Seleção Sexual e Reprodução

1.930 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.930
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seleção Sexual e Reprodução

  1. 1. 1
  2. 2. EM DARWIN Todos os organismos buscam atingir o sucesso reprodutivo: capacidade de machos e fêmeas de deixar descendentes férteis que consigam se reproduzir. O sucesso reprodutivo dos machos está limitado ao potencial reprodutivo da fêmea. Sendo assim, um sexo passa a limitar o sucesso reprodutivo do outro. 2
  3. 3. ESTRATÉGIAS REPRODUTIVAS Conjunto de comportamentos que expressam os mecanismos de escolha de competição e a competição pelos parceiros para o acasalamento e, consequentemente, para reproduzir. Essas diferenças se iniciam no momento em que se inicia o interesse de machos e fêmeas. 3
  4. 4. ESTRATÉGIAS REPRODUTIVAS Homens e mulheres são expostos a cargas hormonais diferentes durante o período pré-natal e durante a adolescência, desenvolvendo características distintas, resultando em comportamentais características distintas, morfofisiológicas fornecendo pistas e e disponibilidade para o acasalamento. 4
  5. 5. MECANISMO DE SELEÇÃO SEXUAL Pressuposto básico: existem diferenças na capacidade de competir com outros indivíduos do mesmo sexo ou do sexo oposto por melhores parceiros para o acasalamento e na habilidade para atraí-los. 5
  6. 6. MECANISMO DE SELEÇÃO SEXUAL Resultado: machos e fêmeas, em maior ou menor grau, competem ou escolhem seus parceiros, ou apresentam ambas as estratégias. Exemplos: Bonobos, Gorilas, Cercopitecos e babuínos. 6
  7. 7. MECANISMO DE SELEÇÃO SEXUAL Exemplos: Bonobos, Gorilas, Cercopitecos e babuínos. 7
  8. 8. MECANISMO DE SELEÇÃO SEXUAL Foi considerada a teoria menos interessante de Darwin: • Competição entre machos (seleção intrasexual) e escolha pelas fêmeas (seleção intersexual). 8
  9. 9. TEORIAS POSTERIORES Ronald A. Fisher: Seleção Desenfreada ou Teoria do Bom Gosto/Filho Sexy. Característica Naturalmente Atraente Indivíduos com esta característica selecionados Traço Exagerado Durante as Gerações 9
  10. 10. TEORIAS POSTERIORES Amortz Zahavi: Princípio da Desvantagem/Bom Senso. Traço Exagerado e Sobrevivência Qualidade enquanto parceiro e genética Indivíduo e seus traços são selecionados. 10
  11. 11. TEORIAS POSTERIORES Hamilton e Zuk: Filho Saudável. Traço indica sua condição nutricional e ausência de doença Qualidade genética Indivíduo e seus traços são selecionados. 11
  12. 12. MECANISMOS DE SELEÇÃO SEXUAL • Rapidez com a qual o indivíduo pode gerar descendente; • Razão entre número de machos e fêmeas sexualmente ativos num dado momento; • Cuidado parental; • Relação entre estes fatores que passam a determinar os padrões de escolha e competição pelos parceiros sexuais. 12
  13. 13. ESTRATÉGIAS SEXUAIS EM HUMANOS • Similaridades: gentileza/compreensão; inteligência; 13
  14. 14. ESTRATÉGIAS SEXUAIS EM HUMANOS Homens • Parceiras inteligentes; • Compatíveis; • ATRATIVAS FISICAMENTE Mulheres • Ombros mais largos do que a cintura e o quadril. • Queixo e maçãs do rosto proeminentes. • Razão entre Circunferência da • Status Social. cintura e do Quadril. • Distribuição Gordura• Disponibilidade de investimento Corporal é um indicador da na estrutura familiar. de competência reprodutiva. • Preferências mudam de acordo com o período do ciclo. 14
  15. 15. ESTRATÉGIAS SEXUAIS EM HUMANOS • Só que os homens também cuidam dos filhos... • “Neste caso, em vez de papéis típicos de machos e fêmeas, os seres humanos passam a apresentar um tipo de estratégia mista, que envolve tanto a competição como a escolha do parceiro, por ambos os sexos.” 15
  16. 16. SOCIOSSEXUALIDADE • Diferenças individuais na disposição de envolver-se em relações sexuais sem intimidade, compromisso ou outro indicador orientação de ligação emocional, a sociossexual irrestrita qual à varia de orientação sociossexual restrita. 16
  17. 17. SOCIOSSEXUALIDADE O que pode influenciar as estratégias sexuais a aptidão abrangente de um indivíduo: 1. Capacidade e disposição de investimento na prole; 2. Recursos genéticos e sociais de um parceiro; 3. Exclusividade em parcerias reprodutivas. 17
  18. 18. DINÂMICA SOCIOSSEXUAL ENTRE HUMANOS Preferência pelo parceiro sexual pelas mulheres é influenciado pelo status social. Atributos pessoais e comportamentais, que sinalizam a habilidade e disposição de investimento de longo prazo na parceira e sua prole, como a estabilidade e satisfação emocional, inteligência e fidelidade, também são elementos envolvidos na escolha pelas mulheres (elas competem se utilizando de táticas que depreciam os atributos físicos e/ou morais das oponentes, boatos e exclusão do grupo social). 18
  19. 19. HUMANOS Monogamia: associada ao tipo de região habitada, aos recursos ecológicos disponíveis e às relações socioeconômicas  regiões inóspitas e com limitação de recursos ecológicos. Sucesso reprodutivo do homem: permanência junto à parceira é importante, afinal, quem vai cuidar do filho? Monogamia seriada: envolvimento em vários relacionamentos monogâmicos sucessivos. Nessa condição os homens podem ter maior sucesso reprodutivo. 19
  20. 20. TEORIA DAS ESTRATÉGIAS SEXUAIS 20
  21. 21. RESUMO Os tipos de união entre homens e mulheres e as estratégias reprodutivas associadas a estes relacionamentos, tanto de curta como de longa duração, refletem predisposições biológicas e são influenciados por variáveis sociais, ecológicas, culturais e socioeconômicas na sua expressão 21
  22. 22. CONSUMO • Carros: diferença no comportamento entre homens e mulheres. Diferença entre hormônios. Coleção de carros. Beleza dos homens muda de acordo com o carro? • Presentear e Cortejo: Ida a restaurantes. Preço do presente e do restaurante influenciam em alguma coisa? • Ciclo Menstrual: Tipo e quantidade de Comida. Preferência por roupas. • Roupas: economia indo mal aumenta o uso de roupas curtas, produtos de beleza e uso de salto. 22

×