Propostas de alteração dos Estatutos da FEUP Francisco J. Restivo 24-11-1999
Novos estatutos da FEUP <ul><li>Porquê? </li></ul><ul><li>Para quê? </li></ul><ul><li>Como? </li></ul><ul><li>( uma visão ...
Comissão  ad hoc <ul><li>Carlos Costa </li></ul><ul><li>Francisco Restivo </li></ul><ul><li>Manuel Azeredo </li></ul><ul><...
Porquê? <ul><li>Ausência de prospectiva (cenários, envolvente, etc.) </li></ul><ul><li>dispersão da capacidade de decisão ...
Modelo Departamento ~ Curso esgotado <ul><li>Decisões críticas sem a visão de conjunto  (que cursos, quantos alunos, etc.)...
Para quê <ul><li>Clarificação do papel de cada órgão  (deliberativo, executivo, consultivo) </li></ul><ul><li>concentração...
Separação Departamentos + Cursos <ul><li>Com órgãos próprios / orçamento próprio </li></ul><ul><li>com objectivos concorre...
Como? <ul><li>Limites legais </li></ul><ul><li>clarificar a quem compete definir os destinos da escola </li></ul><ul><li>r...
Estatuto <ul><li>Assembleia de Representantes:  16+16+8+8 </li></ul><ul><li>Conselho Directivo + Comissão Executiva </li><...
Estatuto não chega! <ul><li>Escola flexível, ágil, sem desperdícios </li></ul><ul><li>dimensionada para a sua área de infl...
Objectivos a atingir <ul><li>Formar engenheiros novos:  competências tecnológicas, capacidade de aprender sempre, capacida...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Propostas de Alteração dos Estatutos da FEUP

736 visualizações

Publicada em

As propostas de alteração dos Estatutos da FEUP, de que resultaram os Estatutos aprovados em 2001

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
736
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Propostas de Alteração dos Estatutos da FEUP

  1. 1. Propostas de alteração dos Estatutos da FEUP Francisco J. Restivo 24-11-1999
  2. 2. Novos estatutos da FEUP <ul><li>Porquê? </li></ul><ul><li>Para quê? </li></ul><ul><li>Como? </li></ul><ul><li>( uma visão pessoal, que não compromete a comissão ad hoc que elaborou a proposta ) </li></ul>
  3. 3. Comissão ad hoc <ul><li>Carlos Costa </li></ul><ul><li>Francisco Restivo </li></ul><ul><li>Manuel Azeredo </li></ul><ul><li>Norberta Castanheira </li></ul><ul><li>Paulo Tavares de Castro </li></ul><ul><li>Raul Vidal </li></ul><ul><li>(e Marques dos Santos, o principal mentor deste projecto de mudança) </li></ul>
  4. 4. Porquê? <ul><li>Ausência de prospectiva (cenários, envolvente, etc.) </li></ul><ul><li>dispersão da capacidade de decisão </li></ul><ul><li>modelo Departamento ~ Curso esgotado </li></ul><ul><li>sobreposições com ECDU </li></ul><ul><li>afastamento da realidade (centros de investigação, instituições de interface, etc.) </li></ul>
  5. 5. Modelo Departamento ~ Curso esgotado <ul><li>Decisões críticas sem a visão de conjunto (que cursos, quantos alunos, etc.) </li></ul><ul><li>desfocadas das necessidades do País/região </li></ul><ul><li>dificuldades na criação de novos cursos (com ênfase na procura, e não na oferta) </li></ul><ul><li>ausência de garantia mútua de qualidade </li></ul><ul><li>pouca atenção às competências não tecnológicas (desenvolvimento pessoal) </li></ul>
  6. 6. Para quê <ul><li>Clarificação do papel de cada órgão (deliberativo, executivo, consultivo) </li></ul><ul><li>concentração da capacidade de decisão </li></ul><ul><li>resposta aos novos desafios (empreendedorismo, aprendizagem ao longo da vida, geração Web) </li></ul><ul><li>separação Departamentos + Cursos </li></ul>
  7. 7. Separação Departamentos + Cursos <ul><li>Com órgãos próprios / orçamento próprio </li></ul><ul><li>com objectivos concorrentes </li></ul><ul><ul><li>departamentos: promover a procura (disciplinas / investigação, etc.) </li></ul></ul><ul><ul><li>cursos: promover a oferta (melhores aulas / curricula / alunos, etc.) </li></ul></ul><ul><li>com independência (cursos não podem ser feitos à medida da existência / excesso de recursos próprios) </li></ul>
  8. 8. Como? <ul><li>Limites legais </li></ul><ul><li>clarificar a quem compete definir os destinos da escola </li></ul><ul><li>reconhecer a importância da estratégia </li></ul><ul><li>clarificar a relação Estado - escola - aluno </li></ul><ul><li>alargar as áreas de intervenção </li></ul><ul><li>estatuto para o séc. XXI </li></ul>
  9. 9. Estatuto <ul><li>Assembleia de Representantes: 16+16+8+8 </li></ul><ul><li>Conselho Directivo + Comissão Executiva </li></ul><ul><li>Director </li></ul><ul><li>Conselho Científico </li></ul><ul><li>Conselho Pedagógico </li></ul><ul><li>Departamentos + Cursos + Centros de Investigação + Institutos de Interface + Serviços </li></ul>
  10. 10. Estatuto não chega! <ul><li>Escola flexível, ágil, sem desperdícios </li></ul><ul><li>dimensionada para a sua área de influência </li></ul><ul><li>que forneça as competências tecnológicas </li></ul><ul><li>e que ensine a viver e a competir na Sociedade da Informação </li></ul>
  11. 11. Objectivos a atingir <ul><li>Formar engenheiros novos: competências tecnológicas, capacidade de aprender sempre, capacidade de ouvir e de se fazer ouvir, capacidade de manusear informação independentemente do seu suporte </li></ul><ul><li>acompanhá-los ao longo da vida </li></ul><ul><li>criar um espírito de Escola! </li></ul>

×