SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais

868 visualizações

Publicada em

Interoperabilidade de linguagens documentais: Simple Knowledge Organization System (SKOS).
Linguagens Documentais Alfabéticas - Prof. Walter Moreira
Biblioteconomia – UNESP, Campus de Marília, 2015

Publicada em: Internet
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
868
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
423
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais

  1. 1. Fabrício Silva Assumpção Linguagens Documentais Alfabéticas - Prof. Walter Moreira Biblioteconomia – UNESP, Campus de Marília, 2015 Interoperabilidade de linguagens documentais: Simple Knowledge Organization System (SKOS)
  2. 2. Interoperabilidade  Interoperabilidade: capacidade de dois ou mais sistemas [diferentes] trocarem dados.  Por que precisamos de interoperabilidade entre LDs?  Sistemas de descoberta (busca integrada), junção de diferentes bases de dados e/ou diferentes LDs, múltiplos idiomas, etc. (ANSI/NISO Z39.19-2005, 2010, p. 83)
  3. 3. Formato MARC 21 para Dados de Autoridade  Descende do primeiro formato MARC, criado no final da década de 1960.  Tem como foco as listas de cabeçalhos de assunto, embora possibilite também a inclusão das relações utilizadas nos tesauros.  Utilizado nos principais sistemas de gerenciamento de bibliotecas.
  4. 4. Simple Knowledge Organization System (SKOS)  Sistemas de Organização do Conhecimento  “Sistema simples de organização do conhecimento”  Recomendação do World Wide Web Consortium (W3C) em 2009.  SKOS Primer e SKOS Reference
  5. 5. Simple Knowledge Organization System (SKOS)  “O Simple Knowledge Organization System (SKOS) é um vocabulário RDF para representação de sistemas de organização do conhecimento semi-formais, tais como tesauros, taxonomias, sistemas de classificação e listas de cabeçalhos de assunto.  Uma vez que o SKOS é baseado no Resource Description Framework (RDF) essas representações são legíveis por máquina e podem ser intercambiadas entre aplicações de software e publicadas na World Wide Web.” (SKOS Primer, 2009, 1, tradução nossa)
  6. 6. Modelo de dados RDF é um é um é um é da cor Um cachorro mamífero Snoopy cachorro Um mamífero animal Snoopy branca Recurso Propriedade Valor Snoopy Cachorro Cachorro Mamífero Mamífero Animal Snoopy branca
  7. 7. Modelo de dados RDF é um é um Cachorrohttp://exemplo.com/cachorro Animalhttp://exemplo.com/animal Mamíferohttp://exemplo.com/mamifero http://www.w3.org/1999/02/22-rdf-syntax-ns#type http://www.w3.org/1999/02/22-rdf-syntax-ns#type skos:Concept skos:prefLabel skos:altLabel skos:hiddenLabel skos:broader skos:narrower skos:related skos:ConceptScheme skos:inScheme skos:exactMatch skos:closeMatch skos:broadMatch skos:narrowMatch skos:relatedMatch
  8. 8. Simple Knowledge Organization System (SKOS)  “O Simple Knowledge Organization System (SKOS) é um vocabulário RDF para representação de sistemas de organização do conhecimento semi-formais, tais como tesauros, taxonomias, sistemas de classificação e listas de cabeçalhos de assunto.  Uma vez que o SKOS é baseado no Resource Description Framework (RDF) essas representações são legíveis por máquina e podem ser intercambiadas entre aplicações de software e publicadas na World Wide Web.” (SKOS Primer, 2009, 1, tradução nossa)
  9. 9. Conceitos e termos <http://www.tesauro.com/01> rdf:type skos:Concept. @prefix te: <http://www.tesauro.com/> . te:01 rdf:type skos:Concept. te:01 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “cachorro”@pt; skos:prefLabel “dog”@en. (SKOS Primer, 2009)
  10. 10. Relações de equivalência te:01 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “cachorro”@pt; skos:prefLabel “dog”@en; skos:altLabel “cão”@pt; skos:altLabel “Canis lupus familiaris”@pt. te:02 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “meteorologista”@pt; skos:hiddenLabel “metereologista”@pt. UP (SKOS Primer, 2009)
  11. 11. Relações hierárquicas te:01 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “cachorro”@pt; skos:prefLabel “dog”@en; skos:altLabel “cão”@pt; skos:altLabel “Canis lupus familiaris”@pt; skos:broader te:03. te:03 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “canídeos”@pt; skos:narrower te:01. TG TE (SKOS Primer, 2009)
  12. 12. Relações associativas te:04 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “dengue”@pt; skos:related te:05. te:05 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “Aedes aegypti”@pt; skos:related te:04. TR TR (SKOS Primer, 2009)
  13. 13. Notas  skos:scopeNote (Nota de escopo)  skos:definition (Nota de definição)  skos:example (Nota de exemplo)  skos:historyNote (Nota histórica) te:06 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “metais alcalinos”@pt; skos:scopeNote “Utilize para os metais: lítio (Li), sódio (Na), potássio (K) , rubídio (Rb), césio (Cs) e frâncio (Fr).”@pt. (SKOS Primer, 2009)
  14. 14. Esquemas de conceitos  São utilizados para agrupar os conceitos que pertencem a um mesmo sistema de organização do conhecimento. @prefix dct: <http://purl.org/dc/terms/> . te:tesauroAnimais rdf:type skos:ConceptScheme; dct:title “Tesauro de animais”@pt; dct:creator “Fabrício Silva Assumpção”. (SKOS Primer, 2009)
  15. 15. Esquemas de conceitos te:01 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “cachorro”@pt; skos:broader te:03; skos:inScheme te:tesauroAnimais. te:03 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “canídeos”@pt; skos:narrower te:01; skos:inScheme te:tesauroAnimais. (SKOS Primer, 2009)
  16. 16. Relações entre linguagens  “Na Web Semântica, o verdadeiro potencial dos dados é notado quando eles estão interligados. Quando conceitos de diferentes esquemas são conectados começam a formar um esquema de conceitos global, distribuído e heterogêneo.” skos:exactMatch skos:closeMatch skos:broadMatch skos:narrowMatch skos:relatedMatch (SKOS Primer, 2009, tradução nossa)
  17. 17. Correspondência exata <http://id.loc.gov/authorities/subjects/sh85038796> rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “Dogs”@en. te:01 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “cachorro”@pt; skos:inScheme te:tesauroAnimais; skos:exactMatch lcsh:sh85038796. @prefix lcsh: <http://id.loc.gov/authorities/subjects/> . lcsh:sh85038796 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “Dogs”@en. (SKOS Primer, 2009)
  18. 18. Relações entre linguagens  Fatores que devem ser considerados:  A similaridade de conceitos entre diferentes domínios.  O uso de diferentes LDs para a indexação de documentos em um mesmo domínio.  O grau de especificidade ou granularidade das LDs.  As diferenças no modo com que sinônimos e quase- sinônimos são tratados nas LDs.  O uso da pré e da pós-coordenação.  As garantias literária, organizacional e de uso utilizadas na criação das LDs.  O propósito dos sistemas. (ANSI/NISO Z39.19-2005 (R2010), 2010, p. 84)
  19. 19. Recursos avançados  skos:Collection  Permite o agrupamento de conceitos com a inclusão de um rótulo de nó.  skos:OrderedCollection e skos:memberList  Permite o agrupamento de conceitos em uma ordem específica.  skosxl:Label e skosxl:labelRelation  Permite o relacionamento entre rótulos.  skos:notation  Permite a inclusão de notações. (SKOS Primer, 2009)
  20. 20. Exemplos  VTArq  http://profwalter.com.br/vtarq/vocab/index.php?tema=17 6  Biblioteca Nacional da Espanha  http://datos.bne.es/tema/XX525300.html  LCSH  http://id.loc.gov/authorities/subjects/sh85113862  AGROVOC Multilingual agricultural thesaurus  http://aims.fao.org/skosmos/agrovoc/en/page/c_6599
  21. 21. Resumindo...  Benefícios da utilização do SKOS:  Possibilidade de compartilhamento das LDs.  Possibilidade de expressar relações entre LDs.  Possibilidade de tornar as LDs legíveis (processáveis) por softwares.  Possibilidade de publicar LDs na Web.
  22. 22. Referências  AMERICAN NATIONAL STANDARDS INSTITUTE. ANSI/NISO Z39.19-2005 (R2010): Guidelines for the construction, format and management of monolingual controlled vocabularies. Baltimore, 2010.  CATARINO, M. E. Simple Knowledge Organization System: construindo sistemas de organização do conhecimento no contexto da Web Semântica. Informação & Tecnologia, João Pessoa, v. 1., n. 1. p. 17-28, jan./jun. 2014. Disponível em: <http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/itec/article/view/19307>. Acesso em: 01 set. 2015.  FERREIRA, J. A.; SANTOS, P. L. V. A. da C. O modelo de dados Resource Description Framework (RDF) e o seu papel na descrição de recursos. Informação & Sociedade: estudos, v. 23, n. 2, p. 13-23, 2013. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.6084/m9.figshare.1116375 >. Acesso em: 01 set. 2015.
  23. 23. Referências  PASTOR SANCHEZ, J. A.; MARTÍNEZ MENDEZ, F. J.; RODRIGUÉZ MUÑOZ, J. V. Advantages of thesaurus representation using the Simple Knowledge Organization System (SKOS) compared with proposed alternatives. Information Research, v. 14, n. 4, paper 422, 2009. Disponível em: <http://www.informationr.net/ir/14-4/paper422.html>. Acesso em: 01 set. 2015.  W3C. RDF 1.1 Primer. Cambridge, 2014. Disponível em: <http://www.w3.org/TR/2014/NOTE-rdf11-primer-20140624/>. Acesso em: 01 set. 2015.  W3C. SKOS Simple Knowledge Organization System: Primer. Cambridge, 2009. Disponível em: <http://www.w3.org/TR/skos-primer/>. Acesso em: 01 set. 2015.  W3C. SKOS Simple Knowledge Organization System: Reference. Cambridge, 2009. Disponível em: <http://www.w3.org/TR/skos- reference/>. Acesso em: 01 set. 2015.
  24. 24. Fabrício Silva Assumpção Linguagens Documentais Alfabéticas - Prof. Walter Moreira Biblioteconomia – UNESP, Campus de Marília, 2015 Obrigado!

×