SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Baixar para ler offline
» Fimose é uma condição na qual a abertura prepúcio é tão estreita
[estenose] que a cabeça do pênis [glande] não pode ser exposta.
» Em linguagem leiga, “fimose” é quando você não consegue “arregaçar”
o pênis para expor a “cabeça”.
PREPÚCIOGLANDE
Orifício
PrepucialRETRAÇÃO
PREPUCIAL NORMAL
FIMOSE
CLASSIFICAÇÃO DE Kayaba et al.
» Tipo I/A Leve retração sem que se veja a glande
» Tipo II/B Exposição do meato uretral com retração ligeiramente maior do
prepúcio
» Tipo III/C Exposição da glande até a sua parte média
» Tipo IV/D Exposição da glande até a coroa
» Tipo V Exposição fácil de toda a glande, incluindo o sulco balano-
prepucial, sem as aderências encontradas nos tipos anteriores
CLASSIFICAÇÃO DA
FIMOSE Kayaba et. al
FIMOSE
FIMOSE
CLASSIFICAÇÃO Kikiros, Beasley e Woodward.
» Grau 1: Retração completa, sem estreitamento atrás da glande. Podem
existir aderências congênitas à glande.
» Grau 2: Retração completa com estreitamento do mesmo atrás da
glande.
» Grau 3: Exposição parcial da glande, limitada pelo prepúcio.
» Grau 4: Retração discreta, mas não há exposição nem da glande, nem
do meato uretral.
» Grau 5: Nenhuma retração prepucial é possível
FIMOSE
A chamada fimose fisiológica [natural] é a situação
mais comumente verificada e trata-se na verdade de
aderências entre a glande e o prepúcio e que se
desfazem NATURALMENTE com o tempo.
ADERÊNCIA DO PREPÚCIO À
GLANDE FAZ PARTE DA
CHAMADA FIMOSE
FISIOLÓGICA
Somente a avaliação médica cuidadosa durante o exame físico é capaz de
diferenciar entre "fimose fisiológica" e "fimose patológica". Eventualmente,
durante o exame físico da criança para avaliar a existência do anel fibroso
esbranquiçado, a fimose fisiológica pode se resolver.
A fimose verdadeira não melhora com massagens ou
exercícios, muito pelo contrário piora cada vez que numa
manobra mais intensa provoca-se uma fissura ou
pequeno corte que posteriormente cicatriza fechando
ainda mais o anel. A fimose verdadeira é portanto de
tratamento cirúrgico e é muito importante que seja
reconhecida pelo pediatra e diferenciada das aderências
fisiológicas ou normais entre a glande e o prepúcio. Fontes:
Hebiatria – Jacques Crispin, p.204
Dr Alessandro Rossol (http://www.alessandrorossol.com.br)
Dr José Murillo Neto (http://www.uropedjf.com.br)
FIMOSE
Fimose
Fimose

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Instrumentais Cirúrgicos AULA 6
Instrumentais Cirúrgicos AULA 6Instrumentais Cirúrgicos AULA 6
Instrumentais Cirúrgicos AULA 6Aline Bandeira
 
Fisiologia e mecanismo do trabalho de parto
Fisiologia e mecanismo do trabalho de partoFisiologia e mecanismo do trabalho de parto
Fisiologia e mecanismo do trabalho de partoKaren Kaline
 
Raio x pós graduação
Raio   x pós graduaçãoRaio   x pós graduação
Raio x pós graduaçãoIapes Ensino
 
Exame físico geral 2017
Exame físico geral 2017Exame físico geral 2017
Exame físico geral 2017pauloalambert
 
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicina
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicinaBacia obstétrica - aula para graduação de medicina
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicinaPatricia de Rossi
 
Avaliação Cardiovascular
Avaliação CardiovascularAvaliação Cardiovascular
Avaliação Cardiovascularresenfe2013
 
Sinais do Raio X de Tórax
Sinais do Raio X de TóraxSinais do Raio X de Tórax
Sinais do Raio X de TóraxBrenda Lahlou
 
Hemograma em idosos (pacientes geriátricos)
Hemograma em idosos (pacientes geriátricos)Hemograma em idosos (pacientes geriátricos)
Hemograma em idosos (pacientes geriátricos)João Marcos
 
Semiologia de Abdome II
Semiologia de Abdome IISemiologia de Abdome II
Semiologia de Abdome IIpauloalambert
 
Desconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório NeonatalDesconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório Neonatalblogped1
 
Exame físico do coração
Exame físico do coraçãoExame físico do coração
Exame físico do coraçãogisa_legal
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consultablogped1
 
Semiologia 10 dermatologia - semiologia dermatológica pdf
Semiologia 10   dermatologia - semiologia dermatológica pdfSemiologia 10   dermatologia - semiologia dermatológica pdf
Semiologia 10 dermatologia - semiologia dermatológica pdfJucie Vasconcelos
 
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.AlambertPROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambertpauloalambert
 
Propedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonarPropedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonardapab
 

Mais procurados (20)

Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo UterinoColeta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
 
Instrumentais Cirúrgicos AULA 6
Instrumentais Cirúrgicos AULA 6Instrumentais Cirúrgicos AULA 6
Instrumentais Cirúrgicos AULA 6
 
Fisiologia e mecanismo do trabalho de parto
Fisiologia e mecanismo do trabalho de partoFisiologia e mecanismo do trabalho de parto
Fisiologia e mecanismo do trabalho de parto
 
Raio x pós graduação
Raio   x pós graduaçãoRaio   x pós graduação
Raio x pós graduação
 
Exame físico geral 2017
Exame físico geral 2017Exame físico geral 2017
Exame físico geral 2017
 
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicina
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicinaBacia obstétrica - aula para graduação de medicina
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicina
 
Avaliação Cardiovascular
Avaliação CardiovascularAvaliação Cardiovascular
Avaliação Cardiovascular
 
Exame físico geral
Exame físico geralExame físico geral
Exame físico geral
 
Sinais do Raio X de Tórax
Sinais do Raio X de TóraxSinais do Raio X de Tórax
Sinais do Raio X de Tórax
 
Hemograma em idosos (pacientes geriátricos)
Hemograma em idosos (pacientes geriátricos)Hemograma em idosos (pacientes geriátricos)
Hemograma em idosos (pacientes geriátricos)
 
Semiologia de Abdome II
Semiologia de Abdome IISemiologia de Abdome II
Semiologia de Abdome II
 
Desconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório NeonatalDesconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório Neonatal
 
Exame físico do coração
Exame físico do coraçãoExame físico do coração
Exame físico do coração
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
 
Abdome ll
Abdome llAbdome ll
Abdome ll
 
Semiologia 10 dermatologia - semiologia dermatológica pdf
Semiologia 10   dermatologia - semiologia dermatológica pdfSemiologia 10   dermatologia - semiologia dermatológica pdf
Semiologia 10 dermatologia - semiologia dermatológica pdf
 
Mecanismo do parto
Mecanismo do partoMecanismo do parto
Mecanismo do parto
 
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.AlambertPROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
 
Propedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonarPropedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonar
 
Apendicite
ApendiciteApendicite
Apendicite
 

Mais de Fabricio Batistoni (20)

Lavagem Nasal
Lavagem NasalLavagem Nasal
Lavagem Nasal
 
Lavagem Nasal 2
Lavagem Nasal 2Lavagem Nasal 2
Lavagem Nasal 2
 
Febre
FebreFebre
Febre
 
Tosse
TosseTosse
Tosse
 
Lavagem Nasal
Lavagem NasalLavagem Nasal
Lavagem Nasal
 
Prevenção de Acidentes
Prevenção de AcidentesPrevenção de Acidentes
Prevenção de Acidentes
 
ASMA na infância
ASMA na infânciaASMA na infância
ASMA na infância
 
Vacinação contra Covid-19
Vacinação contra Covid-19Vacinação contra Covid-19
Vacinação contra Covid-19
 
Saltos de desenvolvimento
Saltos de desenvolvimentoSaltos de desenvolvimento
Saltos de desenvolvimento
 
Consumo de Mel em Crianças
Consumo de Mel em CriançasConsumo de Mel em Crianças
Consumo de Mel em Crianças
 
Dislalia 2020
Dislalia 2020Dislalia 2020
Dislalia 2020
 
Introdução alimentar
Introdução alimentarIntrodução alimentar
Introdução alimentar
 
Dor de crescimento
Dor de crescimentoDor de crescimento
Dor de crescimento
 
Fica muito doente
Fica muito doenteFica muito doente
Fica muito doente
 
TDAH, Dislexia e Discalculia
TDAH, Dislexia e DiscalculiaTDAH, Dislexia e Discalculia
TDAH, Dislexia e Discalculia
 
TDAH para Educadores
TDAH para EducadoresTDAH para Educadores
TDAH para Educadores
 
TDAN mitos e verdades
TDAN mitos e verdadesTDAN mitos e verdades
TDAN mitos e verdades
 
Desenvolvimento da linguagem
Desenvolvimento da linguagemDesenvolvimento da linguagem
Desenvolvimento da linguagem
 
Imunoterapia
ImunoterapiaImunoterapia
Imunoterapia
 
Melatonina e sono
Melatonina e sonoMelatonina e sono
Melatonina e sono
 

Fimose

  • 1. » Fimose é uma condição na qual a abertura prepúcio é tão estreita [estenose] que a cabeça do pênis [glande] não pode ser exposta. » Em linguagem leiga, “fimose” é quando você não consegue “arregaçar” o pênis para expor a “cabeça”. PREPÚCIOGLANDE Orifício PrepucialRETRAÇÃO PREPUCIAL NORMAL FIMOSE
  • 2. CLASSIFICAÇÃO DE Kayaba et al. » Tipo I/A Leve retração sem que se veja a glande » Tipo II/B Exposição do meato uretral com retração ligeiramente maior do prepúcio » Tipo III/C Exposição da glande até a sua parte média » Tipo IV/D Exposição da glande até a coroa » Tipo V Exposição fácil de toda a glande, incluindo o sulco balano- prepucial, sem as aderências encontradas nos tipos anteriores CLASSIFICAÇÃO DA FIMOSE Kayaba et. al FIMOSE
  • 3. FIMOSE CLASSIFICAÇÃO Kikiros, Beasley e Woodward. » Grau 1: Retração completa, sem estreitamento atrás da glande. Podem existir aderências congênitas à glande. » Grau 2: Retração completa com estreitamento do mesmo atrás da glande. » Grau 3: Exposição parcial da glande, limitada pelo prepúcio. » Grau 4: Retração discreta, mas não há exposição nem da glande, nem do meato uretral. » Grau 5: Nenhuma retração prepucial é possível
  • 4. FIMOSE A chamada fimose fisiológica [natural] é a situação mais comumente verificada e trata-se na verdade de aderências entre a glande e o prepúcio e que se desfazem NATURALMENTE com o tempo. ADERÊNCIA DO PREPÚCIO À GLANDE FAZ PARTE DA CHAMADA FIMOSE FISIOLÓGICA
  • 5. Somente a avaliação médica cuidadosa durante o exame físico é capaz de diferenciar entre "fimose fisiológica" e "fimose patológica". Eventualmente, durante o exame físico da criança para avaliar a existência do anel fibroso esbranquiçado, a fimose fisiológica pode se resolver. A fimose verdadeira não melhora com massagens ou exercícios, muito pelo contrário piora cada vez que numa manobra mais intensa provoca-se uma fissura ou pequeno corte que posteriormente cicatriza fechando ainda mais o anel. A fimose verdadeira é portanto de tratamento cirúrgico e é muito importante que seja reconhecida pelo pediatra e diferenciada das aderências fisiológicas ou normais entre a glande e o prepúcio. Fontes: Hebiatria – Jacques Crispin, p.204 Dr Alessandro Rossol (http://www.alessandrorossol.com.br) Dr José Murillo Neto (http://www.uropedjf.com.br) FIMOSE