)

alimentação 1 ano, pre escolar,escolar e adolescente.pptx
alimentação 1 ano, pre escolar,escolar e adolescente.pptxalimentação 1 ano, pre escolar,escolar e adolescente.pptx
alimentação 1 ano, pre escolar,escolar e adolescente.pptx
 
Dez passos para_familia
Dez passos para_familiaDez passos para_familia
Dez passos para_familia
 
Dez passos para_familia
Dez passos para_familiaDez passos para_familia
Dez passos para_familia
 
Dez passos para_familia
Dez passos para_familiaDez passos para_familia
Dez passos para_familia
 
Cartilha ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL - UFMG
Cartilha ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL - UFMG Cartilha ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL - UFMG
Cartilha ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL - UFMG
 
10 passos p alimentação saudável
10 passos p alimentação saudável10 passos p alimentação saudável
10 passos p alimentação saudável
 
Aula Gestante a Idosos para enfermagem e saude
Aula Gestante a Idosos para enfermagem e saudeAula Gestante a Idosos para enfermagem e saude
Aula Gestante a Idosos para enfermagem e saude
 
Comida de Gente
Comida de GenteComida de Gente
Comida de Gente
 
1202257866 a alimentacao_do_bebe3
1202257866 a alimentacao_do_bebe31202257866 a alimentacao_do_bebe3
1202257866 a alimentacao_do_bebe3
 
Alimentacao do bebe
Alimentacao do bebeAlimentacao do bebe
Alimentacao do bebe
 
Obesidade infantil margarida
Obesidade infantil  margaridaObesidade infantil  margarida
Obesidade infantil margarida
 
Alimentação saudável crianças
Alimentação saudável   criançasAlimentação saudável   crianças
Alimentação saudável crianças
 
Alimentacao saudavel
Alimentacao saudavelAlimentacao saudavel
Alimentacao saudavel
 
AULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptx
AULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptxAULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptx
AULA - Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos.pdf.pptx
 
Material aleitamento
Material aleitamentoMaterial aleitamento
Material aleitamento
 
Alimentação no primeiro ano de vida
Alimentação no primeiro ano de vidaAlimentação no primeiro ano de vida
Alimentação no primeiro ano de vida
 
nutricao da criaçna.ppt
nutricao da criaçna.pptnutricao da criaçna.ppt
nutricao da criaçna.ppt
 
ALIMENTAÇÃO INFANTIL.pptx
ALIMENTAÇÃO INFANTIL.pptxALIMENTAÇÃO INFANTIL.pptx
ALIMENTAÇÃO INFANTIL.pptx
 
Alimentação complementar
Alimentação complementarAlimentação complementar
Alimentação complementar
 
Trabalho de nutriçao pronto
Trabalho de nutriçao prontoTrabalho de nutriçao pronto
Trabalho de nutriçao pronto
 

Mais de Fabricio Batistoni (20)

Lavagem Nasal
Lavagem NasalLavagem Nasal
Lavagem Nasal
 
Lavagem Nasal 2
Lavagem Nasal 2Lavagem Nasal 2
Lavagem Nasal 2
 
Febre
FebreFebre
Febre
 
Tosse
TosseTosse
Tosse
 
Lavagem Nasal
Lavagem NasalLavagem Nasal
Lavagem Nasal
 
Prevenção de Acidentes
Prevenção de AcidentesPrevenção de Acidentes
Prevenção de Acidentes
 
ASMA na infância
ASMA na infânciaASMA na infância
ASMA na infância
 
Vacinação contra Covid-19
Vacinação contra Covid-19Vacinação contra Covid-19
Vacinação contra Covid-19
 
Saltos de desenvolvimento
Saltos de desenvolvimentoSaltos de desenvolvimento
Saltos de desenvolvimento
 
Consumo de Mel em Crianças
Consumo de Mel em CriançasConsumo de Mel em Crianças
Consumo de Mel em Crianças
 
Dislalia 2020
Dislalia 2020Dislalia 2020
Dislalia 2020
 
Dor de crescimento
Dor de crescimentoDor de crescimento
Dor de crescimento
 
Fica muito doente
Fica muito doenteFica muito doente
Fica muito doente
 
TDAH, Dislexia e Discalculia
TDAH, Dislexia e DiscalculiaTDAH, Dislexia e Discalculia
TDAH, Dislexia e Discalculia
 
TDAH para Educadores
TDAH para EducadoresTDAH para Educadores
TDAH para Educadores
 
TDAN mitos e verdades
TDAN mitos e verdadesTDAN mitos e verdades
TDAN mitos e verdades
 
Desenvolvimento da linguagem
Desenvolvimento da linguagemDesenvolvimento da linguagem
Desenvolvimento da linguagem
 
Imunoterapia
ImunoterapiaImunoterapia
Imunoterapia
 
Melatonina e sono
Melatonina e sonoMelatonina e sono
Melatonina e sono
 
Novo normal
Novo normalNovo normal
Novo normal
 

Último

relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdfHELLEN CRISTINA
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisbertoadelinofelisberto3
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosThaiseGerber2
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfHELLEN CRISTINA
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfivana Sobrenome
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfHELLEN CRISTINA
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................paulo222341
 

Último (8)

relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
 

Introdução alimentar

  • 1. Orientações para ​Almoço​ e ​Jantar   Entre 4 e 6 meses a criança apresenta maturidade fisiológica e neurológica, e produção enzimática                              suficientes para ingestão de alimentos além do leite materno . Recomenda-se o consumo de alimentos                           1 saudáveis, ​“in natura” e que sejam preparados em casa, com boas condições de higiene. 2 Além das recomendações oficiais publicadas pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e pelo                          Ministério da Saúde (MS) há outras técnicas bastante difundidas pela ​internet​. Um exemplo é o método BLW -                                    Baby-Led Weaning​ que significa: desmame guiado pelo bebê.  Não há evidências e trabalhos publicados em quantidade e qualidade suficientes para afirmar que os                              métodos BLW ou BLISS sejam as únicas formas corretas de introdução alimentar. O método vai depender da                                 3 criança e seus cuidadores. Deve-se estimular a interação coma comida, evoluindo de acordo com seu tempo                                de desenvolvimento . 4 A comida deve ser ​amassada, sem peneirar ou liquidificar​. Nos primeiros dias, é normal a criança                                derramar ou cuspir o alimento; portanto, tal fato não deve ser interpretado como rejeição ao alimento . 5     1 Manual de Alimentação, Sociedade Brasileira de Pediatria, 4ªEd, 2018, p.28  2 Considera-se alimento ​"in natura" ​ou minimamente processados – alimentos obtidos de plantas ou de animais e não passam por muitas alterações. Os  alimentos minimamente processados passam por alguma modificação: limpeza, remoção de partes indesejáveis, divisão, moagem, secagem, fermentação,  pasteurização, refrigeração, congelamento, mas não são adicionados de sal, açúcar, óleos, gorduras ou outras substâncias. Exemplos: Legumes, verduras,  frutas, batata, mandioca e outras raízes e tubérculos in natura ou embalados, fracionados, refrigerados ou congelados; arroz branco, integral ou parbolizado,  a granel ou embalado; milho em grão ou na espiga, grãos de trigo e de outros cereais; feijão de todas as cores, lentilhas, grão de bico e outras leguminosas;  cogumelos frescos ou secos; frutas secas, carnes (boi, suína, peixe, de ave), ovos, iogurte sem açúcar.  3 BLISS - ​Baby-Led Introduction to SolidS  4 Guia prático de atualização: a alimentação complementar e o método BLW, DC nutrologia-SBP, 2017  5 Manual de Alimentação, Sociedade Brasileira de Pediatria, 4ªEd, 2018, p.38
  • 2.     * A ​carne​, na quantidade de 50 a 70 g/dia (para duas papas), não deve ser retirada após o cozimento, mas, sim, picada, tamisada (cozida  e amassada com as mãos) ou desfiada, fundamental que seja oferecida à criança (procedimento fundamental para garantir oferta  adequada de ferro e zinco).    Passo a Passo:  1. Lave​ bem as mãos, as frutas, verduras, vegetais, legumes e tubérculos.  2. Temperos naturais​ (​alho, cebola, cheiro verde e uma pitada de sal​) são permitidos - ​não use temperos  artificiais​.  3. Use ​água​ suficiente apenas para amaciar os alimentos (​a comida não deve ficar encharcada​).  4. Faça a introdução de ​modo gradual​, oferecendo apenas um alimento novo de cada vez. A seguir  acrescente dois ou três novos tipos de outros grupos. O ideal é misturar um vegetal, um tubérculo e  um legume. Após uma semana a criança pode comer grãos como arroz, feijão e lentilha.  5. Aos 8 meses, introduza gema de ovo bem cozida no almoço. Comece com 1/4 e aumente conforme  aceitação, oferecendo 2 vezes por semana    Atenção:  ● Macarrão, fubá, aveia e semolina são alimentos ricos de ​alto valor calórico​ e ​baixo valor nutricional​ e  não devem substituir os grupos básicos (descritos acima).  ● Evite amamentar o bebê após o almoço. O leite prejudica a absorção do ferro alimentar.  ● Ofereça água e suco ao bebê.    Quais são as proporções de cada ingrediente?  6     6 Esquema do prato para ser utilizado em todas as idades, variando o tamanho das porções. Weffort e Lamounier, 2017  Cereal ou tubérculo   Leguminosa  Proteína animal*  Hortaliças  Arroz, Milho,  Cenoura, Batatas,  Mandioca, Inhame,  Cará, Farinha de  Trigo, Aveia  Feijão, Soja,  Ervilha,  Lentilha, Grão  de bico  Carne bovina,  Carne de frango,  Carne suína,  Carne de peixe,  Ovo  Verduras​: alface, couve, rúcula, agrião, acelga,  almeirão, brócolis, couve-flor, escarola,  espinafre  Legumes​: Abóbora, batata, berinjela,  beterraba, inhame, cará, cenoura, chuchu,  mandioca, mandioquinha, nabo, abobrinha