SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 44
Fórum de Discussões da
Biblioteca de Estudos e Aplicação de Metadados
26 de novembro de 2012




             Conversão de registros
    Um modelo baseado em folhas de estilo XSLT



                   Fabrício Silva Assumpção
                  Bolsista CAPES – Mestrado, PPGCI/Unesp

            Orientadora: Plácida   L. V. A. da C. Santos
Sumário


   Introdução
   Formatos MARC 21
   ISO 2709
   MARCXML
   Experimento com o Formato PHL
   Modelo para a conversão
   Considerações parciais
Padrões
bibliográficos




 (Picco; Ortiz Repiso, 2012, p. 149)
Introdução

   Formatos MARC 21: padrões de metadados
    internacionalmente utilizados no domínio
    bibliográfico.
   Dados bibliográficos, de autoridade, de itens, de
    classificação e informação comunitária.
   Sistemas de gerenciamento de bibliotecas que não
    possibilitam a exportação de registros nos Formatos
    MARC 21 (ou de acordo com padrões que atualmente
    possam ter seus registros convertidos para registros
    nos Formatos MARC 21).
OpenBiblio
Introdução



   Dificuldade na integração dos registros de uma
    biblioteca aos milhões de registros MARC 21
    existentes.
   Participação limitada nos programas de catalogação
    cooperativa.
   Dificuldades na migração de sistemas.
Problema



   Diante do número de sistemas de gerenciamento de
    bibliotecas que não oferecem os Formatos MARC 21
    como opção para a exportação de registros, tem-se
    como problema:
   Como converter os registros exportados por esses
    sistemas em registros nos Formatos MARC 21?
Objetivos



   Elaborar um modelo para a conversão de registros de
    distintos formatos de base XML em registros nos
    Formatos MARC 21 por meio de folhas de estilo
    Extensible Stylesheet Language for Transformation
    (XSLT), tendo como exemplo registros no Formato
    PHL codificados com a XML.
Formatos MARC 21




   Década de 1960: Necessidade de um formato que
    tornasse as fichas catalográficas da Library of
    Congress (LC) processáveis por computador.

   Formato MARC I, MARC II, USMARC, MARC 21.
Codificação com a ISO 2709
Codificação com a SGML


   Standard Generalized Markup Language (SGML)
   DTDs SGML para a codificação de registros MARC 21.
   Um elemento SGML para cada campo e subcampo.
   <mrcb245>, <mrcb245-a>, <mrcb245-b>, etc.
   <mrcb-title-and-title-related>, <mrcb-subject-access>, etc.
   Para os campos de controle foram especificados elementos
    para cada posição de caractere.
   Essa abordagem resultou em DTDs extremamente extensas e
    complexas.
                                             (Eito Brun, 2008, p. 153)
Extensible Markup Language (XML)


   Extensible Markup Language (XML) – W3C, 1998.

   “Estritamente falando, a XML não é uma linguagem de
    marcação. Uma linguagem tem vocabulário e gramática
    fixados, a XML na verdade não define qualquer elemento.
   Em vez disso ela estabelece uma série de restrições sintáticas
    sob as quais você pode construir sua própria linguagem.
    Assim, uma descrição mais adequada seria chamar a XML de
    um kit de ferramentas para linguagem de marcação.”

                                        (Ray, 2003, p. 6, tradução nossa)
Extensible Markup Language (XML)


<?xml version="1.0"?>
<agenda>
    <contato>
        <nome>Fabrício Silva Assumpção</nome>
        <email>assumpcao.f@gmail.com</email>
        <telefone type="residencial">1234567890</telefone>
        <endereco>
             <rua>Rua Brasil</rua>
             <numero>150</numero>
             <cep>17526-000</cep>
             <cidade state="SP">Marília</cidade>
        </endereco>
    </contato>
</agenda>
Extensible Markup Language (XML)

<?xml version="1.0"?>
<agenda:agenda
xmlns:agenda="http://www.agenda.com/schema"
xmlns:person="http://www.persondata.com/schema">
    <agenda:contato>
         <agenda:nome>Fabrício Silva Assumpção</agenda:nome>
         <agenda:email>assumpcao.f@gmail.com</agenda:email>
         <person:website>http://www.fabricioassumpcao.com</person:website>
         <person:photo>http://www.fabricioassumpcao.com/foto.jpg</person:photo>
         <agenda:telefone type="residencial">1234567890</agenda:telefone>
         <agenda:endereco>
              <agenda:rua>Rua Brasil</agenda:rua>
              <agenda:numero>150</agenda:numero>
              <agenda:cep>17526-000</agenda:cep>
              <agenda:cidade state="SP">Marília</agenda:cidade>
         </agenda:endereco>
         <person:occupation>estudante</person:occupation>
    </agenda:contato>
</agenda:agenda>
Codificação com a XML (DTD)




   DTDs XML para a codificação de registros MARC 21.
   Mesma abordagem utilizada nas DTDs SGML.
   Se impressas, as duas DTDs XML corresponderiam a
    um documento com mais de 600 páginas
    (Siqueira, 2003, p. 83).
Codificação com a XML

   XML: uma codificação universalmente aceita, mais simples que a
    provida pela ISO 2709 e de processamento mais fácil, o que resulta em
    uma menor complexidade no desenvolvimento de aplicações
    informáticas para o processamento de registros MARC.
   Evitar a segregação do MARC frente a outros padrões de metadados
    projetados para a Web e que prometiam tornarem-se grandes
    protagonistas no ambiente das bibliotecas digitais.
   Manter a codificação tradicional do MARC como o único meio para a
    transferência de registros influenciaria negativamente nas
    possibilidades de intercambiar informações e de expor as descrições a
    outros serviços de informação.
                                                      (Eito Brun, 2008, p. 152)
Codificação com a XML (MARCXML)



   XML Schema – W3C, 2001
   Linguagem utilizada na criação de documentos que
    desempenham funções semelhantes às
    desempenhadas por uma DTD, no entanto, projetada
    para a e seguindo a XML.
   MARC 21 XML Schema, mais conhecido como
    MARCXML – LC, 2002
Codificação com a XML (MARCXML)


   Abordagem diferente da utilizada na criação das DTDs.
   Ao invés de criar um elemento para cada campo e subcampo, foram
    criados elementos XML para os diferentes tipos de elementos do
    MARC 21 (leader, controlfield, datafield e subfield), sendo que as
    tags dos campos, os indicadores e os códigos de subcampos
    definidos nos Formatos MARC 21 seriam indicados por meio de
    atributos XML.
   O resultado foi um esquema único e mais simples para todos os
    tipos de registros MARC 21 (bibliográfico, de autoridade, etc.).
                                                  (Eito Brun, 2008, p. 154)
Codificação com a XML (MARCXML)


<marc:collection>

   <marc:record type="">

       <marc:leader> </marc:leader>
       <marc:controlfield tag="00X"> </marc:controlfield>

       <marc:datafield tag="XXX" ind1=" " ind2=" ">

          <marc:subfield code="x"> </marc:subfield>

       </marc:datafield>

   </marc:record>

</marc:collection>

                                            (Siqueira, 2003, p. 88)
Codificação de registros MARC 21
                                                                    Regras de
                      Conteúdo                               catalogação, elementos e
                                                                   vocabulários

                                                             Padrões de metadados:
               Designação do conteúdo                          Formatos MARC 21

                      Estrutura


Codificação   Codificação                               Opções para a codificação
                            Codificação   Codificação
 com a ISO      com a
                            com a XML     com a XML
                                                                 de registros nos
   2709         SGML                                          Formatos MARC 21




                                                         Documentos que provêm
                                          MARCXML            especificações sobre
ISO 2709      DTD SGML       DTD XML
                                           Schema
                                                                    a codificação
Experimento com o Formato PHL


   Personal Home Library (PHL)
   Número de bibliotecas: 3167*
   PHLopac.net: 5.497.948 registros
   Aplicativo gerenciador de bases de dados ISI
   Não oferece os Formatos MARC 21 como opções para
    a exportação.
   Formato PHL
                                       *www.elysio.com.br
001   Código da Biblioteca          034   Suplemento                            071 Tipo de Conteúdo
002   Identificação do título       035   ISSN                                  072 Total de Referências
003   Classificação                 038   Informação Descritiva do Suporte      074 Alcance Temporal Desde
004   Bases de dados                039   Nível de descrição arquivística       075 Alcance Temporal Até
005   Tipo de Documento                                                         076 Descritor Pré codificado
                                    040   Idiomas do Texto
006   Nível Bibliográfico                                                       078 Indivíduo como Tema
                                    041   Idioma do Resumo
007   Tombos                                                                    079 Bibliografia de cursos
                                    043   Povo
008   Meio Eletrônico                                                           082 Outras Localidades
009   Separata                      050   Instituição da Tese
                                                                                083 Resumo
010   Autor da parte                051   Notas de tese / dissertação
                                                                                084 Código HTML
011   Autor Coletivo da parte       052   Instituição patrocinadora do evento
                                                                                085 Área do Conhecimento
012   Título e Subtítulo da parte   053   Nome do evento
                                                                                086 Notas de conteúdo
013   Título traduzido da parte     054   Data do Evento
                                                                                087 Descritores de conteúdo
014   Intervalo de Páginas          055   Data padronizada do evento
                                                                                088 Descritores Secundários
015   Créditos ou Ementa            056   Local do Evento
                                                                                089 Observações do Bibliotecário
016   Autor                         057   País do evento
                                                                                090 Disponibilidade
017   Autores Coletivos             058   Patrocinadores do Projeto
                                                                                091 Nível da restrição
018   Título                        059   Nome do Projeto de Pesquisa
019   Título traduzido                                                          096 Código HTML restrito
                                    060   Número do Projeto de Pesquisa         103 Cutter / PHA
020   Total de Páginas              061   Notas Gerais
021   Volume                                                                    105 Gênero documental
                                    062   Editora                               121 Créditos ou Ementa
022   Suporte
                                    063   Edição                                141 Informação Descritiva da parte
026   Tipo de Coleção
                                    064   Data de Publicação                    181 Subtítulo
027   Total de volumes
028   Procedência do documento      065   Data de Publicação Padronizada        182 Subtítulo da Série
029   Divulgar                      066   Cidade de Publicação                  186 Comentários WIKI Folksonomia
030   Título da Série               067   País de Publicação                    996 Identificação do Todo
031   Ano e/ou volume               068   Símbolo                                   Cópia de segurança do MFN do
                                                                                998
032   Fascículo                     069   ISBN                                      registro
033   N. Kardex                     070   Imagem do Objeto                      999 Datas de Controle
Codificação de
registros PHL com a
  XML (“PHLXML”)
Conversão de PHL para MARC 21 Bib.
                   Cenário de origem     Cenário intermediário    Cenário de destino
       Conteúdo




                      Regras de               Regras de               Regras de
                     catalogação,        catalogação, vocabu     catalogação, vocabu
                   vocabulários, etc.         lários, etc.            lários, etc.

                                 1ª Conversão
Designação do
  conteúdo




                                          Formato MARC 21         Formato MARC 21
                     Formato PHL             para Dados              para Dados
                                            Bibliográficos          Bibliográficos

                                                         2ª Conversão
       Estrutura




                         XML                     XML                    ISO 2709
Mapeamento




Documentação do                Documentação do
Formato MARC 21                  Formato PHL




                   Correspondências
                  entre os elementos
                   dos dois formatos
Mapeamento


   O padrão de metadados (PHL, MARC 21, etc.) influencia na
    utilização dos instrumentos de descrição (regras de
    catalogação e vocabulários).

   Campos correspondentes; Campos provavelmente
    correspondentes; Campos do PHL sem correspondentes
    (mapeáveis e não mapeáveis).

   Necessidade de criar campos obrigatórios a partir de
    valores padrão.
   Prover orientações adicionais.
Mapeamento

   Considerar a granularidade dos padrões.
   O padrão de destino com granularidade mais fina que o padrão de
    origem:
       (1) a presença, em um mesmo elemento, de dados que poderiam estar
        registrados em diferentes elementos;
       (2) dados que, por terem seu significado dado de forma genérica no padrão
        de origem, não podem fazer uso, de forma automática, da especificidade
        provida pelo padrão de destino.
Mapeamento


Situação de
                016 Freire, Paulo, 1921-1997
   origem




   Situação                                           Diferentes dados
resultante da   100 1# $aFreire, Paulo, 1921-1997      em um mesmo
  conversão                                              subcampo


                                                      Diferentes dados
  Situação
   “ideal”
                100 1# $aFreire, Paulo, $d1921-1997    em subcampos
                                                         diferentes
Mapeamento
Folha de estilo

   Extensible Stylesheet Language for Transformation (XSLT)
   Linguagem Extensível para Folha de Estilo de Transformação
   W3C, 1999 (1.0), 2007 (2.0)




        Correspondências          Folha de estilo
                                                           Documentação do
       entre os elementos              XSLT                   MARCXML
        dos dois formatos




            http://fabricio.wikincat.org/xslt/phl2marc21-1-0beta.xsl
Folha de estilo
Folha de estilo
Folha de estilo




                  Atualmente: 935 linhas
1ª Conversão: PHL para MARC 21 Bib.

   Mudança de padrão de metadados
   A codificação permanece a mesma: XML
   Processador XML que para a transformação com XSLT 2.0
   MarcEdit
                     Folha de estilo
                          XSLT


     Registros                         Registros
     PHLXML                            MARCXML


                   Validação                            Validação
                    sintática                           semântica
                 (do MARCXML)                           (dos dados)
2ª Conversão: XML para ISO 2709

   Mudança da codificação
   Aplicativo para a conversão de registros MARC 21 (MARCXML)
    em MARC 21 (ISO 2709)
   MarcEdit



         Registros                              Registros
         MARCXML                                ISO 2709
Modelo

                Regras de
         catalogação, vocabulário
                  s, etc.


Documentação
                              Documentação
 do Formato
                               do formato Z
  MARC 21


                Correspondências               Folha de estilo   Documentação
               entre os elementos                   XSLT         do MARCXML
                dos dois padrões



                                                                                Conversor
                        Registros no                             Registros                        Registros
                       formato Z-XML                             MARCXML                          ISO 2709


 Banco de dados                               Processador XML

                                       Validação sintática                          Validação semântica
                                              (do MARCXML)                          (dos dados)
Considerações parciais


   A mudança de codificação não implica na perda de
    dados.
   A mudança de padrão de metadados implica na
    perda de dados.
   As regras de catalogação e os vocabulários utilizados
    no preenchimento dos valores dos metadados de um
    padrão devem ser considerados na conversão de
    registros.
Considerações parciais
                    Cenário de origem     Cenário intermediário    Cenário de destino
       Conteúdo




                        Regras de              Regras de               Regras de
                   catalogação, vocabu    catalogação, vocabu     catalogação, vocabu
                        lários, etc.           lários, etc.            lários, etc.

                                  1ª Conversão
Designação do
  conteúdo




                                           Formato MARC 21         Formato MARC 21
                      Formato PHL             para Dados              para Dados
                                             Bibliográficos          Bibliográficos

                                                          2ª Conversão
       Estrutura




                          XML                     XML                    ISO 2709
Considerações parciais


   Não se pretende que o profissional da Ciência da Informação
    seja um especialista na construção de folhas de estilo, mas sim
    que tal profissional conheça as tecnologias desenvolvidas pela
    Ciência da Computação que podem ser úteis ao seu trabalho.

   O modelo proposto tem como ponto forte o delineamento da
    interação e da integração de profissionais da Ciência da
    Informação e da Ciência da Computação, cada qual atuando
    em sua área de competência de forma interdisciplinar, na
    tarefa de conversão de registros catalográficos.
Referências

ALVES, R. C. V. Metadados como elementos do processo de catalogação. 2010. 132 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação)
– Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2010.
ALVES, R. C. V.; SIMIONATO, A. C.; SANTOS, P. L. V. A. C. Aspectos de granularidade na representação da informação no universo
bibliográfico. In: ENACAT, 1., 2012, Rio de Janeiro. Anais...Rio de Janeiro: GEPCAT, 2012. Disponível em:
<http://pt.scribd.com/doc/109274547/Aspectos-de-granularidade-na-representacao-da-informacao-no-universo-bibliografico>.
Acesso em: 04 nov. 2012.
AVRAM, H. D. Machine-Readable Cataloging (MARC) Program. In: ENCYCLOPEDIA of Library and Information Science. New York:
Marcel Dekker, 2003. p. 1712-1730. Disponível em: <http://polaris.gseis.ucla.edu/gleazer/260_readings/Avram.pdf>. Acesso em:
14 out. 2012.
AVRAM, Henriette D. The MARC Pilot Project: Final Report on a Project Sponsored by The Council on Library Resources, Inc.
Washington, D.C.: Library of Congress, 1968. Disponível em: <http://www.eric.ed.gov/ERICWebPortal/detail?accno=ED029663>.
Acesso em: 21 abr. 2012.
CAFÉ, Lígia; SANTOS, Christophe dos; MACEDO, Flávia. Proposta de um método para escolha de software de automação de
bibliotecas. Ciência da Informação, v. 30, n. 2, p. 70-79, maio/ago. 2001.
CÔRTE, Adelaide Ramos e. Automação de bibliotecas e centros de documentação: o processo de avaliação e seleção de softwares.
Ciência da Informação, Brasília, v. 28, n. 3, p. 241-256, set./dez. 1999.
COYLE, K. Future considerations: the functional library systems record. Library Hi Tech, n. 22, v. 2, p. 166-174, 2004.
DANSKIN, A. Mature consideration: developing bibliographic standards and maintaining values. New Library World, n. 105, v.
3/4, p. 113-117, 2004.
EITO BRUN, R. Lenguajes de marcas para la gestión de recursos digitales: aproximación técnica, especificaciones y referencia.
Gijón: Trea, 2008.
GORMAN, M. What is the future of cataloguing and cataloguers? In: IFLA GENERAL CONFERENCE, 63., 1997, Copenhagen.
Conference Programme and Proceedings. [S.l.]: IFLA, 1997.
JAKŠIĆ, Mirjana. Mapping of bibliographical standards into XML. Software: Practice and Experience. v. 34, n. 11, p. 1051-
1064, 2004. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1002/spe.603>. Acesso em: 11 set. 2012.
Referências
LIBRARY OF CONGRESS. Bibliographic Framework Initiative General Plan. Washington, 2011. Disponível em:
<http://www.loc.gov/marc/transition/pdf/bibframework-10312011.pdf>. Acesso em: 29 set. 2012.
LIBRARY OF CONGRESS. Frequently Asked Questions (FAQ). Washington, 2006. Disponível em:
<http://www.loc.gov/marc/faq.html#definition>. Acesso em: 29 set. 2012.
LIBRARY OF CONGRESS. MARC 21 XML Schema: official web site. Washington, 2011b. Disponível em:
<http://www.loc.gov/standards/marcxml/>. Acesso em: 1 dez. 2011.
LIBRARY OF CONGRESS. MARC 21: Harmonized USMARC and CAN/MARC. Washington, 1998. Disponível em:
<http://www.loc.gov/marc/annmarc21.html>. Acesso em: 29 set. 2012.
MACHINE-READABLE BIBLIOGRAPHIC INFORMATION COMMITTEE (MARBI); NETWORK DEVELOPMENT AND MARC STANDARDS
OFFICE. The MARC 21 Formats: Background and Principles. Revised November 1996. Washington: Library of Congress, 1996.
Disponível em: <http://www.loc.gov/marc/96principl.html>. Acesso em: 14 out. 2012.
MILLER, D. R.; CLARKE, K. S. Putting XML to work in the library: tools for improving access and management. Chicago: American
Library Association, 2004.
MÖNCH, C.; AALBERG, T. Automatic Conversion from MARC to FRBR. Lecture Notes in Computer Science, v. 2769, p. 405-
411, 2003. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1007/978-3-540-45175-4_37>. Acesso em: 14 out. 2012.
MORENO, F. P.; BRASCHER, M. MARC, MARCXML e FRBR: relações encontradas na literatura. Informação & Sociedade:
Estudos, João Pessoa, v. 17, n. 3, p. 13-25, set./dez. 2007. Disponível em:
<http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/834>. Acesso em: 14 out. 2012.
NOSSOS clientes. Gurupi: InfoArte, 2012. Disponível em: <http://www.elysio.com.br>. Acesso em: 24 set. 2012.
OLIVEIRA, E. M. S. de. Manual do PHL 8.2. Revisão de 27/09/2011. Gurupi: InfoArte, 2011.
PARANHOS, W. M. M. da R. Fragmentos metodológicos para projetos e execução de gestão informatizada de coleções de
documentos e serviços em bibliotecas. Encontros BIBLI, Florianópolis, n. esp., p. 14-32, 2º sem. 2004.
Referências

PEREIRA, A. M.; SANTOS, P. L. V. A. C. O uso estratégico das tecnologias em catalogação. Cadernos da F.F.C., Marília, v. 7, n. 1/2, p. 121-131,
1998.
PHL.NETOPAC. Gurupi: InfoArte, 2012. Disponível em: <http://www.elysio.com.br/site/phlnet_index.html>. Acesso em: 24 set. 2012.
PICCO, P.; ORTIZ REPISO, V. RDA, el nuevo código de catalogación: cambios y desafíos para su aplicación. Revista Española de Documentación
Científica, v. 35, n. 1, p. 145-173, enero-marzo 2012. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.3989/redc.2012.1.848>. Acesso em: 14 out. 2012.
RAY, E. T. Learning XML. 3rd ed. Beijing: O'Reilly, 2003.
SANTOS, P. L. V. A. C.; CORRÊA, R. M. R. Catalogação: trajetória para um código internacional. Niterói: Intertexto, 2009.
SIQUEIRA, M. A. XML na Ciência da Informação: uma análise do MARC 21. 2003. 133 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) –
Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2003. Disponível em:
<http://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/bma/33004110043P4/2003/siqueira_ma_me_mar.pdf>. Acesso em: 14 out. 2012.
STATEMENT of International Cataloguing Principles. [S.l.]: IFLA, 2009.
TAYLOR, A. G. Introduction to cataloging and classification. 10th ed. Westport: Libraries Unlimited, 2006.
TAYLOR, A. G.; JOUDERY, D. N. The organization of information. 3rd ed. Westport: Libraries Unlimited, 2009.
TENNANT, R. A bibliographic metadata infrastructure for the twenty-first century. Library Hi Tech, v. 22, n. 2, p. 175-181, 2004.
TIDWELL, Doug. XSLT. 2nd ed. Beijing: O'Reilly, 2008.
W3C. XML Schema. Revision 1.153, date: 2012/06/22. Cambridge, 2012. Disponível em: <http://www.w3.org/XML/Schema>. Acesso em: 09
out. 2012.
W3C. XSL Transformations (XSLT) Version 2.0: W3C Recommendation 23 January 2007. Cambridge, 2007. Disponível em:
<http://www.w3.org/TR/xslt20>. Acesso em: 25 set. 2012.
YEE, M. M. New perspectives on the shared cataloging environment and a MARC 21 shopping list. Library Resources & Technical Services, v.
48, n. 3, p. 165-178, 2004.
Fórum de Discussões da
Biblioteca de Estudos e Aplicação de Metadados
26 de novembro de 2012




                             Obrigado!

                         Fabrício Silva Assumpção
                    Bolsista CAPES – Mestrado, PPGCI/Unesp

                 Orientadora: Plácida L. V. A. da C. Santos

                           assumpcao.f@gmail.com
                           fabricioassumpcao.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Catalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendências
Catalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendênciasCatalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendências
Catalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendênciasFabrício Silva Assumpção
 
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)Fabrício Silva Assumpção
 
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...Fabrício Silva Assumpção
 
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)Fabrício Silva Assumpção
 
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...Fabrício Silva Assumpção
 
SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais
SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentaisSKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais
SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentaisFabrício Silva Assumpção
 
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)Fabrício Silva Assumpção
 
Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...
Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...
Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...Fabrício Silva Assumpção
 
RDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogaçãoRDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogaçãoMarcelo Votto
 
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...Fabrício Silva Assumpção
 
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...Fabrício Silva Assumpção
 

Mais procurados (20)

Catalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendências
Catalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendênciasCatalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendências
Catalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendências
 
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
 
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
 
Pensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDAPensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDA
 
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
 
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
 
Resource Description and Access (RDA)
Resource Description and Access (RDA)Resource Description and Access (RDA)
Resource Description and Access (RDA)
 
Controle de autoridade e RDA (UFG)
Controle de autoridade e RDA (UFG)Controle de autoridade e RDA (UFG)
Controle de autoridade e RDA (UFG)
 
RDA Element Sets e RDA Value Vocabularies
RDA Element Sets e RDA Value VocabulariesRDA Element Sets e RDA Value Vocabularies
RDA Element Sets e RDA Value Vocabularies
 
SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais
SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentaisSKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais
SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais
 
RDA: Dando um passo à frente
RDA:Dando um passo à frenteRDA:Dando um passo à frente
RDA: Dando um passo à frente
 
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
 
Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...
Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...
Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...
 
RDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogaçãoRDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogação
 
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
 
RDA
RDARDA
RDA
 
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21? Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
 
XSLT: Conceitos iniciais
XSLT: Conceitos iniciaisXSLT: Conceitos iniciais
XSLT: Conceitos iniciais
 
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
 
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
 

Destaque

Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDAFabrício Silva Assumpção
 
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...Fabrício Silva Assumpção
 
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDAFabrício Silva Assumpção
 
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridadeUm estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridadeFabrício Silva Assumpção
 
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slideSlide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slideVera Moreira Matos
 

Destaque (9)

Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
 
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
 
Formatos MARC 21
Formatos MARC 21Formatos MARC 21
Formatos MARC 21
 
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
 
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridadeUm estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
 
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
 
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
 
Normas da abnt referência
Normas da abnt   referênciaNormas da abnt   referência
Normas da abnt referência
 
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slideSlide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
 

Semelhante a Conversão de registros: um modelo baseado em folhas de estilo XSLT

MARC 21
MARC 21MARC 21
MARC 21UNESP
 
Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...
Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...
Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...Fabrício Silva Assumpção
 
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...Daniel Ribeiro dos Santos
 
Bancos de Dados para Bibliotecários
Bancos de Dados para BibliotecáriosBancos de Dados para Bibliotecários
Bancos de Dados para BibliotecáriosLuciano Ramalho
 
Bancos de Dados para Bibliotecarios
Bancos de Dados para BibliotecariosBancos de Dados para Bibliotecarios
Bancos de Dados para BibliotecariosLuciano Ramalho
 
Benef&iacute;cios dos WebStandards
Benef&iacute;cios dos WebStandardsBenef&iacute;cios dos WebStandards
Benef&iacute;cios dos WebStandardsNáiron Jcg
 
364722271-Modulo-III-Linguagem-SQL-Versao-Final.pdf
364722271-Modulo-III-Linguagem-SQL-Versao-Final.pdf364722271-Modulo-III-Linguagem-SQL-Versao-Final.pdf
364722271-Modulo-III-Linguagem-SQL-Versao-Final.pdfQuitriaSilva550
 
Web Semântica no Domínio Bibliográfico
Web Semântica no Domínio BibliográficoWeb Semântica no Domínio Bibliográfico
Web Semântica no Domínio BibliográficoUNESP
 
IFLA-LRM e RDA : panorama do modelo conceitual na norma de catalogação
IFLA-LRM e RDA : panorama do modelo conceitual na norma de catalogaçãoIFLA-LRM e RDA : panorama do modelo conceitual na norma de catalogação
IFLA-LRM e RDA : panorama do modelo conceitual na norma de catalogaçãoMarcelo Votto
 
BizTalk Mapper: Como funcionam os mapas em BizTalk Server 2010
BizTalk Mapper: Como funcionam os mapas em BizTalk Server 2010BizTalk Mapper: Como funcionam os mapas em BizTalk Server 2010
BizTalk Mapper: Como funcionam os mapas em BizTalk Server 2010Sandro Pereira
 
Lilacs application profile
Lilacs application  profileLilacs application  profile
Lilacs application profileSueli Suga
 

Semelhante a Conversão de registros: um modelo baseado em folhas de estilo XSLT (20)

MARC 21
MARC 21MARC 21
MARC 21
 
Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...
Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...
Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...
 
MARC21.pdf.pdf
MARC21.pdf.pdfMARC21.pdf.pdf
MARC21.pdf.pdf
 
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
 
Formatose padrões(1)
Formatose padrões(1)Formatose padrões(1)
Formatose padrões(1)
 
Bancos de Dados para Bibliotecários
Bancos de Dados para BibliotecáriosBancos de Dados para Bibliotecários
Bancos de Dados para Bibliotecários
 
Bancos de Dados para Bibliotecarios
Bancos de Dados para BibliotecariosBancos de Dados para Bibliotecarios
Bancos de Dados para Bibliotecarios
 
Xml pucminas2013
Xml pucminas2013Xml pucminas2013
Xml pucminas2013
 
Aula Introdução a Linguagem XML
Aula Introdução a Linguagem XMLAula Introdução a Linguagem XML
Aula Introdução a Linguagem XML
 
Benef&iacute;cios dos WebStandards
Benef&iacute;cios dos WebStandardsBenef&iacute;cios dos WebStandards
Benef&iacute;cios dos WebStandards
 
XML & HTML
XML & HTMLXML & HTML
XML & HTML
 
364722271-Modulo-III-Linguagem-SQL-Versao-Final.pdf
364722271-Modulo-III-Linguagem-SQL-Versao-Final.pdf364722271-Modulo-III-Linguagem-SQL-Versao-Final.pdf
364722271-Modulo-III-Linguagem-SQL-Versao-Final.pdf
 
Web Semântica no Domínio Bibliográfico
Web Semântica no Domínio BibliográficoWeb Semântica no Domínio Bibliográfico
Web Semântica no Domínio Bibliográfico
 
Corbawebserves
CorbawebservesCorbawebserves
Corbawebserves
 
Sql
SqlSql
Sql
 
Metadados: dados a respeito de dados
Metadados: dados a respeito de dadosMetadados: dados a respeito de dados
Metadados: dados a respeito de dados
 
IFLA-LRM e RDA : panorama do modelo conceitual na norma de catalogação
IFLA-LRM e RDA : panorama do modelo conceitual na norma de catalogaçãoIFLA-LRM e RDA : panorama do modelo conceitual na norma de catalogação
IFLA-LRM e RDA : panorama do modelo conceitual na norma de catalogação
 
BizTalk Mapper: Como funcionam os mapas em BizTalk Server 2010
BizTalk Mapper: Como funcionam os mapas em BizTalk Server 2010BizTalk Mapper: Como funcionam os mapas em BizTalk Server 2010
BizTalk Mapper: Como funcionam os mapas em BizTalk Server 2010
 
Lilacs application profile
Lilacs application  profileLilacs application  profile
Lilacs application profile
 
5 bdoo+bdor
5 bdoo+bdor5 bdoo+bdor
5 bdoo+bdor
 

Último

FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 

Conversão de registros: um modelo baseado em folhas de estilo XSLT

  • 1. Fórum de Discussões da Biblioteca de Estudos e Aplicação de Metadados 26 de novembro de 2012 Conversão de registros Um modelo baseado em folhas de estilo XSLT Fabrício Silva Assumpção Bolsista CAPES – Mestrado, PPGCI/Unesp Orientadora: Plácida L. V. A. da C. Santos
  • 2. Sumário  Introdução  Formatos MARC 21  ISO 2709  MARCXML  Experimento com o Formato PHL  Modelo para a conversão  Considerações parciais
  • 4. Introdução  Formatos MARC 21: padrões de metadados internacionalmente utilizados no domínio bibliográfico.  Dados bibliográficos, de autoridade, de itens, de classificação e informação comunitária.  Sistemas de gerenciamento de bibliotecas que não possibilitam a exportação de registros nos Formatos MARC 21 (ou de acordo com padrões que atualmente possam ter seus registros convertidos para registros nos Formatos MARC 21).
  • 6. Introdução  Dificuldade na integração dos registros de uma biblioteca aos milhões de registros MARC 21 existentes.  Participação limitada nos programas de catalogação cooperativa.  Dificuldades na migração de sistemas.
  • 7. Problema  Diante do número de sistemas de gerenciamento de bibliotecas que não oferecem os Formatos MARC 21 como opção para a exportação de registros, tem-se como problema:  Como converter os registros exportados por esses sistemas em registros nos Formatos MARC 21?
  • 8. Objetivos  Elaborar um modelo para a conversão de registros de distintos formatos de base XML em registros nos Formatos MARC 21 por meio de folhas de estilo Extensible Stylesheet Language for Transformation (XSLT), tendo como exemplo registros no Formato PHL codificados com a XML.
  • 9. Formatos MARC 21  Década de 1960: Necessidade de um formato que tornasse as fichas catalográficas da Library of Congress (LC) processáveis por computador.  Formato MARC I, MARC II, USMARC, MARC 21.
  • 11. Codificação com a SGML  Standard Generalized Markup Language (SGML)  DTDs SGML para a codificação de registros MARC 21.  Um elemento SGML para cada campo e subcampo.  <mrcb245>, <mrcb245-a>, <mrcb245-b>, etc.  <mrcb-title-and-title-related>, <mrcb-subject-access>, etc.  Para os campos de controle foram especificados elementos para cada posição de caractere.  Essa abordagem resultou em DTDs extremamente extensas e complexas. (Eito Brun, 2008, p. 153)
  • 12. Extensible Markup Language (XML)  Extensible Markup Language (XML) – W3C, 1998.  “Estritamente falando, a XML não é uma linguagem de marcação. Uma linguagem tem vocabulário e gramática fixados, a XML na verdade não define qualquer elemento.  Em vez disso ela estabelece uma série de restrições sintáticas sob as quais você pode construir sua própria linguagem. Assim, uma descrição mais adequada seria chamar a XML de um kit de ferramentas para linguagem de marcação.” (Ray, 2003, p. 6, tradução nossa)
  • 13. Extensible Markup Language (XML) <?xml version="1.0"?> <agenda> <contato> <nome>Fabrício Silva Assumpção</nome> <email>assumpcao.f@gmail.com</email> <telefone type="residencial">1234567890</telefone> <endereco> <rua>Rua Brasil</rua> <numero>150</numero> <cep>17526-000</cep> <cidade state="SP">Marília</cidade> </endereco> </contato> </agenda>
  • 14. Extensible Markup Language (XML) <?xml version="1.0"?> <agenda:agenda xmlns:agenda="http://www.agenda.com/schema" xmlns:person="http://www.persondata.com/schema"> <agenda:contato> <agenda:nome>Fabrício Silva Assumpção</agenda:nome> <agenda:email>assumpcao.f@gmail.com</agenda:email> <person:website>http://www.fabricioassumpcao.com</person:website> <person:photo>http://www.fabricioassumpcao.com/foto.jpg</person:photo> <agenda:telefone type="residencial">1234567890</agenda:telefone> <agenda:endereco> <agenda:rua>Rua Brasil</agenda:rua> <agenda:numero>150</agenda:numero> <agenda:cep>17526-000</agenda:cep> <agenda:cidade state="SP">Marília</agenda:cidade> </agenda:endereco> <person:occupation>estudante</person:occupation> </agenda:contato> </agenda:agenda>
  • 15. Codificação com a XML (DTD)  DTDs XML para a codificação de registros MARC 21.  Mesma abordagem utilizada nas DTDs SGML.  Se impressas, as duas DTDs XML corresponderiam a um documento com mais de 600 páginas (Siqueira, 2003, p. 83).
  • 16. Codificação com a XML  XML: uma codificação universalmente aceita, mais simples que a provida pela ISO 2709 e de processamento mais fácil, o que resulta em uma menor complexidade no desenvolvimento de aplicações informáticas para o processamento de registros MARC.  Evitar a segregação do MARC frente a outros padrões de metadados projetados para a Web e que prometiam tornarem-se grandes protagonistas no ambiente das bibliotecas digitais.  Manter a codificação tradicional do MARC como o único meio para a transferência de registros influenciaria negativamente nas possibilidades de intercambiar informações e de expor as descrições a outros serviços de informação. (Eito Brun, 2008, p. 152)
  • 17. Codificação com a XML (MARCXML)  XML Schema – W3C, 2001  Linguagem utilizada na criação de documentos que desempenham funções semelhantes às desempenhadas por uma DTD, no entanto, projetada para a e seguindo a XML.  MARC 21 XML Schema, mais conhecido como MARCXML – LC, 2002
  • 18. Codificação com a XML (MARCXML)  Abordagem diferente da utilizada na criação das DTDs.  Ao invés de criar um elemento para cada campo e subcampo, foram criados elementos XML para os diferentes tipos de elementos do MARC 21 (leader, controlfield, datafield e subfield), sendo que as tags dos campos, os indicadores e os códigos de subcampos definidos nos Formatos MARC 21 seriam indicados por meio de atributos XML.  O resultado foi um esquema único e mais simples para todos os tipos de registros MARC 21 (bibliográfico, de autoridade, etc.). (Eito Brun, 2008, p. 154)
  • 19. Codificação com a XML (MARCXML) <marc:collection> <marc:record type=""> <marc:leader> </marc:leader> <marc:controlfield tag="00X"> </marc:controlfield> <marc:datafield tag="XXX" ind1=" " ind2=" "> <marc:subfield code="x"> </marc:subfield> </marc:datafield> </marc:record> </marc:collection> (Siqueira, 2003, p. 88)
  • 20.
  • 21. Codificação de registros MARC 21 Regras de Conteúdo catalogação, elementos e vocabulários Padrões de metadados: Designação do conteúdo Formatos MARC 21 Estrutura Codificação Codificação Opções para a codificação Codificação Codificação com a ISO com a com a XML com a XML de registros nos 2709 SGML Formatos MARC 21 Documentos que provêm MARCXML especificações sobre ISO 2709 DTD SGML DTD XML Schema a codificação
  • 22. Experimento com o Formato PHL  Personal Home Library (PHL)  Número de bibliotecas: 3167*  PHLopac.net: 5.497.948 registros  Aplicativo gerenciador de bases de dados ISI  Não oferece os Formatos MARC 21 como opções para a exportação.  Formato PHL *www.elysio.com.br
  • 23. 001 Código da Biblioteca 034 Suplemento 071 Tipo de Conteúdo 002 Identificação do título 035 ISSN 072 Total de Referências 003 Classificação 038 Informação Descritiva do Suporte 074 Alcance Temporal Desde 004 Bases de dados 039 Nível de descrição arquivística 075 Alcance Temporal Até 005 Tipo de Documento 076 Descritor Pré codificado 040 Idiomas do Texto 006 Nível Bibliográfico 078 Indivíduo como Tema 041 Idioma do Resumo 007 Tombos 079 Bibliografia de cursos 043 Povo 008 Meio Eletrônico 082 Outras Localidades 009 Separata 050 Instituição da Tese 083 Resumo 010 Autor da parte 051 Notas de tese / dissertação 084 Código HTML 011 Autor Coletivo da parte 052 Instituição patrocinadora do evento 085 Área do Conhecimento 012 Título e Subtítulo da parte 053 Nome do evento 086 Notas de conteúdo 013 Título traduzido da parte 054 Data do Evento 087 Descritores de conteúdo 014 Intervalo de Páginas 055 Data padronizada do evento 088 Descritores Secundários 015 Créditos ou Ementa 056 Local do Evento 089 Observações do Bibliotecário 016 Autor 057 País do evento 090 Disponibilidade 017 Autores Coletivos 058 Patrocinadores do Projeto 091 Nível da restrição 018 Título 059 Nome do Projeto de Pesquisa 019 Título traduzido 096 Código HTML restrito 060 Número do Projeto de Pesquisa 103 Cutter / PHA 020 Total de Páginas 061 Notas Gerais 021 Volume 105 Gênero documental 062 Editora 121 Créditos ou Ementa 022 Suporte 063 Edição 141 Informação Descritiva da parte 026 Tipo de Coleção 064 Data de Publicação 181 Subtítulo 027 Total de volumes 028 Procedência do documento 065 Data de Publicação Padronizada 182 Subtítulo da Série 029 Divulgar 066 Cidade de Publicação 186 Comentários WIKI Folksonomia 030 Título da Série 067 País de Publicação 996 Identificação do Todo 031 Ano e/ou volume 068 Símbolo Cópia de segurança do MFN do 998 032 Fascículo 069 ISBN registro 033 N. Kardex 070 Imagem do Objeto 999 Datas de Controle
  • 24. Codificação de registros PHL com a XML (“PHLXML”)
  • 25. Conversão de PHL para MARC 21 Bib. Cenário de origem Cenário intermediário Cenário de destino Conteúdo Regras de Regras de Regras de catalogação, catalogação, vocabu catalogação, vocabu vocabulários, etc. lários, etc. lários, etc. 1ª Conversão Designação do conteúdo Formato MARC 21 Formato MARC 21 Formato PHL para Dados para Dados Bibliográficos Bibliográficos 2ª Conversão Estrutura XML XML ISO 2709
  • 26. Mapeamento Documentação do Documentação do Formato MARC 21 Formato PHL Correspondências entre os elementos dos dois formatos
  • 27. Mapeamento  O padrão de metadados (PHL, MARC 21, etc.) influencia na utilização dos instrumentos de descrição (regras de catalogação e vocabulários).  Campos correspondentes; Campos provavelmente correspondentes; Campos do PHL sem correspondentes (mapeáveis e não mapeáveis).  Necessidade de criar campos obrigatórios a partir de valores padrão.  Prover orientações adicionais.
  • 28. Mapeamento  Considerar a granularidade dos padrões.  O padrão de destino com granularidade mais fina que o padrão de origem:  (1) a presença, em um mesmo elemento, de dados que poderiam estar registrados em diferentes elementos;  (2) dados que, por terem seu significado dado de forma genérica no padrão de origem, não podem fazer uso, de forma automática, da especificidade provida pelo padrão de destino.
  • 29. Mapeamento Situação de 016 Freire, Paulo, 1921-1997 origem Situação Diferentes dados resultante da 100 1# $aFreire, Paulo, 1921-1997 em um mesmo conversão subcampo Diferentes dados Situação “ideal” 100 1# $aFreire, Paulo, $d1921-1997 em subcampos diferentes
  • 31. Folha de estilo  Extensible Stylesheet Language for Transformation (XSLT)  Linguagem Extensível para Folha de Estilo de Transformação  W3C, 1999 (1.0), 2007 (2.0) Correspondências Folha de estilo Documentação do entre os elementos XSLT MARCXML dos dois formatos http://fabricio.wikincat.org/xslt/phl2marc21-1-0beta.xsl
  • 34. Folha de estilo Atualmente: 935 linhas
  • 35. 1ª Conversão: PHL para MARC 21 Bib.  Mudança de padrão de metadados  A codificação permanece a mesma: XML  Processador XML que para a transformação com XSLT 2.0  MarcEdit Folha de estilo XSLT Registros Registros PHLXML MARCXML Validação Validação sintática semântica (do MARCXML) (dos dados)
  • 36. 2ª Conversão: XML para ISO 2709  Mudança da codificação  Aplicativo para a conversão de registros MARC 21 (MARCXML) em MARC 21 (ISO 2709)  MarcEdit Registros Registros MARCXML ISO 2709
  • 37. Modelo Regras de catalogação, vocabulário s, etc. Documentação Documentação do Formato do formato Z MARC 21 Correspondências Folha de estilo Documentação entre os elementos XSLT do MARCXML dos dois padrões Conversor Registros no Registros Registros formato Z-XML MARCXML ISO 2709 Banco de dados Processador XML Validação sintática Validação semântica (do MARCXML) (dos dados)
  • 38. Considerações parciais  A mudança de codificação não implica na perda de dados.  A mudança de padrão de metadados implica na perda de dados.  As regras de catalogação e os vocabulários utilizados no preenchimento dos valores dos metadados de um padrão devem ser considerados na conversão de registros.
  • 39. Considerações parciais Cenário de origem Cenário intermediário Cenário de destino Conteúdo Regras de Regras de Regras de catalogação, vocabu catalogação, vocabu catalogação, vocabu lários, etc. lários, etc. lários, etc. 1ª Conversão Designação do conteúdo Formato MARC 21 Formato MARC 21 Formato PHL para Dados para Dados Bibliográficos Bibliográficos 2ª Conversão Estrutura XML XML ISO 2709
  • 40. Considerações parciais  Não se pretende que o profissional da Ciência da Informação seja um especialista na construção de folhas de estilo, mas sim que tal profissional conheça as tecnologias desenvolvidas pela Ciência da Computação que podem ser úteis ao seu trabalho.  O modelo proposto tem como ponto forte o delineamento da interação e da integração de profissionais da Ciência da Informação e da Ciência da Computação, cada qual atuando em sua área de competência de forma interdisciplinar, na tarefa de conversão de registros catalográficos.
  • 41. Referências ALVES, R. C. V. Metadados como elementos do processo de catalogação. 2010. 132 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2010. ALVES, R. C. V.; SIMIONATO, A. C.; SANTOS, P. L. V. A. C. Aspectos de granularidade na representação da informação no universo bibliográfico. In: ENACAT, 1., 2012, Rio de Janeiro. Anais...Rio de Janeiro: GEPCAT, 2012. Disponível em: <http://pt.scribd.com/doc/109274547/Aspectos-de-granularidade-na-representacao-da-informacao-no-universo-bibliografico>. Acesso em: 04 nov. 2012. AVRAM, H. D. Machine-Readable Cataloging (MARC) Program. In: ENCYCLOPEDIA of Library and Information Science. New York: Marcel Dekker, 2003. p. 1712-1730. Disponível em: <http://polaris.gseis.ucla.edu/gleazer/260_readings/Avram.pdf>. Acesso em: 14 out. 2012. AVRAM, Henriette D. The MARC Pilot Project: Final Report on a Project Sponsored by The Council on Library Resources, Inc. Washington, D.C.: Library of Congress, 1968. Disponível em: <http://www.eric.ed.gov/ERICWebPortal/detail?accno=ED029663>. Acesso em: 21 abr. 2012. CAFÉ, Lígia; SANTOS, Christophe dos; MACEDO, Flávia. Proposta de um método para escolha de software de automação de bibliotecas. Ciência da Informação, v. 30, n. 2, p. 70-79, maio/ago. 2001. CÔRTE, Adelaide Ramos e. Automação de bibliotecas e centros de documentação: o processo de avaliação e seleção de softwares. Ciência da Informação, Brasília, v. 28, n. 3, p. 241-256, set./dez. 1999. COYLE, K. Future considerations: the functional library systems record. Library Hi Tech, n. 22, v. 2, p. 166-174, 2004. DANSKIN, A. Mature consideration: developing bibliographic standards and maintaining values. New Library World, n. 105, v. 3/4, p. 113-117, 2004. EITO BRUN, R. Lenguajes de marcas para la gestión de recursos digitales: aproximación técnica, especificaciones y referencia. Gijón: Trea, 2008. GORMAN, M. What is the future of cataloguing and cataloguers? In: IFLA GENERAL CONFERENCE, 63., 1997, Copenhagen. Conference Programme and Proceedings. [S.l.]: IFLA, 1997. JAKŠIĆ, Mirjana. Mapping of bibliographical standards into XML. Software: Practice and Experience. v. 34, n. 11, p. 1051- 1064, 2004. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1002/spe.603>. Acesso em: 11 set. 2012.
  • 42. Referências LIBRARY OF CONGRESS. Bibliographic Framework Initiative General Plan. Washington, 2011. Disponível em: <http://www.loc.gov/marc/transition/pdf/bibframework-10312011.pdf>. Acesso em: 29 set. 2012. LIBRARY OF CONGRESS. Frequently Asked Questions (FAQ). Washington, 2006. Disponível em: <http://www.loc.gov/marc/faq.html#definition>. Acesso em: 29 set. 2012. LIBRARY OF CONGRESS. MARC 21 XML Schema: official web site. Washington, 2011b. Disponível em: <http://www.loc.gov/standards/marcxml/>. Acesso em: 1 dez. 2011. LIBRARY OF CONGRESS. MARC 21: Harmonized USMARC and CAN/MARC. Washington, 1998. Disponível em: <http://www.loc.gov/marc/annmarc21.html>. Acesso em: 29 set. 2012. MACHINE-READABLE BIBLIOGRAPHIC INFORMATION COMMITTEE (MARBI); NETWORK DEVELOPMENT AND MARC STANDARDS OFFICE. The MARC 21 Formats: Background and Principles. Revised November 1996. Washington: Library of Congress, 1996. Disponível em: <http://www.loc.gov/marc/96principl.html>. Acesso em: 14 out. 2012. MILLER, D. R.; CLARKE, K. S. Putting XML to work in the library: tools for improving access and management. Chicago: American Library Association, 2004. MÖNCH, C.; AALBERG, T. Automatic Conversion from MARC to FRBR. Lecture Notes in Computer Science, v. 2769, p. 405- 411, 2003. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1007/978-3-540-45175-4_37>. Acesso em: 14 out. 2012. MORENO, F. P.; BRASCHER, M. MARC, MARCXML e FRBR: relações encontradas na literatura. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 17, n. 3, p. 13-25, set./dez. 2007. Disponível em: <http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/834>. Acesso em: 14 out. 2012. NOSSOS clientes. Gurupi: InfoArte, 2012. Disponível em: <http://www.elysio.com.br>. Acesso em: 24 set. 2012. OLIVEIRA, E. M. S. de. Manual do PHL 8.2. Revisão de 27/09/2011. Gurupi: InfoArte, 2011. PARANHOS, W. M. M. da R. Fragmentos metodológicos para projetos e execução de gestão informatizada de coleções de documentos e serviços em bibliotecas. Encontros BIBLI, Florianópolis, n. esp., p. 14-32, 2º sem. 2004.
  • 43. Referências PEREIRA, A. M.; SANTOS, P. L. V. A. C. O uso estratégico das tecnologias em catalogação. Cadernos da F.F.C., Marília, v. 7, n. 1/2, p. 121-131, 1998. PHL.NETOPAC. Gurupi: InfoArte, 2012. Disponível em: <http://www.elysio.com.br/site/phlnet_index.html>. Acesso em: 24 set. 2012. PICCO, P.; ORTIZ REPISO, V. RDA, el nuevo código de catalogación: cambios y desafíos para su aplicación. Revista Española de Documentación Científica, v. 35, n. 1, p. 145-173, enero-marzo 2012. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.3989/redc.2012.1.848>. Acesso em: 14 out. 2012. RAY, E. T. Learning XML. 3rd ed. Beijing: O'Reilly, 2003. SANTOS, P. L. V. A. C.; CORRÊA, R. M. R. Catalogação: trajetória para um código internacional. Niterói: Intertexto, 2009. SIQUEIRA, M. A. XML na Ciência da Informação: uma análise do MARC 21. 2003. 133 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2003. Disponível em: <http://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/bma/33004110043P4/2003/siqueira_ma_me_mar.pdf>. Acesso em: 14 out. 2012. STATEMENT of International Cataloguing Principles. [S.l.]: IFLA, 2009. TAYLOR, A. G. Introduction to cataloging and classification. 10th ed. Westport: Libraries Unlimited, 2006. TAYLOR, A. G.; JOUDERY, D. N. The organization of information. 3rd ed. Westport: Libraries Unlimited, 2009. TENNANT, R. A bibliographic metadata infrastructure for the twenty-first century. Library Hi Tech, v. 22, n. 2, p. 175-181, 2004. TIDWELL, Doug. XSLT. 2nd ed. Beijing: O'Reilly, 2008. W3C. XML Schema. Revision 1.153, date: 2012/06/22. Cambridge, 2012. Disponível em: <http://www.w3.org/XML/Schema>. Acesso em: 09 out. 2012. W3C. XSL Transformations (XSLT) Version 2.0: W3C Recommendation 23 January 2007. Cambridge, 2007. Disponível em: <http://www.w3.org/TR/xslt20>. Acesso em: 25 set. 2012. YEE, M. M. New perspectives on the shared cataloging environment and a MARC 21 shopping list. Library Resources & Technical Services, v. 48, n. 3, p. 165-178, 2004.
  • 44. Fórum de Discussões da Biblioteca de Estudos e Aplicação de Metadados 26 de novembro de 2012 Obrigado! Fabrício Silva Assumpção Bolsista CAPES – Mestrado, PPGCI/Unesp Orientadora: Plácida L. V. A. da C. Santos assumpcao.f@gmail.com fabricioassumpcao.com